Home Noticiário Internacional USS Montana batizado em cerimônia virtual

USS Montana batizado em cerimônia virtual

2179
33

Numa cerimônia virtual a Marinha dos EUA batizou recentemente o seu mais novo submarino de ataque com propulsão nuclear, o USS Montana, no estaleiro Newport News Shipbuilding, na Virgínia.

“Eu o batizo Montana!” disse a ex-secretária do Interior, Sally Jewell em 12 de setembro enquanto batia com uma garrafa de vinho espumante na proa. “Deus abençoe este submarino e todos os que navegarem nele!”

O batismo do USS Montana (SSN 794) foi uma celebração virtual devido às restrições do COVID-19, o que significa que os interessados tiveram que assistir online. Foi o primeiro batismo de um navio da Marinha dos EUA desde o início do surto de coronavírus, disseram as autoridades. O evento foi realizado no estaleiro Newport News Shipbuilding, uma divisão da Huntington Ingalls Industries, em Newport News, Virginia. Huntington Ingalls é a maior empresa de construção naval militar da América.

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Vcs poderiam colocar uma tabela comparando a força de submarinos da China com a dos EUA…

Para quem não entende nada como eu, poderia tb por a diferença das qualidades de uma classe e outra…

Ivan
Ivan
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Rui Chapéu, Como vai a sinuca? . Falando em sinuca, cuidado para não entrar em uma ‘sinuca de bico’ ao tentar fazer uma comparação vis a vis (o tal supertrunfo) entre as forças de submarinos da China e EUA. . Antes de mais nada são forças que precisam atender necessidades estratégicas diferentes, portanto parte delas serão dispostas diferentemente em termos táticos. Compliquei né? . Mas dê uma olhada no mapa da China. Sim, sempre o mapa. A marinha do PLA (pois é, a marinha é do Exército do Povo da China que responde ao PCC) precisa proteger uma extensa área… Read more »

Camargoer
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Olá Ivan (um antigo infante se torne um adolescente quando vai para a reserva?). Fico feliz em ler noticias suas.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Ivan, o mapento!

Nico 88
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

“A geografia serve, em primeiro lugar,para fazer a guerra.” (Yves Lacoste).

GUPPY
GUPPY
Reply to  Jefferson
1 mês atrás

Esse adjetivo foi dado por mim ao conterrâneo Ivan, rsrsrs… Ainda bem que ele não ficou zangado comigo.

Ivan
Ivan
Reply to  GUPPY
1 mês atrás

Guppy,
Pelo contrário, sou grato.

Gostei tanto de sua bem humorada atenção,
que adotei o apelido alegremente.
Como você, velho marinheiro, este seu amigo, velho infante, sabe o valor dos mapas e sempre tentaremos transmitir esta experiência para os mais jovens.
Afinal, sem um mapa, estamos perdidos.

Forte abraço,
Ivan, o mapento.

Esteves
Esteves
Reply to  Ivan
1 mês atrás

É isso aí. A China está lá. Precisa sair. Para sair precisa de meios nucleares. Para ficar pode ter meios com propulsão não nuclear. Os americanos precisam ir. Usam uma procuração que vai da Austrália até o Japão para negar o mar tentando conter a dispersão chinesa. Os russos são aliados até e enquanto os eurasiáticos estiverem determinados a expandir o império russo ao Ártico. Quando o assunto voltar à geografia…os chineses que já tem rusgas com os fronteiriços indianos podem ter problemas terrestres também. As missões dos chineses compreendem a expansão. Os americanos querem a contenção e a retração.… Read more »

Andre
Reply to  Esteves
1 mês atrás

A aliança sino-russa é frágil e assim como a China questiona a fronteira com a Índia ela também questiona com a Rússia, principalmente a cidade de Haishenwai, ou como o invasor russo a chama: Vladivostok.

Em uma improvável guerra mundial, talvez isso pode ser acertado entre os dois, principalmente frente ao crescimento do poderio chinês e a estagnação russa.

Last edited 1 mês atrás by Andre
rommelqe
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Prezado Ivan: prazer em ler a sua postagem! O bom filho à casa torna!!! Sem precisar consultar o mapa…..(talvez o waze, hem?)rsrsrsrss

Ivan
Ivan
Reply to  rommelqe
1 mês atrás

Kkkkk…
Nunca saí.
Apenas ando sem tempo para escrever.
Trabalhando e estudando (sim, estudando sempre) fica pouco tempo para bater papo com os amigos.
Abraço.

filipe
filipe
1 mês atrás

Essa é a razão porque todo Brasileiro sonha em se tornar um cidadão americano (dai a luta por um green card), essa é a melhor nação do mundo, eles inovam, eles constroem, eles movimentam, os EUA são e sempre serão o país dos nossos sonhos, Vamos fazer a América Grande de novo…

Alison Lene
Reply to  filipe
1 mês atrás

Seu cérebro venceu…

rui mendes
rui mendes
Reply to  filipe
1 mês atrás

”todo Brasileiro” falas em nome de todos, espectáculo, se não fosse triste. Fala por ti, só.

Fernando
Reply to  filipe
1 mês atrás

Eles que façam a América grande de novo, o problema é deles. Eu to preocupado é com o Brasil. Não vou ajudar chinês, russo ou americano em troca de nada.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  filipe
1 mês atrás

Escorreu outra lagrima agora!

PACRF
PACRF
1 mês atrás

Enquanto a marinha dos EUA “batizaram” um único vaso de guerra durante a pandemia, a marinha da China deve ter “batizado” mais de cinco. A Trilogia poderia fazer as contas dos “batismos” chineses para ser possível uma comparação.

Marcos
Marcos
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Eu acho que você deveria comparar o “batismo” do teu país o Brasilzão da massa.

Teropode
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Vc não leu a postagem do Ivan ” o antigo ” ?

Andre
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Provavelmente não, afinal opinião é mais importante que informação…

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Os EUA tem que lançar novos meios e/ou ser mais rápido nos upgrades dos antigos se quiserem manter a vantagem tecnológica pois a vantagem numérica já estão perdendo.

Teropode
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A vantagem numérica possui um certo relativismo , por isso não é um super trunfo , um exemplo clássico ocorreu na guerra fria , a URSS possuía uma enorme quantidade de blindados , os EUA por questões de logísticas optou por meios menos numerosos porém mais eficiente para neutrsliza_los , nasceu o A-10 para retalhar na primeira linha deixando para os MBTs europeus a retaguarda , então com um número mais racional de Tanques a OTAN estava preparada para enfrentar um número muito superior de tanques russos , acredito que se a China opta por quantidade , os EUA não… Read more »

Andre
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Veja oq aconteceu com a vantagem numérica de aviões argentinos nas Falkland, ou dos aviões iraquianos contra os muito superiores tecnicamente iranianos.

Tem ainda os conflitos árabes-israelenses, mas nesses sempre teve a desculpa dos usuários…

Dalton
Dalton
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Verdade Fabio…uma marinha não se faz apenas com navios novos e sim modernizando e revitalizando os veteranos e eventualmente os chineses terão que lidar com isso ainda mais a medida que forem acrescentando navios maiores e mais complexos. . Dias atrás, por exemplo, foi reintegrado a Frota do Pacífico o USS Carl Vinson da classe Nimitz depois de passar pelo terceiro dos quatro longos períodos de manutenção em doca seca estipulados para uma vida de 50 anos, sem mencionar 8 períodos de manutenção menores e a modernização de meia vida que incluiu o reabastecimento dos reatores nucleares. . E enquanto… Read more »

Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

Interessante…
Mas o lançamento que interessa mesmo é outro. Alguém tem uma data/informação?

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Será que eles já estão planejando um substituto para a classe Ohio?

Jonatan
Jonatan
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Sim. A classe Columbia de ssbn.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Jonatan
1 mês atrás

Obrigado.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Caiu uma lagrima aqui!

Dalton
Dalton
1 mês atrás

Sendo o mais “chato” por aqui, não resisto a tentação de escrever que o que foi batizado não é o USS Montana e sim o PCU (Unidade pré- comissionada) Montana. O prefixo USS será dele apenas quando for comissionado, se não houver atrasos, ano que vem. 🙂

Pablo Maroka
Pablo Maroka
Reply to  Dalton
1 mês atrás

EUA só errou uma vez, quando achou que havia errado.

Andre
1 mês atrás

Eu imagino se um vaso de guerra nacional tiver seu batismo transmitido pelo tv, com o oficial dizendo “deus abençoe este…”. O que a nossa pseudo esquerda iria fazer de barulho por isso.

Bispo
Bispo
1 mês atrás

Em termos etimológicos e teológicos ao batizar uma arma de guerra(algumas com capacidades genocida) e “clamar” por proteção divina é um contrassenso… e todas as nações o fazem…