O MOD escolheu o torpedo Sting Ray fabricado no Reino Unido como sua futura capacidade de torpedo, juntamente com o uso contínuo da arma Mk54 da Marinha dos Estados Unidos na aeronave de patrulha marítima Poseidon da RAF

O programa para integrar o Sting Ray Mod 1 ao Poseidon está em andamento e dará ao Reino Unido uma capacidade de torpedo potente e soberana, proporcionando flexibilidade à frota do Poseidon.

O P-8 Poseidon da RAF é uma aeronave de patrulha marítima multifuncional, equipada com sensores e sistemas de armas para guerra antissubmarino e de superfície, bem como missões de vigilância e busca e salvamento.

Em serviço na Marinha Real, o Sting Ray Mod 1 é capaz de integração em sistemas de missão de plataforma aérea e de superfície. O Sting Ray Mod 1 é um torpedo leve de guerra antissubmarino lançado do ar, lançado a partir de fragatas, helicópteros e aeronaves de patrulha marítima contra alvos submarinos de todos os tipos.

Possui sofisticado sistema de retorno acústico e sistema de navegação de alta precisão. O torpedo pode detectar, classificar e atacar alvos de forma autônoma. Tem baixos custos durante a vida útil e não requer manutenção intrusiva durante toda a sua vida útil.

Aproveitando o investimento na variante Mod 0 original do torpedo e sua infraestrutura de suporte, a arma Mod 1 aprimorada sustenta a posição do Sting Ray como a principal arma subaquática leve e autônoma do mundo, nas próximas décadas.

O Sting Ray Mod 1 foi projetado para derrotar as ameaças duais de submarinos de casco duplo rápidos em águas profundas que operam no ambiente oceânico e do submarino silencioso e convencional em águas costeiras. O desempenho aprimorado do Sting Ray Mod 1 é sustentado pelo desenvolvimento de um novo software acústico e tático, aproveitando o conhecimento adquirido em extensos testes na água com a arma Mod 0.

FONTE: Royal Air Force

Subscribe
Notify of
guest

12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Barreto Cypriano

Torpedinho. Mas também pode ser empregado por drone quadricóptero, o T-600 (que não se perca pelo nome cameroniano), aqui:
https://www.navalnews.com/naval-news/2023/09/t-600-drone-deploys-sting-ray-lightweight-torpedo/
mas tem pegadinha: o drone só conseguiu carregar porque o Sting Ray estava sem ogiva… 😀

Alexandre

A ogiva do stingray pesa só 45 kg (pode até diminuir pra 40 kg se descontar a carcaça metálica

Será que esse peso é suficiente pro drone não conseguir carregar?

Alex Barreto Cypriano

Mas se carregar, e eu acho que não consegue pelas especificações, como terá seu desempenho afetado pela sobrecarga?

Rui Mendes

Torpedinho???????!!!??

Dalton

Comparado a um “torpedo pesado” como o “Spearfish” é um “torpedinho” mesmo 🙂

Rui Mendes

Mas todos os torpedos que vão nos helicópteros ASW, nos aviões ASW e nas fragatas ou destroyers, são iguais a esse ”torpedinho”.
Então torpedos, só mesmo nos submarinos, com torpedos 533mm.
Os únicos navios de guerra, que levam torpedos pesados iguais aos dos submarinos, são as fragatas Italianas Maestrale class, todos os outros carregam ”torpedinhos”.
Questionei porque nunca ouvi ninguém chamar torpedinho, aos MK-34/46 e MK-50 que os P-8 Poisendon, destroyers e cruzadores Norte-Americanos levam.

Last edited 7 meses atrás by Rui Mendes
Dalton

O T-600 é um demonstrador de tecnologia para o T-650 que será capaz de carregar até 300 kgs.

Alex Barreto Cypriano

Sim, mestre Dalton, um demonstrador. O T-650, dizem, terá design completamente novo que pode ou não ter algum legado tecnológico do T-600. O Sting Ray pesa 590 libras. Sem a ogiva, 490 libras. Linearmente, a partir do exemplo do demonstrador, precisaria de um T-700 ou 750 pra carregar. O número em seguida da letra, suponho, seja a magnitude do payload em libras…

GUTO

Qual torpedo a FAB utiliza nos nossos Orions?

Dalton

O popular “MK-46” dos EUA.

GUTO

Obrigado Dalton

Marcelo Andrade

Pensei que esse torpedo não fabricava mais. Era usado nos Nimrod da RAF lá na década de 80!