Sérgio Vieira Reale
Capitão-de-Fragata (RM1)

O Barco – Inferno no Mar (Das Boot) – 1981

Diretor: Wolfgang Petersen
Ator Principal: Jürgen Prochnow

Considerado um dos mais eletrizantes filmes de guerra, diz respeito a vida de bordo num submarino alemão (U-96) Type VIIC em patrulha durante a Batalha do Atlântico na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A história se passa em 1941, os navios mercantes ingleses navegavam em comboios protegidos por escoltas. A Guerra Submarina era intensa para impedir a chegada de suprimentos ao Reino Unido.

A Marinha Alemã, normalmente à noite, empregava a Tática da Matilha, que envolvia o emprego de vários submarinos para atacar os comboios.

O filme, lançado em 1981, é alemão e foi  baseado no livro Das Boot (1973) de Lothar-Günter Buchheim. Ele havia sido do serviço de comunicações da Marinha Alemã e participou de uma patrulha no verdadeiro submarino (U-96).

Segundo Winston Churchill, Primeiro Ministro do Reino Unido: “A Batalha do Atlântico foi o momento em que ele mais temeu pela sorte do Império Britânico e nada o assustou mais do que o denominado perigo dos submarinos”.

A Alemanha após derrotar a França em 1940, passou a ocupar várias bases no Atlântico, Lorient, Brest, La Rochelle e Bordeaux. Estas bases permitiam o acesso ao Atlântico facilitando a ação dos seus submarinos.

O Comandante do submarino é o principal personagem. Ele foi inspirado no Capitão-de-Fragata Heinrich Lehmann-Willenbrock, que foi comandante de submarinos, e atuou como consultor no filme.

No comando do verdadeiro U-96 ele afundou 27 navios mercantes. O U-96 partia de La Rochelle (base de submarinos alemães), cidade ocupada e localizada na costa Atlântica da França, para atacar o comércio marítimo dos aliados (Guerra de Corso).

No início da guerra, os U-boats tiveram sucesso nos ataques contra os aliados. Em 1939, afundaram o Encouraçado Britânico OAK na base naval de Scapa Flow, onde 833 homens morreram. Por outro lado, quando eram localizados sofriam ataques aéreos e de contratorpedeiros por meio de cargas de profundidade.

O filme é intenso e o realismo é percebido na mudança na aparência e no comportamento  dos atores com a passagem o tempo. Ver o chefe de máquinas se descontrolar durante um ataque sofrido pelo U-96 é um exemplo de como um tripulante poderia ficar naquele ambiente de pressão.

Destaque para o Tenente Werner, correspondente naval, que faz o registro e o acompanhamento da rotina da tripulação e das ações do submarino.

Vale ressaltar a perspectiva humanista com que os atores retrataram os aspectos psicológicos durante a patrulha. A ansiedade, a tensão, o medo e a vibração estão presentes ao longo do filme. A filmagem, realizada num cenário fechado, ilustra como é a vida da tripulação de um submarino em confinamento.

No final, Das Boot foi indicado a seis Oscars. O diretor Wolfgang Petersen foi indicado como Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado.

Em 2018, uma série, que é a continuação do filme, foi lançada. Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1942, os tripulantes do submarino alemão U-612 enfrentam muitos desafios no mar. Já em terra firme, a Resistência Francesa luta contra a ocupação nazista.

Modelo do submarino U-96 – Type VIIC

Set de filmagem no Bavaria Film Studios

Sites consultados

VEJA TAMBÉM:

A visita do Poder Naval ao submarino U-995 (Type VIIC) na Alemanha

Subscribe
Notify of
guest

35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zorann

Este filme é excepcional. Melhor filme sobre submarinos já feito. As cenas filmadas em La Pallice no final do filme são fantásticas.

Há uma versão mais longa, que foi lançada como minissérie para tv. Infelizmente não consegui esta versão.

Como cinéfilo, este filme não pode faltar na coleção.

Marcos R

A série não faz vergonha… Não chega ao nível do filme mas é bem acima da média do que se vê em obras sobre a WWII.

Zorann

A minissérie a que me refiro, é uma edição mais longa do filme original, com muitas cenas inéditas para passar na TV

MMerlin

Do gênero, é o clássico dos clássicos.
Um daqueles filmes que, mesmo com mais de 40 anos, consegue se mostrar inovador independente do tempo.

Camargoer.

Olá MMerlin. “Das boot” só fica atrás de “Anáguas a bordo” (1959), ainda que sejam gêneros diferentes.

MMerlin

Já me indicaram, quando era mais jovem, mas recusei, rs.
A falta de humor quase me impede de assistir comédia, com algumas exceções.
Mas agora, de repente…

Camargoer.

Olá MMerlin. Vale a pena sim até para quem é ranzinza.

Zorann

É engraçado e tals, o USS Balao e tudo mais. Mas é comédia, não colocaria ele entre os melhores

Ainda tem o U-571, K-19, submarino X-1, Aguas traiçoeiras, Rumo a Tóquio (com o próprio Cary Grant) e tantos outros filmes de submarinos….

Zorann

Esqueci de um: A Raposa do mar

Camargoer.

Olá Zorann. Os atores estão ótimos, os diálogos são ótimos. toda a situação é inusitada ao ponto de continuar atual em vários aspectos morais e éticos. O fato de ser uma comédia é só um detalhe.

Burgos

Outro clássico !!!
Quem ainda não viu, veja !!!👍

Dalton

O texto menciona o afundamento do encouraçado “Royal Oak” que apesar de modernizado em maior grau que os demais 4 da classe – tenho um modelo de metal dele após essa modernização – ainda assim era lento e estava perto da obsolescência, sendo sua perda mais um golpe no prestígio da Royal Navy e tal ação por si só valeria um filme que poderia ser baseado no livro “The Royal Oak Disaster” que captou a tensão a bordo do U-47. . Pior foi o afundamento pelo U-29 um “Tipo VIIA” do grande NAe “Courageous” muito mais valioso, ainda no mês… Read more »

Leandro Costa

O que pouca gente sabe é que o submarino do Das Boot é exatamente o mesmo que o usado em Indiana Jones, Caçadores da Arca Perdida. A produção do filme de Hollywood alugou o modelo do submarino em Malta para fazer as cenas com ele.

Todas as versões do Das Boot são excelentes. Só varia mesmo a quantidade de tempo disponível para cada um assistir hehehehe

Franz A. Neeracher

Somente uma pequena correção:

O filme foi feito quase todo em Munique e não usaram somente um submarino…..na realidade foram 3 em diferentes tamanhos…

Somente algumas cenas foram feitas em mar aberto na França com um modelo, porém sem nenhum ator a bordo.

No Youtube existe um bom documentário bem longo (em alemão) de como o filme foi feito…..muito interessante.

Alex Barreto Cypriano

Bem lembrado, Leandro. No filme estava grafado U-26, tipo I-A, mas usaram a réplica do tipo VII-C. Duas coisas incomodam: 1- como colocaram a arca dentro do submarino (aliás, como carregavam os torpedos pra dentro do sub)? e 2- o submarino estava mergulhando (‘tauchen,tauchen’, disse o capitão), como Indy se virou lá fora? Enfim, ainda é o meu nazi-hater preferido.

Fernando "Nunão" De Martini

“ (aliás, como carregavam os torpedos pra dentro do sub)?”

No caso dos tipo VII há uma escotilha em ângulo (45° se não me engano) na parte superior do casco de pressão, por onde eram passados para dentro do compartimento de torpedos.

comment image

Aproveitando a deixa, nos submarinos Scorpene e derivados é assim também:

comment image

Já nos IKL 209 o carregamento pra dentro do compartimento de torpedos é feito pelos próprios tubos.

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Alex Barreto Cypriano

Grato, Nunão.

Dalton

Acrescentaria 2 títulos pouco conhecidos : “O mar é nosso túmulo” que apresenta um oficial obcecado em afundar um “destroyer” japonês por ter afundado um submarino comandado por um amigo e outro de nome “Torpedo” onde o comandante americano persegue um NAe japonês que teria um navio com prisioneiros americanos, entre eles a família dele, como “escudo humano”.
.

Marcos R

Muito bom, assisti faz pouco tempo

LucianoSR71

Obra prima, fantástico filme, tenho DVD (2 discos) da versão do diretor Wolfgang Petersen, infelizmente falecido há pouco mais de 1 ano, com 3h28m de duração além de vários vídeos extra de entrevistas, making of e documentário sobre a Batalha do Atlântico. Tudo foi muito bem feito: roteiro, atuações, capricho técnico, filmagens, trilha sonora, enfim perfeito. No YT ainda se acha alguma coisa dos making of’s.

LucianoSR71
LucianoSR71

Esse ponto mostra como foi feita a cena dos tripulantes na vela durante a forte tempestade.

Francisco

Essa é a melhor versão. Vale pena assistir as mais de 3 horas de filme.

LucianoSR71

Das Boot Documentary – Captain’s Tour Inside The Boathttps://www.youtube.com/watch?v=rTVzPUJPq-4

LucianoSR71
LucianoSR71

O site não está permitindo editar, então reenviei o link.

EAC

Excelente filme

Angelo

Recomendo a todos ! Um filme que retrata a guerra no Atlântico no ponde de vista do periscópio. Bravos marinheiros Alemães! Um copo de rum e 3 URRAH !

Lamentável ver deslikes em todos os comentários… Por isso que estes que os fazem nunca serão lembrados.

Destro

Quando vi a primeira foto da reportagem pensei que o cara estava numa discoteca dançando alguma música do Queen.
Vou assistir o filme.

AMX

A trilha sonora também é muito boa!

Lucas Emanuel

Existe também uma série atde tv adaptando esse filme.

A série, Das Boot 2018

Lucas Emanuel

Também existe uma série de tv adaptando esse filme.

A série Das Boot, de 2018, tem três temporadas e estava disponível no Lionsgate+. Mas como esse streaming vai acabar, hoje ela não está mais disponível no Brasil.

Ainda não se sabe se vai ter uma quarta temporada pq o canal sky divulgou que não iria mais produzir séries roteirizadas.

Arthur Oscar de Freitas Junior

Apenas uma singela correção

Arthur Oscar de Freitas Junior

Apenas uma singela correção. O termo correto empregado pela MB não é “carga de profundidade” e sim “bomba de profundidade” (BP).

Francisco

Primeiro filme em que foi utilizado uma câmera portátil com estabilizadores. Permitiu imagens estáveis do interior do submarino durante as ações de combate.