quarta-feira, julho 28, 2021

Saab Naval

VÍDEO: Lançamento de míssil antinavio Exocet MM40 contra o casco do ex-NDD Ceará

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Vídeos divulgados nas redes sociais do lançamento de míssil antinavio Exocet MM40, em exercício de tiro real realizado durante a primeira semana de junho.

Navios e aeronaves da Esquadra realizaram o lançamento de armas sobre o casco do ex-Navio de Desembarque Doca “Ceará”, a uma distância segura da costa.

Participaram da operação o Navio de Socorro Submarino “Guillobel” (K120), o Submarino “Tupi” (S30), o Navio Doca Multipropósito “Bahia” (G40) e as Fragatas “Independência” (F44) e “Liberal” (F43). A missão contou, também, com a participação dos helicópteros “Lince” (AH-11B), “Águia” (UH-12) e “Guerreiro” (SH-16) e dos aviões “Falcão” (AF-1B/C).

Os meios da Esquadra empregaram diferentes tipos de armamento, incluindo torpedos, mísseis superfície-superfície, bombas e metralhadoras de aeronaves e canhões das fragatas, culminando com o afundamento do alvo, em decorrência dos impactos provocados pelo armamento.

Aguardamos a divulgação pela Marinha do vídeo com o impacto do míssil e de outros armamentos no alvo.

- Advertisement -

57 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
57 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kornet

Pena que não foi o MANSUP.
Torceremos para que muito em breve o vejamos impactando o alvo.

Pedro

Torceremos para que muito em breve o vejamos impactando o alvo.”(2)

MFB

MANSUP está voando até hoje procurando o alvo.

Zorann

Qual foi o navio que lançou?

Kemen

Os torpedos da Independencia são MK 46 de 324 mm, chamado de “torpedo leve”, imagine então o efeito de um “torpedo pesado” de 533 mm como o MK 48 utilizado pelos submarinos.

Abs

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Maurício.

Mk48, esse vídeo passava seguido na Band, nos vídeos mais incríveis do mundo, bons tempos.

carcara_br

Eu não sei o nome técnico daquele preenchimento que vai junto com o míssil no tubo de lançamento, mas quantos são necessários no MM40 e no MANSUP?

Leitor da Trilogia

Boa noite Carcara.
Eu sei que em inglês o nome disso é “sabot”.
Não sou especialista, mas acredito que a função é, como você disse, preencher o espaço entre o míssil e o tubo, para que o missil fique centralizado e não fique solto lá dentro e pra que ele saia reto, sem bater nas bordas do tubo no lançamento.
Sobre a quantidade, eu contei 6 partes, provavelmente 3 na frente e 3 atrás.

Last edited 1 mês atrás by Leitor da Trilogia
carcara_br

Mansup lançamento.

Mansup.jpg
carcara_br

exocet lançamento.

exocet.jpg
Piassarollo

Opaaa, somos 2. Não vejo a hora de ver o vídeo completo.

Piassarollo

Lá se vão mais de 50 anos e o exocet continua sendo uma arma confiável e eficiente.

Up The Irons

Exatamente. Aos que se preocupam com alcance, pensem que até a primeira Tamandaré estar operacional, daqui a 5 anos, provavelmente já haverá um Mansup Block 2. Temos que começar de algum lugar e o pontapé inicial foi dado!

Bardini

Esse “ponta pé inicial” aí já tem mais de 10 anos nas costas.
.
Se o MAN SUP estiver pronto e plenamente operacional até 2025, já vai ser muito.
.
“Block II” de MAN SUP em 2025???
Parece até que não conhece o lugar em que vive…

Zorann

Exatamente! Ja faz muito tempo que se ouve falar de Mansup….e nada…

Os caras demoram tanto tempo para desenvolver, que se torna obsoleto e sem mercado, antes mesmo de ser produzido.

Mauro Cambuquira

05 anos? Otimista hen? Não vai ser fácil, e tomara que tenhamos meios navais novos para ele, na velocidade que anda os cortes dos orçamentos esse estoura primeiro.

Matheus

O MANSUP é um Exocet tupiniquim praticamente.

Piassarollo

Porque não dizer que ele é uma versão nacional do exocet?

Allan Lemos

Projeto de longo prazo? Essa é a desculpa agora? Porque no ritmo atual, ele só ficará pronto daqui a uns 20 anos e já sairá da fábrica muito obsoleto.

O MTC-300 é a mesma coisa, há uns 10 anos ouço falarem que ele está em “fase final” e que a produção começaria “em breve”… e até agora nada, só promessas.

camargoer

Caro Allan. Todo programa que transpassa um governo seria de longo prazo. Assim foram o A29, o KC390, o F39, o SBR, o SBN e as FCT, os Tupi, o Guarani, o Astro2020 e também o Mansup. Qualque um destes projetos demandam um determinado número de horas de trabalho. Dá para acelerar contratando mais técnicos para fazerem tarefas paralelas. Para contratar mais gente, tem que ter mais recursos. Se a equipe é pequena, demora mais.

Piassarollo

Exato!

Bardini

O míssil MM40 é o Block III, com 180 km de alcance e capacidade de ataque terrestre, como demostrado no impacto dos 17 segundos.

Wilson Look

50Km.

Bardini

E o AM39 uns 70 km.

Piassarollo

Bah ! Muito legal

camargoer

Olá Mk48. Você tem razão. O alcance do míssil está relacionado com o tipo de motor e com a quantidade de combustível disponível. O MM40 b3 usa um motor diferente dos modelos anteriores, por isso seu alcance é o dobro. Por outro lado, o sistema de controle de voo do ManSup (hard and software) é o primeiro desafio. Uma vez resolvido esta etapa, ele poderá ser aproveitado em versão posteriores. Eu lembro que a Embraer aproveitou muito do software do F5M nas modernização do A1M e do A4M. Por isso foi tão importante a FAB ter acesso ao código-fonte do… Read more »

Gabriel

Como entusiasta, não tem como não “vibrar” com esses 2 vídeos.

Na expectativa pelo vídeo do impacto.

Alguém saberia qual a distância que estava o “alvo”?

FabioB

Excelente!!!

Esses MM40 foram revitalizados pela Marinha ou são “originais”?

Piassarollo

Provavelmente não são originais, pois existe um tempo de validade dos mísseis. A marinha revitalizou várias unidades trocando o sistema de propulsão. Não sei dizer se todos os mísseis foram remotorizados ou se caso não foram, possam ser usados em exercícios. Se alguém tiver mais informações seria legal compartilhar. Abs

Hellen

Informação classificada (secreta )!!!

Burgos

Temos um caso de homônimo no blog !!!
🤔🤣
Mk 48 apesar de sua idade continua mortal como nunca !!!🤣

Burgos

Vi o vídeo !!!
Carai véi !!!
Partiu o destróier ao meio !!!
PQP !!! Que “arregaço” !!!
Partindo do princípio !!!
Tô veio, mas tô aregaçando !!!🤣

Burgos

Arregaçando quer dizer !!!🤦‍♂️

André Luis Gusmão

Mark 48 é um torpedo pesado, correto? O Brasil opera também torpedos leves? Qual o poder desses, comparando ao mk 48? Fiquei impressionado com o vídeo do 48…

Fernando XO

Tp MK 46 pode ser lançado por CCI, Barroso e FCN… abraço a todos.

Flanker

Os torpedos Mk46 podem ser lançados das fragatas classes Niterói e Greenhalgh e das corvetas classes Inhaúma e Barroso.

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Willber Rodrigues

Tomara qua a MB tenha filmado o impacto do torpedo.
Poucas coisas são mais terríveis do que a imagem de um torpedo acertando em cheio seu alvo.

Renan

Gostaria que tivesse uma maior frequencia estes treinamentos, pois nada substitui o disparo real

RAWICZ

Gostaria que tivéssemos um PA, dois atlânticos, 4 bahias, 10 fragatas, 12 corvetas, 10 submarinos, 12 patrulhas oceânicos, 30 classe Macaé….

Mas tudo é dinheiro e onde ele está?

Renan

No bolso de 80 mil marinheiros

Rafael Gustavo de Oliveira

esses são bons números….tu quer praticamente uma marinha da França para o Brasil, tu sabe quanto custa operar a marinha da França? Sendo realista, atualmente a marinha não tem condições de manter essa quantidade de meios e os políticos não aumentariam a verba da marinha sem um motivo convincente (vem ocorrendo justamente o inverso)…se sair um 2º lote de SBR e FCT eu já diria que é motivo de comemoração (e muito) Repor os meios que darão baixas já seria muito bom….pelas minhas contas, em 2030, provavelmente teremos operacionais, 4 Tamandarés, 4 SBR…..já os Atlantico, Bahia, Barroso, Tikuna, os 3… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Rafael Gustavo de Oliveira
Roosevelt

Impressão minha, está em câmera lenta ou o míssil é lento mesmo?

Piassarollo

Kkkkkk

Desc

Parece que temos dificuldades em desenvolver este tipo de armamento.

Pedro

Aguardando o vídeo do impacto do míssil, mas principalmente , do estrago feito pelo Mk48 no casco do finado Ceará.”(2)


Up The Irons

[OFF]
Seria possível a MB, caso fosse interessante, pedir Tamandarés especializadas, tipo AAW ou ASuW?

camargoer

Olá Up. Crei que originalmente, as fragatas Niteroi eram de dois tipos. Existiam as de emprego geral e as antissubmarino. Depois, a partir dos processos de modernização de manutenção periódica, elas perderam estas capacidades específicas. Talvez, a MB tenha se dado conta que faz mais sentido ter uma frota de emprego geral do que adotar modelos especializados. Talvez com a desenvolvimento de sensores mais potentes e com eletrônica mais moderna, foi possível dotar os navios de emprego geral com capacidade AA e AS. A FCT estão equipadas com mísseis AA e com sonares potentes. Só não sei se elas terão… Read more »

Sergio Cintra

O que saiu recentemente e’ que nas FCT na popa, abaixo do convôo, terão espaços para containers específicos para “atividades complementares”, sendo destacados os sonares de arrasto e – eu “chutando” – poderia acomodar a saída para cargas de profundidade e minas.

Piassarollo

A meu ver, marinhas com orçamentos mais modestos, que não podem se dar ao luxo de ter muitos navios, devem dar preferência a plataformas multifuncionais, que desempenham funções ASW, ASuW e AAW. São os chamados navios de emprego geral. Já marinhas grandes, digo orçamentos volumosos, podem se dar ao luxo de possuir navios dedicados a uma função, mas isso não os exclui de poderem combater também em outros cenários. Abs

camargoer

Olá Colegas. Quais são as versões do MM40 da MB?

camargoer

Olá Colegas. Fiz uma pesquisa rápida e encontrei que a MB opera o MM40-b2. Este míssil tem motor de combustível sólido e alcance da ordem de 70 km. O MM40-b3 tem um motor diferente, tipo tubojato, com maior alcance. Portanto, o ManSup seria para substituir os MM40B2 da MB. Os SM39 e AM39 também usam motores de combustível sólido com alcance de 70 km. Portanto, se um dia a MB quiser um ManSup-II terá que desenvolver um motor diferente deste que ela usa nos protótipos em desenvolvimento

carcara_br

Estava lendo essa notícia antiga https://www.naval.com.br/blog/2014/01/21/exocet-verde-amarelo/ A empresa responsável pelo buscador do míssil estava com ele pronto em 2014, era uma subsidiaria a thales no brasil (Omnisy), A thales por sua vez desenvolve o sensor original que equipa o exocet. Segundo a matéria o sensor foi desenvolvido aqui por engenheiros brasileiros. Já são 7 anos de lá pra cá, né possível que tenha se investido tão pouco dinheiro assim no projeto, este míssil já é pra estar pronto, e sinceramente já deveríamos estar preparando o próximo salto que seria estes motores que oferecem um maior desempenho, ou uma segunda geração… Read more »

Camargoer

Ola Carcará. Eu acho que CPI sao sempre importantes. Para isso, seria preciso conversar com um deputado e mostrar a importância de uma CPI, não necessariamente para buscar culpados mas para compreender os problemas, documenta-los e não repeti-los.

Marcelo Martins

A que distância estava o ex-NDD Ceará do navio que disparou o Exocet ?

Top Gun Sea

Pena que os vídeos divulgados são muito fracos em relação ao conteúdo das imagens e os resultados.

Marcelo

foi divulgado uma especie de “teaser” que mostra o acerto na regiao da popa.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Forças Armadas dos EUA ‘falham miseravelmente’ em jogo de guerra para proteger Taiwan

Em uma batalha simulada por Taiwan, as forças dos EUA perderam o acesso à rede quase imediatamente. General Hyten...
- Advertisement -