sexta-feira, setembro 17, 2021

Saab Naval

Damen realiza cerimônia de batismo do primeiro MMIPV da África do Sul

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

No dia 12 de fevereiro, a Marinha da África do Sul (SAN) realizou uma cerimônia de batismo do primeiro de três Multi Mission Inshore Patrol Vessels (MMIPV) nos Estaleiros Damen na Cidade do Cabo (DSCT).

Inicialmente, o plano era realizar uma grande cerimônia de lançamento, mas devido à situação em torno da pandemia do coronavírus, a SAN decidiu fazer algo em menor escala.

Durante o evento, a embarcação foi abençoada e uma garrafa de champanhe foi quebrada na proa como é costume. A bandeira da África do Sul foi hasteada no navio e ela foi saudada por sua tripulação.

Sam Montsi, Diretor do DSCT, disse: “Apesar da natureza discreta do evento, esta continua sendo uma ocasião importante – a bênção do primeiro destes três importantes navios que estamos construindo na África para a África. Com isso ocorrendo enquanto a pandemia global continua, todo cuidado foi tomado para garantir o bem-estar de todos aqui hoje. Isso conta também para o dia a dia da obra, com rígidas medidas de segurança em vigor. Por causa dessas medidas, podemos continuar nosso trabalho nas embarcações e permanecer dentro do prazo e do orçamento, algo de que todos podemos nos orgulhar. ”

Os MMIPVs contribuirão para a segurança marítima da África do Sul, aumentando a capacidade do país de responder de forma eficaz, rápida e econômica a ameaças como tráfico e pesca ilegal.

“Hoje é mais um marco na história da Marinha da África do Sul. Pensar onde esse primeiro MMIPV pode entrar na história é emocionante. Esta embarcação será crucial nas operações de busca e salvamento e um elo crítico nas operações de segurança. A reconfigurabilidade do navio o torna um multiplicador de força em qualquer ambiente litorâneo para a Marinha da África do Sul. O que o futuro reserva para este navio, ninguém sabe. O que eu sei, sem dúvida, é que os bravos homens e mulheres, que juraram defender a constituição e proteger as liberdades que tanto prezamos, são os verdadeiros heróis e protagonistas desta história”, afirmou o Chefe da Marinha da África do Sul, Vice-Almirante Mosiwa Hlongwane durante a cerimônia de bênção.

A embarcação naval de 62 x 11 metros será a primeira do tipo Damen Sea Axe a operar na África do Sul. O Sea Axe é um projeto patenteado pela Damen que oferece um comportamento excepcional de navegação. A proa em forma de machado de gume reto corta a água, minimizando batidas para aumentar a segurança e o conforto a bordo e reduzir significativamente o consumo de combustível e as emissões.

Discurso do Chefe da Marinha da África do Sul, Vice-Almirante Mosiwa Hlongwane
Discurso do Chefe da Marinha da África do Sul, Vice-Almirante Mosiwa Hlongwane

Boas-vindas pelo Sr. Sam Montsi, Diretor dos Estaleiros Damen da Cidade do Cabo
Boas-vindas pelo Sr. Sam Montsi, Diretor dos Estaleiros Damen da Cidade do Cabo

Cerimônia de Bênção da Marinha da África do Sul: Durante o evento, o navio foi abençoado e uma garrafa de champanhe foi quebrada na proa como é o costume
Cerimônia de Bênção da Marinha da África do Sul: Durante o evento, o navio foi abençoado e uma garrafa de champanhe foi quebrada na proa como é o costume

Damen Shipyards Group

O Damen Shipyards Group está em operação há mais de noventa anos e oferece soluções marítimas em todo o mundo, por meio de design, construção naval, reparação naval e serviços relacionados. A Damen opera 36 estaleiros em 18 países e oferece emprego direto para mais de 13.000 pessoas.
Os valores da Damen são companheirismo, habilidade, empreendedorismo e administração. A empresa almeja ser a construtora naval mais sustentável do mundo, por meio da digitalização e padronização de seus produtos. As principais atividades da Damen são o projeto e a construção em série de navios inovadores, integrando diversos componentes e subsistemas em plataformas de alta qualidade. Essas atividades são apoiadas por uma rede mundial de vendas e serviços.
A Damen também atua na reparação e conversão de navios existentes e na venda e produção de componentes para a indústria marítima.

FONTE: Damen

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sincero Brasileiro da Silva

Enquanto isso nem sinal das Tamandaré…

Cristiano de Aquino Campos

Tamandares, nem sinal de mais patrulhas oceânicos que são mais simples

Vovozao

17/2/21 – quarta-feira, bdia, SINCERO, as fragatas da classe TAMANDARÉ, são iguais a OVNI’s, todo mundo ja ouviu falar, entretanto, ninguém nunca viu.

Andrey Pinheiro Lisboa

Isso não é verdade…….eu já vi um OVNI….

TeoB

pensei a mesa coisa, tem gente que já viu um ovini

guilardo

Eu não gosto de observar um país do terceiro mundo, inferior ao nosso em economia, ultimando um projeto desse. Desaba sobre nós a incompetência dos desgovernos que acabaram com o Brasil. Não sei o que fazem os alunos do IME e da Escola Naval. Pondero apenas sobre o ITA. É uma lástima a nossa capacidade de desenvolver novas tecnologias. Mesmo porque nem mesmo conseguimos copiar as existentes. O nosso PIB já começou a cair, sem freios. Nossos engenheiros nem mesmo conseguem fazer reparos em blindados, pois à falta de peças os deixam de lado. Essa tão falada indústria siderúrgica que… Read more »

ERNANI BORGES

CORRUPÇÃO.

Se conseguirmos eliminar esse “vírus”, tudo poderemos.

Zorann

Formamos advogados e pedagogos aos montes. Um para uma justiça que não funciona e o outro para uma educação que não presta.

Tudo que vc relatou são consequências da má qualidade de nossa educação. A qualidade da educação só piorou nas últimas décadas. Os alunos que jamais deveriam ter concluído o fundamental, estão terminando pós graduação e exercendo suas profissões. Muitos deles educando nossos filhos.

Last edited 7 meses atrás by Zorann
Cristiano de Aquino Campos

Qual a profissão que deveriamos formar? Engenheiros, e cientistas. Um para trabalhar em uma fabrica inexistente e o outro para desenvolver algo que nenhuma fabrica nacional vai produzir.
E um absurdo, só as nossas umiversidades pesquisarem e desenvolverem com apoio do governo e as nossas empresas só fabricarem o que vem de fora.

Zorann

O que determina a profissão que as pessoas vão escolher, bem como as universidades que devemos ter, é só a demanda.

Sem um parque industrial pujante, que produza bens de alto valor agregado e que por isso demande pesquisa, não adianta formar engenheiros e/ou pesquisadores.

O que temos de fazer é mudar a demanda e quem demanda pesquisa é a industria.

As Universidades tem de estar atentas a isto.

Se queremos crescer, ter relevância na produção tecnológica, não podemos continuar a perder nossa industria, como tem acontecido nos últimos 20 anos.

Da Escola

O Sr simplesmente sintetizou tudo o que penso e tenho convicção, nossos profissionais estão em decadência, mas fizemos uma Copa e uma Olimpíadas, realmente não somos sérios. Como estamos em pleno 2021 em total atraso estrutural? Abaixo de países que sequer existe uma indústria de peso, países esses que poucas décadas atrás, estavam passando por crises sanitárias graves e guerra civil…lastimável. Enquanto as FA brincarem de guerra e quem manda mais, o setor de Defesa está cada vez mais indefeso, com meios inadequados, doutrinas ultrapassadas, falta de equipamentos básicos para os militares por conta de “farras” com dinheiro público, que… Read more »

Guilardo Pedrosa.

Está de parabéns. ESCLARECEU tudo.

Cristiano de Aquino Campos

Só para constar, que a Africa do Sul, sempre teve uma indústria de defesa mais sólida e avançada que a nossa em várias areas.

Thiago A.

La pra 2009, talvez pela idade, estava muito confiante o sobre o futuro do Brasil, mesmo com todos os desafios e falhas. Quando então o Brasil( INACE) chegou a exportar ( lembrando que NÃO foi uma simples compra, na realidade a MB praticamente moldou a Marinha daquele país ) para a Namíbia um navio patrulha fiquei entusiasta, via ali algo mais que uma simples venda, era para mim um embrião de projeto de defesa e diplomático que almejava expandir sua própria esfera de prosperidade e influência, excluindo dessa região indesejáveis ingerencias externas. Um elo com os vizinhos do outro lado… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Thiago A.
Cristiano de Aquino Campos

Os alunos do IME e escola naval, estão fazendo o que sempre fizeram, estudando e se formando para sair oficial e quem sabe um dia, chegar ao generalato. Sem falar que, na ativa, quase sempre ficarão num setor do quartel com ar condicionado e soldados para comandar.

Sergio

Há tá! Brasil é o que país de primeiro mundo?
Pelo jeito você desconhece totalmente a indústria e econômica da africa do sul, enquanto nós brasileiros nos achamos os EUA da América latina, a FORD está indo embora e vai investir 1 bilhão de dólares na africa do sul.
Só pra dar um exemplo.

Welington S.

E o bicho é bonito, cara. É uma pena, chega ser frustrante na verdade, ver que a nossa Marinha do Brasil está em uma situação difícil. Até quando, hein? Acorda, Marinha do Brasil. Pelo amor de Deus.

Alexandre

Se as FA pararem de gastar dinheiro com cerveja e picanha , pagando um valor altamente superfaturado ainda , sobra dinheiro pra fazer muita coisa ….

Thiago A.

A Guardia di Finanza Italiana, mais especificamente o Servizio Navale, empregam na propria frota duas embarcações desse modelo , a Monte Cimone e a Monte Sperone. E conduzem em autonomia, sem precisar de carona da Marinha italiana, a luta e repressão do contrabando marítimo e tráfico ilícitos, em particular o tráfico internacional de drogas. Também exerce funções de polícia económica e financeira no mar e auxilia a Guarda Costeira.

Thiago A.

A Monte Sperone:

Pattugliatori_multiruolo_della_GdF_Monte_Sperone_e_Monte_Cimone.jpg
Alex Barreto Cypriano

Achei estranho a Damen informar, no PDF do navio, que ele tem 1031 toneladas de arqueação bruta. O navio não é comercial, navega em mar aberto, tem mais de 24 metros… Bom, como a arqueação bruta é um deslocamento arbitrário em que a densidade varia de 0,2 a 0,33 t/m3 em função do volume moldado, o que não é muito diferente das densidades reais dos navios de combate, vou considerar como um valor próximo ao deslocamento real (embora um navio que não seja de guerra deva ser sensivelmente menos denso…). De toda forma é notável que o navio faça trinta… Read more »

Snake

Uai mais tô entendendo essa galera dos comentários não, estão aqui só pra hatear, Brasil constrói submarinos, fragatas com contrato assinado e andando, a li vem os especialistas falarem dê ums barquinhos desses, ah galera tão forçando a barra cês num acha não

Julio Buzoli

Vira Latas não pode ver um osso que já faz escândalo. Quem os vê falar, pensa que na África do Sul a educação é suíça e a corrupção é apenas um conceito abstrato por lá. São os analistas de foto e projetos 3D, incapazes de mergulhar um pouquinho mais fundo pra tentar vislumbrar, mesmo que de relance, a realidade por trás da propaganda. Tudo é subterfúgio pra falar mal do país! O resto do mundo é perfeito! Com “patriotas” desse tipo, vai ser difícil mesmo, chegar à perfeição utópica que eles enxergam em todos os que estão além mar… Reconheço… Read more »

Marcos10

Os submarinos foram contratados com cláusulas leoninas a favor do franceses. A decisão de quem construiria o estaleiro coube a eles.
As Fraguetas estão contratadas, mas por hora é só. E serão construídas por um estaleiro estrangeiro, com ToT de nós para nós ( quer dizer, para eles).

DomDiogo

Bela naves.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Submarino chileno realiza ataques simulados bem-sucedidos contra o porta-aviões USS Carl Vinson da Marinha dos EUA

Um submarino chileno da classe Scorpène concluiu recentemente o programa 2021 Diesel-Electric Submarine Initiative (DESI) com a Marinha dos...
- Advertisement -