segunda-feira, agosto 15, 2022

Saab Naval

Argentina estuda compra de submarino para reforçar a defesa

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Quatro anos após o naufrágio do ARA San Juan, o Governo Argentino começou a realizar os trâmites para a aquisição de um submarino de defesa para dar um sinal não só aos militares argentinos mas também aos países que olham para o Atlântico Sul como espaço estratégico em todo o mundo.

O ministro da Defesa, Jorge Taiana, já manteve conversas com a empresa francesa Naval Group para explorar a possibilidade de compra de um submarino para repor a perda do ARA San Juan que custou a vida de 44 tripulantes em novembro de 2017.

Também foi visada uma empresa alemã que fabrica esses navios e foi mencionada em algum momento a possibilidade de consertar os atuais submarinos argentinos no estaleiro Tandanor. Mas essas duas possibilidades foram descartadas pelo Ministério da Defesa.

“A Argentina tem uma boa frota de navios-patrulha, mas é sempre bom para os países saberem que temos um submarino que também pode patrulhar o Atlântico Sul e que não pode ser visto”, disse um amigo próximo do ministro Taiana.

Desta forma, constatou-se que as negociações para a compra estão avançando e a ideia de que a Argentina sonhará em ter um submarino novamente é um fato concreto. Não se definiu – ao menos nas conversas formais que o Ministro da Defesa manteve com empresários ou dirigentes do setor – o modelo, custo e prazo estimado em que a Argentina comprará o submarino.

No entanto, foi confirmado que há uma decisão política do presidente Alberto Fernández e do ministro Taiana de avançar nessa direção. Busca dar um gesto na região e um sinal também dentro das Forças Armadas. Somente na região, os militares brasileiros têm 5 submarinos, o Chile com 4, o Peru com 6 e a Colômbia 2.

Adquirir um submarino pode levar alguns anos, porque não é uma operação simples e leva tempo para ser fabricado. Mas avalia-se na Defesa que parte dessa compra poderia começar a ser canalizada por meio do Fundo de Defesa, (FONDEF) que foi criado por lei e é composto por 0,5% da receita corrente prevista no Orçamento Anual do Setor Público Nacional.

O orçamento no ano fiscal de 2021 foi de US$ 34 bilhões. Além disso, conforme explicam aqueles próximos ao Ministro Taiana nos próximos anos, esse percentual subirá para 0,65% da receita corrente prevista no Orçamento Anual do Setor Público Nacional para o ano de 2022, até atingir 0,8% para o ano de 2023, mantendo esta última percentagem para os sucessivos exercícios orçamentais.

FONTE: The Rio Times / today.in-24.com

- Advertisement -

122 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

122 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Fernando

Olha aí. Podemos vender usados, ou novos fabricados aqui. Só amarrar um bom acordo de pagamento.

BRUNO CESAR BOTELHO MARTINS

argentinos (governo, não o povo) não gosta e não quer comprar nada do brasil, são recalcados e invejosos!

Pedro Fullback

Isso é mentira! A Argentina é uns dos nossos maiores parceiros comerciais, e aqui, eles não compram soja, e sim, produtos manufaturados de alto valor agregado. O problemas deles se chama Reino Unido, tudo que possui componentes britânico é embargado.

karl Bonfim

O problema é o orgulho ferido. Agora, concordo que não são todos os argentinos, mas sim os portenhos, esses sim são arrogantes…

Cristiano GR

Os ingleses concordam.

Heli

De onde voce tirou isso? De narração do Galvão Bueno? Já morou lá por algum tempo, conviveu com eles? É cada um que aparece aqui, que pre-conceito mais infantil.

JBS

Helli

Seu comentário é perfeito.

karl Bonfim

Em que mundo você vive, e não é preconceito (eles sim são preconceituosos),e é um fato…

Jadson S. Cabral

É só perder um tempinho lendo os comentários nos vídeos dos principais youtubers argentinos do ramo. Não, não são todos os argentinos, do mesmo jeito que não são todos brasileiros, todos os homens… blá blá blá, toda generalização é burra. Mas que a regra é essa é.

JBS

Este comentário, preconceituoso, deselegante, é acima de tudo, desinformado, coisa de quem nunca foi na Argentina e/ou se informa por grupos de whats.

BRUNO CESAR BOTELHO MARTINS

lê de novo analfabeto funcional!

Jefferson Ferreira

Balança comercial argentina tem déficit de US$ 114 milhões em outubro. … Em outubro, as exportações para o Brasil alcançaram US$ 789 milhões, enquanto as importações de bens brasileiros somaram US$ 1,026 bilhões, com um déficit de US$ 237 milhões para os argentinos.

Busque sempre cal e cimento…

karl Bonfim

Falou tudo!!!
Se acham civilizados e nós selvagens.
SELVA!!!!!!!!!

Antonio Palhares

Eu acho a Argentina um país maravilhoso que tem tudo para dar certo.
Todas vezes que estive lá encontrei muita simpatia e respeito com o nosso país.
Estão sendo jogados nos braços dos chineses. E não lhes resta opções para compra de equipamentos militares fora dos Russos e Chineses.
Muitos deles conhecem e gostam do Brasil.

Jadson S. Cabral

O Guarani não tem componente britânico não. Se tiver é coisa que pode ser substituída facilmente por outro fornecedor (e eu duvido que o Reino Unido fosse implicar nesse caso). Vê o que se fala na Argentina sobre o Guarani. Vamos ver se eles vão o escolher. É óbvio que é o melhor pra eles, mas vamos ver se será essa a escolha.

Vovozao

28/12/2021 – terça-feira – btarde, J.Fernando, este assunto, volta e meia vem a tona, a Argentina, caso…. veja so… caso, algum dia venha comprar, tentara comprar de uma nação europeia, e, nunca do Brasil, ja que sempre irão pensar…. os ingleses irão boicotar essa venda.

parabellum

O boicote do RU sempre será um obstáculo. Sem chances de construir ou adquirir, mesmo um guppy meia boca, vide o caso dos assentos ejetores Martin Baker que impedem os Super Étandart de voar. Uma saída seria um acordo com o Brasil ou Chile (uma hipótese mais provável agora, vai entender…..) para que a missão de patrulhamento seja estendida até a costa argentina utilizando-se dos meios destas nações.

Jadson S. Cabral

Faz assim, a Argentina nos pagar pra patrulhar as aguas deles e com isso viabiliza a construção de mais 2 Scorpenes

João Carlos

Os assentos ejetáveis Martin Baker não são embargados pelo RU, essa conversa é de site desinformativo, os Super Etandart não voam por outros motivos … outros motivos verdes … Ou melhor, falta de verdes.

Miguel Felicio

Essa de vender os nossos usados, é a meu ver (um leigo), um verdadeiro tiro no pé. Temos cinco, mas desses quantos em operação, estão chegando mais 4, penso que precisávamos de pelo menos 12 (pelo menos), então será descobrir um santo para cobrir outro……..FALTA DE VERBA para manter a frota atual???? e o número de contingente não é exagerado e o número de almirantes, não é exagerado?……..é o que penso..

Jadson S. Cabral

Pra mim o mais lógico seria vender os que já operamos para construir um lote de mais 4 Riachuelos e padronizar a a frota

Willber Rodrigues

Contanto que eles paguem adiantado e que o PMG seja feito aqui…

Hellen

Os argentinos vao comprar direto dos franceses e fabricados na frança por ser mais baratos e tambem com financiamento imbativel do governo frances que exigira construcao totalmente em solo frances !!!!
Esse papo que podemos fabricar e vender submarino é conversa mole !!!

Atirador 33

“Conversa mole” ainda complemento: joga os valores dos equipamentos nas alturas, e nem me refiro aos subs, me refiro aos H 225, que pagamos fortunas e nunca vendemos para lugar nenhum.

Jadson S. Cabral

Mais provável que não vão comprar é nada

Max

Financiamento, eis a questão!

Tomcat4,2

Pagando bem, que mal tem né!!!rs

André Fagu

Vão encomendar um submarino pra ser construído no estrangeiro mas não terão dinheiro para pagar graças a eterna crise econômica na Argentina, e no final das contas o sub vai pra venda de oportunidade sendo adquirido por algum país que já opere os meios da Naval Group.

Robsonmkt

Eles poderiam comprar nossos IKL classe Tupi. Seria mais rápido e mais barato. Mesmo que a intenção de comprar um submarino novo seja pra valer, poderia até ser uma forma de se reequipar rapidamente enquanto o tal submarino não fica pronto. Mas, em se tratando de Argentina, é bom não criar muitas expectativas. De lá vem mais anúncios de intenções de compra do que de assinaturas de contratos.

Elias

Com a Argentina fiquemos apenas com acordos comerciais nada militar .. apenas uma questão de várias situações é que foram um dos que votaram contra o Brasil no conselho de segurança… sem falar no tiro contra uma fragata Brasileira ( sem querer segundo eles)…

Willber Rodrigues

Se o processo de compra de submarinos deles for tão longo qunto a compra de caças, que até hoje eles não decidiram qual será, então isso vai se arrastar por décadas…

Pedro Fullback

Rimos que os argentinos ” Estudam” enquanto eles riem que 90% do nosso orçamento é para pagar salários, privilégios e pensões.

Willber Rodrigues

E mesmo com 90% indo pra folha de pagamento, ainda assim estamos recebendo submarinos e caças novos, ao contrário deles…

Rafael

Pedrinho, menos, bem menos.

Os argentinos não estão rindo de nada. A única alegria foi a Copa América. Sua admiração pelos portenhos impede de estudar a situação deles. Militar lá é mal quisto pela classe política e não goza de apoio popular amplo. Ou seja o orçamento é minguado. E o que militar faz com orçamento baixo? Paga salário. E só!

Teve ano que chegou a 95% de gastos com pessoal. Só sobrou infantaria em qualquer uma das Armas.

sagaz

Você acha que lá eles gastam pouco com o setor público? Lá é pior!

Welington S.

Vai nessa, vai.

Tomcat4,2

Desce dai Zé, senão vc vai cair, machucar e dar trabalho pro SAMU !!!
Tio Caiafa

Carlos Campos

e mesmo com 10 por cento para gastar, ainda compramos, então nossa risada é mais gostosa kkkkkkkk

João Adaime

Infelizmente nosso presidente não mantém boas relações com o presidente de lá. Apoiou o Macri contra o Fernández, não o parabenizou pela vitória e nem foi na sua posse.
Logo, fica difícil um acordo entre países. Só se a negociação envolver somente as forças armadas dos dois lados.
O meu medo é que caso as pesquisas eleitorais se confirmem, o Brasil acabe doando um ou mais subs. Seria uma ação entre “cumpanheros”;

Érico

vc por um acaso “doa” sua esposa pra algum amigo solteiro? Faça-me um favor

João Adaime

Me respeite seu moleque.
Me referi à possibilidade do futuro presidente, atualmente líder nas pesquisas, a doar subs assim como doou uma refinaria pra um outro país. Fora empréstimos que fez na AL e na África que não estão sendo pagos. Fui claro?

Welington S.

Ele é líder só na sua cabeça, hahahaha.

João Adaime

Caro Welington
Estou me baseando nas pesquisas dos diversos institutos. O fato de não gostar dele e do seu partido, não impede de reconhecer a situação atual. E temer pelo futuro do País caso ele ganhe mesmo.
Abraço

Welington S.

Você está se baseando da mesma forma, creio eu, nas pesquisas de 2018, ao qual, colocava um certo político muito á frente do atual presidente, e no final, vimos que as pesquisas, estavam erradíssimas.

João Adaime

Caro Welington Não possuo informações que me permitam contestar as atuais pesquisas. E nunca devemos esquecer os ensinamentos de Sun Tzu, de estar sempre bem informado sobre o inimigo e nunca subestimá-lo. Se depois as urnas mostrarem outra coisa, daí a gente analisa a nova situação. Ou melhor, é bom já ter um plano B. Abraço PS: E quanto ao certo político, na verdade ele acabou tendo de sair por que foi condenado em segunda instância em dois processos e virou ficha suja. Se tivesse ficado ganharia? Isto nunca mais saberemos, porque aquela eleição já passou e hoje a realidade… Read more »

Last edited 7 meses atrás by João Adaime
LUCIANO DO PRADO

Em 2018 Bolsonaro era uma “novidade”, em 2022 não será. Será uma das, se não a pior eleição da história do Brasil, com dois péssimos políticos tendo a preferência da maioria da população. Independente de quem ganhe, será ruim para o país.

Cesar

O problema aqui é o acesso de indivíduos sem preparo para debates ou exposição de ideias, que nao conseguem esconder a educação que trouxe de casa.

João Adaime

Caro Cesar
Realmente, é um problema que já vem de berço.
Por isso temos de perdoá-los porque eles não sabem o que fazem.
Abraço

Welington S.

Ah, claro, claro. No governo Lula e Dilma, tínhamos boas relações, né. Tanto que os argentinos votaram contra o Brasil no conselho de segurança e votam contra até hoje. Acordo com a Argentina é muito mais comercial do que militar. Anos e anos atrás, qual foi o blindado brasileiro que esteve lá passeando? E o blindado recentemente? Passou disso? Não! Pode ter certeza, vontade política brasileira de vender equipamentos militares aos argentinos, não falta. O problema é o visível preconceito que eles possuem de nós. Então, pouco importa se o presidente ”A” ou ”B” parabenizou ou não tal presidente.

João Adaime

Prezado Welington Nos últimos tempos as relações foram mais pessoais por afinidade ideológica do que relações de estado. Assim como os antagonismos também. Se já está difícil sendo “amigos”, imagina com o nosso presidente fazendo questão de antagonizar com eles. E nisto ele é craque. Mesmo assim a Argentina é nosso 4a. maior parceiro comercial, atrás apenas de China, União Européia e Estados Unidos. Mas numa coisa eu concordo. Eles não aceitam que o Brasil seja líder na América do Sul. Até devem estar numa dor de cotovelo enorme porque tanto a Sul-americana quanto a Libertadores foram decididas por quatro… Read more »

Carlos Campos

O presidente de Lá, se pronunciou contra nossa justiça no passado e contra o atual presidente, então se doa pelo Bolso de Nabo também

João Adaime

Prezado Carlos Eu não me doí pelo presidente deles. Só achei que não se trata freguês com grosseria. São nosso quarto maior mercado externo. Não é pouca coisa. Quanto a este elemento que você citou de uma forma cômica, ele não se mostrou à altura do cargo. Enquanto o mundo inteiro procurava usar máscara, vacinar, manter distanciamento social, usar álcool, ele fez exatamente o contrário. Podemos creditar a ele pelo menos metade dos mais de 600 mil mortos no Brasil por isso. E ele continua pisoteando sobre o túmulo das vítimas, debochando, fazendo motociatas (estas já custaram quase 5 milhões… Read more »

Carlos Campos

e mais esquece esse negócio de vender algo para os Argentinos, eles queriam blindado dos EUA mas não o Guarini, mas a água bateu na bunda e vieram aqui, mesmo assim até agora nada.

João Adaime

Prezado Carlos
Não defendo e nem condeno o comércio de defesa com a Argentina, até porque é nosso quarto mercado externo. Quem vive do comércio sabe que um cliente assim deve ser tratado com deferência, mesmo ele sendo chato.
O que tentei expor foram diversos cenários nas relações entre os dois povos. E quer a gente queira, quer não, os dois são as lideranças do Continente. Mais econômica do que política. São os dois maiores PIB, disparados em relação aos outros.
O dia que tivermos dois estadistas na presidência de ambos os países, ninguém segura a América do Sul.
Abraço

Jean Jardino

Se a America do Sul fosse organizada, competente e inteligente, faria como europeus, poderiam se ajudar e desenvolver uma industria belica, desenvolverem projetos em conjunto, enquanto tiverem um pesamento tacanho, se julgando um melhor do que outro, a America do Sul continuara sendo essa pobreza que eh.

João Adaime

Caro Jean Você está correto. O problema é que aqui na América do Sul os países não possuem projetos de estado, apenas de governo (muda assim que muda o governo). E quando tentaram se organizar como na criação da Unasul – União das Nações Sul-americanas, os objetivos foram desvirtuados e se voltaram para a perpetuação no poder dos dirigentes da época, assim como na tentativa de impor sua ideologia política entre todos os países. Posteriormente a maioria dos 12 membros foi abandonando o bloco. Surgiu até uma oposição à Unasul, o Prosul – Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da… Read more »

fewoz

Assino embaixo, João. Um comentário realista e pragmático. Não se esquecer do satélite SABIA-Mar.

João Adaime

Caro fewoz
No caso do satélite, foi o Brasil quem caiu fora do projeto, por falta de recursos.
Esqueci também do Reator Multipropósito Brasileiro, parceria entre Brasil e Argentina que, ao que tudo indica, está andando.
Abraço e vida longa e próspera.

Tomcat4,2

Irretocável João , e Jean , esta foi uma das poucas vezes, se não for a primeira que concordo contigo(tbm desta vez vc não comentou com o fígado) !!!

João Adaime

Obrigado Tomcat4,2
E veja a confirmação de que só temos política de governo. O presidente eleito do Chile anunciou que é contra o Mercosul e defende a volta da Unasul. E seus seguidores, mesmo sem ele ter sido empossado, já invadiram um prédio de uma empresa e deram três dias para eles desocuparem o local, onde vão instalar alguns movimentos ligados ao seu grupo político. O líder deles afirmou que “acabou a propriedade privada no Chile”.
Mesmo que seja só bravata, deixa o empresariado com os dois pés atrás.
Abraço

Welington S.

Digo e repito: ”Fazer projeto com pobre é mendigar pra dois.” Seria interessante? Óbvio que sim, mas, isso não dá certo!

Last edited 7 meses atrás by Welington S.
Jorge Augusto

Quantas vezes nós já lemos isso? Acho que todo ano sai uma matéria assim.

Gabriel BR

Eu só acredito vendo

Reinaldo Deprera

Eles tem que amarrar a compra desse submarino ao treinador que eles estão criando.
A indústria aeronáutica argentina nunca teve escala mas criou produtos originais e com ótima performance. Acho que faltou pensar mais no mercado e não só na FA.

Se eu fosse o governo argentino compraria os 209 brasileiros sob a condição do Brasil comprar o treinador deles. Em contrapartida, se eu fosse governo brasileiro não aceitaria, a menos que eles concretizassem suas compras de KC-390 Millenium para substituir os Hércules.
…e assim caminharia a humanidade.

Save Ferris!

Willber Rodrigues

“(…) mas criou produtos originais e com ótima performance.”
Tipo…?

Reinaldo Deprera

Pampa III e Pucará

Willber Rodrigues

Na época deles, talvez fossem bons produtos. Mas hoje, o que não falta no mercado são treinadores ou turbohélices com performance infinitamente melhores.
Se eles mal e mal foram adquiridos pelo próprio país fabricante, porque outros países os comprariam?

Reinaldo Deprera

1. Os dois são aviões de ataque que tem o treinamento como função **secundária**. Não cabe compará-los com treinadores 2. O Pampa lll é a versão modernizada do Pampa. Com nova motorização e avionica 3. É difícil encontrar aeronave subsônica que voe tão fácil como o Pampa a altitudes extremamente baixas. Ao menos é essa a sensação que tenho com o que já vi de voos de outras aeronaves e com base no desenho do Pampa que é muito original e equilibrado 4. O AMX é muito mais resistente e possui maior autonomia de combate, mas deve possuir custo operacional… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Reinaldo Deprera
Flanker

1. O Pampa é um treinador com função secundária de ataque leve, COIN. O Pucará é um avião de ataque leve e COIN e não é usado para treinamento.

2. O Pampa, em qualquer versão, é exatamente isso, um treinador com capacidade secundária de combate.

3. Sua impressão e opinião, e respeito. Mas, as características que você colocou são condicionantes e essenciais para um treinador, portanto ele deve possuí-las mesmo, visto ser……um treinador!

4. Nunca coloque numa mesma frase AMX e Pampa. O avião ítalo-brasileiro está várias prateleiras acima!

Reinaldo Deprera

Não vou questionar se o projeto da aeronave é primariamente o treinamento ou o COIN. Vale lembrar que o Pampa é uma derivação do Alpha-jet que, na minha opinião, ficou melhor monomotor.

Citei o AMX justamente para situar o Pampa no COIN e não em interdição.

Mario

Meu deus!!!!!!

Mario

Kkkkkk

Fernando Martins

Save Ferris!

Flanker

O que o Brasil faria com os treinadores Pampa da Argentina?? Temos o A-29.

Reinaldo Deprera

Nada.
Em nenhum momento sugeri o Pampa para o Brasil. Apenas respondia à pergunta sobre os bons produtos que a argentina já criou.

Antes sim, falava da aquisição por parte do Brasil do treinador que eles estão fazendo, que **não é o Pampa**, é o treinador básico Malvina.

Willber Rodrigues

A idéia seria boa, se fosse no começo dos anos 90.
Mas hoje, em matéria de aviação, não há nada que a Argentina faça, que a Embraer não consiga fazer 10X melhor.

Gilson

Tem um site Argentino, e eu leio: zona militar.com, este site não divulga praticamente nada do Brasil, e quando divulga ex: até agora eles não falaram nada da entrega dos Gripen e muito menos do teste do 14X. Lendo a reportagem do submarino, cara eles não tem nada pela frente a ser construído, só se limitam a ficar fazendo reuniões com os comandantes militares e só promessas. Se apenas um submarino não pode ser reformado ou construído na Argentina, eles querem o que então?

Leonardo M.

Acompanho esse site e quase tudo da nossas forças armadas sai por lá também
Acho que vc está com miopia

https://www.zona-militar.com/2021/12/28/la-fuerza-aerea-brasilena-avanza-con-el-desarrollo-e-integracion-de-su-sistema-data-link-de-fabricacion-nacional/

https://www.zona-militar.com/2021/12/21/brasil-completa-la-primera-prueba-de-vuelo-del-motor-hipersonico-14-x/

Só nao coloco mais por preguiça mesmo
Mas essa é o que não te falta também kkkkkk

Cesar

Sem termos agressivos, mais troca de informações, afinal, ninguém é dono da verdade. Isso é cultura. Certo?

Gilson

Valeu Leonardo M, agradeço pela miopia KKK, mas eu acho que esse site Argentino, tem um certo recauki do Brasil e dos nossos projetos militares.

Welington S.

Eu acompanho as notícias lá também e sai sim. É que a tag do Brasil, lá no site deles, está desatualizada. Então, as notícias que saem do Brasil, ficam espalhadas pelo site deles.

Mario

Uma das maiores cagadas da Argentina, fui declarar Guerra a Hitler, apenas um mês antes do término da Guerra, foi quando notaram que a Alemanha havia sido derrotada!! Orgulhosamente, o Brasil desempenhou um papel importante na Segunda Guerra Mundial Argentina se considera muito especial e não tolera essa mistura africana europeia e indígena que tem o Brasil! Com isso, e sendo pobres, mais irresponsabilidade que causaram nas Malvinas, em terem atacado sem se utilizarem da diplomacia. Cagada mesmo concluída agora, em elegerem esses dois irresponsáveis, Fernandes e bruxa Kirchner. Pela babaquice cometida nas Malvinas, não podem comprar absolutamente nada relacionado… Read more »

Leonardo Rodrigues

A Argentina, assim como o Brasil teve uma ligação forte com a Alemanha, principalmente por causa do movimento fascista. O que não podemos esquecer ao falar da Argentina é que se temos o Nordeste hj é justamente por Getúlio Vargas ter sido forçado a aceitar assinar com os EUA. Os navios Americanos já estavam preparados para a invasão caso o Brasil não declarasse guerra ao eixo.
Esse momento o nordeste falaria inglês.
Quanto as Malvinas, foi uma decisão errada, uma tentativa frustrada dos militares de se manter no poder. As Malvinas foram uma desculpa que não deu certo.
Simples assim!

Antonio Palhares

Gilson.
Eu vejo este site tambem.
A maioria das coisas relevantes das nossas forças aprecem lá.
Feliz ano novo.

sub urbano

Ta igual a classe média brasileira. Olha a vitrine, perambula pela loja mas não compra nada… e ainda leva as amostras grátis kkk

Satyricon

Leio com muita reserva essas matérias porque a economia Argentina vai de muito mal à pior. Nada impede a aquisição de algum equipamento militar, vide os T6 no Macri e, recentemente, os NPaOc. Mas já se fala de uma nova derrocada do Peso, que levará a um default. Acredito que o problema não seja vender aos hermanos, mas sim receber deles. A continuarem nessa toada, em breve se tornarão outra Cuba, com crédito Zero no mercado internacional. Cuba hj só compra com pagamento adiantado (mas alegam que o problema é o embargo. Não é). Mais estranho ainda é que existem… Read more »

Eduardo

Esse casco bem avançado é o que eles tem de mais barato e palpável em relação a ter um sub. Não tem nenhum outro encostado esperando PMG?

glasquis 7

Pessoal, hoje na América de língua hispânica, é o dia dos inocentes, algo assim como o dia 1 de Abril aqui no Brasil.

Esteves

E como mentem…

Esteves

Pois é. História velha.

A Invap está colaborando no RMB. Alguma coisa aprendemos com os IKL e com os Scorpenes. Vamos construir o submarino convencional movido à energia nuclear…melhor mudar para submarino convencional movido por motor nuclear…nunca se sabe quem está lendo…com auxílio dos franceses. Os mesmos franceses bypassed pelos ingleses no AUKUS.

Deve haver cláusula nos contratos com os franceses impedindo-nos de transferir o que aprendemos. Principalmente transferir para os argentinos. Extremamente proibido.

Mas…história velha que poderia ser usada por velhacos dispostos a construírem um submarino nuclear autóctone latino americano.

Clandestino. Por que não?

Diogo de Araujo

O pessoal lá deve ser muito inteligente, vive estudando

Esteves

Lá estudando, aqui em reunião.

Impressionante.

Nemo

A Alemanha e a Noruega estão planejando um type 212CD por U$ 1 Bilhão por vaso. A Argentina buscando um type 214 ou scorpene padrão não vai escapar de um valor bem maior que U$ 500 Milhões. Conversa de Argentino.

Flanker

“…um submarino de defesa para dar um sinal não só aos militares argentinos…”

“A Argentina tem uma boa frota de navios-patrulha, mas é sempre bom para os países saberem que temos um submarino que também pode patrulhar o Atlântico Sul e que não pode ser visto”, disse um amigo próximo do ministro Taiana.

Esses dois trechos do texto mostram bem como é a ideia comum dos argentinos acerca de suas Forças Armadas.

Esteves

Pois é.

“Frota de navios-patrulha” e 1 submarino no futuro.

Impressionante.

Nilo

Ei Esteves, 2022 com muita grana e paz.Vcs parem de fazer “Bullying”
com os argentinos.
Sempre estamos querendo deles que sejam nossos parceiros e amigos por que são vizinhos ou somos maiores, nossa, santa inocência.
Quando Lula voltar dará a eles o submarino Tupy de graça.
Os caras estão gato escoldado com seus militares.
Com toda dificuldade olhem a presença dos caras na Antartica, compara com a nossa.

Last edited 7 meses atrás by Nilo
Esteves

Fala Nilo, Tava lendo os escritos de vocês lá no Aéreo. Fui pesquisar manutenções de aeronaves pra tentar acompanhar o raciocínio do Bosco sobre Brigadeiros caberem no cockpit e ao mesmo tempo falarem coisas de um único sentido… Esteves nunca conheceu argentino. Finado papai dizia que jogavam mais e que passamos a vencê-los após botarmos o pau na mesa ou o Pelé apareceu e o jogo virou. Esteves andou com uruguaios. Quero dizer…não andou muito perto. Uruguaios, um povo modesto. Encrenqueiros…mas modestos. Sobre argentinos eu retiraria o modesto se fosse opinar. Tá uma disputa na pequena família da mulher do… Read more »

Esteves

Pra você também. Os meninos levaram o comentário…

Nilo

Sim Esteves.
Renovo, meu votos de 2022 da proteção Divina, principalmentes aos Editores, na frente desta batalha diária, a Você, Camargoer, Bosco, Carvallho2008, Kings, Ten. Morphe, Bardini……Todos.

Esteves

Bacana.

Welington S.

Cara, sério, não adianta. Eles não vão esquecer a maldita Ilha, não vão. Perderam e vão continuar sonhando em ter a Ilha pra eles. Seria muito mais fácil, sentar com os britânicos, e resolver todos os problemas de uma só vez, na paz, entende? Pô, vamos resolver isso. Estamos precisando de equipamentos militares, estamos precisando colocar os SE pra voar, etc., etc. e mais etc.. Vamos resolver de uma vez por todas. Eles pensam dessa forma? Claro que não. Vamos continuar pirraçando e mandando mensagens subliminares. Você vai em canais que divulga o militarismo argentino, olha os comentários e você… Read more »

Esteves

Os britânicos não tem nada a resolver sobre isso. No mundo, é um assunto pacificado. E enterrado.

Povos da fogueira, povos que se reúnem em torno da figueira…precisam ouvir histórias e histórias desafiadoras acima da capacidade própria para servir de desafio, estímulo, desejo, motivo e esperança.

Se não tem história pra contar e o que há pela frente é a dura realidade, perdem-se. São assim os povos nômades que não constituíram nação nem noção.

Deveriam enfrentar os problemas que existem evitando criar outros além da imaginação. Ou é isso ou é desafiar a ZEE dos chilenos.

Welington S.

De fato, você tem razão. Para os britânicos, velho, isso já acabou anos e anos atrás. O maior problema, é a mentalidade argentina. É a droga que aquela Ilha causou na mentalidade argentina. Ao invés de partir deles, dos argentinos, de sentar e resolver essa situação de uma vez por todas, não, vamos continuar pirraçando. Aí, obrigatoriamente e com total razão, os britânicos, vão continuar dando tabefes neles e impedi-los o máximo.

Eduardo

Se tu viajares pela argentina verás placas aos montes por lá:

Las Malvinas son Argentinas.

Que piada…

Welington S.

É sério isso? Meu Deus do céu…

Não, imagine o brasileiro, com placas dizendo que a Cisplatina é nossa, em pleno século 21, hahahahah. Seria engraçado! Isso mostra que a mentalidade argentina ainda está no período conturbado da maldita Ilha. Pelo visto, isso perdurará de gerações e gerações. Serão os eternos europeus do barco afundado, simples.

Marcelo R

O grande DRAGAO VERMELHO…desta vez vai querer fazer negocio com a Argentina…..

Vende um dos seus 58 submarinos….
Claro que um dos mais antigos….né…

Em troca de poder pescar tudo que se mova nas águas da Argentina….

sem que seja INCOMODADA…

Mais um negócio da China!!!!

Reinaldo Deprera

Perfeito.

Jagdverband#44

Estão quebrados.

Kemen

A Argentina não vai comprar nada. Muito bla bla bla e não compram nada! E os supersônicos… a mesma coisa, apesar de estarem a cinco anos falando que vão comprar, até agora não compraram nada além dos 5 SUE que não podem voar por um problema no sistema de ejeção do piloto e cujo fabricante é do Reino Unido. Delegações para cá, delegações para lá, e sempre arranjam um problema para não comprar, vai ver que gostam mesmo é de viajar.

Dalton

O texto informa que a Colombia teria 2 submarinos, mas, além dos 2 antigos “209” alguns anos atrás foram adquiridos 4 antigos “206” sendo 2 deles para serem usados como
fonte de peças então, o correto deveria ser 4, em que pese os 2 “209” já estarem com mais de 45 anos de idade !
.
A marinha peruana também deverá aposentar em 2023, seus 2 submarinos “209” 1100, que
também já completaram mais de 45 anos.

carvalho2008

desejável porém, improvável…

A unica maneira de reativar sua forsub seria pegar um de 2a mão e disponível….

Os unicos disponíveis são os brasileiros….mas que desceria com um amargor na garganta dos decisores políticos de lá…..

Nao existem outros no mundo…quem tem, está com forte expectativa de usa-los….sobram apenas os brasileiros

Nilo

Mestre, cansam.
Tem um ditado, que dizemos nesta hora.
Vão lamber saber.

Ivan herrera

Falando sobre subs, alguma notícia sobre o tikuna?

Esteves

Esteves pensou,

Vou assinar. Assinando, virando assinante…deixam de bloquear o Esteves. Somando Esteves + ex presidente, Esteves mais nomes próprios, Esteves + sistemas, Esteves mais o caralho…vêm retenção, censura e sabe o diabo quando o comentário será publicado. Se assinar, vai que não censuram.

Besta esse Esteves.

Aos editores, ao paciente Bosco, ao visionário Carvalho, aos resilientes Control, Carcará, Nilo e tantos outros que a memória do Esteves não trás à tona…opa, ao imortal Dalton, obrigado. O tablete do Esteves tem bastante leitura recomendada.

2022 com bastante prosperidade…bastante mesmo para todos.

Carlos Campos

A Argentina tem que esquecer das suas forças armadas por enquanto, não dá para fazer nada, tem que só manter a Marinha mesmo e acabou, depois reconstrói o exército, faz as pazes com os Chilenos é essencial, assim tratariam de pagar a dívida do país estabilizar o peso e gerar empregos;

Haroldo A Fiocco

Toc, toc, toc… Quem ehhhh,
Ehh o Brasil….
O que vocês querem??

Podemos construir estes submarinos.

Esteves

Podemos construir submarinos franceses Scorpenes. E um submarino convencional nuclear movido por motor nuclear…que ainda demora.

Jadson S. Cabral

A Argentina estuda compra de tudo e não compra nada. É impressionate. Conseguem ser muito, mas muito piores que o Brasil. Coitados dos hermanos

Adriano Madureira

Não conseguem nem terminar a construção dos que já tem… Se anos atrás as crises econômicas e o dolar atrapalharam a finalização,oque dirá com o dolar alto.

comment image

Kemen

Isso ai não tem recuperação, é só casco velho vazio.

Rommel Santos

Só para recuperar o que a corrosão já danificou o custo é maior do que fabricar tudo de novo.

Rommel Santos

O menos difícil é acabar a fabricação dos cascos.
O mais importante e dificílimo é o conteudo (sistemas de armas, comunicações, instalações militares agregadas em terra, etc. etc. etc.); mal comparando é achar que a garrafa de vidro é mais importante que uma champagne SALTON ou um uisque ROYAL LABLE (nem estamos falando das bebidas mais top…).
Eles, Tandenor e Invap sabem perfeitamente disso tudo…

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Estônia e Finlândia integrarão sistemas de mísseis antinavio costeiros

A Finlândia e a Estônia integrarão sua defesa antinavio costeira, o que permitirá aos países fechar o Golfo da...
Parceiro

- Advertisement -