domingo, abril 11, 2021

Saab Naval

Navios da Marinha dos EUA assediados por barcos iranianos

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Embarcações da IRGCN conduzem interação não segura e não profissional com as forças navais dos EUA no Golfo Arábico

BAHRAIN — Em 15 de abril, onze barcos da Marinha da Guarda Revolucionária Islâmica Iraniana (IRGCN) conduziram repetidamente abordagens perigosas e de assédio aos navios USS Lewis B. Puller (ESB 3), USS Paul Hamilton (DDG 60), USS Firebolt (PC 10 ), USS Sirocco (PC 6), USCGC Wrangell (WPB 1332) e USCGC Maui (WPB 1304) enquanto os navios dos EUA realizavam operações de integração conjunta com helicópteros de ataque AH-64E Apache do Exército dos EUA nas águas internacionais no norte Golfo da Arábia do Norte.

Os navios da IRGCN cruzaram repetidamente as proas e popas dos navios dos EUA a distâncias extremamente próximas e a altas velocidades, incluindo cruzamentos múltiplos do Puller com um CPA (ponto de aproximação mais próximo) de 50 jardas e a 10 jardas da proa do Maui.

As tripulações dos EUA emitiram vários avisos via rádio passadiço para passadiço, cinco disparos curtos das buzinas dos navios e dispositivos de ruído acústico de longo alcance, mas não receberam resposta da IRGCN.

Após aproximadamente uma hora, as embarcações da IRGCN responderam às consultas de rádio, depois manobraram para longe dos navios dos EUA e abriram distância entre eles.

As ações perigosas e provocativas da IRGCN que aumentaram o risco de erro de cálculo e colisão, não estavam de acordo com a Convenção internacionalmente reconhecida sobre o Regulamento Internacional de Prevenção de Colisões no Mar (COLREGS) “regras de trânsito” ou costumes marítimos internacionalmente reconhecidos, e não estavam em conformidade com a obrigação do direito internacional de agir com o devido respeito pela segurança de outras embarcações na área.

A Marinha, a Guarda Costeira, os Fuzileiros Navais e o Exército dos EUA realizam operações conjuntas de interoperabilidade no Golfo da Arábia do Norte desde o final de março.

As forças navais dos EUA continuam vigilantes e são treinadas para agir de maneira profissional, enquanto nossos oficiais comandantes mantêm o direito inerente de agir em legítima defesa.

FONTE: US Naval Forces Central Command

- Advertisement -

109 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
109 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO

Estão fazendo a mesma coisa que os Estados Unidos ou qualquer outro país fariam se tivessem barcos de guerra perto da sua costa. A diferença ai é que um odeia o outro!

Sincero Brasileiro da Silva

Enquanto isso a torcidinha dos “senhores da guerra” fazendo figa para eles chegarem as vias de fato…

DOUGLAS TARGINO

Exatamente, existe uma torcida ai para cada lado, mas ao meu ver, os dois estão completamente errados!

Cláudio Silvestre

Caro Douglas, Bom dia.
Onde está o erro? Pelo que entendi da matéria, caso ela estiver correta e sem ideologismo, as águas ali são internacionais e existe regras para o uso.

ALISON L C SILVA

O erro esta em quem nao respeita nenhum tipo de legislação internacional ou acordo reclamar quando o outro não cumpre… Ficou claro agora?

Dalton

Não se trata apenas de torcida, os EUA tem aliados no Golfo Pérsico inimigos do Irã e além do mais é de suma importância para o mundo todo que as linhas de navegação permaneçam abertas e só se faz isso
através de forças militares.

Sincero Brasileiro da Silva

Concordo plenamente Douglas!

Leandro Costa

Águas internacionais são exatamente isso: Internacionais. Se o Brasil quisesse, poderia estar fazendo exercícios por lá numa boa e totalmente amparado pelo direito internacional, da mesma forma que os EUA faz. Os Iranianos agiram irresponsavelmente.

Saldanha da Gama

Tem que ter muito equilíbrio emocional, calma de um monge para não sentar o dedo… Afinal não são Águas internacionais? ou a mesma pode ser reivindicada?

Leandro Costa

Não. São águas internacionais mesmo. Todo mundo pode reinvidicar o que quiser, mas o resto do Mundo aceitar, aí são outros quinhentos. É bom lembrar também da ‘linha da morte’ traçada pelo Kadaffi no Golfo de Sidra que chegou à ocasionar alguns incidentes, e a Líbia ficou faltando dois Su-22 e dois MiG-23 por causa disso, por exemplo. E sim, tem que ter um tanto de sangue frio e muita atenção para não agravar a situação. Exatamente nessas horas que aqueles erros que sempre podem acontecer, podem fazer um acidente descambar rapidamente para incidente. E as consequências disso podem ser… Read more »

Cristiano de Aquino Campos

Pela sua lógica esta correto. A China e a Russia podem mandar grupos de batalha próximos de nossa costa e não temos o direito de mandar um P-3 dar uma olhada.

Leandro Costa

Não. Leia o que eu disse. São águas internacionais. Eles podem mandar um grupo de batalha para cá sim, e podemos mandar o que a gente quiser para dar uma olhada até bem de perto. Podemos cruzar o caminho deles se obedecermos as regras internacionais de navegação e tudo. Mas não podemos é ser imprudentes nesse tipo de acompanhamento. Se a intenção é mostrar que estamos de olha, a presença à uma distância segura é mais do que o suficiente. Ficar dando voltas com embarcações menores e ficar assediando os navios de maneira insegura, isso é que não pode, e… Read more »

Conan

Se pra você 200 milhas náuticas (360 km)são próxima a nossa costa então ta bom. Quanto ao P-3 poderia ir dar uma olhada sim sem problema, afinal os tais grupo de batalha estariam em águas internacionais.

Cristiano de Aquino Campos

Para marinhas que tem misseis de cruzeiro com 2000km de alcance, e sim.

Cristiano de Aquino Campos

Detalhe, qual e a distância ali para águas internacionais?
Se for 200 milhas tambem, aquelas lanchas vão tão longe assim?

Leandro Costa

Seriam 12 milhas náuticas, não?

Joao Moita Jr

Lord Rothschild está com água na boca…

Eduardo Barbosa da Cunha

Os EEUUs devia ter afundado todos. Já passou da hora. Estão provocando achando que a China e a Rússia vão sair em sua defesa. Os EEUUs com um orçamento militar anual de 1,5 trilhão de dólares não tem páreo pra eles. O Irã só tem 6 Bilhões de dólares anuais. São uns fanáticos idiotas. A China que se cuide. Os EEUUs depois deste virus chines, devia lançar uma bomba atômica e outra em Shangai, para detonar, pelo menos, 300 milhões de chineses. Estou torcendo.

rui mendes

Pois e por essa ordem de ideias, a China respondia da mesma forma.

Kemen

Aquelas lanchinhas voariam em pedaços se usasem o canhão automático da belonave , elas so tem metralhadoras. Ridiculas essas aproximações com lanchas de vigilancia de litoral, uma coisa é observar a outra achar que estão em posição de ameaçar com aquilo.

Fabio Araujo

Não estão fazendo! O que deveriam fazer era se aproximar e ficar acompanhando há uma distância segura enquanto os americanos estiverem próximos de suas águas territoriais. Ao tomar uma atitude agressiva dessa pode provocar um acidente ou até mesmo uma reação agressiva dos americanos para se defender.

Paulo

Se realmente aconteceu em área marítima internacional, os barcos iranianos violaram as regras de navegação segura.

Veiga 104

Perfeito. Se qualquer país fizer manobras militares próximo a costa americana imagina o que acontece.

Marcos R.

Eles vão escoltar a manobra com uma força naval superior, mas sem precisar infringir as normas internacionais de navegação.

João Gabriel

Mas os EUA podem, o Irã não…

Italo Souza

Não vi tanto perigo, com certeza foi uma provocação, só manter a calma e fingir que não viu, se brincar demais passa por cima, simples assim, igual a F1 manter o curso escolhido e deixa seu adversário escolher o futuro dele.

O mundo parece que nessa última semana está sedento por guerra.

Fabio Araujo

As lanchas passaram bem perto da proa do navio que pela pintura parece ser da guarda costeira americana e um erro de cálculo poderia ter ocorrido uma colisão e uma lancha afundar, aí começariam as acusações com os dois lados se culpando do acidente.

Ricardo Bigliazzi

Não mesmo, recomendo leitura dos principais jornais do Mundo,

Victor F.

Pelo seu comentário, você deve ter uma ampla experiência no comando de navios grandes, de corvetas pra cima, não? Afinal, com toda desenvoltura compara um carro de menos de 800 Kg com um navio muito mais pesado e que desloca sobre um fluido.

Cláudio silvestre

Águas internacionais meus amigos, condução perigosa fora das convenções. Isto quer dizer provocação pura.

Dalton

Nada de novo…achei mais interessante ver o imenso “Lewis Puller” navegando, inclusive
com novas qualificações de pouso com “Apaches”.

Pedro Rocha

Mestre Dalton saudações ! Eu também admirei o “Puller”. Aproveitando da sapiência do mestre, esse navio de apoio também transporta combustível? Para não fugir do tema: A turma dos “States” devia aproveitar a provocação e fazer voos rasantes com os “Apaches”. Aposto que os Persas sairiam voando da área! (rs)

bit_lascado

Talvez sejam isso que os iranianos queiram, medir o tempo de reação dos Apaches

Dalton

Saudações Pedro ! Acredito que sua pergunta tenha a ver com o fato dos 2
“ESDs” e dos 3 “ESBs”, um deles o “Puller” serem baseados nos petroleiros
classe Alaska, mas, até onde sei, todos eles embarcam combustível apenas
para aeronaves e embarcações como os 3 hovercrafts que podem ser embarcados e lançados dos 2 “ESDs”.
abs

Matheus Santiago

É o novo rumo que a USN está tomando, os ESBs, eram anteriormente navios não combatentes sob a administração do Comando Militar de Transporte Marítimo. Eu vou ser cético a ponto de dizer que a USN está comissionando os navios para aumentar artificialmente a contagem de navios da frota.

Antes do comissionamento, esses navios eram limitados para operações defensivas, e após o comissionamento agora tem uma maior flexibilidade de apoiar operações militares, principalmente em áreas do Oriente Médio.

Augusto L

Não precisa ser cético, eles ja admitiram que estão fazendo isso mesmo.

Matheus Santiago

Foi o que eu percebi, Augusto L. Eu achava que a metodologia depois do fracasso de incluir os Navios Hospitais – como o Dalton exemplificou abaixo – na frota voltaria à contagem normal, errei profundamente.

Dalton

Também já pensei nessa “artificialidade” Matheus, mas, ao mesmo tempo os “ESBs” nasceram a partir do USS Ponce, um “LPD” classe “Austin” que ao invés de ser descomissionado foi modificado para servir alguns anos mais como um “ESB” provisório, atuando na potencialmente letal área da V Frota, com uma tripulação híbrida, assim retendo o prefixo USS. . Os “ESBs” devido às missões e teatros de operações para os 3 primeiros, V, VI e VII Frotas respectivamente, mereceram essa “promoção” de USNS para USS, mas, onde vejo uma “artificialidade” maior é com relação aos 2 “ESDs” que foram incluídos no inventário… Read more »

Augusto L

Na nova lista enviado do executivo ao congresso, eles colocam navios auxiliares como parte da força de combate uma grande parte seriam drones.
Não me recordo se foi no final de 2019 ou inicio desse ano.

Dalton

Verdade Augusto, provavelmente veremos mudanças na forma de como a US Navy contará suas unidades no futuro, talvez, como já sugerido, apenas “drones grandes” sejam incluídos.

Matheus Santiago

Correto Dalton. A reforma de contagem dos navios da frota iniciada por Ray Mabus, ao meu ver estava em desuso total, tanto por militares quanto pelo Congresso. Eu me lembro de que o Congresso avalia de forma diferente da metodologia de Mabus, pela forma como Lehman criou ainda na década de 80. Portanto, achava que essa artificialidade não estava sendo mais aceita no método de contagem de navios, mas creio que deva continuar por conta de motivos políticos e a USN não poderá fazer nada quanto a isso. Infelizmente.

Ricardo Bigliazzi

Esses barquinhos iranianos parecem “Chihuahuas” rosnando para um “PitBull”. OBS.: Ontem dei uma busca no London Times, NY Times, no Corrieri de la Serra e não vi nenhuma “super crise” no Sudeste Asiático, nem no Janes Defense se fala da movimentação Chinesa ou mesmo desses barquinhos iranianos… fala-se até do novo sistema de armas russo PRS-1M (anti balístico… acho que seria uma ótima matéria por aqui) mas nada de extraordinário estaria acontecendo junto a China. Nem no Le Figaro é citado alguma coisa. Sobre a China apenas uma resposta mal educada ao Embaixador da China que fica falando asneiras na… Read more »

Augusto L

Se fosse no Brasil, O Globo ainda colocaria o embaixador chines para dar sua opinião de fake news em artigos de opinião como se fosse um editorial.

Ops, eles fizeram mesmo. Yang Wanming tem uma coluna no O Globo.
Pra voces verem a corja de jornalistas que temos

rui mendes

Interessante como pessoas que até parecem saber pensar por si, e informadas, mas continuam desculpando e apoiando discursos cheios de falsidades e irresponsáveis, como o de Trump e o do seu fan, Bolsonaro.
E atacam os jornalistas que lhes desfazem a narrativa mentirosa, como a Globo, e na América todos menos a domesticada fox news.

Augusto L

Eu não tenho culpa se a mesma tem como colunista o embaixador chinês que escreveu um artigo no globo defendendo que foi os EUA que trouxe o virus para China.

Augusto L

Você tem noção disso ? O jornal tem um embaixador estrangeiro de uma nação que tentar controlar nossa política nacional em seu jornal.

Carlos Gallani

Não tem coisa mais chata que aquelas moscas que não vão embora!

Antoniokings

Só que as moscas estão vindos de diversos lugares.
E parecem ser as terríveis tsé-tsé que vão levar os EUA a um sono profundo e eterno.
Olho vivo!.

Jonatan

Ha ha ha! Faz me rir chings! Sem o apoio da Rússia, o Irã sucumbiria em semanas! Vide o caso do avião ucraniano! Sua torcida anti USA está te deixando louco!

nonato

Não está deixando louco.
Faz de propósito.
Logicamente depois de muito doutrinamento…

samuel

As moscas podem até perturbar ou causar alguns danos mas logo sentiram o peso do inseticida ocidental.

JORENE

Fiquei impressionado com a demonstração de força da poderosa esquadra iraniana. kkkkkkk

Leandro Costa

Bem… pelo menos uma coisa de boa podemos falar dos Iranianos. Eles não tem a mesma expertise em navegação que os Venezuelanos hehehehehe 😛

100nick-Elã

E o poder de atacar bases norte-americanas, matar mais de 100 soldados e danificar inúmeros equipamentos de alto valor e o que faz os EUA? nega, claro. Para depois admitir, em notas de rodapé.

Antoniokings

E aguarde que em outubro acaba o embargo à venda de armas ao Irã.
China e Rússia vão fazer a festa, para desespero de americanos e israelenses.

Ricardo Bigliazzi

Vai entender… que medinha da China e da Russia de já não ter vendido algumas centenas de bilhões de dólares de armamento para o Irã… medo de um papel????

Ricardo Bigliazzi

Entendi… talvez seja medo de uma retaliação maciça no bolso… isso ainda pode acontecer… principalmente agora em tempos de COVID onde a economia interna será fomentada para suprir as necessidades do Pais

Tadeu Mendes

Kings,

A segunda onda da pandemia do Covid-19 já deu a largada em Harbin.

O Iran está sendo atacado pêlo vírus. A coisa tá fêia para o Iran.

Leandro Costa

Eu fiz piada e atraí alucinados. Da próxima vez fico quieto.

Mas eu tenho uma suspeita sobre esses dois. Com certeza estavam na cena de abertura de ‘Corra que a Polícia Vem Aí’ naquela reuniãozinha legal!

Leandro Costa

Não sei por que o Irã compra armamento externo. Eles já tem esse super stealth sinistropower!

comment image?itok=xJjYrAzl

É tão sinistro que deve ter até toca-fitas blaupunkt!!!

Johan

Você atraiu os arautos do caos. Tudo que é ruim ou errado apoiam. Aposto que eles tem o mesmo pensamento de Márcia Tibure sobre o assalto: “é uma forma de transferência de renda”.

Leandro Costa

Com certeza. Mas com afinco e dedicação, sei exatamente quem anda passando planos de aeronaves Stealth para o Irã:

comment image

DESTRO!

Guizmo

Cara, eu tive esse brinquedo…….saudades

Joao Moita Jr

Prefiro ir aqui…

https://www.taigentanks.com/

Leandro Costa

Pffff! Esses equipamentos ultrapassados não chegam aos pés do que o Destro pode suprir para os iranianos!!

Apesar de que eu pessoalmente gostaria de ter alguns desses aí 😛

Marcelo R

Marinha do Iran, com lancha de fibra de 35 pes, branquinha com metraca .50 . Isso não e marinha, e uma comedia…

Ricardo Bigliazzi

Cachorro Pinscher contra Doberman

nonato

Mas eu gostaria que tivéssemos muitas lanchas dessas.
Para patrulhar rios da Amazônia e até mesmo para patrulhar a costa e proximidade de portos.
São muito velozes, ágeis e tem armamento melhor do que alguns opvs.

XFF

Marcelo R….
Era essa comédia que eles falavam até os soldados do Tio Sam receberem mísseis balísticos na cabeça em janeiro.

Leandro Costa

Não sabia que a Marinha Iraniana tem navios ou submarinos lançadores de mísseis balísticos…

Mattos

Que o Irãafunde em suas próprias besteiras

carvalho2008

São lanchas muito pequenas e manobraveis, não teve perigo algum.

fosse um navio vá lá…não faz curva tão rapido…mas estas ai se fosse assim, não poderiam chegar perto nem no litoral de Ubatuba tantas que tem lá…

Leandro Costa

Pois é, mas imagina que uma delas perde o controle por barbeiragem total de que estivesse no leme e ela se choca com o casco de um navio americano qualquer daqueles? Os danos seriam ínfimos, mas quem se eu me lembro do USS Cole, eles com certeza se lembram mais ainda. Qual seria a reação da tripulação? Teriam dedo nervoso ou deixariam rolar? É brincadeira que não deve ser feita.

Luís Henrique

Sim. E se uma das lanchas está sem tripulação, operada por controle remoto e cheia de explosivos??? da para colocar muito mais explosivo em uma lancha daquela do que em um Exocet, por exemplo… Ai o Destroyer americano afunda, o Irã diz que foi um acidente provocado pelos EUA, que entraram na frente da lancha e que nem deveriam estar lá. Ai os EUA entram em guerra ou acusam o Irã e não entram em guerra. Quem ganha com isso? Não sei. Mas com certeza, os marinheiros do destroyer ficam nervosos com essas situações justamente por não saberem os reais… Read more »

Davi

Vida curta ao Iran!

Davi

*Irã

Luiz Floriano Alves

O Ira e suas armas misteriosas. Bem que pode querer colocar um torpedinho, sob a quilha de uma destas voadeiras e tá feita a porcaria.

Rodrigo Martins Ferreira

Desculpem a pergunta de quem n entende PN de navios..

Se o barquinho assediador, bater em um navio destes. Os danos serão grandes ?

Não é mais provável o barquinho afundar ?

Parece pinscher tentando montar em Dog Alemão..

Vinicius Momesso

Se for um barquinho kamikase recheado de explosivos, aí já era…

Carlos Gallani

Sem explosivos nada faria, dependendo da quantidade de explosivos sim mas a proporção teria que ser muito maior que um torpedo ou um míssil pois o primeiro detona abaixo da linha d’água o que potêncializa a explosão é o segundo é projetado para explodir dentro do navio, é a história de estourar uma bombinha com o punho cerrado ou de mão aberta!

Haroldo A Fiocco

Engraçado que a “Guarda Costeira Americana” está patrulhando beeeeeemmmmm longe da costa Americana. Heheheh

Rodrigo Martins Ferreira

A USCG não se restringe a Costa Americana…

Leandro Costa

A USCG atua aonde tiver americanos em grande quantidade. É bom lembrar que ela esteve presente no Dia-D.

Victor F.

Tem alguns foristas aqui que tem um sentimento anti-ocidente tão agudo que se fossem da FEB na época daquela guerra dariam um jeito de bordar uma estrela vermelha na farda e serem despachados para o front russo. É cada uma…

Adriano Madureira

Normal, eles se acham guardiões da galáxia…

samuel

Amigo se não fossem eles seriam outros, talvez a China ou a Russia.

nonato

Se não fosse eles talvez hoje em dia você falasse alemão, russo ou árabe.
Se bem que alguns até gostariam de andar Barbados com um ak 47 nas costas e algumas granadas no corpo em defesa da liberdade…

Fairline

Qua patético esse Iranianos.

OSEIAS

Quer saber mesmo, se eu sou os americanos eu faria igual aos russos naquele encontro com os mesmo, ficava só de sunga tomando sol kkkkkkkkkkk

Caravaggio

Nada diferente do q os EUA fariam em sua costa. O Golfo do Mexico e o Caribe tbém são águas internacionais, imagine os iranianos desfilando suas fragatas por lá.

Leandro Costa

Não sei quanto à eles, mas ‘traineras’ russas são visitantes frequentes à costa americana e isso não acontece.

samuel

Caravaggio
Acredito que seriam navios com poder de fogo a altura e agiriam prudentemente não violando as regras internacionais da navegação.

Dalton

Os iranianos faz alguns anos tem mencionado que enviarão navios de guerra à
costa leste dos EUA, mas, aparentemente até o momento não enviaram
nenhum e seria patético o envio, não apenas por não representarem nenhuma ameaça e sim porque não haveria nada de concreto para ser feito por lá.
.
Navios da US Navy e de outras marinhas estão no Golfo Pérsico e no Mar Arábico para manter abertas as linhas de navegação tão importantes, combater a pirataria e mostrar aos aliados da região, alguns dos quais, inimigos do Irã, comprometimento e apoio.
.

Marcos R.

Dalton, que eu me recorde, da última vez que os iranianos tentaram se aventurar fora do golfo voltaram rebocados da costa da África.

Marcos10

Depois acontece algo grave.
Coisas essas desnecessárias.

MARCIO MESSIAS SOARES

mete bala e deixa a abobora lastrar

Augusto L

Nessas horas armamentos defensivos não-kineticos como lasers e pulsos micro-ondas são essenciais.
Daria ao grupo a capacidade de responder a altura as provocações iranianas sem iniciar uma guerra.

Augusto L

Acho que se pudesse os editores poderiam fazer uma matéria mais técnica ein.

https://www.thedrive.com/the-war-zone/33018/modern-submarine-torpedo-attacks-are-nothing-like-what-you-see-in-the-movies

Achei super interessante esse artigo sobre torpedos modernos, não sabia que havia torpedos “vadiadores” e que ha diferenças na propulsão dos mesmos (elétrica e a combustão).

Orivaldo

Isso me fez lembrar, em dias quentes quando estou me preparando pra dormir, que me aparecem pequenos pernilongos fracos e irritantes

Angelo Chaves

Brincadeira perigosa essa viu…

Thiago

Desconheço esse golfo da arábia do norte. Não será o Golfo Persico ?

Mgtow

Um enxame dessas lanchinhas aí, dá para causa danos gravissimos a qualquer strike group. E o Irã tem esse enxame

Dalton

Um “Strike Group” eventualmente pode entrar no Golfo Pérsico para dar um descanso a tripulação no Bahrein por exemplo, mas, sente-se muito mais à vontade no Mar Arábico, principalmente agora onde a situação com o Irã está mais tensa e se tem buscado aportar no Omã fora do Golfo, então, o “enxame” teria pouca utilidade.
.
E o USS Paul Hamilton DDG 60, por exemplo, não está fazendo parte nem do “Strike Group” do “Eisenhower” nem do “Truman”, tendo partido de San Diego
em missão independente em janeiro último.

Airacobra

Nada que umas mechas não resolvessem

André Luís

Off topic: Projeto Lider (destróier russo) e fragata Goshkov M (proj. 22350M) SUSPENSOS INDEFINIDAMENTE.
https://topwar.ru/170371-raboty-po-jesmincu-lider-i-fregatam-proekta-22350m-priostanovleny.html

Fabio Araujo

Olha a bronca:

Donald J. Trump
@realDonaldTrump
I have instructed the United States Navy to shoot down and destroy any and all Iranian gunboats if they harass our ships at sea.
https://twitter.com/realDonaldTrump/status/1252932181447630848

Leandro Costa

Vim postar justamente isso.

Link do Washington Times que diz basicamente a mesma coisa:
https://www.washingtontimes.com/news/2020/apr/22/donald-trump-tells-us-navy-shoot-down-and-destroy-/

ALISON L C SILVA

Muito facil quem nao respeita tratados e acordos internacionais reclamar quando o outro para de cumprir tb…

Tadeu Mendes

O presidente Trump mandou a USN abrir fôgo na próxima vêz.

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

Sea Dragon 2021: Exercício ASW multilateral entre os EUA e nações parceiras

De 14 a 28 de janeiro, Índia e Japão se juntarão ao 'Sea Dragon 2021', exercício de guerra antissubmarino...
- Publicidade -
- Advertisement -