sábado, outubro 16, 2021

Saab Naval

Chegada do ARA Piedrabuena à Argentina

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O novo navio de patrulha oceânica da Armada Argentina atracou na Base Naval de Mar del Plata. Foi realizada uma revista naval de boas-vindas e cerimônia presidida pelo Ministro da Defesa e pelo Chefe da Marinha

Mar del Plata – Foi realizada, no dia 23 de junho, a cerimônia de chegada ao país do novo navio polivalente de patrulha oceânica ARA Piedrabuena (P-52), que integrará a Divisão de Patrulha Marítima da Armada Argentina. Foi presidida pelo Ministro da Defesa, Agustín Rossi, acompanhado do Chefe do Estado-Maior Geral da Armada, Vice-Almirante Julio Horacio Guardia.

Antes de entrar no cais da Base Naval de Mar del Plata (BNMP), o Ministro Rossi e as autoridades militares embarcaram no navio de patrulha oceânica ARA Bouchard de onde testemunharam uma revista naval de boas-vindas cuja formação era liderada pelo recém-chegado ARA Piedrabuena, acompanhado pela corveta ARA Granville e a fragata ARA Libertad.

Após mais de vinte dias de navegação, o novo navio-patrulha argentino foi recebido com honras pela banda de música da BNMP, convidados especiais, veteranos das Malvinas, ex-tripulantes do contratorpedeiro ARA Piedrabuena e familiares da tripulação.

O ARA Piedrabuena faz parte do contrato assinado pelo Naval Group com a Argentina em 2018 para a entrega de quatro navios patrulha multimissão. O primeiro, ARA Bouchard (ex-L’Adroit) foi entregue em dezembro passado.

- Advertisement -

53 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Henrique

Enquanto isso o NaPa de 500/1800 aqui navegam só no papel ou nem isso…

737-800RJ

Seria bacana se a MB investisse em mais unidades da Classe Amazonas. Já se mostraram robustos e pau pra toda obra! Compramos os 3 por cerca de 150 milhões de libras há uns 10 anos. Mais 3 não seriam bem-vindos?

images - 2021-06-27T162550.555.jpeg
João Carlos

Seria ótimo… Mas com 150 milhões de libras… Da pra comprar muita lagosta… Acho que MB prefere a última opção… Pelo menos é o que parece até agora…

André Macedo

Nem um vinho pra acompanhar? Você quer submeter os caras a essas condições desumanas? Vai que entalam com as lagostas.

Adriano Madureira

E lagosta azul, pois vermelho é coisa de comunista..

comment image

Camargoer

Caro Adriano. Lagostas vermelhas beliscam o nariz de criancinhas.

Slow

Ou 50 milhões em biscoito pra sobremesa

BK117

Meu sonho ver uma boa quantidade desses por aqui, aparentemente navios excelentes
(e muito bonitos).

Esteves

Compramos 3 por esse valor porque foram encomendados por TrinidadTobago que ficou sem $$$ para pagar. Um negócio pontual.

Projeto inicial dos anos 1980. Fazer mais seria repetir mais do mesmo. Entrega a um estaleiro que não entrega, entrega ao Arsenal que não recebe.

Impressionante.

Camargoer

Olá Esteves. Eu gosto muito das Amazonas e acho que a MB acertou ao adquiri-las. Contudo, creio que novas NaPaOc para a MB deveriam ter hangares para helicópteros.

Esteves

Deveriam. Navios modernos. Novos. Desse século. Dos anos 2020 ou 2030.

Basta de navios dos anos passados.

João Filho

Isso é impreciso. Havia dois clientes, Trinidad e Brunei. Ambos os países recusaram a entrega como o trabalho realizado não foi tão contratado. O Brunei também é um país que não pode pagar? Trinidad foi capaz de pagar, no entanto, os OPVs de Damen, assim como o caso da corte contra BAE. https://www.defenseindustrydaily.com/brazil-buying-building-baes-90m-patrol-vessels-07254/ “The Sultan of Brunei lost a similar 2006 ICA case to BAE, involving the 95m Nakhoda Ragam Class corvettes. The Sultan had to pay BAE, and ended up selling the corvettes to Algeria at a loss, before replacing the corvettes external link with another order from Germany’s… Read more »

Bardini

Nós precisamos de muitos. 15 seria um número bastante ideal. Mas esse valor de 10 anos atrás, que você citou, não representa a realidade atual. O valor de um Navio Patrulha como necessitamos, orbita entre 80 e 120 milhões de dólares a unidade. Depende do recheio e enfeites. Porém, é um navio sem grande nível tecnológico e que poderia servir de berço para vários sistemas nacionais ou nacionalizados. Além disso, existe o “fator óbvio”, que seria a maior capacidade de geração de empregos no Brasil, por um grande período de tempo, incluindo a manutenção dessa frota. . Nós vamos jogar… Read more »

Slide1.JPG
Last edited 3 meses atrás by Bardini
Camargoer

Caro Bardini. Concordo com você com a faixa de valores para os NaPaOc e que por serem mais simples, poderiam ter um índice de nacionalização superior a 50%. Eu também defendo que um programa de construção de 4~6 unidades teria um bom impacto econômico. Contudo, defendo que a MB adote um modelo que tenha um hangar incorporado, coisa que as Amazonas não têm.

Esteves

Caro Professor Mestre Camargoer.

Espero que essas palavras do Esteves encontrem vossa excelência dos conteúdos em plena saúde.

50% de nacionalização? Mestre…nós perdemos até a Kibon. E faz tempo.

Bardini

Nós podemos atingir a casa dos 70% de índice de nacionalização, em Navios de Patrulha…

Vovozao

27/06/2021 – domingo – bnoite, Bardini, poder nos podemos….. agora nosso atraso tecnológico interessa a muita gente…. então vivemos assim; começamos um projeto, e, sem que saibamos por que o projeto é descontinuado, ai entra o velho desperdício do dinheiro público. Quantos projetos (só) a nivel MB, foram descontinuados para comprar de outras nações. Ja pensou se nossa industria naval estivesse funcionando, que até poderia ser nossa construção do patrulheiro Argentino, trazendo divisas para o pais??? Mas não existe interesse, unico interesse vigente é o da entrega; dentro de pouco tempo, ate nossalingua natal será “”privatizada”” em beneficio de alguem… Read more »

Esteves

Se a nacionalização for contada com a aquisição de componentes não nacionais mas produzidos aqui…teríamos que ver a parte elétrica, propulsão, sistemas de combate. Talvez um contrato com os alemães. Se.

Talvez o PN pudesse produzir uma tabela com o que faltaria trazer para produzir um patrulha oceânico nacionalizado acima de 50%.

Leandro Costa

Motores são estrangeiros também, mas pode-se usar motores tão absolutamente consolidados no mercado que parece até motor de fusca na manutenção. Qualquer um mexe, fora que as empresas já se encontram instaladas aqui no Brasil fazem décadas.

Mas eu acho que realmente se consegue atingir um nível de nacionalização altíssimo em se tratando de um navio simples.

Esteves

Mas, 15 X 100 milhões de dólares = 1,5 bilhões de dólares mais juros anuais. Aonde a MB encontra uma grana dessas? Um navio sem nível tecnológico para servir de berço serviria de berço vazio. Sistemas eletrônicos nacionais ou nacionalizado$$$ precisariam de testes, operações, simulações até encontrarem a atualização adequada. Para servir como berço o navio deveria receber os sistemas mais modernos possíveis para serem postos à prova. Enviaremos o dinheiro de canhões, sistemas, mísseis, sonares, radares, torpedos…para fora. Não fabricamos nada disso. Então, o melhor seria aprender a fazer o recheio…já que tubulações de banheiros não exigem especialidades ou… Read more »

CRISTIAN MENDES

Baldini dos modelos existentes qual você indicaria como melhor opção considerando uma embarcação patrulha/corveta patrulha? Indica as fotos ae para visualização. Valeu!

Bardini

comment image?rev=7956ec254b334b7fb55e9c92c8586361

Alison

Quando vc fala sem ideologia é outro nv… rsrsrsr

Fabio Araujo

Se não em engano foi assinado no contrato de compra a opção de construirmos alguns no Brasil, mas com o cobertor curto saiu primeiro o prosub e agora as Tamandarés!

Helio M

Sim, temos direito a construir mais 3 navios, e temos o projeto completo dos navios. Com certeza alguma parte do projeto deve ter de ser refeita (equipamentos descontinuados, detalhamento), mas nada muito significativo em termos de tecnologia. É só entregar na mão de algum estaleiro meramente competente. E ter dinheiro para isso.

Camargoer

Caro Helio.. Lembro de uma entrevista de um algo oficial da MB na qual ele respondeu a uma pergunta do jornalista sobre as Amazonas. Ele disse que a MB não comprou nem o projeto nem licenças adicionais de construção. A aquisição feita foi apenas das três embarcações que estavam prontas.

Camargoer

Olá 737. As três Amazonas foram adquiridas novas em uma compra de oportunidade. Gosto muito delas e também defendo que a MB contrate 3 ou 5 novas NaPaOc construída no Brasil para substituir os navios de patrulha mais antigos. Sou contra a ideia de aumentar o tamanho da frota de patrulha, mas acho muito adequado substituir navios antigos por navios novos. Contudo, creio que se a MB contratasse novas NaPaOc, elas deveriam contar com hangares para helicópteros, de modo similar aos navios comprados pela Argentina.

Neto

Se a construção nacional destas ~6 patrulhas novas fossem com um planejamento sério, deveria ser feita de modo que quando a sexta estivesse começando a construção, buscaria-se o contrato de substituição das 3 Amazonas por um bath novo destas.
.
Se houver industria nacional para tanto, deve-se buscar também a revenda para nações amigas de navios nacionais usados. Mantendo a MB com novas versões destas novinhas e folha. O dinheiro gasto aqui se refletiria em um ecossistema financeiramente viável.
.
Algo como a FAB faz com os tucanos. Manter algum fluxo de reposição em outras nações.

engmeccesar

SMJ, estes NaPaOc argentinos também não possuem hangar…apenas convoo, conforme aparece nas fotos. Para dotar hangar, é preciso aumentar um pouco o comprimento da embarcação: isso necessita ser um requisito na fase inicial do projeto do meio.

Camargoer

Olá Eng. Ao contrário. Os NaPaOc argentinos têm sim hangar. Veja o diagrama em “Navio-patrulha oceânico francês L’Adroit visita o Rio de Janeiro” publicado aqui no PN.

Neto

comment image

Samuca cobre

Bom mesmo seria vir no mínimo mais uns 7, no mínimo…

Piassarollo

A classe Amazonas já provou suas excelentes qualidades, mas creio que um navio com capacidade de hangarar um helicóptero e/ou drone, atenderia melhor nossas demandas. Por esta é outras razões, este OPV (L’Adroit) se mostra perfeito , hangar, duas lanchas rápidas, projeto moderno, Boa autonomia e espaço para atualizações. Abs

Esteves

Contrato assinado em 2018. Os navios Estão chegando.

“Estimativa divulgada pelo Ministério da Economia revela que o Custo Brasil consome das empresas R$ 1,5 trilhão por ano, o que representa 22% do Produto Interno Bruto.

Custo Brasil é um termo que descreve o conjunto de dificuldades estruturais, burocráticas e econômicas que encarecem e comprometem novos investimentos pelas empresas e pioram o ambiente de negócios no país.”

Custo Brasil é burocracia, corrupção, licitações, compras governamentais, TCU, legislação, apadrinhados e tudo que impede as coisas de acontecerem.

Cadê nossos navios?

Bardini

Interessante notar que o ARA Piedrabuena veio com duas RWS, além do canhão 30mm, que aparentam estar equipadas com metralhadoras 12,7mm.
.
Não consegui identificar o modelo ou fabricante.

Fabio Araujo

Se tem uma marinha que precisa muito mais que a nossa de novos meios é a marinha argentina.

Vovozao

27/06/2021 – domingo, bnoite, Fabio Araujo, não diga isso, em termos de marinha, ambas se equivalem…. mesmo tentando puxar sardinha MB, nao temos nada “”novo””, só compras de oportunidades. Fala-se muito do submarino Riachuelo, porém, após entrada de água, nada mais foi dito; ou seja… houve danos??? Atingiu algum sistema?? O mesmo estara integrado a escolta, quando???

Veiga 104

Boa noite a todos . Peço desculpas pela pergunta de leigo. Mas fiquei tentando entender aqueles dois ” espaços vazios ” na popa do navio. Alguém pode compartilhar conhecimento a respeito ? Desde já agradeço. Abraço.

Bardini

Rampas de acesso para os RHIBs.
.

Nunes

Bradini índia ae os modelos de embarcações que atenderiam os requisitos de patrulha/corveta patrulha para a MB. Abraço.

Veiga 104

Muito obrigado Bardini. Forte abraço.

Bardini

Como tem zé ruela ganhando uma grana nesse YT, falando nada com nada…

Adriano Madureira

Que pena,seria bom um financiamento a mais…

Esteves

É o mesmo pessoal que tá contando que o Lázaro vira cupinzeiro, vira árvore, fica invisível, come onça e fala com as estrelas.

Impressionante.

Diego

Não seria uma boa opção as novas embarcação que os EUA esta fazendo a baixo custo para Nações amigas…. Navios patrulhas para nossos rios e nossa costa brasileira, são ágeis, e robustos, poderiam ser incrementados, e ainda sairiam com um custo baixo….

Camargoer

Caro Diego. Isso só seria uma boa opção para a indústria naval dos EUA.

Teropode

Belo navio , linhas sóbrias 👍

Yuri Dogkove

Vendo isso, fica mais pertinente a pergunta: Quando o Brasil receberá a primeira Tamandaré?

Camargoer

Olá Yuri. Creio a primeira FCT será entregue em 2025, a segunda em 2026, a terceira em 2027 e a quarta em 2028, a não ser que mudem o cronograma.

Sincero Brasileiro da Silva

MB ideal: 6 Tamandaré, 6 Scorpene, 12 Amazonas, 24 Macaé

Adriano Madureira

Seu ideal é bem modesto,se levarmos em conta o tamanho de nossa costa…
comment image

Adriano Madureira

Uma esquadra perfeita para o Brasil,em uma realidade paralela,em um Brasil perfeitoe maravilhoso,deveria ser algo como Um porta helicoptero 9 submarinos scorpene 3 submarinos nucleares, 20 fragatas modernas,10 corvetas,3 navios multiproposito, ,20 barcos de patrulha,3 ou quatro navios de apoio logístico,10 navios caça-minas, 3 navios especializado em resgate de submarinos, tudo isso dividido em três esquadras, de Porta-aviões nem falo, sei que é uma embarcação de grande valor,mas para se pensar em ter uma, é necessário investir em seus defensores… Há certamente outros tipos de embarcações que a MB necessita mas não me vem a cabeça… Para mim esse é… Read more »

Luiz Floriano alves

Naxio bonitinho mas ordinário. Frances só complica seus equipamentos;.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Japão lança o ‘Hakugei’, segundo submarino classe Taigei

O Japão lançou ao mar o segundo de uma nova classe de submarinos diesel-elétricos. O novo submarino, que foi batizado...
- Advertisement -