Home Indústria de Defesa Fragata Type 31: Babcock conclui revisão preliminar do projeto

Fragata Type 31: Babcock conclui revisão preliminar do projeto

3978
82
Concepção em 3D da fragata Type 31

O Team 31 concluiu com êxito sua Revisão Preliminar de Projeto (WSPDR) para a Fragata Type 31, marcando o fim da fase de projeto funcional de Engenharia

A revisão fornece um indicador chave do risco de conformidade, maturidade e engenharia ao prosseguir no Projeto Detalhado e amadurecer o modelo CAD 3D. O WSPDR foi o evento culminante de um grande número de revisões específicas que abordaram a maturidade de sistemas individuais que compõem o navio Type 31.

O WSPDR foi realizado, virtualmente, por um período de 10 dias em junho, usando um conselho independente composto por cerca de quinze especialistas no assunto, para revisar o projeto e interrogar a equipe de engenharia. Embora este tenha sido um evento importante do Team 31, os participantes e colaboradores também vieram da Autoridade (Ministério da Defesa do Reino Unido).

O conselho independente ficou impressionado com a taxa de progresso alcançado desde a adjudicação do contrato em novembro de 2019 e o nível de maturidade técnica do design. A equipe de engenharia em particular, e todos os colaboradores do bem-sucedido WSPDR, devem ser elogiados por seus esforços.

Os sistemas da Type 31 (clique na imagem para ampliar)

“Concluir o PDR de navio inteiro é um marco importante para o programa Type 31 e sinaliza nossa mudança para o projeto detalhado. Gostaria de agradecer a todos os envolvidos, muito trabalho duro foi realizado para alcançar esse resultado positivo. Estou ansioso pela próxima etapa deste programa empolgante e desafiador. ”

O progresso no programa Type 31 continua em ritmo acelerado. A instalação de Babcock em Rosyth teve um investimento significativo na última década e está embarcando em uma nova era de instalações e sistemas de digitalização para trazer avanços e eficiências ao processo de fabricação, construção e montagem das fragatas.

Isso inclui a instalação de capacidade adicional de fabricação avançada e a construção de um novo hall de montagem capaz de abrigar duas fragatas Type 31. A inauguração do novo hall ocorreu em abril, sinalizando o início do programa de obras civis.

Aparência do novo hall para a construção das fragatas Type 31

DIVULGAÇÃO: Babcock

Subscribe
Notify of
guest
82 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Esse tipo de coisa que vai garantir a posse das Falklands e não leis sem reconhecimento internacional votadas num parlamento.

Dod
Dod
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Falou pouco,mas falou bonito hein hahaha.

Dom Carrijo
Dom Carrijo
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

No sé lo que nuestros hermanos tienen en mente?
¡Pero a los ingleses no les importan los porteños!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Dom Carrijo
1 mês atrás

A Argentina deveria fechar parceria estratégica com os russos.
10 pequenas Corvetas Karakurt custariam menos de U$ 500 mi.
Cada uma poderia contar com 8 mísseis anti-navio supersonicos Yakhont e 1 sistena Pantsir-M para defesa antiaérea.

A Royal Navy teria que enviar Fragatas Type 23 para a região e até Destroyers Type 45. Pois os navios patrulha da classe River não teriam mais serventia alguma.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Mas aí é coisa de se enviar uns dois P-8 e mais uns quatro Typhoons e um sub nuclear que a Marinha Argentina volta para o porto. Felizmente eu acredito que os Argentinos não vão tentar mais nada via militar, até porque nem há nada que possam fazer. Nem hoje e nem dentro de qualquer previsão futura.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Além das Karakurt, a Argentina precisa de uma corveta ou fragata antisubmarina, uma frota de submarinos modernos e dezenas de caças modernos.

Mas não estou sugerindo uma nova guerra.
A Argentina precisa desses meios para sentar com os ingleses e negociar pacificamente.
Sem estes meios, os ingleses jamais sentarão com os argentinos para negociar.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Querer não significa poder. O que todo esse aparato vai poder fazer é apenas fazer com que a Inglaterra fique mais e mais intransigente. A única coisa que a Argentina pode fazer para ter as ilhas, é de abdicar publicamente de qualquer intenção de usar de força militar para adquirir as ilhas, e tentar normalizar as relações que tinham antebellum para tentar no futuro distante, uma renovação das negociações e mesmo assim acho que será inútil.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

A Argentina e como o Brasil, prefere não ter nada á ter qualquer coisa qur não seja europeu ocidental tradicional ou americano. Por melhor que seja.
Obs. Europeu ocidental tradicional,(França, Inglaterra e Alemanha). Qualquer outro país, mesmo que europeu ocidental se tem desconfiançam

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

O Gripen é sueco e o MI-35 é russo e a Sigma finalista para a classe Tamandaré era holandesa. A experiência com os suecos se mostrou excelente, quanto aos russos…

Marcos R
Marcos R
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

“Corveta” de 800 t para operar no extremo Sul do Atlântico, não vai nem ter estabilidade para fixar os alvos no diretor de tiro, é menor que os classe River.
Isso é embarcação posta operar no mar negro, náutico, no máximo no mediterrâneo.

Last edited 1 mês atrás by Marcos R
Henrique
Henrique
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Amigo, pra operar no Atlântico sul tem que ser parrudo, pra lá das 2000t, essa corvetinha vai ser chacoalhada mais que maraca.

Salim
Salim
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Marinha inglesa patrulha malvina com opv river igual às nossas classe amazonas batch 1 e 1700 t batch 2 e 2100 Town. Custo estimado libra 110 m.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Dom Carrijo
1 mês atrás

Os ingleses já foram surpreendidos por uma invasão argentina, apesar da atual situação das forças armadas argentinas os ingleses sempre vão estar de olho nos argentinos para não serem surpreendidos novamente, podem não colocar grandes recursos nisso mas sempre vão ficar de olho.

Kemen
Kemen
Reply to  Dom Carrijo
1 mês atrás

Yo tambien creo que no les importan, tampoco les importan las resoluciones de los paises en la ONU a respeto de las islas, desde hace años, solo les importa lo que sea de su unico interés.

Pero salieron de Hong Kong sin decir nada.

A. S. S. N.
P. A. B.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A única linguagem que realmente importa e funciona nesse mundo cão

PACRF
PACRF
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Pior, um A-4 Skyhawk da Força Aérea Argentina (FAA) caiu manhã desta quarta-feira, 5, perto de Villa Valeria, na província de Córdoba, segundo reportagem do site AIRWAY. De acordo com essa reportagem, restam apenas 6 unidades do A-4 na FAA. Com uma ponta de ironia, o site disse que esse jato do final dos anos 50 voa apenas na FAA e na MB, considerando apenas a América Latina.

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Estas Fragatas serão assim tão diferentes em relação às Tamandarés?

Doug385
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Essas serão um pouco maiores, mas em termos de sensores e armamentos, pareceu que serão equivalentes.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Me pareceu sub-armada com esse canhão de 57mm e dois bofos 40mm!

Doug385
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Esse canhão de 57mm é um baita canhão. Tem a vantagem de não precisar perfurar a proa abaixo dele.

Doug385
Reply to  Doug385
1 mês atrás

E tem uma cadência alta.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Mais 12 Sea Ceptor.

Henrique
Henrique
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Um pouco? Elas são BEM MAIORES tem quase 6000t.

Doug385
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Sim, é verdade.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Essas deslocam 5700 Ton.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Na imagem não vi legenda para a localização dos torpedos ª_ª.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Peter nine-nine
1 mês atrás

E nem mísseis anti-navio Peter. Estranho… Será isso mesmo? Sem torpedos e mísseis anti-navio?

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Creio que está subarmada para entregar um preço baixo. Pelo visto a Royal Navy julga mais importante ter os navios empurrando água e depois adicionar as capacidades totais. Essa fragata acomodaria + 2×4 lançadores anti-navio + 2×3 anti-submarino + 2×4 mk41 blz.

Salim
Salim
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Type 31 = 5700 tons, 139 metros, 100 tripulantes, velocidade superior 28 nos
Tamandare = 3450 tons, 107 metros, velocidade máxima 28 nos
Vamos ver quando ficarem pronta o que entregam e valores.

Pablo
Pablo
1 mês atrás

Peço desculpas pela pergunta fora do tema da reportagem.
Como anda o processo das Tamandares?

Salim
Salim
Reply to  Pablo
1 mês atrás

Boa pergunta , era entrega primeira 2021, virou 2022, agora 2024. Porém contrato final e projeto ainda não foi finalizado, vai longe.

Jabuti
Jabuti
1 mês atrás

Quais são os pros/cons de se ter o VLS no meio do navio e não na proa?

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Jabuti
1 mês atrás

De positivo é que é possível colocar um VLS grande como o MK 41 ou Sylver 70 mesmo em uma fragata de médio porte como essa, de negativo é que aumenta a silhueta da embarcação.

Jefferson da extrema
Jefferson da extrema
1 mês atrás

Cadê o armamento desse navio? Na imagem parece totalmente desarmado. Canhão de 57mm em um navio desse tamanho? 12 mísseis era ceptor? Se esse navio for especializado em guerra sntu submarinos eu até entendo, caso contrário é uma vergonha. Incrível como os navios ocidentais estão vindo desarmados. Põe um canhão de 127mm na frente, um canhao 67mm atrás. 48 silos de mísseis na frente, 8 mísseis anti navio, 6 torpedos, 2 helicopte4os para guerra anti-submarina, 2 sistema de defesa de ponto etc… Vi as mesma criticas em sites especializados nos EUA, pessoal criticando o armamento das novas fragatas FREMM dos… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jefferson da extrema
1 mês atrás

As 31’s são um projecto de fragatas mais baratas que as 26´s. Sempre foi essa a ideia.
Uma vantagem deste design é a sua grande modularidade e podes configurar os sistemas de armamento.
Compara o armamento e o preço…
Mas não percebo essa ideia de dizer que os navios ocidentais são sub-armados.
Não sei quanto mais armamento pode ser adicionado a uma FREMM.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Jefferson da extrema
1 mês atrás

Ok, mas pergunta lá pra rainha se ela tem grana pra pagar o dobro ou triplo por cada navio com esse armamento que você propõe…

Marcos R
Marcos R
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Não é nem a questão de pagar o valor do navio, é bancar todos esses mísseis e munições que tem que ser renovados regularmente… Mísseis e munições tem prazo de validade.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Jefferson da extrema
1 mês atrás

Jefferson,

Serão fragatas de emprego geral e com configuração básica de armamentos de início, mas que podem receber facilmente um upgrade durante a vida útil.

A versão dinamarquesa (base do design), por exemplo, tem 32 células VLS Mk 41.

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Jefferson da extrema
1 mês atrás

 Põe um canhão de 127mm na frente, um canhao 67mm atrás. 48 silos de mísseis na frente, 8 mísseis anti navio, 6 torpedos, 2 helicopte4os para guerra anti-submarina, 2 sistema de defesa de ponto etc… “

E a tripulação, coloca aonde?

Jefferson
Jefferson
Reply to  Marcos Andrey
1 mês atrás

Vocês estão doidos! Um navio com mais de 5 mil toneladas armadas igual uma corveta. Isso não é custo benefício, é corte de custos mesmo. Vai nos blogs gringos ver o que eles falam dos navios de guerra desarmados. Um absurdo uma Fremm francesa com canhão principal de 76mm O custo de implementar tais armas é elevada, criar a estrutura, pessoas etc…justamente por isso necessita de mais capacidade e de mais poder de fogo. Esse navio inglês é menos armado que as Tamandaré do Brasil, sendo que é 2 mil toneladas maior. Um navio de 5 mil toneladas ou mais… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

As FREMM têm um canhão de 76 mm porque é melhor para defesa anti missil do que um de 100 mm. Até porque o canhão de 100 mm francês foi descartado por este. Só porque escolheram um canhão de menor calibre, e fizeram muito bem, já podemos afirmar que os navios ocidentais são todos sub armados? Estas fragatas, mais uma vez, são para serem mais baratas de operar do que as 26’s e têm uma maior capacidade de se adaptarem a várias missões. Terão o mínimo para se protegerem e se for preciso, colocam-se mais armas. São 12 silos sea… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Henrique
Henrique
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

ASW é com as type 26. E elas vão ser as melhores nessa campo, totalmente otimizadas pra essa missão.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

Jefferson, concordo com você. Sempre achei as Tamandarés (pelo menos o projeto até agora apresentado ) mal armadas, mas aí vem os ingleses e conseguem a “proeza” de apresentar um navio ainda mais fraco? Onde foi parar a rainha dos mares??

Matheus S
Matheus S
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Não é questão de apresentar um navio mais fraco, e sim por necessidade de se manter a presença contínua nos mares e estreitos levemente contestados como Ormuz. As fragatas Type 031 foram pensadas exatamente para substituir as fragatas Type 23, porque o projeto da Type 26 esbarrou em questões financeiras, com o custo do projeto sendo muito caro para substituir todas as fragatas Type 23. Por isso a necessidade do Type 31. O projeto do navio é para ser um vaso construído mais barato e mais rápido, assim como ter mais versatilidade. O Type 31 será menor do que o… Read more »

Jefferson
Jefferson
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Você mandaria seus homens para o canal de Ormuz com um navio completamente desarmado? É esse o ponto! Guerra não é algo combinado com o inimigo, é guerra! Como eu falei no meu comentário anterior, faltam homens nessas marinhas! Ormuz vai ter presença da RN, basta 1 mísseis para afundar um navio com quase 6 mil toneladas e que custou uma fortuna. Isso não faz sentido prático algum. Um navio precisa ter armamento, é um navio de guerra e não uma viatura a PM. Esse navio deveria ter pelo menos a estrutura já pronta, os silos etc podem ficar desarmados… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

Tá bom. Faz o seguinte, apresenta sua queixa a RN, manda um e-mail para eles dizendo que irão enviar seus navios desarmados para a guerra e que deverão gastar mais para o navio não ir desarmado para Ormuz e que você não pode aceitar isso.

O almirantado irá ouvir a sua opinião e irão decidir se acatarão ou não a sua afirmação e os seus argumentos.

Obs: Estou falando sério.

E se possível, nos retorne aqui quando tiver a resposta deste e-mail, por favor. Eu quero saber o que lhe responderam.

Aguardamos o seu contato.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

O moleque, não sabe discutir vaza desse blog! Estou discutindo educadamente um assunto, se não tem nada a agregar a discussão se cale!

Henrique
Henrique
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

Elas foram feitas pra serem BARATAS, por isso esse armamento. Mas elas são GRANDES e podem ser REFORÇADAS com mais armamento. Coisa que não dá nas Tamandarés, que não tem nem 4000t, vai ser o armamento escolhido e não vai ter como aumentar muito.

Davi Silva
Reply to  Henrique
21 dias atrás

Não importa o propósito. Se fizerem um navio com função de passear e darem pra RN estará correto? O questionamento do senhor esta correto. Essa doutrina ocidental atual de deixar os vasos subarmados me parece uma péssima ideia, perpetuada principalmente pelos europeus inclusive. As FREMMs italianas com apenas 16 VLS para ASTER 30 e 15, as FREMMs francesas sem capacidade de levar mísseis AAW de longo alcance e sem um canhão de ataque naval como o Vulcano 127mm. As Type 45 e Class Horizon sem capacidade de levar mísseis de cruzeiro. Como se não bastasse a Classe Daring não tem… Read more »

Rprosa
1 mês atrás

Não é de todo trabalhoso buscar comentarios procedidos neste forum classificando as Gorshkov Russas como navios subarmados e incapazes de fazer frente as modernas marinhas mundiais, denotando-se um claro e inequivoco preconceito. Apenas para comparação as Type 31 possuem 5700 toneladas de peso e carregam apenas 1 canhãod e 57 mm dois canhõpes de 40 mm e 12 celuals Sea Captor, por seu turno as gorshkov possuem cercade 4500 toneladas e carregam 1 canhão de 130 mm Amethyst/Arsenal A-192, 16 celular para mísseis Calibre, Onix ou Zircon, sendo que as novas Gorshkov carregaram 24 células, além disso as Gorshkov aidna portam… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

As Gorshkov são fragatas muito capazes mas devem ser comparadas com as 26 e não as 31. E aí parece-me que as 26 levam alguma vantagem nos misseis, na velocidade e no alcance. Isto apesar de terem um deslocamento 6,900 ton contra os 4,500 ton das Russas.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

A vantagem velocidade será bem útil para escapar da fragata dos russos. Não tem como comparar um país de homens com as bibas da eurobambi.
Guerra é coisa pra homem!
Cadê os navios armados? Um vaso com quase 6 mil toneladas com canhão de 5umm…so brasileiro doido pra defender essa aberração.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

As 26 têm um canhão de 5 polegadas (penso que equivale a 127mm), o mesmo que equipa os Arleigh Burke.
Terão 48 silos sea ceptor e 24 mk.41, ou seja, mais do que as russas.
Se ainda não percebes a diferença entre as 31 e as 26, dá uma olhada aos outros comentários.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Mas como vocês desviam o assunto, meu Deus! Eu sei qual é o PROPÓSITO, não estou discutindo propósito, estou citando quão desarmado é esse navio, tão desarmado que parece uma corveta. Qual a lógica e a prática disso? Benefício zero! Vai usar um navio desse tamanho ser armas? Será alvo fácil!
As type 26 são outros navios, eu citei elas nos meus comentários?

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

Desculpa mas quem desviou o assunto foste tu. Estava a responder ao Rprosa que devia comparar as Russas com as 26’s.
Mas mesmo assim parece que as 26 são mal armadas porque são do eurobambi…

Rprosa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os russos encontram-se numa encruzilhada, pois precisam se decidir se vão em frente com os destruidores Classe Lider, cuja tonelagem pode chegar a 19.000 toneladas e serem armados com cerca de 64 células para misseis Calibre, Onix ou Zircon, além células para o sistema S-500 e S-350, que pdoeriam em tese comportar mais de 250 mísseis de curto e longo alcance, além logicamente do tradicional armamento de tubo e antiosubmarino que equipam os navios russos, ou se admitem a falta de recursos e investem na construção das Super Gorshkov com 48 lançadores para mísseis Calibre, Onix ou Zircon, alem dos… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

E são ambos muito baratos se formos comparar com os equivalentes americanos e europeus.
O preço inclui o armamento?

Rprosa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Se for em termos de tonelagem as Gorshkov não devem ser comparadas nem com as Type 26 nem com as Type 31, pois são inferiroes em tonelagem a qualquer umad as duas, se formos pensar em armamento e finalidade poderimaos comaprar aocm ambas as Type inglesas, pois tanto as 26 como as 31 terão versões especificas e especializadas, sendo que se projeta para as Type 31 a capacidade de modularidade dos seus armamentos em função do cenario de combate.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
1 mês atrás

Essa sim seria o sonho de consumo da MB!

Paulotd
Paulotd
Reply to  Top Gun Sea
1 mês atrás

Argentina.. Não foram competentes, apanharam feio do lado de casa, e agora vem um parlamento de características bolivarianas querer tomar algo no grito. Tem é que tomar cuidado que logo logo tem chinês invadindo e montando base na terra do fogo ai perde mais um pedaço do país.

Vai ter que abater Typhoon e F-35 de Pucará e .50.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Salim
Salim
Reply to  Top Gun Sea
1 mês atrás

Concordo, bom preço, tamanho/tonelagem boa e estável, capacidade modular e preço equivalente Tamandaré, além de tripulação baixa . Preço estimado usd 350 milhões ( equivalente ou até inferior Tamandaré ). Se negociar bem umas 6 ( 2 Asw, 2 aereo e 2 completas ) . Além velocidade superior 28 nos.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Salim
1 mês atrás

Esse preço é para o Reino Unido, país do fabricante e de quem bancou o projeto, para nós sairia consideravelmente mais caro, já que teria produção nacional com transferência de tecnologia

Salim
Salim
Reply to  Mateus Lobo
1 mês atrás

O tot não vai servir muito relação corveta, visto que o estaleiro nacional foi comprada pelo contratado europeu. E simples compra 6 exige preço melhor pois investimento está pago e fábrica 2 la pra entrega rápida e 4 aqui.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Salim
1 mês atrás

Este valor é só do navio e alguns sensores.
Não inclui os mísseis, não tem contrato de suporte logístico, etc.

Salim
Salim
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

O valor e para configuração apresentada matéria, começa assim e deixa previsão para incrementar armamento, visto que pelo maior tamanho e estabilidade pode ser agregado bastante coisa. Com 2 asw, 2 aereo e 2 partida da pra criar duas forças tarefas com mais corvetas classe Barroso atualizadas feitas aqui. E só uma opinião minha, traria maior poder a força com gasto equivalente.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Salim
1 mês atrás

Onde tu achou esse a fonte desse preço? Achei justo..

É uma fragata ASW feita pra ser barata, equivalente a Tamandaré. O 57mm tem ótima cadência e alcance, com munição de fragmentação 5P tem ótima função CIWS contra mísseis de cruzeiro e drones.. tem mais cadência que o 76mm super rápido da Leonardo.

Além do que deve possui um ótimo sonar e torpedos mk46, opera o Merlin e já vai ter espaço e modularidade para o novo míssil antinavio que a RN vai escolher, que será superior ao Harpon atualmente usado

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Salim
Salim
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

O preço foi noticiado na epoca como este, até Wikipédia tem este valor libra 250 milhões, Fonte “National Shipbuilding Strategy Factsheet”. Forces.met. 15 November 2019. Retrieved 9 February 2020

Tomcat
Tomcat
Reply to  Salim
1 mês atrás

Impossível um navio dessa tonelagem por 350 milhões! Isso aí foi a conta do vigário inglês. Muita gente aqui já cantou o que vai acontecer com esse preço logo logo

Salim
Salim
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Pode ser, concordo com você, mais vc acredita que Corvetonas não vai ter aditivo?! Pro sub já teve e até multa milionária. Contrato governo em qualquer lugar e passivo de maracutaia. Aqui se vc reclamar de ser tungado e tachado de ser inimigo Brasil, ser contra faas as, ser melancia, etc…. lá governo cai se pegarem maracutaia, aqui aumentam imposto pra pagar no mínimo a incapacidade de gerir serviço público. Veja lava jato, o centrão , pgr e governo vão acabar com cobrança sociedade. Mais do mesmo. Aqui podemos pelo menos propor solucoes mais razoaveis.

Emerson
Emerson
1 mês atrás

Fragata bem cara, prá levar armamento inferior ao de muitas corvertas.
Mas pra enfrentar uma Argentina dá Vida, até que tá bom 🤭

Tomcat
Tomcat
Reply to  Emerson
1 mês atrás

Mas se juntarmos com a Type 45 que também não tem mísseis anti-navio (pois não os vi no projeto da Type 31) vai sobrar só o que para combate naval? A Type 26? Creio que o RU só tinha bolso para um NAe, só um! Foram inventar terem 2 e agora o resto da esquadra tá pagando o pato!

Salim
Salim
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Eles terao type 26 e type 45. O type 31 e um barco razoavel para complementar patrulha mundial que fazem. Os grupos tarefa serao bem robustos, as type 31 vai ficar linha de frente enquanto TO nao esquenta muito. Aqui seria ideal pois nosso TO nao tem muita probabilidade de esquentar muito, e como sao maiores da pra planejar espaços pra anabolizar estes barcos caso apareça algo horizonte.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Vai ter míssil antinavio sim, ainda não foi escolhido, mas já tem a área dedicada pra 8 lançadores.

Vi num fórum gringo que também terá o sistema DS30 (30mm bushmaster) com o míssil Thales Martlet, especialmente desenvolvido pra ameaças assimétricas.

E o Merlin carrega o novo míssil Sea Venom, um pinguin muito melhorado.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Hcosta
Hcosta
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

E para combate naval também têm F-35 porque decidiram ter 2 porta aviões.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Tomcat
1 mês atrás

Tomcat,

4 das 6 Type 45 carregam 8 mísseis Harpoon.

Eles vão adquirir para 5 navios novos mísseis antinavio, até que esteja pronto o novo míssil desenvolvido em conjunto com os franceses (previsão 2030). A ideia é que futuramente a Type 31 fique com os mísseis.

https://www.navalnews.com/naval-news/2019/08/uk-mod-further-details-interim-anti-ship-missile-need-through-contract-notice/

Paulotd
Paulotd
Reply to  Mercenário
1 mês atrás

Pra quem quer conhecer o sistema ds30 com o Thales Martlet. Gringos falaram que a type 31 que vão ter dois reparos um bombordo e outro a boreste. Um sonho a MB ter isso

https://www.savetheroyalnavy.org/royal-navy-test-fires-ship-mounted-martlet-lightweight-multi-role-missile/

Se tiver uma guerra eles colocam reparos de Harpon/exocet de um dia pro outro.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Henrique
Henrique
Reply to  Emerson
1 mês atrás

Escolheram as type 31 pra complementar a escolta. Era pra ser 12 type 45 mas só compraram 6 e as type 26 são muito caras pra substituir todas type 23.

Fernando Jesus
Fernando Jesus
1 mês atrás

O melhor que a Argentina pode fazer é um acordo de cooperação econômica, científica, ambiental e militar com a Inglaterra e abandonar essa idéia de soberania das ilhas. Nunca terão condições militares de reivindicar a posse.

Rprosa
1 mês atrás

Sinceramente acredito que as Type 31 ficarão encarrgadas de patrulhar as águas territoriais da Gra Bretanha, bem como áreas não conturbadas como no Caribe ou mesmo as Falklands/Malvinas, reservando-se a patrulha de mares conturbados como o Mar da China, o Mediterrâneo, o Índico e o Mar da Arábia para as Type 26 e Type 45, os quais poderão ser acompanhados pelas Type 31, mas dúvido que os iongleses herdeiros da tradição de Nelson, desloquem as Type 31 por exemplo para intimidar chineses ou russos.

Ivan louco
Ivan louco
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

Intimidar com um navio sem míssil anti-navio, 12 mísseis receptor e com canhão de 57mm
Os russos e chineses darão risada!
Kkkkkkk

Antonio Renato Cançado
1 mês atrás

Gostaria muito de entender por quê a RN deu de subarmar seus navios de guerra…

Luiz Floriano Alves
Reply to  Antonio Renato Cançado
1 mês atrás

A modularidade tem se firmado como conceito na arquitetura dos navios de guerra. Vc tem um casco com seus equipamentos básicos de propulsão e navegação. Os armamentos vão depender das missões. Os armamentos principais serão embarcados em módulos.Os navios menores estão se tornando mais bases avançadas de observação do que armas decis Ivas. Os porta aviões de longo curso e os gigantescos submaarinos “Boomers” que decidem o combate naval.