segunda-feira, outubro 25, 2021

Saab Naval

MBDA vai fornecer novo sistema de mísseis antinavio Teseo Mk2/E para a Marinha Italiana

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A MBDA fornecerá à Marinha Italiana o novo Teseo Evolved Weapon System – Teseo Mk2/E.

Este sistema de nova geração baseia-se na família Teseo legada, conhecida mundialmente como OTOMAT, e trará uma melhoria substancial nas capacidades antinavio.

O Teseo Mk2/E enfrentará com eficiência alvos marítimos e terrestres de longo alcance, com controle total da missão durante todo o voo do míssil. O sistema terá um planejamento de missão integrado inovador e um novo buscador de RF, com opções para recursos e capacidades adicionais no futuro.

O Teseo Mk2/E é a resposta às ameaças em evolução que geram a necessidade de evoluir os requisitos operacionais. Esta solução é o resultado de atividades técnicas e do programa conjunto da MBDA e da Marinha italiana nos últimos três anos, que amadureceram o conceito deste sistema avançado.

O sistema de mísseis Teseo Mk2/E equipará o destróier de próxima geração (DDX) e poderá substituir a versão anterior do Mk2/A a bordo das fragatas FREMM e Horizon. Os novos navios-patrulha offshore multifuncionais (PPA – Pattugliatori Polivalenti d’Altura), atualmente em produção, já estão aptos para a instalação do Teseo Mk2/E no futuro. No mercado de armas antinavio, o Teseo Mk2/E representará um novo padrão com seu altíssimo desempenho e estará pronto para ser adaptado às exigências internacionais.

Eric Béranger, CEO da MBDA, declarou: “Quero aqui dar um agradecimento especial à Marinha Italiana, ao governo e a todas as equipes da MBDA que trabalharam duro, também contra todas as interrupções criadas pela pandemia, para dar vida a este importante contrato. O Grupo MBDA considera o Teseo Mk2/E como um programa importante e estará totalmente comprometido com o resultado bem-sucedido desse novo desenvolvimento. O novo Teseo Mk2/E baseia-se em uma linha de produtos bem reconhecida em todo o mundo e apoiará, por muito tempo, a atratividade de nossos produtos navais nos mercados de exportação”.

Lorenzo Mariani, Diretor Executivo do Grupo de Vendas e Desenvolvimento de Negócios e Diretor Executivo da MBDA Itália, declarou: “O Teseo Mk2/E foi definido e projetado graças a uma intensa colaboração entre a Marinha Italiana e a MBDA. Este novo míssil antinavio marcará uma mudança radical na família OTOMAT/Teseo, acompanhará as ameaças em constante evolução e oferecerá funções avançadas para apoiar as operações da Marinha Italiana que aumentarão significativamente a flexibilidade e o valor operacional dos navios de superfície da Marinha Italiana que serão equipados com ele. Este contrato também ajudará a sustentar competências de alto nível em um domínio de excelência da indústria de defesa italiana e contribuirá para garantir a sustentabilidade de nossa empresa e seus fornecedores, bem como os níveis de emprego italianos nos próximos anos”.

FONTE: MBDA

- Advertisement -

27 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Bó

Praticamente um míssil novo, mantendo só o nome provavelmente por questões comerciais.

João Filho

https://www.mbda-systems.com/innovation/preparing-future-products-3/teseo-satcom/
On long range cruise and anti-ship missiles, the ability to communicate with the launch platform or even with a remote battle management center far away from the battle field offers a broad range of new possibilities, from ensuring the kill assessment to allowing an in-flight target reallocation. A satellite communication device has been developed and tested at MBDA Italy. It can fit on a Teseo missile.

Esta parte é certamente nova. O artigo afirma duas vezes que o Evo é baseado no Teseo / Otomat anterior.

Comercialmente Teseo / Otomat já foi entregue para 20 países, além da Itália

frsnk

esse míssil em comum com o antigo tem só o nome, terá um alcance superior a 350 km. com função antinavio e de land attack e Fornecendo a marinha italiana capacidade de ataque terrestre litorâneo

Thiago A.

Uma valiosa aquisição para as forças armadas italianas, ótimo para MMI que não ficará dependendo da aeronáutica e seus Tornados e Typhoons armados de SCALP/ Storm shadow, considerando que estes últimos não serão integrados aos F-35.

Thiago A.

uma grande evolução para a MMI

EnmXjOOXIAADTVq.jpeg
Bardini

O sistema de mísseis Teseo Mk2/E equipará o destróier de próxima geração (DDX)”
.
As primeiras “imagens” que circulam desses DDX: comment image

Bardini

Mais de 10.000tcomment image

Last edited 7 meses atrás by Bardini
Segatto

64 VLS, seria o projeto europeu com mais VLS até agora?

Thiago A.

Boa noite prezado Segatto, pelo que entendi os VLS a proa são os A70 dedicados ao lançamento dos mísseis de cruzeiro ( MdCN) que deverão – em teoria -garantir a capacidade de deep strike . Mas não sei se a aquisição já foi definida ou terá apenas a predisposição, caso a MM ou eventuais clientes decidam optar te-los ou não.
Abs

Bardini

Outra concepção: comment image

Guizmo

Espetacular!

Thiago A.

Se tudo correr de acordo com o planejamento[ 2 DDX + 2 orizzonte, 10 Bergamini/FREMM, 7 PPA duas delas Full , (?) EPC, Trieste , Cavour,
2 LPD substitutos da classe Santi …etc ] a MM terá uma frota formidável com um “mini” CSG de todo respeito e efetivo para qualquer teatro operativo . Até

Bardini

Parece que os classe Santi seriam substituídos por um LHD. Não sei se mudaram isso por dois LPDs…
.
Eu vi comentários de que poderia ser esse o projeto:
https://www.fincantieri.com/en/products-and-services/naval-vessels/lhd-20000-t/

Thiago A.

Boa noite mestre Bardini, não sei dizer também pelas últimas notícias que acompanhei e já faz um tempinho (2020) este site (https://www.difesaonline.it/mondo-militare/la-marina-finalmente-ha-deciso-di-mandare-pensione-la-classe-santi) indicava :
“La Marina Militare ha emanato le specifiche in merito a una futura acquisizione (fondi permettendo) di almeno due nuove LPD con un dislocamento di 20.000 tonnellate, con un ponte di volo discontinuo (come il Trieste), in grado di far decollare UAV di medie dimensioni e bacino allagabile (i sistemi di autodifesa dovrebbero essere limitati al corto raggio) per permettere la fuoriuscita dei mezzi da sbarco, come il futuro SuperAv 8×8.”

Thiago A.

As específicacoes parecem as mesmas, só a matéria classifica como LPD … Sei não

Thiago A.

Sempre de 20.000 toneladas como o LHD que você acabou de indicar

Bardini

Mestre não… não viaja com isso aí.
.
con un ponte di volo discontinuo (come il Trieste)”
.
Deve ser esse mesmo projeto, então.
.
Esse navio deve rivalizar com o Mistral.
http://www.shipbucket.com/drawings/4092/file

José Luiz

A rápida superação tecnológica é um grande problema no desenvolvimento de mísseis nacionais. Vejamos o nosso mansup que ainda não nasceu e já tem suas dificuldades quando comparado com os concorrentes atuais como: harpoon, exocet block 3, rbs 15 mk 3, harpoon, kh 35 russo e perante os chineses. Imagina com estará defasado no futuro perante este míssil italiano e outros que estão pipocando por aí como a versão mk4 do rbs 15 ou o outro modelo norueguês furtivo que não recordo o nome e outros. Complicado se tivéssemos dinheiro sobrando colocariamos o mansup nos patrulheiros e em baterias terrestres… Read more »

Bardini

O problema do MAN SUP é que ele é uma cópia de um Exocet antigo. Ele já nasceu velho e ultrapassado, não foi “superado” no processo de seu desenvolvimento.

José Luiz

Infelizmente concordo. Mas mesmo assim tem o seu valor por ser um passo no desenvolvimento deste tipo de arma fundamental para um país com o nosso mar. Outro ponto é que sendo nosso teremos o domínio da eletrônica e do software. E hoje um problema sério é a guerra eletrônica e digam o contrário eu desconfio seriamente do software de muitas armas estrangeiras que são verdadeiras caixas pretas lacradas. Duvido que um harpoon ou um torpedo mark 48 funcione contra um navio da US Navy. Muito provável que o software contenha um script de segurança que pode ser ativado pelo… Read more »

Carlos Campos

Pelo design parece ser stelth, muito legal, uma grande adição para a Italia

Segatto

Stealth e aumentando o alcance para 360 km se não estou enganado

Thiago A.

“La futura versione EVO, con capacità anche land attack, dovrebbe avere una gittata massima di 450/500 km, con una conformazione assai diversa rispetto alle precedenti versioni.”
Abs

Segatto

Nossa, ainda mais do que eu havia lido

Frsnk

Marina Militare ta com uma frota de todo respeito 10 fremm lancaram o terceiro ppa destroyer horizint o porta avioes cavour operando f35 em breve o trieste

Segatto

Estranhamente para mim, não expandirão o número de submarinos, que se conservará em 8, com mais 4 U212 que se juntarão aos atuais 4 substituindo uma classe mais antiga

Frsnk

4 sub U212 e mais 4 novos geracao
U212 Nfs com os primeiro 2 ja encomendado , acho uma otima escolha para a italia. Que esta sendo muito certeira com seu investimento ,sem gigantismos forcado

- Publicidade -

Últimas Notícias

R7: Marinha desenvolve o 1º motor com tecnologia nuclear para submarinos

A renovação da frota é uma parceria entre o Brasil e a França. O primeiro motor deve entrar em...
- Advertisement -