quinta-feira, junho 30, 2022

Saab Naval

Primeira corveta da Marinha Real Saudita batizada na Navantia

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Navantia entregou no dia 31 de março à Marinha Real Saudita a primeira das cinco corvetas construídas nos seus estaleiros na Baía de Cádiz, numa cerimônia realizada nas instalações da Base Naval de La Carraca, em San Fernando.

A cerimônia de entrega do casco 546, denominado Al-Jubail, contou com a presença do comandante da Marinha Saudita, vice-almirante Fahad Bin Abdullah Al-Ghofaily; o Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada (AJEMA), Antonio Martorell Lacave; a Secretária de Estado do Comércio, Xiana Méndez; o Secretário Geral da Indústria e PMEs, Raül Blanco e o CEO da SAMI, Walid Abukhaled; além do presidente da Navantia, Ricardo Domínguez; o delegado do Governo na Andaluzia, Pedro Fernández Peñalver e o subdelegado do Governo em Cádis, José Antonio Pacheco.

A corveta Al-Jubail foi entregue à Marinha Saudita três anos depois de cortar sua primeira chapa (janeiro de 2019) e depois de ter passado com sucesso nos testes de mar realizados nas águas da Baía de Cádiz nos últimos meses. Neles, foi verificado o bom funcionamento tanto da plataforma quanto dos diferentes sistemas, com o objetivo de demonstrar o cumprimento dos requisitos especificados no contrato do navio.

O ato foi realizado de acordo com o protocolo militar. A Comissão de Inspeção Conjunta (formada por membros da Marinha Real Saudita e Navantia) embarcou na corveta para realizar a revista obrigatória. No final, a bandeira do navio foi hasteada, após o que a Marinha Saudita transferiu o comando da corveta para o comandante da Al-Jubail. O presidente da Navantia deu ao vice-almirante Al-Ghofaily o sino do navio como um presente institucional.

Na cerimônia, o Secretário de Estado do Comércio salientou que “o Ministério da Indústria, Comércio e Turismo apoia a indústria naval espanhola através de diversos instrumentos como as ações de promoção levadas a cabo pela ICEX, agência espanhola de promoção comercial; e os instrumentos financeiros” que administra.

“Além disso, conforme anunciado pelo Presidente do Governo na segunda-feira, Espanha vai cumprir o seu objetivo de destinar 2% do PIB à defesa, contribuindo assim para a segurança europeia e atlântica, ao mesmo tempo que reforça a segurança do nosso país”, acrescentou Xiana Méndez.

O presidente da Navantia, Ricardo Domínguez, declarou seu orgulho pelo “grande trabalho realizado pelo estaleiro, a cooperação recebida de todos os empreiteiros e fornecedores e a colaboração dos funcionários dedicados ao programa tanto em San Fernando quanto na Arábia Saudita ”. Além disso, transferiu seu reconhecimento aos funcionários da Navantia e da indústria colaboradora por sua “tenacidade e esforço”, o que lhes permitiu cumprir a missão “com os prazos estabelecidos, apesar dos muitos desafios”.

“Não tenho dúvidas de que este navio vai ser uma referência internacional na sua classe e um claro exemplo de produto de ponta”, disse, para além de sublinhar o seu agradecimento ao Ministério da Indústria, Comércio e Turismo pela sua apoio do programa.

O vice-almirante Al-Ghofaily, por sua vez, enfatizou que este programa ambicioso destaca as relações estratégicas sólidas e duradouras entre os dois países e elogiou o compromisso da Navantia de entregar uma corveta de última geração no prazo. A fragata AL-JUBAIL, ele apontou, é o combatente de superfície tecnologicamente mais avançado a se juntar à Marinha Real Saudita.

Em seu discurso, o secretário-geral da Indústria e PMEs expressou a importância de fortalecer a indústria naval e de defesa espanhola em um ambiente global incerto e de trabalhar em alianças sólidas com países aliados, como mostra hoje a entrega da corveta.

O CEO da SAMI assegurou que “este é um momento de orgulho para a indústria de defesa saudita e para a SAMI, e demonstra nosso sucesso em colaborar com os principais fornecedores globais para servir as forças armadas da Arábia Saudita. Estamos confiantes de que o HMS AL-JUBAIL será uma adição importante à capacidade de defesa do Reino.”

“Em nome da SAMI, expresso nossos sinceros agradecimentos aos sábios líderes do Reino por nos guiar e apoiar constantemente. Também agradecemos especialmente às Forças Navais Reais da Arábia Saudita por sua confiança em nós. A SAMINavantia continua a apoiar nossos esforços para construir um setor de defesa sustentável no Reino, incluindo o desenvolvimento do primeiro sistema de combate naval saudita, HAZEM, facilitando a localização da defesa por meio da transferência de tecnologia e estimulando o talento nacional por meio de treinamento no trabalho.

FONTE: SeaWaves Magazine

- Advertisement -

19 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Reinaldo Deprera

Visigodo construindo barquinho e Sarraceno comprando 😡

Esteves

Putin diria que fazem parte do Império.

5C2D6BC9-1698-4913-9E95-9EA23E423E76.jpeg
Reinaldo Deprera

É verdade! 😆

Pronoia

Não acho, talvez os bascos tenham alguma relação. Eles sairam dali, mas não ficaram, emigraram pela europa toda.

Last edited 2 meses atrás by Pronoia
Pronoia

Se são visigodos, suevos, bascos, celtas ou iberos não sei ao certo, mas a grande maioria é geneticamente R1b DF27

Burgos

“A corveta Al-Jubail foi entregue à Marinha Saudita três anos depois de cortar sua primeira chapa (janeiro de 2019) e depois de ter passado com sucesso nos testes de mar realizados nas águas da Baía de Cádiz nos últimos meses.”
É isso que eu chamo de trabalho sério.
Parabéns a todos envolvidos 💪👍⚓️

Joelisson

Em termos de armamentos , a Tamandaré é navio patrulha perto dessa

Marujo

Quais armamentos?

737-800RJ

Fui procurar no Google e pior que é verdade!
Muito bem armada pra um navio com deslocamento de apenas 2.400 toneladas!

Henrique

no lugar de operação que ela trabalha tem que ser memo.

Jefferson Ferreira

ou se está preparado para o pior ou não… simples assim… Hoje um lugar pacífico amanhã pode não ser… e for se planejar no amanhã já era… vide ucrania…

Faver

Tem razão. Mais armada e é uma corveta… Será que as Tamandarés são meio desdentadas? É o que vamos ter.

Pronoia

Sempre me pareceu que as Tamandare são corvetas de ultima geração, tal como essa ai do tema que tem uma tonelagem um pouco menor. A capacidade de armamento vem a ser quase equivalente em missões, os misseis são diferentes.
Alias, no inicio os oficiais da nossa Marinha se referiam a elas como corvetas.

Varg

Países ocidentais às 23:59h: “Não toleramos violações de direitos humanos de quaisquer espécies.”

Países ocidentais à 00h: “Vamos vender armas aos sauditas.”

André Macedo

Não é terrorismo e nem violação dos direitos humanos se for cometido pelos nossos, shhhh!!

Pronoia

E o jornalista que entrou na embaixada da AS na Turquia, deixou sua mulher na entrada e desapareceu, como ficou esse caso ?
Vergonhoso… e os masacres no Yemen que já mataram mais de 300.000 como a OTAN não se manifesta?
Temos 8 guerras e guerrilhas na Africa, mas pelo jeito isso não importa a OTAN nem a AUKUS. Mesmo depois de terem afirmado anos atras que a OTAN poderia atuar em outras áreas do mundo.
O que interesa são as ameaças ao poder dos imperios.

Willber Rodrigues

A AS é uma “ditadura do bem”, pois ela é uma grande cliente da indústria bélica norte-americana.
Aposto que a Russia e Irã tambem seriam “ditaduras do bem” se eles comprassem armamentos “made in USA”.

Robert Smith

Esse é o mundo no qual vivemos…. o que realmente vale, depois de toda a fumaça, são os “interesses …” o resto basicamente é “Fake News” tipo “faça o que eu digo, não faça o que eu faço… Eu posso fazer pq quando eu faço é pro bem geral da nação e do planeta,… se vc faz é do malz” …. 😐

Willber Rodrigues

“faça o que eu digo, não faça o que eu faço… Eu posso fazer pq quando eu faço é pro bem geral da nação e do planeta,… se vc faz é do malz” …. 😐”

Shhhh cara…fala baixo….os mickeyboys daqui ficam ofendidos por ler isso…

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios da Marinha serão abertos para visitação neste fim de semana em Vitória (ES)

Serão diversas embarcações e cerca de 1.700 militares atuando durante operação da Marinha do Brasil Quem tem vontade de conhecer...
- Advertisement -