terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab Naval

Os porta-aviões USS Nimitz e USS Theodore Roosevelt treinam juntos no Mar da China Meridional

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Os porta-aviões USS Nimitz e USS Theodore Roosevelt e seus grupos de ataque se encontraram no contencioso Mar da China Meridional para operações conjuntas na terça-feira (9/2), de acordo com um comunicado da Marinha dos EUA.

“Os navios e aeronaves dos dois grupos de ataque coordenaram operações em uma área de alto tráfego para demonstrar a capacidade da Marinha dos EUA de operar em ambientes desafiadores”, disse o comunicado.

Os exercícios de dois porta-aviões são relativamente raros, embora tenham visto um aumento recente na frequência. Até terça-feira, apenas nove ocorreram na região do Indo-Pacífico desde 2001 – quatro desde junho.

A Marinha conduziu operações com dois porta-aviões no Mar da China Meridional pela última vez em julho, quando o Nimitz e o USS Ronald Reagan operaram juntos duas vezes.

A China reivindica cerca de 90% do Mar da China Meridional como suas águas territoriais, apesar de uma decisão internacional em 2016 em contrário.

Os EUA rejeitaram formalmente em julho as afirmações de Pequim na região e regularmente enviam a Marinha para contestar as reivindicações chinesas.

Clique nas imagens abaixo para visualizá-las em tamanho maior.

FOTOS: U.S. Navy

- Advertisement -

161 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
161 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Turatti

A segunda mais poderosa força aérea do mundo demonstrando que águas internacionais são internacionais.

Luiz Trindade

Segunda mais poderosa Forçar Aérea do mundo?!? Tu quer dizer que a primeira é “Air Force North American” neh?!?

Ph4nt0m

A primeira é a FAB. Rs

Paulo Drusnam

Chora nenem, sabe nada inocente….

angelo bigalli

Impõe respeito ..da medo só de ver…arrepia….respeito é bom e faz bem aos dentes…..

Vinícius Momesso

Vendo isso me faz lembrar das paradas militares que a URSS realizava, tamanho o poder fogo concentrado em um único lugar.

Bosco

Vale salientar que em operação em estado de guerra ou na eminência de, os vários elementos do CSG estariam todos distantes e não apareceriam na mesma foto. Um CSG ocupa uma área com uns 20 a 30 km de raio.

Vinícius Momesso

Uma taxa se sobrevivência de 100% de um PA seria possível em um guerra de alta intensidade?

Bosco

Claro que não! Só não vai ser a moleza que alguns querem nos fazer crer citando quilômetros e números Mach

Paulo Drusnam

Só isso, num único lugar.

Luiz Trindade

E também preserva dos dentes chineses.

Gabriel

É bastante óbvio que a China tem aumentado e capacitado sua Marinha, nos últimos anos, de maneira espetacular.

Porém, atualmente, nem mesmo a China conseguiria hoje fazer frente a um grupo de batalha formado por 2 porta-aviões americanos (com suas escoltas), em águas internacionais.

Vinícius Momesso

mas a China também tem dois PAs com CSG.

Thiago Roberto

Os dois não se comparam a um americano.

Vinícius Momesso

Isso quem vai responder é a batalha!

Fernando Turatti

Não, não é.
Você não precisa ver um combate entre metralhadoras e mosquetes pra saber quem se sairá melhor.
Os porta aviões chineses são cópias dos soviéticos da década de 1980, que por sua vez nunca foram grandes coisas. Pra piorar, os caças embarcados são cópias de um protótipo não terminado do Su-33, caça que já nem sequer é mais usado por quem pôde comprar MiG-29K(a.k.a India).
Comparar protótipo inacabado de um caça da década de 1980 com Super Hornet chega a ser absurdo.

Antoniokings

Aí vc está achando que a batalha para afundar esses dois porta-avões ser dará com aviões tentando passar pelas defesas ou aviões do navio para bombardeá-lo.
Como em Midway ou no Golfo de Leyte.
Serão utilizados, DF-21, mísseis hipersônicos, drones, submarinos atômicos e etc.
Lembre-se que a China tem o DF-21 que é considerada a arma mais mortífera no combate naval.

Bosco

Antonio, Eu sei que você adota a tática de fustigação e do conVencimento pelo cansaço, mas como eu sou absolutamente generoso no sentido de tentar fazer você ver a luz, eu insisto: o DF-21D sequer está operacional. Nunca os chineses disseram oficialmente que ele é capaz de atingir um porta-aviões a 1500/2000 km de distância. Pode ser que nunca entre em operação com essa finalidade. E mesmo se vier a estar um dia e que o ASBM DF-21D possa ficar a 2000 km de distância do alvo (um CSG), ainda assim para que ele funcione obrigatoriamente vai precisar de que… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Bosco
Matheus S

Os sistemas C4ISTAR são uma medida chave da capacidade militar e uma área na qual a China avança constantemente.  Determinar o quão forte são as capacidades do PLA nesta área apresenta alguns desafios analíticos, pois ao contrário de outras áreas do crescimento militar do PLA, o C4ISTAR recebeu pouca exposição pública.  Os sistemas ISR dos militares chineses são mais facilmente pesquisados ​​devido à riqueza de imagens publicadas, mas os detalhes técnicos na maioria são escassos e muitas vezes devem ser dissecados por análises de engenharia ou outros recursos visuais. A PLAAF avançou o mais longe em capacidades ISR atmosféricas, com… Read more »

Bosco

Ok Matheus. Mas qual a sua leitura de tudo isso? Os chineses já estão operando HOJE o DF-21D de forma plena? Ou seja, podem atingir um porta-aviões americanos navegando a 30 nós no meio de um CSG a 2000 km de sua base de lançamento a hora que bem entenderem?

Matheus S

Quanto mais perto o DF-21D atuar à costa chinesa, mais pleno é o sistema ASBM que os chineses criaram e ainda estão criando. As capacidades atuais que os chineses detém agora irão se expandir, quer você queria acreditar ou não, o fato é que a China a cada ano aumenta a área A2/AD no Pacífico Ocidental, “empurrando” a USN para mais longe e nem eu e nem você demonstra que isso é uma afirmação ousada, pois no momento, as reformas doutrinárias dos EUA demonstra claramente que isso está ocorrendo no momento e continuará futuramente. Portanto, essa sua afirmação de que… Read more »

Bosco

“Quanto mais perto o DF-21D atuar à costa chinesa, mais pleno é o sistema ASBM que os chineses criaram e ainda estão criando.”
Ora! Então nem precisa de DF-21D , né?
Acho que estamos patinando nas ideias. Eu tenho absoluta certeza que a 50 ou 100 km da costa chinesa os porta-aviões americanos são alvos facílimos. Se estiver a 1 km então, provavelmente os aviões no convoo seriam alvos de um sniper com um bom fuzil de precisão. rsssss

Matheus S

Se estiver a 1 km então, provavelmente os aviões no convoo seriam alvos de um sniper com um bom fuzil de precisão. rsssss”

kkkkkkkkkk

Bosco, depois dessa eu paro. Abraço. kk

Antoniokings

Meu Deus!
O cara fala que o DF-21 é cópia do Minuteman.
Assim não dá
Agora quem vai dormir, sou eu.

Antoniokings

Corrigindo. Pershing II.
Estou mesmo com sono.

Bosco

Eu sei que deve ser doído receber a informação que o suprassumo da tecnologia bélica da sua toda poderosa China é uma cópia de um míssil americano da década de 80, mas tenho fé que você vai superar. rssss https://jamestown.org/program/how-china-got-there-first-beijings-unique-path-to-asbm-development-and-deployment/

Last edited 9 meses atrás by Bosco
Antoniokings

Jamestown?
WFT?

Antoniokings

A Jamestown Foundation é um think tank conservadora de política de defesa com sede em Washington, D.C

Depois fica chateado comigo quando disse que usa antolhos.
Fica triste, não!

Bosco

Ah, tá!

Last edited 9 meses atrás by Bosco
Bosco

Toinho,
Você aplaude cada movimento chinês, inclusive quando roubam descaradamente tecnologia ocidental. Praticamente eles não têm nada realmente original. Tudo deles é cópia.
Não entendo agora essa sua desconfiança em relação ao DF-21D. Ora! Por que nesse caso você acha que eles foram inovadores?

Antoniokings

Deixa eu entender.
Se o DF-1 é cópia dos antigos Pershing americanos e é considerado um dos mais modernos (ou mais moderno) e mortíferos mísseis atuais, por que os próprios americanos não fizeram isso também e preferem manter os antiquados Minuteman?
Dá um tempo, né cara?

Bosco

Toinho, Eu gosto de você, sabia? Voltando ao assunto , presta atenção no “papacito” rsss Primeiro, você está comparando mangas com laranjas. O Pershing II era um míssil balístico de médio alcance (MRBM) , igual o DF-21D. *Míssil balístico de médio alcance tem alcance de 1000 a 3500 km. O Minuteman III é um míssil balístico intercontinental (ICBM), com alcance acima de 5500 km. Então, não há relação direta entre Pershing e Minuteman. Ponto! – O Minuteman está a serviço há mais de 50 anos porque é um projeto vencedor e à frente do se tempo. Até hoje não foi… Read more »

Bosco

Toinho Malvadeza, Só pra encerrar, os americanos já operaram um ICBM bem mais capaz e avançado que o Minuteman III. Foi o MX , nomeado Peacekeeper ou LGM-118, desenvolvido na década de 80. Ele era um ICBM pesado (90 t) de 3 estágios, propelente sólido, capaz de levar 12 MIRVs de 475 Kt com CEP de 50 metros e 15.000 km de alcance. Os americanos tinham 50 unidades mas o retiraram de serviço por conta do tratado START e do fim da Guerra Fria. Esse míssil foi creditado ter sido um dos elementos que forçou a derrocada da URSS. Só… Read more »

Bosco

Me lembro até hoje das intermináveis discussões acerca de qual o melhor meio de basear os MX (Peacekkeper) . Saia naos telejornais e nas revistas da época, principalmente Manchete, O Cruzeiro, Veja, etc. Naquela época, TVs, jornais e revistas eram voltados à informação e não haviam ainda sido cooptados pelo gramscismo e pelo marxismo cultural. A figura execrável do tal “âncora” só veio aparece nos telejornais no final da década de 90 e o mais execrável ainda, o “âncora lacrador” é fenômeno bem mais recente. Voltando ao assunto, me lembro de um proposta de basear 100 MX numa rede de… Read more »

Alex Barreto Cypriano

Perdão por entrar fora de hora e de foco no seu argumento, mas talvez a certeza que tenhamos a respeito do efeito corruptor do gramcismo e do marxismo cultural estejam nos desviando do verdadeiro motor do absurdo que vemos atualmente. Esse motor, na prática, não foi Gramsci ou a Escola de Frankfurt (conforme Andrew Breitbart afirmou em Righteous Indignation) mas a contracultura ocidental dos 60/70 profundamente influenciada pelo maoísmo emanado da revolução social e cultural chinesa. Não à toa, desde então, o mundo tem caido de amores pela China comunista. Confira esse texto de Julia Lovell:
https://www.cambridge.org/core/journals/china-quarterly/article/cultural-revolution-and-its-legacies-in-international-perspective/AF89666FAABFC3AB33B5AB5C32FE41E1#

Last edited 9 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Bosco

Vou ler Alex.
De qualquer forma, venha de onde vier, essa revolução visa, como toda revolução, colocar por terra o que havia de pé para erguer outra coisa no lugar e para isso usa a tática de desconstrução, do caos.
Quando a nova ordem se estabelecer sobre a as cinzas do passado e sob a égide da reconstrução ela será tudo, menos complacente, e não aceitará mais o caos. A reconstrução não aceita diferenças. E aí aqueles que foram bucha de canhão estarão encrencados.

Matheus S

O DF-21D é baseado no Pershing II sim, conforme o Bosco argumentou.

Antoniokings

Ah tá!
Agora me convenceu.
kkkkkk

Matheus S

Tá bom. Mas de acordo com fontes chinesas, o ASBM DF-21 da China é baseado no Pershing II dos Estados Unidos, assim como o míssil DF-15 da China. O Pershing II tem aletas de controle ajustáveis do veículo de reentrada(RV) ​​para manobra terminal.  Não se sabe da existência de fotos positivamente identificadas de um DF-21D fora de sua caixa de lançamento. Mas o míssil DF-15 tem um RV virtualmente idêntico ao do Pershing II. Com base na forte semelhança visual, é possível que o DF-15 empregue tecnologia de manobra terminal semelhante à do Pershing II.  O RV que a China obviamente tem poderia facilmente… Read more »

Paulo Drusnam

Boa noite.

Antoniokings

Vou resumir e concluir tudo o que vc quis dizer.
Não há defesas contra mísseis balísticos navais (como o DF-21) e nem contra mísseis navais hipersônicos, como o Zircon.
Ainda mais se tentar navegar por perto das ilhas ocupadas chineses na região, visto que serão alvo até de baterias de mísseis costeiros implantadas nessas ilhas.

Bosco

Opa! Tá vendo como meu esforço hercúleo rende frutos? Deu pra ver que você já começou a juntar o lé com lé e o cré com cré. Já deu mostras de que pelo menos já tá entendendo a diferença entre um míssil balístico e um hipersônico aspirado.
Continua firme que você chega lá. Não tenha medo não. Deixa vir no peito, amortece e faz embaixadinha.

Antoniokings

Vc tem de juntar ‘lé com cré’ para entender que essas tentativas inúteis dos EUA de mostrar força de nada adiantarão na hora dos ‘vamos ver’.
É óbvio que os americanos estão querendo forçar uma situação para querer mostrar a tese que a China é o grande mal da Humanidade.
Aquela região está sendo ocupada pela China e não há força no Mundo que evitará isso.

Bosco

Caro Toinho,
Você está demonstrando um certo nível de dissonância cognitiva. Num mesmo comentário você diz : “Aquela região está sendo ocupada pela China e não há força no Mundo que evitará isso.” e diz: “É óbvio que os americanos estão querendo forçar uma situação para querer mostrar a tese que a China é o grande mal da Humanidade.”
Afinal, cadê o lé com cré?

Antoniokings

Vou desenhar. A China está em franca expansão na região. Ou seja, além da presença física de suas forças, está formando um gigantesco arco de alianças através de toda a Ásia Central chegando até o Oriente Médio. Um processo pacífico, constante e irrefreável. À America sobrou apenas a tentativa de barrar isso tentando criar uma situação de conflito onde tentam mostrar que a China é o País mau da parada. Tentativa infantil, fruto da amadora política externa americana que se estabeleceu há décadas no País. É óbvio que isso não vai colar, afinal chineses são considerados dos melhores estrategistas e… Read more »

Flanker

Credo….quanta ginástica e contorcionismo para fazer propaganda barata……isso já passou, há muito, a ser doença……

Paulo Drusnam

Toinho, vá dormir…..

Daniel

Esse míssil é derivado de um míssil balístico que precisa escapar da gravidade, seu perfil de vôo é o mesmo dos misseis intercontinentais ele sobe ao espaço e reentra na atmosfera a velocidades próximas de 28000 quilômetros por hora, portanto não existe nada no arsenal desse CSG que seja capaz de intercepta-lo seja com armas ou guerra eletrônica, exceto talvez os misseis ABM mas esses são para proteger o território americano de um ataque nuclear e seria contraproducente desperdiça-los defendendo um grupo de porta-aviões em uma guerra que poderia descambar a qualquer momento para uma troca nuclear, quanto eles estarem… Read more »

Bosco

Daniel,
Seus conceitos são completamente equivocados.
Mais tarde irei enumerá-los e refutá-los um a um.

Bosco

Daniel, O DF-21D sem dúvida é um míssil balístico, sem dúvida chega ao espaço (ultrapassa a Linha de Kármán), sem dúvida reentra na atmosfera , mas é um míssil balístico de médio alcance (alcance entre 1000 e 3500 km) , portanto, sua velocidade de reentrada é por volta de Mach 10 (em torno de 14.000 km/h). Em sendo um míssil balístico de médio alcance há num CSG alguns mísseis capazes de interceptá-lo, mais precisamente o SM-3 Block IA (interceptador exoatmosférico) e o SM-6 e SM-2 Block IV (interceptadores endoatmosféricos). Os 3 são mísseis ABM e estão aptos a interceptar mísseis… Read more »

Daniel

Como já comentei aqui em baixo com o Matheus S não acredito que esse míssil tenha qualquer tipo de orientação na fase terminal devido ao plasma que só começa a apereçer na camada mais baixa da atmosfera dai até o impacto com o alvo são algumas dezenas de segundos pois nesse caso não existe intresse de reduzir a velocidade de queda da ogiva somente a energia cinética acumulada já seria altamente destrutiva mas como também já disse tudo não pasa de especulação somente os projetistas dessa arma sabem se ela é realmente efetiva ou não mas gosto de crer que… Read more »

Matheus S

Os EUA podem ter muitas contramedidas referente ao DF-21D. A defesa contra mísseis balísticos Aegis, Standard Missile-6(endoatmosféricos) e sistemas de guerra eletrônica com o potencial de confundir ASBMs com alvos falsos são basicamente alguns deles. As defesas cinéticas contra o DF-21D seriam difíceis. O principal interceptor de mísseis balísticos da USN, o SM-3(exoatmosféricos), não seria eficaz, uma vez que foi projetado para interceptar mísseis na fase intermediária no espaço, portanto, teria que ser lançado quase imediatamente para atingir antes da reentrada ou de um navio equipado com Aegis posicionado sob sua trajetória de voo. Em tese e de acordo com pesquisas russas,… Read more »

main-qimg-60589da176c097abf7f0cb5cd1f32b6b.jpg
Matheus S

Ou manobrando evasivamente…

main-qimg-df0db90a013812674a6d7f073c3f3362.jpg
Aloprado

O bom e velho cavalo de pau.

Daniel

Não creio que esse míssil tenha qualquer tipo de orientação em sua fase terminal(e isso é pura especulação pois só os projetistas dele o sabem) por isso citei o fato de sua ogiva dispensar submunições que cobririam uma ampla área onde estaria o alvo já que o blecaute causado pelo plasma da reentrada impediria qualquer tipo de orientação vinda do míssil e por consequência qualquer tipo de interferência vinda de fontes externas o deslocamento do alvo deve ser desprezível já que todo o processo de reentrada até o impacto é da casa de algumas dezenas de segundos o que mesmo… Read more »

Bosco

Daniel, Eu ando meio cansado desse assunto mas vou dar meu último pitaco antes de me entregar de vez ao UFC rssssss Basicamente o DF-21D é uma cópia do Pershing II adotado pelos EUA na década de 80 , que tinha um MaRV com radar. O único míssil ABM de prontidão para a defesa dos EUA continental é o GBI (interceptador baseado em terra), que estão baseados em silos subterrâneos situados na Califórnia e no Alasca. Em tese os mísseis SM-3 e THAAD não atuariam na defesa dos EUA continental contra ataque de ICBMs e SLBMs. Os porta-aviões têm seus… Read more »

Matheus S

Sem a correção de curso terminal, é praticamente inútil como arma antinavio, sendo que nem mesmo os ICBMs modernos excluem essa capacidade, alguns ICBMs tem orientação dual ou tripla, e no caso do DF-21D, não há porque não ter, entretanto, essa é uma informação classificada. Porém, analistas sérios sabem que o DF-21D conta com essa capacidade.  Quanto ao blecaute, eu tenho boas razões para desacreditar dessa sua afirmação, no Aéreo, o Augusto L fez a mesma afirmação e eu responderei ele lá mesmo. Quanto ao THAAD e o SM-3, sim. Eles usariam. Qualquer contramedida para quebrar a “cadeia de morte”… Read more »

Matheus S

É importante notar que a geografia e as bases estrangeiras dos EUA obrigam os chineses a testar suas armas muito longe do mar, como o deserto no noroeste da China. As habilidades de direcionamento antinavio do DF-21D não pode ser testadas em um alvo marítimo real. O teste no mar permitiria aos EUA aprender tanto com o teste quanto os chineses, isso tem um impacto sobre a confiança chinesa nesses mísseis, portanto é improvável que a China faça um teste de navio em movimento de ponta a ponta, porque isso revelaria os segredos desses mísseis(e da rede de orientação), especialmente… Read more »

Daniel

Só complementando o que já falei esse tipo de ogiva foi criada junto com o conceito de ogivas multiplas e engodos para fazer frente ao escudo antimíssil americano que é constituido desses mísseis que vc citou o ultimo estagio de alguns mísseis consegue carregar até dez ogivas manobraveis e um numero igual de engodos o que daria para cada míssil lançado duas dezenas de alvos para serem abatidos na fase terminal, além disso nunca ouvi falar de nenhum sistema capaz de jamear ogivas de mísseis balísticos já que sua orientação é puramente por calculo matemático ele não se utliza de… Read more »

Matheus S

Em momento nenhum disse que o sistema iria jamear as ogivas, e sim os radares OTH.

Preste atenção: “Jammers aerotransportados ou baseados na superfície podem impedir que os radares OTH encontrem um grupo de ataque de porta-aviões.

Bosco

Daniel, O MaRV do DF-21D tem sim um seeker que tudo indica ser um radar ativo , provavelmente na banda milimétrica. Todas as referências dão conta disso, só você diz o contrário. Sem falar que não tem lógica isso que você acredita. A MaRV só manobra dentro da atmosfera usando aletas, não teria lógica ela se auto engessar e vir às cegas baseado só nos cálculos balísticos. Vindo a Mach 10 (o que não é o caso já que ela sofre arrasto e deve desacelerar de propósito) e implementando um ângulo de reentrada bem perpendicular , ainda assim, da linha… Read more »

Bosco

Essa névoa branca, formada por filamentos de carbono, aparece no radar do míssil como sendo um alvo sólido com dimensões quilométricas que faz com que o míssil erre o navio alvo já que ele busca a centroide. A centroide no caso é deslocada centenas de metros para longe do navio.

Matheus S

Correto. É dito que o Kuznetsov usa a mesma tecnologia para se proteger da detecção.

fer.JPG
Last edited 9 meses atrás by Matheus S
Flanker

Quem pensa que a presença, passagem, navegação de PA’s e seu grupos de batalha seria para demonstrar a capacidade de ataque desses à china, está enganado. Eles estão lá para dizer que podem passar e que aquelas águas NÃO são da china…..

Fernando Turatti

Então liga lá pro Ursinho Puff e conta pra ele, afinal, ele tá jogando uma fortuna e meia fora tentando fazer um porta-aviões novo que se equipare ao Kitty Hawk.

Antoniokings

Esses navios serão afundados sem ver um único avião inimigo.
Ademais, em tempo de guerra total, não vai passar nada pelas Ilhas Paracell e Spratly que, como sabemos, estão sendo ocupadas pelos chineses.
Pode sonhar.

Antoniokings

Ursinho Puff está fechando negócio bilionário de venda de MIG-35 ‘G4 ++’ com a Índia.
Coisa de mais de 100 aeronaves.
Aguardemos que o anúncio pode sair em breve, segundo fontes indianas.

Paulo Drusnam

Sr. Kings, o rei das negativações, não gostarias de morar na Korea do Norte, Venezuela e afins?

Vinícius Momesso

Dizer que o gap tecnológico entre os PAs chineses e americanos e do nível de um Mosquete para uma Metralhadora, beira o absurdo.

Antoniokings

É que ele esqueceu o gap tecnológico entre os mísseis chineses e russos e os americanos.

Bosco

Toinho, Os seus “antolhos ideológicos” não conseguem enxergar, mas essa aparente superioridade de mísseis russos e chineses em relação aos americanos é só aparente mesmo. Leigos fazem essa leitura porque são incapazes de ver a questão doutrinária , que é quem em última análise dita o equipamento. Os mísseis antinavios russos e chineses são mais espetaculosos porque têm que enfrentar a USN, já a USN e a USAF tem mísseis antinavios medíocres porque têm que enfrentar as marinhas dos respectivos países orientais. Os mísseis sup-ar russos lançados de terra são mais espetaculosos porque precisam se contrapor à USAF e a… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Bosco
Antoniokings

‘Os mísseis antinavios russos e chineses são mais espetaculosos porque têm que enfrentar a USN’

Acho que terei de mudar a classificação dos seus ‘antolhos’.

Bosco

Toinho,
A USN tem sua doutrina de projeção de força e controle de área marítima baseada na operação de imensos superporta-aviões nucleares, daí minha ênfase. Nenhum outro país os adota com o nível dos americanos.
Isso é um fato quer você entenda ou não a implicação de um CSG nucleado num superporta-aviões no contexto de um conflito naval.

Antoniokings

Que mané projeção de força?!?!?
Contra a China?
Deixa de graça!

Nilton L Junior

É outro que ainda acredita que a china esta com gap no seculo 20

Antoniokings

E fazem um esforço hercúleo para tentar convencer os outros.
É uma espécie de mantra.
Ficam repetindo isso até eles mesmo acreditarem.

Flanker

Sério???? Hehehehehe…..por acaso, é exatamente assim que vc age……..ler isso que vc escreve é hilário!!!!!

Bosco

Nilton, Não citei nenhum gap e estamos no Século XXI. Parece que você é que acredita que os EUA está com gap em pleno Século XXI, né? O que digo é que uma batalha naval envolvendo a USN e seus aliados contra a China não é a festa que vocês imaginam com essa farra de mísseis hipersônicos balísticos manobráveis fodásticos megalomaníacos. Todo dia a gente fica sabendo de mais um. Esqueceram de avisar aos chinas e russos que os EUA só tem 11 porta-aviões. rssss Há tantas variáveis que esses mísseis fodásticos dos chineses e russos têm que lidar que… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Bosco
Nilton L Jr

Bosco, eu estava fazendo referência há outro comentário que não era o seu, sobre ” Parece que você é que acredita que os EUA está com gap em pleno Século XXI, né? acredito que o império americano ainda esteja no XXI como o império chinês se aproximando em muito principalmente em AI, semi condutores e nanotecnologia. Sobre um conflito com Chineses e Americanos o resultado seria um desastre para TODOS, a não ser que você tenha alguma informação que desconhecemos do poder exta big mega superior que o império americano tenha que possa usar contra o império chinês que impeça… Read more »

Bosco

Perdão Nilton!

Antoniokings

Voltou com esse assunto?
Pouco importa se os EUA tem 11 ou 111 porta-aviões.
O domínio chinês na área será esmagador.
E pior.
Toda a região por terra está sendo ‘cooptada’, digamos assim, pela China e seus aliados.
Não haverá espaço para os EUA no local.
Será que vc não enxerga isso?
Olha a história da viseira te coloquei !!!!!

Bosco

“Voltou com esse assunto?”
E quando a gente mudou de assunto?

Carvalho2008

Os Nae são muito melhores sem duvida. Mas combater Nae naquelas aguas tira toda a sua vantagem e muito pelo contrário, ficam em desvantagem. Seria o Continente+02 Nae Chineses contra 02 Nae americanos. É uma desvantagem tática muito grande pois eu avançaria a frota chinesa para ensandwichar a americana, fazer a americana ficar entre mim e o continente e força la a se defender de dois lados. Por obvio os americanos saberiam disto e assim eles se afastariam para evitar ficar no meio e assim, ficariam fora das ditas aguas….isto é para o pessoal perceber que Nae não é apenas… Read more »

Flanker

Qual o tamanho/deslocamento e consequente capacidade/quantidade de aeronaves embarcadas de um classe Nimitz e de um desses PA chinês??

Dalton

Quando se tem apenas dois, dificilmente ambos estarão certificados, por conta de manutenção de rotina que pode levar alguns meses ou mesmo uma revitalização que dure mais tempo ou período de treinamento.
.
Depois de alguns anos, mesmo um NAe novo precisa de um período de manutenção em doca seca e NAes também precisam fazer o papel de navio escola para pilotos novos e manter a proficiência dos veteranos o que exige tempo de mar também afastando-o mesmo que temporariamente da missão para o qual foi designado juntamente com sua ala aérea.

Paulo Drusnam

A China tenta, tenta mas é tudo cópia barata.

Bosco

Só alguns números relativos a essa formação específica: 2 porta-aviões 1 cruzador 4 destroieres cerca de 12.000 tripulantes cerca de 150 aeronaves (uns 16 MH-60R/S, 8/10 E-2C/D, uns 100 caças, incluindo uns 10 aviões de ataque eletrônico EA-18G, etc. ) cerca de 500 células de lançadores verticais de mísseis (ESSM x 4, SM-2 Block III MR, SM-2 Block IV ER, SM-6, SM-3, Tomahawk, VL-Asroc) 8000 toneladas de armas de lançamento aéreo a bordo dos porta-aviões Cerca de 400 mísseis ar-ar (AIM-120 e AIM-9) Capacidade de projeção de poder a 1800 km (com Tomahawks) e 1500 km (com REVO) Capacidade de… Read more »

Zorann

Vou discordar demais…. Com as ilhas artificiais com suas bases aéreas e bases em outras ilhas da região, fora as bases no continente, há uma cobertura aérea enorme da região. Isto só para fazer frente às aeronaves embarcadas. Lógico que um ataque deste iria iniciar um conflito que possivelmente seria de proporções mundiais. Mas se resolver atacar, não seriam um desafio tão difícil assim: Um ataque de saturação com mísseis; A aviação chinesa em muito maior número, e em alguns aspectos, com muito mais capacidade que a aviação embarcada destes CVs; Os submarinos chineses que devem acompanhar isto aí de… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Zorann
sub urbano

Os americanos sabem que não são capazes de derrotar a China naquela parte do Pacífico. Eles também sabem que a China não irá revidar as provocações por ser o país que mais cresce em valores absolutos no mundo. “Em time que ta ganhando não mexe”. A China é o que os EUA eram no inicio da segunda guerra: tem a maior capacidade industrial do mundo, a maior poder de compra (pib ppp) e não querem se envolver em um conflito. Mesmo que houvesse uma pearl harbor chinesa, 2 anos depois eles fariam uma esquadra mais gigante ainda e o sentimento… Read more »

Antoniokings

Bingo.

A China poderia mandar uns cinquenta navios para expulsar esses porta-aviões de lá.
Mas, é exatamente que os EUA querem.
Aí vão ficar ‘fornicando’ o resto do Mundo tentando convencer que a China é o grande problema.
Sr. Biden!
American people!
Ninguém é bobo de cair nessa.

Marcos R.

Pergunto: os porta aviões em movimento são apenas alvos de mísseis, mas aquelas pistas de decolagem sobre bancos de areia são inexpugnáveis?
Tem uma certa hipocrisia aí!

Fernando Turatti

todos com bom senso sabem que, no fim do dia, essas ilhas são essencialmente com o único propósito de amedrontar os países pequenos. Essa mesma turma vai te falar que Guam, bem mais longe e defensável(mas SUPER vulnerável ainda assim) é só um alvo e blablabla.
O triste é que não dá pra acusar tais pessoas de “hipocrisia”, uma vez que tais seres jamais pretenderam soar coerentes.

Flanker

A cada dia vc vem com uma teoria e desculpa diferente…..barbaridade…..é cômico…..hehehehehe

Bosco

Não entendi! O que foi que o Marcos R disse de errado? A correlação lógica dele foi perfeita.

Dalton

Na segunda foto de cima para baixo fica evidente as principais diferenças entre os 2 tipos de “Arleigh Burkes”, o DDG 104 a frente com hangares para 2 helicópteros MH-60R e apenas 1 “Phalanx 20 mm” a ré da segunda chaminé e o DDG 56 sem hangares e
dois “Phalanx 20 mm” um dos quais visível a vante.
.
O USS John McCain DDG 56 na verdade não faz parte de nenhum dos 2 Grupos de
NAes, sendo baseado no Japão, já encontrava-se na área e acabou juntando-se aos demais nesse “PhotoEx”.

Bosco

Um absurdo isso dos Burkes mais novos terem somente um Phalanx à ré. O ideal seria ter um RAM à vante, mas nem um segundo Phalanx é ridículo. Nisso tem-se que tirar o chapéu para os russos que não economizam na defesa de ponto. Também esse negócio de destroier sem míssil antinavio é outro absurdo. Tudo bem que os Tomahawks Block V e o SM-6 estão chegando com força e poderão cobrir essa falha, mas de modo geral alguns Burkes estão desarmados no quesito “antinavio” com capacidade OTH. Se pelo menos os MH-60R tivessem um míssil antinavio de fato ainda… Read more »

Dalton

Veja Bosco que o espaço vago a vante provavelmente será ocupado por armas laser como já embarcado no USS Dewey justamente um dos “novos”. . Uma outra compensação é que os DDGs mais novos possuem 96 silos verticais contra 90 dos mais antigos o que em teoria permite um número maior de ESSMs, 4 em cada silo, já que há dúvidas se todos os silos sempre estão preenchidos. . Um total de 4 Burkes “antigos” utilizados para defesa contra mísseis balísticos, tiveram o “phalanx” de ré substituído por um SeaRAM por conta de serem incapazes de lidar com mísseis balísticos… Read more »

Slim Shady

Como leigo , esses navios estão a quanto tempo em operação no mar da China ? A pintura tá surrada

Fernando Turatti

Quem navega tem pintura surrada mesmo, não há tanto o que se fazer.
O Nimitz estava, dias atrás, ali no Mediterrâneo, aí foi chamado pra casa(costa oeste) e, no caminho, resolveram chamar ele pra fazer uma graça em águas internacionais que um certo governo crê se dele.

Dalton

Uma correção Fernando. O “Nimitz” não esteve no Mediterrâneo. Esteve no Mar Arabico, Golfo Pérsico, costa oriental da África, treinou com a marinha indiana no Índico. NAes baseados na costa oeste nunca entram no Mediterrâneo salvo quando em missão estão programados para em seguida rumarem para a costa leste dos EUA para modernização de meia vida, caso do USS John Stennis ano passado. . O “Nimitz” encontra-se no mar desde fins de abril do ano passado quando depois de algumas semanas de treinamento partiu em missão sem retornar para um mês de descanso como era de praxe antes da pandemia.… Read more »

Fernando Turatti

Obrigado pela correção, mestre Dalton!

Slim Shady

Entendo, é de impressionar que se der problema no meio do caminho e não tiver onde atracar é feito gambiarras pra durar durante a operação (A pintura é o de menos), haja logística pra durar tanto tempo no mar kkk

Pedro Bó

Isso que é projeção de poder!

Andrigo

Aproximadamente 300 mil toneladas de liberdade e democracia!

Dalton

Aproximadamente 250 mil. Cada NAe totalmente carregado desloca cerca de 100 mil toneladas. O “Ticonderoga” e os 4 “Burkes” presentes ao menos nas fotos acrescentam umas 45.000 toneladas.

Tomcat4,2

Mas será que não há submarinos ocultos por ali não hein Dalton ???

Dalton

É bem possível Tom. Submarinos americanos não são integrados
aos Grupos nucleados em NAes, mas, normalmente há um no caminho do NAe que pode ficar de olho.
.
O submarino francês Emeraud por exemplo que encontra-se na área esteve em Guam em dezembro quando treinou com o USS Asheville baseado lá que em seguida partiu em missão.
.
E pode ser que um submarino chinês talvez esteja acompanhando as manobras também.
.

Zorann

Com certeza tem 1 submarino chines acompanhando… isto se não tiver mais

Washington luiz de Oliveira

Todo porta aviões é também escoltado por submarinos,neste caso no mínimo uns três ou mais.

Andrigo

Deixa pela margem de erro do Ibope! Pois não sabemos o tamanho do strike group.

Dalton

Na verdade, sabemos. O grupo do USS Nimitz, formado ainda na fase de treinamento compreende o CG 59 e dois Burkes, DDGs 104 e 114, sendo que o último já retornou a costa oeste mês passado. . O USS Theodore Roosevelt, também partiu acompanhado por um “Ticonderoga” o CG 52 e dois Burkes, DDGs 59 e 113. . As vezes há um número maior de escoltas, outras vezes, um ou mais navios separam-se do grupo por um período e outras vezes navios que encontram-se na área juntam-se temporariamente ao grupo que é o caso do DDG 56 que tem como… Read more »

Amilton César Ferreira

Tô impressionado, vcs entendem mesmo do assunto, li todo papo de vcs , fiquei pasmo.

Tomcat4,2

Santa “diplomacia” Batman !!!rs

Antoniokings

E o interessante é que os EUA brigam, aplicam sanções, bloqueiam, apresentam resoluções e a China…….. nada.
Só na dela.
O que será que está ocorrendo?

Teropode

Nada ,o dragão latindo e a carruagem passando .

Teropode

Nada ,o dragão latindo e a carruagem passando , tudo dentro da normalidade .

Ronaldo Rangel Pires

Ela fica na dela porque não pode fazer absolutamente nada.

Antoniokings

Ou, em tinha que está ganhando, não se mexe.
Ainda mais ganhando fácil.

Antoniokings

Digo ‘time que está ganhando’

Antoniokings

Qual desses dois vai para o ferro velho?

Dalton

O “Nimitz” deverá passar por uma cerimônia de inativação em 2025. Um período de tempo depois que pode ser uns poucos anos, ele será encaminhado a uma doca seca em Newport News onde o combustível nuclear residual será retirado , porém, alguns anos mais serão necessários para se retirar os reatores nucleares para serem devidamente enterrados e só depois se iniciará o desmantelamento.
.
O “Enterprise” inativado em dezembro de 2012, já teve o combustível residual retirado, mas, os reatores ainda permanecem a bordo.

Flanker

Qiando nao tem o que falar, fala criancices…..qie mané ferro velho…..

Phillipe Blower

Bela foto desse “Tico” aí. Dá pra ver a disposição de cada sensor e armamento. Coisas que eu nunca tinha reparado:

1) A antena de bombordo do SPY fica na superestrutura de ré
2) São dois conveses de voo ali?
3) A posição meio “vê onde tem espaço” para os lançadores de Harpoon

Bosco

Não são dois conveses de voo não. O que parece ser um convés de voo mais baixo é onde está situado os lançadores verticais Mk-41 de ré com 61 células.

Allan Lemos

Quando dois ou mais NAs estão operando em conjunto, o capitão de qual deles lidera a frota?

Matheus S

A frota na qual você está vendo na matéria seria dois CSGs(Carrier Strike Group) em formação, e cada CSG não são liderados pelo capitão do NAe, mas sim por um contra-almirante. No caso específico, o contra-almirante do CSG-9(USS Theodore Roosevelt) é o Douglas Verissimo e o do CSG-11(USS Nimitz) é o Jim Kirk. Nesse treinamento específico, quem está liderando a formação dos CSGs é o USS Nimitz, provavelmente quem está liderando a “frota” é o contra-almirante Jim Kirk – comandante do CSG do USS Nimitz. Apenas para destacar, um NAe americano moderno pode ter vários “capitães” a bordo em um… Read more »

Allan Lemos

Entendi. Muito obrigado pela resposta.

Fernando Turatti

E eu crente que o Jim Kirk comandava a Enterprise!

Matheus S

kkk

Gostei. Segura o like.

Phillipe Blower

Na verdade, nos 4 primeiros filmes originais, quem comandava a Enterprise era o Spock. Kirk era almirante na época.

Leandro Costa

Na verdade não, Philipe. Kirk assumiu no final do segundo filme. Terceiro e quarto não contam muito, mas no finalzinho do quarto filme ele oficialmente está no comando da Enterprise de novo (1701-A) mas já como Capitão.

Leandro Costa

Ah, claro, no primeiro filme não é Kirk nem Spock. Kirk assume, mas é o Capitão Decker quem estava no Comando.

Piassarollo

Ótima explicação

willhorv

Pra mim ainda é top….uma marinha que faz o que fez desde a WW2….possui doutrina e conhecimento de sobra do que é manusear uma frota de extremo poder.
É bonito de se ver!
Só fassam as contas….quantos CVs, nucleares ou não, esta marinha já operou durante e após a segunda grande guerra…
É algo absurdo de se descrever!!

FABRÍZIO AMORIM DE MENEZES

É sabido que a exposição à maresia causa ferrugem. Porém, não sei se estou equivocado, mas faz tempo que não vejo os navios americanos tão sem manutenção assim.

Parece-me que o plano de manter o maior número possível de navios ativos está diminuindo o período de porto de algumas unidades.

Antoniokings

E estão ocorrendo quebras constantes, incêndios, quedas de avião e etc.

Bosco

Boa é a marinha chinesa da qual não sabemos de nenhuma quebra, incêndio, queda de aviões, etc.

Funcionario da Comlurb

Para desgosto de muita gente, eu incluído, a China irá se sobrepor sobre os EUA. Muito brevemente veremos navios chineses fazendo a tal da “Freedom of Navigation ” em águas europeias e americanas.

Antoniokings

Não vai precisar.
Os europeus, pelo menos, vão até pedir.
Acompanhe os acontecimentos.

Jagdverband#44

sonha fio

Antoniokings

Não quebra e nem caem porque são novinhos em folha.
E vem muito mais de onde estão vindo estes.

Flanker

Quebras constantes de que? Só se for do seu cérebro!! Incêndios? Sim…assim como nos navios russos e chineses…mas, esses não valem? Quedas de aviões? Tudo que voa pode cair….assim como aviões de qualquer país…

Andrigo

Normal e esperado, pois os navios dos EUA geralmente passam por comissões longas.

Flanker

Como assim sem manutenção? Você fala da pimtura enferrujada? Basta algumas semanas no mar e a pintura de qualquer navio fica assim……e o Nimitz, por exemplo, já está no mar há meses!!

LUIZ

A china sempre será fichinha para os aliados, como foi a Alemanha nazista.kkkk

Antoniokings

Exercícios navais conjuntos entre Paquistão, China, Rússia e …… EUA.

https://www.globaltimes.cn/page/202102/1215559.shtml

Jagdverband#44

Saudade dos Spruance!!!

Antônio Palhares.

Em caso de guerra.
Todo este aparato, muito perto da costa. Se tornam alvos para os lançadores de mísseis hipersonicos. Tanto de terra, quanto do ar.

Võ Nguyên Giáp

Caramba! Deus me livre de topar com essa galera

Antoniokings

O Giap, original, topou e ganhou.

Matheus S

Alex Barreto Cypriano

Os embarcados do Eisenhower serão vacinados contra CoViD-19, e dizem que setenta por cento daqueles a quem foram oferecidas vacinas as aceitaram (portanto, não obrigatória). Quem acredita que o Eisenhower, depois da vacina, estará tripulado por jacarés se engana de endereço: a Croc Navy é outra. Vacina só protege o vacinado da morte por CoViD ou UTI, mas o vacinado ainda pode contrair o virus e, até assintomático, disseminá-lo. De toda forma, todos os militares em comissão longe de ConUS deveriam ser vacinados, suponho. Como é aqui no Brasil? Alguém acredita que esteja tudo dentro da planilha de ministros, governadores… Read more »

Nilton L Junior

Deve estar em alta fazer exercício, o Paquistão esta fazendo a AMAN21

Antoniokings

Sim.
Junto com chineses, russos e outros países.
Inclusive, para desgosto de muitos, com a presença dos EUA.
Está tudo em casa.

Antoniokings

Em tempo:
Desmobilização geral de forças na fronteira Índia x China.
A paz está de volta na região.
Que volte o bom relacionamento entre os dois gigantes que têm muito a ganhar.

Nilton L Jr

Tomara Kings, vamos esperar que o pragmatismo diplomático do novo império Chinês prevaleça.

sub urbano

Os americanos não venceram os chineses na Guerra da Coréia… Vão vencer agora?