sexta-feira, agosto 12, 2022

Saab Naval

Aukus: França desiste das negociações de defesa com o Reino Unido em meio a discussão sobre a AUKUS

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O ministro da Defesa da França cancelou as negociações com seu homólogo do Reino Unido, enquanto a disputa continua sobre um novo acordo de segurança entre a Grã-Bretanha, os EUA e a Austrália.

Paris está furiosa depois que a Austrália assinou a aliança militar Aukus para construir submarinos com propulsão nuclear, rescindindo um importante contrato com a França no processo.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que a França não tinha nada com que se preocupar com o acordo.

Mas a reunião de Florence Parly com o secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, em Londres esta semana, foi cancelada.

Falando na Câmara dos Comuns, o Sr. Wallace disse que não houve “absolutamente nenhuma intenção … de menosprezar, perturbar ou criar uma cisão entre nós e a França”.

“Grã-Bretanha e França em muitas questões estão unidas de maneira inseparável”, acrescentou.

Lord Ricketts, um ex-embaixador britânico na França que deveria co-presidir os dois dias de negociações, confirmou que o encontro entre Wallace e Parly foi “adiado para uma data posterior”.

FONTE: BBC / Anadolu

- Advertisement -

67 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo

Esse beicinho tem um preço rsrsrsrs.

Miguel Carvalho

A França não vai deixar isso barato. A solução é dar um pedaço do negócio aos franceses.

Acho que é o que vai acontecer. Afinal a frança tb tem submarinos nucleares.

Doug385

A choradeira vai continuar por muito tempo. Quem tinha um bolo inteirinho só pra si vai se contentar só com uma fatia?

Diego Tarses Cardoso

Acho que a França vai ficar só no beiço mesmo rs

Roberto

Nesse caso, sim. A França não é uma pobre inocente, como está declarando para a comunidade internacional. O contrato possuía um valor inicial, que quase dobrou ao longo do tempo. Além de agora serem submarinos nucleares, de países que também estão com divergências com a China. A Austrália entrou em um grupo de países que interessa bem mais a ela.

Last edited 10 meses atrás by Roberto
Robsonmkt

Entendo que a Austrália não tinha acesso a submarinos nucleares na época. Mas optaram por uma proposta inédita e de alto risco: comprar um submarino nuclear mas com motor diesel-elétrico. Fecharam acordo com a França e depois que a coisa se mostrou mais cara, lenta e complexa do que os gabinetes esperavam, na surdina resolveram abandonar o projeto e nem se deram ao trabalho de avisar a empresa contratada e o governo do país (visto ser produto de defesa) da mudança de planos. Pior do que desistir do projeto foi a forma como foi feita essa desistência. Com a Inglaterra… Read more »

Teropode

Havia muita coisa prá amarrar nesta nova parceria , foram prudentes em manter o silêncio total , talvez temiam a pressão francesa antes do cancelamento e antes dos pontos estarem bem sólidos , e são deu tempo até para se preparar para a choradeira francesa , anote : Os Alemães souberam antes do anúncio oficial e a França não vai conseguir acionar UE contra a Austrália , fiz este comentário mas o doberman filtrou …

Satyricon

Robsonmkt, O problema, à meu ver, é a soberba. A França MUITO provavelmente não é nem vítima, nem uma coitadinha, como está posando para a comunidade internacional. O contrato possuía uma previsão inicial, que praticamente dobrou ao longo do tempo, ao ponto de justificar a opção pelos subs nucleares pela Austrália. Qual a razão pra tamanha diferença? Desleixo? Ganância? Ali não tem nenhum inocente ou ingênuo. Obs: Não tem como não lembrar da proposta de remotorização e revitalização do NAE São Paulo, inicialmente estimada em U$1Bi pelo Naval Group francês. Realmente a MB “desviou da bala” nessa aí (só pra… Read more »

JT8D

A FAB também desviou da bala ao pular fora do Rafale no FX-2. É que eles já conheciam muito bem os franceses

Jacinto

Não há nada de novo nisso. A França sempre produziu equipamento militar e sempre quis que os europeus usassem os equipamentos franceses. Até porque, para a França, a venda de equipamentos militares é essencial para arcar com os custos de novos desenvolvimentos.

Doug385

Pagaria um ingresso pra ver o Macron dando pulos de raiva.

Satyricon

Não deixa de ser irônico, depois de tanto tripudiar o Brasil (Soberania internacional na Amazônia, negação aí acordo comercial UE-Mercosul, etc), que a nação francesa (e o tal Macron) tenham como exemplo de sucesso justamente a parceria com terras tupiniquins.
O destino é cruel.

Wellington R. Soares

A França poderia facilmente influenciar várias questões na América do Sul, inclusive eles possuem um “pedaco de terra” por aqui.
Poderiam fortalecer parcerias econômicas, intercâmbios, cooperações militares e consequentemente vender muito mais equipamentos (mais do que já vendem).
Eles possuem equipamentos militares de ponta, experiência em combates e uma das FAs mais poderosas do mundo, mas ao invés de usar isso ao seu favor, fica menosprezando os tupiniquins que estão honrando o contrato com eles.

Carlos Gallani

O menosprezo não é aleatório, tem uma conta que envolve uma infinidade de.fatores políticos e econômicos, só na barrada de negociação UÉ Mercosul eles já tiveram vantagem protecionista!

sergio

kkkkkkkkkkkkkk eu tb doug385, e ainda iria comprar o do camarote.

Pedro Tavares Nicodemos Filho

Doug385, eu também pagaria um ingresso para ver Emanuel Macron pulando de raiva, e como disse o colega abaixo, de camarote!

Doug385, je aussi voulais payer un billet pour voir Emanuel Macron sauter en colère, comme a dit, le copain, au dessus, dans une cabine!

Doug385, I too would pay un ticket to see Emanuel Macron jumping with angry, and as said le bud a few lines under, at a cabin!

Doug385, io pagherei un billeto per vedere Emanuel Macron saltando de rabbia, como hai detto il collega in basso, in una scatola!

Last edited 10 meses atrás by Pedro Tavares Nicodemos Filho
Augusto

Nada com um dia depois do outro.

Joanderson

Bonito é a França com raiva junta com a Alemanha e começar a se aproximar da Rússia levantando logo as sanções.
De um lado a Europa toma bola nas costas da potência América juntos com seus aliados mais proximos de lingua inglesa.
Do outro lado uma dragão que so cresce e cria musculos .
Fora outros paises como india, Japão, coreia do Sul , Turquia cada vez mais se soltando oq resta para europa é se unir de Portugal a Rússia vai ser benefico para ambos fora que unidos não vão ser campo de batalhas de outros países.

Antoniokings

Joanderson As possibilidades para russos e chineses são muitas. E algumas bastante razoáveis. Inicialmente bases chinesas no Irã (altamente factível) o que interditará qualquer iniciativa agressiva vinda da região do Golfo Pérsico e Oceano Índico. Fortalecimento militar da Coreia do Norte (bem fácil) o que deixará a situação no Extremo Oriente bem mais complicada para os EUA. Outras situações menos factíveis seriam a criação de bases chinesas na África e uma presença militar russa mais ostensiva na Venezuela. Desta forma, espalharia novamente as forças americana num esforço militar/orçamentário impossível de ser mantido. Tudo que eu disse não é impossível e… Read more »

Paulo Araujo

Bases no Irã? De país estrangeiro? Acho difícil.

Carlos Campos

um bando de pecadores no Irã? acho dificil mesmo

Antoniokings

O recente acordo bilionário entre China e Irã tinha algumas cláusulas militares que não foram reveladas.
Alguns especialistas militares aventaram a possibilidade da presença militar chinesa no País.
Aguardemos.

Doug385

Sanções? A Alemanha deve ser o maior parceiro russo na Europa Ocidental. Dependem do gás russo. O resto é retórica.

Jacinto

A URSS também era a maior parceira comercial da Alemanha Nazista graças ao Pacto Comercial Teuto-Soviético de 1940; a rigor, A URSS foi invadida por tanques e tropas abastecidos e alimentadas por petróleo e grãos fornecidos pela URSS à Alemanha. Pareceria comercial não evita guerras, e às vezes as causa.

Thiago A.

Outro exemplo a Austrália, extremamente dependente das importações chinesas e mesmo assim faz parte do QUAD.

Jacinto

A própria guerra entre o Japão e o EUA. Em 1940-41 o Japão importava 80% de seu petróleo dos EUA; quando os EUA impuseram um embargo de petróleo e gasolina ao Japão, em meados de 1941, as opções que restaram aos japoneses era de se submeter às condições dos EUA ou a guerra. A escolha dos generais japoneses é bem conhecida.

Adriano RA

Confesso que não sei quem é dependente de quem. A China é altamente dependente da compra de minério australiano.

frank

Doug esta um pouco equivocado, a Rússia depende da venda de seu gás para a Europa , sem a receita do gás e petróleo onde 70% e vendido para a Europa a Rússia quebra, isso já fui discutido a Europa precisa do gás russo mais a Rússia precisa mais ainda da venda do gás para a Europa

Antoniokings

Não necessariamente, porque a Rússia tem ao seu lado um consumidor que compra mais que toda a Europa junta e tem muito interesse no gás russo.
Não preciso dizer quem é, né?
Aliás, já estão construindo gasodutos ligando os dois países.
Um deles tem o nome de ‘Power of Siberia’.
Dá para imaginar a capacidade dele.

Teropode

Bobagem , e o que a China faria com o seu próprio gás ? A besteira que vc fala é como se o Brasil comprasse toda soja americana para ajuda-los , só imbecis compram o que já produzem de sobra , aliás deixa pra lá ,….vc não vai entender mesmo …

Last edited 10 meses atrás by Teropode
Antoniokings

Não entendi xongas, mesmo.
A China é a maior importadora de gás do Mundo e sua sede só aumenta.

‘ A participação das importações no fornecimento de gás natural na China está aumentando de 39% para 45% até 2023, prevê a agência.’

opetroleo.com.br/china-ultrapassa-o-japao-como-maior-importador-de-gas-natural-do-mundo/

Jacinto

A Rússia exporta US$ 210 bi para a Europa. O mais curioso é que o maior parceiro comercial russo na Europa não é a Alemanha, mas a Holanda. A Alemanha já faz alguns anos está substituindo sua matriz energética e acho que neste ano já produz mais energia a partir de fontes renováveis do que a partir da queima de hidrocarbonetos.

nereu

vou lhe tirar os ANTOLHOS….. existe uma empresa na Holanda chamada SHELL, lá o Gás/Petróleo Russo é Refinado e exportado PRINCIPALMENTE para Alemanha e Bélgica, mas também vai para todos os outros países do mundo

frank

70% Da receita do governo russo deriva da venda do gás e petróleo.
quem depende de quem ?

Antoniokings

A expectativa é que os russos tornem-se os maiores produtores de petróleo em 2022.
E tendo um mega consumidor ao seu lado.

oilprice.com/Latest-Energy-News/World-News/Russia-Expects-To-Boost-Oil-Production-To-Post-Soviet-High-In-2022.html

nereu

e a população Europeia estaria disposta a arcar com o prejuízo no BOLSO

Carlos Campos

uma via de mão dupla, a não ser que os Europeus queiram morrer de frio, ou pagar caríssimo pelo gás árabe ou americano.

Antoniokings

Xi !!!!!
Acho que a França encomendou o caixão da OTAN.

Teropode

Entraram na Otan covardemente após a falência da urss , a OTAN sempre se virou sem eles e soube na época que se precisassem eles iriam sair a francesa , hoje não muda nada , OTAN é EUA , UK , Alemanha , Bélgica , Noruega , Dinamarca , Polônia , Portugal e ex repúblicas soviéticas , estude um pouco sobre o jogo duplo francês na guerra fria , cansaram de sabotar missões de contra-edpionagem , inclusive entregaram muitos agentes russos que eram informante dos ingleses ,…

HLopes

Eu sei que esse é um de seus sonhos húmidos mas a França já esteve fora da OTAN durante muito tempo e nem por isso a OTAN acabou.
As relações entre países atravessam altos e baixos como é normal mas aliados de séculos sempre encontram forma de se entenderem.

Antoniokings

Sim.
Quando se é jovem, como a OTAN era à época, a recuperação é sempre mais fácil.
Já agora……

HLopes

Antes pelo contrário caro António, era uma organização mais recente e frágil, com menos membros, onde todos faziam falta.

Antoniokings

Agora está cheia de rugas e rusgas.

Teropode

Recuperar de que ? Nunca adoeceram , alias assistiram a fome atingir a urss e sua bancarrota , peça pra ir ao banheiro e não arrisca a falar sobre oque desconhece .

Mangano

Esse ataque de pelancas dos franceses tá um pé no s**o …. Contrato é isso – tem cláusula até pra quebrar ele…. E a Austrália vai pagar o preço regido pelo próprio contrato e vida que segue….

Miguel Carvalho

A Austrália chegou á conclusão que precisava de submarinos nucleares, para dissuadir e enfrentar a China, e essa necessidade era para ontem. E como a Austrália tem fortes laços com a Inglaterra e esta com os Estados Unidos, foi como juntar o necessário ao urgente. È preciso agir rápido, para travar o domínio da China na região do Indo-Pacifico, senão a China tomará conta do comercio mundial, e poderá dar as cartas conforme quiser, e dominará o comercio mundial. Os Estados Unidos apenas estão a fazer alinhar os parceiros que tem melhores hipóteses de fazer frente á China, sendo estes… Read more »

Carlos Gallani

O ponto de interrogação está no Indico, será que a Índia vai agir quando necessário?
E o Paquistão vai assumir lado tbm?
Hoje acho mais provável que os dois países se abstenham pois não teriam lucro entrando em qualquer quizumba seja por EUA ou China!

Jefferson

Conduta completamente errada da França. É até engraçado ver um francês com tanto choro por causa de “traição”…ora, ora, ora…

Jadson Cabral

Por quê? Quem foi que eles traíram mesmo na história recente?

Diego Tarses Cardoso

Agora a mídia nacional vai descobrir que existe submarino nuclear, enquanto o Brasil está construindo bem aqui o projeto desde 1980 kkkk

Carlos Gallani

Quando for lançar em 2050 eles redescobrem, tá muito cedo, vamos com calma pois são só 30 anos!

Gilson

A bem da verdade, se não me engano ouve uma reportagem que soava que isso iria acontecer, mas os franceses, ao me ver não acreditaria nessa ipotese, e aconteceu. Lembra dos dois portas helicópteros mistral que estavam quase prontinho para ser entregue aos Russos, e acabou a França, vendendo para o Egito, pois é vocês acham que tinha o dedo de quem? EEUU, e agora um baita contrato de submarinos, que a França, nem lembrava mais do contrato com o Brasil. Esse contrato com os australianos era dinheiro que não acabava nunca. Mais uma vez, os dedos são de quem?… Read more »

JT8D

A verdade é que, tirando os países sob influência russa e chinesa, ninguém vende material militar pra ninguém se os EUA não quiserem. Por isso o Gripen vende pouco (porque os EUA entram com pressão política, econômica e F-16 ou F-35) e por isso o KC-390 vai penar para ganhar mercado

Heli

Modo delírio on: Bem que a França poderia se vingar “ajudando” o Brasil a finalizar o SNB.
modo delírio off: Nem a pau Juvenal.

Tomcat

Mas aí entra uma questão de orgulho que o da França já está beeeem ferido, imagina agora SSN Autraliano sair antes do nosso? Vai ser ainda mais humilhante!!!!!!

Luc

Na opinião do fórum, tem sentido pensar em uma França desequilibrando o Conselho de segurança da ONU em prol da Rússia e China a partir desse evento?

GFC_RJ

Não, pois o conselho de segurança não funciona nem hoje nem ontem na base do 50% + 1. Quem tem assento permanente possui poder de veto. Portanto, mesmo que a OTAN, em tese, possua maioria, para as decisões significativas é o mesmo que nada uma vez que o consenso total é necessário.

Luc

Perfeito. Obrigado.

Pedro

Muita gente achando que isso tudo é por causa de contratos. Sim, sim, retiraram o embaixador da Suíça quando esses escolheram o F-35 ao contrário do Rafale, e de Brasília quando escolhemos o Gripen… O ministro da defesa francesa confirma que os australianos afirmaram que estavam de acordo com o contrato com os franceses no mesmo dia que anunciaram o AUKUS. Porte-parole du ministère des Armées no Twitter: “Le jour même de l’annonce #AUKUS, les Australiens ont écrit à la France pour dire qu’ils étaient satisfaits des performances atteignables par le sous-marin et par le déroulement du programme. En clair :… Read more »

100nickElã

«A Quais as consequências do acordo AUKUS?Não está nada claro se a Austrália encontrará dinheiro para realmente pagar pelos submarinos nucleares. São 50-100% mais caros que os convencionais. A Austrália também quer ter certeza de que pelo menos 60% dos preços fluam de volta para a manufatura australiana. Mas não há empresas na Austrália que tenham experiência com trabalho em tecnologia nuclear. Também é improvável que os EUA ou o Reino Unido deixem a Austrália ganhar tal capacidade. Também há pouca chance de que qualquer um dos novos barcos previstos esteja pronto antes de 2040. Até lá, Taiwan provavelmente estará sob o controle de… Read more »

Nico law

Aproveita e sai da OTAN

Last edited 10 meses atrás by Nico law
Gerson Carvalho

Só quem perdeu foi a Austrália que agora tem um alvo pintado pela China….

DFA

Adoro ver a trivialidade com que alguns Brasileiros celebram a perda de um importante contrato para a França, ainda mais da maneira cinica e desonesta como os Australianos se comportaram.
Adoraria ver a reação desses Brasileiros que celebram o engano feito aos franceses, se Portugal e Hungria de um momento para o outro cancelassem o contrato dos KC-390 em favor do A400 ou do do novo C-130 …

JT8D

No mercado de armas o jogo é bruto. Quem não tem cacife que se conforme com sua insignificância. Ou faça algo a respeito.
A França vai chorar, mas se ficar só no choro não vai adiantar nada. Enfim, eles que são grandes que se entendam

Carlos Campos

tu fala como se a França fosse uma mãe para o Brasil, compramos subs dele e pagamos caro por ToT e eles enchem o saco, a França tem o Direito de espernear e nos de assistir o circo pegar fogo na OTAN, a China reclamar e a França chorar.

Marcelo Bardo

Para a França: Agora chooooooora!

Roberto

…… é senhor Macron, continue lacrando, digo, desculpe,”cuidando da Amazônia” e seus “aliados” cuidam, com muito prazer, dos negócios. Nada como um dia após o outro…….

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Representante da Argentina vem ao Brasil pedir apoio na luta pela soberania das Ilhas Malvinas

O secretário para Malvinas, Antártica e Atlântico Sul do governo da Argentina, Guillermo Carmona, virá ao Brasil na próxima...
Parceiro

- Advertisement -