segunda-feira, agosto 15, 2022

Saab Naval

Destróier da Marinha dos EUA lança com sucesso míssil SM-6 contra casco desativado da fragata USS Vandegrift

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

De acordo com informações publicadas pelo Departamento de Defesa dos EUA em 22 de junho de 2022, o destróier USS Benfold (DDG-65) da Marinha dos EUA lançou um Míssil Standard 6 (SM-6) durante os exercícios de ataques marítimos coordenados de vários domínios, eixos e longo alcance contra a fragata desativada USS Vandegrift como parte do Exercício Valiant Shield 22.

O RIM-174 Standard Extended Range Active Missile (ERAM), ou Standard Missile 6 (SM-6) é um míssil em produção atual para a Marinha dos Estados Unidos.

Ele foi projetado para fins de guerra antiaérea de alcance estendido (ER-AAW), fornecendo capacidade contra aeronaves de asa fixa e rotativa, veículos aéreos não tripulados, mísseis de cruzeiro antinavio em voo, tanto sobre o mar quanto terra, e defesa de mísseis balísticos terminais. Também pode ser usado como um míssil antinavio de alta velocidade.

As estimativas do alcance do SM-6 variam; seu alcance oficial publicado é de 130 milhas náuticas (240 km), mas pode ser de 200 milhas náuticas (370 km) a até 250 milhas náuticas (460 km).

O míssil SM-6 tem um comprimento de 6,6 m e um diâmetro de 0,5 m. Ele pesa 1.500 kg e carrega uma ogiva explosiva de fragmentação de 64 kg. O interceptor usa homing semi-ativo e ativo para obter um engajamento preciso dos alvos atribuídos.

SM-6

FONTE: Navy Recognition

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Burgos

Não tem nem um vídeo do impacto ?!🤷‍♂️

Alexandre Galante

Ainda não liberaram vídeo.

Burgos

Ok
Vamos aguardar então !!!

marcus mendes

O impacto foi impactante.

Burgos

Com certeza !!!

carcara_br

Deve ter sido um dia feliz pro Bosco, ele vinha falando deste sistema fazia tempo finalmente um supersônico antinavio. pergunta, qual o alcance e perfil de voo para se obter os 400km de alcance?

Bosco

Vc está mal informado. Esse míssil é utilizado contra navios em testes e exercícios há muito tempo.
O perfil de voo é semibalístico.

Pedro

Neste seara de equipamentos técnicos-militares Mestre Vovozôna merece totais aplausos e curtidas.

Dalton

Complementando o Bosco, já em 2016 a ex-USS Reuben James outra fragata da classe Perry já havia servido de alvo para o SM-6.
.
Tanto a “Reuben James” como a “Vandegrift” chegaram a ser disponibilizadas para venda
quando retiradas de serviço.

Mazzeo

USS Reuben James do “tempestade vermelha” do Tom Clancy.
No livro a sua parceira HMS Battleaxe (F89) que virou F49 Rademaker e está empurrando agua até hoje na MB.

Carlos Campos

Pra mim é o melhor míssil do mundo, pq com ele se pode atacar tanto navios quanto aviões, além de que pode voar até beirando a velocidade hipersônica, claro que como míssil naval o LRASM e o NSM são melhores na minha opinião.

carcara_br

Sei lá nos primeiros 50km que deve ser o alcance deste míssil voando em perfil baixo supersônico ele deve ser bem mais perigoso.

Bosco

Não é um míssil de cruzeiro. É um míssil semibalístico. Não voa baixo. Contra alvos na superfície funciona como o Iskander ou o ATACMS, com a diferença que tem dois estágios.
Atinge um pico de Mach 3.5 mas devido ao arrasto quando do mergulho deve chegar no alvo com velocidade em torno de Mach 2

Thiago A.

Bom dia Bosco,

Esse perfil junto com uma ogiva de apenas 64 kg não reduz a sua eficácia/letalidade contra meios de superficie ?

Mesmo o NSM que é relativamente pequeno possui uma ogiva de 150 kg , além de ser muito mais difícil de detectar

Bosco

Thiago,
Sem dúvida ele é mais fácil de ser detectado e interceptado e sua ogiva não é grande, mas dentro de alguns cenários ele pode fazer a diferença, principalmente num ataque combinado com outros mísseis.
Também ele resolve um problema que é a reduzida quantidade de mísseis antinavios levados por um navio já que se num hipotético conflito o navio gastar todos os mísseis dedicados ainda assim restaria alguma capacidade ofensiva.

Bosco

Carlos,
A lista de mísseis OTH com capacidade antinavio, dos EUA:
Lançados de navios;

  1. Harpoon
  2. NSM
  3. Tomahawk V
  4. SM-6

Lançados de submarinos:

  1. Harpoon
  2. Tomahawk V
  3. torpedo Mk-48

Lançados de terra:

  1. NSM
  2. Tomahawk V
  3. SM-6

Lançados de aeronaves:

  1. Harpoon
  2. SLAM-ER
  3. LRASM
  4. MALD
  5. HARM
  6. AARGM
  7. JSOW-C1
  8. Storm Breaker


A estes, num futuro próximo, irão se somar:

  1. AARGM-ER
  2. SM-6 Block IB
  3. PrSM Spiral 1.
Joe

Modo tonho kings (versão americana) ON: “Armamento espetacular, sem análogos na galáxia.”

Voltando ao mundo da sanidade, gostaria do Bosco aqui falando um pouco mais sobre a arma.

Last edited 1 mês atrás by Joe
Bosco

Joe,
Esse realmente parece ser a bala de prata da USN. Um único míssil pode ser efetivo contra:

  • aeronaves diversas
  • mísseis de cruzeiro subsônico
  • mísseis de cruzeiro supersônico
  • mísseis semibalísticos supersônicos
  • mísseis balísticos na fase terminal
  • mísseis hipersônicos
  • alvos navais utilizando o sistema inercial/GPS/radar ativo/data-link
  • alvos fixos em terra utilizando o inercial/GPS
  • alvos relocáveis em terra utilizando o inercial/GPS/data-link

Vale salientar que até 2024 estará em operação o SM-6 Block IB, que será hipersônico e deve ter um alcance contra alvos na superfície acima de 800 km.

Munhoz

Uma pergunta ??
Ele não é parecido com aquele missil chines que vc falou que não funciona ??
DF 26

Bosco

Munhoz, Não! Eu nunca disse que o DF-26 não funciona. Onde você viu isso. Se tiver o link pode postar. O DF-26 é um míssil balístico nuclear de alcance intermediário e é dito que tem capacidade convencional. Isso nunca foi confirmado. Você deve estar se referindo as mísseis DF-21D e DF-26D, que são tido como mísseis balísticos antinavios. Eu nunca disse que eles não funcionam. O que já disse é que eles têm uma kill chain capaz de ser bloqueada, que eles não são invulneráveis e tenho dúvidas acerca deles chegarem ao alvo em velocidade hipersônico ou se precisam reduzir… Read more »

Munhoz

Os Misseis chineses funcionam de uma maneira parecida, a diferença é que eles tem um alcance bem maior, então a questão é como os chineses poderiam atualizar os parametros para o engajamento, sendo alguns fatores como a velocidade, altitude e ambiente de guerra eletronica como os desafios, porém esses desafios podem ser contornados, o que eu quero dizer é que um dos desafios que seria antingir um alvo movel com um projetil balistico já não existe mais !

Bosco

O SM-6 é lançado e sobe até 35 km e voa durante este tempo todo atingindo uma velocidade após a queima de Mach 3.5, quando então perde velocidade e mergulha contra o alvo. Devido ao arrasto deve chegar ao alvo com velocidade menor que Mach 3. Ninguém duvida que isso funcione porque já é comum há 60 anos. Os AS-4 (Kh-22) que o digam. Diferente do DF-21D que tem um apogeu de uns 300 km numa trajetória balística e reentra na atmosfera com velocidade em torno de Mach 10 e perde alguma velocidade devido ao arrasto. Nessa velocidade e na… Read more »

sub urbano

Engraçado, Bosco, vc havia dito que o sistema Bastion k300 russo era uma gambiarra pois poderia ser usado tanto para alvos em terra como navais. Mas o SM6 é agora o melhor missil do mundo justamente por ser multifuncional… 2 pesos e 2 medidas kkk

Bosco

O Bastion é baseado em um míssil antinavio com capacidade secundária contra alvos em terra.
Não disse que era uma gambiarra e sim que o seu uso sinalizava que mísseis mais apropriados para atingir alvos em terra estavam rareando tendo em vista que os alvos em questão estavam bem dentro do alcance dos Iskander russos e o Oniks é um míssil muitíssimo mais caro e muito menos capaz de atuar contra alvos em terra.
Muito diferente de um sistema de mísseis instalados em navios onde a multifuncionalidade é interessante pela limitação de espaço num navio.

Bosco

Um Oniks ser utilizado a partir de um navio contra alvos em terra é plenamente compreensível. Mísseis Harpoon Block II são capazes de atingir alvos em terra com alta precisão e podem numa situação específica ser utilizado no modo LACM (míssil de cruzeiro contra alvos em terra) em vez de ASCM (míssil de cruzeiro antinavio), O que eu considerei na época algo singular foi uma bateria costeira vocacionada contra alvos navais ser utilizada contra um alvo em terra. Em os russos tendo escolhido o dia e a hora do ataque e tendo distribuído todas as suas peças no tabuleiro com… Read more »

Teropode 🇺🇦Slava Ucraina

Daqui a pouco ele aparece !

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Estônia e Finlândia integrarão sistemas de mísseis antinavio costeiros

A Finlândia e a Estônia integrarão sua defesa antinavio costeira, o que permitirá aos países fechar o Golfo da...
Parceiro

- Advertisement -