segunda-feira, junho 21, 2021

Saab Naval

Naval Group lança o ARA Storni, terceiro navio de patrulha offshore argentino

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O terceiro dos quatro navios de patrulha offshore 87 (OPV 87) encomendados ao Naval Group pela Argentina foi lançado no estaleiro Concarneau (Bretanha).

Após a recente entrega do ARA Piedrabuena, o terceiro OPV ARA Storni foi lançado na segunda-feira, 10 de maio. O navio, que foi parcialmente construído em Lanester pela Kership Lorient e montado em Concarneau pelos Estaleiros Piriou.

A entrega faz parte do contrato assinado pelo Naval Group com a Argentina em 2018 para o fornecimento de quatro embarcações multimissão de patrulha offshore. O ARA Bouchard (ex-L’Adroit) foi entregue em dezembro de 2019, dois meses antes do previsto, e o ARA Piedrabuena, o primeiro dos três navios-patrulha recém-construídos, foi entregue em 13 de abril de 2021.

A terceira embarcação da série oferecerá os mesmos ativos e características do ARA Piedrabuena. Melhor armado do que o ARA Bouchard, mais motorizado, equipado com sistema de estabilização ativa e propulsor de proa, também é “comprovado no gelo”, ou seja, adaptado para navegação nas águas frias da Antártica.

Jean-Claude Flandrin, Diretor do Programa, disse: “O programa continua a progredir em um ritmo muito constante, com a entrega pontual de uma embarcação a cada seis meses, apesar da situação sanitária global. A entrega do ARA Storni deve ocorrer em Outubro deste ano, em linha com o cronograma do contrato.”

“Estamos orgulhosos da confiança que a Marinha Argentina depositou no Naval Group para o abastecimento destas embarcações polivalentes de última geração que permitirão ao país cumprir suas missões de soberania. A sua entrega pontual apesar do contexto sanitário demonstra o compromisso do Grupo com seu cliente”, acrescentou Olivier Michel, Diretor de Vendas para a América Latina.

OPV 87, um navio inovador
Os Navios de Patrulha Offshore argentinos se beneficiam das inovações desenvolvidas pelo Naval Group e comprovadas no mar pela Marinha Francesa, que operou o L’Adroit em vários oceanos há seis anos para múltiplas operações de segurança marítima, seja sozinho ou em cooperação com outras Marinhas:

  • Autonomia muito elevada e excelente navegabilidade;
  • Uma visibilidade de 360​​° do passadiço e um mastro exclusivo para uma cobertura de radar panorâmica;
  • Lançamento discreto e seguro em menos de cinco minutos de embarcações rápidas para forças especiais graças a um engenhoso sistema de rampa na popa do patrulheiro;

Esta gama de navios também se beneficia da expertise do Naval Group em sistemas de informação e comando, permitindo uma ampla vigilância do espaço marítimo e a detecção de comportamentos suspeitos. O ARA Storni está equipado com o sistema Polaris® e o sistema de link de dados táticos NiDL®, desenvolvido especificamente pelo Naval Group para missões de estado no mar e comprovado pela Marinha Francesa.

Características técnicas

Visão em corte do OPV 87 classe L’Adroit

O Navio Patrulha Offshore é capaz de permanecer em alto mar por mais de três semanas, atingir uma velocidade de 20 nós e acomodar um helicóptero. Tripulado por uma equipe reduzida de 40 membros, também é capaz de acomodar cerca de vinte passageiros extras.
• Comprimento: 87 metros
• Boca: 14 metros
• Deslocamento: 1.650 toneladas
• Velocidade máx.: mais de 20 nós
• Acomodações: 59 (tripulantes e passageiros)
• Autonomia: >7.000 milhas náuticas
• Capacidade de embarque: duas embarcações leves de 9 metros e um helicóptero da classe de 10 toneladas

OPV 87 classe L’Adroit visto pela popa

DIVULGAÇÃO: Naval Group

- Advertisement -

111 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
111 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
camargoer

Olá Colegas. Preciso chamar a atenção para o fato da marinha argentina ter adquirido estes navios novos, financiados pela França. Isso mostra que é um erro apostar sempre na ideia que a Argentina não tem recursos para a aquisição de material militar novo.

camargoer

O valor do contrato de compra destas quatro patrulhas foi de Eur$ 318 milhões.

Vovozao

10/05/2021 – segunda-feira, bnoite, mestre Camargoer, vejo todo dia reclamações, que não temos verbas (us$), tendo inclusive, se não liberarem mais dinheiro para o orçamento terem que paralisar ou postergar alguns projetos; aí vem a pergunta; grandes economistas, a nivel mundial, falam que a Argentina esta falida, devendo muito…. como conseguem (US$), para pagar essas patrulheiras, as futuras compras dos Guaranis, dos J17 da China, e, nos não temos para comprar meiosnavais de oportunidades??? Com voces as respostas, aonde esta o pote de ouro????

Esteves

Dizem que no fim do arco-íris.

camargoer

Olá Esteves. Alem do horizonte existe um lugar, bonito e tranquilo….

Alang

É uma brasa, mora?

camargoer

Olá Vovozão. O PIB da Argentina era de US$ 650 bilhões em 2017, caindo para US$ 450 bilhões em 2017 (antes da pandemia). A carga tributária está em torno de 37% do PIB e a dívida em torno de 104% do PIB (mais por causa da queda do PIB do que pelo aumento da dívida). Vale lembrar que a dívida já chegou a 166% do PIB. Os gastos militares estão em torno de 0,7% do PIB (US$ 3,5 bilhões) com 86% do orçamento destinado ao pagamento de pessoal ativo e inativo. A aquisição das quatro OPV foi feita por meio… Read more »

camargoer

Olá Esteves. A dívida com o FMI é a mais simples de ser renegociada, inclusive por meio de um novo empréstimo. Dívidas com bancos privados são mais difíceis de serem negocias. Talvez as mais difíceis sejam as dívidas em mãos de grupos de investidores (os grupos abutres). Lembro bastante de um período no qual o Brasil ficou pendurado no FMI por seguidos empréstimos e cartas de intenção. De modo isso torna a situação argentina menos grave, pelo contrário. A situação é grave e vai continuar assim por vários anos. Em 2017/2019 o país sofreu uma queda de 30%. Lembrando que… Read more »

Luiz Guilherme

Olá Camargoer. Desculpe a intromissão, mas vejo seus comentários como muito pontuais e certeiros. Muito sensato. Queria saber, qual sua formação ?

camargoer

Olá Luiz. Obrigado pelas palavras. Sou professor de química em uma instituição pública.

Esteves

Não se seduza. Não se seduza autárquico Mestre das Químicas.

A reforma administrativa, ao que parece, chegará em 23 com efeitos à partir de 38 e vantagens econômicas já na década de 40…a ponto de encontrar nosso submarino atômico Prestes a homologarem.

Esteves Estará na plenitude da forma…correndo entre os canteiros. Do jeito que vamos não sobrará nem mato até lá.

Last edited 1 mês atrás by Esteves
Esteves

Simples não é simples. Dever significa assumir maiores riscos. Taxas maiores. Os argentinos precisam negociar com os bancos europeus como pagar os juros e rolar a dívida com eles. Devendo aos países europeus não conseguirão nada com o FMI a quem declaram a cada 15 dias que não tem como pagar. Esses dois gargalos (o chamado Clube de Paris ao qual o Mestre Químico da a alcunha de Abutres + FMI) tem vencimentos curtos. Cristina quer pagar pouco…um poquito de juros e nada mas. Dizem que a relação dos argentinos com esses gargalos/credores europeus parecida é com Jack e Raid.… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Esteves
Rinaldo Nery

A Argentina é um caso pra estudos. Dissertação de mestrado. Voava bastante pra lá antes da pandemia. Gosto da Argentina. Somos muito bem recebidos lá, e não retribuímos a altura.. Me impressiona o fascínio que o Peronismo ainda causa lá, depois de tanto tempo. É como se o Getulismo ainda vivesse aqui no Brasil. Salvo melhor juízo, pra mim, é a causa estrutural do permanente fracasso argentino. O kirschnerismo é cria do peronismo.

Antonio Palhares

Eu gosto muito da Argentina. Acho um país maravilhoso e bonito. Li um livro chamado . ” O atroz encanto de ser Argentino”.
Muito interessante. Era um país rico e culto, onde não existiam analfabeto desde o começo do século passado. Foi o único país que caiu do primeiro para o terceiro mundo. Coisas de políticos.

Camargoer

Caro Palhares. A taxa de analfabetismo na Argentina em 1940 era de cerca de 55% enquanto no Brasil era de 40%. Durante o Sec. XIX, o PIB da Argentina era equivalente ao da França, mas ai longo do Sec XX foi ultrapassado pela atraso na industrialização. A econimia da Argentina no início do Sec XX era (continua sendo) baseada em produtos agrícolas (trigo e carne), mas cujas terras férteis eram (e continuam) nas mãos de poucas mãos. É preciso cuidado para não confundir Buenos Aires (uma capital cosmopolita) com a Argentina como um todo. Foi Peron que implementou leis trabalhistas… Read more »

Esteves

Terra do drama. Mistura de andaluzes com nativos carnívoros.

Cristiano de Aquino Campos

Na verdade, as tribos canibais eram mais comuns no litoral do Brasil do que na Argentina. Lembrei do Padre Anchieta.

Cristiano de Aquino Campos

Bingo!
Más o Peron, tem mais em comum com o nosso Jucelino do quê com Getulho.

Last edited 1 mês atrás by Cristiano de Aquino Campos
Camargoer

Caro Esteves. Considero um erro colocar um financista para gerenciar uma economia pois eles ganham com a crise, nunca com a estabilidade. Quem tem como objetivo estabilidade e previsibilidade são engenheiros.

Esteves
Marcelo Baptista

Esteves, financistas não entendem de pagar boletos, só recebe-los.
Vc deu um ótimo exemplo, o Veron conseguiu recuperar o Estudiantes, por que ele entende do mercado de futebol.

Esteves

Economistas são…dizem que são fruto de…

Esteves

Mestre bastante ativo. Lúcido e disposto. Muito bom.

Esses navios foram comprados com aquele tombo que deram no FMI. Pediram emprestado prometendo, ajustaram as coisas internamente e seguem a vida devendo. Mas tem navio novo no mar.

Spitfire

Olá amigo…. será que podemos ver novamente casos como o ocorrido em 2012? Fragata argentina retida por calote da dívida deixa porto de Gana…Sinceramente, não sei de onde vão retirar recursos para as demandas das forças armadas, onde falta tudo… caças, navios, carros de combate, etc…situação ainda pior do que a nossa!!!
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/12/fragata-argentina-libertad-deixa-porto-de-tema-em-gana.html

camargoer

Olá Spitfire. O estaleiro recebeu os recursos do banco que financiou a construção dos navios e o governo argentino está pagando (ou irá pagar) os bancos. Como são financiamentos longos, o governo argentino deve para apenas uma fração do valor a cada prestação, o que facilita o pagamento. A Argentina teve um tombo no PIB em 2001/2002 e recentemente em 2017/2018. Acho improvável que o PIB volte a cair tão fortemente porque ele já está no piso da atividade econômica. Acredito ser mais provável que o PIB da Argentina permaneça estagnado em US$ 450 bilhões em 2021/2022 do que ter… Read more »

Spitfire

Também torço pela recuperação dos hermanos… mas sinceramente acho que vão levar um tombo significativo na economia tb

camargoer

Olá Spitfire. Concordo que vai levar uma década para eles se recuperarem (o Brasil também vai precisar de uma década para recuperar vários problemas)

Esteves

Ou duas.

Camargoer

Olá Esteves. Pois é. O Brasil vai precisar de uma década para se recuperar de vários problemas. E duas década para se recupera de outros.

gerson carvalho

Já no nosso Brasil, as faculdades publicas estão quebradas, não vai ter ENEM 2021., etc… ais tem orçamento secreto pra trator superfaturado!

Hellen

Poderia me dizer qual o preço unitários das patrulhas aquiridas pela marinha do brasil ex:(maracanã) ????

Wellington Sodokan

Esse navio patrulha são melhores e mais modernos que os nossos, né ?
Se for que raiva, um país ferrado como Argentina ter navios patrulhas melhores !

Thiago A.

Quer um osso, “né”?

Wellington Sodokan

Por que me ofendes ?
Nações tem interesses e não amizades. Presidente não tem amigos, mas sequidores e inimigos !

camargoer

Caro Wellington. Essa visão é um pouco antiga. Desde o fim da II Guerra, em torno da ONU, há uma convergência dos interesses entre países em torno de agendas comuns sobre direitos humanos e, a partir do fim do Sec XX, questões ambientais. A crise de 2008 também mostrou a necessidade de ações coordenadas em economia para superar crises. No passado, as crises econômicas foram enfrentadas de modo mais egoista e isolado, o que aumentou o impacto e o tempo das crises. Em relação aos amigos do presidente…prefiro ficar longe deles.

camargoer

Olá Wellington. Imagino que você está comparando as OPV argentinas com as Amazonas da MB. Neste caso, creio que os navios argentinos são um pouco melhores (elas têm por exemplo um hangar para os helicópiteros). Contudo, cada Amazonas custou US$ 63 milhões enquanto que cada OPV argentina curtou US$ 97 milhões.

Wellington Sodokan

Porque acho essas OPV superiores que as nossas ? Para o meu país Brasil, tem estar a um passo a frente de outros países latinos. Aproveitar o momento ruim desses países como Venezuela e Argentina. E se fortalecer ! Mas fragatas, mais corvetas mais submarinos, mais gripen etc… Estarmos a frente de um eventual inimigo !
Estar a frente de uma possível guerra contra a Venezuela de Maduro. E estar preparados !

camargoer

Caro Wellington. As Amazonas são maiores mas não possuem hangar. O armamento das Amazonas e das OPV argentinas são iguais. As Amazonas foram uma excelente compra de oportunidade para a MB e são o resultado de um modelo bem evoluído de embarcações inglesas, mas com um projeto bastante convencional. As OPV argentinas possuem um projeto mais moderno. Eu não sei dizer se os sensores são similares. Essa seria uma boa questão a ser avaliada. Eu acho que a existências de um hangar é uma vantagem dos barcos argentinos sobre os brasileiros. Imagino que se a MB contratar novas patrulhas oceânicas,… Read more »

Thrash Metal

OPV´s da classe Amazonas (Original River – Class), apesar de não terem hangar possuem deck, capaz de receber e reabastecer um Sikorsky SH-60 Seahawk (10 ton).

Camargoer

Caro Thrash. Concordo com você. As Amazonas possuem deck mas não possuem hangar. As Amazonas foram uma compra de oportunidade excelente. São ótimos navios. Contudo, acredito que se a MB contratar novos navios de patrulha, ela vai incluir um hangar.

Wellington Sodokan

Alberto Fermandes , saiu do grupo de Lima, e declarou apoio a Macron, sobre a questão ambiental da Amazônia, em relação ao posicionamento da Amazônia brasileira.

E vocês ainda, dãp forças a esse governo Argentino ?
Querendo ser amiguinhos ?
Brasil que não esteja preparado e for uma coalisão, justamente com hermanos em terras tupiniquis.

fewoz

E quem em sã consciência acha que vai ocorrer alguma guerra na América do Sul? Ainda mais contra o Brasil? Acho que só você e meia dúzia de teóricos da conspiração que estão em Brasília. Considerando o baixo nível militar na América Latina, realmente não é algo a se preocupar. Estão todos (alguns dizem que o Chile é a única exceção, mas também é pequeno demais) no mesmo barco e afundando… Ao mesmo tempo, é simplesmente impossível fazer frente às potências estrangeiras, seja por falta de verbas ou por falta de tecnologia. O único problema é que o Brasil não… Read more »

Wellington Sodokan

Com esse seu pensamento, projetos das Forças Armadas ficam em segundo plano. Por isso, tem muitos diplomados com canudos nas mãos e sem empregos. E saúde, educação e infraestrutura é a corrupção que torra e pior o próprio povo que é contra os militares. Aliás, para eles nem existiria policia !
Mais soldados, menos armamentos, onde a maior parte do soldo vai oara pagar o pessoal da ativa, inativa e pensionista. Comona Australia com pouco dinheiro em relação ao Brasil, tem as melhores belonaves ? Pouco efetivo !

Thiago A.

Porque acho essas OPV superiores que as nossas ?
Falou falou , mas não explicou o porque esses OPVs , NA SUA opinião, seriam melhores ou superiores . Quais características e quais tarefas eles exerceriam com mais proficiência? O custo benefício compensaria? O que ele agregaria ?
A sua afirmação me soa como uma boutade sem fundamento, ou será a visão típica e corriqueira do brasileiro que enxerga a grama do vizinho sempre mais verde.

NPaOc-Araguari-P122-750x422.jpg
Wellington Sodokan

Eu não sou militar, apenas acho que o Brasil, numa melhor situação economica que os outros países da América Latina, deveria aproveitar o momento e se impor como uma nação mais poderosa. Não estou aqui dizendo para aproveitar da situação e atacar alguém, de jeito nenhum, mas aproveitar para adquiri mais equipamentos bélicos. Se impor na região ! Quem tem pena é galinha, a situação da Argentina e Venezuela, foi devido as escolhas do povo, que pagaram alto preço. Portanto, eu sou brasileiro , o resto não me interessa. O país se limita e muito, se o meu vizinho tem… Read more »

Camargoer

Caro Wellington. Uma diplomacia de canhões é cara e ineficiente. Os interesses do Brasil na região passam por 1.estabilidade política 2.crescimento econômico, 3.ampliaçao dos níveis do IDH regional 4.ampliação do comercio regional. Keynes escreveu sobre a Alemanha no fim da I Guerra que a segurança e crescimento econômico de um país dependia da estabilidade e crescimento de seus vizinhos quando criticou os termos do Tratado de Versalhes. Ele tinha razão. As condições draconianas (para usar um termo da moda) impostas á Alemanha estão na raíz da II Guerra. Com a pandemia, muita gente aprendeu que vírus não tem passaporte. O… Read more »

Wellington Sodokan

Mas não estou aqui promovendo a guerra, e nós tos histórias semelhantes. Enquanto Paraguai se fortalecei, brasileiros dormia no ponto. E olha que precisou de 3 contra 1, no final só estava o Brasil sozinho. Apenas digo, deveriamos aproveitar o momento, para fortalecer nossas forças armadas. Eu acho que já mandaram muita gente embora na empresa responsável pela construção do submarinos. Nós temos um maluco brincando de poder, e ele esta interessado na Guiana, se não for por mar, será por terra via Brasil. Mas aqui tudo na paz, o caras recebem seu soldo todo mês para quer ficar nervoso… Read more »

Wellington Sodokan

E desculpem pelos erros, pois tenho uma doença nos olhos, e o teclado não ajuda.

Cristiano de Aquino Campos

Infelizmente eles são mais modernos, melhores e em quantidade maior que os nossos por um.

Marcos10

Na verdade não tem os recursos, tanto que financiou e sabe-se lá como vai pagar.
Mesma coisa do Brasil: Gripen só adquirido porque foi financiado.

camargoer

Caro Marcos. É normal que contratos internacionais sejam mediados por financiamentos. As empresas fornecedoras precisam desta segurança. Quando são acordos governo-governo, geralmente não existem financiamentos. Quando o Brasil comprou o G40 e o A140, foram pagamentos governo-governo. Quando a Argentina comprou os SuperEtandard foi um acordo governo-governo. Por outro lado, as compras do F39 e dos Scorpenes pelo Brasil foram financiadas, assim como foi a compra das OPV argentinas. Quando a FAB comprou os Mirage2000 da França, foi um acordo governo-governo. Quando os EUA ofereceram o F35 (fora do FX2) também seria um acordo governo-governo.

Wellington R. Soares

Caro Camargoer, o F35 foi oferecido ao Brasil ?
Se sim, confesso que por essa eu não esperava. Sempre tive comigo que os Americanos nunca consideraram o Brasil como uma parceria “estratégica”.

Camargoer

Ola Welligton. Quando Jobim era ministro da defesa, ele esteve nos EUA onde foi demonstrado o F35 e oferecido para o Brasil fora do programa FX2, mas foi recusado. A FAB sempre teve interesse no acesso aos codigos-fonte mas a oferta do F35 não permitia esse acesso. Por outro lado, a Boeing, a Dassault e a SAAB garantiram o acesso ao código fonte. Havia certeza que os franceses e suecos dariam este acesso, mas havia dúvidas se os EUA iam disponibizar o acesso irrestrito ao código-fonte do F18.

Wellington R. Soares

Eu sinceramente não sabia sobre essa oferta de caças F35 ao Brasil, embora com algumas críticas e problemas, seria um baita parceiro para os F39 rsrr…
É nítido para todos que os EUA oferecem o equipamento a longos financiamentos, o que acaba lhe rendendo muitos acordos com países sem muito caixa para investimentos. Até onde eu sei todos os F35 estão sendo fabricados nos EUA e acredito que nenhum outro país tenha acesso a todas as informações e dados técnicos desses caças, nem mesmo os próprios Britânicos, Israelenses ou Japoneses.

Camargoer

Caro Wellington. A FAB teve dois caças novos na década de 70, o F5 e o MirageIII. Agora ela pretende padronizar a frota em torno de apenas um modelo. O programa FX2 foi para escolher qual seria este modelo, tendo vencido o F39. Ao longo da próxima década, enquanto forem incorporados os F39 novos, os F5M mais antigos serão aposentados. Então a FAB terão pelos próximos 10 ou 15 anos pelo menos quatro modelos (F39, A1M, F5M e A29). Não faz sentido pensar em um quinto modelo.

rui mendes

Itália fabrica o f35, em Itália.
Todos os países sócios do programa recebem uma percentagem sobre todas as vendas de f35, quanto mais dinheiro meteu no programa, mais recebe, o UK é nivel 1, Itália nível 2, e depois são todos os restantes nível 3 e 4. O Reino Unido recebe entre 15% ou 20% sobre cada F35 fabricado.

Esteves

Foi mostrado. Não foi oferecido. Não teve proposta. Convidaram para mostrar o F35, F22…

Camargoer

Olá Esteves. O F35 foi mostrado e oferecido ao Jobim no início de 2008. O Saito era comandante da FAB. Contudo, ele não foi oferecido no âmbito do FX2 que previa no edital o acesso ao código-fonte. Foi uma oferta governo-governo.

Barak MX para o Brasil

Nunca foi oferecido.

Rinaldo Nery

Foi oferecido, sim. Eu estava na COPAC. Isso é mais velho que defecar de cócoras.

Camargoer

Olá Cel.Nery. Bom ter noticias suas. Espero que todos estejam bem em sua família. Desconhecia a metáfora. Faz todo sentido.

Esteves

Oferecido é o que fizeram com as Tamandarés. Houveram algumas propostas até chegar no BAFO de 3.

Beijos. Promessas. Proposta não teve.

Camargoer

Olá Esteves. Durante o FX2, foram oferecidos vários modelos. Inclusive, os russos incluíram o Su35 após o prazo do edital. Todos eles precisavam atender os requisitos do edital, principalmente em relação ao acesso ao código-fonte. O F35 foi oferecido fora do FX2, obviamente sem o acesso ao código-fonte.

Esteves

Mostrado e oferecido como os japoneses ofereceram seus navios nas feiras e os italianos ofereceram seus Ficantieris de bilhões de euros. Pra fazer graça. Proposta não houve. Não vi proposta como os dinamarqueses, franceses, alemães e outros fizeram pelas Tamandarés. Teve falatório. Quais as chances do Brasil encarar uma negócio com aviões russos Su35? Era o que procurávamos? O Su35 é um avião que se compara com o Gripen ou é um avião superior para outras missões? O F35 é um vetor aéreo. Muito mais que um avião. Temos os outros complementos estratégicos para operar o F35? Fizeram graça. Nós… Read more »

Camargoer

Caro Barak. Prefiro acreditar no Cel.Nery.

Esteves

Isso não vale. O Coronel é vinho Super Toscano.

Camargoer

Olá Esteves. Quando eu era menor havia o “café-com-leite”.

Esteves

Maldição de Coronel pega. Esteves disse não há dúvida quanto ao conteúdo de um vinho Super Toscano assim como não há sobre as afirmações do Coronel Nery.

Mas Esteves não viu proposta para o F35.

Spitfire

Olá amigo, a Argentina já teve em um passado não muito distante meio naval confiscado por questões de dívida…

camargoer

Olá Spitfire. Concordo com você. A economia argentina vem passando por altos e baixo. O retenção do navio argentino estava relacionada com a crise de 2001. Lembrando que naquele período, ocorreram várias trocas de presidente em poucas semanas. Durante a ditadura militar, a Argentina entrou em uma crise econômica, que foi agravada pela derrota na Guerra das Malvinas. O governo Menen levou o país a outra crise em 2001. Recentemente, houve uma nova crise em 2017 durante o governo Macri.

Esteves

E agora há outra. Parece pirâmide.

Camargoer

Olá Esteves. Acho que a Argentina ainda vive a crise de 2017, assim como o Brasil vive a de 2015.

Mauro Cambuquira

E nós aqui, sentados na praça jogando milhos ao pombos..

Rafael costa

Preferia que a MB trocasse o submarino Riachuelo pelos 4 OPV argentinos ???

Thiago A.

Lembrando que são OPVs exatamente como os nossos Amazonas, ou seja navios de apoio … um pequeno resumo de alguns meios de apoio que a MB incorporou : NAM Atlântico, NDM Bahia, 3 NPaOc Amazonas , 3 NApOc Mearim…

Adriano Luchiari

Não exatamente: os classe Amazonas não tem hangar nem o sistema de lançamento de embarcações rápidas à popa.

Thiago A.

Claro, cada uma com sua peculiaridades são 2 projetos distintos…as nossas Amazonas tem um deslocamento maior; capacidade de levar 6 contêineres no convoo, possibilitando com maior facilidade a realização de missões de ajuda humanitária e apoio logístico; uma enfermaria com 10 leitos e sala para pequenas cirurgias com todo o aparato cirúrgico necessário; um guindaste com capacidade de 16 toneladas. No final o que importa em um OPV é que seja confiável, garanta uma boa disponibilidade de navegação e empurre bastante água, se for barato ainda melhor. O único defeito dos Amazonas é que são poucos e só ! 10… Read more »

Adriano Luchiari

Nisso eu concordo! Pelo menos 5, um em cada distrito naval ao longo da costa.

Last edited 1 mês atrás by Adriano Luchiari
Thiago A.

“Não são melhores, são mais modernos, as diferenças são condicentes com a enorme diferença de data de construção que existe entre eles” “em capacidades são iguais, apenas com as diferenças de normais da evolução de 15 anos de um projeto pra outro. Sonar mais moderno, unidade motriz mais moderna, etc., mas, em capacidades tenho entendido que são a mesma concepção de projeto.” Uma vez apontei as qualidades dos nossos Riachuelos em comparação com os existentes nas armadas das região. Vieram postar esse textinho aí em cima, agora o mesmo volta e aponta “defasagem ” em um OPV, cuja tarefa básica… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Thiago A.
Camargoer

Olá Thiago. O país passa por uma crise nunca vista. A história mostra que nestes momentos é preciso um pesado gasto público na geração de empregos para que a economia possa ser impulsionada. Primeiro sempre é o setor de infraestrutura (hospitais, estradas, escolas, etc), o segundo é o da habitação popular e o terceiro é o defesa. A ideia de construir 2 ou 3 novas Amazonas para substituir os navios mas antigos teria algum impacto na economia local, geraria empregos e ainda teria o mérito de reequipar a MB. Os navios mais antigos poderiam ser doados, vendidos ou desmantelados. O… Read more »

Glasquis 7

São OPV, as similaridades acabam aí. O Projeto Amazonas tem alguns anos de defasagem em comparação a este OPV e as prestações se vem bem diferenciadas com a capacidade de lançamento de embarcações rápidas e de hangar coberto.

João Fernando

Capaz deles receberem seus jatos antes dos nossos. Quem viver verá

Last edited 1 mês atrás by João Fernando
camargoer

Caro João. Em relação aos F39, a FAB começa a receber os primeiros aviões este ano. Parece pouco provável que o cronograma seja fundamentalmente mudado agora. Por outro lado, o cronograma das FCT está bem incerto.

Carlos Campos

tu tá mais perdido que um cego em tiroteio

Jagdverband#44
Marcelo

quem sabe nao comprem corvetas Gowind no futuro.

camargoer

Caro Marcelo. Acho possível sim. Os franceses são bastante agressivos para venderem armas, por exemplo oferecendo boas condições de financiamento e construção na França.

Pedro Bó

Marcelo, salvo engano, as L’Adroit são baseadas na Gowind. Seria um caminho natural para a ARA.

Wellington Sodokan

Eu acho que as corvetas brasileiras serãp como as suecas !

camargoer

Caro Wellington. Creio que a MB não tenha plano de construir corvetas nos próximos anos. O foco serão as fragatas Tamandaré.

Barak MX para o Brasil

Vai sonhando.

Caio

Que velocidade. Parabéns a Argentina que vêm conseguindo pelo menos ter uma marinha de vigilância, e com a qualidade que o naval group alcançou.

Teropode

Rapidez entre a assinatura do contrato e as entregas , o Brasil precisa desta assertividades . Reparem no desenho moderno , na capacidade de operar em áreas geladas , só faltou citar os armamentos , umas torres laterais com .50 e alguns mísseis anti aéreos portáteis ajudariam bastante .

Antonio Palhares

Exatamente. Assinaram o contrato em 2018 e receberam tres unidades em 2021.

camargoer

Caro Teropode. É preciso considerar que os navios foram construídos na França, em estaleiros suficientemente preparados para construí-los. Não houve necessidade de licitação, de modernização ou ampliação ou até mesmo construção. Também não é possível comparar um navio de 1500 ton com um submarino ou uma navio de 3500 ton. O mais próximo seria comparar com as Macaés construídas pelo INACE. O P70 foi iniciado em dez/2006 e se tornou operacional em nov/2009.

Thiago A.

E o primeiro da classe era já pronto, utilizado ( alugado) pela Marine Nationale.

Camargoer

Olá Thiago. Você tem razão. Bem lembrado. Obrigado.

Welington S.

E a MB aqui trocando logo-marca, rs. Temos uma Marinha de terra e não de mar.

Rafael costa

” E a MB aqui trocando logo-marca”. Esse comentário seu parece querer dizer que 4 míseros OPV são mais importantes do que um porta-helicópteros e um submarino da classe Riachuelo. Então seria uma boa a MB trocar o NAM Atlântico e o submarino Riachuelo pelos 4 OPV, né?

Thiago A.

Na verdade 4 submarinos … Se você conta já todos os 4 OPVs da ARA pode fazer o mesmo com os subs da MB.

Glasquis 7

Submarinos e OPV são embarcações com funções totalmente diferentes mas com igual importância na atual conjuntura. Não é viável patrulhar pesqueiros com submarinos que são combatentes silenciosos, uma arma tática e muito cara de operar, diferente de um OPV.

O que se critica não é a compra dos Scorpenes mas sim essa política de descobrir vários santos pra cobrir apenas alguns.

Piassarollo

Infelizmente não dá pra ter tudo ao mesmo tempo. Prioridades…

pgusmao

Realmente, muito bem observado, de que adianta trocar logomarca se o planejamento é totalmente irresponsável, são tantos erros de gestão que os acertos desaparecem.

Adriano Madureira

Prefiro a logomarca tradicional mesmo…Para quê criar uma logomarca para uma marinha de meios geriátricos?! Mas no momento é a aquisição mais barata que a MB pode bancar…

comment image

Magnus

Pequenos deslizes no 4º parágrafo: “melhor” antes de particípio e concordância. A embarcação é mais bem armada, motorizada e equipada; não melhor armado, motorizado, etc. Não comento para criticar, mas porque gosto e quero o melhor para a Trilogia.

Antonio Palhares

O terceiro de quatro entregue. Realmente muito bom para os hermanos.

Alexandre Cardoso

Oi, qual é a diferença entre Navio Patrulha Oceânico e Navio Patrulha Offshore? Navio Patrulha Offshore, o Offshore significa que ele atua longe na costa, é isso? E o Navio Patrulha Oceânico tb, por isso perguntei a diferença entre um e outro, ou é só forma diferente de se referir ao mesmo tipo de navio?

Thiago A.

Sim, Alexandre.
NPC – navio patrulha costeiro
NPO – navios patrulha oceânico
em inglês IPV (inshore patrol vessel) e OPV (offshore patrol vessel)

Alexandre Cardoso

Obrigado!!

Hellen

Algum poderia me dizer o preço de cada navio desse da naval Group e o preço do navio pratulha fabricado no brasil adquirido pela marinha ????

- Publicidade -

Reportagens especiais

A Guerra da Lagosta e suas lições

Na foto de abertura, durante a chamada ‘Guerra da Lagosta’ as aeronaves de patrulha da FAB tiveram papel fundamental...
- Advertisement -