Home Marinha do Brasil Covid-19: Partida de navio é cancelada no RJ após confirmação de morte...

Covid-19: Partida de navio é cancelada no RJ após confirmação de morte de militar da Marinha

8177
119
Fragata União

Militar chegou de missão no Rio no dia 23 de março, em navio que tinha cinco integrantes com sintomas da doença. Militar morreu no dia 14 de abril

Por Ari Peixoto, RJ1

Um militar da Marinha, que tinha voltado de uma missão, morreu de Covid-19. Depois desse caso, a partida de um navio programada para o próximo fim de semana foi cancelada.

A fragata União deveria partir da Base Naval de Mocanguê, no domingo (19). O RJ1 teve acesso ao plano do dia da fragata, uma espécie de diário de bordo do navio. No documento, a previsão de partida era às 20h de domingo e o retorno, no dia 25 de abril.

A missão é o estágio de qualificação para futuros comandantes de submarinos. A fase tática significa que é a parte prática de um curso que começou num centro de adestramento da Marinha. Os tripulantes estavam assustados, como o enviado num áudio que diz:

“Eu acho isso um absurdo, em plena essa pandemia de coronavírus, onde vários militares já têm como histórico de pessoas na família com o vírus, ficarem confinados dentro de um navio, 200 homens, onde os camarotes onde se dormem são dez, quinze pessoas dentro de um camarote. Um beliche em cima do outro. Ou seja, a pessoa vai ficar respirando, respirando, espirrando, tossindo um em cima do outro ali dentro, podendo passar esse vírus muito facilmente”. Nesta sexta-feira (17), de manhã cedo, quando a tripulação chegou para embarcar, descobriu que a viagem tinha sido cancelada.

A assessoria de comunicação da Marinha não comento o cancelamento da viagem, porque, segundo ela, esse planejamento é sigiloso e restrito ao pessoal da esquadra.

Mas os assessores confirmaram o motivo que deixou os tripulantes da fragata União amedrontados, que foi a morte de um militar que estava embarcado em outro navio, pela Covid-19. O militar viajou no navio Almirante Saboia, que chegou ao Rio no dia 23 de março, já com o comandante, o imediato e outros três integrantes da tripulação apresentando os sintomas da doença.

Segundo uma nota divulgada pela Marinha, o militar que morreu não tinha os sintomas na chegada. Só no dia seguinte ele procurou atendimento médico, com sintomas leves do coronavírus. Ele foi encaminhado para isolamento domiciliar, mas em 1º de abril voltou ao hospital com piora no quadro respiratório. Internado na UTI, o militar teve a confirmação da doença. Ele morreu na noite do da última terça-feira (14).

A nota diz ainda que o navio foi higienizado e está pronto, mas não há previsão de partida, e que a Marinha está prestando assistência psicológica e social ao parentes do militar morto.

FONTE: G1

Subscribe
Notify of
guest
119 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
3 meses atrás

Muita gente apinhada dentro de um espaço exíguo, km’s de corredores estreitos, dias e dias no meio do mar…um navio é o paraíso de qualquer vírus.
Não duvido que as Marinhas de todo mundo sejam o lugares com o maior n° de militares mortos por essa doença.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Willber Rodrigues
3 meses atrás

Deve ser pior que quartel.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  FighterBR
3 meses atrás

Todos os quartéis que eu já ví eram espaçosos, tinham muitas janelas e teto alto, o que facilitava a circulação de ar. Coisas que nenhum navio ( principalmente navios militares ) tem.

Mameluco Pernambucano
Mameluco Pernambucano
Reply to  FighterBR
3 meses atrás

Com certeza, num quartel você tem a área interna das edificações e uma área externa, muito espaçosa em comparação com uma Fragata, Corverta ou qualquer outro Navio da MB, talvez, de certa forma, pode-se excetuar o PHM Atlântico e o NDM Bahia, olha que eu falei talvez, porque os corredores de OM de terra é muito diferente dos corredores dos Navios, seja ele qual for.

Cavalli
Cavalli
Reply to  FighterBR
3 meses atrás

Você não tem idéia do que seja, nem contando poderia imaginar, mas é ali que se formam os melhores amigos e parceiros que a vida possa lhe oferecer. Tenho a honra de ter amigos, verdadeiros irmãos, por mais de 35 anos estando na Marinha por curto tempo, sendo 01 ano de EAMSC e 02 embarcado no saudoso Nael Minas Gerais A-11.

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Cavalli
3 meses atrás

Faço minhas as suas palavras, pois fizeste seus os meus pensamentos!

Pedro Moura
Pedro Moura
Reply to  Willber Rodrigues
3 meses atrás

Willber Rodrigues, Eu fico igual advogado do diabo nessa situação. Primeiro que concordo plenamente com vc quando diz que “muita gente apinhada dentro de um espaço exíguo, km’s de corredores estreitos, dias e dias no meio do mar…um navio é o paraíso de qualquer vírus”. O contágio seria devastador. Segundo vejo a situação da vida militar mesmo com o navio no porto ou Base Naval, haja vista existir a guarnição de serviço e que precisa de rendição todos os dias. O deslocar de casa trabalho e vice-versa, para que possa haver a troca do serviço, poderá ocasionar a contaminação de… Read more »

nonato
nonato
Reply to  Pedro Moura
3 meses atrás

Fiquem no quartel

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Pedro Moura
3 meses atrás

As marinhas de todo mundo estão relatando casos de covid-19: França, Brasil, Estados Unidos e outras. O ambiente restrito e muitas pessoas convivendo próximas uma das outras é um prato cheio para a proliferação do vírus.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Willber Rodrigues
3 meses atrás

Somente na amada China isso não aconteceu… (IMO -> Ironic Mode On).

Luiz Galvão
Luiz Galvão
3 meses atrás

O risco é inerente à profissão. Os profissionais de saúde sabem muito bem disso. A pessoa quando opta por seguir a carreira militar automáticamente sabe que pode em algum momento ter que colocar sua vida em risco.

Mameluco Pernambucano
Mameluco Pernambucano
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Concordo em parte, se no caso estivéssemos numa situação de crise bélica, conflito, disputas fronteiriças graves, etc., entretanto não estamos em Estado de Guerra ou situação crítica de defesa nacional, então no meu ponto de vista, não há necessidade de colocar as vidas dos profissionais em risco.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Mameluco Pernambucano
3 meses atrás

” O risco é inerente à profissão. Os profissionais de saúde sabem muito bem disso. A pessoa quando opta por seguir a carreira militar automáticamente sabe que pode em algum momento ter que colocar sua vida em risco. ” Exato, o risco é inerente à profissão, PORÉM, como o Pernambucano falou, NO CASO DOS MILITARES, “situação de crise bélica, conflito, disputas fronteiriças graves, etc., “. Galvão, fora das situações em que o Pernambucano falou, correr riscos, pôr em risco a vida dos marinheiro sem dúvida não há necessidade. Se esse navio tivesse de levar suprimentos / equipamentos médicos para ao… Read more »

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Alexandre Cardoso
3 meses atrás

Alexandre, boa noite.
Faz sentido. Gosto do debate de idéias e conceitos.
Abs.

MÁRIO FILHO
Reply to  Mameluco Pernambucano
3 meses atrás

Vocês sabem qual o maior absurdo , o maior ( ABSURDO É NÃO APLICAR OS PROCEDIMENTOS (TRATAMENTO) ) já aplicados em vários pacientes com 100% de cura , dos Drs . Marcelo Amato, um dos maiores pneumologista do Brasil e do mundo e Dr. Roberto Zeballos respeitado imunologista brasileiro , com tratamento com metilprednisolona (corticoide) e azitromicina , pacientes curados estavam em estado gravíssimo e ficaram 6 dias hospitalizados e saíram para casa andando , só não dá para entender o porque até o momento o MS não adotou os procedimentos . Com a saída desse Mandetta espero que mude… Read more »

Fernando Vieira
Reply to  MÁRIO FILHO
3 meses atrás

Tem algum estudo desse tratamento com 100% de cura? Paper revisado por pares e publicado em revistas científicas de credibilidade? Pode por favor mandar o link desse paper?

nonato
nonato
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Daqui a 2 anos sai.

Pablo
Pablo
Reply to  nonato
3 meses atrás

Ate o fim do ano que vem pode tera vacina

marcus
marcus
Reply to  nonato
3 meses atrás

Se for um vírus com alto grau de mutação e difícil obter uma vacina.
A Dengue é um bom exemplo, até presente momento não existe uma vacina realmente eficaz.
https://www.otempo.com.br/hotsites/luta-contra-a-dengue/conheca-a-origem-da-doenca-1.775732

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Falou tudo. Ai criticam quando cientistas testam formas de tratamento com cloroquina e paciêntes morrem por isso. Tudo e feito com metodo, a ciência e tentativa e erro, não podendo liberar um tratamento sem saber coisas como: Dosagem, tempo de tratamento, reações ao medicamento e contra indicações.

André Stoinski
André Stoinski
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

A Cloroquina só tem 60 anos. Estão testando superdosagem em Manaus para que? Para matar os pacientes e dizer: Viram! É perigosa. Não usem.
Ora! querem enganar quem?
É só pesquisar o viés político dos médicos participantes.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  André Stoinski
3 meses atrás

A depender da patologia/doênça, uma dosagem que serve para um não serve para outro. A cloroquina e produzida á 60 anos para a malária que e diferente de um víros novo e desconhecido.

Fernando Vieira
Reply to  André Stoinski
3 meses atrás

Você está afirmando que médicos estão matando pacientes apenas para prejudicar um político? Se você tem provas disso, é melhor apresentar ao CFM para que o registro desses profissionais seja imediatamente suspenso. Se não tem provas, eles podem lhe processar por calúnia.

Nilson
Nilson
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
3 meses atrás

Quanta parcialidade. Só para desmerecer a pesquisa. Todos vimos que lá eles testaram duas doses, a de 450 mg e a de 600 mg (a que foi usada na China). Na de 600 mg os efeitos colaterais recomendaram a suspensão da pesquisa, então eles passaram para os 450, apontando o risco da dose de 600. E aí, por causa da politização do tema, uma circunstância normal vira um escândalo, inclusive com ataques aos pesquisadores. Triste situação essa nossa…

rui mendes
rui mendes
Reply to  MÁRIO FILHO
3 meses atrás

É, são todos estúpidos no mundo inteiro, com uma cura garantida por esses 2 imunologistas, e todos os outros estão errados. Há outros tratamentos que também estão a ter bons resultados, mas para ser implantados têm que ser analisados prós e contras, e experimentar em mais pessoas, e tudo isso demora mais tempo, que é o que se está a tentar acelerar.

Elcimar
Elcimar
Reply to  rui mendes
3 meses atrás

é preferível morrer do vírus ? passar pelo sofrimento de ficar sufocado,(sintoma terminal já relatado)…ou usar os medicamentos que são fato que estão fazendo a diferença. calcular a dosagem com certeza já o fizeram,depois se pensa se é científico ou não

Fernando Vieira
Reply to  Elcimar
3 meses atrás

Esse é o problema. Você afirma “usar os medicamentos que são fato”. Não são fato. Sorry. Ninguém aqui tá torcendo pro vírus, eu quero que encontrem uma cura, seja quem for, se for o médico particular do Trump, se forem chineses, cubanos, ingleses, dane-se. Que encontrem. Mas afirmar que existem curas já prontas e que ninguém usa, isso sim é torcer pro vírus pois espalha desinformação. “depois se pensa se é científico ou não” Olha, oração não é científico. Todo o resto, qualquer droga que se use é científico. Usar drogas ao acaso como você defende é apenas chutar algo… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Elcimar
3 meses atrás

Todo calculo de dosagem e feia de forma cientifica, que básicamente e tentaiva e erro comparando os dados coletados com a testagem de dosagem como foi feito em Manaus e é feito no mundo todo. O proplema e que em lugar nenhum do mundo a cloroquina foi liberada como a solução do vírus. Se fosse nos EUA, Italia, Espanha e Iglaterra já tinham liberado.

Jota Ká
Jota Ká
Reply to  MÁRIO FILHO
3 meses atrás

Agora temos mais 1 opção de cura infalível e de baixo custo: Annita . O astronauta/cosmonauta Marcos Pontes garante!😂

Loelce locatelli
Loelce locatelli
Reply to  MÁRIO FILHO
3 meses atrás

Acho que agora só vão usar a cloroquina, não usarão outros meios para validar a teoria de que estavam certos.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Mameluco Pernambucano
3 meses atrás

É dever da Marinha do Brasil patrulhar o litoral brasileiro em tempo de paz ou de guerra para reprimir invasores do nosso mar territorial, coibir ilícitos e operar salva-guarda a embarcações civis e ate apoio a plataforma de petróleo.

Rômulo
Rômulo
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Meu amigo o motivo real disso é desnecessário
Um socorro em alto mar é muito necessário um adestramento com submarino pode ser feito em outros momentos. Porém se todos ficarem ruins, qm vai fazer o socorro em alto mar quando tiver necessidade?? O militar ele tem o direito tbm de ñ seguir ordem absurdas, e os comandantes são responsáveis pelas vidas dos seus militares. Qm tá em prédio ou atrás do computador ñ sabe opinar sobre isso.

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Que bobagem! Tá com medinho de pegar vírus? Tem que enfrentar a situação como homem, e não como moleque! A solução é seguir a orientação do gênio da medicina e da economia. Fazer isolamento vertical dentro do navio e distribuir cloroquina para toda a tripulação, tá ok? E o comandante do navio pode circular livremente, indo à praça d’armas, sala de máquinas, etc. para confraternizar com apoiadores, comer um pastel com caldo de cana, tirar selfies, essas coisas essenciais.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Charles Dickens
3 meses atrás

É piada isso?

Mauricio Pacheco
Mauricio Pacheco
Reply to  Charles Dickens
3 meses atrás

Esquerdoso detectado!

Chales Dickens
Chales Dickens
Reply to  Mauricio Pacheco
3 meses atrás

Idiota se apresentando.

Chales Dickens
Chales Dickens
Reply to  Chales Dickens
3 meses atrás

Por que será que algumas pessoas insistem em pensar que os críticos ao atual governo são obrigatoriamente esquerdistas ou petistas? Pelo visto, ainda está muito longe a cura da idiotice causada pelo fanaticovírus-19.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Charles Dickens
3 meses atrás

Fragata união: indo ao mar sem cuidados.
Imediato: Senhor o navio invasor do nosso mar territorial a estibordo.
Comandante, acelerar o navio a 3/4.
Imediato: não dá, a casa de maquinas só tem um de 4 mecânicos, os outros estão doêntes.
Comandante: virar a estibordo.
Imediato: não dá, o único de 4 timoneiros que esta em condições esta dormindo.
Comandante: oficial de armas?
Imediato: faleceu ontem de noite senhor. Más não se anime, a vaga dele na maca da enfermária de bordo já esta ocupada.

Audax
Audax
Reply to  Charles Dickens
3 meses atrás

Kkkk. Nosso presidente é o famoso granada sem pino.

Audax
Audax
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Uma coisa é colocar a vida em risco por um objeto importante é imediato. Outra e arriscar desnecessariamente. Aí se chama burrice.

Nilson
Nilson
3 meses atrás

Correto. A guerra é contra o corona, ou seja, temos ao máximo evitar que ele encontre hospedeiros e se multiplique. Enviar o navio para missão nesse momento é ajudar o inimigo.

Nilson
Nilson
Reply to  Nilson
3 meses atrás

Falei correto para a decisão da Marinha de não iniciar a missão, não ao comentário do Luiz Galvão. O militar tem que colocar a vida em risco na missão correta, não por brincadeira.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Nilson
3 meses atrás

Nilson, boa noite.
Guarnecer um navio de guerra não é brincadeira.

Nilson
Nilson
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Entendo que guarnecê-lo para favorecer o inimigo é um erro. Talvez melhor do que brincadeira.

Felipe
Felipe
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Concordo Luiz Galvão, muitos entusiastas da Marinha nunca estiveram a bordo e não sabem das peculiaridades de um navio de guerra e muito menos sobre sua rotina de manutenção e funcionamento.

Ozawa
Ozawa
3 meses atrás

Essa situação trágica poderia ser considerada apenas uma lamentável fatalidade, como em outras marinhas do mundo civilizado e democrático, não fossem as medidas sanitárias brasileiras de confinamento social despretigiadas, ideologizadas e vulgarizadas pelo próprio Comandante Em Chefe desse militar, e ainda hoje, mesmo após 2.000 mortes em território nacional, até o momento. A propósito, o TWP, em recente editorial, aponta esse tal Comandante Em Chefe como o pior líder mundial no enfrentamento do coronavirus. “Os tripulantes estavam assustados, como o enviado num áudio (…).” Presumindo verdadeiros o autor e o teor do áudio, o “absurdo” ao qual aduz o militar… Read more »

KMjH
KMjH
Reply to  Ozawa
3 meses atrás

Vera Magalhães, é você?

Esteves
Esteves
Reply to  KMjH
3 meses atrás

Vamos promover um encontro.

Mestre X Capitão.

Tenho certeza que esses dois tem mais (muito mais) em comum que poderiam supor.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  KMjH
3 meses atrás

É o Boechat psicografado…

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Ozawa
3 meses atrás

Concordo!

Luciano
Luciano
Reply to  Ozawa
3 meses atrás

Olá, Ozawa. Perfeitamente! Chego a me perguntar como é que este ex-oficial, alijado corretamente das fileiras do EB, conseguiu entrar para a carreira militar! É muita má fé contra o próprio povo! O negacionismo é pior que a covid-19! Geisel e Jarbas Passarinho – que devem ser “vermelhos” na lógica cega atual – já atentavam para os absurdos mitológicos há quase 30 anos atrás! Enquanto isso o povo segue morrendo, inclusive os militares e não é só aqui, o Charles de Gaulle notificou mais de mil marinheiros contaminados, por exemplo, os EUA estão num estado catastrófico! Força para as famílias… Read more »

Anthony
Anthony
Reply to  Ozawa
3 meses atrás

A unica “ideologia” q vejo aq, e a sua…

Sempre q leio seus comentários, tao… “Polidos’ (quanto falsos), lembro de minha finada Vó falando: “por fora bela viola, por dentro bolo bolorento”…

Paulo
Paulo
Reply to  Anthony
3 meses atrás

Fora a falácia do ‘ad hominem’ você tem algum argumento contra o que foi dito pelo senhor Ozawa?

Elcimar
Elcimar
Reply to  Ozawa
3 meses atrás

desnecessário para este momento de dor de um familiar o seu comentário
antgoverno eleito legitimamente pelo voto. não sou afeto a politica nenhuma,mas sei o que estava errado antes e muita coisa que já foi feita pra mudar agora.
ademais continuo a prestigiar seus antigos comentários sobre assuntos militares aqui abordados.

Fernando Vieira
Reply to  Elcimar
3 meses atrás

Justamente pelo governo ser legitimamente eleito pelo voto que temos o direito legítimo de criticá-lo. Democracia é assim.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Eu como eleitor do nosso presidente me sinto ainda mais no direito de classificar a postura perante a crise sanitária como no mínimo LAMENTÁVEL, toda a ação deveria ser baseada em estudos é método científico pois se não são apostas, apostas com a vida de seu próprio povo, inadmissível!

Esteves
Esteves
Reply to  Carlos Gallani
3 meses atrás

Tonteiras. Basbaquices.

A política sanitária está sendo implantada e conduzida pelo Ministério da Saúde. Tecnicamente.

O presidente deseja fazer retornar e retomar a atividade econômica.

Os inscritos para os 600 reais passam de 70 milhões.

70 milhões de brasileiros sem renda.

Esteves
Esteves
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Criticar e apear.

Depois que ele cumprir o mandato.

Faltam 19 anos para igualar com a turma do lado de lá.

ALEXANDRE DE BARROS BARBOZA
Reply to  Elcimar
3 meses atrás

Quando os brasileiros, e em especial os mais radicais, como me parece ser o seu caso, vão entender que o exercício da democracia pressupõe a crítica a QUALQUER membro de cargo eletivo? As atuais críticas ao presidente são profundamente embasadas pela realidade, amigo! Que cansaço deste tipo de discussão, meu Deus….

Esteves
Esteves
Reply to  ALEXANDRE DE BARROS BARBOZA
3 meses atrás

As atuais críticas ao presidente são tolas.

O presidente quer o país trabalhando. Os trabalhadores da CLT tiveram os salários reduzidos, foram demitidos, estão sem renda.

Os funcionários públicos estão na piscina. O salário dos estatutários segue sendo pago em dia.

País bacana.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Caro Esteves. O Covid-19 é um vírus muito contagioso que causa uma síndrome respiratória grave que pode esta entre 5 e 15% de letalidade, dependendo da região. O contágio é principalmente pelas vias aéreas. Nesse contexto, o mais prudente é evitar aglomerações, evitar contato físico etc. Devido a alta taxa de contagio, o risco do sistema de saúde colapsar é real. Quanto maior o isolamento menor será o risco de colapso. A situação mais parecida que o mundo viveu foi a crise de 29. O recomendado seria resgatar os estudos sobre o período e aplicar as estratégias que deram certo… Read more »

João Carlos
João Carlos
3 meses atrás

O grande chefe disse que é uma gripezinha… e agora, o que pode ser dito à família deste militar?
Meus pêsames à família.

souto
souto
Reply to  João Carlos
3 meses atrás

Amigo Nilson você sabe algo sobre o retorno da fragata
Defensora?..

Nilson
Nilson
Reply to  souto
3 meses atrás

Olá, Souto, quem sou eu, aqui da distância, para ter alguma informação quente. Mas, confesso, estou bem desanimado com a volta da Defensora, acho que ela está mais para Niteroi (baixa) do que para Tamandaré (serviço daqui uns 4 anos…). Tomara que o Arsenal queime minha língua…

Dalton
Dalton
Reply to  souto
3 meses atrás

souto…também acompanho essa “novela” e em um artigo de julho do ano passado sobre a “conclusão de navios patrulha no AMRJ” que tratei de anotar para não esquecer, entre outras coisas, surgiu a informação que o “PMG” da
“Defensora” seria encerrado em abril de 2020, então, como ainda faltam 12 dias para terminar o mês, não perdi totalmente a esperança 🙂

Nilson
Nilson
Reply to  Dalton
3 meses atrás

Realmente, Admiral Dalton, é uma novela que vem de 2010, salvo engado. Ou é 2006??

Nilson
Nilson
Reply to  Dalton
3 meses atrás

Achei minha anotação sobre a Defensora: – acompanhar retorno da Defensora à ativa – fora de operação pelo menos desde 01/2013 – queda do guindaste sobre a proa – notícia 17/01/2018: concluirá PMG 1º semestre 2018, volta a operar no 2º semestre.

Dalton
Dalton
Reply to  Nilson
3 meses atrás

Oi Nilson…o “PMG” pode até ter iniciado para valer em 2013, mas, desde fins de 2010 ela já estava indisponível “aguardando na fila” e passando por um período pré manutenção preparatório. . Um exemplo de período preparatório é o que está passando oNAe USS John Stennis cuja modernização que irá durar 4 anos só começará para valer em janeiro, mas, alguns meses antes são necessários para retirar equipamentos, móveis, etc, só que, diferentemente de outras modernizações similares, esse período preparatório iniciou antes e ele nem será utilizado ao menos para qualificar pilotos como se pensava até agosto. . Mas, ao… Read more »

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  João Carlos
3 meses atrás

Até uma gripezinha mata…

smichtt
smichtt
3 meses atrás

O que um futuro comandante de submarino aprende em um estágio numa fragata?

Pedro Moura
Pedro Moura
Reply to  smichtt
3 meses atrás

smichtt,

Os alunos do citado curso irão embarcados NO SUBMARINO. Os navios de superfície vão prestar apoio, como Figurativo Inimigo (FINGIM). Serve tanto para qualificar os alunos como para exercitar TBM os militares de Guerra Antissubmarina(ASW) e verificação dos sistemas de armas.

luiz blower
Reply to  smichtt
3 meses atrás

Como uma fragata vai caçá-lo, ué? É bem útil se vc pensar bem.

KMjH
KMjH
Reply to  smichtt
3 meses atrás

O que os tripulantes mostraram com esse áudio, se verídico, é que não são material pra submarino.

Camargoer
Camargoer
Reply to  KMjH
3 meses atrás

Os tripulantes mostram que são gente. O país esta em paz, existe uma mobilizacao nacional para conter o vírus, apenas atividades essenciais estao ocorrendo. Ficam as perguntas. Essas atividades da MB podem ser adiadas? Elas ajudam a combater o vírus? A MB terá problemas futuros mais graves do que a disseminação do vírus entre suas tropas se adiar essas missões? Há alternativas? Respondendo isso fica fácil saber o que precisa ser feito

KMjH
KMjH
3 meses atrás

Ao ler comentários daqui e relato de suposto militar em áudio, depreende -se que as marinhas mundo afora estão com seus navios docados. Não há submarinos submersos. Tá todo mundo fazendo home office ao jogar batalha naval on line. Não sei as condições, oque foi feito ou deixou de se fazer na marinha brasileira, como foi esse atendimento prévio, encaminhamento e tratamento mal sucedidos. Mas tenho certeza que autores dos comentários até agora postados tambem não. É muito achismo, suposição e dedo pronto pra apontar pros outros e confirmar opiniões políticas prévias. O mar de Taiwan não parece tão calmo… Read more »

Caio
Caio
3 meses atrás

Eu acho que uma das primeiras grandes consequências do coronavirus, talvez seja a mudança na arquitetura ou proteção biológica dos navios militares e prevenção nos quartéis, pois imaginem envelopes com antrax, parando muitas bases militares, seria patético se não fosse trágico.

nonato
nonato
3 meses atrás

Onde esses militares se contaminaram?
Uma possível solução é testar todos e não permitir que vão para casa, levando ou trazendo vírus.
Quem não estiver contaminado, depois de 2 testes com intervalo de 7 dias entre cada exame, desde que isolados no quartel, podem sair em missão.
Ou todos os navios e submarinos devem atracar?

Nilson
Nilson
Reply to  nonato
3 meses atrás

Creio que, nesse momento de guerra contra o vírus, somente devem desatracar as missões essenciais para tal guerra e para a segurança interna, tais como transporte de equipamentos de interesse médico ou social, utilização como navios hospitais e patrulha. O restante, fica para daqui algum tempo, não tem urgência nem prioridade.

Nilson
Nilson
Reply to  nonato
3 meses atrás

Para que gastar testes na MB, para missões que podem ser postergadas, se estão faltando testes nos hospitais??

Audax
Audax
3 meses atrás

O melhor que a Marinha tem a fazer agora é combater o bom combate e não suspender. Tá aí o exemplo do Roosevelt e de Gaulle. O curso pode esperar. Neste momento a Marinha é muito mais importante em terra que no mar.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Audax
3 meses atrás

Achei que ninguém ia lembrar disso. O Covid já botou dois porta-aviões no estaleiro e tem gente que acha que arriscar nossos marinheiros desnecessariamente compensa.

zézão
zézão
3 meses atrás

Notícia toda truncada pela censura.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
3 meses atrás

Nessas horas é que o numero de mortos na China levantam mais do que suspeitas: ou mentiram descaradamente para o Ocidente ou sabiam com o “bicho” que estavam lidando desde o começo…

Elcimar
Elcimar
3 meses atrás

Em resposta à matéria “Vírus a bordo”, noticiada pelo RJTV – 1ª Edição, da TV Globo no dia 17 de abril, a Marinha do Brasil publicou a seguinte Nota de Esclarecimento à imprensa: A Marinha do Brasil (MB) esclarece que, a viagem programada da Fragata “União” foi postergada em razão de um instrutor do Estágio haver apresentado sintomas respiratórios leves e, em cumprimento aos protocolos sanitários estabelecidos, ter sido encaminhado para isolamento domiciliar. Tão logo seja restabelecida a quantidade técnica prevista de instrutores, a Fase Tática do Estágio será retomada. A preparação das operações navais cumpre as medidas profiláticas e… Read more »

Nilson
Nilson
Reply to  Elcimar
3 meses atrás

Que pena. A Marinha vai insistir em suspender para esse estágio. Quanto ao final da nota, ok, são atividades essenciais. Agora, o estágio pode ser postergado, não justifica colocar a tripulação em situação de ser hospedeira do nosso inimigo.

rommelqe
3 meses atrás

Entendo que tripulações inteiras ja tenham testado positivo e estejam curadas e na sua maior parte imunizadas e aptas para operar quando e se necessário. Acredito que a MB tenha um cadastro destes elementos e atualizando dia a dia. Hoje (18-4-20) existem mais de 85 hospitais no Brasil (fonte Dr. Alexandre Biasi, lider de pesquisas no Hospital das Clinicas de São Paulo) testando em 100% dos pacientes com teste positivo a eficácia da hidroxicloroquina com ação adjuvante de outras medicações. Ele é cientista, e como tal sabe que não pode afirmar 100% para a midia, mas se TODOS os MEDICOS… Read more »

Nilson
Nilson
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Sim, os hospitais estão usando a cloroquina + azitromicina, e vão continuar fazendo isso, com a autorização do paciente ou familiares. Não é perda de tempo, é a tentativa existente para salvar vidas. Mas não creio que a Marinha tenha cadastro de quem está positivo e imunizado para o vírus, acho que aí você excedeu na confiança. Como afirmar que em uma tripulação inteira não tem um infectado assintomático?? Que vá infectar os demais nas ótimas condições de proliferação para um vírus que é um navio militar??

rommelqe
Reply to  Nilson
3 meses atrás

Caro Nilson:para tanto basta ter testado todos. Ou não? Duas ou tres semans seguidas!

Nilson
Nilson
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Olá, Rommel, o problema é que a contaminação é dinâmica. Se testar e todos derem positivo e estiverem curados (ou seja, com anticorpos e sem possibilidade de desenvolver a doença) pode ser que naquela tripulação não haja risco, acho que é isso que vc quis dizer. Ou formar tripulações somente com os positivos. As duas hipóteses parecem-me impraticáveis: a primeira porque temos apenas uns 5% de infectados no país, não creio que na MB a média seja muito maior. A segunda hipótese porque não dá para formar tripulação de uma hora para outra, cada atividade demanda muito treinamento. Outra hipótese… Read more »

Fernando Vieira
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

eu não acredito na sua fonte ou na informação. O método está errado, nenhum cientista testa o tratamento em 100% da população infectada. Você precisa ter um grupo de controle que tomará placebo.

Não sou contra testar a hidroxicloroquina. No entanto resultados de outros experimentos vem jogando água fria nesse tratamento. Está sim ocorrendo um experimento em grande escala com esse medicamento em todo o país coordenado pela Fiocruz.

Após os resultados e revisão dos mesmos por pares, aí poderemos dizer alguma coisa. Ou algum pesquisador da área que frequente esse fórum.

Esteves
Esteves
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Paracetamol. Cortisona. Propofol. Cloroquina. Bosta de jumento. Não tem cientista dentro de hospital. Tem médico e paciente. A relação entre o médico e o paciente é regida pela legislação e pela ética. Não havendo impedimento legal nem ético e nesse momento trata-se de salvar vidas, o que o médico receita e o paciente concorda com o objetivo de salvar-lhe a vida, é da conta dos dois. Cientista fica dentro das instituições. As pesquisas sobre vacinas para os vírus corona estavam interrompidas nos últimos anos por quem financia as pesquisas: governos e indústria farmacêutica que não tem nenhum e nunca tiveram… Read more »

Fernando Vieira
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Puxa vida, eu jurava que médicos estudavam, testavam, publicavam seus resultados, revisavam experimentos de outros médicos, o que é basicamente ser cientista. Qualquer um pode ser cientista em qualquer lugar, não precisa ter cabelo engraçado e ficar num laboratório cheio de vidrarias que de vez em quando explode. Se um profissional sai do seu curso de formação que pode ser uma faculdade, uma escola técnica, escola militar, seja qual for a sua opção e não procura expandir seu conhecimento, aprender e tentar coisas diferentes, vivendo apenas com o que ele aprendeu no seu curso de formação, ele será um péssimo… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Não jure. Nunca mais.

“Segundo o coordenador da pós-graduação da FCM, Licio Augusto Velloso, o Programa Médico-Pesquisador é para poucos. Pelos menos 95% dos alunos querem ser médicos com atuação clínico-cirúrgica e apenas entre um a três alunos, por turma, tem o perfil voltado para a atividade médica de pesquisa.”

Nem julgue. Nunca mais.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Os principais hospitais têm comissões (ou grupo, ou comitê, ou equipe, enfim, um órgão colegiado) para supervisionar a realização de pesquisa científica em suas instalações. Isso porque o uso off-label de medicação – ou seja, o uso de medicação em hipóteses e doses diferentes daquelas autorizadas pela Anvisa – e considerado tratamento experimental. Em verdade, o uso de medicação off-label – ou seja, a prescrição de medicamentos em hipóteses e doses diferentes daquelas paras as quais houve a provação da Anvisa – não é incomum, especialmente nos tratamentos oncológicos. Mas o médico/hospital precisa se precaver muito juridicamente porque o uso… Read more »

rommelqe
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Concordo com vc Vieira. Pesquisa pura é indispensável, mas a pesquisa aplicada é a mais eficiente. Hoje não temos tempo para perder puramente em laboratorio. Pesquisa em laboratorio é demorada e muito elegante, mas pesquisa na linha de frente é mais efetiva em situações de crise. Em engenharia a pesquisa em prototipos é muito mais importante do que no CAD/FEM/FLUID, mas nos primeiros exemplares de produção, aqueles que vão ser testados pelo publico consumidor é que vão responder pelo sucesso do produto. Não podemos ficar a merce de algum pesquizador etéreo e sem iniciativa prática definir possíveis caminhos em defesa… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Olha, o ceticismo da maioria dos cientistas em relação à cloroquina e sua derivada deve-se ao histórico dela em relação a outras epidemias -que é muito ruim.
Todas as vezes que surge um vírus novo, ou uma nova cepa de um vírus já conhecido, a cloroquina aparece como a solução das organizações tabajara (“acabaram-se os seus problemas”), mas depois descobre-se, em pesquisas controladas, que ela era ineficaz.
A cloroquina já foi testada nas epidemias de H5N1, H1N1, gripe suína, H3N2 SARS, MERS e HIV.
Falhou em todos eles.

rommelqe
Reply to  Fernando Vieira
3 meses atrás

Quem te disse que não há placebos nesta pesquiza em curso pelo HCor? Por que uma insituição de vanguarda não pode estar coligada a outras (no caso a Fio Cruz está ao que me parece colaborando no mesmo grupo)? E voce não cre porque não acha ou tem prova objetiva e concreta? Voce tem quais qualificadções para renegar as informações de um dos maiores especialista de pesquiza clinica aplicada no Brasil? Fio Cruz e um laboratorio importante mas não está na linha de tratamento clinico direto!!!

JT8D
JT8D
3 meses atrás

Me impressiona a quantidade de médicos infectologistas, bioquímicos e doutores em microbiologia neste blog. Qual é mesmo o nome disso? Acho que é síndrome de Dunning Kruger …

Esteves
Esteves
Reply to  JT8D
3 meses atrás

Chama-se síndrome da internet. Ou, Coloca um internauta dentro de uma caixa não transparente. Dentro da caixa há um aparelho de TV e uma dose de cloroquina. A TV transmite a opinião de 323 infectologistas, 258 bioquímicos que quando descobrirem que somente há emprego e carreira dentro da USP cometerão o primeiro suicídio, e 424 microbiologistas. A cloroquina está ao lado da TV. O internauta tem duas opções. . Assiste a TV aonde os 1005 profissionais estão opinando diariamente sobre a lavagem das mãos e o uso de máscaras. . Toma a dose de 600 miligramas de cloroquina. As duas… Read more »

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Esteves,
Por favor , para de escrever besteira !

Esteves
Esteves
Reply to  Luiz Galvão
3 meses atrás

Não tem o que fazer nessa maldita quarentena.

Não consigo mais cozinhar…ontem estraguei uma picanha…fui obrigada a comê-la inteira…engordei 6 kg…hoje na GN descobriram que infecção urinária também é Covid…ontem foi a diabetes…o que será de amanhã?

Esteves
Esteves
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Ops…obrigada…até meu lado feminino tá brotando.

Saco.

Dalton
Dalton
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Mesmo ler “besteiras” inclusive as que eu mesmo escrevo ajudam a passar o tempo. Carry on Esteves ! 🙂

Esteves
Esteves
Reply to  Dalton
3 meses atrás

Mestre, Terminei de ler uma tese de pos graduação. Sobre o IPEN. Ajuda a entender o atraso que nos metemos nos últimos 30 anos. Falta de resultados. Falta de foco. Olha só. “O orçamento total do IPEN foi de R$ 76.973.000,00: 85% destinaram-se ao pagamento de pessoal…” “Outro fato recente e importante a ser realçado e que advém da política de contenção, começada no Govemo Collor de Mello e sustentada ainda no govemo de Femando Henrique Cardoso, é a perda dos nossos pesquisadores. Os desenvolvimentos das ciências e tecnologias nucleares se processam quase que exclusivamente na CNEN sede e seus… Read more »

rommelqe
Reply to  Esteves
3 meses atrás

EX-teves, vc le artigos para não tentar interpreta-los?

Esteves
Esteves
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Mestre…Mestre,

Não precisa de interpretação.

A gestão pública nesse país, os administradores públicos, os orçamentos públicos, está desse jeito.

Cada um que tire o que quiser.

Tacamos pedra na MB por comprometer o orçamento. Criticamos exaustivamente a MB pelas interrupções.

Pego uma leitura radioativa e…

Perco o sono.

rommelqe
Reply to  JT8D
3 meses atrás

Qualquer artigo e opinião publicada deve ser lida com atençao e interpretada mesmo por leigos, vc não acha? Ou vc sabe qual é a influencia da temperatura na palheta nas propriedades mecânicas do segundo compressor da sua turbina JT8D? Se voce le um artigo do Bill Gunston vc, leigo em turbinas, não se considera no direito e condições de falar a respeito e adotar o nome do aparelho que vc acha tão “bunitinho”.

Esteves
Esteves
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Essa é a internet.

Sociedade líquida do Bauman.

O trabalho de pós graduação do IPEN relata nas 500 páginas tudo ou parte de tudo que se posta aqui.

Ideologia. Ingerência. Insegurança. Dependência. Interrupções. Orçamentos comprometidos com o espelho. Ego. Esforço. Dedicação.

Ausências de políticas permanentes.

Uma pena.

Renan
Renan
3 meses atrás

Resolve o problema na base.
Pronto todos os militares da Marinha tem que ser aquartelado por 30 Dias. Neste período todos os navios devem ser limpos biologicamente.
Garantindo um ambiente saudável. E podendo todos as missões serem cumpridas.
Assim toda a logística deve ser prevista o aquartelamento de 30 dias antes da missão.

Garantia que o vírus não se espalhe e que a missão seja cumprida.

Ersn
Ersn
Reply to  Renan
3 meses atrás

Será que PLA/Navy suspendeu os treinos e exercícios?porque Taiwan tem certeza que não.Sera que se fosse em uma guerra com o conhecimento de várias perdas e mortes seria esse a regra ?

Nilson
Nilson
Reply to  Ersn
3 meses atrás

São situações totalmente diferentes, não tem como comparar. China e Taiwan têm um imbroglio, as guarnições podem estar infectadas que não vão deixar de fazer as missões necessárias. O Brasil não tem imbroglio algum nesse momento, ou seja, não é necessário, não é essencial. E nessa luta contra o corona somente deve ser assumido risco no que seja essencial. Assumir risco a mais é colaborar com o inimigo.

ersn
ersn
Reply to  Nilson
3 meses atrás

tropas da MB,FAB e EB bem que poderiam ser acionadas para aliviar a PM e outras forças auxiliares em missoes de proteção de zonas comerciais,implementaçao e fiscalização das ações de controle sanitario em rodovias e portos e o corpo de saude poderia ajudar os medicos civis ,alem das aeronaves e veiculos serem utilizadas para auxilio de trasporte e zonas de dificil acesso.

Nilson
Nilson
Reply to  Renan
3 meses atrás

Sim, Renan, essa pode ser uma medida. O aquartelamento com isolamento total da tripulação por 30 dias pode identificar se há contaminação ou não, antes de entrarem no navio.

rommelqe
Reply to  Nilson
3 meses atrás

Concordo com vcs, Nilson e Renan: e complemento, novamente, um critorioso programa de testes pode identificar aqueles que ja tenham sido contamindados e possivelmente estejam imunizados, tornando-so elegiveis para embarcar prioritariamente. Agora por que não embarccar hidroxicloroquina e azimutrina? Só o Uip pode se salvar? Conheço n médicos. Todos eles hoje estão utilizando este protocolo….

Nilson
Nilson
Reply to  rommelqe
3 meses atrás

Hidroxicloroquina e azitromicina podem ser embarcados, assim como existem em quase todos os hospitais. A decisão de utilizá-las fora do que já foi aprovado é unicamente do médico e do paciente, não há proibição. Só que não há certeza de que dará certo, então parece frágil colocar todas as fichas num tratamento que não está comprovado. Se o comandante embarcar com base na possibilidade de tratar com cloroquina e depois o paciente morrer, de quem é a culpa?? De quem é a imperícia?? O médico pode usar, mas não pode dar sequer um percentual de probabilidade de sucesso, pois ainda… Read more »

Jesus Baccaro
Jesus Baccaro
3 meses atrás

Estranho.
Militares com medo de uma “gripezinha”?!?
O que o “comandante supremo” diria disso?
Poderiam levar o presidente para dar uma palestra em alto mar.
O que acham?
Ele contaminou 24 pessoas em volta dele e até hoje não mostrou o exame.
Pode estar espalhando doença ainda.
Levem-no para passear de navio!

Esteves
Esteves
Reply to  Jesus Baccaro
3 meses atrás

Hospital não ganha copa do mundo.

Jesus Baccaro
Jesus Baccaro
Reply to  Esteves
3 meses atrás

Nem comprar navio usado ajuda no combate…ao corona virus!

Carlos Eduardo Oliveira
Carlos Eduardo Oliveira
3 meses atrás

Ainda bem que já estou na reserva (há 6 anos).
Uma preocupação a menos.
Obrigado, senhor!!