quinta-feira, junho 30, 2022

Saab Naval

Novas fragatas da Marinha Russa com capacidade de arma hipersônica

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Os navios de guerra originais do Projeto 22350 produzidos em série no Estaleiro Severnaya (parte da United Shipbuilding Corporation) carregam dois lançadores versáteis cada

MOSCOU, 16 de fevereiro./TASS/. As fragatas aperfeiçoadas do Projeto 22350, Admiral Amelko e Admiral Chichagov, serão portadoras de armas hipersônicas e serão capazes de transportar 32 mísseis de cruzeiro cada, uma fonte da indústria de construção naval doméstica disse à agência TASS na terça-feira.

“A dupla (as fragatas Admiral Amelko e Admiral Chichagov) será capaz de realizar as tarefas que os navios de produção em série padrão cumprem. Elas carregarão uma carga maior de munição. Existe a possibilidade de instalar armas hipersônicas”, disse a fonte.

“Segundo o contrato, elas transportarão quatro lançadores versáteis embarcados cada uma e esta série de navios terá continuidade. Cada lançador é projetado para oito mísseis de cruzeiro Kalibr-NK e/ou Oniks e, eventualmente, para armas Tsirkon hipersônicas”, disse a fonte.

A TASS ainda não tem confirmação oficial desta informação.

Project 22350

Os navios de guerra originais do Projeto 22350, produzidos em série, construídos no Estaleiro Severnaya (parte da United Shipbuilding Corporation), carregam dois lançadores versáteis cada. A Marinha Russa está usando atualmente a fragata principal do Projeto 22350, Admiral Gorshkov, para testar armas hipersônicas Tsirkon.

A fragata Almirante Gorshkov lançou em teste um míssil de cruzeiro hipersônico Tsirkon pela primeira vez no início de outubro de 2020. O míssil lançado do Mar Branco atingiu um alvo marítimo no Mar de Barents. O Tsirkon desenvolveu uma velocidade de Mach 8 e subiu a uma altitude de 28 km. O teste seguinte de lançamento ocorreu em novembro de 2020. Um míssil Tsirkon atingiu com sucesso um alvo marítimo a uma distância de 450 km, desenvolvendo uma velocidade superior a Mach 8.

Míssil hipersônico Tsirkon

Míssil hipersônico Tsirkon 3M22 (SS-N-33)

Em fevereiro de 2011, o então vice-ministro da Defesa, Vladimir Popovkin, anunciou planos para desenvolver o sistema naval Tsirkon com um míssil hipersônico. De acordo com relatos da mídia, os testes de voo do míssil começaram em 2015.

Em seu discurso sobre o estado da nação na Assembleia Federal em fevereiro de 2019, o presidente russo Vladimir Putin disse que o trabalho no míssil hipersônico Tsirkon estava ocorrendo conforme o planejado.

Como disse o líder russo, o Tsirkon era capaz de desenvolver uma velocidade de cerca de Mach 9 e sua capacidade ataque com alcance poderia ultrapassar 1.000 km.

Ele disse também disse que o Tsirkon pode atingir alvos navais e terrestres. Na época, Putin especificou que havia planos para implantar o Tsirkon em navios de superfície e submarinos produzidos em série, incluindo os navios de guerra construídos ou em construção para mísseis de cruzeiro Kalibr.

A Rússia usa o lançador versátil de navio 3S-14 para o lançamento de armas hipersônicas Tsirkon e mísseis de cruzeiro Kalibr. Esses lançadores, em particular, estão operacionais nas fragatas do Projeto 22350 da Marinha Russa e nas corvetas do Projeto 20380.

Maquete do lançador versátil 3S-14
- Advertisement -

97 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
97 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Funcionario da Comlurb

A impressão que tenho é que essa fragata russa tem um poder de fogo maior que um cruzador Ticonderoga.

No.minimo equivalente.

O que vocês acham ?

Bosco

Um Tico tem 122 células verticais de mísseis e mais 8 lançadores inclinados, totalizando 130 células de mísseis. Algumas delas ocupadas por um conjunto quádruplo de mísseis ESSM.
Já essa fragata tem 64 células ao todo (32 para mísseis sup-sup e 32 para sup-ar). Também o Tico tem 2 canhões de 127 mm enquanto essa fragata tem apenas 1.

100nick-Elã

Ou seja, duas delas tem poder de fogo igual ao ticonderoga; além disso, são alvos menores, portanto mais difíceis de acertar, além de serem mais ágeis; e mais, para derrotar as duas é necessário usar o dobro de mísseis ou torpedos que para derrotar um ticonderoga.

Last edited 1 ano atrás by 100nick-Elã
DOUGLAS TARGINO

Os russos são bons em colocar mais poder de fogo em embarcações menores. Alias, a Rússia se prepara para proteger seu pais e não ser um expansionista como china e eua, por isso não precisa de grande e pesados navios. Precisam de embarcações menores, mais baratas e com poder de fogo igual ou maior que outros navios. Por isso investem tanto em coveta e submarinos (dinheiro tem tudo haver também kk).

Funcionario da Comlurb

Sim Douglas, isso mesmo, mas como tudo, existem 2 lados : Devido a maior concentração de equipamentos em um espaço menor, certamente os PMGs desses navios russos levam mais tempo. Acho, só pela lógica.

Rogério Loureiro Dhiério

Foi o que pensei de imediato.
Grana.

Precisam colocar os engenheiros para quebrarem as cabeças “Literalmente” pois os recursos são limitados, as necessidades urgentes e as capacidades devem ser otimizadas para artefatos como estes.

Bosco

Os russos precisam de grande poder de fogo concentrado em navios que navegam mares fechados, daí podem ser menores já que a autonomia é reduzida e por sempre estarem próximos de suas bases.
Um Ticonderoga foi feito para navegar o mundo todo e ficar mais de seis meses fazendo isso longe de suas bases. O que faz um navio ser grande não é necessariamente a quantidade de armas e sim a autonomia.

Adriano RA

E essa fragata russa não vai ser “uma embarcação inteligente, inovadora, acessível, sustentável, interoperável e flexível” como a EPC européia?

Dalton

Além do que o Bosco escreveu o “Tico” tem hangar para 2 helicópteros enquanto a fragata transporta apenas um, mas, mais importante é a função que cada navio exerce, o “Tico” sendo um navio prioritariamente de defesa anti aérea com mísseis de longo e médio alcance.

Pedro

Bom, seu míssil anti-navio tem pelo menos 5x mais alcance util do que o seu oponente, sem falar que seu míssil voa 10x mais rapido o que dificulta e muito as açoes defensivas do outro lado. Com tamanha velocidade que esse míssil atinge um alvo, so a energia cinetica do mesmo é suficiente para afundar um navio menor. Pode ser que para uso AA esses cruzadores sejam mais poderosos, mas para funçao anti-navio, essas fragatas sao talvez os navios mais bem armados e periogosos do mundo no momento.

Bosco

Esse míssil para ser usado de forma clássica, navio a navio, quando entrar em operação, será fantástico, agregando um substancial fator de letalidade devido a alta velocidade. Para ser eficaz contra um Ticonderoga (na hipótese do Tico só estar armado com o Harpoon), o navio teria que usar o helicóptero orgânico para a designação do alvo e atacar fora do alcance do míssil americano.
Já contra um CSG aí a porca torce o rabo porque há uma série de variáveis capazes de degradar a kill chain.

Bosco

O resultado de um hipotético combate entre um Burke americano armado só com Harpoons (cada vez isso será mais raro) e essa fragata armada com qualquer um de seus grandes mísseis antinavios de longo alcance não é definida necessariamente por quem tem o míssil de alcance mais maior e sim por quem tem um nível mais amplo de consciência situacional e acha, identifica e rastreia o inimigo primeiro e de forma consistente. Para engajamento OTH (além do horizonte) entre ambos e excluindo qualquer outra variável externa, se mantendo só no “mano a mano” , há uma boa vantagem inicial do… Read more »

Bosco

Eu sei que peguei para mim a ingrata tarefa de tirar “pirulito da boca de criança” quando revelo as várias nuances de um combate naval e insisto em mostrar que o resultado de tais combates não se resume a quem tem o “míssil” maior, mas vejo isso não como um fardo pesado a ser carregado, mas antes, como uma valorosa missão.
Até cansar de clamar no deserto ou ser bloqueado pelos editores, continuarei a cumpri-la independente de ser rotulado disso ou aquilo. Faz parte!

Antoniokings

Cara.
Esperamos que os editores nunca te bloqueiem porque gostamos de assistir (surpresos ou atônitos ?) seus malabarismos para tentar puxar a brasa para sua sardinha Faz parte.
kkkkkk

Paulo Drusnam

Toinho, vai dormir, “ce sabi” nada!

Pedro

Esta parecendo ate certos “jornalistas” que para nao terem que aceitar a verdade, ficam criando “perseguiçoes” imaginarias e que seu “papel” é para um bem maior.

100nick-Elã

Que cenário é esse? é o mesmo que vc fazer uma simulação de uma partida de futebol e falar: o meu camisa 10 contra o seu…percebe o absurdo? 10 jogadores de cada lado foram expulsos? o cenário mais plausível seria uma CSG americana contra uma armada russa e, nesse caso, a maioria dos cenários imaginados privilegia o alcance maior dos zircons.

Bosco

O cenário proposto aí em cima onde se comparou a fragata russa a um cruzador americano.
Não entendi porque um CSG americano contra uma armada russa é favorável ao alcance maior dos Zircons?
Um CSG pra começar tem F-18 e F-35 que tem alcance maior que o Zircon (mesmo supondo ser de 1000 km como querem alguns).
De qual cenário você tá falando? Dá um exemplo.

Antoniokings

Eu te avisei do malabarismo.
É só para não admitir que o navio americano será afundado sem nem saber direito o que aconteceu.
kkkkkk

Bosco

Fique você e a 100 conversando entre vocês. Trocando figurinhas. rsss
Vai ser hilário!
-Meu míssil Mach 10 com 2000 km de alcance apontado por satélite a 5000 km de distância da Terra. Imparável!
-O meu é maior que o seu e tem 5000 km e Mach 20 e é apontado por satélite a 20000km de altura. Só com a força do impacto afunda porta-avião igual faca quente na manteiga.
-não ! é o meu. Seu bobão! O meu é apontado por radar OTH com 10000 k de distância.
-bobona!
-Feioso!!!
rrrssssssssssssssss

Bosco

100,
Seja mais sensata. Eu não estou falando mal da porcaria do míssil russo. Eu só estou tentando dizer como funciona a troca de mísseis entre navios. . Eu , repito, não estou falando mal de porcaria de míssil nenhum. Se te ofende qualquer comentário que julga desrespeitoso para com a Rússia, “dane-se”. Deixa de ser tapada igual o toinho da lua que vive numa bolha de imbecilidade.

Last edited 1 ano atrás by Bosco
100nick-Elã

Calma, Bosco, não precisa se ofender, só dei minha opinião. Não está mais aqui quem falou.

Soldado Imperial

Excelente texto, muito esclarecedor. Espero que mais comentários deste padrão no site. 

Dalton

Também espero. Esse negócio de míssil, submarino, navio todos “mágicos”, que sempre atingirão o alvo, um navio da US Navy e/ou OTAN e que sempre estarão no lugar certo e na hora certa parece-me um pouquinho exagerado, não?

Pedro

Cara, essa de usar Hellfire contra um missil que voa a mach 8 ou 9 foi sensacional! Ah sim, o cozinheiro do cruzador vai com sua pistola acertar um tiro do misseil tambem! Pqp cada coisa que a gente le aqui….. Novamente…..se os helicopteros americanos detectarem esse navio a 800km, nada ou pouco poderao fazer pois estao fora de alcance……se a fragata Russa o detectar nessa mesma medida, estará disparando! Essa é a vantagem de ter um alcance maior.Esta tao dificil enxergar isso? Vc mesmo disse que esse cenario “mano a mano” nao existe mais, logo se ambos os navios… Read more »

Bosco

Pedro,
O Hellfire que citei poderia ser usado contra o Ka-27 russo caso ambos se encontrassem na missão de esclarecimento aéreo. Não fiz nenhuma referência a Hellfire contra o Zircon.

Last edited 1 ano atrás by Bosco
Bosco

“Vc mesmo disse que esse cenario “mano a mano” nao existe mais,”
Eu falei isso?

Rogério Loureiro Dhierio

Vamos colocar um cenário um tanto mais desafiador Bosco. Considerando que as fragatas russas foram desenvolvidas para operarem muito próximas às águas juridiconais daquele país, o que justifica sua autonomia limitada e grande poder se fogo, Imaginemos que o Tico esteja navegando próximo às águas russas. Não ficariam dentro da cobertura radar OTH dos sistemas terrestres russos com propagada capacidade de rastreio em 1000 km, o que tornaria ainda mais complicado o engajamento ou enfrentamento para o lado americano? Sem contar com outras variantes como Sukhoy 34, baterias antinavios baseados em terra etc? Digo isso justamente pelo conceito de utilização… Read more »

Bosco

Rogério, Todo comentário meu tem como único objetivo mostrar que um combate naval é mais que apenas “o meu é maior que o seu”. Há uma série de variáveis que devem ser pensadas e podem ocorrer. O cenário mais simples é a de um navio contra outro navio em mar aberto, sem apoio externo de qualquer natureza. Por isso o citei para ilustrar a kill chain mais básica. Infelizmente com isso o Pedro se sentiu ofendido pessoalmente. Longe de mim. Não faço a mínima ideia de quem ele seja e se merece ser insultado ou não . Se merecer, ele… Read more »

Art

Eu aprendo muito e gostaria de tomar uma cerveja conversando sobre assunto. Abç

Bosco

Quem sabe um dia Art.
Um abraço.

Rogério Loureiro Dhierio

Bosco. Quanto ao Zezinho, Huguinho e Luiznho, sequer sei quem são. O que acho produtivo nos seus comentários são os ricos detalhes técnicos que nos permitem exatamente isso, confabular e criar diferentes cenários considerando estas premissas técnicas para enobrecer ainda mais o debate. Acho que o amigo deve deixar os cães latindo enquanto o carro do gás passar ao mesmo tempo que se atente ao debate construtivo. Falar dos EUA, da China, da Rússia, Brasil faz parte de um blog relacionados a assuntos militares. É isso é bom demais quando há pontos de vistas diferentes, pois leva a argumentos e… Read more »

Bosco

Rogério,
Não creio! O DDG-1000 sim tem uma assinatura radar (e acústica) diminuta que poderia fazer diferença. Tanto é que a classe Zumwalt sequer tem sistemas dedicados de ECM.
A única defesa antimíssil “soft” deles é a baixa assinatura radar e térmica além de um sistema de interferência ativo baseado no SLQ-32.
Eles não contam com lançadores de chaffs/flares Mk-36 SRBOC, despistadores flutuantes SLQ-49 e sistema Mk-53 Nulka, que é padrão nas outras classes.
Valeu!

Rogério Loureiro Dhierio

Show. Valeu Bosco.

ALEX ROCHA

Sai não Bosco. Aprendo também com seus comentários e com os comentários do mestre Dalton.

Bosco

Não vou sair Alex. Como diz a música “Só de Sacanagem” , agora eu vou continuar. rssss
Mas é foda quando um sujeito qualquer que você nunca viu por essas bandas (sabe-se lá , eles mudam de nick, se multiplicam , somem, aparecem…) e diz que eu disse que o Hellfire intercepta o Zircon. rssss
Aí da vontade de amarrar a chuteira. rsss

100nick-Elã

Bosco, fiz uma poesia especialmente para você. Pode me dizer se gosta? eu fiz com carinho…

Vou dizer algo que é muito legal
mas sem querer ser irônica
Nem Palmeiras tem mundial,
Nem USA capacidade hipersônica

Gostou, Bosquinho?

Alison

Muito obg pelas informações!

Pedro

Ele perguntou se com esse missil essa fragata teria ou nao mais poder de fogo. A resposta, mesmo com seu malabarismo inutil (da canseira de ler tanta hipotese) é sim, pois ele é mais rapido, tem mais alcance, e mais poder de impacto que os meios do navio citado dos EUA. Se ele precisar do helicoptero para detectar o outro navio, tudo bem, se ele o fizer a 400km esse missil é muito mais poderoso que a contraparte americana. Se os EUA detectarem a 900km essa fragata, esses cruzadores nada poderao fazer. Mas se os Russos detectarem esse cruzador a… Read more »

Antoniokings

Perfeito.
Sem contar a quantidade gigantesca de sensores que os russos terão em volta de seus navios e centenas de quilômetros ao redor.
Que chance terá um míssil subsônico tipo Tomahawk a mach 0,8 de passar por isso?
Eu te digo: ZERO.
Será derrubado.

Bosco

Pedro,
Os americanos já adotam o SM-6 que tem 400 km de alcance contra navios. E também o Tomahawk Block V está entrando em operação e esse tem 3 x o alcance do Zircon.
Essa aparente vantagem russa está sendo questionada.

Last edited 1 ano atrás by Bosco
100nick-Elã

Quando o Tomahawk Block V estiver operacional, aí você fala. Por enquanto a realidade é essa: os russos têm alcance maior com o Zircon. Hoje, fevereiro de 2021, a realidade é essa. Quando a coisa mudar, se mudar, aí a gente conversa.

Bosco

O Zircon ainda não está em operação. O Tomahawk V vai entrar primeiro.

Antoniokings

100nick

Será mais um míssil subsônico, talvez menos de 900 km/h.
Dependendo da distância que o navio russo estiver, até chegar lá, vai avisar o oceano todo.

Pedro

Qual a velocidade do Tomahawk?????? Ele consegue Mach 2? Nao!
Ahhh, beleza, pois ja sabemos que precisarao ser lançados 100 deles para atingir um ou dois alvos, como lá na Siria neh?
Só nao esqueça que em 1991 no Iraque, diversos Tomahawk foram abatidos por soldados iraquianos com SA-7 dos anos 60! O que dirá navios modermos….

Antoniokings

Exatamente.

Israel está gastando rios de dinheiro americano lançando mísseis de cruzeiro contra a Síria que acabam derrubados pela defesa AA.
Está cheio de carcaças deles nos desertos sírios.

Antoniokings

Pedro.

O Zircon chegou a estonteantes Mach 9, ou cerca de 11.000 km/h
O tempo de reação do inimigo não será suficiente para detê-lo.
Com relação à energia cinética, lembrei de um documentário sobre a bomba voadora a jato japonesa, usada na 2ª G.M. hamada Ohka, e cujo tripulante do navio americano atingido relatou que ela varou a popa da embarcação e não explodiu.
Ele não entendeu nada, pois nunca havia visto algo tão veloz se aproximar do navio.

Bosco

O tempo de reação da defesa só não será menor do que o tempo de reação da cabeça de busca do míssil, que tradicionalmente é a metade.
O míssil terá metade do tempo da defesa para achar o navio verdadeiro no meio de vários “navios” falsos, chaffs, nuvens stealth, interferência ativa…
Tomara que os russos não estejam usando chips chineses. rssss

Antoniokings

O Zircon tem capacidade de manobra e pode, inclusive, segundo li e espero comprovar a informação, ser controlado por comando remoto, como o Khinzal.
Isto dificultará sobremaneira, ou mesmo impossibilitará sua interceptação.

Bosco

Ah!

Vinícius Momesso

A Rússia reduziu a quase zero a dependência de componentes eletrônicos complexos na área militar.

Antoniokings

Prezado Funcionário
O mais importante é que a fragata russa tem o Tsirkon e a americana não tem nada que se aproxime disso.
O que é uma vantagem incontestável.

Antoniokings

Funcionário
Quanto o pessoal da ‘Tico’ perceber o Tsirkon se aproximando só vai dar tempo de dizer: ‘Míssil se aproximan….’
Não deu.

Paulo Drusnam

Toinho, aqui o pessoal se diverte com suas observações, sabe nada inocente!

Carlos Campos

Eu acho que vc não tem ideia do que um Ticonderoga

Bosco

Muito provável o Zircon não tem a aparência como na foto acima. Essa forma de cunha é incompatível com um míssil com um seeker radar.

Rogério Loureiro Dhiério

Devido a falta de grana, não podem ter redesenhado os Seekers de modo que fossem “entuchados” ali?

Devem ter utilizado Mini Nanotecnologia. kkkkkk

Bosco

rrssss Fazer isso exigiria grana a beça. rsssss
Acho que não Rogério. O mais provável é que tenha uma forma completamente diferente. Os russos nunca liberaram um foto do dito cujo.
Como essa é a forma básica de um veículo de teste com propulsão scramjet ela ficou internacionalmente conhecida como sendo a foto do míssil Zircon, que adota tal propulsão.

Piassarollo

Na verdade os russos fazem muita propaganda

Vinícius Momesso

Os EUA tem uma rede de espionagem muito poderosa e ampla. Se fosse ‘pura propaganda’ como muitos afirmam por aí, não teria adiantado seu programa de mísseis hipersonicos.

Piassarollo

Muita propaganda é diferente de pura propaganda. Os russos possuem sim um belo arsenal de mísseis e conseguem diante de muitas dificuldades, avanços incríveis na área militar. Mas que exageram na propaganda isso é inegável.

Antoniokings

Com a velocidade que o Tsirkon chega ao alvo, provavelmente seus inimigos nunca saberão seu formato.
A menos que os russos queiram mostrá-lo.

Bosco

Toinho,
Você está equivocado. O míssil antinavio “invisível” que existe é o americano LRASM. O Zircon a gente não sabe a forma porque os russos não liberaram nenhuma foto.
Aliás, sai artigo, entra artigo, todos anunciando o Zircon como já operacional e tal, e fotinha mesmo que é bom… nadica de nada.
É no mínimo estranho essa aparente leniência da imprensa mundial com tamanho disparate.
O problema é só comigo ou mais alguém acha isso estranho?

Last edited 1 ano atrás by Bosco
Antoniokings

Percebe-se claramente a diferença de estratégia entre Rússia/China e EUA.
Os dois primeiros estão focando e conseguiram sucesso em desenvolver mísseis hipersônicos.
Os EUA continuam com a estratégia de usar mísseis de cruzeiro, pretensamente stealth, mas com longos e ‘tediosos’ voos subsônicos.
Não é difícil apontar quem está em vantagem nessas abordagens.

Vinícius Momesso

O LRASM não é um tapa buraco até a chegada do Tomahawk V? Qual vantagem teria a Rússia se desenvolvesse um analogo desse?

Last edited 1 ano atrás by Vinícius Momesso
Antoniokings

Para quem já tem o Khinzal e Zircon, nenhuma.
Só para algumas situações específicas
Se os russos fizerem como com o Khinzal será totalmente mortífero.
Imagine um MIG-31 se aproximando do alvo a 3.000 km/h e soltando essa belezinha a Mach 10.

Bosco

O Khinzal não é antinavio. Não tem seeker terminal. Ele é um míssil nuclear e dizem , com versão com ogiva convencional , mas contra alvos fixos.
Não viaja Toinho! Não viaja na maionese do Putin não.
Já o Zircon ainda tem que entrar em operação e quando entrar vamos ver se é mesmo um míssil antinavio com função secundária de ataque ao solo ou se é só mais uma opção de ataque a alvos fixos em terra.

Antoniokings

Interessante reportagem sobre os atributos do bichão, inclusive caça navios em escalas extremas.
Um MIG-31 armado com um desses pode atingir um navio americano a 3.500 de sua costa.

https://debategeopolitico.wordpress.com/tag/khinzal/

Agora, uma coisa é certa.
Em tempos de guerra, a profissão mais perigosa deverá ser tripulante de porta-aviões americanos.
Se não for afundado por um Zircon ou Khinzal, será abatido por um DF-21.
Caso contrário, poderá ver o oceano se levantar a sua frente por causa de um Poseidon.

Bosco

Toinho,
Para de fazer a mesma experiência achando que vai dar resultado diferente. Esse artigo é um lixo. Quem escreveu não tem o mínimo conhecimento. Disse até que o Scud e sbsônico. Pelo amor de Deus. Tenha apreço pelo seu cérebro (o que restou dele).
Nem os russos dizem que o Kinzhal é antinavio.

Bosco

Olha o nome do site que o cara coloca como referência sobre tecnologia militar: debategeopolítico. rsssss
Você é cômico Toinho.
Realmente esses sites que você acessa não precisam fazer nenhum contorcionismo pra te convencer. Já sabem eles que os que leem seus artigos são desmiolados. rsssss

Antoniokings

Quem tem experiência é o pessoal da organização ultra-conservadora ‘Jamestown Foundation’ que diz que o DF-21 -e uma cópia do antiquíssimo Pershing 2, só para depreciar os chineses.
Tome tenência!
Vc fica nessa doideira de querer defender tudo que é americano, quando os próprios americanos já estão preocupados com o que está acontecendo e o que está porvir.
Luta inglória e perdida, a sua.
SDS

Paulo Drusnam

Toinho, parece que você acredita em Papai Noel, coelhinho da Páscoa, bicho papão…..

Bosco

Vinícius, Todas e mais algumas. Principalmente contra a USN que tem sua doutrina muito dependente de porta-aviões e que é difícil de lidar. Um míssil subsônico stealth de grande alcance e autonomia, capacidade de vadiagem e de aquisição automática de alvos não é ISTAR dependente. A sua kill chain é muito mais relaxada e portanto, é muito mais difícil de bloquear. Um LRASM é um robô voador com uma ogiva. Ou se preferir, um drone autônomo suicida. Tem múltiplos sensores (capacidade multiespectral e multimodal) e alto nível de IA, contando com capacidade de ECM ativa reativa , além da furtividade… Read more »

Bosco

Tapa buraco? Não! São sistemas independentes. Mais provavelmente o LRASM será instalado em navios no futuro. Por enquanto ele é lançado pelo B-1B e F-18E. Já o Tomahawk V é de lançamento naval (navios e submarinos). O Tomahawk V tem capacidade semelhante ao LRASM. Ambos com alto grau de IA e capacidade autônoma. A grande vantagem do Tomahawk V em relação ao LRASM é o alcance de 1800 km enquanto o LRASM é a furtividade nível VLO, mas com metade do alcance. Se imaginarmos que esses mísseis serão lançados em grande quantidade contra navios fora da proteção de um porta-aviões… Read more »

Sincero Brasileiro da Silva

Brasil com quatro Tamandaré e mais quatro FREMM ou 22356 teria uma marinha de grande qualidade e poderio!

Zorann

Entenda uma coisa: não interessa muito quantos/quais navios nós temos e sim quantos/quais nós somos capazes de operar, tirando o máximo que o navio escolhido pode oferecer. isto quer dizer operar um navio de guerra, como um navio de guerra. E na atual situação, até Tamandaré é muito para nós. Tem de ter o conhecimento/doutrina de emprego, ter o aprestamento necessário e ser capaz de operar o navio em sua plena capacidade (o que inclui ter os mísseis, munição suficientes para mais do que os 15 primeiros minutos de batalha). E duvido que teremos isto com as Tamandarés, quem dirá… Read more »

Piassarollo

Opaa, concordo plenamente!

Sincero Brasileiro da Silva

Por qual vc optaria para a MB: FREMM ou 22356?

Manock

Escolho toneladas de picanha e piscinas de Heineken geladinha…

Zorann

É muito surreal. Imagine você 700t de picanha. São 700.000kg. Levando em conta que uma peça de picanha tem em média 1kg, foram necessárias 700.000 cabeças de gado para atender só a este pedido.

Dá pra imaginar isto? É até difícil de conseguir imaginar.

Antoniokings

Um repórter perguntou a um militar: Vcs não falaram que acabou a mamata?
E o militar respondeu: Vcs entenderam errado. Acabou a maminha.

Gal. Ruela

1 boi oferece 2 picanhas…

Zorann

Eu não sabia. Obrigado pela informação. Mesmo assim são 350.000 cabeças

Soldado Imperial

Um boi possui duas picanhas. Pesquise ai pra você confirmar

Zorann

Eu não sabia. Obrigado pela informação.

Bosco

Pelos menos os leites condensados e picanhas do Bozo estão disponíveis para verificação pública e do TCU. Não foram frutos de delação premiada e o dinheiro não foi parar em empresas fantasmas e paraísos fiscais.

Zorann

Hoje é muito mais difícil você esconder uma compra como esta, ou de qualquer outra coisa. (lógico que isto ainda acontece, mas com menos frequência e cada vez com mais dificuldade).Os sistemas de compras, incorporação de bens (patrimônio), controle interno dos governos em todas as esferas, tem sido interligados com os respectivos portais da transparência. É uma exigência muito cobrada pelos Tribunais de Contas. Há um monte de normas e responsabilidades envolvidas nisto, tanto para quem trabalha nestes setores, como para quem administra o Executivo. Isto pode acarretar acusações diversas aos funcionários destes setores, bem como o risco de um… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Zorann
Nascimento

Não é questão de qual optaria pela MB mas sim de que cada uma tem suas funções bem específicas. As Gorshkovs são provavelmente a classe mais bem armadas e completas para o seu tamanho e tonelagem. Elas podem executar ataques de longo alcance contra alvos de superfície, conduzir guerra anti-submarina, realizar missões de escolta e ser implantada em uma variedade de situações que uma classe de fragata geral não seria capaz de cumprir. Talvez com a entrada das novas FREMMs americanas (que são muito maiores e mais pesadas), elas tenham um adversário digno em termos de capacidade, pois as demais… Read more »

Cleber

Enquanto por aqui …. Alguem tem noticias do Mansup ? Da vontade chorar nessas horas .

Sincero Brasileiro da Silva

Morreu!

Henrique

Deveria haver uma CPI pra investigar esses projetos mirabolantes das forças armadas que torram uma porrada de grana e acabam em nada.

Alex Barreto Cypriano

Onde entra Kalibr e Oniks entra Tzirkon, na Gorshkov ou na Buyan-M. Mas a figurinha, mostrando um sub rastreando e designando o CVN no CSG pra Gorshkov disparar, isso foi espantoso: imagina o link subaquático pra passar os dados pra fragata, lá longe, abaixo do horizonte radar AEW do Hawkeye…

Last edited 1 ano atrás by Alex Barreto Cypriano
Bosco

Rsss
Papel aceita tudo. Não existe esse link subaquático não. O máximo que um submarino pode fazer é achar os alvos no mar e identificá-los como inimigo usando o sonar passivo (hidrofones). Aí ele tem que reportar isso ao navios aliados e para isso vai ter que subir a nível de periscópio e por uma antena de fora. Aí, alguma aeronave vai ter que ir lá conferir e fazer a solução de tiro para o míssil e ainda terá que permanecer tempo suficiente na área , sem ser incomodada pelos F-18/35 e E-2C/D até o Zircon adquirir o alvo.

Piassarollo

E essa subida do submarino à cota periscopica é bem perigosa

CESAR ANTONIO FERREIRA

Doze segundos para a morte…

Marcelo

Acho essas fragatas da classe Gorshkov as mais belas da atualidade, ganhando por pouco das FREMM.

Wagner

Engraçada a revolta que o fato de que as naves russas tem mísseis melhores causa nos torcedores dos americanos. A Rússia tem menos navios e poder aereo maritimo menor, então ela sempre teve que compensar nos mísseis, e na quantidade de armamentos em cada nave. Sim, o Tzircon é uma arma extremamente letal aos Nimitz. Isso é um fato. Quando a nova arma é norte-americana aí pode fazer propaganda, mas se é russa, ahh, não presta, não funciona, não pode falar dela… ou é sempre ” Propaganda do Putin” , como se os USA NUNCA fizessem propaganda. O Tzircon é… Read more »

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios da Marinha serão abertos para visitação neste fim de semana em Vitória (ES)

Serão diversas embarcações e cerca de 1.700 militares atuando durante operação da Marinha do Brasil Quem tem vontade de conhecer...
- Advertisement -