Home Marinha do Brasil Corveta Barroso é o novo navio capitânia da FTM-UNIFIL

Corveta Barroso é o novo navio capitânia da FTM-UNIFIL

1966
23
Corveta Barroso - V34
Corveta Barroso – V34

Em 15 de setembro, dois navios construídos no Brasil foram protagonistas durante a cerimônia de Handover em águas do Mar Mediterrâneo. A Corveta “Barroso” tornou-se, pela terceira vez, o Navio Capitânia da Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL), em substituição à Fragata “União”, que concluiu com êxito um período de seis meses na missão, perfazendo 23 patrulhas e 92 dias de mar.

A FTM-UNIFIL foi criada em 15 de outubro de 2006, em atendimento à Resolução 1701 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, por solicitação do governo libanês, tendo a peculiaridade de ser a única Força Naval componente de missão de paz da ONU.

A FTM-UNIFIL possui um Estado-Maior multinacional e seis navios de diferentes nacionalidades: Alemanha, Bangladesh, Brasil, Grécia, Indonésia e Turquia.

Seguindo o protocolo da ONU, a cerimônia foi presidida pelo Comandante da FTM-UNIFIL, Contra-Almirante Eduardo Augusto Wieland.

O evento contou com a presença do Encarregado de Negócios da Embaixada do Brasil no Líbano, Ministro Conselheiro Jandyr Ferreira dos Santos Júnior, do Procurador-Geral da Justiça Militar, Jaime de Cássio Miranda, do Comandante em Chefe da Esquadra, Vice-Almirante José Augusto Vieira da Cunha de Menezes, do Subchefe de Operações de Paz do Ministério da Defesa, General de Divisão Rolemberg Ferreira da Cunha, além de diversas personalidades civis e militares locais e de países integrantes da missão.

FONTE: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
9 meses atrás

Corveta Barroso, a atual “faz tudo” e “carregadora de piano” da MB.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Essa é pau pra toda obra, pena que parou apenas nessa unidade.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Marcos R.
9 meses atrás

Exato.
Mais 2 ou 3 dessa classe fazem uma falta danada…

Carlos Eduardo Oliveira
Carlos Eduardo Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Vai durar pouco esse navio.

Salim
Salim
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Gosto muito da Barroso, precisava de mais algumas pena náo continuarem projeto. Vamos perder ate capacidade de projetar corvetas.

Vovozao
Vovozao
9 meses atrás

27/09/19 – sexta-feira, bdia, será com a BARROSO que iremos nos despedir da UNIFIL, ou ainda enviaremos mais uma substituição????

Pablo
Pablo
Reply to  Vovozao
9 meses atrás

Pelo que vi a MB ficará na unifil até dezembro de 2020, sendo que a cada seis meses tem a troca de navio, então acho improvável.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Pablo
9 meses atrás

Então no mínimo teremos mas duas missões!

Pablo
Pablo
Reply to  Fabio Araujo
9 meses atrás

Não sei se duas ou a próxima estendida. A atual acho que vai até março do próximo ano ou aproximadamente isso.

rommelqe
rommelqe
Reply to  Pablo
9 meses atrás

Então Pablo, depois que ela retornar, daqui a seis meses, qual será a sua sucessora? Depois da sua sucessora acredito que ela retornanrá ao Libano para concluir os ultmos seis meses da missão da MB, isso porque as fragatas remanescentes fazem mais falta aqui no Brasil

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

Qual a proteção anti-aérea delas…?

Chaffs…?

Aliás…, gostaria de saber se os principais navios de combate da Marinha do Brasil, tem um mínimo de proteção anti-aérea, como os CHAFFS…

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

Sim, todas as fragatas e corvetas têm lançadores de chaff. Na Barroso, os dois sistemas lançadores de chaff estão nas dois bordos, perto da porta do hangar, um nível abaixo do canhão Bofors Mk3 de 40mm (que é a principal defesa antiaérea e antimíssil desse navio, que infelizmente não tem mísseis antiaéreos). Nas corvetas classe Inhaúma, os lançadores de chaff ficam junto à base do mastro dos radares (estas também não possuem mísseis antiaéreos, e a defesa antiaérea e antimíssil é feita por dois canhões Bofors 40mm de geração anterior aos da Barroso). Na classe Niterói, os lançadores de chaff… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Esqueci de acrescentar as duas últimas classe Greenhalgh, cujos lançadores de chaff também ficam próximos ao mastro do radar, e cujas defesas antiaéreas e antimíssil estão a cargo de dois lançadores de mísseis Seawolf, cuja operacionalidade hoje eu desconheço, e dois canhões Bofors 40mm de geração mais antiga que os das fragatas e corvetas (eram os originais da classe Niterói antes da modernização).

Cristiano Salles (Taubaté)
Cristiano Salles (Taubaté)
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

OBRIGADO !!!, pela informação…, abração fique com DEUS…>>>

Cristiano Salles
Cristiano Salles
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

OBRIGADO !!!, pela informação…, abração fique com DEUS…>>>

Daniel Silva
Daniel Silva
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

O principal elemento anti aéreo é o canhão BAE Systems Bofors Trinity Mk 3 40mm com alça optrônica EOS-400 (alcance de 10 km). Padrão na MB, também é usado nas Fragatas Niterói modernizadas ainda em operação.
Salvo engano, de forma secundária, também pode usar seu canhão principal na mesma função (4,5 polegadas – 114,3mm), ainda que com menor eficiência.
Não possui mísseis anti-aéreos (infelizmente).

Cristiano Salles (Taubaté - SP)
Cristiano Salles (Taubaté - SP)
Reply to  Daniel Silva
9 meses atrás

OBRIGADO !!!, pela informação…, abração fique com DEUS…>>>

Daniel Silva
Daniel Silva
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

Ah sim, possui Chaffs e central de guerra eletrônica.

RRN
RRN
9 meses atrás

E aqui nossos mares abertos a quem quiser entrar!

João Moro
João Moro
Reply to  RRN
9 meses atrás

Mesmo se ela voltasse, não resolveria. Ainda precisamos de várias embarcações para que a proteção seja significativa.

Pablo
Pablo
Reply to  RRN
9 meses atrás

a costa e mar territorial é protegido de várias formas, não só de navios da marinha!!!

Bb2
Bb2
9 meses atrás

Gostaria de saber: qto a MB recebe da Onu para essa missao, quais sao os indices exigidos para estar no mar e em portos. Quantos libaneses marinhas foram treinados e CERTIFICADOS para combate ao contratado de armas q soh crescer no libano.

Qual o resultado das 3 ultimas auditorias da onu nas ftm unifil. Um pouco de transparencia com nosso dinheiro e recursos publicos

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
9 meses atrás

Ha algum tempo atras, falou-se na modernização da corveta barroso a partir do Off-Set da Corveta Tamandaré, onde a barroso receberia os mesmo equipamentos da tamandaré.

Nao sei se isso é possível ou se isso vai mesmo acontecer, mas, uma coisa eu sei, ela vai sim precisar ser modernizada, mas vomo sera e quando sera, isso eu acho que ninguém sabe