Home Marinha do Brasil Fuzileiros Navais inspecionam praias do Nordeste

Fuzileiros Navais inspecionam praias do Nordeste

5313
48

Nesta quinta-feira (16), durante a 3ª Fase da Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida!”, Fuzileiros Navais que estão no Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) “Atlântico” desembarcarão no Porto de Maceió-AL, de onde sairão para fazer revisitas em praias da região, a fim de confirmar que não há mais incidência do óleo que poluiu o litoral do Nordeste, no segundo semestre do ano passado.

Os militares se juntarão ao efetivo dos coordenadores regionais e do Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha, Agência Nacional de Petróleo e Ibama, na contenção e neutralização desse crime ambiental. Feliz Deserto e Piaçabuçu, a mais de 100 km da capital alagoana, são as localidades que serão inspecionadas, nos dias 16 a 19 deste mês. Logo depois, o navio capitânia da Marinha do Brasil seguirá para Salvador-BA, onde eles continuarão o monitoramento das praias, de 24 a 27 de janeiro.

Caso haja alguma nova ocorrência de óleo, os militares farão a limpeza e recolherão amostras para serem enviadas ao Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, onde têm sido feitas análises desde os primeiros registros. A retirada obedecerá às normas de proteção recomendadas pelo GAA, com a utilização de EPI (macacão, botas, luvas, óculos de proteção e máscaras).

Em Salvador, ontem (14), o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) “Almirante Saboia” desembarcou Fuzileiros Navais que serão empregados nas atividades da “Operação Verão – Mares Seguros e Limpos”, em conjunto com a Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida!”, com inspeções no mar e em terra. O cronograma dessa última operação citada também prevê visitas em praias do Rio Grande do Norte, de 20 a 22 de Janeiro e do Ceará, de 24 a 27, todas realizadas pelos militares embarcados no NDCC “Almirante Saboia”.

A Segundo-Tenente Liana está entre os 160 Fuzileiros Navais que saíram do Rio de Janeiro rumo ao Nordeste para reforçar o monitoramento de áreas anteriormente afetadas pelo derramamento de petróleo cru. “Tive a oportunidade de atuar nas outras fases da operação e fui voluntária para participar desta também. Acho importante a continuidade desse trabalho tão necessário para a preservação do nosso litoral”, disse a militar.

FONTE: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4.0
Tomcat4.0
8 meses atrás

Caramba , até hoje ainda tem óleo pelas praias e tal??? Que bom que a MB está aproveitando seu treinamento de prontidão operacional pra ajudar na localização e limpeza neste emblemático caso de poluição(criminosa???) ambiental.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Tomcat4.0
8 meses atrás

Amigo eu sou de Minas e estive em Maceió em dezembro e fui “batizado” por óleo , na planta dos pés em duas praias uma do litoral norte e outra do litoral , os caras lá ” de cima ” fizeram o grande trabalho limpando o mar e areia a “unha” sem ajuda nenhuma do governo , mas ao andar na areia de alguma praia lá de vez em quando ainda aparece uma “manchinha ” de óleo .

JuggerBR
JuggerBR
8 meses atrás

Com estes dois em missão no Nordeste, sobram quantos no RJ?

Rawicz
Rawicz
Reply to  JuggerBR
8 meses atrás

Nenhum… basicamente a frota inteira “ativa”, foi desdobrada para o nordeste….

– Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico (A 140)
– Navio Doca Multipropósito Bahia (G 40),
– Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Saboia (G 25)
– Navio-Tanque Gastão Motta (G 23)
– Fragata Constituição (F 42)
– Fragata Liberal (F 43)
– Fragata União (F 45)
– Corveta Júlio de Noronha (V 32)

M65
M65
Reply to  Rawicz
8 meses atrás

Passando pela Ponte Rio e Niterói e chegando pela Ponte aérea no fim de dezembro consegui ver os navios citados e o recém chegado navio de socorro de submarinos. Esse último não vejo na Ilha de Mocangue há dias de certo está sendo pintado e recebendo outras modificações

GUPPY
GUPPY
Reply to  M65
8 meses atrás

Está no AMRJ.

M65
M65
Reply to  GUPPY
8 meses atrás

Grato. Vou aproveitar esses dias no RJ e visitar a Pça XV e arredores.

wesley alves
Reply to  Rawicz
8 meses atrás

Caro Rawicz, tantos meios para as operações, são realmente necessários, ou a MB também quis mostrar a prontidão da esquadra, em tempos de tensão com a Venezuela? Se eu estiver viajando, me avise.

Saudações.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  wesley alves
8 meses atrás

Wesley.

Aspirantex acontece todo ano e costuma envolver meia dúzia de navios pelo menos. Veja matérias anteriores sobre Aspirantex.

Neste ano está ocorrendo com um pouco mais de navios e mais para o NE/N por causa das operações relacionadas ao derramamento de óleo, sendo inserida na terceira fase dessa operação.

José Carlos Mendonça
Reply to  Rawicz
8 meses atrás

ficam no rio de janeiro ,os submarinos.

Douglas Targino
Douglas Targino
8 meses atrás

A Marinha é péssima para dispor de fotos para nós, meu Deus!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
8 meses atrás

E ninguem até hoje descobriu que foi o responsável pelo derramamento de óleo???

Astolfo Junior
Astolfo Junior
Reply to  Willber Rodrigues
8 meses atrás

Tem que decolar um helicoptero pra tirar uma foto dessas, não é so ir la e tirar

Aerokicker
Aerokicker
Reply to  Astolfo Junior
8 meses atrás

Em tempos de drones bons de foto muito baratos, decolar helicóptero só pra tirar foto é o fim da picada.

Ursoman
Ursoman
Reply to  Astolfo Junior
7 meses atrás

Na verdade houve, mas as fotos não são disponibilizadas

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
8 meses atrás

Porque ao invés de desembarcar no porto, não fazem o desembarque direto nas praias por CLANF, lanchas de desembarque ou DESEMBARQUE POR HELICÓPTERO. Além de usar um pouco da Doutrina, ainda daria uma ótima publicidade para a MB nos meios locais de noticias.

Bardini
Bardini
Reply to  Carlos Eduardo
8 meses atrás

Me explica como é que se emprega doutrina de combate pra “caçar” mancha de óleo em beira de praia, fazendo favor?

Mauro
Mauro
Reply to  Bardini
8 meses atrás

Eu acho que ele só está tentando parecer engraçado, como muitos por aqui.

Existe um termo em economia chamado de Lei de Gresham: “A má moeda tende a expulsar do mercado a boa moeda”

Bons comentaristas que a gente via por aqui, que publicavam informações interessantes nunca mais deram as caras.

Me faz lembrar a Lei de Gresham. Não sou de julgar ninguém, mas suspeito que os bons comentaristas foram “expulsos”. Entende?

Esteves
Esteves
Reply to  Mauro
8 meses atrás
Samuel
Samuel
Reply to  Mauro
8 meses atrás

Concordo com você, nunca mais vi comentários de alguns usuários como por exemplo o Camargoer.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Samuel
8 meses atrás

Sério? Tem uns 20 só ontem…

Esteves
Esteves
Reply to  Carlos Eduardo
8 meses atrás

Tipo…amarra coelhos e jumentos puxando as manchas e vai correndo atrás delas?

Só pra saber.

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Carlos Eduardo
8 meses atrás

Carlos, um desembarque deve ser planejado previamente, na medida em que devem ser avaliados o gradiente, profundidade local, tipo de frequência das ondas, dentre outros fatores… a partir das informações e avaliações, é definido o local de abicagem… abraço…

Kommander
Kommander
8 meses atrás

Talvez, eu disse TALVES, daqui uns 30 anos a gente vê o Atlântico operando cheio de SeaHawks e uns Viper, mas por enquanto a gente só vai ver aquele convoo vazio. 😂😂

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Kommander
8 meses atrás

Não vai durar trinta anos. Talvez uns quinze, com muito esforço…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Kommander
8 meses atrás

O navio pelo uso da marinha do Brasil, deve durar uns 20/30 anos. Na inglaterra duraria 15.

Dodo
Dodo
Reply to  Kommander
8 meses atrás

Assim, n sei se vc sabe, mas tem várias fotos de op navais dele operando com seahawlk e h225N em convés cheio. Essa aspirantex mesmo tá com vários helis a aviação naval, só q nessa foto da matéria eles ou estavam peiados nos hangares internos ou fazendo patrulha costeira para spotar as manchas

Flanker
Flanker
Reply to  Dodo
8 meses atrás

Imagens do Atlântico com “convés cheio” só vi logo de sua chegada, com 2 UH-15, 2 SH-16 e 2 IH-6…..portanto, cheio mesmo, no Brasil , nunca esteve. Não digo que isso tenha algum significado, pois não há necessidade de entupir o navio com helicópteros somente pra treinamento.

Pablo
Pablo
Reply to  Kommander
8 meses atrás

Do que adiante ter uns Viper se os helis de emprego geral (que desempenham muito mais missões que um viper) estão no osso?
Os esquilos hoje tem uma importância gigantesca e uma necessidade de troca muito maior que a compra de helis de ataque.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
8 meses atrás

Com F 18 vai facilitar.

Cadê as Macaes ?

Leonardo
Leonardo
8 meses atrás

Esquadra pequena.. Camuflado operacional do CFN peça de museu

JORGEVN
JORGEVN
8 meses atrás

Até hoje ninguem sabe quem efetuou esse crime hein, absurdo .

nonato
nonato
8 meses atrás

Deveriam usar lanchas para sair do navio e irem para as praias.
Terão que percorrer 200 km.
E como assim vão inspecionar?
Quando aparece todo mundo dá notícia.
Ou é só pra fins de treinamento mesmo?
O Brasil perdeu uma excelente oportunidade de criar um mecanismo eficaz pra monitorar esse tipo de manchas.
Algum minisubmarino, sensores subaquáticos etc.
A crise deve servir de estímulo e desafio.

Esteves
Esteves
Reply to  nonato
8 meses atrás

Monitorar as manchas.

Falta patrulha, faltam meios de todos os tipos, falta orçamento, sobram ameaças.

Agora vamos caçar manchas. Tá certo.

Valter Sales
Valter Sales
Reply to  nonato
8 meses atrás

A resposta para tudo isdso que vc questionou foi planejada pela própria MB desde 2014. Chama-se Programa SISGAAZ. Rastejando por falta de verbas.

Fuz
Fuz
8 meses atrás

Pq o convés do Atlântico tá em duas tonalidades?

Dalton
Dalton
Reply to  Fuz
8 meses atrás

Me parece ilusão de ótica causado pelo sol, dependendo do ângulo, isso acontece com praticamente todo navio.

Fuz
Fuz
Reply to  Dalton
8 meses atrás

Entendi, pensei que já estava sendo necessário uma possível manutenção no piso

Flanker
Flanker
Reply to  Dalton
8 meses atrás

Pode ser que sim, Dalton. Você já deve ter visto milhares de fotos de navios mais do que eu. Entretanto, essa possível ilusão de ótica do Atlântico possui uma divisão bastante reta entre um tom e outro da cor do convoo. Talvez, tenha sido necessário repintar uma parte e por isso ficou em tons diferentes. Nada demais.

Carlos Eduardo Oliveira
Carlos Eduardo Oliveira
8 meses atrás

Como eu mesmo já havia dito aqui antes, esse derramamento de óleo ficou por isso mesmo.
Brasil sendo Brasil.

Dodo
Dodo
Reply to  Carlos Eduardo Oliveira
8 meses atrás

Vamos lá dr em geopolítica, o que qualquer outra nação do mundo(ex: Nigéria) faria nessa situação? Já que Nigéria n é igual a Brasil. Diga como que isso poderia ser diferente ? Já foram descobertos a origem do vazamento ? Qnd for descoberto, você acha que é só ir lá dar tiro porrada e bomba no culpado ? Meu Deus, concordo com o colega mais a cima…. onde estão os bons comentaristas??

Contribuinte inconformado.
Contribuinte inconformado.
8 meses atrás

O derramento de óleo nas praias do nordeste mostrar a falta de um sistema de monitoramento para acompanhar os navios e expõe a fragilidade da defesa naval no norte, nordeste e o restante do País além do óbvio a falta de navios…
O projeto estratégico de uma segunda esquadra da Marinha nunca saiu do papel e muito menos tem previsão, outro projeto é a criação de uma força de fuzileiros navais na região que também não tem previsão é tanto descanso que chegar a compremeter a soberania do país a sorte é que não temos inimigos…

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Contribuinte inconformado.
8 meses atrás

Amigo, recomendo que você pesquise sobre o CISMAR (https://www.marinha.mil.br/cismar/?q=content/missão) e a contribuição da OM para a busca pelos responsáveis por esse crime ambiental… abraço…

TeoB
TeoB
8 meses atrás

muito bom ver a marinha atuando dessa forma. e ver que mesmo capacidade de uma operação desse tamanho. Mas na maioria das fotos que vejo o PHM Atlântico está ´´com o patio vazio ´´ e dai vejo uma matéria que a MB quer comprar caças que podem operar embarcados sem nem ter previsão real de se ter um Nae… na minha humilde visão, primeiro deveríamos trabalhar para extrair o máximo potencial do Atlântico, esse que deverá ser nosso capitania eu acredito que pelos próximos 15 ou 20 anos, eu não gosto da fazer criticas e sei que nossa marinha tira… Read more »

UmCertoR2
UmCertoR2
Reply to  TeoB
8 meses atrás

MB desenvolvendo novas doutrinas: Como operar um Porta Helicópteros SEM Helicópteros e Como realizar Operações Helitransportadas (Aeromoveis) sem Helicópteros.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  UmCertoR2
8 meses atrás

Tem matéria de três dias atrás mostrando o emprego de asas rotativas, nesta Aspirantex, sobre o convoo do PHM Atlântico.

Bem que poderiam comentar nela sobre esse lance da Marinha fazer treinamento em porta-helicópteros sem helicópteros, já que está faltando comentários por lá (só tem 1 comentário).

Ao que parece a foto de um helicóptero pairando sobre o convoo, em matéria sobre treinamentos diversos de infiltração durante a operação, não entusiasmou tanto quanto esta aqui do convoo vazio.

https://www.naval.com.br/blog/2020/01/14/aspirantes-participam-de-demonstracoes-de-abordagem-a-bordo-dos-gigantes-da-esquadra/

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
8 meses atrás

PS: esta outra notícia informa que estão previstos, quando estiverem na área do 4ºDN, exercícios com CLAnfs e com helicópteros do HU-41.

https://www.marinha.mil.br/noticias/ndcc-almirante-saboia-atraca-em-salvador-para-aspirantex-3a-fase-da-operacao-amazonia-azul

Paulo Costa
Paulo Costa
8 meses atrás

As viaturas são descarregadas no porto,levam os fuzileiros as praias,e coletam as partes de óleo na praia.A esquadra pode fazer treino de transporte de óleo,mantimentos ,agua etc.Treinos de combate a incêndio,uso de inflaveis para interceptar botes suspeitos,etc
Treino com 40mm real, .50 em alvos ,ataques com os A-4 a qualquer hora a navios da esquadra,uso de radares,sensores a bordo,vou ficar o dia inteiro escrevendo sobre o assunto.Tive noticia de que as caldeiras e olarias da região estão satisfeitas com o óleo de graça que veio das praias.