sexta-feira, julho 30, 2021

Saab Naval

Marinha investiga ‘manobra de válvula’ mal feita no incidente do submarino Riachuelo

Destaques

Roberto Lopes
É jornalista especialista em assuntos militares, autor de uma dezena de livros, entre eles “O código das profundezas”, e “As Garras do Cisne”

Submarinistas e técnicos da Marinha do Brasil investigam a possibilidade de uma “manobra de válvula” (que alguns militares também chamam de “manobra de água”) mal realizada ter ocasionado, na manhã da última quinta-feira (11), o alagamento com água salgada do porão do compartimento da proa do submarino “Riachuelo” (S40), que se encontrava atracado no Estaleiro de Construção do complexo naval de Itaguaí.

De acordo com a nota oficial liberada na tarde do mesmo dia pelo Centro de Comunicação Social da Marinha, “o submarino reestabeleceu prontamente a condição de segurança e iniciou a limpeza dos compartimentos afetados”.

O Poder Naval apurou que essa classe de incidente é considerada “típica de um submarino”, e tanto pode ter sido causada pela “barbeiragem” do tripulante do navio incumbido de operar as válvulas do navio, quanto pelo acionamento de uma válvula defeituosa.

Ainda na quinta-feira o Comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior, enviou uma mensagem aos cinco ex-Comandantes da Marinha que residem, hoje, no Rio de Janeiro – Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Júlio Soares de Moura Neto, Roberto Guimarães Carvalho, Mauro César Rodrigues Pereira e Alfredo Karam – informando-os do ocorrido e ressaltando que o episódio não acarretara “danos à materiais” a lamentar.

Ilques também alertou, sobre o problema, o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva. Os dois são bastante próximos.

Falhas

Segundo uma fonte do Poder Naval, “às vezes o tripulante de um submarino está esgotando ou enchendo um tanque do navio, e deixou uma válvula de outro tanque aberta, aí a água enche o tanque que ele quer, e passa, em seguida, a encher o outro tanque, no porão de um compartimento do navio”.

De acordo com a mesma fonte, “o [submarino] ‘Tonelero’ afundou numa manobra dessas”.

Na noite de Natal do ano de 2000, por volta das 23h, o “Tonelero” (S21) se encontrava atracado para manutenção no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, na Ilha das Cobras (RJ), quando uma sequência de falhas da equipe de plantão no navio – um oficial e oito subalternos –, ao operar o sistema hidráulico de controle das válvulas da embarcação, causou o alagamento do compartimento de torpedos à ré, e o consequente afundamento do submarino, felizmente sem ocasionar vítimas.

Nesse episódio, um esforço conjunto de mergulhadores e peritos navais obteve que a proa e a vela do navio voltassem à superfície no espaço de dois dias e meio.  A 21 de junho de 2001 o “Tonelero” deu baixa do serviço ativo.

Na quinta-feira passada, um grupo de mergulhadores da Marinha inspecionou o “Riachuelo”, concluindo que, aparentemente, o alagamento não aconteceu por qualquer problema de rachadura do casco, o que obrigaria a Marinha a tirar o navio da água para reparos difíceis e custosos.

As três fontes ouvidas pelo Poder Naval sobre o incidente consideraram “pouco provável” que a Marinha dê publicidade aos reais motivos do incidente, ou às eventuais providências tomadas em relação aos tripulantes.

- Advertisement -

197 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
197 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Bó

Pergunta de leigo que nunca entrou em um submarino: com a automação crescente dos equipamentos, não seria possível que esse controle das válvulas seja feita de forma automática? Ou foi a MB que optou pelo controle manual?

João Fernando

Aí vc tem um problema elétrico e apaga tudo?

Pedro Bó

Geralmente esses sistemas tem redundâncias exatamente para funcionar um controle secundário em caso de falha do controle primário.

Helio Silva

Boa noite!
Concordo em parte com você.
Eu sou cético quanto ao excesso de automatização e o 737 Max tá aí como exemplo. Outro exemplo foi o acidente fatal com carro autônomo nos EUA.
Por outro lado, as maiores forças armadas do mundo, estão investindo muito nisso por alguma razão que a justifique; sem motivos não é…
Saudações!

Pedro Calmon

O problema do Max nao foi automacao excessiva. Foi usar automacao (mal feita) para substituir treinamento necessario de pilotos para o novo modelo.

Hélio

O problema do Max foi de projeto e tentaram usar a automação para contornar. Esse negócio falta de treinamento dos pilotos é lorota da boeing.

Helio Silva

Foi tão excessiva que não deu aos pilotos a possibilidade de assumirem manualmente os controles.
Sobre treinamento vale destacar que não deixaram de produzir simuladores.
Tanto não podiam assumirem os controles que não constava tal procedimento nos manuais e levou-se mais de um ano pra mudarem o sistema.
E nunca ouvi ou li uma empresa de aviação não responsabilizar a parte humana logo de cara.
Saudações!

Dilbert_SC

Imagine a quantidade de válvulas existentes em um submarino.
Pra automatizar uma válvula, é necessário acoplar um atuador ao castelo da válvula. Um atuador é um equipamento grande, volumoso, e que precisa de cabos de alimentação e de controle.
Pra fazer isso, seria preciso um sistema de alimentação gigantesco para os atuadores, além de ocupar um espaço enorme dentro do submarino.
Ou seja, é melhor mesmo manobrar manualmente.

paulo araujo

Automação…
Às vezes o problema não é com a inteligência artificial.
Mas com a burrice natural mesmo!

Sagaz

Na indústria você automatiza para a operação remota obedecendo condições intrínsecas e de processo. Tudo depende é claro da sua instrumentação e como diagnosticar falhas da dita instrumentação. A contigência é mecânica ou atuar diretamente no acionamento elétrico, algo que somente é feito em casos extremos com perda do controlador da planta industrial ou das remotas de sinais de campo.

Jodreski

Olha a mim só interessa saber uma coisa: qual o tamanho do prejuízo! A MB não é lá muito transparente, só falta depois ficarmos com um sub cheio de limitações devido ao dano sofrido, mal sobra capital para investimento, imagina se vai ter capital para custear esses reparos que não estavam previstos.

eggfilho

deve -se ser investigado, para eliminar qualquer possibilidade de ato de sabotagem, ainda mais com ameaças de Biden e Macron

Willber Rodrigues

“(…) consideraram “pouco provável” que a Marinha dê publicidade aos reais motivos do incidente, ou às eventuais providências tomadas em relação aos tripulantes”

Aí quando eu falo que as FA’s não tem respeito nenhum pelo dinheiro do contribuinte, e que não tem transparência nenhuma pra população que eles (supostamente ) deveriam servir e prestar contas, tem gente aqui que me negativa, e fala que eu tô errado…

Leandro

Exatamente, o comandante prestou contas somente aos antigos comandantes da Marinha e ao ministro da defesa.

JT8D

Infelizmente foram criadas castas privilegiadas neste pais que se acham acima dos demais cidadãos. Judiciário, legislativo e demais funcionários públicos mantém o restante da população em regime de quase escravidão para sustentarem seus benefícios. Eficiência e competência é o mínimo que se espera como contrapartida

Gamayun

O executivo que o diga!

Luciano

Deixe-me de fora dessa! Ganho menos de dois salários mínimos na prefeitura onde trabalho, estou há anos sem reajuste e nao me concedem os avanços que tenho direito! Não me confunda com alto escalão civil ou militar!

JT8D

Me desculpe Luciano, eu não deveria ter generalizado

Defensor da liberdade

Aumento de salário é com base na produtividade. Se não houve aumento de produtividade da sua parte, então sinto muito por você.

Eduardo Siqueira

Generalizações não são argumentos reais. Lembrando que o funcionalismo público abrange desde o candidato de nível fundamental, com ganhos de até um salário mínimo, em muitos casos, até situações privilegiadas como funcionários do alto escalão. Lembrando, ainda, que políticos ganham muito e têm todas as mordomias possíveis e o povo pouco ou nada faz para mudar essa realidade. Como professor do estado de SP, me aposentei com pouco mais de 2 salários mínimos. Quando na ativa, recebia, assim como meus pares, vale refeição de 5,50 ao dia. De novo, generalizações não cabem.

JT8D

Perdão Eduardo, você tem razão, toda generalização é injusta, me desculpe

Marcos Borges

Parabéns pelo reconhecimento pois só a casta de poderosos é que são tratados com extrema benevolência.

Last edited 4 meses atrás by Marcos Borges
Mauricio Pacheco

Explicar para a população leiga a operação de um meio tão complexo como um submarino, seria um prato cheio para os “vira latas” criticarem o resto do ano.

Willber Rodrigues

Então…essa é sua desculpa pra que a MB não preste contas ao contribuinte (que, lembre-se, foi quem pagou pelo PROSUB e sustenta as FA’s ) sobre o que houve? É isso mesmo?
Tú não acha que é justamente a FALTA de transparência típicas das FA’s brasileiras que dá margem ao, como você chamou, “viralatismo” brasileiro?
As FA’s agem como um clube do bolinha, acima da casta dos “plebeus”, e depois reclamam quando o povo acha que militar só serve pra pintar meio-fio e combater dengue..

JT8D

Perfeito Wilber. Exigir competência das Forças Armadas é uma forma de patriotismo. Vira lata é quem se conforma com a mediocridade

Funcionario da Comlurb

Willber, A MB, assim como a FAB e o EB, é uma OM e portanto está subordinada as regras e procedimentos militares. Não é a toa que existem, por exemplo, tribunais militares. Não há nenhuma obrigação de prestação de contas de erros operacionais. Vice, por exemplo , na sua profissão, nunca errou ? Certamente que sim, como todos nós. E aí? Aí que que corrige o erro, se aprende com o erro e vida que segue. No mais, as FA’s do mundo inteiro são mantidas com impostos dos contribuintes. Nada de diferente aqui no Brasil. Isso não dá o direito… Read more »

Willber Rodrigues

“Não há nenhuma obrigação de prestação de contas de erros operacionais.” Quando o USS Fitzgerald colidiu com um navio cargueiro perto do Japão, a alguns anos atrás, a própria USNavy veio a público, após as investigações, e confessou que a tripulação estava cansada pelo excesso de trabalho, afastou os comandantes responsáveis e divulgou o que seria/foi feito pra que isso não se repetisse. A Marinha de guerra mais poderosa do mundo calçou as sandálias da humildade e não pensou 2X em ir ao público esclarecer o que houve, quem fez isso e o que foi feito sobre isso. Preciso desenhar… Read more »

Willber Rodrigues

Pra início de conversa, eu trabalho pra iniciativa privada, de modo que, se houver erro, quem vai arcar com o prejuízo não será o contribuinte.
Todas as vezes em que eu errei, houve feedback, e houve contato com minha equipe, para que aquilo não se repetisse.
Como eu disse…nenhum erro que eu já cometí, custou milhões de reais pros bolsos do contribuinte.

Aparentemente, as provas de interpretação de textos pra ser funcionário na Comlurb deixam a desejar…

Willber Rodrigues

“Fazemos concurso. É só passa quem estuda”
Pelo seu linguajar e atitude, percebe-se bem isso…
No mais, não vou perdeu meu tempo com passa pano e com quem não sabe interpretar textos, igual você.
Fala sozinho aí, vai…

Greyjoy

Se esse é o naipe do serviço público e das forças armadas brasileiras, estamos lascados.

Willber Rodrigues

Bom…você parece bem orgulhoso, pra quem vai ter o salário congelado por 15 anos em breve…
“por isso tem estabilidade no emprego.”
Tem uma certa reforma administrativa que está vindo aí…aposto que, em breve, você vai gostar muito dessa sua “estabilidade”….

Willber Rodrigues

Na verdade….moro em SP. De modo que não, não sou eu que pago seu salário.
Aliás…já que vc é do Rio…tá recebendo seu salário e o 13° direitinha? Afinal, do jeito que o RJ tá quebrado…
E como eu disse anteriormente…já se preparou pra ter seu salário e suas “gratificações” congeladas por 15 anos em breve?

Flanker

Depois, quando a população esculacha os servidores públicos, tu fica revoltadinho! Péssimo exemplo de alguém que demonstra não estar preparado para ser um servidor público. Perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado.

Glasquis 7

Enquanto isso vc paga meu salário e várias gratificações que recebo. Obrigado”

Desculpe pergunta.

Isto é um desdém ou uma burla de um funcionário púbico que ri da cara do brasileiros que pagam seu salario com ato impostos?

Thiago A.

Depois quando afirmo que sonegar é legítima defesa acham ruim ! Sustentar esses sujeitos? Sustento nada !

paulo araujo

Desculpe, mas quem sonega rouba de quem paga.
Isso é desculpa de quem não quer cumprir com sua obrigação de contribuinte.
Se o uso dos impostos, que todos devem pagar, não esta correto, brigue com isso.
Agora, não pagar é se juntar aos errados.

Thiago A.

Roubei de quem ? De você? Meu dinheiro, ganhado com meu suor ou herdado, construído com suor e sacrifício dos meus avós e pais ? Roubei de quem ? Quem tira do meu bolso com a força para sustentar sujeitos como esse e mordomias que eu tenho que lutar para garantir para minha família ? Engraçado o cidadão só tem obrigação… é burlado, enganado, defraudado mas aínda assim a culpa é dele que não briga e não fiscaliza, que não luta e derrama sangue … Será que um dia esse cidadão terá direitos reconhecidos e obrigação de entregar vigiar e… Read more »

Hélio

Você não tem nem para sustento próprio, camarada.

Thiago A.

Que bom que você tem consciência camarada Hélio, mas o Estado brasileiro não entendeu ainda e toda vez que troco meus poucos euros 💶 em reais contínuo pagando o IOF , pra não falar das facadas que são o IPTU e o IPVA … Um absurdo de dinheiro que já perdi para alimentar esse poço sem fundo que é o estado brasileiro, não tenho nem para mim mas sou obrigado a pagar! Pelo menos você mostrou um pouco de empatia e compreensão, realmente não tenho condição para sustentar mordomias alheias .

Last edited 4 meses atrás by Thiago A.
Hélio

Caso complemente diferente, o cruzador colidiu com um navio civil, invadiu uma esfera diversa da militar. As próprias formas armadas americanas são uma caixa preta.

JT8D

Porque a divulgação das providências em relação a uma falha operacional poderia “denegrir” a instituição? Ninguém está falando em revelar dados sigilosos ou segredos militares. Quem não deve não teme e a transparência e a prestação de contas só fortaleceria a instituição

Brandenburg

Nos últimos anos o grau de confiança do povo nas FA é bem superior a qualquer outra instituição. Você devia ler mais sobre o emprego das FA em benefício da população. Então reduza o universo quando diz que o ” povo” acha que militar só serve para pintar meio fio e combater dengue.

Zorann

E esta confiança vai só caindo por causa de coisas como essa.

Agressor's

Se isso existia, então já era. Está indo pro espaço!

Salim

Lulinha ta chegando no colo de seus cabos eleitorais, judiciário e presidento.
Povo votou Colorido, Lulinha, presidenta e agora presidento. VC acha povo mantido na ignorância por esta elite sabe o que faz????

Hélio

Desde quando forças armadas devem tem “transparência”? As FAs não estão e nem devem estar preocupadas com fofocas de entusiastas, eles devem satisfação ao Estado, não a curiosos.

Willber Rodrigues

Legal, fera…
E quem sustenta o Estado, é quem mesmo?
Não tem que preetar contas? Ué? Não estamos numa democracia? As FA’s podem fazer o que bem entender com o dinheiro DO CONTRIBUINTE, e não dar explicaçóes sobre isso?
Ah, me poupe…

Hélio

Exatamente, por que o que vale é o interesse do Estado. Não são seus poucos reais que sustentam o Estado não. Tem que acabar essa mentalidade de que pobre sustenta o Estado, não, o pobre que é sustentado pelo Estado.

Willber Rodrigues

“O pobre que é sustentado pelEstado”
Considerando-se que, no Brasil, a grande maioria dos impostos está sobre produtos e serviços, e não sobre renda, o pobre BR paga, proporcionalmente, mais impostos do que quem é rico.
Então, não há lógica nenhuma na besteira que você falou.
“Não são seus poucos reais que sustentam o Estado não.”
Ah não? Deixa o povo parar de pagar impostos, e vamos ver quanto tempo o Estado e as FA’s sobrevivem…

Michel

São os “vira-latas” que sustentam os benefícios dos militares assim como também os de outros funcionários públicos. Nunca se esqueça disso.

Mauricio Pacheco

Quando falei que não adiantaria explicar, pelas respostas que recebi, me convenço ainda mais.
Se a MB falar que pode ter sido uma válvula defeituosa, os VIRA LATAS já iriam começar a falação que “compraram peças defeituosas”, “rolou leite condensado para a compra”, “Almirantes são todos burros e corruptos”.
Não adianta tentar explicar para LEIGOS MAL INTENCIONADOS!

João Fernando

Qual o medo? Até parece que temos algum poder militar real.

Pedro

Lembre-se que são os leigos que bancam todo o aparato estatal.

farragut

nem só pela grana, é também pelo cumprimento da missão e pelas lições aprendidas.
um exemplo que já não é tão recente é a avaria simultânea nos hélices da fragata união, a caminho do líbano. até hoje, não foi dada mais publicidade sobre o que aconteceu.

Glasquis 7

E o Ceará que ficou à deriva por uma semana frente às costas da Guiana em 2015?

farragut

exato!
mais um de vários incidentes (cv ipiranga, ct sergipe x eugenio c, incêndio na bosísio…) em que a publicidade das causas apuradas contribuiria para que não ocorressem de novo.

Glasquis 7

Explosão no NA São Paulo, Incêndio no Ceara…

Jean Jardino

Gostam do assunto, sobre submarinos, olhem essa reportagem francesa sobre o submarino nuclear Le Vigilant

https://youtu.be/Kw7LZy8Ogg8

Fabio Araujo

Parece que o susto foi maior que os danos e a resposta rápida evitou maiores danos!

Esteves

Isso é antigo. Bota a culpa em algum marinheiro. Diz que o marinheiro esqueceu uma válvula aberta. Passa a régua.

“As três fontes ouvidas pelo Poder Naval sobre o incidente consideraram “pouco provável” que a Marinha dê publicidade aos reais motivos do incidente, ou às eventuais providências tomadas em relação aos tripulantes.”

Nada de prestar contas sobre os reais motivos. Nem pensar em exposição.

Lidar com problemas é terrível. Na basta administrarem um contrato quase impagável…chega a hora dos defeitos e mal feitos.

Alex Barreto Cypriano

O casco do Scorpene tem ~160 perfurações, de escotilhas de acesso e carga ao eixo passando por conexões elétricas, hidráulicas, etc. Duvido que alagamento dentro do casco de pressão e fora dos tanques de lastro seja ocorrência típica…

filipe

Cuidem bem desse submarino, cuidem desse bebe , cuidem desse menino recém nascido chamado submarino Riachuelo S-40, por favor cuidem bem dele, esse submarino é o activo militar mais valioso do Brasil, nesse momento se rebentar uma Guerra, é com o Riachuelo que a gente vai a Guerra , mesmo sem ser comissionado ao sector operativo da esquadra, dos 4 convencionais , ele é o que esta em estado avançado de testes… Talvez o treinamento das tripulações deva ser aprimorado, sei que treinam em um simulador, se calhar a tripulação necessita de um cenário mais realista.

Rudi Py3to

mk48, Saudações e Boa noite …a agua salgada poderia danificar algum equipamento eletrico que por ventura exista no compartimento alagado! e sera que ta na garantia!
Desta já agradeço a atenção.
mk48, Saudações e Boa noite …a agua salgada poderia danificar algum equipamento eletrico que por ventura exista no compartimento alagado! e sera que ta na garantia! kkk
Desta já agradeço a atenção.

Last edited 4 meses atrás by Rudi Py3to
JT8D

“As três fontes ouvidas pelo Poder Naval sobre o incidente consideraram “pouco provável” que a Marinha dê publicidade aos reais motivos do incidente, ou às eventuais providências tomadas em relação aos tripulantes.”
Isso está errado! A MB deve satisfação à sociedade que a mantem a custa de impostos. A MB não é um clube náutico. As causas desse incidente tem que ser tornadas públicas.

Teropode

🤔 😂

Last edited 4 meses atrás by Teropode
Gabriel

Quando digo que alguns comentaristas do Blog são analfabetos funcionais (a.f.) o pessoal fica chateado. Se já não foi, nos próximos dias será instaurado um inquérito para investigar o motivo do incidente, o que provocou, responsáveis, responsabilidades, etc. Por obviedade, a investigação e a conclusão tem carácter reservado e só vai tomar conhecimento quem tiver acesso ao nível que o sigiloso necessário permita. Praticamente muito parecido como é feito na quase totalidade dos países do mundo. Mas aqui…rs…o Especialista em assuntos militares, o Mestre em construção de submarinos, o Doutor em operações aquáticas (capacitações obtidas em casa, pela tela do… Read more »

JT8D

Em países sérios a sociedade recebe satisfação de incidentes dessa gravidade. Se na sua opinião isso é desnecessário, ok. O fato de pensarmos diferente não faz nenhum de nós analfabetos funcionais

farragut
MMerlin

Isto diverge de acordo com a lei.
Dois exemplos. Nos EUA, os equipamentos militares são “disponibilizados” para as FA mas pertencem (legalmente) ao que seria nossa União. Na China, tanto a propriedade dos equipamentos e o serviço prestados pelos militares estão ligados ao PCC e não ao Estado.
Enquanto no primeiro os militares têm obrigação, referente aos equipamentos, de tornar seu uso transparente (o que nem sempre ocorre), no segundo a obrigação do uso fica limitado ao Partido chinês.

Esteves

O analfabeto funcional é o que lê e não compreende. Tipo filmes dublados porque não consegue associar a legenda ao fato. Por obviedade é obrigação da MB divulgar e mostrar em PP o que aconteceu. Quando a MB pede dinheiro faz PP. Monta apresentação da família naval. Projeta a CCT como Meko fossem. Especialistas, curiosos, palpiteiros, aprendizes, soberanos, vascaínos (esses cada vez mais raros), marinheiros…trocam, ensinam e aprendemos. Quem tem vergonha de perguntar e de aprender perde uma excelente oportunidade de adquirir cidadania ao participar da Trilogia. Mesmo passando tolices adiante. Vamos ver se a MB adquiriu ela própria apreço… Read more »

Glasquis 7

E acaso vc sabe?

Mostra aí o que tu sabe então. Em vez de ficar insultando aos demais.

Thiago A.

Glaquis, esse é o ponto, o sujeito possui uma visão elitista e nessa visão ele faz parte da casta esclarecida, xinga os foristas e o fórum “poluído” pela plebe e tanto basta para inflar o ego dele porém a contribuição do sujeito é minima ou nula. Senhores do calibre do Reginaldo Bacchi tinham mais humildade e faziam questão de esclarecer dúvidas ou opiniões equivocadas sempre argumentando . Evidentemente na visão desse sujeito insolência e arrogância contribuem para melhorar o nível do debate.

Glasquis 7

Essa era pro Funcionário, desculpa aí Esteves.

Mauricio Pacheco

Perfeito!

Esteves

Esteves tem sugestão. Não recomendação. Não precisa colocar nos manuais.

Enquanto não aprendem a operar os Scorpenes…seria bacana contratar práticos para entrar, atracar, sair? Já no mar, o prático entrega o submarino à MB. Quando retornar deixar o prático mexer até atracar.

Esteves

Então…Esteves disse. Não precisa colocar.

Saudações.

MATROSE

Os incidentes, tanto com o antigo Tonelero quanto com o Riachuelo devem-se à falta absoluta de adestramento na MB. É problema antigo (estive lá) e ocorre principalmente com os navios de grande porte. Navio de guerra, submarinos, tem que estar sempre no mar. Em exercício e adestramento, coisa que vai muito além do treinamento. A causa primária é a falta de recursos para tal. Procurar culpados e punir responsáveis é absolutamente secundário. Tem que racionalizar custos e prover adestramento. Só dessa forma vamos nos preparar para o SNBR e para o futuro que logo, logo, bate à porta.

JT8D

Você tem razão, mas no caso do Tonelero a coisa foi muito além de falta de adestramento. Ao que tudo indica foi uma falha sistêmica.
Erros acontecem, não se pode crucificar ninguém por isso. Mas ao invés de varrer a sujeira para baixo do tapete é preciso aprender com os erros para não repeti-los.

Esteves

Olha,

Esteves não Esteve. Sempre no mar como Marinhas das Guerras acho que não sustentamos. Não temos orçamento para manter navios de guerra em prontidão de guerra. Precisaria de tripulações que não temos. Logística para os inventários que seriam consequência dos exercícios, que também não possuímos.

Falha operacional corrige-se com aprestamento. Ok. Falha na montagem tipo porque a água não foi drenada é diferente.

Aprestamento e adestramento são caros. Treinar gente e capacitar exercícios é muito caro. Longe do factível em nosso orçamento nativo que tudo importa.

Mas…se com meios primários temos dificuldades, com o nuclear o risco só aumenta.

carvalho2008@yahoo.com.br

Mas esta manobra pode ser treinada via game, via virtual e console….tem muita coisa em treinamento que dá para virtualizar…. Meus pontos a considerar: A MB só pode dar o diagnóstico depois do diagnostico feito. Antecipar é chutar mesmo com chance de acerto; Este é um tipo de manobra ou treinamento que pode ser virtual, melhorando o adestramento; No mais, o resto é chuto, mesmo dentro do provável erro humano…. Mas, tem sempre um mas….. Eu diria que existe um erro de projeto. Pode não ser um erro mecanico, mas é um erro sistêmico de segurança. Coisas como baixar ou… Read more »

Esteves

Mestre, Esteves pensou sobre mas…os manuais da MB sobre essas manobras e as normas técnicas sobre o manuseio de válvulas são enormes. Mais de 300 páginas de literatura técnica. Precisa ler com calma. Não entendo assim. Penso que essa atividade é mecânica porque não li nada sobre a existência de simulação eletrônica nesse nível. Pode haver para operar/navegar como nos aviões, mas não para manutenções em navios. Projeto? Execução? Notou a diferença entre as calotas nos outros submarinos? Não parecem tão balísticas como as calotas do Riachuelo. Impressão de ignorante. Fato 1 entrou água. Fato 2 a água não saiu.… Read more »

carvalho2008@yahoo.com.br

Poka Yoke = Design de produto e processo que previna falhas.

Esteves

Pensando nos macacos da NASA…acho que os americanos criaram isso antes da Toyota.

2BB90A93-BD7E-433E-8ABD-E2870FCA124C.png
carvalho2008@yahoo.com.br

Fez a lição de casa Mestre Estevez, se a HDW tivesse empregado o conceito, os argentinos não teriam plugado os terminais dos giroscopios de torpedos de forma invertida nas Malvinas. Num barco de US$ 600 milhões, não ter alertas de desníveis de eixo, alertas de valvulas que não podem ou não devem ser abertas em conjunto ou sequencia, é complicado. Possuir estes sensores e um programa de monitoramento de alerta é dinheiro de pinga hoje em dia… Quando o produto fisico não possui estas coisas, voce pode mitigar por meio de processos. Mas processo é feito por pessoas e pessoas… Read more »

carvalho2008@yahoo.com.br

comment image

Michel

O que é isso?

Esteves

Leia, por favor, a explicação de Mestre Carvalho.

O alerta sonoro quando a porta do veículo permanece aberta, também quando o cinto de segurança não está conectado, aviso de descanso após 2 horas dirigindo. São exemplos de Poka Yoke. A Toyota levou essa técnica para a indústria automotiva nos EUA nos anos 1960/70.

Se o Titanic tivesse Poka Yoke…um aviso de compartimentos isolados após o alagamento no rasgo no casco…fechar as válvulas em sequência…atenção para…

O navio não teria afundado. Apesar de ter sido construído em seções não haviam comportas e processos de isolamento após alagamentos.

Assunto vasto e dinâmico.

Michel

Entendi. É um dispositivo de alerta.

Esteves

As explosões em Fukushima.

Os geradores que fariam funcionar as bombas para resfriar os reatores em caso de acidente ficaram dentro d’água. Alagados. As ondas ultrapassaram as barreiras construídas 4 metros acima das instalações (piso) da usina.

Se…as ondas chegarem a 6 ou 7 metros alagando o parque das máquinas aonde ficam os geradores…qual dispositivo/procedimento garante o funcionamento dos geradores?

Ninguém lá imaginou que chegariam ondas de 6 ou 7 metros.

carvalho2008@yahoo.com.br

É uma pratica (conceito) de desenvolvimento de projetos que visa a segurança e a correta utilização de um processo ou produto mecanico. Mesmo que o trabalhador se engane, o design de plugs (exemplos) ou processos evitam que o trabalhador ou usuario cometa erro. ex.: Windows, quando voce deleta um arquivo, o sistema recusa e pergunta a você “Tem certeza?”…. Plugs de tomadas que não deixam encaixar de forma invertida….USB, etc….hoje em dia é comum e acostumamos a nem perceber….mas quando alguem esquece de desenhar isto num projeto fisico ou processo, o resultado pode ser desastroso. ex. na Guarra das malvinas… Read more »

Michel

Entendi. Um tipo de dispositivo de segurança.

Esteves

Grato por mais essa.

carvalho2008@yahoo.com.br

é um barco de US$ 600 milhões…certo…?

Manual de 900 paginas….

Se depender de novato, de mal treinado, de zangado, de azarado, de magoado, de noite mal dormida, labirintite…a (*&*())))))(*& vai afundar…e todo mundo tem dias assim….

Não ter alertas e travas de segurança é um erro de previsibilidade de projeto…

quanto custo um sistema de gerenciamento eletronico disto? poucos milhares de dolares….mas se não tiver…pode custar exatos US$ 600 milhões de dolares…

Esteves

A vergonha não tem preço. Tem valor negativo.

Nilo

👍

Nilo

Ofensas, esculacho, depreciação. E daí….E daí….E daí…..

Michel

Concordo, sr. Esteves. Chega a dar medo ao imaginar-se um acidente sério com um sub. nuclear. Caso acontecesse (Deus nos livre e guarde) será que a postura seria essa? Não sei, não falo, não explico.

Esteves

Doutor Fernando deu exemplo máximo de Poka Yoke.

O nome é El Cabril.

Pavan

Faz parte do processo, é errando que se aprende, menos mal que não houve vítimas e nem perda do submarino !

Gabriel

Pergunta:

O Cmt da Marinha já ligou para os especialistas/comentaristas aqui do Blog (Esteves/Vovozao/JT8) dando explicações e justificativas para o incidente?

Ainda não!!

Que absurdo!!!

#paz

JT8D

A MB não tem nenhuma obrigação comigo, mas tem com a sociedade. Por meio da outra matéria ficamos sabendo que houve uma investigação rigorosa no caso do Tonelero e os resultados vieram a público. Espero que façam o mesmo nesse caso. Não para satisfazer a minha curiosidade, mas porque é assim que se faz em países sérios, como vários colegas postaram aqui sobre investigações de incidentes da marinha dos EUA. Eu penso assim, é um direito meu ter minha opinião. Não sei porque isso o irrita tanto. Espero que você não queira que só quem pensa igual a você tenha… Read more »

Esteves

Daqui a pouco vou dar uma voltinha de bicicleta. Peça para apressarem-se.

Nilo

A China ta fazendo escola. Uma valvula com defeito, um erro operacional torna-se questão de segurança nacional.
Explicar o que, pra que??? E daííííí…..E daííííí…..

Last edited 4 meses atrás by Nilo
João das Botas

…claro….a culpa é ….do tripulante…tem check-list não??

Gilson

Tem um ditado que diz: Deus, é brasileiro, depois desse incidente com o nosso RIACHUELO, novinho em folha sem ter feito uma única missão ou muito menos ainda, sem ter cido encorporado a MB, eu acredito nessa frase. Desde já pode a MB, agradecer a Deus, e também os deuses dos mares, POSEIDON, depois de tantos dólares de investimentos ver um submarino com alta tecnologia afundar bem debaixo do seu nariz, não seu se o nome tragédia, seria substituído por outro pior. Por causa: ninguém sabe ainda de algum erro, se foi humano ou técnico. Meu Deus, obrigado pelo senhor… Read more »

Esteves

Antes de 1957 os americanos usavam macacos nas viagens ao espaço. John Herschel Glenn Jr foi o primeiro piloto astronauta a operar uma nave espacial. Por conta dessa iniciativa como piloto extraordinário que foi Glenn foi punido. Nunca mais foi escolhido. Virou politico e homem público de sucesso. Nunca deixou a profissão.

Por que usavam macacos? Para levar a culpa caso o fracasso ocorresse. Apertou botão errado, abriu a válvula…essas coisas. E porque macacos batem palmas para tudo.

Certo ou errado…macacos sempre batem palmas.

Fernando Veiria

John Glenn não foi o primeiro americano no espaço, foi Alan Sheppard que também operou a Mercury. Glenn fez o primeiro voo orbital dos EUA.

E Glenn voltou ao espaço anos depois já senador, no ônibus espacial.

Leandro Costa

Sheppard também foi à lua. E ainda jogou golfe lá 😛

Sequim

Alguém me explica uma coisa? Quando se constrói um submarino há chance de ocorrerem problemas com esse submarino, correto? Qual seria a alternativa para não ocorrerem tais problemas? Não ter/construir o submarino? Quando se resolve construir navios de guerra, podem ocorrer problemas durante a construção, certo? Qual a alternativa? Não construir? Quando se constrói e se lança um satélite ao espaço, podem ocorrer problemas durante ou depois da construção/lançamento, não é? Qual a alternativa? Não construir/lançar?

Esteves

Vide SpaceX.

Hermes

O VLS nunca mais falhou…

Helio Silva

Boa noite a todos!
Fico pensando se esse fato demonstrar falha humana, se esse tipo de situação não deve estar presente em seus simuladores.
Aliás, já estão por vir os simuladores do Prosub?
Porque seria arriscado demais efetuar determinadas manobras, como aprendizado, diretamente com um submarino novo em projeto e execução.
Sobre ser uma possível válvula, vale lembrar que houve a nacionalização de algumas delas (não sei se nesse primeiro exemplar já contempla…), e se foi isso a MB, acredito, preservará a imagem do construtor.
Saudações!

Bardini

Eu sempre defendi o SNBR. Um SNA é meio estratégico e blábláblá. Todo mundo sabe das vantagens e etc. . Mas… Conforme o tempo passa, fico mais e mais convencido de que não temos condições financeiras, capacidade técnica e seriedade para tocar adiante esse projeto, somando a isso a posterior capacidade de manter e operar. Aliás, ninguém, absolumente ninguém, explica de onde vai sair o dinheiro para manter e operar um único SNBR, que será um navio protótipo. Ninguém nunca explica o que importa, que é de onde vai sair o dinheiro para comprar mais. Tudo está sendo empurrado com… Read more »

marinha planos.PNG
Last edited 4 meses atrás by Bardini
Willber Rodrigues

30 navios de escolta, 15 subs convencionais, 6 subs nucleares, 2 NaE’s ( fora os outros navios ), e tudo isso num prazo de menos de 30 anos, a começar no ano em que esse plano foi aprovado….

Quem pensou nisso estava totalmente fora da realidade…

Esteves

1 navio escolta. 600 milhões de euros podendo chegar a 1 bilhão.
1 submarino não nuclear. 600 milhões de euros.
1 submarino nuclear de 20%. Mais de 1 bilhão de euros.
1 porta-aviões. 4 bilhões de euros…sem a ala aérea.

Pega essa conta e multiplica por 53 meios. Ao longo da vida útil de 35 anos, soma tudo novamente. Um navio gasta seu valor para ser mantido.

Realizável no Brasil?

Willber Rodrigues

A MB jamais operou, em sua história, 30 escoltas e 15 subs de uma vez.
Isso não aconteceu nem quando havia abundância de escoltas e material militar pós-WWII, e não vai ser agora, com o dólar a 5 ( ou mais… ) reais, e com umaescolta “mediana” custando, por baixo e em média, 700 milhões de dólares ( preço de aquisição. Nem vou falar no preço dos “dentes” e da operação… )
Quem sonhou com 2 NaE’s, 30 escoltas e 15 subs nos próximos 30na MB com certeza tinha a cabeça totalmente deslocada da realidade, pra dizer o mínimo…

Esteves

Tancredo dizia que a função do homem público é dar exemplo.

Esteves diz que a função do homem é consertar o que ele recebeu de errado.

Governo, militar, civil, pai, mãe (já tem mulher ganhando mais que homem), quem recebe deve entregar melhor.

A NASA conserta veículo em Marte daqui. Na Terra botam as coisas para funcionar em Marte. Já fazem pousar sondas nas luas de Saturno.

Qual é o problema para fazer andar as coisas daqui? Sonharam com 300, é possível fazer 30. Façam.

Submarino alagado é demissão de Almirante. Ou não se aprende nada.

MMerlin

Se na área pública civil já é um processo extremamente desgastante o desligamento de servidores públicos, inclusive baseando-se em questões de justa causa apontadas pela CLT, imagine o quão difícil seria no setor militar.

Referente a situação, a demissão não se faz necessária mas, dependendo do resultado da investigação, um rebaixamento (ou perda do comando) sim. Principalmente porque, dependendo do erro (mesmo estando todos nós passivos de um), pode resultar tanto na perda de vidas da tripulação quanto na perda do próprio equipamento.

Last edited 4 meses atrás by MMerlin
Esteves

Dando palpite na vossa resposta ao colega…

Aquilo nunca existiu. Estamos vivendo expansão dos preços dos commodities, demandas e a situação econômica não muda.

Aquela história de ciclo e anti ciclo…balela de economista.

Vivemos em um país perdulário acostumado a gastar muito mais que arrecada. Ok…todos os países tem déficit&dividas. Mas nossa irresponsabilidade fiscal é antiga.

MMerlin

A tabela é tão infame, que chega a dar vergonha até comentar. Lembro quando tinha sido publicada neste espaço.

Como a MB teve a capacidade de projetar tais números?

Esteves

Lembro de comentários de Mestre Bardini sobre a operação, manutenção (incluindo a recarga do reator de 20%) e depois desativação, descontaminação, desmantelamento de um submarino nuclear. Nunca fizemos e nunca aprendemos. Não saber não é impedimento. Mais vale o que se aprende do que o que te ensinam. Mas, Mestre Bardini com quem Esteves tem aprendido bastante, foi leniente. São coisas que veremos mais adiante dizia vosso comentário. O Labgene e o consequente reator ainda não porque aquilo é um sorvedouro de dinheiro. Um filho de Stephen Hawking. Buscar o excelente exemplo dos argentinos não é necessário. Um dos motivos… Read more »

JT8D

Entendo seu ponto de vista e respeito sua opinião. Mas discordo. Cancelar tudo seria uma solução cômoda e imediatista. Seria fugir do desafio. Seria jogar no lixo décadas de investimento financeiro e humano e o esforço de toda uma geração. E o que é pior, isso seria irreversível. Selaria nosso destino como nação de segunda categoria, à mercê das potências que no futuro poderão decidir o que fazer com nossos recursos. Eu sinceramente não acredito que o Brasil seja menos capaz que a Índia. E a Índia tem problemas econômicos e sociais muito mais graves que os nossos. Mesmo assim… Read more »

Esteves

Verdade. Sim é verdade.

Outro motivo ou outra face?

O que levou a MB a fazer o comodato com o IPEN? A história conta a história do submarino e do reator do submarino.

Outros contam que outro motivo foi atrasar o IPEN impedindo que a produção civil de reatores no Brasil chegasse até os vizinhos.

Descontinuidade. Nosso eterno veneno. E a velha amiga desconfiança.

JT8D

Esteves, o projeto nuclear da MB nasceu clandestino, paralelo. Tinha finalidade exclusivamente militar. Era totalmente inviável envolver o IPEN, um órgão civil, porque isso desencadearia toda espécie de embargos e o IPEN ficaria estigmatizado

Nilo

Estives: “Mas o IPEN…o IPEN tem gente que ainda fuma charutos.”
A retalhação, é a mesquinha solução.
A ciência no Brasil perde.
O IPEN definha.
Passamos a ser compradores de prateleira, de tecnologia.

JT8D

O assunto do IPEN extrapola a discussão do Prosub. Poderíamos discutir porque só a MB está preocupada com seu papel na geopolítica do Brasil. Ou porque o programa espacial brasileiro caminha a passos de tartaruga que comeu uma feijoada. Ou porque o Brasil não apoia sua indústria de defesa. Mas é mais fácil bater na MB, porque ela ousou fazer. E só não erra quem não faz nada

Esteves

A FAB faz uma farofa danada com seus F5. O EB faz lembrar a FEB.

A MB sempre criticada por querer voar, deixa marcas de elefante. Porta-aviões que explode, navios dos anos 1970, tinta na ferrugem, submarino que alaga, míssil que passa perto.

Não vejo reclamarem de blindados (de quem foi a ideia de usar bio diesel nos motores alemães?) capengas e turboélices como se fossem aviões de combate.

A MB foi a única Arma que atirou contra o Estado. A revolta dos Almirantes contada aqui…será que é isso?

O IPEN é muito grande para ter sua história contada aqui.

Last edited 4 meses atrás by Esteves
Nilo

Não se faz bons marinheiros em mar calmo. A Marinha zela pela segurança do Estado, kms de rios e orla maritima e milhas de mar territorial, não sabe lidar com clareza em fatos considerados “típicos de um submarino?”.
Sombras geram monstros inexistente.

Esteves

Isso. Temos ódio de nós.

O pior é que os puros são ótimos. Diz a lenda que o sabor vem das coxas…das mulheres que os enrolam.

A ciência no Brasil está sem oxigênio. Há décadas.

Nilo

Esta dicotomia esta presente aqui, o civil, o militar, está presente nos discursos ofíciais.
Por isso tão presente a figura do “salvador”, “o único”.

Esteves

Percebes que ainda falta construir o sentimento de nação?

Nilo

prefiro o cigarrinho de palha.
Lambranças do meus vôs.

Esteves

Sim.

Nasceu para competir com o reator do EB. Tinha e tem fim militar.

Mas…como fazer um reator militar naqueles anos? Envolvendo, empacotando por um reator civil.

Quando chegaram no IPEN…olha…nem a Nuclebras conhecia o IPEN. As melhores mentes.

Lembra dos escândalos dos topázios? Do governador que pagou para irradiarem topázios e contrabandear?

O IPEN deveria ter sido isolado impedindo gente torta de aproximarem.

Embargo? Isso é fantasma. O americanos doaram o reator do IPEN. Os americanos sabiam que aprenderíamos e nos transformaríamos na excelência que somos na área nuclear.

JT8D

Embargos são reais. A MB sofreu e o IPEN também teria sofrido se tivesse sido associado ao programa militar

Esteves

Viu as baterias do Riachuelo?

Aquilo não foi embargo. Foi incompetência. Quem se mete a construir submarino tem que ter outros caminhos se a travessia ruir.

Viu o aço? Se a Arcelor se negar ou disser que não tem a liga será embargo? Ou falta de prever e de construir fornecedores para o aço?

Se decidirem usar titânio…aonde vamos buscar a solda? Vai esperar o dia para chamar o soldador?

Embargo…mete-se a construir navios de guerra e não tem baterias, motores, chapas, sistemas, armas?

Faltava terem assinado para trazer o Zidane.

JT8D

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Temos gaps tecnológicos, é evidente. Mas tente comprar uma máquina de usinagem de ultra-precisão para um projeto de defesa. Talvez você não tenha entendido a que eu me refiro

Esteves

Sim. Esteves sabe ou deveria saber. Embargos acontecem por todo o mundo. Pressões. Negativas de vender. Mas…você se entrega a construir uma BID e ainda não temos uma, de que adianta começar pelo fim? Demandas, não há capital, não há mão de obra. Certo. Leva 15 anos para chegar a uma turbina. Melhor comprar. Vai depender até quando? Lei da Balança. Por conta da lei da balança e para justificar a lei da balança e ajustar domesticamente criamos o Truck. Caminhão trucado. Terceiro eixo. As empresas que fizeram e acompanharam o modismo de transporte rodoviário fora da realidade (caminhão toco… Read more »

737-800RJ

Se tivéssemos até o fim da década metade ou um pouco menos do que tá nessa tabela, tudo novinho e moderno, estaríamos muito bem na fita: 8 submarinos convencionais, os nucleares pra depois de 2030, 12 escoltas, 6 patrulhas oceânicos, 23 patrulhas costeiros, 4 caça-minas, 4 varredores… É mais ou menos como o Esteves falou: podem sonhar com 300, mas se só der pra fazer 30, que façam apenas 30… Mas façam!

Last edited 4 meses atrás by 737-800RJ
Leandro Costa

Eu lembro bem quando essa tabela foi publicada. Eu cocei a cabeça e torci muito para que fosse verdade. Mas é aquela coisa que eu acho que um Botafoguense faz sempre que vê o time entrando em campo em algum campeonato de primeira linha. Lembro que meu primo, ex-militar me olhou e perguntou ‘Isso aí é sério ou só querem fazer piada mesmo?’ Compartilho do sentimento dele.

Nilson

“pouco provável que a marinha dê publicidade” Pergunta inocente: é ou não dinheiro público envolvido na aquisição da tecnologia, construção, manutenção e operação do submarino? A Marinha que me conste é um órgão pertencente ao estado e portanto, subordinada a este. Como não dar satisfação para a sociedades que a mantém e sustenta!

jorge domingos

sempre achei e sempre lamentei que há na marinha nossa um bando de incompetentes , desde lá de “cima” até o “porão”. lamentável

Marcelo R

Engraçado…. Isso aqui virou uma briga de condomínio, o ASSUNTO FOCO saiu da PAUTA????…..

Faver

Se ocorreu algum problema mais sério e não comentado pela marinha vamos ver este vetor sendo vendido ou trocado por outro daqui uns 2 anos…

Anderson Rodrigues

Essa água salgada não causa danos aos equipamentos internos?

Guilardo Pedrosa.

Pessoal. Quem não gostar do que vou dizer, conteste objetivamente. Houve um erro. Existe culpados. Têm que ser punidos. A marinha não é dos almirantes, é do Estado e da nação. Existe um ou mais incompetentes, desidiosos e irresponsáveis. Têm que pagar o preço. Quando sempre falei em fracassos em abundância nas três forças, não fazia apenas para criticar. Foi assim o VLS que acabou -se; os mísseis que nunca ficaram operacionais; corvetas que não saem do papel; SUBNUC que drena dinheiro há mais de 30 anos; afundamento de submarino atracado. Transferência de tecnologia a peso de ouro que nunca… Read more »

Esteves

No Irã seriam enforcados. Todos.

Renato

Pois é…
Quando comento que as FAS do CHILE são as que mais me impressionam pela organização e profissionalismo, na América do Sul me rotulam de antipatriota e outros adjetivos mais pejorativos.
Enquanto uma casta retrógrada de oficiais da velha guarda com seus vícios de síndrome de vira lata, nada vai mudar.
As FAS de uma forma ou de outra sempre empurram para a classe política seus descaminhos.
Falta PROFISSIONALISMO como o do Chile.

JOSEMAR SILVA

É UM PROBLEMA de VASOS COMUNICANTES, que não possuem sensores de fluxo, vazão e nivel, automatizados, OU NÃO!?

Alex Barreto Cypriano

Tem vários tipos de tanques em submarinos: lastro, compensação, efluentes, combustível, lubrificantes, água potável, etc. Não tô dizendo que o scorpene cabe exato no texto a seguir, mas este serve pra gente ter uma visão geral, e até especular (eu não vou fazer isso…) em qual deles a manobra de válvula falha resultou em embarque de água no porão do compartimento de armas:
https://www.marineinsight.com/naval-architecture/submarine-design-unique-tanks-submarine/

tank1.png
Esteves

Se Esteves descobrir vai pedir uma boa grana.

Nilo

Sobre o incidente: barbeiragem do tripulante ou válvula com defeito; não houve danos materiais, ‘Tonelero’ afundou numa manobra dessas”.
…….“pouco provável” que a Marinha dê publicidade aos reais motivos do incidente, ou às eventuais providências tomadas em relação aos tripulantes.”…
Agradecimentos ao Jornalista especializados Lopes e fica a lição,
até aqui a Marinha Brasileira não consegue administrar, lidar, gerenciar uma informação com um incidente considerado “típica de um submarino”, o que dirá sobre ocorrência de cunho mais grave???
Fica, a insegurança, a perplexidade, a incerteza.
Uma instituição que lida com projetos de bilhoes de dolares e a Segurança de Estado.

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Esteves

Esteves é indigestivo. Comeu parmigiana, misturou esse assunto e pronto. Virou bola. Já fiz chá de tudo que tinha.

Pra terminar…um incidente com o reator será considerado típico também?

Nilo

Rsrsrsrs….submarino diesel ou NUC será sempre um sub guardada suas tipicidades, podem ocorrer indidente típico.
A questão: A Marinha Brasileira (da Nação Brasileira) tem que esta preparada para lidar com ocorrencia TÍPICA DE um sub diesel ou nuclear, e esta preparada significa eliminar oposição no seu nascedouro, Mas não com o cabo e o soldado.
O NUC é de suma importância.

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Esteves

Sim.

Esteves

Não. Forças Armadas prestam à Defesa. Forças Armadas representam o Estado de Guerra de uma nação. Nelas confiamos. Forças Armadas são o nosso bastão. Bastão de porrada no inimigo. O inimigo está fora. Dentro estão as ameaças. Dentro da pátria soberana vivem os incompetentes. Também os injustos. O blog, se os editores permitem, presta a desenvolver uma mentalidade de Defesa na sociedade. Está escrito na missão. Debates. Com regras. Nomear e nominar traz injustiças. De pronto lembro dos nomes de dezenas que contribuíram e ainda o fazem de forma consistente e duradoura. Como Mestre Ozawa que aproveito para vibrar pela… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Esteves
Salim

Suplementação visto real ter desvalorização recorde ( mais de 45%) maior desvalorização moeda no ultimo ano entre 44 paises. Pior e que tem cara apoiando.

Esteves

Está matando a importação. Mas o agronegócio comemora.

Carvalho2008

E o que uma moeda desvalorizada pode representar a industria Brasileira nas exportações? Vamos lembrar que a China vivia as turras com americanos pois eram acusados de desvalorizar a moeda nacional intencionalmente. Isto alavancou a industria chinesa

Mauro

Moeda desvalorizada não é necessariamente ruim. Onde você leu isso?

Lembra que o teu parceiro criticava o outro parceiro dele quando o Real valia um dólar?? ele dizia que isso gerava empregos na China, então como ele estava na oposição, ele dizia que o Real estava muito valorizado e isso prejudicava o Brasil.

Os EUA fazem muito isso quando querem exportar, inundam o mundo com dólar e desvalorizam sua moeda. A parceira do teu parceiro reclamou disso dentro da Casa Branca, com o parceiro que era o chefe do parceiro que está no poder hoje nos EUA.

Nilo

barco de US$ 600 milhões ou 1 bi ou NUC…..Manual de 900 paginas…. tem check-list….tem dispositivos de segurança…e que tenha o Poka Yoke. O mestre carvalho2008, trás a baila um tópico que não me deixa em paz.    Ele diz: “Se depender de novato, de mal treinado, de zangado, de azarado, de magoado, de noite mal dormida, labirintite…a (*&*())))))(*& vai afundar…e todo mundo tem dias assim….” A pergunta que não cala mestre. Temos no organograma funcional, dentro de um submarino em operação, hoje na marinha, um responsável (in loco) pela aferição, gerenciamento de ânimos que podem mitigar os riscos em uma atividade tão estressante, …… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Esteves

Clima organizacional. Gestão de ânimos.

Olha…trabalhar no regime de cooperação afastando o reconhecimento e a recompensa ou correndo em paralelo com satisfações tipo grana…isso é complicado nas estruturas.

Pos traumático não pode. Como corrigir uma meta não alcançada e que não foi atingida por conta de valores intangíveis?

Nilo

Boarding a US NAVY NUCLEAR SUBMARINE

Last edited 4 meses atrás by Nilo
Esteves

Fuuu…mais lição. Submarinos para o Esteves são aquelas coisas de filmes de guerra. Ambientes tensos, suor, periscópio, sonar, torpedos chegando e saindo, cargas de profundidade. Nada de indivíduos. Talvez um sabotador. Vem o Nilo e acaba com o drama. Desconstrução total. Submarinos podem ser operados por gente alegre. Ok. Quero saber se essa alegria toda pode ser medida, aferida ou sentida. Quero saber o impacto no clima organizacional. Contos urbanos. Esteves deixou a filial e foi ao MKT. No lugar do Esteves, outro. Bom também. O ex chefe do Esteves bateu, bateu. O rapaz ligou e desabafou com o Esteves.… Read more »

Nilo