Caça-minas HMS Bangor, classe Sandown da Royal Navy

A Turquia anunciou na terça-feira que não permitirá a passagem de dois navios caça-minas doados à Ucrânia pelo Reino Unido através de suas águas em direção ao Mar Negro, alegando que isso violaria um pacto internacional sobre a passagem de estreitos em tempos de guerra.

O Reino Unido havia declarado no mês passado que transferiria dois navios caça-minas da Marinha Real para a Marinha Ucraniana, a fim de fortalecer as operações marítimas da Ucrânia em sua guerra contra a Rússia.

A Turquia, membro da OTAN, informou seus aliados que não permitiria que os navios atravessassem os estreitos de Bósforo e Dardanelos enquanto a guerra na Ucrânia continuar, conforme declarado pela diretoria de comunicações da presidência.

“Os aliados relevantes foram devidamente informados de que os navios caça-minas doados à Ucrânia pelo Reino Unido não terão permissão para passar pelos Estreitos Turcos para o Mar Negro enquanto a guerra continuar”, disse a presidência em um comunicado divulgado na plataforma de mídia social X.

Quando a Rússia iniciou sua invasão da Ucrânia em fevereiro de 2022, a Turquia acionou a Convenção de Montreux de 1936, bloqueando efetivamente a passagem de navios militares das partes beligerantes.

O pacto permite a passagem de navios que retornam às suas bases, mas nem a Rússia nem a Ucrânia manifestaram intenção de passar seus navios de guerra pelos estreitos turcos para o Mar Negro desde o início da guerra.

A Turquia também alertou na época os estados não pertencentes ao Mar Negro para não enviarem navios de guerra através dos estreitos.

De acordo com a Convenção de Montreux, navios de guerra de partes não beligerantes podem transitar pelos estreitos em tempos de guerra. No entanto, a convenção também estabelece que Ancara tem a palavra final sobre a passagem de todos os navios de guerra, caso a Turquia se considere em perigo de ser envolvida em uma guerra.

FONTE: Reuters

Subscribe
Notify of
guest

25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Moriah

Ramsey e Blyth foram transferidos em 2021, mas teriam de passar por uma reforma na Babcock, só que não deu tempo, a Rússia invadiu e a Ucrânia ficou sem seus MCM.

Fábio CDC

Caça-Minas? Você disse Caça-Minas?…
.
Olha, nóis aceita viu? Se não passar por lá, nóis recebe aqui.

Charles

Hahaha

Fabio Araujo

Qual o tamanho destes navios? Geralmente navios caça-minas não são grandes, e alguns são projetados para serem enviados por trem ou avião.

Last edited 6 meses atrás by Fabio Araujo
Fernando "Nunão" De Martini

Apenas para dar uma ideia o porte da classe Sandown britânica, grosso modo, é semelhante ao dos nossos navios-patrulha classe Macaé.

São caça-minas com cerca de 50m de comprimento, 10m de boca e deslocamento próximo a 600 toneladas cerca de 100t a mais).

Souto

Seria uma ótima compra de oportunidade para MB.

deadeye

Daria para os transportar pelos canais Europeus não?

Rui Mendes

Já falaram que dava para irem por 3 rios até á Ucrânia, sendo um que não me recordo do nome agora, o rio Reno e o Danúbio, podiam navegar sem problemas, tirando um problemazinho inultrapassável, acho que existe uma ou mais do que uma pontes, que os caça-minas não conseguem passar.

deadeye

Na verdade, eles não teriam problemas, eles podem usar o canal do Mar Negro até o Danúbio, e de lá, até Rotterdam. É o canal alternativo que a Ucrânia já usa para exportar grãos

Filipe Prestes

No espaço soberano da Turquia ninguém tem que dizer quem pode isso ou aquilo senão os turcos.

deadeye

Considerando o porto pequeno dos navios. Não duvido que exista outra forma de os transferir para a Ucrânia. E antes que os pro-russos comemorem, essa decisão da Turquia afeta mais a frota Russa do Mar Negro do que a Ucrânia.

Maurício

Cretinice da Turquia – navio Caça Minas não é Navio de Ataque!😡

Fabio Araujo

Existe um tratado, bem ou mal estão cumprindo o tratado.

rui mendes

Não é de ataque, mas é de guerra, sendo as minas, uma das armas mais usadas em guerras no mar e rios, o caça minas neutraliza esse tipo de guerra.

Alejandro Pérez

Turquia com razão…

Marcelo Andrade

Existe tb uma restrição contra a passagem de Porta-Aviões ali, por isso a antiga URSS denominava seus PAs como Cruzadores porta-helicópteros.

Dalton

A classe Kiev não era um NAe genuíno diferente do “Almirante Kuznetsov” este sim não teria permissão para entrar no Mar Negro mesmo a Rússia sendo um dos países com território dentro dele, seja como for, os classe Kiev apenas foram construídos na Ucrânia
dentro do Mar Negro portanto, mas, jamais operaram nele.

Mars

Transferi pra Romênia e repassa os dois que elea tem pra Ucrânia. rs

L Grande

Seriam afundados pelos Russos logo que entrassem no mar negro… O Brasil deveria comprar os 2 navios, e barato.

rui mendes

Mar Negro e navios na mesma frase, faz-me lembrar que no fundo do mar negro, os maiores navios que lá estão, são Russos e foram afundados pelos Ucranianos.

L Grande

Todos os navios ucranianos foram afundados pelos Russos no começo da guerra. Hoje a Ucrânia não tem mais navios no mar negro. Esses navios se entrassem no mar negro seriam apenas alvos para os TU-22 da Rússia praticar tiro ao alvo.

Joaquim Paulino

A Ucrânia não precisa de navios, ela está destruindo toda frota russa com drones

Afonso Bebiano

Ué, mas não há guerra alguma, apenas uma “operação especial” que já está chegando a dois anos.

MMerlin

Relaxa que em três dias os Russos chegam em Kiev e a operação acaba. Agora não tem volta.
De longe, esse foi o maior erro de previsão de invasão de um país.
Só 24.000% de erro de previsão, rs.
E, importante, o número desse erro está aumentando…

Last edited 6 meses atrás by MMerlin
rfeng

Há não os alvos não passaram.