Operação Southern Seas – 2024: Marinha do Brasil realizará exercício com o porta-aviões USS ‘George Washington’

55

USS George Washington (CVN 73)

No período de 15 a 24 de maio, a Marinha do Brasil (MB) realizará a Operação “Southern Seas – 2024”, com a visita oficial de quatro navios dos Estados Unidos da América (EUA) ao Rio de Janeiro, dentre esses o Porta-Aviões USS George Washington (CVN 73).

A comissão será realizada na área marítima compreendida entre os estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, por ocasião da passagem da Força-Tarefa Norte-Americana pelo Brasil.

A “Southern Seas – 2024” tem o propósito de realizar operações navais e aeronavais com a Marinha dos EUA (USN) e a Guarda Costeira dos EUA (USCG), a fim de ampliar a interoperabilidade das Forças envolvidas, bem como de incrementar a cooperação e o estreitamento dos laços de amizade entre a MB, a USN e a USCG, contribuindo para a atuação da Marinha do Brasil no campo da Diplomacia Naval.

O Comandante do 1º Esquadrão de Escolta será o Comandante do Grupo-Tarefa, responsável por planejar e executar as atividades relacionadas à Operação, que teve seu planejamento iniciado em 2023. A missão também se dará em comemoração aos duzentos anos de relações diplomáticas entre Brasil e EUA.

A Marinha do Brasil empregará, na “Southern Seas – 2024, as Fragatas Independência e União, além das seguintes aeronaves: UH-15/AH-15B “Super Cougar”, AH-11B “Wild Lynx” e AF-1 “Skyhawk”.  Pelos EUA, estarão envolvidos o Porta-Aviões USS George Washington, o destróier USS Porter da classe “Arleigh Burke”, o Navio de apoio logístico USNS John Lenthall, e o Navio da Guarda Costeira dos EUA, USCGC James, além das aeronaves F-35 “Lighting II”, F/A-18 E/F “Super Hornet”, EA-18G “Growler”, E-2C “Hawkeye” e SH-60 “Seahawk”, componentes da Ala Aérea do USS George Washington.

NOTA DO PODER NAVAL: No momento, por ser uma comissão de trânsito, entre o Atlântico e o Pacífico, o USS George Washington conta com uma ala aérea improvisada, já que em breve ele irá receber a ala aérea que no momento está destacada junto ao USS Ronald Reagan, baseado no Japão.

Como no momento o USS George H. W. Bush (CVN 77)  encontra-se em um período de manutenção no Estaleiro Naval de Norfolk, uma parte da sua Ala Aérea 7 foi destacada para essa comissão a bordo do USS George Washington.

Os seguintes esquadrões estão a bordo:

  • VFA-103 com os F/A-18F
  • VFA-147 com os F-35C  (que não faz parte da ala aérea 7)
  • VAQ-140 com os EA-18G
  • VAW-116 com o os E-2C
  • HSC-5 com os MH-60S
  • HSM-46 com os MH-60R

Como podemos ver, uma ala aérea bem reduzida, provavelmente os esquadrões nem estão completos.

DIVULGAÇÃO: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest

55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mars

Acredito que o Atlântico estaria envolvido junto com as Fragatas mas devido aos acontecimentos só sobrou elas.

Moriah

Sim, mas a urgência do RS deve ter mudado os planos para uma missão mais importante que é ajudar a salvar vidas. Mais do que certíssimo a decisão da MB.

Davi Pinheiro

Seria o caso do Porta aviões visitar o Rio Grande do Sul? Seria um marketing e tanto para os Eua.

Burgos

Por que não ?! Em um translado desses teve um porta aviões que coincidiu de sua passagem ao largo do Caribe e deu um pitstop lá no Haiti e deixou mantimentos e água para população logo após o trágico terremoto e seguiu viajem para seu porto de origem. Empatia é que se chama ?! Muitos aqui falam e agem em detrimento dos outros ou em relação ao País que isso ou aquilo ou que tem direito ou não ou que é certo ou errado. Acredito e reitero, o momento não é para isso. Todos vão depois dessa tragédia vão ver… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Burgos
Franz A. Neeracher

Oi Burgos

Só para te chatear um pouco; o PA no caso foi o USS Carl Vinson, CVN 70, que na ocasião ficou um bom tempo ajudando as vítimas do terremoto no Haiti.

Depois ele não voltou ao seu porto de origem, Norfolk, mas sim continuou em traslado para o seu porto de destino, San Diego.

E como é de praxe nesses casos, visitou o Rio de Janeiro.

Burgos

Tá certo !!!
Eu que inverti as coisas, mas não me chateou não, pelo contrario, tem que ser contado como aconteceu de verdade, não me sinto constrangido quanto a isso 👍

Leandro Costa

Sua atitude poderia ser emulada por muita gente aqui, Burgos. Parabéns!

Burgos

Boa tarde Leandro;
Não sinto vergonha por “ calçar as sandálias da humildade “ .
Certas situações temos que deixar o orgulho besta de lado e agregar, tentar também ,não ofender ninguém, já estamos velho pra isso.⚓️

Dalton

E só para chatear também Franz, o “Vinson” depois do Haiti passou uns dias em
Mayport na Florida antes de seguir viagem para San Diego e sua presença fortuita próximo ao Haiti quando do terremoto revelou-se importante já que providenciou água e também equipes médicas ainda mais com tantos médicos e pessoal da saúde mortos ou incapacitados para atender a população.

Willber Rodrigues

Euf fixo imaginando o pessoal do George Washington e o pessoal da sua ala aérea embarcada vendo os A-4 da MB voando….

Eles devem pensar “ué, meu avô voava aquilo no Vietnã. Essa aeronave ainda existe?”

Franz A. Neeracher

Olha, fato semelhante aconteceu comigo…. Conversando com um piloto da USN, ele me contou que o avô foi piloto de A-4 no Vietnã….o pai foi piloto de F-14 e ele era piloto de FA-18, mas no momento se encontrava de férias…em breve iria iniciar o curso de conversão para o F-35C. Aí ele me perguntou, sobre a aviação da MB…..e eu meio que sem graça, falei que tínhamos o A-4…..ele ficou sem saber o que dizer…pois tinha percebido que eu estava muito embaraçado…. Acho que para levantar a minha moral ou por educação falou: “Ahhh, the A-4 Skyhawk….great aircraft!!”…e ainda… Read more »

Leandro Costa

Em compensação (mas não muito, hehehe) eu vi uma entrevista alguns anos atrás de um piloto de B-52 que estava voando exatamente o mesmo avião (mesmo tail number) em que o avô e depois o pai voaram. Mas poxa… é um B-52, né? Hehehehehe

Enfim, eu amo o A-4. Acho além de lindo um ícone na História da aviação de combate. Mas realmente merecia estar em um museu.

Rodrigo Maçolla

Pois é mais dinheiro para o financiamento publico de campanhas tem bastante , não falta, e ano a ano o orçamento só aumenta…😒

Sergio Cintra

E esta. Lá no museu aeronaval de São Pedro d’Aldeia, a Marinha cortou atrás do cockpit junto com as bocas da tomada de ar – acho que o 14 ou o 15 – e com uma escada vc senta e “domina” a alavanca do manche e visualiza o painel com aqueles infindáveis mostradores, botões, consoles laterais e vc fica idealizando a complexidade de um vôo, domínio de informações e ainda o “atacar”. Tem-se q ter respeito q esteve e está por la.

Willber Rodrigues

Sobre o A-4 em sí, sou suspeito pra falar. É uma das minhas aeronaves preferidas da Guerra Fria. Acho seu design elegante, é bonito sobre qualquer ângulo, e eu devo ser uma das poucas pessoas do Universo que acham o A-4 mais bonito que o F-14 ( e olha que acho o F-14 bonito pra diabo ). Sobre o fato da MB continuar gastando grana em meia dúzia de A-4 que até hoje não tem nenhum míssil anti-navio neles, coisa que os argentinos ( !!!! ) já tinha na Guerra das Falkland’s…não vou entrar nesse assunto, pra não desviar do… Read more »

Willber Rodrigues

PS: aposto que o avô, no A-4, tem mais histórias pra contar que o pai e o filho juntos 🤣🤣🤣

Leandro Costa

Willber, estou lendo um livro novo desde ontem, cuja capa é uma pintura dois A-4’s do Oriskany fazendo um mergulho de bombardeio sobre uma ponte hehehehe

comment image

Carlos Crispim

“A-4 mais bonito que o F-14′. Vc deve ser de outro planeta. kkk

Leandro Costa

Gosto não se discute. E o A-4 é lindo… mesmo que o tamanho de uma das asas dele seja do mesmo tamanho do estabilizador do F-14 😛

Gustavo

E a maior vergonha nessa história não foi contada: A Marinha tem A-4 mas não tem PA.

Leandro Costa

O segundo maior usuário de A-4’s, Israel, nunca operou porta-aviões.

Gustavo

Força Aérea operar A-4 faz parte, depende da realidade financeira de cada um.
Marinha, que comprou A-4 para operá-loem PA e não ter PA é vergonha ou melhor má utilização da verba.

ElBryan

Eu ri disso, depois refleti e senti vergonha.

Last edited 1 mês atrás by ElBryan
Lucas

Boa tarde! Tem alguma previsão da chegada no RJ?

Gabriela

Também gostaria de saber

Dalton

O “John Lenthall” seria retirado de serviço até setembro de 2023 como anunciado, mas ao invés em setembro, passou por 3 meses de manutenção no Alabama e por enquanto não foi anunciada sua retirada de serviço em 2024. . Entrou em serviço em 1987, permanecendo na reserva por 2 anos entre 1996 e 1998 mas foi reativado, julgando-se necessário manter 15 deles em serviço, enquanto outro que também havia ido para a reserva em 1996 – até 2009 -foi vendido para o Chile. . Dos 15 a serviço da US Navy um já foi retirado de serviço em 2022 e… Read more »

Franz A. Neeracher

Somente como complemento, vc provavelmente já está sabendo:

O retirado de serviço, foi o USNS Walter S. Diehl T-AO 193.

O segundo da classse John Lewis, o USNS Harvey Milk T-AO 206 já está em serviço no ATL…o primeiro está no PAC.

USS Greeneville SSN 772 terminou o longo período manutenção no ATL e já está a caminho de sua nova base em San Diego depois de muitos anos baseado em Pearl Harbor….

Dalton

E o terceiro, USNS Earl Warren (T-AO 207) foi entregue semana passada, quanto ao
SSN 772 deverá chegar ainda essa semana !

Mars

Bateu uma dúvida e uma curiosidade também. A FAB já tem condições de testar os Gripens contra os F-35C do George Washington?

Pedro

Isso daí é tarefa para CRUSEX

Rinaldo Nery

CRUZEX. Cruzeiro do Sul Exercise.

Junior

Os EUA só mandarão o F-16 para o CRUZEX 2024.

Pedro

Coitada da MB! Vai tomar outra surra da US Navy

GFC_RJ

Ué?! Vai ter combate?!
Será que vai passar no pay per view?!

Pedro

Já teve exercício entre a MB com a FAB e a US Navy e tomamos uma surra.

Augusto José de Souza

Poderiam pedir para o pessoal desse porta aviões mandar ajuda para o Rio Grande do Sul como helicópteros,mantimentos e Marines para reforçar os resgates.

Fernando Angello

Agora já é tarde amigo, ele saiu do porto de Norfolk antes disso tudo acontecer… Mas quem sabe talvez eles ajudem com o que tem disponível no navio.

Rafael

infelizmente o Brasil é chacota em tudo.

Dragonfly

Será que nossos A-4 vão operar no porta-aviões ou vão decolar e pousar do continente?

Franz A. Neeracher

Não creio que irão operar a bordo do USS George Washington….talvez um “touch and go” e ponto final.

Minha opnião pessoal, mas claro, posso estar errado.

Santamariense

Não creio que tenha algum piloto do VF-1 qualificado para operação embarcada. Esse tipo de qualificação exige treinamento constante. Treinar toque e arremetida em uma pista de PA pintada no chão, em uma pista de concreto, é muuuuito diferente de uma operação real. Antigamente, a MB formou parte de seus pilotos na US Navy, voando os T-45 Goshawk e depois, enviava regularmente um piloto para treinar pousos e decolagens nos PA das US Navy, também voando o mesmo tipo de aeronave. Outro ponto é o sistema de lançamento dos A-4, que é feito de forma diferente daquele utilizado pelos F/EA-18… Read more »

Pafuncio

Os nossos caças A4 poderiam realizar pouso e decolagem neste porta-avião CVN 73?

Rinaldo Nery

Não

Neto

acredito que pousar, consegue, mas a interface de lançamento é diferente. No SP ainda usava-se cabo de aço para lançar a aeronave.

Natan

Vai ser tipo eu com meu Civic EX 2004, quando um vendedor me “puxou” pra dentro de uma loja GWM pra conhecer o H6plus kkkkkk

Quando o porta aviões for embora vai ter marinheiro querendo trocar de lado

Leandro Costa

Ihhh… teu Civic ainda bate um bolão! Tem injeção eletrônica e tudo! (Isso vindo de um cara com um carro 2005, claro hhehehehe)

Rodrigo Maçolla

Nessa caso amigo o Civic tem uma vantagem não paga mais IPVA… Se bem que “carambolas” ano que vem não vai escapar de pagar o Seguro obrigatório de novo. “DPVAT” a volta,

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo Maçolla
JeffCoradin

Eu sei que este exercício já estava agendado faz tempo, mas o momento que verem os helicópteros da Marinha no exercício e não no no Rio Grande do Sul, vai ser mais um filão para difamar as Forças Armadas Brasileiras, no meio dos que se ressentem ou as odeiam, espero que os responsáveis pelo relações públicas já tenham algo para minimizar os danos.

Dalton

Por essa régua, as fragatas que participarão do exercício também ajudarão nessa “difamação” por parte de pessoas pouco esclarecidas. . Uns poucos helicópteros a mais, navios, leitos hospitalares, seriam um exagero, lembra o episódio do cavalo em cima do telhado que alguns “especialistas” clamaram ser necessário um helicóptero e os bombeiros resolveram com um simples bote. . O que o Rio Grande do Sul necessita é um equilíbrio na ajuda, não adianta enviar meios desnecessários, os milhares de desabrigados precisam de um abrigo mais adequado – fala-se agora em construir vilas – mantimentos, produtos de higiene, rações para animais e… Read more »

Vitor Botafogo

Acredito que a FAB deva participar também com F-5 , Bandeirulha, E-99 e P-3 não ?

Francisco Ferreira Machado

Faz bonito MB

Tutor

Por favor, mantenham os museus A-4 Skyhawk longe disso aí. É vergonha alheia.

Patta

O atlântico está no Rio Grande do sul. Então acho mais provavel que nos primeiros dias ele não estará presente, devendo se apresentar no exercício nos dias 20 a 24. Isso é o que eu espero. Sinceramente estou ansioso pra ver as fotos das duas marinhas juntas.

Last edited 1 mês atrás by Patta
ADM

Uma boa oportunidade para testarmos a nossa nova classe de Submarinos.
Na década de 90 um IKL da MB se destacou num exercício da OTAN.

Fabio Gonzales

Em caso de uma necessidade hipotética urgente, quantos navios entre fragatas e corvetas a Marinha poderia lançar ao mar plenamente armadas e com todas as capacidades operacionais no prazo de uma semana?