domingo, maio 16, 2021

Saab Naval

Míssil Sea Ceptor da MBDA encomendado para o Canadian Surface Combatant

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A MBDA recebeu um contrato da Lockheed Martin Canada para equipar o novo Canadian Surface Combatant (CSC) da Royal Canadian Navy com o sistema de armas de defesa aérea Sea Ceptor.

Utilizando o míssil modular antiaéreo comum (CAMM – Common Anti-air Modular Missile) como seu vetor, o Sea Ceptor assumirá a função de Sistema de Defesa Aérea Aproximada (CIADS) a bordo das novas fragatas CSC.

O Sea Ceptor oferece desempenho de autodefesa excepcional, com um tempo de resposta rápido e uma alta taxa de tiro para derrotar várias ameaças simultaneamente. Sua tecnologia de última geração Soft Vertical Launch (SVL) permite cobertura total de 360​​° com desempenho de curto alcance normalmente associado apenas a sistemas de lançadores conteiráveis.

O Sea Ceptor será integrado ao Combat Management System 330 (CMS 330) da Lockheed Martin Canada como parte de uma capacidade de defesa aérea de vários níveis. Os mísseis CAMM serão armazenados em grupos de quatro no Sistema de Lançador Extensível da Lockheed Martin (ExLS), que faz parte da família Mk41 de sistemas de lançadores verticais.

O papel da MBDA no CSC criará um impacto positivo na indústria de defesa canadense e em sua cadeia de suprimentos por meio da política de Benefícios Industriais e Tecnológicos (ITB) do Canadá. Este contrato trará um investimento significativo da MBDA em pesquisa e desenvolvimento para o Canadá em uma ampla gama de tecnologias, como inteligência artificial, segurança cibernética e materiais avançados.

Este investimento será feito em pequenas e médias empresas (PMEs), universidades e outras indústrias importantes em todo o Canadá, apoiando empregos de alta tecnologia. Além disso, o programa CSC fortalecerá ainda mais a parceria entre a MBDA e a Lockheed Martin Canada, que já viu o Sea Ceptor e o CMS330 fornecendo capacidades de defesa aérea de classe mundial para a Marinha Real da Nova Zelândia e a Marinha do Chile.

Éric Béranger, CEO da MBDA, disse: “Estamos muito satisfeitos por receber este contrato e por contribuir para um programa tão importante para o Canadá. O Sea Ceptor oferece tecnologia de próxima geração que ajudará a proteger os homens e mulheres da Marinha Real Canadense enquanto eles realizam suas missões ao redor do mundo a bordo das novas fragatas CSC avançadas.”

DIVULGAÇÃO: MBDA

- Advertisement -

12 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wellington R. Soares

Quantas fragatas pesadas o Canadá encomendou ?
Não sei o que nossa MB irá fazer, mas estamos ficando muito atrás em meios de superfície e não serão 4 fragatas leves que vão mudar muita coisa !

Bardini

15x Type-26.

Mk48

Bardini, bom dia.
.
15 type 26 só para o Canadá. Quantas serão para o UK ?

Pedro Bó

Até então serão oito Type 26, complementadas pelas cinco Type 31 e cinco Type 32 (esta última classe ainda no papel).

Dalton

O Canadá quer 15, para eventualmente substituir as 12 atuais e também os 3 “Iroquois” já
retirados de serviço anos atrás e reparti-las entre o Atlântico e o Pacífico o que no fim das contas não será muito para ambos os oceanos, mas, é o que se pode fazer e esticar o máximo possível a vida dos 4 submarinos um tanto quanto problemáticos até que recursos
apropriados estejam disponíveis para a substituição na década de 2030.

Mk48

Os 4 subs canadenses, a malfadada classe Victoria, realmente são um problema muito sério. Pelos problemas apresentados e pelo dinheiro já gasto com eles, sem solução nenhuma, é caso de policia.

Wellington R. Soares

Obrigado Dalton, mas mesmo que “divididos” ainda sim são uma quantidade muito boa. Se tratando de navios com 7800ton de deslocamentos eles estarão muito bem servidos.
Preocupante nossa situação quando vemos notícias como essa rsrr…

MestreD'Avis

O Sea Ceptor irá ser adaptado ao papel normalmente reservado ao Ram/SeaRam como “ultima defesa” contra misseis atacantes, deixando a longa distancia para os ESSM Block 2 e o SM2para uma defesa de 3 camadas.

Os modelos mostram 6 células independentes para até 24 misseis independentes dos restantes 32 lançadores Mk41. O que dá uma carga de misseis muito interessante, podendo levar por ex: 24 SeaCeptor, 24 SM2 e 32 ESSM

Luís Henrique

Acredito que Sea Ceptor e ESSM cumprem praticamente a mesma missão.

Pedro Bó

Também penso o mesmo. Inclusive o alcance nominal do CAMM é de 25km, mas já passou dos 50km em testes. Também trabalha-se numa versão “extended range” com alcance nominal de 45km. O RAM tem alcance nominal de 9-10km.

Fernando "Nunão" De Martini

Luis e Pedro,
No caso, como o Sea Ceptor alega ter, além da defesa de ponto, uma capacidade 36Oº de rápida resposta em distâncias curtas, ele irá complementar o ESSM na defesa de ponto e ao mesmo tempo cumprir o papel de CIWS, assim o navio não terá sistemas como Phalanx ou RAM nessa função, que será coberta pelo Sea Ceptor.

MestreD'Avis

Luis, pode acreditar que sim, mas a Royal Canadian Navy pensa ter os dois no mesmo navio por algum motivo. O ESSM é maior, mais rápido e com um alcance maior. O SeaCeptor será provavelmente de reação mais rápida para uma ameaça a curta distância. Há um overlap de alcance na faixa dos 10/30km entre os dois mas oferecem respostas diferentes a ameaças diferentes.

- Publicidade -

Reportagens especiais

Poder Naval visita o Battleship USS Texas (BB-35)

O battleship USS Texas (BB-35), o segundo navio da Marinha dos Estados Unidos batizado em homenagem ao estado do...
- Advertisement -