Home Marinha do Brasil Marinha envia seus dois maiores navios para auxiliar no combate ao vazamento...

Marinha envia seus dois maiores navios para auxiliar no combate ao vazamento de óleo no Nordeste

11760
216
NDM Bahia - G40 e PHM Atlântico - A140
NDM Bahia – G40 e PHM Atlântico – A140

Embarcações deixam o Rio de Janeiro na tarde desta segunda-feira (4) e devem chegar no Nordeste no dia 10

Os dois maiores navios da Marinha do Brasil saem do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (4) em direção ao Nordeste do país para ajudar no combate ao vazamento de óleo que atingiu as praias da região. A medida foi tomada mais de 60 dias após o óleo chegar à costa brasileira.

O primeiro, Atlântico, deixa o Arsenal de Marinha, na Zona Portuária do Rio, ao meio-dia. O segundo, o navio-doca multipropósito Bahia, deixará a Base Naval do Mocanguê, na Baía de Guanabara, às 15h. Além dessas duas grandes embarcações, uma fragata, seis aeronaves e um terceiro navio também sairão do local.

No total, duas mil pessoas participarão da missão – sendo 670 fuzileiros navais. Os fuzileiros irão desembarcar para participar da limpeza das praias, manguezais e arrecifes.

O Atlântico e a fragata vão trafegar pelo litoral nordestino em patrulha e monitoramento das águas, com exceção do Bahia – este, por ser um navio-doca, e também por questões de logística, ficará atracado no Porto do Suape, em Recife.

A previsão é que os navios cheguem no Nordeste no dia 10 deste mês.

Leia a notícia completa no site G1, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
216 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
mahan
mahan
6 meses atrás

Devia mandar para o litoral da venezuela para exigir reparação dos danos na região nordeste.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  mahan
6 meses atrás

Só se fosse para ser afundado.

Ulisses
Ulisses
Reply to  mahan
6 meses atrás

kkkkkk

Felipe
Felipe
Reply to  mahan
6 meses atrás

Acredita no bozo? Quem vazou foi um navio grego, então…

Caio
Caio
Reply to  mahan
6 meses atrás

Mas pq a Venezuela deveria fazer essa reparação de danos?

colombelli
colombelli
Reply to  Caio
6 meses atrás

Caio, o governo Venezuelano não, mas a empresa venezuelana que vendeu ou carregou o petroleo pode ser acionada por nossa legislação atual.

Mahan
Mahan
Reply to  colombelli
6 meses atrás

E a empresa estatal venezuelana não tem o monopólio do petróleo daquele país?

Colombelli
Colombelli
Reply to  Mahan
6 meses atrás

Mahan é uma empresa não o governo. No direito internacional a ampresa tem personaludade juridica propria e distinta do ente estatal que a gerencia ou cria.

Caio
Caio
Reply to  colombelli
6 meses atrás

Acho difícil, já não foram eles os responsáveis pelo derramamento. O mesmo não pode ser dito da empresa que fez o transporte.

Colombelli
Colombelli
Reply to  Caio
6 meses atrás

Caio e Camargoer. A responsabiludade é direta da transportadora. Mas quem vendeu/ carregou e quem comprou/ contratou respondemem vista do risco proveito da legislação ambiental cuja responsabilidade é objetiva (independe de culpa) e tambem por responsabilidade subjetiva (com culpa) por culpa in eligendo (escolha) e in vigilando ( fiscalização do transportador).

Camargoer
Camargoer
Reply to  colombelli
6 meses atrás

Caro Colombelli. Eu pensava que a responsável seria a empresa transportadora ao invés da fornecedora, ou de quem contratou a transportadora. Acho que vai levar muito tempo até conseguir que a indenização ou multas sejam pagas.

Almeida
Almeida
Reply to  mahan
6 meses atrás

Não há indícios de ser um ato do governo venezuelano para atacar o Brasil. É uma questão comercial e ambiental a ser arbitrada nos canais internacionais competentes. Pára de querer entrar em guerra à toa por causa de politização, tá pagando de marmita de político.

Almeida
Almeida
Reply to  Almeida
6 meses atrás

E tem mais, se fosse um ataque à nossa soberania, você deveria estar de cagando de medo porque a nossa marinha de guerra levou SESSENTA DIAS para dar uma resposta. Você já estaria falando espanhol à esta altura do conflito.

Mahan
Mahan
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Lei é pra ser cumprida. A Lei responspabiliza a empresa fornecedora do óleo , não?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Mahan
6 meses atrás

Caro Mahan. Acho que alguns colegas conhecem mais de lei internacional, mas meu palpite seria que a empresa transportadora seria a responsável.

Colombelli
Colombelli
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Prezados Mahan e Camargoer. Vendedor comprador e transportador são solidariamente responsaveis no civel e no crime são co-reus respondendo cada qual por seus atos especificos . A lei aplicavel ao caso é a brasileira pois o dano ocorreu aqui. Processo é movido na nossa justica federal e teria por réus cíveis e criminais as empresas envolvidas e no caso do crime também as fisicas. Caso houvesse ato de governo estrangeiro, no civel ele também pode ser parte mas a conpetência seria diversa.

Alecsander
Alecsander
Reply to  mahan
6 meses atrás

Mais nao era as Ongs que estavao fazendo isso????? Kkkkkkkkkk…

João da Silva
João da Silva
Reply to  mahan
6 meses atrás

Venezuela não tem nada a ver com a coisa. Navio de companhia grega subsidiária da Shell é o suspeito. Daí os barris da Shell encontrados nas praias.

Nico 88
Reply to  mahan
6 meses atrás

Muda o título do site e coloca “poder ideológico” Deixei de acompanhar a trilogia (e muitos outros) por causa desses comentários idiotas e ideológicos. Farto dessas baboseiras ideológicas. Setor de defesa é coisa séria. Quer debater se comunismo ou liberalismo é melhor que outro. Cria um site para tal.

Frederico
Frederico
Reply to  Nico 88
6 meses atrás

Perfeito!

Matheus
Matheus
Reply to  mahan
6 meses atrás

Vão sair hoje ? e só chegam semana que vem ? MB com a prontidão e eficiência de sempre…

Sinceramente
Reply to  mahan
6 meses atrás

6 dias pra chegar no nordeste imagina se fosse um ataque uma tentativa de bloqueio naval ?
MB e uma vergonha com 80 mil marinheiros 80 Almirantes 43 mil oficiais 28 mil filhas pensionistas
A quem acredita que há defesa naval kkkk

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Sinceramente
6 meses atrás

A velocidade do navio é padrão, aqui, na Inglaterra, e na coalizão da Desert Storm…não entendi…

Qual é o problema?

Os navios estavam no RJ porque não tinham a necessidade de estar em outro lugar….

Se houvesse risco de beligerancia com alguem….eles estariam em Natal, Recife ou Fortaleza e assim não demorariam 6 dias…

Sinceramente, seja sincero com o razoavel…

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Sinceramente
6 meses atrás

Já existem navios e aeronaves na área de Abrolhos desde a semana passada… e equipes em terra há mais tempo do que isso… criticar sem saber os dados de planejamento e o conceito da operação é puro chute ou achismo, desculpe…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  mahan
6 meses atrás

Os navios partem e você quem está viajando.

Cunnighan
Cunnighan
Reply to  mahan
6 meses atrás

“Certas pessoas so querem ver o mundo queimar”

Almeida
Almeida
6 meses atrás

Só agora?? Se é realmente necessária a participação desses navios, por que a demora?

João Moro
João Moro
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Porque AGORA é necessário. Ademais, o custo para navegá-lo é bem maior que Navios patrulha ou fragatas.

Marcos Rêgo
Marcos Rêgo
Reply to  João Moro
6 meses atrás

O custo ambiental é o maior de todos esses amigo.

João Moro
João Moro
Reply to  Marcos Rêgo
6 meses atrás

O custo ambiental, infelizmente, não temos com evitar: as correntes levam o petróleo abaixo da linha da superfície e só aparecem próximas da praia. Podemos evitar alguns litros de petróleo que eventualmente podem aparecer na superfície, mas a grande maioria não temos como evitar. Que as nossas universidades trabalhem em tecnologias para detectar esses amontoados de petróleo e colher esses resíduos no fundo do mar para que evitemos futuros acidentes ambientais como esse.

ALEXANDRE DE BARROS BARBOZA
Reply to  João Moro
6 meses atrás

Como nossas universidades vão trabalhar em alguma coisa se há milhares de cientistas sem garantia de bolsas para 2020, e muitos inclusive com as mesmas já cortadas?

Almeida
Almeida
Reply to  João Moro
6 meses atrás

Ué, porque SÓ AGORA é necessário? O que mudou desde que o óleo foi descoberto nas praias?

Não seria melhor ter patrulhas na costa do NE pra PRIMEIRAMENTE EVITAR este tipo de crime?

Essa movimentação tardia da MB é puro teatro e marketing do governo pra mostrar para os fãs incondicionais do mesmo. E vocês caem como patos.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Almeida
6 meses atrás

“Não seria melhor ter patrulhas na costa do NE pra PRIMEIRAMENTE EVITAR este tipo de crime?”

Almeida,
O derramamento foi, segundo os cálculos, a mais de 700 km da costa, o dobro da distância da Zona econômica exclusiva. Patrulhas na costa não necessariamente evitariam crime cometido em águas internacionais.

Quanto a navios-patrulha e outros meios distritais, tem uma dúzia deles operando na região, alguns praticamente desde o início do problema. Já tem várias notícias publicadas, vários comentários com links, não falta informação para você se atualizar.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

E o poluidor casualmente escolheu o ponto mais favorável pra ampliar ao máximo o resultado do derrame. Consta, ainda, ter feito uma operação ship-to-ship próximo à Malásia (recarregando o que descartou pra mascarar, no destino final -onde, mesmo?- o eventual crime?…).
E a declaração do sr presidente da república de que ‘o pior está por vir’? Os desmentidos e desconversas em torno dessas botinadas verbais parece mostrar um padrão: o de que algo superior ao presidente faz o manejo das consequências do que ele diz quase sem querer querendo…

Almeida
Almeida
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Nunão, nada altera o fato que as denúncias chegaram há mais de 60 dias e a MB só se mexeu uma semana depois do óleo nas praias. Inadmissível na minha opinião. E mais ainda agora, enviando toda a esquadra só pra aparecer na mídia, depois do leite, óleo, derramado.

PS: a USCG patrulha todo o Atlântico e Pacífico, zonas de interesse dos EUA. Eu gostaria que a MB pudesse patrulhar todo o Atlântico Sul também, não apenas nossa ZEE. Evitariam mais atos criminosos como esse e outros.

André Souza
André Souza
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Almeida vá até o Comando da Marinha e expresse sus opinião para o Alter Ilques, você deve saber comandar esse tipo de operação melhor do que o Cmdt de Operações Navais né ? Sabe mais que um Almirante você…sqn.

Almeida
Almeida
Reply to  André Souza
6 meses atrás

Estou questionando a medida do almirante, como cidadão. Cabe à MB ser transparente e explicar por quê. Não preciso ser almirante para isso, nem você, basta pagar os impostos que financiam as ações da MB e do Governo. Isso se chama democracia.

Agora, se você acha que oficial general é infalível e incorruptível e por isso não precisa dar satisfações aos cidadãos, bem, você é marmita de ditador. Vai pra Venezuela! 😉

Nico 88
Reply to  João Moro
6 meses atrás

E antes não era?

nonato
nonato
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Arranjando motivo para criticar o governo?

Sequim
Sequim
Reply to  nonato
6 meses atrás

Não precisa. Esse (des)governo é uma piada pronta.

C. César
C. César
Reply to  Sequim
6 meses atrás

Saudades das roubalheiras em escala épica que teu partido fazia?

Filipe Prestes
Filipe Prestes
6 meses atrás

Qual será a serventia do Bahia atracado em Suape?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Filipe Prestes
6 meses atrás

Como opera com helicópteros estes devem fazer buscas na região!

Eduardo
Eduardo
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

Aí não precisa do Navio;;;

Admiral Cunnighan
Admiral Cunnighan
Reply to  Eduardo
6 meses atrás

O Navio serve como aerodromo flutuante,mais realmente talves desse pra fazee isso com o alcance por terra mesmo …

GuerreiroComunistaDoutrinador
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

putsss

Marujo
Marujo
Reply to  Filipe Prestes
6 meses atrás

Ele será usado como base de apoio logístico aos fuzileiros que participaram da limpeza.

Marujo
Marujo
Reply to  Marujo
6 meses atrás

Participarão*

Enes
Enes
Reply to  Filipe Prestes
6 meses atrás

Filipe Prestes, esse navio, o Bahia, fornecerá logística para as operações.

Camargoer
Camargoer
6 meses atrás

Caros Colegas. O EB tem Tropas no NE. Em outro momento, já discutimos aqui que monitoramento de mancha de óleo deve ser feita por aviso ou imagem de satélite. O G40 e o A140 teriam qual necessidade? Complicado, né?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Você tem que ter meios para retirar o óleo em alto mar, os satélites podem monitorar, mas os navios é que fazem a retirada! E se esses navio estiverem operando helicópteros estes vão ajudar na localização das manchas que serão retiradas!

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Camargoer,
Provavelmente o G40 e o A140 cumprirão funções similares (e algumas adicionais) às que motivaram a USN a mandar em 1989 um LSD e um LPD americanos para o desastre de Valdez, conforme esta notícia daquela época, cujo link também coloquei abaixo, em resposta ao Ozawa:

https://www.latimes.com/archives/la-xpm-1989-04-17-me-1839-story.html

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Olá Nunão. Pelo que entendi, a USN usou os navios para dar suporte logístico às equipes que trabalhavam no Exxon Valdez, o que faz sentido. Estou intrigado com a ausência dos meios específicos usados pelas petroleiras para conter a mancha e recolher o óleo antes de chegar ao litoral. O G40 e o A140 seriam as melhores plataformas para apoiar as equipes de limpeza e contenção, mas são inadequadas para a limpeza em si. Outra coisa que intriga é a ausência da fonte de vazamento. No caso do Valdez, a fonte era o próprio navio acidentado, o que permitiu conter… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Camargoer, tem navios da Petrobras trabalhando junto com os da Marinha, a informação está em matérias já publicadas.

Admiral Cunnighan
Admiral Cunnighan
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Amigo vc sabe me explicar pq os caras nao usam SONAR que talves seja a unica coisa q funcione ao inves de radar e gps …

colombelli
colombelli
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Camargoer, se tu reparou as manchas no caso agora são diferentes de um vazamento convencional. São de pouco tamanho, fracionadas, conforme voce mesmo ressalta abaixo, e não permitem cerco ou bombeamento. Destes navios poderão partir embarcações menores para coleta manual e helicopteros para localização. Manchas pequenas não poderão ser localizadas via satélite. E respondendo a sua pergunta dentro do meu limitado conhecimento que vem de um primo que hoje aposentado trabalhou anos nas plataformas, há meios de contenção em todos terminais e plataformas, porem no caso como o derrame é ao longo de várias centenas de km e é fracionado… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  colombelli
6 meses atrás

Olá Colombelli. Concordo com você que o problema foi agravado pela inexistência de um ponto conhecido de vazamento (como foi a DeepHorizon e o Exxon Valdez). O Nunão sugeriu um comunicado da Petrobras onde é mencionado que ela tem meios especializados operando e também deixa claro que a responsabilidade pelo vazamento seria de outras empresas. A MB está divulgado bons comunicados, inclusive que é conclusivo que o óleo foi extraído na Venezuela. As páginas do Ibama e MMA têm videos, fotos, etc.. mas pouca informação sobre as ações de limpeza e contenção. Na PF nada.

colombelli
colombelli
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Normal a PF não falar Camargoer. O CPP determina sigilo. Este é um caso sui generis. O normal é termos um vazamento partindo de um local único e que prontamente é detectado, podendo no mais das vezes ser isolado com barreiras. No caso de Deepwater Horizon e do Valdez era assim, se tinha ao menos um ponto fixo. E foi na hora Neste caso temos um derramador móvel, manchas fracionadas e pequenas, aparecimento somente dias depois. Pior, ao que consta elas transitam longas distâncias por baixa da água, indetectáveis. Até a olho e proximo é dificil localizar. Põe por terra… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  colombelli
6 meses atrás

Caro Colombelli. Nos comunicados da MB mencionam que além dela, o MMA, IBAMA e PF estão trabalhando coordenados. Estou apenas informando os colegas que estiverem interessados em buscar informações oficiais. Sem juízo de valor.

Colombelli
Colombelli
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Sim. Entendi que não fazes juizo de valor e não tomes minha ponderação como critica ao que tu disseste. . Mas convenhamos relações publicas não é o forte da MB. E nem tera muito o que mostrar neste caso pois são ações pequenas, dispersas e atomizadas. Eu acho satisfatorio o nivel de informação. Ontem ate um delegado da PF falou.
No site do EB tem diversas menções.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Colombelli
6 meses atrás

Caro Colombelli. Concordo com você sobre a dificuldade do Min.Defesa de coordenar um serviço de RP profissional. Esse trabalho de comunicação tem um objetivo oposto á “propaganda” ou “marquetagem”. Falta profissionalismo nas forças armadas em sua relação com a sociedade.

teropode
6 meses atrás

Desnecessário, voluntários e o EB são o suficiente ,

Pirata
Pirata
Reply to  teropode
6 meses atrás

Os voluntários do EB conseguem fazer coleta em alto mar

Camargoer
Camargoer
Reply to  Pirata
6 meses atrás

Caro Pirata. São coisas distintas. Por um lado, há o óleo que chegou e chegará nas praias. Inicialmente, as prefeituras e voluntários estavam recolhendo esse material (com os riscos de intoxicação). Outra coisa é a contenção e o recolhimento do óleo espalhado no mar para impedi-lo de chegar às praias. O primeiro problema poderia ser feito pelo EB sob orientação do Ibama; imagino que o segundo problema demandaria meios especializados disponibilizados pelas petroleiras. Neste momento, os custos precisam ser arcados pelo poder público e torcer para a identificação dos responsáveis para cobrar o ressarcimento futuro.

claudio silva
claudio silva
Reply to  Pirata
6 meses atrás

e por acado vão coletar em alto mar? nao seria melhor mandar aviao para acompanhar as manchas.

teropode
Reply to  Pirata
6 meses atrás

O óleo só é percebido quando está a menos de 50 metros da praia , há várias matérias sobre esta condição de densidade deste tipo de óleo, não há como coletar óleo em alto mar . Se informe melhor e faça correções .

Marcos
Marcos
6 meses atrás

Desnecessário

A MB possui muitos militares na região do Nordeste, levar os dois navios para lá vai ter um ganho de holofotes e uma perda de recursos.

MB sendo MB desde… sempre

Wardog1
Wardog1
6 meses atrás

Completamente inadequados

Marinha do Brasil nao e nem guarda costeira, nem marinha d guerra

E so dindin público desperdiçado mesmo

PACRF
PACRF
Reply to  Wardog1
6 meses atrás

Concordo. O Brasil precisa de patrulhamento oceânico e costeiro com os meios aéreos e de superfície adequados para essa finalidade. Mandar os “dois maiores navios” da marinha serve apenas para dar satisfação tardia à opinião pública.

Almeida
Almeida
Reply to  PACRF
6 meses atrás

Exatamente! A MB não cumpriu sua função de guarda costeira e agora tá querendo aparecer mandando seus maiores (e únicos) navios para a região pra agradar a opinião pública. Porém só tá agradando os fãs deste governo, para mim está bem claro o erro tanto da MB quanto do Ministério da Defesa, prontidão ZERO nesta crise!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
6 meses atrás

Os helicópteros que eles levam vão ser muito útil na localização do óleo ainda no mar, vão aumentar ainda mais as áreas de buscas! Antes tarde do que nunca!

Almeida
Almeida
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

Sei não, acredito que os P-3BR da FAB e outras aeronaves de asas fixas seriam mais eficientes neste caso. São muitas milhas a serem cobertas.

Nunes
Nunes
Reply to  Almeida
6 meses atrás

A FAB já passou mais de 130h de sobrevoo. Está na hora de se atualizar! Não custa ler outras matérias antes de falar.

teropode
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

Meu Deus, insistem com este papo de óleo superficial em alto mar , teimosia aliada ao desconhecimento .

Marcos R.
Marcos R.
6 meses atrás

Falta de meios, porta helicópteros para cumprir função de navio patrulha, resultado de dias décadas de descaso com a frota e megalomania em planos superfaturados.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Duas décadas.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Marcos, sem querer desmerecer seu argumento sobre décadas de descaso, os navios-patrulha já estão atuando por lá, mais de uma dúzia deles, há várias semanas. Certamente o navio doca multipropósito e o porta-helicópteros multipropósito vão ajudar realizando funções diferentes que não são possíveis de cumprir com navios-patrulha.

Marujo
Marujo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Parece-me que o Alte. Sabóia ainda não voltou da região, não é, Nunao? Ainda dá para correr atrás do patrulheiro inglês que está nas Malvinas, já que parece que o dinheiro do FNM não vem mais. Com o alto mar mais patrulhado, talvez esse tipo de ilícito não ocorresse.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marujo
6 meses atrás

Marujo, o derramamento, ao que tudo indica, se deu a mais de 700km da Costa, muito além da zona econômica exclusiva, que seria a área natural de patrulha.

Marujo
Marujo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Obrigado pelo esclarecimento.

FERNANDO
FERNANDO
6 meses atrás

Nãoooooooooooo
e se quebraaaaaaa

Ozawa
Ozawa
6 meses atrás

Se por um lado evidencia sua presença máxima com o uso dessas embarcações, por outro, ao meu juízo, evidencia sua carência máxima com o uso dessas mesmas embarcações …

Afinal, mutatis mutandis, seria possível imaginar um LHA e um LDP americanos em um desastre ambiental correspondente na costa americana para “realizar patrulha e monitoramento das águas”? A pergunta é retórica, pois a USCG, e mesmo a USN, usariam outros meios aéreos e navais antes de chegarem, se necessário, a tal nível de comissionamento …

Enfim, se é o que se tem, use-se.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Ozawa
6 meses atrás

Sim, Ozawa, tanto seria possível imaginar LPD americano sendo usado em situações do tipo como foram, na época do derramamento de óleo no Alaska.

A notícia abaixo, de 1989, é sobre o envio do LPD Juneau (classe Austin) e do LSD Fort McHenry (classe Whidbey Island) para ajudar nos esforços após os derramamentos nem Valdez:

https://www.latimes.com/archives/la-xpm-1989-04-17-me-1839-story.html

Ozawa
Ozawa
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Bem, Nunão, abstraindo a proporção do derramamento no Alasca, num juízo residual da memória maior que o caso presente, bem como o lapso de tempo que dificulta a avaliação comparação de meios daquela época, a matéria trazida por você fala estritamente de suporte de pessoal para limpeza e logístico.

Ainda penso que nos dias atuais, com os meios atuais, e com a equivalência de desastres ambientais, os meios americanos seriam outros. Enfim, como disse, nada obstante, se é o que se tem na MB, use-se.

FJJ
FJJ
Reply to  Ozawa
6 meses atrás

Dentre as razões, vale lembrar que estamos falando do Nordeste brasileiro vs o Alaska.

A presença militar terrestre americana lá é muito pequena. Provavelmente precisavam de equipamentos que não valeria a pena levar por via área mesmo. Já no Nordeste… O que um navio atracado em Suape vai ajudar, vs a presença do EB, FA e a própria MB da área, não consigo compreender.

Dalton
Dalton
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Não sei se vale como exemplo também, Nunão, mas, furacões como o “Katrina” deixaram um rastro de destruição e poluição, causada por óleo também e para a região foram enviados navios “anfíbios” também.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Claro que vale como exemplo, Dalton. Bem lembrado também. Mas ainda assim não faltarão pessoas brigando com os fatos só porque não combinam com suas opiniões.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Em coletiva, o almirante declarou que a MB e o CFN fazem comumente exercícios anfíbios naquela região por essa época do ano. Então juntaram as duas coisas, ao menos no nivel da propaganda e ainda eclipsaram a chegada do Wasp no Rio. Jogada de mestre do antiamericanismo patrioteiro tupiniquim.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Dalton
6 meses atrás

No Katrina tinha vida humana em perigo. No Exxon Valdez, foi colisão à vista. No BP, teve cobertura internacional. Coisa muito diferente foi o nosso sinistro, que, de qualquer maneira já tinha acontecido. Bote da MB ali é cadeado em portão já arrombado. Mas tudo bem, fica bonito na foto e demonstra espirito de serviço…

Paulotd
Paulotd
6 meses atrás

Antes tarde do que nunca. Corveta Caboclo já tá lá perto de Abrolhos

Sinceramente
Reply to  Paulotd
6 meses atrás

40 anos lá KKK

Paulotd
Paulotd
6 meses atrás

Finalmente sairam do Rio de Janeiro

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
6 meses atrás

Será que vai ter visitação?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
6 meses atrás

Reclamam quando esses navios ficam apenas no Rio, e quando eles saem do Rio e vem ao Nordeste (coisa que só deve acontecer com outra porcaria acontecendo por aqui) e o pessoal reclama de novo. Não sabem o que querem!

Mayuan
Mayuan
Reply to  DOUGLAS TARGINO
6 meses atrás

Engano seu. Eles sabem muito bem o que querem e o que mais querem é reclamar. Lamentável é como o fazem cheios de “certezas” não obstante a enorme falta de embasamento seja teórico ou prático…

Tomcat4.0
Tomcat4.0
6 meses atrás

Creio que o suporte que estes navios poderão dar vai ser muito bem vindo.

Bueno
Bueno
6 meses atrás

Conforme informado pelo Presidente , o pior esta por vim. Referente a tragedia ambiental. Ou Ecoterrorismo.

Almeida
Almeida
Reply to  Bueno
6 meses atrás

Cadê as evidências do tal ecoterrorismo? Estou curioso.

Juarez
Juarez
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Em breve, muito em breve.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

O caso merece um Xiii ou um Bah?

Leigo
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

Um vixi, como no NE.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Leigo
6 meses atrás

PQP

teropode
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

Um Uai e um que trem doido é isto ? Só vão transportar a tropa pra atuar na praia , este tipo de acidente não requer esta i intervenção.

Señor batata
Señor batata
6 meses atrás

Boa tarde a todos. Uma coisa que não sai da minha cabeça é que tal evento pode ser um alerta sobre como o Brasil poderia melhorar e muito a estrutura para desastres. Hoje mesmo o Brasil explora petróleo no mar e com tal atitude se sujeita ao risco de eventualmente ter problemas (sim eu sei q se toma diversas províncias para se evitar tal situação). Quem sabe q depois desse caso o Brasil não comece a desenhar um plano de contingência para q fiquemos prontos antes de q os problemas estourem. Assim conforme problemas venham a ocorrer nós teremos uma… Read more »

J.Neto
J.Neto
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Concordo em número, gênero e grau Galante…

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  J.Neto
6 meses atrás

OK.

Fernando Garcia
Fernando Garcia
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Havia uma época em que os comentários eram mais procurados que a própria matéria. Triste ver isso. A de mais, deixa a Marinha!!! Se não manda e porque não mandou. Se manda, porque mandou? AFFF, pela amor gente. Ni guem imaginou que a origem é em alto mar e de helicóptero dá pra percorrer centenas de quilômetros rapidamente?? Porta helicóptero , entenderam?? Rapaz….

Esteves
Esteves
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Como dizia Vicente Matheus…

– o jogador quer jogar no curintia porque o curintia é a prateleira do futebol.

Aonde é que essa turma escreve, publicam e ainda viram comentaristas?

mk48
mk48
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

A culpa disso é de vocês editores. Bloquearam os comentaristas com mais conhecimento e também mais criticos, e assim ficaram esses zé ruelas baixando o nível do blog. Aposto que vai bloquer esse comentário. NOTA DOS EDITORES: NÃO É POLÍTICA DO BLOG BLOQUEAR COMENTARISTAS COM CONHECIMENTO OU CRÍTICOS, E SIM INCENTIVAR A TROCA DE CONHECIMENTO E AS CRÍTICAS CONSTRUTIVAS. COMENTARISTAS BLOQUEADOS SÃO OS QUE DESRESPEITAM SISTEMATICAMENTE AS REGRAS DO BLOG, XINGANDO, DESRESPEITANDO OS DEMAIS, USANDO O ESPAÇO PARA PROPAGANDA OU PARA BRIGAR COM SEUS DESAFETOS E DIVERSAS OUTRAS ATITUDES QUE NÃO COMBINEM COM AS REGRAS DOS SITES DA TRILOGIA. SE… Read more »

Bueno
Bueno
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Certíssimo!
ótima oportunidade para Mostrar a Bandeira da Marinha!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Caro Galante. Creio que o problema nada tem a ver com a MB empregar seus maiores navios para atuar desse desastre ambiental. Faz todo sentido, inclusive empregar os P3M para monitorar o deslocamento da mancha de óleio (eu e alguns colegas sugerimos alguns textos sobre como é possível usar radares e outros sensores em aeronaves ou satélites para acompanhar óleo na superfície do mar). O Nunão colocou um link sobre a USN usando navios como plataforma de apoio às equipes técnicas que trabalharam na contenção do vazamento do Exxon Valdez. Os meios da MB poderão fazer algo parecido, mas parece… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

“mas parece que faltam os meios especializados, geralmente operando para grandes petroleiras, capazes de conter e recolher o óleo derramado.”

Camargoer,

A Petrobas está com dois navios tipo OSRV (Oil Spill Response Vessel- ou Oil Recovey Supply Vessel) ajudando. Se são poucos, se são suficientes,se serão só esses ou mais eu não sei. Mas estão lá, segundo a empresa.

http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/limpeza-das-praias-no-nordeste-veja-nosso-esclarecimento-sobre-manchas-de-oleo.htm

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

São os B.F.H.C. Galante…. “Brazillians Haters Football Club”…. Tempos atrás…tínhamos o surgimento dos Trolls… Agora, temos os Brazilians Haters Football Club….é uma associação de 200 milhões de inscritos que adoram falar mal das coisas, em especial de si mesmas e Brasil… Frequentemente isto é associado a baixo estima em que a ação reflexa é imputar sempre a culpa ao vizinho conterrâneo…. Este estado psicótico também é acometido na maioria das vezes com a percepção de que tudo lá fora é melhor, nos estágios iniciais, pode ser facilmente confundido com a percepção ou idealização da Champagne importada a revelia dos ótimos… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

É isso.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Pequenas coisas que representam a mentalidade do brasileiro e que ele jura que somente o outro brasileiro faz, nunca ele mesmo, depois quer que o Brasil funcione e dê certo quase que por milagre: 1) Pegar a caneta do Trabalho para casa; 2) Tirar Copias de documentos particulares no Trabalho; 3) Imprimir trabalhos particulares no serviço; 4) Usar a Internet do Trabalho para fins particulares; 5) Sonegar Imposto de renda; lançar recibos que não existem; 6) Parar em vagas proibidas ou de deficientes e idosos; 7) Acelerar no Farol Amarelo; 8) Viajar na Eleição e fazer falsa justificativa de ausência… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

13) Contratar o parente do amigo, porque afinal este poder de decisão lhe pertence e não importa se exista outro candidato mais qualificado, um dia você pode precisar da reciproca com parente seu;

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

13 tá bom.

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Olha só…

Antes do anúncio da fusão da FCA com a PSA, o presidente da Peugeot afirmou que foi um erro da empresa ter lançado a linha 207 no Brasil. Não representa a força nem a marca. E ainda repetiram o erro com a linha 208.

É gente de fora que demorou para entender que o Brasil se transformou naquilo que fizeram com ele. Falta a gente de dentro.

O país é muito melhor e muito maior. Mas a gente vai deixando, vai deixando…

Bueno
Bueno
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Carvalho, É claro que o Brasil é fora da curva mas isto não é exclusividade do Brasileiro. Diversos países desenvolvido com IDH altíssimo ocorre o mesmo.
Conheço fatos na Dinamarca, de adulteração de produtos por donos de lojas pra levarem vantagem.
Casos de Clientes em hotel e cruzeiros marítimos de reclamarem do restaurante no dia seguinte só pra se safar de pagar a conta. Norueguês, Americano Etc… é a natureza mal , corrompida do ser Humana.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bueno
6 meses atrás

Não…sem dúvida não é exclusividade do Brasileiro. Mas aqui é mais acentuado. Todos os governos estão experimentando crises globais de democracia e corrupção, mas aqui de fato é o expoente… Fiz a lista apenas para ilustrar que o brasileiro adora reclamar, mas não olha o proprio umbigo, e as coisas são o que são não por conta dos outros, mas sim pelo nosso proprio somatorio. Então vamos parar com esta estoria de reclamar, tá na Terra, então faça a sua parte que melhora. Reclamar e não fazer, só piora. Isto é um Forum de alternativas e atualidades sobre defesa….

Sergio Cintra
Sergio Cintra
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Isso chama-se FALTA de EDUCAÇÃO, não de “instrução”. Não repreender no momento certo!
Trata-se de “berço acomodado”.
Qdo. educamos, o custo de dizer NÃO é alto. Exige explicações e informações. Passar a mão na cabeça e mandar para a rua ou assistir algo é mais fácil.
Agora temos q aguentar, esse “divertimento”!

Esteves
Esteves
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Incorreções e imperfeições são da vida e do site. Os editores, os marinheiros e os apaixonados mestres estão aqui também para esclarecer…e eu só queria entender.

Mas tem gente abusando.

Almeida
Almeida
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Claro que eu deixo a MB trabalhar. Minha questão é: por que somente agora? Faz SESSENTA DIAS que acharam o óleo nas praias!

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Você sabe o dia em que a Marinha e o Exercito e o GF acionaram medidas?

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

“…Em sua decisão, a juíza federal Telma Maria Santos Machado escreveu que a União já havia acionado o Plano Nacional de Contingência para esse tipo de desastre ecológico: “A União demonstrou que o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional não só já foi acionado, como os órgãos que integram sua estrutura já́ vinham atuando desde os primeiros sinais deste acidente ambiental, mesmo antes de tal acionamento”.“ 5 dias. A juíza determinou que o MP tem 15 dias para explicar o que mais deveria ter sido feito. Gente boca mole.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Pois é….sindrome BHFC – Brazillians Haters Football Club

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Apareceu um louco boca mole no programa da Fátima Bernardes…gritando que as praias do nordeste…o mar do nordeste…o oceano do nordeste…o vento do nordeste…os peixinhos do nordeste…até a estautua do Padim tava com óleo.

Se o acidente tivesse acontecido em Santa Catarina tava tudo certo.

Gente boca mole.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Almeida
6 meses atrás

Almeida, Dê uma olhada nesse documento em pdf, da justiça federal de Sergipe, em que estão detalhadas várias ações realizadas desde que óleo foi encontrado nas praias. Tem muita gente, navios e aeronaves trabalhando desde aquela época.

https://pje.jfse.jus.br/pje/Painel/painel_usuario/documentoHTML.seam… PROCESSO No: 0805679-16.2019.4.05.8500 – AÇÃO CIVIL PÚBLICA CÍVEL AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RÉU: UNIÃO FEDERAL 1a VARA FEDERAL – SE

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Deu problema no link, segue o endereço onde vc pode baixar o pdf. As ações da Marinha desde o início da crise, em setembro, começam na página 9.

https://www.poder360.com.br/brasil/justica-federal-reconhece-acao-do-governo-para-conter-vazamento-de-oleo/

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  Almeida
6 meses atrás

As manchas de petróleo começaram a aparecer na Paraíba a mais de 3 meses e desde então foram observadas nos mais de 2.000 quilômetros que compõem o litoral nordeste, incluindo o arquipélago de Abrolhos…

Mas segundo o nosso “governante” e o seu ministro da pesca esse vazamento não afetará os peixes pois são inteligentes e desviam do óleo!!!…e que portanto não devamos nos preocupar com a falta de agilidade de sua equipe de governo…

Esteves
Esteves
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

Ele é o presidente. Como todos os que o antecederam. Alguns mergulharam as mãos no óleo e na merda. Outras e outros foram com o vento.

A vida é assim. As vezes alguns nos representam. As vezes graças a Deus que não.

Enes
Enes
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Galante, esses comentaristas não entendem de fezes de cabrito e querem entender de Marinha.

JACUBÃO
JACUBÃO
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Se os Navios não suspendem o povo reclama.
Se os Navios Vão para o mar trabalhar o povo reclama.
Arrego para vocês.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

o que a MB levou embarcado no Atlântico Galante?

TeoB
TeoB
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

– Alexandre Galante ´´… Ela vai matar vários coelhos com uma só cajadada: vai treinar com os navios e tripulações no Nordeste, fazer ação de presença e patrulha, colaborar na limpeza do mar e das praias e ainda ficar bem com o Governo Federal…´´

Pensei a mesma coisa quando vi a manchete… mas ainda acrescento uma coisa, vai gerar conhecimento para esse tipo de situação, pois após o emprego desses meios e o encerramento das operações tenho certeza que serão feitas avaliações e lições serão aprendidas.

Admiral Cunnighan
Admiral Cunnighan
Reply to  Alexandre Galante
6 meses atrás

Amigo vc saberia me explicar pq os caras etmb ninguem ate agora falou sobre o uso de SONAR,para Localizar o Oleo,ao inves de Radar e GPS que nao tem efeito nenhum nesse caso ???

Space Jockey
Space Jockey
6 meses atrás

Parece que vão entrar muitos bilhões devido ao aumento da exploração do pré-sal nos próximos anos, só esta semana serão 106 Bi do leilão da cessão onerosa, 1/3 para cada ente federado. Em 2030 a previsão é de sermos o quinto maior produtor de petróleo mundial, agora sim virão recursos suficientes para nossas forças armadas… SQN. Eu não acredito, quem quer faz com pouco, quem não quer não faz nem com muito.

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

As únicas contas pra onde entrarão muitos bilhões serão as das petrolíferas estrangeiras…

O braziu é uma Ferrari pilotadas por macacos…!!!…

Juarez
Juarez
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

Que bom assim vocês não ter como detonar a Petrobrás novamente, e aínda,as petroleiras estrangeiras vão gerar empregos, pagar impostos,royalties que retornarão sob forma de investimento e infra estrutura.
Obviamente que sem as empreiteiras “cumpanhera”.

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  Juarez
6 meses atrás

Seu capitão esta morto politicamente e nenhum partido que exista hoje é sujo o suficiente para aceitar esse marginal…

C. César
C. César
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

E o seu ídolo esta preso. Chora.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

Olulatapresobabaca

jucleidianni jucleidetti
jucleidianni jucleidetti
6 meses atrás

Nós poderíamos muito bem comprar o projeto do atlântico e construir mais umas duas embarcações do tipo, são muito bonitos e modernos, mesmo tendo 20 anos apenas de uso… quando o Brasil comprou, parecia que foi feito no ano…

MMerlin
MMerlin
Reply to  jucleidianni jucleidetti
6 meses atrás

Longe de querer desmerecer o Atlântico, mas acredito que uma embarcação com doca alagável, se o problema não for dinheiro, seja de maior valia.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  MMerlin
6 meses atrás

Mestre Merlin,

Sabe que as vezes tenho dúvida disto?

Acho que seria uma boa matéria a discussão sobre as vantagens e desvantagens de um anfíbio com e sem doca alagável

Eu sei que o supra sumo seria os hovercrafts….

Mas o custo e espaço realmente valem a pena???

O assalto se dá pelos helis médios e pesados, material pode ser levado por LCUs e Mexeflotes…. as vezes penso nisto sobre boque é luxo ou necessidade imperativa

Rodrigo
Rodrigo
6 meses atrás

Um porta helicópteros sem helicópteros…marinha sendo marinha

Matheus
Matheus
Reply to  Rodrigo
6 meses atrás

Sem helicopteros?
Onde?

Tem algum link sobre isso?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Rodrigo
6 meses atrás

E ele precisa ficar com capacidade máxima sempre é? Esse navio basta ter 6 helicópteros nele que é suficiente para o que ele faz no Brasil!

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Rodrigo
6 meses atrás

Já há helicópteros na cena de ação…

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Rodrigo
6 meses atrás

Você baseou essa sua “brilhante afirmação” em quê???

Caique
Caique
6 meses atrás

Eu queria muito visitar o Atlântico, que abra para visitação em Salvador…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Caique
6 meses atrás

Olá Caique. Visitei o A140 em Santos, mas lamentei que os helicópteros estivessem em S.Pedro da Aldeia (a MB faria manobras na outra semana) e as áreas inferiores estavam fechadas ao público. Ainda assim, foi legal.

Larri Gonçalves
Larri Gonçalves
6 meses atrás

A Marinha do Brasil deverá estar cada vez mais preparada para acidentes ou incidentes ambientais, mais do que nunca, sendo que esses acidentes ou incidentes exigirão cada vez mais uma resposta mais rápida, por isso seria necessário uma força maior da MB no nordeste ou norte do país, como já se falou anteriormente, talvez no Maranhão para ter meios disponíveis para combater de forma mais rápida situações como esta, afinal a bacia petrolífera está mais a norte (o caso da Venezuela), não basta apenas se preocupar com as bacias petrolíferas do centro-oeste, queira ou não essa é uma função principal… Read more »

Bardini
Bardini
6 meses atrás

Excelente ação de presença naval, mas o problema é que vai virar propaganda, dando a entender para aqueles que entendem lhufas do assunto, que a situação da MB não é outra tragédia, muito mais grave do que esse derramamento de óleo.

Esteves
Esteves
6 meses atrás

Penso que tá certo. Comprou os navios para usar. Para treinar. Poderia ser uma tragédia maior. Vamos usar o que temos, colaborar com um planejamento de análise de risco com ítens de ação, de checagem e resultado. Estamos preparados se repetir? São os meios que a MB dispõe. A guerra nesse momento trava-se contra o desastre ecológico, contra a mídia sensação, contra quem fez e contra a turma que torce para o jacaré. Sucesso aos marinheiros. Vamos mostrar que não somos macacos, não vivemos no braziu, não nos envergonhamos de nada, não somos terra do ninguém, nem bozos. Momento de… Read more »

Carlos Alberto Soares
6 meses atrás

Ações de presença, patrulha e suporte.

india-mike
india-mike
6 meses atrás

Não vou ser crítico à MB pois não sabemos dos detalhes do que motivou esse envio do Bahia e do Atlântico, mas acredito que esse episódio todo mostra como a MB não tem meios adequados para responder rapidamente à acidentes (ou crimes) dessa natureza. Eu sou contrário à ideia de que a MB precise de um grande número de navios específicos para diferentes funções. Penso exatamente o contrário — um número menor de navios polivalentes, padronizando e simplificando a logística da frota. Lamento ser repetitivo mas o tipo de navio que a MB mais necessita na minha opinião é algo… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Um navio de apoio oceânico desses em cada um dos DN litorâneos, além de ajudar nas missões de PatNav, seria capaz de prover apoio logístico, SAR, operações aéreas, hidrografia (como eles tem equipamentos para analisar correntes/leito marinho novamente são úteis em episódios como esse), apoio a calamidades, além de poder ser equipados com equipamentos para realizar a retirada do óleo derramado do ar — processo esse que a MB está realizando manualmente pois não possuímos nenhum navio com a capacidade de fazê-lo. Vejam bem, esse navio serve como um “canivete suíço”, e como é de construção completamente civil (logo, não… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Seria. Poderia. Mas não é o que se tem. Essa publicação…esses navios da Damen…sabe quanto custaria um lobby deles para convencer a MB? Eles se entregariam a isso pra vender 2? Nada que faz sentido é lá muito prático. Antes de encomendar esses navios da Damen precisa construir doutrina e programas. Não dá pra comprar direto. A lei impede. Teria que fantasiar uma nacionalização com o estaleiro deles aqui. Pedir orçamento. Pagar em euros que não temos. Começar a olhar para a costa e…para uma guarda costeira que a MB não quer. Seria um PROROLE. Outra coisa que a MB… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  Esteves
6 meses atrás

“Mas não é o que se tem.” Bem, com esse pensamento nunca vai se ter qq outra coisa… Nem o navio “civil multimissão do Carvalho”. Aliás, a diferença aqui é a escala, pois esses navios tb são “civis multimissao”. Só me parecem mais modestos e um pouco mais conservadores. Não tem função de guerra. Qualquer estaleiro pode construir ou manter. A Damen não deveria precisar fazer lobby por esse conceito unicamente, pois ela não é a única que desenvolve produtos nesse sentido. A Fincantieri e a Naval/Kership tb tem, entre outros. A Lei não impede. Pode comprar direto se quiser.… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Não é o que se tem hoje. Com essa realidade vamos lá na Costa do NE com o que se tem. Exato. Qualquer estaleiro pode construir. Basta encomendar. Se 2 não forem suficientes porque há fila nas baixas então serão 5 a 8. Quero ver estaleiro europeu fazendo lobby pra vender 8 desses. Uma nova classe de navios simples para missões costeiras ou até para missões oceânicas para receber algum armamento digamos 2 canhões de 20 mm…isso significaria orçamento rachado com meios costeiros ou patrulhas e isso a MB não quer ou já teria feito. Ela já faz. Mas não… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Compreendo Metre Esteves, Mas segue o ditado….água mole em pedra dura….. Escrevo e defendo estas coisas desde 2006, 2008…quem sabe uma hora a ficha não cai…principalmente porque de uma forma ou de outra, paulatinamente vemos que aquilo que antes era dado como fantasioso ou gambiarra, pouco a pouco começa a se materializar em varios países e industrias com propostas similares…quem quer avançar, avança, quem não quer vai a reboque esperando que outros experimentem primeiro…é o que temos visto já com algumas iniciativas dos ingleses e até americanos…. Aqui tem muito oficial que acompanha e fica quietinho…quem sabe estas ideias e… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Sim, corretíssimo. Meu exemplo de navios multimissão de genetica de duplo emprego foi apenas um exemplo para aquela estrita categoria de navio….tambem comentei isto…este conceito não somente pode como deve ser aplicado a diversas outras categorias de navios da MB. Seu exemplo foi muito feliz e bem lembrada a sugestão do Mestre MO. A beleza deste conceito, é que ela foca na perenidade de um lastro de industria naval de defesa, pois assim ela não depende exclusivamente das encomendas da MB, bons modelos encontrarão encomendas no setor civil. Isto não apenas gera industria , mão de obra e divisas, ela… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Concordo em genero, numero e grau….

São navios assim que a MB precisa…..

O Brasil poderia começar por AHTS redesenhado para a reposição da Imperial marinheiro e ir esticando o projeto conceito até os oceanicos….mas é isto ai…

india-mike
india-mike
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Exatamente Esteves, o MO já bate nessa tecla há anos…

E a MB acabou realmente comprando 3 AHTS de “oportunidade” nos últimos anos. Mas esses navios não tem os equipamentos nem anti-poluicao nem de hidrografia descritos aqui.

O que os estaleiros estão oferecendo agora são navios que usam exatamente a mesma base civil com todas as boas características desses navios, mas oferecendo ainda mais funcionalidade através de áreas multifuncionais específicas, convoo, acesso Ro-Ro para veículos, área conversível para hospital etc.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  india-mike
6 meses atrás

É por aí!!! Sou defensor ferrenho de conceitos assim

A MB pode alavancar um pequeno número de unidades que por sua vez, dão lastro de produção as encomendas puramente civis e assim, forma-se um ciclo virtuoso em que hora um e outro dão alicerce a indústria naval e de defesa de forma perene e sem voo de galinha

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Pois é Mestre Esteves…. as soluções de ótimo custo beneficio sempre estiveram as portas e bem presentes!!

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Eu sei. Eu sei. Faz sentido.

Eu só tento entender porque a MB não faz. Eu me esforço para pensar como o diabo pensa.

E tento destruir o pensamento de vocês…mas é uma tarefa venusiana.

Vocês são lógicos demais.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Pois é Carvalho2008, o M.O. apresentou esta opção – uso de AHTS – como navios de patrulha, pela Marinha do Brasil, já faz uns quatro anos ou mais (que me recorde). Parece-me que a MB já começou a usá-los, timidamente, mas já começou.
Penso que esta é uma ótima opção.
Saudações

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Edson Parro
6 meses atrás

E para criticos de que um AHTS é lento, lembro que mesmo os menores são espaçosos, a proa pela propria natureza já são afundadas em direção a agua o que deixa plenamente possivel o desenho e emprego de RIBs ou ate lanchas maiores de interceptação. Todos tem muito espaço para estas coisas e ate UAV´s e Drones.

india-mike
india-mike
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Outro programa relativamente barato que poderia ser priorizado é o dos UAVs. Anos atrás a MB realizou testes (inclusive embarcados) tanto com o ScanEagle quanto o Camcopter. Atualmente há um grupo de ativação com diversos militares, mas pelo que se sabe não existe nada concreto no que diz respeito à aquisição de aeronaves. UAVs de pequeno porte como esses poderiam ser embarcados nos NPaOc e NApOc, auxiliando enormemente tanto em missões como essa (de localizar o óleo) quanto tb de PatNav. Poderiam tb ser desdobradas nos navios da esquadra, realizando missões ISR em situações mais “bélicas”. O interessante é que… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  india-mike
6 meses atrás

correto. Nesta dimensão de avaliação cabem destacar dois pontos: a) O aceite inconteste da supremacia do meio aéreo ( missilistico, asa fixa, rotativa, CRW, UAV ou UCAV´s) sobre o meio terrestre ou de superfície. Isto representa que as forças terrestres e de superficie, navais ou não, precisam priorizar para que seus meios sejam adaptados a este emprego. O design muda, o conceito e doutrina mudam. Um navio dura de 30 a 50 anos…mas em 20 a 50 anos uma enormidade de projetos de recursos aéreos surgem, e possuir um casco não adaptados ou que prevejam este crescimento é pessimo investimento….voce… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Foi há uns 4 anos…não lembro bem. Entregaram um IPHONE ao Hamilton. Disseram para ele pilotar o carro. O britânico tirou a Mercedes do box, deu volta de aquecimento e volta rápida. Depois devolveu o IPHONE antes que perdesse o emprego. “Projetos militares precisam ser curtos.” Programas militares também. O que acontece no mundo atual é o avanço gradual da obsolescência sobre a produção industrial. Qualquer produção industrial. Se os programas militares continuarem sendo feitos para 30, 40, 60 anos como os nossos, como aproveitar as tecnologias inovadoras? “Supremacia do meio aéreo”. Mestre, pera lá. Vai defender o AHTS com… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Tenha muita dificuldade de entender o q vc fala Esteves, mas vou fazer um esforço. Isso que estamos falando aqui não é navio de guerra. Não é fragata. Não é pra levar (nem receber) mísseis. Tem canhão pra intimidar navio pesqueiro e só. É navio de serviço pra missões de guarda costeira. O cidadão tem a fantasia que NPaOc (ou NApOc nesse caso) fica fazendo patrulha em alto mar procurando NAe ou submarino hostil. Não é nada disso. Vou repetir, isso não é navio de guerra. São missões corriqueiras de segurança marítima. Em caso de potencial conflito ou aumento de… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  india-mike
6 meses atrás

“Isso é navio pra custar US$70-100mi” . Custaria bem menos… Não tem nada de outro mundo em um navio desses aí, ainda mais se boa parte do contrato for pago em real, fazendo a economia daqui girar. . Os 3 B2M iniciais dos franceses estavam dentro de um contrato na casa dos 100 milhões de euros, contendo desde projeto, fabricação e suporte logístico por algo como 6 anos, se não me falha a memória. Não é nada caro. . Os novos PLG dos caras, que estão substituindo os Vigilante, é coisa que fica na casa dos ~20 milhões de Euros… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Provavelmente deve custar bem menos sim. Estou botando uma gordurinha já levando em consideração o custo Brasil. Outro referencial é o Turva finlandês que custou cerca de €100mi há alguns anos atrás, mas é um navio maior (4000t), com casco quebra-gelo e até radar 3D da Hensoldt além de um COC sofisticado, permitindo uma integração com as corvetas da marinha finlandesa, e isso tudo certamente encarece muito o produto final. O que eu to sugerindo aqui realmente seria bem mais “pé de boi” do que isso, mas que mesmo assim poderia acompanhar e apoiar logisticamente um GT da esquadra, aliás… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  india-mike
6 meses atrás
Bardini
Bardini
Reply to  india-mike
6 meses atrás

A kongsberg lançou um conceito faz pouco tempo, que é extremamente interessante:
.
https://www.kongsberg.com/news-and-media/news-archive/2019/kongsberg-unveils-vanguard–a-game-changer-in-naval-operations/
.
Essa linha de abordagem poderia representar centenas de dias de mar e abrangendo dezenas de missões.

india-mike
india-mike
Reply to  Bardini
6 meses atrás

É interessante sim. Semelhante as outras propostas sendo um pouco mais elaborado nas aplicações. Detalhou interessantemente a guerra de minas, que (aliás como várias facetas da guerra moderna) está tendendo a ser unicamente baseada em veículos não tripulados, sendo o navio uma espécie de nave mãe que controla a situação à distância. Por essas e outras que sou relutante quanto à MB adquirir meios específicos de MCM, quando os indicativos vão nessa outra direção. Tanto a Thales quanto a Elbit tem USVs muito interessantes de MCM, q podem ser complementados por UUVs… adquire um par e destaca um Amazonas pra… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  india-mike
6 meses atrás

Eu…eu… Na minha cabeça fui extendendo o possível programa dos AHTS até chegar nas fragatas. Possíveis fragatas evoluindo do mesmo conceito/casco/família…começando com pequenos de 40/50 metros até os grandões para extinguir várias classes que temos. Então eu pego pequenos estaleiros e entrego encomendas de 3 ou 4 AHTS para capacitar o estaleiro menor enquanto o estaleiro de uma Damen da vida poderia receber encomendas de navios maiores…usam o mesmo aço, é o mesmo projeto, treinar somente uma mão de obra. Como as montadoras fazem: uma plataforma. Mas a obsolescência chega e o que estamos vendo são países operando navios velhos… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
6 meses atrás

Caramba! Não sei como os }Editores têm tanta paciencia! Comecei a ler os comentários e parei no caminho! Se a MB envia meios . não presta! Se não envia, não presta!! Eita que tá dificil ! Acho que se fossemos a US Navy, ainda iria ter marmanjo reclamando!!!

MONICA
MONICA
6 meses atrás

Eu acredito que a Marinha ja estava atuando em sigilo afinal é uma força tarefa militar. Sendo que após a divulgação do tamanho do desastre. Resolveram se manifestarem em rede sociais. Pois acho que nem tudo tem que ser exposto mediante uma perícia dessa. Tenho amigos parentes nessa ação. Também como tenho familiares que estão sofrendo no sul da Bahia. Assim como no nosso comércio familiar que vivemos de um restaurante de vendas de vario s pratos de pescas também. Acho que tem que achar o culpado o Brasil , ou seja o nordeste estamos em calamidade pedimos Socorro. A… Read more »

Marcius
Marcius
6 meses atrás

Quando li disse: Puxa estava pensando nisso! Sei que não temos muito e o quintal é grande, mas acho importante monitorar e fiscalizar se possível todos petroleiros que naveguem próximos a nossa costa, porque depois desse “incidente” estranho, países com sanções, navios fantasmas, etc, a presença e patrulha se faz necessária, mesmo com o que temos, não pode passar em branco e continuar deixando os navios passando sem obervação. Não sei se essa presença e patrulha será também nesse sentido de monitorar petroleiros.

M. Albert
M. Albert
6 meses atrás

Fragata Liberal sempre presente nas missões da MB. Mais uma vez fará um excelente trabalho servindo de escolta ao nosso atual navio capitânia. Muito gratificante ter feito parte dessa garbosa tripulação.

F43 Nosso Barco, Nossa Alma.!

KMjH
KMjH
6 meses atrás

“Acidente”, esta é uma palavra de uso ainda apressado, que as investigações prossigam mas a lebre que a PF levantou é factível.
Não duvido da audácia e coordenação dos inimigos internos e externos do país.

Paulotd
Paulotd
Reply to  KMjH
6 meses atrás

O radar 3d do Atlântico cobre uma área gigantesca+ os helicópteros. A decisão é acertada, porém veio tarde, fato. Mas como disse antes tarde do que nunca.

A Marinha precisa ficar na classe Macaé e Amazonas, precisamos de mais navio patrulhas, e tá na hora de botar 4 Subs classe Tupi pra uma segunda força de submarinos, baseada em São Luís ou em Fortaleza

Camargoer
Camargoer
Reply to  Paulotd
6 meses atrás

Olá Paulo. Acho que o radar do A140 não teria grande aplicação para monitorar manchas de óleo no mar. Este monitoramento precisa ser feito usando um radar de abertura sintética em um avião ou helicóptero.

Camargoer
Camargoer
Reply to  KMjH
6 meses atrás

Caro K. Se quiser, user “derramamento de óleo”. Simples e factual.

Juarez
Juarez
Reply to  KMjH
6 meses atrás

Não duvide, em breve terás a certeza.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  KMjH
6 meses atrás

O Brasil é o país de dois ditados antagônicos:

Deus é Brasileiro;

O País da coincidências;

Renan
Renan
6 meses atrás

Antes tarde do que nunca

Fernando (Dragon44)
Fernando (Dragon44)
6 meses atrás

até que enfim sairam do RJ, só ficam lá, parece que só o Rio de Janeiro tem mar. A frota deveria ser melhor posicionada ao longo da faixa litorânea brasileira e não concentrada em um único lugar como é no RJ

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Fernando (Dragon44)
6 meses atrás

Legal Fernando, com uma base en cada porto, além de equipamentos, peças de reposição, logística, em quase 8.000 Km de extensão. Se já reclamam que a MB tem gente de mais, imagine um navio em cada porto e base! Acho que deveria ter sim mais uma base no NE/N, somente.

india-mike
india-mike
Reply to  Fernando (Dragon44)
6 meses atrás

Pra embasar melhor essa discussão, por favor deem uma olhada nesse artigo do nunao. https://www.naval.com.br/blog/home/os-102-navios-da-marinha-em-2017-onde-ficam-e-quais-sao/
Como é de 2017 já está um pouquinho desatualizado, mas é mínimo… a distribuição é exatamente essa que está lá.
Sinceramente acho que em termos quantitativos e de distribuição estamos bem, tanto em bases quanto em navios. O que pega pra mim é que navios são esses e sua adequação pras diferentes funções…

Fernando (Dragon44)
Fernando (Dragon44)
Reply to  india-mike
6 meses atrás

O link só reafirma que a Marinha do Brasil é extremamente mal distribuída, concentrando o grosso da frota toda no RJ, com destaque para as fragatas, submarinos e corvetas (a ponta da lança da esquadra), em caso de um ocorrido no nordeste a pronta-resposta se dá por navios secundários e de menor poder ofensivo. Em resposta ao Marcelo Andrade; Não é o objetivo do meu comentário dizer que seria necessário um navio em cada porto, mas sim, ao menos, distribuída próximas das duas extremidades do país para uma resposta mais rápida em caso de necessidade. O RJ não é mais… Read more »

Erivan de oliveira Correia. MN-SC.Sem
6 meses atrás

Intercepte o navio grego, prenda e seguestre a tripulação. Traga-os para o Brasil, e mantenha todos em prisao federal até ser ressarcido todos os prejuízos.

Relax
Relax
6 meses atrás

Não é teoria da conspiração…. Tem um navio porta helicópteros da US nave com F-35b atracado no Brasil…. A marinha Brasileira manda seus maiores navios de guerra para a costa do Nordeste próxima ( Venezuela ) O negócio está se desenhando para uma guerra sim… O próprio comandante da Marinha disse que isso foi um ato de guerra o caso do petróleo… Acredito que tem dedo dos americanos provocando uma derrubada desses comunas na AL…. Já pensaram uma invasão surpresa rápida com desembarque de tropas atacando pelo litoral venezuelano… Tropas em terra por Roraima… Tropas Colombianas atacando pela fronteira…. Aí… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Relax
6 meses atrás

Tem umas coisas boas pra relaxar, mas precisa receita.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

hahahahahahahahahahahahahahahahahahaahhahahahahahahah

Dalton
Dalton
Reply to  Relax
6 meses atrás

Lamento informar Relax, mas, os F-35B e demais aeronaves ficaram no Japão já que o USS Wasp está retornando a costa leste e a um merecido período de manutenção depois de uma temporada no Pacífico até que estivesse pronto o navio que irá substitui-lo.
.
Mas, jamais direi que você é maluco !

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  Relax
6 meses atrás

Relax, se o que atracou foi mesmo um porta helicópteros com F-35s então pode ficar tranquilo que não é nada não… 😀

Sinceramente
6 meses atrás

Retrato da MB não tem meios de defesa alguma no nordeste a estratégia de defesa e entregar o nordeste pro inimigos se estabelecer recuar tudo no rio de janeiro entregar o sul e negociar uma rendição honrosa mantendo-se as pensões de filha aposentadoria precose e salários e o novo adicionais dos almirantes de Disponibilidade mesmo se tiver em casa . Passou da hora de uma guarda costeira bem equipada autônoma Com 70% de temporários no quadro e liberar a MB ser a marinha de guerra de verdade e MB não do rio de janeiro Brasil acima de tudo !

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
6 meses atrás

Poderíamos pedir ajuda ao nosso “aliado” Tio Sam para que mandassem para cá alguns Arleigh Burke para ajudar no combate…

Colombelli
Colombelli
6 meses atrás

Boa oportunidade de adestrar. Estão levando pessoal e material pra atuar em áreas de dificil acesso como mangues e pessoal medico. Se adquirimos os meios é pra usar e a missão tem pertinência. Foi paga uma missão e está sendo cumprida da melhor maneira. Esta presença da MB (mas tomara que por motivo diverso) eu, e creio que muitos aqui, queremos ver em toda extensão de nosso litoral mais vezes. Alias onde estão agora os que apontaram o dedo contra nós por conta do meio ambiente? Alguem ofereceu ajuda ainda que simbolica? O “mícron” e outros supostos preocupados com meio… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Colombelli
6 meses atrás

Cambada de safados oportunistas, lá fora e aqui dentro.

Paulo Fernando
6 meses atrás

Calma gente, a segunda esquadra vai ser no nordeste, não sei quando, mas vai sair, muita fé meu povo…

Cleber
Cleber
6 meses atrás

So assim para a MB sair do litoral do RJ e ir para o nordeste .

Antonio Palhares
Antonio Palhares
6 meses atrás

O Brasil deveria ter meios navais suficientes para proteger melhor o seu mar territorial. Patrulhando melhor nossa costa. Teria condições de minimizar as chances de estrangeiros cometerem este tipo de desastre.

Esteves
Esteves
6 meses atrás

Outra coisa…

Não vou engajar NAe inimigo com patrulha oceânico. Mas o patrulha oceânico faz parte de um sistema de vigilância com outros meios e vetores…a tal pirâmide invertida ou diamante que o Carvalho explicou…que conta com submarinos, fragatas ligeiras, multimissao.

Não é manda 1 patrulha pra ver o que tem lá. É expande, aumenta a área de vigilância…e essa área vai se movendo com todos os vetores e meios.

Pode botar F35?

Space jockey
Space jockey
Reply to  Esteves
6 meses atrás

Falando nisso recentemente ouvi alguém falando do conceito da Nae leve de escolta, isso é viável ?

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Space jockey
6 meses atrás

Nae leve de escolta é uma eterna polêmica na US Navy Ganhou a corrente dos Super Carriers e assim prosseguiram Na corrente dos Nae ligeiros, havia como defensor o Almirante Zumwalt e de sua defesa e ideia, derivavam os VSS. Eram navios e conceitos que variavam das 22 a até 33 mil ton com o VSS III. Tinham configurações interessantes na qual o convés em ângulo era negativo (vinha da esquerda para a direita e aproveitava todo o comprimento do navio) Eram catobar. A defesa era que uma quantidade maior de pequenos Nae poderiam cobrir uma área maior no globo,… Read more »

Camargoer
Camargoer
6 meses atrás

Olá Colegas. Fiz uma pesquisa rápida sobre as notícias publicadas sobre o derramamento de óleo no nordeste. A noticia mais antiga que encontrei foi publicada em 14 de setembro, no site “Marco Zero” (Ibama tentou tratar piche nas praias como mancha “sem dono”, mas investigações prosseguem). Achei curioso que as hipótese colocadas pelo técnicos foram quase todas confirmadas dois meses depois. Também achei interessante um trecho que menciona a proibição dos técnicos do Ibama de conversarem com jornalistas, o que pode ter disso a causa dos problemas com boatos e achismos (típicos da chutocracia). Temo que isso prejudicou muito os… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

A Universidade de Alagoas chegou a conclusão de que o óleo vem do fundo do mar e não vai cessar o aporte de resíduos nas praias. Até pode não ser, mas temos que estar preparados para essa eventualidade (OIL SPILL) que é comum nos locais de extração de óleo no mar. Repito que acho muitas semelhanças com o derrame de óleo no Golfo do México em 2014. Lá foi descoberto que tubos corroídos pela salinidade e poços mal cimentados estavam liberando óleo. E as manchas foram causadas por petróleo oxidado na superfície do mar, apresentando aspecto de asfalto, por sua… Read more »