terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Marinha Chinesa vai monitorar de perto a força-tarefa de porta-aviões do Reino Unido

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A China está realizando exercícios militares em duas áreas restritas à navegação na região do Mar da China Meridional em meio à notícia de que uma força-tarefa de porta-aviões do Reino Unido chegou a Singapura na segunda-feira e está prestes a entrar no Mar da China Meridional com o plano de transitar “em águas internacionais reivindicadas pela China.” Especialistas disseram na terça-feira que o Exército de Libertação Popular da China (PLA) estará pronto para lidar com quaisquer atos impróprios dos navios de guerra do Reino Unido e ver sua viagem pelo Mar da China Meridional como uma chance de treinamento.

De terça a quinta-feira, a China realizará exercícios militares no Mar do Sul da China a sudeste até a costa de Chuandao, província de Guangdong do Sul da China, e os navios que passarem devem ficar a cinco milhas náuticas de distância da área restrita, de acordo com um aviso de restrição à navegação da Segurança Marítima Administração da China em seu site na segunda-feira.

Outra área no Mar da China Meridional ao largo da costa de Maoming, em Guangdong, também está hospedando exercícios militares, de segunda a quarta-feira, de acordo com um aviso de restrição à navegação separado.

Enquanto os exercícios do PLA prosseguem, uma força-tarefa de porta-aviões do Reino Unido, liderada pelo porta-aviões HMS Queen Elizabeth, que há muito alardeava seu plano de desafiar a China em trânsito no Mar da China Meridional, chegou a Singapura na segunda-feira, de acordo com a conta do porta-aviões no Twitter.

Com base em declarações anteriores do Reino Unido, o porta-aviões e seus navios de escolta provavelmente farão exercícios no Mar da China Meridional ou conduzirão as chamadas operações de liberdade de navegação ao redor das ilhas e recifes chineses, potencialmente semelhantes ao que o destróier HMS Defender fez no Mar Negro no mês passado, como um meio de mostrar aliança com os EUA, disse um especialista militar baseado em Pequim, que pediu para permanecer anônimo, ao Global Times na terça-feira.

Embora os exercícios militares chineses provavelmente não estejam diretamente relacionados aos navios de guerra do Reino Unido, eles mostram que o PLA está em alta prontidão de combate, disse o especialista, observando que, assim como os navios de guerra dos EUA que invadiram águas ao redor das ilhas e recifes chineses na região, se os navios do Reino Unido fizerem o mesmo, também serão expulsos pelo PLA.

O PLA monitorará de perto as atividades dos navios de guerra do Reino Unido, estará pronto para lidar com quaisquer atos impróprios e também verá isso como uma chance para treinar e estudar os últimos navios de guerra do Reino Unido de perto, disse outro especialista militar chinês ao Global Times, solicitando anonimato.

O Mar da China Meridional tem algumas das rotas marítimas mais movimentadas do mundo e é a salvação do comércio marítimo da China, e a alegação de que “a liberdade de navegação está sob ameaça” no Mar da China Meridional é simplesmente insustentável, disse um porta-voz da Embaixada da China no Reino Unido, na terça-feira.

“Se essa alegação for verdadeira, a ameaça só poderia vir de quem desdobra um grupo de ataque de porta-aviões no Mar da China Meridional a meio mundo de distância e flexiona seus músculos navais para aumentar a tensão militar naquela região”, disse o porta-voz.

Os observadores também notaram que o porta-aviões do Reino Unido foi recentemente atingido pelo COVID-19 com mais de 100 casos, e seus navios de escolta estavam tendo problemas técnicos.

mar do sul da China.png

FONTE: Global Times

- Advertisement -

34 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
PACRF

A maior provocação que a China fez ao “ocidente” foi ter se tornado a segunda maior economia do mundo. Provocação maior será quando se tornar a primeira economia do mundo. Esse é um cenário que o “ocidente” não tinha vislumbrado até o início do século. Pior, não adianta ficar mandando forças-tarefas para o Mar da China, pois porta-aviões, destróieres, submarinos e aviões não serão capazes de diminuir seu crescimento econômico, porque suas forças armadas também estão crescendo em quantidade e em qualidade no mesmo ritmo que seu PIB.

Luiz Trindade

Se tornou a segunda maior economia do mundo com muita estratégia usando a arma do inimigo para aumentar sua capacidade. Quem diria que antes da queda URSS um país socialista entraria no mercado de ações, teria espaço para empresas capitalistas faturarem com mão de obra quase escrava? Pois é… Agora a China avança em passos largos com uma economia pujante que alimenta suas Forças Armadas com equipamentos cada vez mais numerosos e comparáveis em qualidade com os melhores. Falta de aviso de analistas militares não foi!

Last edited 2 meses atrás by Luiz Trindade
Helio

Economia pujante “mais ou menos”. Só é pujante por dado oficial (chinês, diga-se de passagem). A bolsa da China cresceu 39% em 10 anos, enquanto a americana cresceu 231%. E a dívida chinesa oficial são incríveis 300% PIB, um crescimento de 100% relativos ao PIB e de 400% em valores absolutos em 10 anos. Ela manteve a economia funcionando pós 2008 a um custo extraordinário. Eu ainda acredito que esse crescimento da marinha chinesa tem mais a ver com a necessidade de manter os estaleiros funcionando do que por estratégia militar. Inclusive o boom da marinha de lá foi justamente… Read more »

Palpatine

Se vai ser quase uma MB parada para manutenção ta tranquilo para os chineses, afinal a MB tem uma dúzia de embarcações kkk.

athalyba

“E a dívida chinesa oficial são incríveis 300% PIB”
fonte: da Minha Cabeça, VOZES

francisco

“Valor Econômico | Segundo o economista chinês Chen Long, dívida do país asiático deve chegar a 285% de seu PIB ao fim deste ano e continuará a crescer em 2021”
ver em: https://www.cebc.org.br/2020/09/11/retomada-da-china-e-baseada-em-investimentos-e-divida-crescera-mais-diz-economista/

Antoniokings

Assino embaixo.
Perde de tempo a China monitorar navios, principalmente ingleses.
A guerra está se dando em outro campo (o econômico) e a China está ganhando com um ‘pé nas costas’.

Adriano Madureira

E os ingleses estão em confronto com a China :

Em meio a tensões diplomáticas, no contexto do conflito pela Huawei, a participação inevitável da China na energia nuclear britânica começa a gerar debate no Reino Unido, sob o risco de comprometer as ambições energéticas do país.

https://www.correiobraziliense.com.br/mundo/2020/08/4870058-energia-nuclear-britanica-pode-se-tornar-proxima-fonte-de-tensao-com-a-china.html

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/07/26/reino-unido-quer-excluir-estatal-chinesa-de-projetos-de-energia-nuclear.ghtml

rui mendes

´´Inevítável??
Porquê??? É tão inevitável, que os Britânicos, até os querem excluir.

francisco

A história se repete.
Lá pelos anos de 1800 a China era a grande potência da Ásia e oprimia os seus vizinhos
Se achando a toda poderoso, ousou bancar a durona com a Inglaterra e foi humilhada vergonhosamente, apesar de naquele tempo ter maior numero de soldados e de navios.. Hoje a China pretende novamente ser o grande império, mas está cometendo os mesmos erros.
Se pretender enfrentar o Ocidente vai novamente ser dominada e humilhada.

Nico law

Quando a china começar a mandar suas frotas pras fronteiras desses países quero ver como vão reagir

Leandro Costa

E por qual controvérsia que poderia colocar em risco a liberdade de navegação perto desses países que levaria a China à enviar frotas para as fronteiras marítimas desses países?

Nico law

Nenhuma meu amigo é apenas demonstração de força assim como faz os EUA no mar negro

Leandro Costa

Pois é, mas existe um motivo para essa demonstração de força no Mar Negro e no Pacífico. Coisa que não existe em relação à China nas costas de EUA e Inglaterra. Não se desloca esse tipo de força para cantos longíncuos do Mundo sem que exista um bom motivo, e apenas ‘demonstração de força’ não entra na equação, exatamente porque para esse tipo de coisa a atividade é outra. Caso a China fosse fazer exercício de ‘liberdade de navegação’ em águas não contestadas na costa dos EUA, muita gente ficaria com a pulga atrás da orelha pelo fato de que… Read more »

Dalton

Os EUA tem aliados dentro do Mar Negro cuja entrada e saída é controlada pela Turquia e estima-se que esses aliados tenham em suas zonas econômicas bilhões de metros cúbicos de gás o que aproximaria a Ucrânia e a Georgia dos
3 países mais “ricos” que já fazem parte da OTAN, Turquia, Romênia e Bulgária,
aumentando consideravelmente a importância do Mar Negro, então, não acho que seja apenas “demonstração de força”, na minha opinião.

Alex Barreto Cypriano

Apenas um Daring class (type 45) teve problemas. Sabe aquela propulsão filha da mãe? Então, ela mesma. No exercício Konkan. Lembrei de ‘I Beg Your Pardon’, justamente…

Adriano Madureira

Não vale merda ! Nasceu bichado…Pensei até que o problema havia sido solucionado..

“Destroyers irão quebrar se enviados para o Oriente Médio, admite a Marinha Real”.[Chefes de defesa dizem ao comitê do Commons que os navios de £ 1 bilhão provavelmente sofrerão falha de motor em águas quentes]

https://www.theguardian.com/uk-news/2016/jun/07/destroyers-will-break-down-if-sent-to-middle-east-admits-royal-navy

carvalho2008

Se os chineses tiverem o mesmo nivel de tolerancia dos russos perto da Crimeia, o caldo pode entornar lá…e acho que farão isto e de forma combinada…eles estão subindo o tom…

Marcelo

Perderam o HMS Diamond, com falha grave do sistema de propulsao, nem atravessou o canal de Suez.

Adriano Madureira

Motor Rolls-Royce batendo pino…

rui mendes

Só a maior constructora de motores do Mundo, não precisam de motores Russos, em navios da China, agora até estão tentando ter tecnologia Ucraniana, para aprenderem a construir motores.

Flanker

E o navio ficou onde?

Marcelo

inicialmente atracou em uma base da OTAN na Italia. Parece que o problema e’ em uma turbina Rolls Royce. Nao sei se consegue navegar apenas com diesels, nesse caso poderia voltar para o Reino Unido.

zgzg

comment image

Nilton L Junior

Isso me lembra a máxima bode na sala mas com up date pra bode no mar, se o imperio Estaduniense quiser conter o ímpeto do imperio Chines precisaria atraves de algum acordo de cooperação modernizar as Marinhas dos paises da região que reclamam as fronteiras marítimas.
Uma vez feito isso cria a narrativa do nós queremos um acordo eles não querem ou seja os Estaduniense e EU jogam o bode pra Pequim.

Adriano Madureira

Problemas técnicos? Será o type 45, que não aguenta uma temperatura alta…

rui mendes

Está já decidido, que esses problemas vão ser resolvidos, vai custar caro, mas têm que ser, quem não copia só o que os outros fazem, sujeita-se a isso.

Flanker

Especialistas…analistas….observadores….que nunca aparecem ou se identificam….Global Times…..ah, que sono….zzzzzzź

Inimigo do Estado

Verdade, temos que acreditar num sujeito chamado Flanker. As palavras de Flanker são como gotas de orvalho caindo dos céus…

Leandro Costa

Se as palavras de Flanker fazem sentido, não vejo problema nenhum em levar em consideração. Se as palavras de qualquer pessoa fazem sentido, a gente presta atenção. É melhor a gente tentar atacar argumentos com outros argumentos ao invés de atacar o debatedor. Faz mais sentido e todos ganham.

Inimigo do Estado

Reino Unido é um rato de ruge, essa banheira ai seria afundada no primeiro dia de combate contra a China. Depois betinha enfeite de trono iria correndo chorar no tio Sam. Melhor para os tommies ficarem quietos na ilha deles lá no Atlântico, e deixar essa briga para gente grande como os EUA e a Índia.

Matheus S

betinha enfeite de trono” kkkk

Tive que rir disso.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -