Fragata dinamarquesa ‘Iver Huitfeldt’ zarpa para participar da Operação Prosperity Guardian

33

Fragata Iver Huitfeldt da Dinamarca

Em resposta aos ataques ilegais do movimento Houthi no Mar Vermelho e no Golfo de Áden a navios que navegam em águas internacionais, a Dinamarca está enviando a fragata Iver Huitfeldt para se juntar às Forças Marítimas Combinadas, que consistem numa coligação de países.

A fragata Iver Huitfeldt partiu na segunda-feira, 29 de janeiro, de Korsør, com destino ao Mediterrâneo. A fragata só será desdobrada na área operacional depois que a proposta de resolução para a operação for aprovada por maioria política no Parlamento dinamarquês.

O navio só será incluído na Operação Prosperity Guardian quando a decisão parlamentar final sobre a contribuição dinamarquesa para o esforço no Mar Vermelho e no Golfo de Áden estiver disponível.

O Ministro da Defesa, Troels Lund Poulsen, enfatiza que é importante que a Dinamarca apoie os esforços para garantir a livre navegação nos oceanos do mundo.

“Os ataques dentro e ao redor do Mar Vermelho e do Golfo de Áden ameaçam a segurança marítima e o comércio global. Sendo uma grande nação marítima, a Dinamarca tem a responsabilidade de reforçar a segurança marítima. É por isso que as Forças de Defesa Norueguesas contribuem com a fragata Iver Huitfeldt para a Operação Guardião da Prosperidade no Mar Vermelho e no Golfo de Áden”.

Fragata classe Iver Huitfeldt disparando míssil antiaéreo SM-2

FONTE: www.forsvaret.dk

Subscribe
Notify of
guest

33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zionar Kleyner Cortes Barros

Eu vejo como impo ante a participação da Dinamarca nesses conflitos.

Wagner Figueiredo

Coisa linda!!!! Navio top com os dois canhões 😁

Patta

Acho que poderia substituir algum desses dois canhões por um VLS. Agora uma coisa eu tenho certeza, essa fragata tem seu charme e sua peculiaridade.

H.saito

Esse navio possui na parte central 32 lançadores VLS RIM 66 e 12 VLS RIM162 Sea sparrow, mais 8 Harpoon block ll.

Rui Mendes

32 células MK-41+24 ESSM+8 a 16 Harpoon block2 + 3+3Torpedos MK-46 + 2 canhões 76mm + canhão automático 35 mm.

Maurício.

Essses canhões, com esse formato, deram um ar vintage ao navio.

PY3To - Rudi

Estou vendo direito , na primeira foto um Navio com 2 canhões na proa! isso é algo raro hoje em dia…achei legal, da um ar de navio de guerra para a… guerra!
posso estar errado mas uma nave tem que ter canhões!

Last edited 4 meses atrás by PY3To - Rudi
Wagner Figueiredo

Foi o que comentei no posto anterior..sobre as fragatas da Coreia do sul

Groosp

32 SM-2 Standard, 24 ESSM e 8 Harpoons. Podendo adicionar mais 24 ESSM ou 8 Harpoons. Impressionante!

Alex Barreto Cypriano

comment image

Moriah

Ótima capacidade AAW… Manda vê!

curisco

Olhando o projeto, no lugar do canhão que está na proa deveria ter um lançador de mísseis. Por alguma razão tem um canhão no lugar. Estes navios são modulares. equanto não colocam os lançadores colocaram um canhão, imagino.

Rui Mendes

Não, colocaram os 2 canhões por que quiseram, pois ao contrário do que já li por aqui, mas em outra secção, ter 2 canhões,tem muitas vantagens, sobre ter só um, igualmente nas Horizonte class Italianas e Francesas.

Abner

Interessante tem 2 canhões na proa, pode ser substituído por lançadores de mísseis ?

Fernando "Nunão" De Martini

Até onde sei, essa classe foi projetada para ter canhão na plataforma à vante do passadiço, ficando os lançadores verticais à meia-nau. O fato de ser um canhão de 76mm tal qual o outro no convés foi uma opção dinamarquesa de reaproveitar canhões já existentes e reduzir o custo final.

Essa classe deu origem à Type 31 britânica, também com essa posição de canhão à vante do passadiço, e a opção da Marinha Real foi de instalar um canhão de 40mm nessa posição (havendo outro sobre o hangar), somando-se ao de 57mm do convés de proa:

comment image

Last edited 4 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Eduardo Angelo Pasin

Parece que as fragatas polonesa viram com um RAM no lugar de um dos canhões

Fernando "Nunão" De Martini

Até onde vi, essa posição elevada será ocupada na classe Miecznik por um canhão antiaéreo de 35mm (outro será instalado sobre o hangar).

comment image

Santamariense

Essa classe polonesa pode levar até 16 mísseis mar-mar RBS-15 … 16 RBS-15!!!

Last edited 4 meses atrás by Santamariense
Fernando "Nunão" De Martini

Sim, tem espaço pra isso, como demonstra a concepção gráfica – embora a configuração real possa ser diferente.

Já li que provavelmente a primeira da classe será incorporada numa configuração melhor equipada e as demais serão menos equipadas, aguardando recursos para futuramente elevar ao padrão da primeira.

Abner

Interessante Nunão, ainda não tinha visto com 2 canhões na frente do navio.

Não sabia que serviu de origem para a Type 31.

Pensei que podia receber lançadores no lugar do canhão onde fica a plataforma à vante do passadiço.

Fernando "Nunão" De Martini

Só se forem lançadores conteiráveis de mísseis mar-ar ou fixos em rampas, de mísseis antinavio. A área disponível não é das maiores para abrigar conjuntos de silos verticais (e precisaria saber o que está nos compartimentos dos conveses abaixo do que abriga o carregador do canhão). O próprio formato da superestrurura foi pensado pra favorecer bons ângulos de tiro para o canhão.

Dumont

Sobre os “dois canhões” – Two Italian-made 76mm Oto Melara guns are fitted forward — unusually for post-World War II ships, in a super-firing arrangement (one over the other). The guns are reconditioned units from decommissioned patrol ships. The base ring for the forward mount is sized to take a US-built Mark 45 five-inch gun, but funding for the mount — at about $50 million each — has yet to be approved. Eventually, the Danish Navy hopes to install another close-in weapon system in the No. 2 position.

João Moita Jr

Operação Kosher Prosperity Guardian

Burgos

Mais um pro clube 💪⚓️

Last edited 4 meses atrás by Burgos
EduardoSP

Essa classe é derivada da classe Absalon, que tem um conceito interessante para marinhas não muito “guerreiras” como a dinamarquesa e a brasileira. É um destróier com alguma capacidade de transporte e apoio.
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Absalon-class_frigate

Carlos Campos

Navio muito bonito, fui pesquisar quem fez e são estaleiros mais desconhecidos do meio militar, achava que era a Navantia

Rafael Coimbra

Navios de guerra são Americanos e Russos.. o resto é barco bonitinho e desarmado… vamos ser realistas… uma Arleigh Burke sozinha resolve 90% dos problemas da esquadra… ah Navios chineses ainda não provaram nada além de jogar agua em barcos pesqueiros, então nem entra na conta.

No One

Sim, especialmente os russos são inovadores… A capacidade de submergir e nunca mais voltar para superfície dos seus navios é particularmente fascinante.

Bem armado é uma coisa , estupidamente entupido de tralhas é outra.

Servidor

E nem isso a gente faz…

Jorge Cardoso

Será que o CEO da AP Møeller – Maersk fez alguma pressão sobre o almirantado dinamarquês?

Rui Mendes

Se fizesse, era sobre o governo dinamarquês.

Ruan

Não seria Forças de Defesa Dinamarquesas….

Alex Barreto Cypriano

Quando alguém vai reclamar que há algo de podre no bote dinamarquês, a tal falta de LACM? Aí mais alguém vai lembrar que no VLS Mk-41 tactical length não cabe um LACM. Depois, outro alguém vai lembrar de atachar box/deck launcher de LACM em algum lugar. Aí, ainda outro alguém, vai avisar que isso modifica a distribuição de cargas ou atrapalha operações aéreas. Nessa altura, algum alguém qualquer vai lembrar que ataque a terra não estava nos requerimentos do bote. Talvez, por fim, um derradeiro alguém arremate dizendo que tá bom do jeito que tá que já é muito melhor… Read more »