terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

MISSILEX 2021: Lançamento de míssil antinavio AM39 Exocet por helicóptero AH-15B contra o casco da ex-corveta Jaceguai

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Como divulgado em primeira mão pelo Poder Naval em 5/6, a Marinha do Brasil realizou no dia 24/6 a Operação MISSILEX 2021, com o lançamento de um míssil antinavio Exocet AM39 contra o casco da ex-corveta Jaceguai.

O míssil AM39 foi lançado de um helicóptero AH-15B (H225M ASuW) Super Cougar, validando o novo míssil Exocet AM39 B2M2 e o console de sistema tático de missão (NTDMS).

Um helicóptero SH-16 Seahawk também lançou um míssil Penguin contra o alvo.

O Sistema Tático de Missão Naval, desenvolvido pela Helibras especialmente para as missões antinavio do AH-15B, integra o radar de patrulha APS-143, sistema Chaff & Flare de contramedidas e dois mísseis Exocet AM39 B2M2 de última geração.

H225M com míssil Exocet AM39
H225M com míssil Exocet AM39

O desenvolvimento e a fabricação da versão ASuW do H225M foram realizadas sob a liderança da Helibras em colaboração com a ATECH e ADS, responsáveis pelo sistema tático de Missão Naval, que é o coração da integração do míssil com a aeronave e sensores; e a Avibras e a Mectron, que realizaram a motorização do míssil Exocet AM39 B2M2, fabricado pela MBDA.

O Sistema Tático de Missão Naval instalado no H225M permite ao comandante da missão estabelecer e avaliar no cockpit uma situação tático-operacional complexa, em coordenação com um operador no console tático na cabine do helicóptero, e autorizar o lançamento do míssil AM39 nas melhores condições.

NOTA DO EDITOR: Observando as imagens, parece ter sido instalada uma fonte de calor no contêiner que estava sobre o convoo da corveta para atrair o míssil Penguin que é guiado por IR. Essa fonte de calor aparece no visor FLIR do AH-15B logo após o lançamento do AM39 (observar o flare do Exocet e uma segunda fonte de calor brilhando  no alvo antes da explosão) e também no visor FLIR do SH-16 Seahawk, antes do impacto do Penguin. Logo após a explosão do Exocet, a tomada do casco da corveta feita de cima mostra um grande rombo na proa, pela bochecha de bombordo, onde o míssil penetrou e explodiu, levantando algumas chapas de aço no convés. No lançamento do Penguin, o míssil aparece acertando o casco da corveta pela alheta de boreste (o FLIR do SH-16 mostra o navio pela popa).

- Advertisement -

186 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
186 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Grozelha Vitaminada Milani

Vídeo muito editado e muita pirotecnia … o impacto em sí, focado no alvo, o resultado da destruição não mostram claramente.

Esperava mais … muito mais … o que realmente aconteceu? Porque a Marinha do Brasil não mostra os impactos? Os resultados?

Muito oba oba e nada! Espero ver mais fotos e algo realmente claro e objetivo em um teste de mísseis e armamentos. Esperamos todo esse tempo pra ver as armas serem desplugadas dos helicópteros, e seus motores darem ignições e????

Conclusão: os mísseis voam!

Last edited 3 meses atrás by Grozelha Vitaminada Milani
Mangano

Hahahahha. Fiquei com a mesma sensação… Nada contra o vídeo… Está satisfatoriamente editado mas realmente ficou faltando uma bela imagem do impacto em si … Meu lado “RAMBO” sentiu falta de uma bela bola de fogo e fumaça

Spitfire

Olá amigo… achei estranho o fato de ter sido mencionado durante os primeiros vídeos o uso também de torpedos, mas em nenhum momento apareceu até então o uso de tal armamento… até porque pelo seu poder destrutivo, é um disparo e um afundado….(MK48)…e pelo vídeo apresentado agora o que levou a Jaceguai a pique foram o Exocet + Penguim….

rinaldo nery

No próximo a MB vai convidá-lo p embarcar no alvo…. Vai ver bem de perto.

Wellington Góes

Kkkkkk

Alexandre

Só ele não Rinaldo, tem uns 6 ou 7 aqui que deveriam ser embarcados na próxima missilex para verem de perto a explosão desses mísseis! kkkkkkkkkkkk

Grozelha Vitaminada Milani

Mais um professor de Deus identificado.

Carlos Roberto Oliveira

Vcs viram ( por acaso ) o teste feito com um porta aviões americano, é disso que estamos falando, mostras factuais do impacto com o alvo

Duda Santiago

Melhor resposta até agora kkkkk

Luiz Antonio

Sem dúvidas a turma do “passa pano” é ligeira.

Grozelha Vitaminada Milani

Rinaldo esse video qq criança faz de 7 anos. Esse video tem 1:22 e até pouco mais de 1 minuto é só babozeira pra encher linguiça e 5 segundos finais para o logo da Marinha do Brasil. Quer que eu desenhe? Em tempo, se você não entendeu eu vou ser direto: 1- não mostra os impactos. 2- não mostra onde foram os impactos (locais) no navio. 3- não mostram as consequências dos impactos (estragos) no navio. Pra fazer esse video é só comprar uma bombinhas de São João, colocar uma chapa de raio X na frente e filmar. Depois edita… Read more »

Grozelha Vitaminada Milani

Em tempo, nenhum helicóptero usado no exercício é secreto ou novidade. Nenhum missil usado no exercício é secreto ou novidade. Nem o navio, projeto de construção e materiais usado são secretos ou novidade. A Marinha do Brasil não tem que ter nos seus quadros cinegrafistas, diretores, produtores e nem câmeras especiais de longo alcance ou slow motion ou mesmo dispositivos para capiturar os resultados desse exercício. Tem sim é que contratar uma produtora com capacidade de gerar boas imagens. Há da próxima vez vc fica no convés … bobinho, para isso existem hoje drones de asas rotativas, fixas e estática… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Grozelha Vitaminada Milani
Luiz Antonio

Colega Grozelha, aqui você não pode criticar, mesmo com as obviedades escancaradas. Teve um aí que afirmou com todas as letras que um torpedo tinha afundado (se atirararam devem ter errado o alvo porque o vídeo não apareceu) e mandaram os helicópteros para “abrilhantarem” a “missão” de afundar a belonave atacante.

Carlos Pietro

Excelente! Parabéns.

Rinaldo Nery

¨Cachaça Vitaminada¨, não fica bravo não! Na próxima a MB vai contratar o Spielberg!

Mayuan

Aí vão dizer que o vídeo ficou melhor mas que a MB quer aparecer, que podia ter contratado outra produtora mais barata, que não sabe gastar o dinheiro, que a bola de fogo podia ser maior, enfim…

André Macedo

Afundou? Se sim, missão cumprida.

Grozelha Vitaminada Milani

Pra afundar não precisa nem de mísseis e nem de torpedos.

Abram as válvulas … muito mais barato .

Agnelo

Eita!!
Falou o Steven Spielberg!!

Rinaldo Nery

Agnelo, ele ficou muito bravo! A MB vai levar ele pro alvo de UH-15 com a MGB bichada. O George Lucas vai filmar tudo, com direção de James Cameron!

Marcelo Andrade

Cara, ganhei a semana com essa!!! Como brasileiro procura defeito em tudo!!! De preferência coloca ele no assento do comandante na ponte!!!

Nilo

😂 😂 😂 😂 😂

Doug385

O navio não afundou? O que mais você quer ver? Quer pirotecnia, vai ver um filme!

Plinio Carvalho

Pirotecnia é o que esta acontecendo nesse vídeo porco que a marinha liberou, queremos ver um vídeo sem edição, igual outras marinhas do mundo fazem.

Plinio Carvalho

Exato, esse vídeo que a marinha liberou é muito mequetrefe, pq a marinha brasileira não consegue fazer um vídeo simples como outras marinhas do mundo fazem? qual a dificuldade nisso meu Deus?

Marcelo Martins

Também achei bem fraquinho esse vídeo da MB. Muita edição de imagem!
Melhor mesmo é esse da marinha turca:
VÍDEO: Teste final do míssil antinavio Atmaca da Turquia – Poder Naval – A informação naval comentada e discutida

DOUGLAS TARGINO

Sério, até para vídeos a MB não presta para fazer, sempre é umas dificuldades, não mostram nitidamente os impactos (e isso quando mostram).

Satyricon

E… quando o AH15B estará operacional?

Alison

Que vídeo ridículo… Esse tempo todo pra mostrar isso…

Carvalho2008

Bom, mas a corveta de fato afunda….

Carvalho2008

destaque especial ao H225M que possui o maior alcance da categoria.

Isto faz dele a maior plataforma de asas rotativas navais, com maior carga de combate de até dois exocet e o maior alcance.

Aumenta o alcance da embarcação que conte com ele em mais de 700 km

carvalho2008

o H225M tem um alcance de uns 30% superior ao SeaHawk…Como ele é grande pode-se adicionar tanques extras internos que ampliam mais ainda a capacidade, sem afetar a carga externa de combate, são entre 920 km a ate 1230 km…entre 4,5 horas a 6 horas de voo…saiu caro…mas acho um excelente heli….

Bardini

O Seahawk faz ASuW e ASW. É mais completo e barato…
.
 são entre 920 km a ate 1230 km…
.
O Seahawk, com tanque externo tem range de pouco mais de 800 km.

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Carvalho2008

O que o Seahawk faz com tanque externo, o H225M faz sem tanques auxiliares e mais, são 920km sem tanques adicionais. A diferença é muito grande.

Bardini

São 100km… Que um Seahawk praticamente compensa a base de míssil moderno.
.
No H225M ou tu monta tanque, ou tu monta míssil.

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Carvalho2008

Existem tanques internos que podem ser montados

O proprio lynx tem isto

Maurício.

Bardini, mas o Seahawk poderia levar dois Exocet? Se não, não tem como comparar os helicópteros, o Caracal tem uma capacidade que o Seahawk simplesmente não tem, nem dá para comparar o Exocet com o Penguin, mísseis para propósitos diferentes também. O Caracal nesse cenário é bem superior, o problema com o Caracal é que segundo um pessoal, ele ainda opera com restrições, e isso é um problema. De resto, deve ser meio triste para o pessoal que serviu na corveta ver ela ser afundada, se bem, que tem um pessoal que diz que esse é um fim digno para… Read more »

Bardini

Não leva o Exocet pelo fato de que simplesmente ninguém integrou.
.
Além do Penguin, a Kongsberg tem o NSM-HL, que é a variante lançada de helicópteros do NSM, da qual ela propõe como míssil para o Seahawk. O NSM-HL é muito superior ao Exocet…

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Maurício.

Mas Bardini, você sabe que o negócio da MB é Exocet, que aliás é mais pesado que o NSM-HL, embora mais velho e com alcance menor.
Com os mísseis que temos hoje e provavelmente no futuro, o Caracal continua sendo superior ao Seahawk.

Bardini

O futuro é que se tem: H225M voando com Exocet para sempre. E um dia, bastante longínquo, quem sabe o MAN AER, que não deixa de ser um Exocet. O casamento foi feito…
.
O Seahawk é onde reside alguma esperança nesse futuro, quanto a novos armamentos e afins.

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Carvalho2008

Mas o amigo esta comparando missil ou heli? O NSM é esa quase a metade do exocet. Hoje ele leva dois…Se a MB substituir os Penguin pelos NSM, poderia levar entre 4 a 6 deles facil. Isto faz sentido pois o NSM é capaz de atacar alvos terrestres e assim, a capacidade de carga do H225M superior e alcance superior mais uma vez o qualificam de forma superior neste tipo de missão especifica.

Bardini

Não tem como comprar sem comprar o pacote.
.
O AH-15B é total e completamente dispensável, perante um pacote Seahawk + NSM-HL.

Carvalho2008

Se um dia os Penguin forem trocados pelos serviços substituto natural, o NSM, ele tem quase 150 km de alcance e um dia poderia facil o H225M levar 4 ou 6 deles. O Seahawk oeva duas unidades.

Exagero? Não !!! O NSM tem capacidade de alvos de superficie e terrestre.

Bardini

Sim, claro, pq a Helibras, que passou mais de uma década fuçando no H225M para fazer ele disparar um Exocet, conseguiria integrar “4 ou 6!!!” NSM-HL do dia para a noite no H225M…

Alexandre

Bardini, sinceramente, é sério esse seu comentário?
Eu entendo que o missil NSM pode ser integrado em qualquer helicóptero naval com avionica para isso. Pode ser Sea Hawk, H 225M, Sea Sprite, Super Puma, Nh 90 ou qualquer outro.
Veja que o radar do H 225M da MB é igual ao radar do Sea Hawk da MB, a integração seria feita em conjunto, helibrás com os fabricantes do NSM.
Eu gostaria de saber se algum fabricante de míssil rasga dinheiro e vai ficar de mimimi para integrar seu produto em uma plataforma qualquer?

Maurício.

Carvalho, como você mesmo já mencionou, o caracal tem uma capacidade de carga e alcance que o seahawk simplesmente não possui.
O NSM poderia dar uma capacidade maior para o seahawk, assim como daria ao caracal, mas o negócio da MB é exocet, agora e no futuro.

carvalho2008

Depende….a categoria do NSM é diferente do Exocet… O NSM é uma categoria menor com quase metade do peso, mas é novissimo e moderno…. O Exocet pesa o dobro, mas é antigo…..na esteira deve vir o Mansup, Matador, etc…na qual atualizam a categoria para o range realmente atual dela, ou seja, acima de 300km a 1000 km…. Por outro lado, a MB precisa atualizar o Penguin tal como o mundo está fazendo, e o NSM é o seu substituto…. Então vejo a MB podendo manter a politica de mais de um tipo de missil em seu inventario….o missil medio e… Read more »

Wellington Góes

Seahawk mais barato?! Desculpa, não sabe do que está escrevendo… No mais, a relação custo benefício não funciona, apenas, avaliando os valores nominais…
Concordo que o Seahawk é um helicóptero mais completo, do que o H225M, para atuar na função ASW, mas para função ASuW é outra coisa… Quanto a custos, tudo depende do que ele agrega a mais…
Mas enfim, cada um pensa do jeito que lhe parece mais interessante…

Bardini

O Seahawk é uma aeronave completa, multiemprego. Faz mais por cada real que foi investido, DESDE 2012!
.
O contrato global, em valor atualizado dos 04+02 Seahawks adquiridos e de toda a logística envolvida no suporte a operação, incluindo aí simulador, está abaixo de U$ 400 milhões de dólares.
.
Quanto os 05 UH-15B já custaram para o Brasil, ao longo dos últimos 12 anos, para comprimir a missão de lançar o Exocet?
.
O UH-15B demorou tanto pra lançar esse míssil, que daqui a pouco vão ter que remotorizar os AM-39 mais uma vez…

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Carvalho2008

Ninguem esta dizendo que o Seahawk é ruim. Muito pelo contrário , é excelente. Mas por linhas tortas ou não acabamos com o H225M que em determinadas missões, preenche os requisitos de forma muito melhor. A US Navy não precisa dele, pois tem Nae….mas para quem não tem, por sorte se encaixa em varias missões tal como esta e com vantagens sobre o Seahawk. Cada força com suas necessidades diferentes e equipamentos diferentes para tapar o seu buraco. Depois dos problemas iniciais, a industria offshore tem realizado aquisições dele para cobrir as grandes distancias e carga no mar. Lembro do… Read more »

Bardini

Depois dos problemas iniciais, a industria offshore tem realizado aquisições dele para cobrir as grandes distancias e carga no mar.
.
Quantos H225M produzidos no brasil, foram vendidos para o mercado civil?

Wellington Góes

E? É baseado nisso que tu avalia para dizer que o projeto H-XBR é ruim?! Cara o pessoal da Agência Brasileira de Desenvolvimento da Indústria (ABDI) está te perdendo…

Bardini

Qual a solução de continuidade para os bilhões de reais investidos no HX-BR?
.
A ABDI poderia ajudar a responder…

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Wellington Góes

A culpa não é do projeto H-XBR, mas das próprias forças e os interesses do cada um por si. Melhor dizendo, dos interesses do oficialato que as administram… Não a toa a falta de continuidade em uma série de projetos de desenvolvimento autóctone. Então não é o projeto, ou os projetos que são ruim, ou dão pouco resultado, ou atrasam, mas a gestão nas FFAA. O teu foco de críticas está errado, daí porque tua argumentação é medíocre.

Bardini

Não conheço sistema de gerenciamento no mundo, que de jeito em execução de projeto mal elaborado. Quem dera sustentar avanços e soluções de continuidade…

Flanker

O helicóptero continua com problemas, visto que as MGB não tiveram seus problemas solucionados 100%. Há quase 10 anos começou o desenvolvimento dessa versão ASuW e ainda não está 100% pronta, pelo que se percebe. A justificativa para a compra das 50 unidades era criar massa crítica, incentivar a indústria nacional e as exportações. Passados mais de 10 anos, as entregas ainda não foram completadas, não se tem um helicóptero entregue como previsto em contrato (MGB’s) e não há previsão de qie essa linha de montagem se manterá aberta, visto que, fora os 50 para o Brasil, nem mesmo 1… Read more »

Wellington Góes

De novo, o problema é de gestão nas forças, são elas que gerenciam e deveriam cobrar responsabilização. O caso da resolução da MGB é, também, responsabilidade das FFAA, que deveriam ser mais enérgicas sobre, mas por que não?! O projeto H-XBR não é o único que atrasa, ou falta continuidade, ou não gera os resultados industriais e comerciais esperados, ou seja, se tornou a regra e não a excessão, para tu e outros quererem falar mal, o mesmo deve ser dito, por exemplo, do Gripen, que está está atrasado, que ainda é uma incógnita, quê desviaram recursos de outros projetos,… Read more »

Bardini

O problema, é só pensa em torrar o pouco que dinheiro que temos para Defesa, desenvolvendo projetos grandes, demorados, extremamente caros e envoltos em 13999 tipo de riscos diferentes. O resultado dessa mentalidade, é refletida no estrago gigantesco que se tem atualmente: “projetos estratégicos” que foram mal elaborados, estão atrasados e condenados a não ter continuidade. . Pegue o KC-390 como exemplo. Foram mais de 5 bilhões de reais investidos SÓ para desenvolver esse carroceiro, que não é estratégico para o Brasil. Esses mais 5 bilhões de reais, na época que o Real valia alguma coisa, poderiam ter sido injetados… Read more »

Wellington Góes

Desculpa Bardini… E em todos os países que tratam a defesa e sua indústria de forma séria, não faz muito diferente do que foi definido no H-XBR, ou no KC-390, ou no Gripen NG que, apesar de discordar de como alguns investimentos no projeto foram feitos, desvirtuando e desidratando outros projetos autóctones, por causa de equipamentos de eficácia e eficiência duvidosas, sua escolha foi bem menos danosa a nossa capacidade industrial, do que tivéssemos optado pelo Super Honet, por exemplo.

Flanker

Welington, eu sei e falo muito dos problemas em outros programas, inclusive na baixa quantidade de Gripen, que vai gerar problemas de escala lá na frente. E essa de defender os oficiais….”inclua-me fora”…eles têm culpa, sim. Assim como o ministro da defesa da época e o proprio presidente. Mas, o assunto aqui é o H225M. E usando seus exemplos de que esse prpgrama geraria crescimento horizontal e escala, está justamemte aí o problema. O programa se aproxima do fim. E aí? Vão fazer o que com o conhecimento adquirido? A Helibras é filial da Airbus. Mas, mesmo se não fosse.… Read more »

Wellington Góes

Bem, quando o assunto é essa pendenga, concordamos em discordar… E sim, defendo o projeto por causa do seu conjunto (nacionalização de componentes e subcomponentes, padronização de meios, integração das forças), que pra mim, já passou da hora de ser a regra nas aquisições às FFAA, e não porque é esse ou aquele aparelho. Ou seja, os motivos pela defesa são diferentes. A mesma coisa fiz e faço para outras situações.
Igualmente, saudações!!! 😉

Alexandre

Japão e se não me falha a memória, Filipinas, acabaram de comprar mais H 225. O helicóptero é bom e vende bem, aliás, como é característico dessa família de helicópteros.

Bardini

A Airbus vende. Quantos a Helibras já vendeu?

Alexandre

Cara, não sou representante da Helibrás, estou me referindo ao helicóptero em si. Não importa quem vendeu, o que importa é que a Helibrás está lá em Itajubá empregando centenas de Brasileiros e já fabrica outros Helicópteros menores para o Governo e para o mercado civil. Parece que isso lhe incomoda muito!

Bardini

o que importa é que a Helibrás está lá em Itajubá empregando centenas blábláblá . Resultado mais promissor da ToT a peso de ouro que bancamos para alguns apertarem uns parafusos: https://www.aereo.jor.br/2015/01/16/helibras-abre-programa-de-demissao/ .  e já fabrica outros Helicópteros menores para o Governo e para o mercado civil . E essas são as aeronaves que deveriam ser compradas deles, ao montes, sustentando a fábrica de forma racional, com algo que pode ser vendido no mercado interno. . Qual a solução de continuidade que será dada aos investimentos feitos na aquisição dos H225M? . Parece que isso lhe incomoda muito! . Parece… Read more »

Alexandre

Qual foi o peso de ouro que pagamos pela tot? O que vc sabe disso? Vc sabe ao menos dizer quais as tot que estavam no contrato? Vc já teve a oportunidade de conversar com algum Engenheiro da Helibrás sobre o conhecimento adquirido ao longo desse projeto? Vc já observou que Canadá, Austrália, Grécia, Perú, Colombia, Chile, India e tantos outros países só estão fazendo compras de armamento com fabricação local? “Qual a solução de continuidade que será dada aos investimentos feitos na aquisição dos H225M?” Vc sabe ao menos o que é solução de continuidade? Parece que o tanso… Read more »

Flanker

Se for pelos empregos, a Helibras já os gerava antes do H225M. E com a entrega dos últimos da encomenda de 50, o que será feito da linha de montagem desse modelo? E com os empregos que vc mesmo citou?

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Wellington Góes

Não… Não é assim e tu sabes disso… Por causa do projeto H-XBR, foi investido dinheiro para ampliar novas plantas e contratar mais gente. Aliás, não só em MG, mas no RJ também, aonde foi construído um centro de treinamento desse helicóptero e que atende a muita gente de fora do Brasil… Mas claro, isso tu não falas, não é verdade?!
Então não se resume a isto. E se tu não sabias, mostra que és desinformado, ou seja, não sabe do quê está escrevendo.

Flanker

Cara, qual é o teu problema? Escrevi 2 ou 3 comemtarios respeitosos pra ti, mas discordando, e vc já vem atacando o interlocutor? Parece que não adiantou eu querer ser educado. Basta aparecer o assunto dessa porcaria de helicóptero que tu, que andava desaparecido daqui, reaparecer para fazer a defesa fervorosa dessa joça. E se tu é o sabido, diz aí o que vão fazer com essa linha de montagem depois dos 50 entregues? E qual o emprego da ToT de matriz para filial em novos projetos da Helibras? Vai ter o projeto de um novo gelo ou mesmo algum… Read more »

Wellington Góes

Desculpa amigo, mas não respondi de forma desrespeitosa, se pareceu, peço desculpas. Como disse, se tu não sabias disso, estás desinformado. E se tu sabias e não comentou, então não quisestes falar.
Não sei qual era o teu estado de espirito quando leu o meu comentário, mas não o quis desrespeitar, apenas escrevi aquilo que pareceu.

Alexandre

Muito simples, se não tiver mais encomendas é só fechar a Helibrás e demitir todo o pessoal, mas pelo menos não pagamos por 50 helicópteros para serem fabricados na Europa e gerar empregos por lá. Lembre-se que estamos empregando Brasileiros e gerando impostos no Brasil há dez anos seguidos. Para minha pessoa , isso é o que vale, simples assim. Se vc não gosta disso Flanker, vc tem duas opções: 1) Tente uma cidadania Européia ou Americana e vá morar lá. 2)Candidate-se a Presidente, ganhe, e então, acabe com todos os projetos militares do Brasil, feche Itaguai e itajaí, feche… Read more »

Flanker

Cara, com argumentos como os seus, simplesmente patéticos, não vou nem perder meu tempo te respondendo.. ….kkķkkkkk

Alexandre

Fica difícil debater quando não se tem argumentos, então tergiversa e cai fora! kkkkkkkkkkkkkkk

Mauro Cambuquira

Eita geração de empregos cara hen? Esses franceses não amam ninguém

Flanker

Pois é…..sses caras usam argumentos ridículos como esses só para não perder a narrativa…….

Alexandre

Pois é, esses caras usam argumentos de capachos só para não perder a narrativa…

Alexandre

Cara, como assim? explique pra todos nós o que vc achou caro nessa compra.
Vc leu o contrato pelo menos?
Ou está falando por achismo?

Carvalho2008

Entendi se for F35 feito na belgica ele seria de capacidade térmica ecnica diferente do F35 feito na Lockheed…hummm mingurm entendeu, o que a plaaforma Ec725 é diferente entre Brasil e França, sao outros motores, medidas, conta ai, pois acho que ninguem entendeu…quer reclamar da fabrica ou do modelo?

Bardini

F35 na Bélgica?
Que diabos F35 tem haver com isso?

carvalho2008

Sei não mestre voce é que esta dizendo que a caracteristica do Heli muda dependendo da montadora….que eu saiba….o H225M montado na França e na Helibras tem as mesmas caracteristicas…o amigo é que está colocando o local de onde é fabricado para justificar algo…

Bardini

quer reclamar da fabrica ou do modelo? . Tu falou de alcance e de preço de H225M. Eu simplesmente disse que o Seahawk não fica longe, em termos de alcance e que entrega mais pelo valor gasto. Só isso. Aí tu quis contar vantagem com o tipo de míssil do H225M. Eu disse também que se o Seahawk receber um míssil novo, pode-se considerar o AH-15B redundante na missão. Dito isso, aparece zé até lá do Amapá pra defender a joça do HX-BR, pq vira sacrilégio começar a questionar um “projeto estratégico” mal elaborado… e o resto é o de… Read more »

Flanker

Carvalho, O que se questiona nisso tudo é o valor pago pela suposta ToT (De Matriz Pra filial) e o sei destino, visto que não houve uma venda desse modelo para outros clientes a partir da Helibras .

carvalho2008

Ahhhh taaaa….mas ai a Ines é morta….

gastou, agora usa….

Mas não muda nada…tem mais velocidade, autonomia de uns 30% a mais não importa o critério e mais capacidade de carga….

Wellington Góes

Não, isso é só a desculpa que tu usas para falar mal do projeto. De outros projetos, tu não reclamas da ToT…. A questão é simples, quem está nesses fóruns de internet a tempos lembra, é questão de torcida, preferências pessoais… Viviam fazendo comparações e ainda fazem, de projetos diferentes, de categorias distintas, fazendo contas de padaria, para justificar escolhas… A questão é simples, tu e outros são daqueles que ficam nessa picuinha, porque torciam para quê as forças comprassem mais Black Hawks e Seahawks, simples assim. Independentemente do processo de escolha, de valores, etc… Ou seja, não interessava se… Read more »

Flanker

Hummm…que brabinho…….cansei de ser educado contigo. Já viu eu falando bem de ToT? Talvez quando foi produzido o AMX….e das atuais, a do Gripen vai transferir alguma coisa dos suecos para a Embraer, onde eles ainda não são donos. Mas, nesse projeto lesa-pátria do H225M não tem justificativa. Quanto à em seção de linguiça sobre os belos da Sikorsky, SÓ te digo uma coisa: estão todos aí, na FAB e na MB, cumprindo a missão, sem mínimo, sem frescura de verificar a rebimboca da parafusada a cada X horas pra não perder o rotor em voo. Mas, tu defende essa… Read more »

Wellington Góes

Mais uma vez, não sei como estava teu estado de espirito quando leu o que eu escrevi e lamento ter entendido de forma errada. Não te chamei de hipócrita, mas a tua argumentação e indignação pelo projeto não gerar a ToT que entendes ser boa. Ou a geração de emprego e renda, ou as vendas que não foram feitas. E por que eu disse isso?! Porque gastamos, também, milhões de dólares na importação dos BH e SH e nada disso foi gerado e não vejo tu reclamar das promessas não cumpridas pela Sikorsky naquela época. Aliás, não passou nem perto… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Wellington Góes
Wellington Góes

Isso mostra que o problema está no nosso governo estraturar melhores condições. A culpa não é da Airbus, ou da Helibras. É o país que vende, também, não é só a empresa. Estrategicamente, para a Airbus é melhor vender da Europa. De lá ela faturará 100%. Daqui do Brasil, só 75%. Então se temos interesse de ganhar esses 25% (que é a porcentagem referente às ações do governo do estado de MG), que façamos melhores condições de financiamento. Já pensou nisso, pelo menos?!

Alexandre

Os Sea hawk custaram um preço semelhante aos pagos pelo H 225M. Alguma pouca diferença pode existir sim, mas foram coisas diferentes, um de prateleira, outro fabricado(montado) no Brasil com tot e mão de obra Brasileira. O Sea Hawk tem algumas capacidades a mais que o H 225M, como por exemplo a guerra anti submarino. Mas o H 225M supera o Sea Hawk em velocidade, teto de voo(cerca de 1000metros a mais), carga paga, quantidade de soldados transportada, raio de combate e finalmente, tempo de voo. Percebe-se claramente que são helicópteros que se complementam, mas desde já deixando bem claro,… Read more »

Carvalho2008

Corretissimo, a exemplo do precursor Super Cougar Chileno que faz tudo…anti submarino, torpedos, exocet e tudo mais…o SupervCougar deles faz tudo

carvalho2008

comment image
A possibilidade é ele atingir a Multifunção como os Cougar Chilenos

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Flanker

E o que vao fazer com a tao aludida ToT e os tão aclamados empregos, depois das 50 células serem entregues??

Wellington Góes

Então tu achas que cada projeto (H225M e SH-60) se resume em lançar mísseis e torpedos?! Rsrsrsrs
É por causa de “planejadores” iguais a ti, que as FFAA são essa josta… De falsos pragmáticos o governo e as FFAA estão cheios.
Aliás, quanto aos US$ 400 milhões de dólares (DÓLARES, NÃO REAL), por seis aparelhos e ponto. Fora os armamentos, sem Offset, ToT, etc, etc, etc… “Ah mas opera, é completo”… Não, não é assim que se compara a eficiência, ou a relação custo benefício, de projetos militares.

Bardini

Então tu achas que cada projeto (H225M e SH-60) se resume em lançar mísseis e torpedos?! Rsrsrsrs . Se tu quer encarar dessa forma, o projeto do Seahawk se resume completamente nisso: adquirir a capacidade de combater e realizar a defesa do Brasil, sem enrolação. Desde 2012, voamos Seahawk. . Já o outro é completamente envolto em uma ideologia desenvolvimentista ultrapassada, que se mostra cada vez mais danosa por ser totalmente mal projetada, resultando em um fracasso anunciado e já visto em outros momentos: nenhuma perspectiva de aproveitamento da linha de montagem e ToT adquiridas. O HX-BR se aproxima do… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Bardini
Wellington Góes

Previsão de continuidade? Nenhuma… Não porque o problema esteja no projeto, mas porque as forças não fazem nada para se ter continuidade. E não é só com este projeto não.

Flanker

Qual Tot, Welington??? Eu, sinceramente, não entendo o que vcs veem de bom nesse programa! O que brasil ganhou e que vá ter a mínima durabilidade ou sequência??

Wellington Góes

Bem, já foi colocado, publicado e explanado um monte de coisas, por diversos meios especializados, se tu ainda não queres entender sobre o programa, paciência.

Cristiano de Aquino Campos

O seahawk só fáz ASUW leve, assim como o super-linx. O HM-225 Usa míssil pesado. Os seahawk, foram armados com misseis assim como os linxs para enfrentar lanchas rápidas e não, navios. Para esses, eram usados os mísseis dos navios ou de caças.

Bardini

Melhor ler isso que ser cego.

Cristiano de Aquino Campos

Melhor pesquisar sobre os mísseis usados em cada helicóptero, antes de omitir opinião a respeito. O missil do SH-60 e o Penguim que na versão MK-3, a mais avançada, e se 55km e tem a metade do poder destrutivo do nosso AM-39 que na versão antiga, tem 70km de alcance.

Bardini

Cara, que precisa pesquisar é tu.
.
“seahawk só fáz ASUW leve”
“Os seahawk, foram armados com misseis assim como os linxs para enfrentar lanchas rápidas e não, navios”
.
Puts…

Leandro Costa

Cristiano, o problema é que se já seria temerário ter um A-4, mesmo armado com mísseis Harpoon, fazendo ataque anti-navio, um helicóptero para atacar um navio militar, estaria parecendo mais um patinho numa galeria de tiros. Alvos navais para helicópteros, fora em circumstâncias extremamente raras, são para interdição de navios com pouca ou nenhuma capacidade de auto-defesa.

Nilo

Realmente, posui o  Sistema de Gerenciamento de Missão da CASSIDIAN, que permite ao comandante da missão consciência situacional e o controle de armas e sistemas de autoproteção, possui o radar de APS-143(C)V3, uma câmera IR e detector a laser para rastrear alvos, modernos sensores integrados de autodefesa Saab Integrated Defensive Aids Suite composto por Radar Warning Receiver, Laser Warning Systems e Missile Approach Warning Systems com cobertura de 360°, com capacidade de detectar radares e mísseis inimigos e lançadores de Chaff e Flare. Qual a capacidade de intalação de um POD de guerra eletrônica??

Alexandre

E maior teto de voo também, o que faz toda a diferença no alcance do exocet, afinal, são cerca de 1000 metros a mais de teto, o que dá ao míssil algumas milhas a mais de voo, e ainda, permite ao helicóptero uma maior sobrevivencia contra sistemas de defesa aérea de curto alcance.
Um excelente helicóptero com um alcance, carga paga e velocidade superior a qualquer helicóptero da região, fora o tempo de patrulha.

carvalho2008

ai eu já não sei não….acho que o melhor é fazer rente ao mar e subir apenas para dar uma varrida rapida e adquirir….se ele for alto fica vizivel logo cedo para os misseis anti aereos das fragatas….

A altitude pode ajudar bastante nua eventual versão AEW…ai sim….comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Alexandre

Eu não tinha pensado nessa possibilidade, mas vc está certo em mostrar essa capacidade como vantagem para um teto de voo maior.

Alexandre

Realmente, não sei o teto de lançamento de um exocet, que normalmente se faz rente ao mar, mas , a depender da defesa aerea do alvo, um teto de voo maior é sim uma vantagem!

Flanker

Cara, teto de voo maior para aumentar alcance de míssil sea skimming???

carvalho2008

Mestre Flanker, sabe que para minha surpresa e salvo engano, encontrei esta referencia sobre umas das hipoteses de uso do Penguin?

Planeio para algum estagio do lançamento parece estar entrando em vogo….embora a velocidade de um heli não seja ideal ou suficiente para estas modalidades….

Alexandre

Que bom que vc encontrou essa referência Carvalho, eu já tinha ouvido sobre isso em lives de jornalistas especializados. O Caiafa afirma isso na sua última live sobre esse tema em particular, no caso, o disparo do AM 39 na última Missilex.

Flanker

Só acredito vendo. O míssil mergulha para alcançar a altitude de cruzeiro, rente ao mas, logo após lançado. O planeio, para o qual esses mísseis não são planejados, ao contrário de bombas inteligentes, deve ter muito pouca influência, mínima até, no alcance do míssil.

carvalho2008

num caça deve fazer sentido. Afinal, ele tem umas aletas bem grandes e a energia cinetica do lançamento deve colaborar para isto.

Tambem fiquei curioso.

Ao menos no campo teorico, parece fazer sentido…se é pratico, são outros quinhentos….imagino que o planeio seja desejavel nos lançamentos muitissimo distantes, onde a a exposição da altas altitudes sejam toleraveis. O Penguin tem alcance pequeno…

Alex Barreto Cypriano

Mestre Carvalho, os alcances do AH15B e do SH16 são 500 milhas náuticas e 320 MN, respectivamente. Como o alcance (range) é a distância que a aeronave voa da decolagem ao pouso, o alcance é o dobro do raio de ação (ida e volta, mais um tempo de vôo no local pra cumprir a missão). Assim, pro navio capaz de operar tais helis conta o raio de ação e não o alcance. O chamado ferry range (alcance de autotransporte) é sempre maior que o range porque a aeronave está com máximo combustível e nenhuma carga ou passageiros. Curiosamente, as velocidades… Read more »

Bardini

os alcances do AH15B e do SH16 são 500 milhas náuticas e 320 MN, respectivamente
.
https://robertsonfuelsystems.com/wp-content/uploads/2019/02/MH-60R-T-SeaCEFS-Web.pdf

carvalho2008

Rapaz tinhoso….quer aumentar o alcance do SeaHawk colocando penduricalho….tem de pegar o alcance com combustivel interno de um e de outro, tanques auxiliares de um versus o outro, tanques internos de um versus o outro…o Mestre sabe….não teima…

carvalho2008

E ainda dá para dar de lambuja que o espaço interno para tanques na cabine são imensamente maiores….

carvalho2008

Muito bom Mestre Alex, é uma diferença de 36% de alcance….é uma diferença enorme dentro do critério de helicopteros. Sem duvida missies mais modernos podem minimizar, mas ainda assim na justiça da comparação, quando utilizando os mesmos armamentos, a diferença se mantem. O outro aspecto, é que em sendo muito maior em sua cabine e fuselagem interna, kits de tanques podem ser alocados, tal como o Lynx assim tambem possui. Ainda em outro aspecto, em sendo maior, sempre lhe cabe mais carga de armas na razão do dobro….vejam o que fizeram com algo de conceito parecido como o MI-17….

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Heinz Guderian

O AH-15B, fica muito imponente com mísseis Exocet, muito boa notícia, espero que esses exercícios continuem, para manter sempre seus meios adestrados.
Saudações a todos !

737-800RJ

A edição do vídeo está boa e quem provavelmente a fez foi o pessoal da Comunicação Social, mas o que pode ser mostrado ou não vem de cima… A pergunta que fica é: por que não mostrar com clareza o impacto do míssil?

Teropode

Gostaria de ver nossos hiper sônicos descer sobre esta carcaça , aliás a Embraer defesa poderia entrar nesta área , tenho certeza que em 5 anos teríamos um , material humano eles possuem . Chega de sonho , fuiiiii

Last edited 3 meses atrás by Teropode
Nilson

Ótima notícia o Exocet, enfim, sendo lançado pelo Caracal. Quando estiver plenamente operacional dará uma importante capacidade ASuW ao Bahia e ao Atlântico. Parabéns.

Tomcat4,2

Só faltou o vídeo em cores “normal” mostrando o impacto que se mostra uma bela porrada no navio. Versão mais foda e temida do H-225M (TigerShark) .

Sergio

Esse Exocet é bom mesmo, será que o Mansup vai ser melhor?

MFB

Vai, vai sim……….

Luís Henrique

Sim. Mostraram o impacto e a explosão pelo FLIR. A MB poderia fazer um vídeo em alta resolução e colorido do impacto e explosão, concordo com a maioria.
Mas o mais importante é o sucesso do exercício e o Brasil entrou para um seleto clube de países com esta capacidade.

Ainda não temos caças modernos em um navio aeródromo, mas uma capacidade dessa do H225M + AM-39 Exocet são pouquíssimos países que possuem.

Teropode

Qual a distância dos lançamentos ? Lançaram da distância máxima efetiva dos mísseis ? Estes experimentos sim podem trazer um ganho de conhecimento que serão importantes para traçar doutrinas de retalhação , fora isto é pra ver se o míssel boa ou se o alvo afunda ( creio que analizaram pontos importantes , e sei que não se deve informar tudo , são apenas indagações pontuais , não vamos ser xaropes ).

Alex Barreto Cypriano

O alcance do Penguin Mk2 (guiado por por laser ou IR) é de ~ 19 milhas náuticas (~34 km), o do Exocet AM39 (guiado por radar, GPS ou inércia) ~38 milhas náuticas (~70 km). Mas como foram filmados a partir das câmeras infravermelho do SH16 (S70B) ou do AH15-B (H225M ou EC725), é provável que a distância de lançamento seja menor que o alcance do Penguin, dentro do alcance visual do FLIR.

Teropode

Seria interessante testar a efetividade disparando os mísseis na distância máxima .

Carlos Crispim

Quer dizer que numa guerra de verdade tem que pedir ao inimigo para colocar uma fonte de calor no convés para ajudar o nosso míssil?

carvalho2008

todo objeto reflete calor meu amigo….sensor mede do zero absoluto em diante….vc e a xicara de cafe que deve estar em sua mesa…estão refletindo calor…mesmo que seja guarana ou cafe frio….

Camargoer

Olá Carvalho. Você tem razão quando diz que um objeto pode refletir radiação infravermelha. Isso ocorre quanto é usado um laser na região do infravermelho para “iluminar” um alvo. No caso da xícara de café quente, a fonte de energia é o próprio café quente. Então uma xícara de café quente não reflete radiação infravermelha mas emite a radiação. Se a xícara de café estiver na mesma temperatura do ambiente, não há contraste térmico. Para o sensor de infravermelho é tudo igual. Quando uma xícara de café quente é colocada ao lado de um copo de água gelada, o café… Read more »

Carvalho2008

Eis a questão meu amigo. Como quimico, o amigo bem sabe que a cada composto e material possui uma condutividade termica propria e portanto, uma xicara vazia sobre a mesa tem contraste sobre a mesa. Uma é de porcelana, a outra é de madeira e o ar estará cada um numa metrica de temperatura diferente pois trocam entre si e com o ambiente, trocas de roupa taxa de condutividade de calor diferente….a diferença e o grau de sensibilidade do leitor do sensor. Um navio de aço no meio do mar tem um diferencial termico grande. É assim que o Flir… Read more »

Camargoer

Olá Carvalho, Novamente concordamos, apenas lembrei que um corpo pode refletir infravermelho (caso a fonte de energia seja fora, como por exemplo um laser ou mesmo o Sol) mas também pode emitir infravermelho caso tenha sua própria fonte térmica (um motor funcionando, uma reação de combustão, peças em movimento gerando atrito ou uma resistência elétrica). Acho que colocamos ideias complementares.

Luiz

Em uma guerra de verdade o navio terá várias fontes de calor, já neste caso , é só uma carcaça oca.

Camargoer

CaroCarlos. Um navios operacional precisa de um motor funcionando como fonte de energia para propulsão e para operar todos os equipamentos a bordo, enquanto que um casco usado para alvo está sem combustível e desligado. Sem uma fonte térmica operando, a temperatura do casco usado como alvo é a mesma do seu entorno. Portanto, não há contraste térmico entre o navio e o seu entorno.

Carvalho2008

Olha…

Carvalho2008

Ele sempre irradia diferente do ambiente. O que provavel ocorreu seria irradiar normalmente como um alvo ativo e ligado e no alcance esperado do alvo com alguma fonte de calor para permitir simular isto. O penguin é míssil antigo em que depreendendo da versão, pode oscilar um alcance entre 22km a 50 km. A cabeça de busca de sua a epoca é dimensionada para estes alcances e portanto, um alvo desligado emitiria calor nao real ao de um navio funcional, o que demandaria ter de se aproximar mais para engajar o que por obvio, não levaria o exercicio a simulação… Read more »

Camargoer

Olá Carvalho, Voce tem razão quando lembra que um casco de alvo tem um assinatura térmica bem diferente e menos brilhante que a de um navio operacional. Provavelmente, o sensor do míssil não tem sensibilidade suficiente para localizar um casco de alvo já que foi projetado para localizar um navio operacional, e portanto com inúmeras fontes térmicas ativas. Fico imaginando quão mais eficiente seria empregar um míssil destes a noite, ou se o fato do Sol iluminar a superfície do navio seria o suficiente para realçar a sua assinatura térmica. Não lembro de exercícios de disparos noturnos de mísseis.

Carvalho2008

Qualquer cabeça de guerra por imagem termal por obvio e tal comi radar, tem um alcance operacional delimitado pela epoca de sua tecnologia. Isto nao foge das experiancias que todos tiveram com maior s facilidade com os sidewinder ou manpads. Antes as cabeças corriam apenas atras de um brilho de luz termal. Havia versoes em que nao raro o missil perseguia o Sol. Depois as cabeças melhoraram e tornaram-se bicolores, multicolores e até os Chafs comecaram avse tornar obsoletos. As cabeças de busca atuais conseguem tantos contrastes, que basicamente filmam o objeto com tamanha nitidez tridimensional que fica impossivel um… Read more »

Adriano Madureira

Por isso o navio deve ser equipado com contramedidas e uma aeronave que possa lhe dar apoio também…

comment image

Teropode

Se o inimigo for um iceberg , sim !!!!

Vitor

Bravo Zulu!
Com operação integrada de Forças de Superfície lideradas pelo Atlântico, P-3 baseados em terra fazendo varredura e os submarinos classe Riachuelo, teremos um núcleo moderno de defesa. Com os F-39 garantindo a superioridade aérea temos condições mínimas no estado da arte.
Espero que os F-39 venham um dia a ser equipados com RBS-15, Harpoon ou Exocet já que não se tem notícia alguma a respeito da capacidade dos AF1 e A-1M que deveriam fazer esse papel.

Vitor

Dúvida: No programa original contemplava ao todo 4x AH-15B? Está mantido?
Estes helis poderão embarcar nas Fragatas Tamandaré?

Carvalho2008

Parece que sim. Mas nao tenho certeza

Flanker

A encomenda da MB é de 8 UH-15 (básico), 3 UH-15A (C-SAR) e 5 AH-15B (ASuW).

Alexandre

Essa missilex vai entrar para a história, de uma só tacada , calou a boca do pessoal do contra em várias questões, estão ai o H 225M e o exocet AM 39, tudo operacional. E mais, um exercício onde se disparou ao mesmo tempo um míssil com seeker de radar ativo e outro com seeker por IR, capacidade essa , que só a MB tem na região. A galera que diz que helicóptero não faz ataque de saturação vai ter engolir essa tb, afinal, foram dois helicópteros, mas poderia ser mais! Só falta agora o disparo do SM 39 e… Read more »

EduardoSP

10 semanas agora. Foi lançado ao mar em dezembro de 2018, já dois anos e meio, e ainda demorará 2 meses para ser entregue. O contrato inicial foi lá nos idos dos anos 2000. Tá atrasado pra caramba.

Alexandre

O PROSUB foi assinado em 2008 e antes de se fazer o primeiro submarino, teve que construir uma base Naval e um estaleiro que é hoje a maior estrutura do gênero no hemisfério sul do planeta, fora as instalações do reator nuclear em Iperó.
Não acho que esteja tão atrasado assim, em função do tamanho do projeto.

Flanker

Só uma observação: o AH-15B não teve nenhuma unidade entregue ainda para a MB e ao setor operacional da mesma, portanto, não está operacional ainda.

Roberto