A Aselsan da Turquia deverá apresentar à Armada Argentina uma proposta para modernizar as fragatas Meko 360H2 (classificados como destructores na ARA) da classe Almirante Brown.

Um programa de modernização procurará atualizar os sistemas atuais com elementos produzidos na Turquia, tais como direção de tiro, radar, sensores eletrônicos.

A classe é composta por quatro navios; Almirante Brown, La Argentina, Heroína e Sarandí. Os navios foram comissionados comissionada entre 1983 e 1984, após a Guerra das Malvinas.

Os navios de guerra do tipo MEKO 360 são baseados em designs modulares que permitem mudanças rápidas nos armamentos da embarcação dependendo dos requisitos da missão.

A natureza modular da construção também permite que os navios sejam modernizados ou reformados com maior facilidade. Seis navios foram encomendados inicialmente, porém dois navios foram cancelados e substituídos por pedidos de cascos do tipo MEKO 140.

As Meko 360 quando entraram em serviço estavam entre os combatentes de superfície mais poderosos da América do Sul, com seus dois lançadores quádruplos de mísseis antinavio Exocet MM40, 4 reparos duplos Breda Bofors de 40 mm de defesa de ponto e o canhão de proa Oto Melara de 127 mm, além de um lançador óctuplo de mísseis antiaéreos Aspide.

Os navios também têm um hangar com capacidade para duas aeronaves do porte do Lynx / Dauphin, como mostra o desenho abaixo.

FONTE: @SA_Defensa no X

Subscribe
Notify of
guest

41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sequim

Se a Argentina estivesse em condições, poderia encomendar alguns Mekos junto com o Brasil, a fim de obter ganho de escala e baratear as embarcações para todos

Um Simples Brasileiro

Acho que com o contexto geopolítico que se configurou agora, com esse presidente argie que foi eleito, provavelmente, ainda que tivesse dinheiro ele esnobaria o Brasil…
Parece que a Argentina só recorrerá ao Brasil o mínimo possível e em último caso. Segundo o discurso de campanha, Argentina agora só quer saber de Europa (menos Inglaterra), EUA, Japão e Coréia do Sul. Vamos ver o tempo cobrar o seu preço.

EduardoSP

8 canhões de 40mm é uma artilharia anti-aérea de respeito para um navio de 3.500 ton. Incomum para navios da década de 80.

Vinicius Ferreira Soares

De respeito? O radar desses canhões é péssimos. Não adianta ter dezenas de sucatas sendo que 1-2 CIWS modernos são mais eficientes.

EduardoSP

Devem ser péssimos mesmo. Depois de 35/40 anos, até o meu PC 286 é péssimo.
Mas os canhões têm capacidade de 600 tiros por minuto (por repara duplo) a 4 km de distância.
Vai ver a atualização será do radar e da diretora de tiro, melhorando o que é “péssimo”.

J R

Foi com desses canhões que eles aposentaram nossa RADEMAKER, bastou uma saraiva de tiros que colocaram nossa fragata no estaleiro para sempre.

Fernando "Nunão" De Martini

Colocaram no estaleiro pra sempre?

Por favor, não use esse espaço para disseminar desinformação.

O episódio em que a fragata Rademaker foi atingida acidentalmente por disparos de 40mm de navio argentino foi no final de 2004.

A Rademaker foi reparada e poucos meses depois já participava de exercícios com a Esquadra novamente.

E continuou em serviço pelos 18 anos seguintes, até dois meses atrás, quando sofreu um incêndio reportado aqui.

snake

podia dormir sem essa engraxada do nunao ne fera

GRAXAIN

Excelente approach dos argentinos. Os turcos são top nessas atualizações. Ótimo custo e qualidade.

Piassarollo

Se não me engano a Heroína está na reserva a alguns anos e provavelmente não vai entrar nessa modernização.

Camargoer.

Temo que alguém sugira estes navios argentinos como uma compra de oportunidade para a MB.

Enzo Magno Donato Vernille

Ah claro
Não tem os que falam sobre armar os nossos NPa com míssil SS?
O que impede?
Ainda mais que eu já vi gente falar de superioridade tanto da ARA simplesmente por terem as 360 (pq eles as chamam de CTs) e da Venezuela por ter NPa armados com mísseis (na real são aqueles fast attack craft da Vickers)

Alex Barreto Cypriano

Se e quando a modernização turquense das argentinianas de DNA chucrutino terminar, alguém deveria perguntar a opinião turquestrense sobre quão fácil foi a modernagem no bote MeKoino planejado pra facilitar até troca de lâmpada (a escada gira sozinha sob a ação de burro-motor).

Miguel Carvalho

Estes navios não estão à altura da guerra naval moderna. Valerá apena a atualização de sensores, sem a atualização dos armamentos ?

Dalton

Provavelmente os mísseis “Aspide” e “Exocet” deverão ser substituídos, arrisco um palpite pelo “ESSM” que poderia utilizar o mesmo ou similar lançador do “Aspide” como ocorre em NAes e LHAS/LHDs da US Navy e por uma versão mais recente do “Exocet”.
.
Seja o que for essa atualização de sensores deverá ser acompanhada por novas armas.

Miguel Carvalho

Assim não serão apenas sensores. Será que vão fazer um upgrade ao mesmo nível das meko turcas ?

A Turquia produz algum radar de busca de superfície moderno, e algum lançador vertical para 32 mísseis de médio alcance ?

Já vi aqui a a indústria militar turca está em grande.

Dalton

Novamente é apenas palpite, mas, não me parece que as modificações serão muito intensas, afinal, trata-se de navios com 40 anos provavelmente 3 ou 2 a serem revitalizados e de fato a Turquia na área militar está fazendo bonito.

deadeye

E para os Turcos, não seria difícil. Eles fizeram o mesmo em 4 fragatas MEKO que operam.

Vinicius Ferreira Soares

A Inglaterra vai aceitar os navios ingleses com ESSM??

Rui Mendes

Não são Alemães, esses navios???

Last edited 2 meses atrás by Rui Mendes
Jean

Possivelmente poderiam obter Sea Sparrow da Otan, ou Aspide mais recentes… De estoque de navios desativados como a classe Bremen, Maestrale e tantas outras. Seria uma solução de baixo custo.

Agora estão conseguindo dar manutenção nas turbinas RR ?

Fernando XO

Prezado Miguel, esse navio é uma bela plataforma, fiz uma Unitas e pude comprovar o nível, à época, de desempenho e disponibilidade… claro que uma análise estrutural, inicialmente, e de custos devem nortear o decisão, mas o navio em si é muito bom… abraço.

Burgos

Pra quem não sabe;
Relembrar é viver.
Foi uma dessas que “sapecou”o Passadiço da Rademaker com o canhão de 40 mm por erro de leitura do software de reconhecimento desatualizado (estava ainda como HMS Battleaxe).
Aos Los Hermanos desejo uma boa atualização, pois já é necessária 👍

Augusto José de Souza

Falando na Rademaker eu vi no arsenal uma T-22 descaracterizada já sem as numerações,provavelmente ou é a Greenhalk ou a Rademaker de fato já deu baixa sem aviso prévio da MB.

Fernando XO

Prezado Augusto, é a ex-F46… abraço.

Augusto José de Souza

Obrigado,acho uma boa revender para os britânicos e a Rademaker também e o Matoso Maia para os americanos,com dinheiro dessas três vendas a MB pode continuar investindo nos seus programas como mais submarinos Riachuelo,fragatas Tamandaré e mais navios patrulha de 500 toneladas.

Fernando XO

Prezado Augusto, venda “no estado” não vai acontecer… o destino é scrap ou alvo… abraço.

Santamariense

É Greenhalgh!

Augusto José de Souza

Seria interessante o estaleiro Brasil Sul fazer a manutenção desses navios e construir outros para a Argentina,ampliando suas capacidades junto a outros navios para a MB.

Gabriel BR

vai ficar top

Nonato
Carlos Campos

Se acontecer vai ser ótimo para eles, mas acredito que não saia, e a Aselsan tem investido muito em tecnologia, recentemente a Turquia comprou radares franceses para eles, mas logo os navios turcos terão radares turcos, entre outros sensores.

adriano Madureira

A Aselsan tem algumas armas legais…

737-800RJ

Se a Argentina estivesse com a saúde financeira em dia, seria um cliente em potencial para a Classe Tamandaré e possíveis subclasses. Já vi argentinos as elogiando em páginas de Defesa de lá…

Rafael

Seria um cliente potencial para o Guarani…para o Gripen…para o KC390…para o Super Tucano…
Chega a ser engraçado que as maiores oportunidades para a indústria de defesa no Brasil passam longe dos países vizinhos, e isso não vai mudar tão cedo.

Marcelo Andrade

Visitei um desses e uma corveta Meko 140 aqui no antigo Pier Mauá, no RJ, na década de 90, eram muito bem armados pra época, e ainda são belos navios!

André Garcia

Mais um querendo entrar na fila de credores…

Miguel Carvalho

Se levar uma modernização ao nível da modernização das Meko 200 turcas, não ficaria nada a dever às novas Tamandares.

Duvido é que tenham capacidade financeira para isso.

As Meko turcas ficaram monstras.

Elias

Com o novo presidente argentino, com certeza a economia vai crescer e s Deus quiser a volta do mito as coisas só tendem a melhorar na América Latina

Wilson França

O mito tem uma boa espera pela frente

Camargoer.

Olá Elias. Pelo discurso de posse, não há como ser otimista. Provavelmente, o atraso no pagamento dos P3 fem a ver com uma mudança nos gastos da Argentina. Aposto 2$Kichutes que esta modernização subiu no telhado.