segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab Naval

Aeronaves de patrulha marítima P-8A Poseidon para a Alemanha

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em 12 de março de 2021, o Departamento de Estado dos EUA decidiu aprovar uma possível Venda Militar Estrangeira (FMS) para a Alemanha do Boeing P-8A Poseidon.

A Defense Security Cooperation Agency (DSCA) entregou a certificação necessária notificando o Congresso desta possível venda.

O governo alemão solicitou a compra de cinco aeronaves de patrulha marítima P-8A Poseidon, além de suporte associado e equipamentos relacionados. O pedido está avaliado em US$ 1,77 bilhão.

A venda proposta melhorará a capacidade da Alemanha de enfrentar as ameaças atuais e futuras. A Marinha Alemã atualmente opera o Lockheed P-3C Orion, mas essa aeronave está chegando ao fim de sua vida útil e será aposentada em 2024.

Como a Marinha Alemã cancelou seu programa de modernização do P-3C, a Força optou pelo Poseidon.

A Alemanha estava participando do estudo de viabilidade da aeronave de patrulha marítima franco-alemã (MPA) baseada no Airbus A320neo. Mas, com a compra do P-8A Poseidon, a participação da Alemanha do programa da MPA da Airbus provavelmente será encerrada.

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zen

Falando em fim de vida útil, até quando os nosso P3 podem voar?

João Fernando

Até a asa cair

Douglas Falcão

Enquanto as asas não caírem na pista, eles fingem que voam, pois uma parte deles já fica 95% do tempo aterrada por cautela.

Rinaldo Nery

Você tem alguma informação oficial acerca da disponibilidade dos P-3 do 1°/7° GAV?

Wellington R. Soares

Qual a situação dos P3 alemão?
Infelizmente P8 estaria totalmente fora de cogitação para nossa FAB, aliás sempre achei que deveriam ser da MB e que a MB deveriam abandonar a insistência em caças, mas isso gera muita discussão rsrr…

Joao Motta

Gostaria muito de ver esse projeto na MB.

DB22448E-3FF7-4483-83C5-31D080E6A1FE.jpeg
Wellington R. Soares

Infelizmente é muito difícil meu amigo, infelizmente. Capacidade temos, recursos temos, mas…Enfim, não precisa nem comentar.

gordo

Eu preferia o Kawasaki P1.

Adriano Madureira

Very expensive!

Heli

E põe very nisso. Agora a França vai ter que engolir o P3, já que ela bancar o desenvolvimento de uma versao militar do A320 sozinha é demais

rui mendes

P3????
A França usa o ATL 2, não o P3.
Quanto ao desenvolver sozinha o A320, penso que não seguirá esse caminho, porque existem outros projectos Europeus de MPA’s, como o C235 ou o Italiano, ambos os dois adquiridos pela Turquia.

rui mendes

O p8 é bem mais caro.

Masa

“O pedido está avaliado em US$ 1,77 bilhão.”
Ou seja, o governo alemão estará pagando ~US$ 354 milhões de dólares cada num total de 5 aeronaves…
Muito caro!
Pra se ter uma ideia, o avião desenvolvido pela Kawasaki (P-1), está custando em torno de ~US$ 205 milhões a unidade, segundo o orçamento de 2021 divulgado pelo governo japonês (que calculou em 68 bilhões de Ienes pra 3 aviões).

544DF18B-38EB-48FE-8A70-3D3294E4DC07.jpeg
Fernando Veiria

Mas talvez o custo de manutenção acabe compensando a diferença. O P-8 nada mais é que um 737-800 glorificado. Existem milhares desses aviões voando por aí e ainda fabricam mais. Peças de reposição não vão ser problema por toda a vida útil do avião. Nem manutenção será cara. Se fosse, não teria aeronave do modelo voando por tudo quanto é canto do mundo.

E mais ainda, quando você olha para o P-1 e vê que ele tem quatro motores, já vê logo quatro componentes caros e de manutenção complexa. Pra que quatro se dois fazem o trabalho?

Jadson Cabral

Está claro na matéria que o valor não é só as cinco aeronaves, mas tbm engloba serviços. Pessoal parece que não sabe ler

Dalton

Com isso, a Alemanha torna-se a terceira operadora europeia do P-8, depois do Reino Unido e Noruega, com 9 e 5 aeronaves contratadas respectivamente.

Bosco

Ele deverá ser armado com o LRASM

rommelqe

Caro Bosco: até onde saibamos, os P8 alemães serão certamente dotados com torpedos, correto? Agora quanto a cargas de profundidade entendo que estariam sendo descontinuadas ou ainda seriam consideradas uteis em certas condições de combate?

Bardini

O Poseidon faz ASW voando a grande altitude. Fica muito complicado empregar uma carga de profundidade nestas condições.
.
Teriam que fazer um kit desses para as deep charge: comment image?auto=format&w=720

rommelqe

Obrigado Bardini!!!

rommelqe

Bosco, como o RBS15 ja é operado pelos alemães entendo que a versão Gungnir também poderia ser empregada nos P8. Estaria essa alternativa sendo considerada como opção às LRSAM?
Por outro lado, voltando à questão de ataque a submarinos, os vetustos Mk46 estariam sendo substituidos por versões mais modernas? Com a metade do peso de um RBS15, os Mk46 lançados a partir dos P8 contemplam missões muito distintas mas talvez as mais importantes entre aquelas destinadas a essa aeronave, voce concorda?

André Garcia

Devemos ser umas das únicas marinhas do mundo cujos caças (se é que podemos chamá-los assim) não possuem mísseis anti-navio e que não possui aeronaves de patrulha.

Dalton

Os P-8s australianos e britânicos são operados pelas respectivas forças aéreas e quanto aos “caças” havendo apenas 6 deles, 2 bipostos para treinamento principalmente e 4 monopostos não se pode esperar uma boa disponibilidade que justifique muito investimento.
.
Alguns argumentarão que a marinha argentina fez muito com 4 “Super Etendard” armados com mísseis exocet em 1982, mas, 14 haviam sido adquiridos 9 dos quais ainda não haviam sido entregues, além de um número maior de A-4s também operados pela marinha.

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construtor naval CSSC da China atinge a meta de entrega de 2021 e mantém a liderança mundial

A China State Shipbuilding Corporation (CSSC) informou que, com a entrega de dois novos navios em 1º de dezembro,...
- Advertisement -