sábado, outubro 16, 2021

Saab Naval

Submarino chileno realiza ataques simulados bem-sucedidos contra o porta-aviões USS Carl Vinson da Marinha dos EUA

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Um submarino chileno da classe Scorpène concluiu recentemente o programa 2021 Diesel-Electric Submarine Initiative (DESI) com a Marinha dos EUA.

O submarino Carrera (SS-22) e sua tripulação participaram do exercício Composite Unit Training Exercise (COMPTUEX) do USS Carl Vinson (CVN 70) durante o período de dois meses.

O comunicado à imprensa do Submarine Squadron 11 (CSS-11) diz que a tripulação “executou com sucesso dois ataques simulados em unidades do grupo de ataque enquanto trabalhava ao lado dos esquadrões de helicópteros da Marinha dos EUA.”

A conclusão deste exercício marca o 9º desdobramento do Chile na iniciativa. A Marinha do Chile realizou seu primeiro desdobramento em 2007. Desde então, os submarinos chilenos participaram de mais de 700 dias de treinamento, exercícios e eventos de guerra antissubmarino (ASW), com as frotas do Atlântico e do Pacífico dos Estados Unidos.

“Gostaria de agradecer à tripulação do Carrera por seu apoio durante nosso exercício de desenvolvimento tático”, disse o Capitão Patrick Friedman, comandante do Esquadrão de Submarinos 11. “Trabalhando ao lado do USS Alexandria (SSN 757), essa equipe combinada manteve o rastreamento e evasão contra um objetivo simulado de alto valor, contribuindo para o desenvolvimento do controle de combate avançado. Este tipo de treinamento é essencial para garantir a compatibilidade da missão entre nossas duas forças e impulsionar nossa vantagem tática.”

Em parceria com as marinhas da América do Sul, o programa DESI foi criado pelo Comando das Forças da Frota dos EUA em 2001 para aumentar a capacidade da U.S. Navy de operar com submarinos diesel-elétricos. Colômbia, Chile, Peru e Brasil participam atualmente do programa.

Submarino Carrera (SS-22)

- Advertisement -

100 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
100 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mk48

Parabéns a tripulação do Carrera e a Marinha Chilena.
.
Acumular 700 dias de treinamento de alto nível com a USN é que nem aquela história de um certo cartão de crédito : Não tem preço.
.
Vamos ver se em 2022 a MB consegue mandar o Riachuelo para o DESI.

Glasquis 7

Um intensivo e tanto!

horatio nelson

bem preparada a marinha chilena extremamente adestrada,pobre argentina,o que nos resta é ter pena! q comecem tbm os comentários de que a usn deixou…

BENTO

Parabéns a Armada Chilena ! creio que por essas bandas estão na vanguarda.

guilardo

Caro Bento. O pragmatismo há muito tempo norteia as FFAA chilenas. Eles não têm um grande PIB , vivem da exportação do cobre, vinhos e pescados. Têm três inimigos figadais, sendo que contra o Peru e Bolívia já foram à guerra e ganharam. Chegaram até Lima. Com a Argentina, à época das ilhas do canal de Beagle( Lenox, Nueva e Picton), certamente teriam perdido a guerra, pois dado a geografia do seu território teriam que dividir as forças em três. Ademais, a Argentina era mais poderosa em todos os ítens. Então hoje eles cuidam das suas FF de forma altamente… Read more »

Glasquis 7

Com a Argentina, à época das ilhas do canal de Beagle( Lenox, Nueva e Picton), certamente teriam perdido a guerra”

Apenas para esclarecer. Nessa época, os argentinos se prepararam para uma guerra curta e sem resistência, achavam que em uma semana, no máximo 10 dias terminaria a guerra. O Chile se preparou para uma guerra de no mínimo 2 anos.

O General Chefe das FFAA Argentinas desse então, Martin Valsa, declarou publicamente que teriam perdido a guerra contra o Chile.

Augusto

Muito bom o comentário guilardo!

Guilardo Pedrosa.

Ok.

Teropode

Mérito de Pinochet que construiu as bases sólidas das FAs chilenas ….

glasquis 7

As FAs Chilenas tem uma longa tradição que inclui seus ancestres pré-colombianos. O s Araucanos deram uma guerra aos invasores, Incas e Espanhóis e venceram ambas forças, esta última teve uma guerra que durou quase 300 anos. sendo a segunda mais longa guerra da história mundial. O Chile formou a primeira força militar moderna que foi conhecida como a “Torrente Libertadora del Sur” composta por Exercito e Armada, que, sob as ordens de Bernardo O`Higgins, invadiria o Peru e iniciaria o processo de emancipação finalizado por Bolivar. Logo depois em 1830 a força militar Chilena lutou e deteve a Confederação… Read more »

Luis Aurelio Contin

Nenhum genocida tem mérito. Só quem é ” nazi-facista ” atribui algum mérito a Pinochet.

Leandro Malheiros

Então pela sua lógica, demérito para nossos generais ditadores, por que por aqui essa “base” nunca existiu!

José Luiz

Parabéns pelas colocações. Realmente não dá para entender por que nosso país embarca em programas militares grandiosos e não consegue ter uma fabricação própria de armamento básico como mísseis anti carro ou anti aéreos coisa que muitos países economicamente bem menores produzem e exportam. Nem como fica durante anos com fragatas, carros de combate bem antigos enquanto espera um novo programa de substituição. Se hoje estourasse um conflito, não haveria os Gripen somente alguns F 5, não haveriam as fragatas Tamandaré, o carro de combate seria o Leopardo 1 e não teríamos mísseis anti carro, nem defesa antiaérea capaz de… Read more »

Fabio Araujo

Os americanos sempre se exercitando contra os submarinos convencionais de outras nações e de vez em quando sendo surpreendidos nesses exercícios!

Zeus

Prezado! Creio que isto não ocorre “de vez em quando”, mas já ocorreu várias vezes neste tipo de exercícios
Inclusive com subs bem inferiores ao Scorpène! E um sub brasileiro também já deu sua enquadrada neles.
Citei recentemente o caso ocorrido com o Carl Vinson no qual, durante um exercício deste, um sub dos EUA penetrou no Strike Group e tirou diversas fotos de periscópio em 360º ao redor do porta aviões.

A estatística a favor dos subs é bem larga.

Mk48

Zeus , em 1997, em um exercício com a OTAN,o Tamoio “enquadrou” o NAe Príncipe de Astúrias.
.
Os nossos submarinos também sempre fizeram bonito na DESI.

Rafael Costa

Que saudade deste submarino, infelizmente este submarino está no AMRJ desde 2014 até os dias de hoje, com o seu PMG infindável.

Zeus

Perfeito! E é por estas e outras que não devemos duvidar das capacidades nem mesmo daquelas sardinhas de águas rasas iranianas!

download.jpeg
carvalho2008

Este diminuto ssk no golfo é um osso duro de roer….o golfo persico é estreito e helis anti submarinos ficam muito expostos…um navio grande tambem não pode operar lá sem se expor demais….

Taso

kkkk “sardinhas de águas rasas” gostei do nome kkkk

Bruno

Verdade, o treinamento dos Iranianos é igual ao dos Chilenos. Piada !

Antoniokings

Imagine só.
Em um amistoso contra o Bonsucesso eles perderam, imagine no clássico contra o Bayern de Munique.

Saudações futebolísticas!

JagdVerband#44

Cara, você acha o Scorpene o “bonsucesso” dos subs?
Você deve estudar mais sobre tecnologia e técnicas de combate naval.
Sinto.muito.

Antoniokings

Estou me referindo ao pequeno País.
Tal qual o Bonsucesso, Olaria ou São Cristóvão.
Se vc for paulista, como o XV de Jaú.

JagdVerband#44

Teu comentário não faz nenhum sentido, pois se a marinha do Paraguai, a da Mongólia ou da tua amada China tivessem esse equipamento, talvez também obteriam sucesso numa simulação.
Portanto, não é o tamanho da marinha e sim a qualidade da tripulação e do meio que fazem a diferença.
Estudar nunca faz mal.

Zeus

Olá Kings! Creio que faz analogia ao poderio militar do Chile quando o compara ao Bonsucesso. E neste caso a comparação tem sentido. Porém vemos o quão letal é a arma submarina mesmo nas mãos de marinhas mais fracas contra oponentes muito mais fortes! E se os chilenos, brasileiros e outros são capazes de obter estas vitórias, o que dizer de países que têm mais tradição, inclusive em combate, e frotas com dezenas de subs! Os Classe Kilo russos, por exemplo, causam terror apenas por suspeitarem que algum possa estar nas redondezas, pois diz a OTAN que são extremamente silenciosos… Read more »

Antoniokings

Exatamente.
Estou me referindo ao País.
Pequeno e sem muita expressão.
Como o Bonsucesso.

Esteves

Qual é o pobrema com o Bom Sucesso?

Antoniokings

kkkkkk

Glasquis 7

Militarmente, acho que o Chile na região, está longe de parecer o Bom Sucesso… Longe mesmo.

Pedro Bó

O Chile é o Red Bull Bragantino.

O Brasil que está mais para Bonsucesso. Isso se não acabar como um Andarahy ou Canto do Rio.

Renato

O Brasil está mais para Vasco ou Cruzeiro, grande torcida, mas falido, vitima de corrupção e incompetência, e sem perspectiva clara de sair da segunda divisão pois não para de errar e alocar mal seus recursos.

horatio nelson

kkkkk melhor comentário…mais como vasco devido a corrupção e tbm o vasco só cai então faz sentido kk

Up The Irons

Excelente! Submarinos são o que há de mais imponente no mar, até mais que porta-aviões, que dependem de escoltas e aeronaves. Um submarino com uma tripulação bem treinada pode fazer grandes estragos! Eu prefiro crer, de maneira bem inocente, que a MB irá encomendar mais 4 Scorpéne BR. Uma força de 8 submarinos desta classe por essas bandas seria deslumbrante!

Luís Henrique

+ 2 SBR para o estaleiro não ficar parado e o desenvolvimento do SBR-2, mais capaz e com maior conteúdo local. Após o desenvolvimento a aquisição de 4 SBR-2.
Depois vem o SBR-3. Tem que ser um ciclo. Atingir uma frota de 15 SSK, no mínimo.
E atingir o máximo de nacionalização para em seguida, entrarmos no mercado de exportação de submarinos.

BK117

Eu assino embaixo. Submarino é a verdadeira arma que controla o mar. A mera suspeita de sua presença espanta qualquer um. A MB tá tendo que fazer um malabarismo danado com o orçamento, mas, se desse, queria também mais 4 SBR ou até mais, quem sabe…

Antoniokings

Se tem uma coisa certa que a MB está fazendo é desenvolver seu submarino próprio.
Sem ajuda de ninguém.

Mk48

Otimo comentario amigo Kings.
.
O Flamengo manda lembranças….rsrsrs

Antoniokings

Não precisa sapatear em cima.
kkkkk

SDS

Esteves

Aonde tem submarino próprio?

Nilson

Se referiu ao Álvaro Alberto, cujo projeto e reator serão nacionais, o projeto com transferência de tecnologia. O Kings falou desenvolver, ou seja, foi correto no tempo verbal, o SN10 está sendo desenvolvido. Se será construído, se será operacional, aí são outros quinhentos…

Antoniokings

Preciso!

SDS

Teropode

É necessário pois vc levantou uma bola quadrada , o casco do Álvaro e derivado do Scorpenes , há auxílio francês em todas etapas ( fora o reator que fica pronto em 2038), levas de soldadores foram enviados pra França , o aço não é brasileiro , a própria escolha do Scorpenes foi motivada pelas caracteristas do casco , da possibilidade do mesmo dar origem a um casco maior , além da França se dispor a auxiliar no desenvolvimento do Álvaro , onde tá o submarino próprio ? Em Nárnia ? 🤣🤣🤣🤣🤣🤣😂😂😂😉

rui mendes

E o casco???
Não conta?
E a consulturia, também não conta.
Depois desse, o segundo sim, poderá ser totalmente sem ajuda.

Esteves

Scorpene.

Augusto

Isso e verdade Kings, o problema e demorar 30 anos para projetar uma classe e fabricar apenas um (quem tem um, não tem nenhum).

Antoniokings

Não podemos esquecer que conhecimento adquirido nunca é demais.
Pode demorar um tempo, mas depois que se tem é daí para frente.

SDS

EduardoSP

Conhecimento se perde. Veja o caso dos Tupi. Se vc não usa o conhecimento, vc o perde

Camargoer.

Olá Augusto. O Prosub foi assinado em 2009. Considerando este o ponto de partida do SN19, são 12 anos, não 30.

rui mendes

´´Sem ajuda de ninguém essa é boa.

BK117

Obrigado, Galante!

Jorge Faustino

“Submarino não controla o mar, ele nega o uso do mar.”
Não entendi.
Como navio-aeródromo vai controlar o mar que é negado por uma força de submarinos?

Antoniokings

Tinha pensado a mesma coisa.
Parece aquela história das facas Ginzu (que corta tudo) contra as meias Vivarina (que ninguém consegue cortar).
Um nega o acesso para o outro que controla o mar.
Por outro lado o que controla o mar pode controlar quem nega o acesso.
É para surtar.
kkkkkk

Guizmo

Na verdade a MB controla o uso do mar com sua frota de superficie “istélfi”

Matheus S

Eu acho que você respondeu sua própria pergunta.

Jacinto

“Negação de uso do mar” e “controle do uso do mar” são missões. A Estratégia Nacional de Defesa os define assim: ” CONTROLE DE ÁREA MARÍTIMA – Controle que visa garantir certo grau de utilização, ainda que temporário, de áreas marítimas limitadas, estacionárias ou móveis, exercido na intensidade adequada à execução de atividades específicas. (…) NEGAÇÃO DO USO DO MAR AO INIMIGO – Tarefa básica do Poder Naval que consiste em dificultar o estabelecimento do controle de área marítima pelo inimigo, ou a exploração deste controle por meio da destruição ou neutralização de suas forças navais, do ataque às suas… Read more »

carvalho2008

submarino é miope….o alcance em milhas quadradas de seus sensores é muito menor do que o possibilitado por uma fragata com heli ou Nae. Um meio de superficie exerce um controle de cobertura muito maior…um Nae é enorme na area coberta….em compensação, o submarino exerce uma pressao tactica enorme e inversamente proporcional ao seu tamanho ou seu investimento, na qual sua presença hipotetica força o adversario a evitar as areas de sua provavel presença

Glasquis 7

Submarino apenas é uma de muitas armas que uma Marinha tem para controlar o mar. Assim como uma andorinha não faz verão, um Scorpene…

Esteves

Controlar…controlar seria com minagem. Submarino vai causar sérias perdas e tentar negar o uso do mar. Sucesso garantido ele não tem…mas obriga pesadas perdas ao inimigo.

Vide os UBoats no Atlântico Norte.

Glasquis 7

Sim, o termo certo é o que vc usou, “privar ou negar mar”. O idioma ainda faz seus estragos por estas bandas.

Fawcett

No caso dos U-Boots no Atlântico houve uma série de fatores que impediram a negação quase total do mar: a quebra do código da máquina enigma, a invenção do radar e principalmente o fato dos submarinos navegarem mais na superfície que submersos. Não a toa a maioria deles foi afundada por cargas lançadas por aeronaves. Se o sub tipo XXI entrasse no conflito um ano antes os estragos nas forças aliadas seriam bem maiores.

rui mendes

Cargas lançadas por aeronaves, mergulham.

Camargoer.

Olá Glasquis. Um submarino convencional seria insuficiente para dissuadir uma força tarefa da USN ou outra grande marinha, mas criaria enormes problemas para uma marinha menor. Vários Scorpenes já seriam uma dor de cabeça para qualquer marinha agressora.

Andre

São armas com usos diferentes. Os porta-avioes são mais indicados para projeção de força. O Reino Unido jamais teria retomado as Falkland apenas com submarinos.

Países que abriram mão de projetar poder e apenas se defender, como a Rússia, pode abandonar os porta aviões e focar apenas em submarinos que irá atingir seu objetivo.

Já as potências em ascenção, como a China e a Índia continuam a investir em porta aviões.

Maurício.

Não tem como negar, nos mares, o meio mais letal que existe é o submarino.
É como dizem: “só existem dois tipos de navios: os submarinos e os alvos”.

Camargoer.

Olá Colegas. Um submarino é uma arma formidável. Eles de fato têm a capacidade de danificar severamente um porta-aviões, não sei se conseguiriam afundar um NAe de meio ou grande porte, mas acho provável que causem danos que o coloquem fora de combate. O problema do submarino seria como escapar da força de escolta após disparar os torpedos. Talvez a ação mais apropriada seria disparar vários mísseis antinavio (como o SM39) longe da força tarefa liderada pelo porta-aviões a fim de ter maiores chances de escapar.

Ted

Numa situação de combate Real esse sk não chegaria perto da força tarefa. Bem antes identificado e destruído.

Esteves

Para chegar Estaria em movimento. A estratégia dos submarinos é Estar. Esperar. Movendo-se para caçar seria caçado.

Ted

Sonoboias, p8, p3. Ssn caçadores de submarinos e radatradates

Camargoer.

Caro Ted. Em uma situação real, acho improvável que um submarino chileno tente afundar um porta aviões dos EUA. Por outro lado, talvez ocorra uma situação real na qual um submarino chileno seja obrigado a afundar um navio de combate estrangeiro ou um grupo de submarinos estrangeiros tente afundar um porta aviões dos EUA.

Matheus S

Disparar mísseis após disparar torpedos não seria apropriado, dessa forma que você colocou, não importa se é por tubos ou VLS, o submarino já revelaria uma área-alvo após o disparo dos torpedos, se disparar mísseis momentos depois, iria revelar mais de uma vez a sua posição alvo. A doutrina é atirar e fugir, sempre. Desse modo que você colocou, o navio que caça submarinos que normalmente fica distante do resto da FT arrastando um sonar rebocado, não precisaria mais se mover constantemente ao redor da FT, bastaria apenas se mover para a área-alvo onde foi disparado os mísseis, facilitaria muito… Read more »

carvalho2008

a resposta é simples….troca-se um ssk por um Nae….o comandante nem para para pensar….é vocacionado para isto….e sabe que sua razao de existir é esta…mesmo que corra o risco imimente, ele fara o ataque se houver uma chance de acertar o Nae.

rui mendes

O Torpedo lançado pelos submarinos, são pesados, não são ligeiros, como os lançados por fragatas, aviões e helis.
É uma das armas com mais poder destruítivo.
Um submarino, se não for tirado de combate, afunda na boa um porta-aviões.

Camargoer.

Olá Rui. O tamanho e o projeto de um grande porta aviões deve demandar uma enorme carga para ser afundado, talvez um número muito grande de torpedos. Acho que os sovieticos testaram um casco nazista para simular um ataque a um porta avioes. A USN também fez um teste desses. É uma tarefa bem desafiadora.

Augusto

Realmente a arma submarina e a mais letal que existe em uma marinha de guerra, uma única embarcação pode ameaçar um navio capital poderoso como um porta aviões, principalmente quando bem empregado por uma eficiente tripulação igual ao do Chile.

E claro que em uma situação de guerra tudo pode ser diferente de um exercício, mas de forma alguma podemos desmerecer o que os chilenos fizeram.

Parabéns aos Chilenos, pelo grande feito.

Bardini

Quantas vezes o SSK chileno foi ou poderia ter sido neutralizado pela TF? Não é coisa que se fale ou se comente. Não falo isso por demérito, pq é preciso treinar e mesmo o fato de ser detectado e neutralizado em um treinamento, reflete no acumulo de experiência para a tripulação e etc. É pra lá de útil. Mas a questão é que o pessoal lê um título tendencioso e imagina que os chilenos deram um pau na US Navy, onde afundaram até os EUA junto. E isso sendo que no corpo da matéria, não se fala em momento algum… Read more »

Last edited 28 dias atrás by Bardini
Maximus

Excelente Bardini. Na tua opinião, as atuais condições da MB permitiriam ela operar quantos subs? Ou reformulando a pergunta, quantos subs seriam necessarios para a MB tentar contrapor uma TF nucleada em um porta aviões?

Parabellum

Compartilho da mesma opinião. Se eu fosse um almirante americano ficaria observando todo o processo de aproximação e suposto lançamento para o estudo do debriefing.

Glasquis 7

Não posso deixar de concordar, depois de tudo, o objetivo real para os americanos é treinar o seu pessoal e descobrir possíveis falências na sua doutrina. Então, é lógico que entre erros e acertos, ambas forças acumulem vitórias e derrotas. O interessante seria descobrir o percentual entre ataques bem sucedidos e detecções bem sucedidas.

De uma ou outra forma, não é um treinamento pra qualquer força. Sem dúvidas, o nível de treinamento da força chilena ao nível da américa latina deve estar entre os mais altos.

Esteves

É mais denso. Além das doutrinas…equipamentos podem falhar, tempestades podem chegar, tripulações podem reagir de forma não esperada, armas como mísseis e torpedos podem errar o alvo.

Os objetivos são muitos. Além das próprias falências…o que o inimigo pode fazer com um submarino convencional, qual submarino, quantos recursos serão necessários para anular o inimigo, se o inimigo forem 3 submarinos, quanto tempo…??

É mais que vencer ou perder. Quanto custa vencer e quanto custa perder.

Ted

Quanto custa: vidas, aparato militar, oficialato, doutrina militar,recursos e orgulho .

Esteves

Atlântico Norte.

F33E00E6-ACE4-4956-A955-BA25E4FBDF40.jpeg
Ted

E veracidade dos fatos ocorridos

Inimigo do Estado

Imagine contra a China, que tem quase 100 subs além dos H-6 e seus mísseis com 3k de alcance. Os EUA vão perder uns 3 porta aviões antes de entrar no mar do Sul da China.

E tem inocente achando que F-35 numa banheira é um game changer.

Fawcett

Não confio muito nestes exercícios. É bem capaz que os americanos tenham detectado a presença do sub chileno e feito vista grossa para esconder suas reais capacidades.

Matheus S

Isso é mais comum do que se supõe. Assim como você descreveu, outros exercícios tem o objetivo de aprimorar os recursos ASW da FT restringindo de certa forma as capacidades furtivas do submarino inimigo, isso já ocorreu em inúmeros exercícios, os EUA treinam constantemente com o Canadá, por exemplo.

Esteves

Se o submarino moveu-se, afundado seria.

Glasquis 7

Diz a lenda mas, nem sempre foi assim. Lembre do ataque a Scapa flow.

Sim, os tempos são outros mas, ambos meios evoluíram.

Esteves
Paulo Costa

O mais efetivo sub que treinou com a US Navy,foi o Gotland Sueco,com AIP,
ficou dois anos por lá com eles,acima do sub com AIP,so tem o nosso sub nuc,
que estamos desenvolvendo.

Esteves

O Gotland ficou lá para estudos. Não chegaram a nenhuma conclusão quanto ao sistema de propulsão AIP.

O “nosso” subnuclear é um Scorpene. Vamos colocar a propulsão nuclear em um submarino Scorpene. Pagando licença.

Nosso…é só o reator. Quando. E se.

Camargoer.

Olá Esteves. O Scorpene desloca 2 mil ton. O SBN deslocará 6 mil ton. Acho difícil até dizer que o SBN será um Scorpene gordo.

Esteves

Sem dúvida. Será um projeto modificado. Ainda assim, um casco fornecido pelos franceses.

Produzido sob licença dos franceses. Conhecer é parte do projeto. Saber o que fazer com a informação é a outra parte.

Vamos ver o que aprendemos com esses Scorpenes e essas Meko.

Mk48

Esteves, . Não vejo nenhum demérito aos engenheiros brasileiros nisso. . Em 1958, quando os EUA decidiram compartilhar a tecnlogia de subs nucleares com o UK (muito semelhante ao que vão fazer com a Australia agora), os ingleses receberam todo o conjunto propulsor, incluindo o reator , dos americanos. Tanto que o primeiro SSN inglês, o HMS Dreadnought, foi equipado com um reator Westinghouse, americano. Muito tempo depois foi que a Rolls Royce conseguiu fazer o seu primeiro reator. . Lembrando que receberam tudo de mão beijada : Recursos, grana, e apoio técnico americano não eram problema. Apoio firme do… Read more »

Esteves

Também não vejo. Acredito que os bons se tornam bons porque acompanham os melhores.

Vamos em frente.

Camargoer.

Olá Esteves. Entendi. Concordo.

Paulo Costa

No poder naval tem uma apresentação do sistema AIP

Submarino-com-aip-range.jpg
kahllil

Porque a pintura dos nosso Scorpene parecem queimadas e os do chilenos não?

Essa superfície aderente vista na ultima foto não pode causar bolhas e ruídos em alta velocidade submerso?

Diego Tarses Cardoso

Interessante resultado, quer dizer então que nossos submarinos recém-construídos podem se contrapor à frotas inteiras com facilidade.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Japão lança o ‘Hakugei’, segundo submarino classe Taigei

O Japão lançou ao mar o segundo de uma nova classe de submarinos diesel-elétricos. O novo submarino, que foi batizado...
- Advertisement -