Home História Honra, Comprometimento & Patriotismo

Honra, Comprometimento & Patriotismo

6893
65

O pai do Vice-Almirante NORIAKI Wada, atual Diretor do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, que era um jovem aviador naval na Marinha japonesa, na Segunda Guerra Mundial, e voluntariou-se para ser kamikaze.

Deu tanta sorte que a guerra acabou e ele não foi designado para a sua última missão e viveu para contar a história.

Anos depois, já aqui no Brasil, escreveu duas cartas para serem abertas após sua morte: uma na qual contava sua vida para os filhos, e outra na qual pedia aos filhos que jogassem parte dos seus cabelos e das suas unhas no Pacífico, pois lá perdera todos os melhores amigos de sua juventude.

Depois do enterro, somente, as cartas foram abertas e os filhos “ficaram na onça”: como atender os desejos do amado pai se ele já havia sido enterrado?

Por sorte, encontraram um cortador de unhas, que tinha anexo um despenser com alguns pedaços de unhas, e alguns fios de cabelo do velho marinheiro aeronaval foram encontrados na sua escova.

Colocaram tudo num envelope e combinaram que o primeiro que fosse ao Pacífico levaria os restos para lá serem sepultados, como desejava o amado pai.

Acontece que Noriaki, na época Comandante da Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco, em Olinda, recebeu um grupo-tarefa da esquadra japonesa, que estava em viagem passando pelo Brasil e aportou em Recife.

Contando a história de seu pai ao consul japonês e, com ele, ao comandante do navio, este prontificou-se de imediato a lançar os restos ao mar, conforme era o desejo manifestado pelo pai do então Comandante Noriaki.

Quase um ano depois, Noriaki recebeu as fotos da cerimônia realizada pela Marinha japonesa, no Pacífico, com parada naval, formatura geral em uniforme de cerimonial, guarda de honra e salvas, tudo em respeito a um militar que lutou pelo seu país, e estava pronto às últimas consequências em defesa da sua pátria.

FONTE: Redes Sociais

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JT8D
JT8D
2 meses atrás

Confesso que fiquei emocionado

smichtt
smichtt
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Eu também.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Somos 2

Flávio Lúcio Feijó
Flávio Lúcio Feijó
Reply to  Willber Rodrigues
28 dias atrás

Bonita homenagem prestada a este kamikaze. Parabéns à Marinha do Japão

Cristiano
Cristiano
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Me arrepiei com a história. Ele teve uma honra que jamais imaginou que teria

J L
J L
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Eu também fiquei emocionado pela história e pelas honras prestadas a um veterano depois de mais de 70 anos do final da 2ª GM

GILBERT
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Parabenizo a Marinha Japonesa e eu fui as lagrimas com o relato. Não tem nem como descrever não existe palavras para descrever tal sentimento.

JOELSON
JOELSON
Reply to  JT8D
2 meses atrás

Vapo… arrepiou tudo aqui! Que história, que respeito!

Corsádio-DF
Reply to  JT8D
2 meses atrás

São esses aspectos que eu respeito em uma verdadeira Nação. Realmente emocionante.

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
2 meses atrás

Bonita historia….me arrepiei…

Walter Moraes
Walter Moraes
2 meses atrás

Caiu um cisco aqui no meu olho…

Marcos10
Marcos10
Reply to  Walter Moraes
2 meses atrás

Encheu de cisco aqui.

Flamenguista
Flamenguista
Reply to  Walter Moraes
2 meses atrás

Meu avô lutou na Nichiro Senso, guerra entre Russia e Japão. Um cisco em cada olho…

Tupinambá
Tupinambá
2 meses atrás

Que história maravilhosa.

pangloss
pangloss
2 meses atrás

História muito merecedora de um filme.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Os heróis tem que ser valorizados e honrados, precisamos de mais notícias deste tipo. Me dói ver essa onda de revisão histórica acompanhada de vandalismo de estatuas.

JT8D
JT8D
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

Verdade Fabio. As pessoas tiram os acontecimentos históricos de seu contexto. Aqueles que deram sua vidas por suas pátrias não podem ser desprezados

Kemen
Kemen
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

É a ignorancia sobre a historia real, livros que fantasiam irrealidades denegrindo os heróis em busca do lucro nas vendas, uma parte da midia atual segue esse caminho, uma pena. O respeito pelo que fizeram, a honra e a devoção aos ideais em defesa da pátria nunca devem ser esquecidos, seja onde for.

Roger
2 meses atrás

wow emocionante!

Osvaldo Marcilio Junior
2 meses atrás

Maravilhoso, uma bela homenagem, agora o “Velho Combatente” descansa ao lado dos seus Irmãos na vastidão do Pacífico!!!

ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
2 meses atrás

Que história linda!

João Bosco
João Bosco
2 meses atrás

fiquei emocionado com essa…….

Francisco Braz
Francisco Braz
2 meses atrás

Este foi poupado para reconstruir o Japão, assim como uns poucos outros. Não ficou no Japão, mas enriqueceu este país com valores que já são poucos a valorizar.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Francisco Braz
2 meses atrás

Essa ligação com o Brasil e a carreira do almirante Noriaki enriquecem a nossa própria história. A Marinha do Japão deu mostras do que uma marinha de tradição e honra faz por seus heróis. BANZAI!

J L
J L
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 meses atrás

BANZAI !

Jagderband#44
Jagderband#44
2 meses atrás

Fiquei arrepiado!!!
Que história!!!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 meses atrás

O Vice Alte Noriaki é irmão do Cel Av R1 Kaneaki, da minha turma. Em 1992, servíamos na AFA como instrutores de vôo, e participamos dos Portões Abertos do PAMASP, no Campo de Marte, eu com um T-27 e ele com um T-25. Fomos à residência dos pais do Kaneaki, onde almoçamos e tive o privilégio de conhecer o seu pai. Durante o almoço, regado a sakê, ouvi as histórias da Segunda Guerra e da aviação naval japonesa, com direito a fotos do arquivo pessoal. O pai dele dizia que o T-27 lembrava o Shindem. Foi uma oportunidade memorável. Ano… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Legal ouvir a história de alguém que lutou do lado contrário, na sua casa e tudo na completa amistosidade, vc teve um momento incrível, que inveja

Requena
Requena
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Muito legal ler esse relato.

Sensacional a homenagem da Marinha japonesa.

Vi isso no Facebook.
O olho chega a arder de vontade de chorar… 😀

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Ainda bem que tive a oportunidade, de ler isso.

Fred
Fred
2 meses atrás

Bela homenagem.

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
2 meses atrás

Lindo e honroso, digno das mais altas tradições navais.

Jagderband#44
Jagderband#44
2 meses atrás

Homens de valor.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Caiu um cisco no olho por aqui…

Carlos
Carlos
2 meses atrás

Linda história. No meu ensino médio, tive uma colega cujo avô tinha sido tripulante de um dos porta-aviões japoneses na Segunda Guerra, lembro-me muito bem do velhinho.

Italo Souza
Italo Souza
2 meses atrás

Isso que é respeito a um militar que lutou por sua nação.

Meu bisavô por parte de minha avó materna lutou a WWI e meu bisavô por parte de avô materno com alguns dos filhos lutou a WWI e logo depois alguns dos filhos incluindo meu avô lutaram a WWII.
Meu bisavô por parte de pai lutou a WWI pelo lado alemão.

Confesso que me emociona essas histórias de reconhecimento aos combatentes.

Last edited 2 meses atrás by Italo Souza
Âncora
Âncora
2 meses atrás

Emocionante mesmo.

Carvalho2008
Carvalho2008
2 meses atrás

Honra!!!

Muito emocionante!

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

“tudo em respeito a um militar que lutou pelo seu país, e estava pronto às últimas consequências em defesa da sua pátria”.

Como não se emocionar ?…. impossível

JANICE ROMAGUERA TROTTE DUHA
2 meses atrás

E o que me parece importante: se a missão do honrado patriota japonês (a quem dedico muito respeito!!) tivesse sido levada a termo, hoje, não contaríamos com o BRILHANTISMO do VA Noriaki, na nossa MB!

Nilson
Nilson
2 meses atrás

Parabéns ao Naval por ter divulgado história tão bela e interessante.

BRUNO CORREIA
2 meses atrás

Realmente Emocionante.

A ultima foto ficou linda também, lembrando a bandeira do sol nascente.

Dalton
Dalton
2 meses atrás

Não deixa de ser paradoxal. De um lado um governo tirano que não se importava com a vida de seus jovens que entrou em uma guerra esperando que fosse de curta duração, cometeu muitos excessos e massacres e de outro lado, jovens corajosos e abnegados dispostos a sacrificar-se de forma violenta mesmo com pouca esperança de mudar o resultado.
.
História comovente, merecedora de admiração e que deixa familiares e o novo Japão orgulhosos.

Kemen
Kemen
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Dalton, me desculpe colega, mas excessos e masacres se encontram em todas as guerras, e não podem ser imputados a uns e outros a não ser que sejam julgados e com provas indicar os culpados executores ou mandantes (exemplo – tribunal de Nuremberg), de resto fica nossa pura interpretação ao sabor das opiniões. Por exemplo, bombas atomicas na população civil não foram masacres desnecesarios? Ai sairam mil e uma justificativas… como em todas as guerras…

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Dalton
Dalton
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Não se desculpe Kemen, apenas ” lemos livros diferentes” e chegamos a conclusões diferentes. . O Japão não passou a ser tão odiado na Ásia a toa. Coreia, Indochina, Filipinas, China, etc, todos contam o que se passou. O tratamento dado a prisioneiros de guerra ou a náufragos após o navio ter sido afundado também fez parte de minhas leituras. . Todos cometeram excessos, mas, o Japão parece ter cometido bem mais e quanto as bombas atômicas, elas não foram simplesmente jogadas na população civil, havia alvos de importância militar em ambas as cidades e se não fosse uma bomba… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Tudo bem, tal como comentei anteriormente, justificativas sempre existem. Sem posicionamento algum, sera que todos os vencedores de todas as guerras sempre foram os bons e os perdedores foram sempre os malvados, é para se pensar um pouco, não me refiro a nenhuma guerra ou conflito em especial, mesmo porque nesse caso nos fizemos a guerra ao lado dos aliados na Europa. A guerra nos Balcans, a primeira guerra mundial, a guerra do Vietnã, a guerra da Criméia, a guerra entre a Russia x Japão, as guerras da ocupação inglesa da India, as guerras da ocupação francesa da Indochina, as… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Kemen
Dalton
Dalton
Reply to  Kemen
2 meses atrás

Sim Kemen, acredito ser possível separar o joio do trigo. . Excessos ocorrem na forma de exceções ou como via de regra e no caso do Japão foi uma regra e meu comentário que você replicou é sobre o Japão x EUA, então não cabe analisar todas as demais guerras da humanidade. . Você não encontrará nada similar feito pelos EUA ao chamado “Estupro de Nanking” e o Massacre de Zhejiang/Jianxi, que resultaram na morte de centenas de milhares de homens, mulheres e crianças. . A lista é enorme e abrange muitas outras nacionalidades, além da chinesa, mas, além disso,… Read more »

ATUSHI NISHIKAWA
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Não estamos aqui discutindo aqui o certo e o errado da guerra, estamos prestando uma homenagem a um militar que estava disposto a dar a vida pela patria. Quanto a sua visão de governo tirano que não se importava com a vida dos jovens, tem que examinar dentro do aspecto cultural do povo japones. nenhum desses jovens foram pressionados a serem kamikazes ou se alistarem para a guerra (sempre tem exceção é claro) a maioria esmagoradora dos kamikazes, foram de voluntarios em defesa da honra e da patria. Eu perdi um tio precocemente, como piloto de kamikase, mas conta a… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  ATUSHI NISHIKAWA
2 meses atrás

O que você está discutindo na verdade é se meu comentário foi pertinente ou não e continuo achando paradoxal que de um lado houvesse um governo capaz de cometer tantas barbaridades e querer comprometer toda a população em um banho de sangue sem fim e do outro, jovens abnegados dispostos a morrer por isso, os “Kamikazes”. . Essa questão “cultural” de samurais, Bushido, até entendo, por conta do meu interesse pela marinha imperial e fez parte da minha monografia, mas, não justifica os massacres perpetrados pelo Japão estes sim, não são motivos de orgulho. . E se levei esse assunto… Read more »

ATUSHI NISHIKAWA
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Caro Dalton, alegro-me por seus interesses na cultura e historia japonesa. Tem muitas coisas que são muito dificeis de explicar e entender como funciona uma cultura milenar. O Japão do pós-guerra foi um dos países que mais se ocidentalizou externamente, mas internamente sempre mantiveram as tradições e os costumes.Se o Japão recebeu um tratamento especial na rendição incomum aos derrotados, não foi porque os americanos foram “bonzinhos” . Como ainda mantiveram o Imperador e sua descendencia livres e seguindo com seu reinado, que aliás continua até hoje.? Tem muita historia a ser averiguada. Gostaria de finalizar dizendo que o artigo… Read more »

José Luiz
José Luiz
2 meses atrás

Impressionante fui abatido pela emoção.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 meses atrás

Baita emoção. Que o guerreiro Samurai esteja descansando em paz.

JBorges
JBorges
2 meses atrás

Respeito!! Que respeito pela memória de seus compatriotas, por aqueles que se dispõem a dar sua vida pela pátria!
Emocionante!

USP
USP
2 meses atrás

Também fiquei muito emocionado! Exemplo para nossa nação!

Rico Zoho
Rico Zoho
2 meses atrás

Caramba, não sei nem o que dizer. Fiquei super emocionado.

Bitten
Bitten
2 meses atrás

Se não me engano foi o poeta Heinrich Heine que escreveu que “das guerras restam soldados e prédios, arruinados, que não tiveram culpa se as guerras aconteceram”. Me parece que esse trecho é de “Alemanha, um conto de inverno”. Embora com tristes exceções, os soldados, mesmo os derrotados, saem das guerras com dignidade, mesmo que esta se cristalize num punhado de unhas e fios de cabelo, ou numa caixa de sapatos com alguns documentos um par de divisas de cabo, uma fivela de cinto e duas condecorações, como foi o caso do pai de um amigo, que integrou a FEB.… Read more »

Walderson
Walderson
2 meses atrás

Só posso dizer uma coisa ao Poder Naval por esta matéria: Bravo zulu.

Observador
2 meses atrás

Suei pelos olhos. Que história bonita. Meus respeitos e honra!

Moura
Moura
2 meses atrás

Emocionante essa História!
Com relação a nossa MB, minha mãe não recebeu nenhuma linha de pesar qdo meu velho pai, condecorado por ter lutado na WW2 e ter feito inúmeros comboios no Atlântico, veio a falecer em 19/06/1999.

Lamentável!

ELIGIO GOMES DA SILVA
2 meses atrás

É o reino. Parabenizo com louvor esta emocionante história contada pessoalmente por meu amigo VA Noriaki. Honraria respeito e riqueza

Fernando Antonio de Faria Soares
2 meses atrás

Também fiquei muito emocionado ao ler essa história.
No ano passado, encontrei em um sebo o livro “sem Rendição” de Hiroo Onoda. Onoda era tenente do exército japonês e ficou cumprindo sua missão em uma ilha das Filipinas até receber a ordem, de seu comandante, para se render, 40 anos após o fim da 2GM! Depois, também veio para o Brasil.
Recomendo a leitura.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Fernando Antonio de Faria Soares
2 meses atrás

Morava em Campo Grande. No encerramento do Torneio da Aviação de Caça, em Campo Grande, em 2008, esteve na cerimônia no hangar do 3°/3° GAV, onde fez um discurso em japonês para o TB Saito. Um grupo de danças típicas da ilha de Okinawa fez uma belíssima apresentação, com tambores. Eu estava presente.

mk48
mk48
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

E ?

César Oliveira Rodrigues de Paulo
César Oliveira Rodrigues de Paulo
2 meses atrás

Muito show! Emocionante!!!

Gil Roberto Alves de Carvalho
2 meses atrás

Belissima estória. Não consigo entender como podem negativar um exemplo de honradez e patriotismo prestado pela Marinha Japonesa a um ex combatente.