Os atuais porta-aviões da Marinha Indiana, INS Vikramaditya e INS Vikrant

A Índia em breve começará a construir seu terceiro porta-aviões, disse o Ministro da Defesa Rajnath Singh ao conversar com o The Tribune. Ele se referia à proposta pendente da Marinha de construir outro porta-aviões autóctone do mesmo tamanho do INS Vikrant, que desloca 45.000 toneladas e foi comissionado em setembro de 2022.

A Índia possui outro porta-aviões — o INS Vikramaditya — adquirido da Rússia em 2013. “Não vamos parar por aí (três porta-aviões). Faremos cinco, seis mais,” disse Rajnath.

Essas são as primeiras indicações de planos de longo prazo para ter porta-aviões capazes de lançar e recuperar caças do convés simultaneamente. Até agora, a Índia falava sobre ter três porta-aviões. Em janeiro do ano passado, o Comitê Permanente de Defesa do Parlamento sugeriu a necessidade de um terceiro porta-aviões. O comitê afirmou: “O alcance e a flexibilidade de um porta-aviões são muito superiores aos de bases aéreas militares em territórios insulares distantes.” O que Rajnath disse está estabelecendo uma nova meta para a Índia e se alinha ao plano de porta-aviões da China.

Há três anos, um relatório do Departamento de Defesa dos EUA, ‘Desenvolvimentos Militares e de Segurança Envolvendo a República Popular da China 2021’, alertou: “A China continua a construir uma força de porta-aviões múltiplos. Os planos são para seis porta-aviões até 2030.”

A China possui dois porta-aviões operacionais — Liaoning e Shandong. Em 1º de maio, iniciou um teste marítimo de uma semana com seu porta-aviões de próxima geração, o Fujian. Este é o terceiro porta-aviões da China e o primeiro equipado com catapultas eletromagnéticas. Os porta-aviões dos EUA também utilizam a tecnologia de catapultas eletromagnéticas para lançar caças do convés. Um lançamento por catapulta permite que os jatos carreguem cargas mais pesadas e reduz o tempo entre o lançamento de dois jatos.

O Fujian, um navio de guerra de 80.000 toneladas, é maior do que os porta-aviões fabricados pelo Reino Unido, França, Índia e Japão.

Não apenas Índia e China, outros países asiáticos também estão correndo para projetar poder no mar e construir porta-aviões. Os japoneses converteram o porta-helicópteros JS Izumo em um porta-aviões capaz de operar F-35. Eles estão convertendo outro porta-helicópteros, o JS Kaga.

A Coreia do Sul planeja lançar um porta-aviões até 2030.

A Índia comprou seu primeiro porta-aviões — HMS Hercules — em 1961. Ele foi adquirido de segunda mão do Reino Unido e renomeado como INS Vikrant. Desempenhou um papel importante durante a guerra indo-paquistanesa de 1971 na frente oriental antes de ser descomissionado em 1997.

O segundo porta-aviões da Índia, HMS Hermes, também adquirido de segunda mão do Reino Unido, foi renomeado como INS Viraat. Incorporado em 1987, foi descomissionado em 2017.

FONTE: The Tribune

Subscribe
Notify of
guest

68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Moriah

Agora, sim, a Índia tomou para si o desafio de peitar a China.

Macgaren

China quer desafiar os EUA e a India quer desafiar a China.

Aos poucos a Asia vai pivotando o eixo de poder mundial.

Bigliazzi

A Índia já é a “segunda frente” para os chineses…

ChinEs

A India quer controlar o Mar Indico , uma vez que a China têm ligações muito próximas ao Paquistão e ao Bangladesh , A India esta cercada de bases chinesas, nada melhor do que se precaver com uma frota de Porta-Aviões e Submarinos Nucleares (SSBN/SSGN/SSN), mas actualmente a China têm mais autonomia em desenvolver as suas Armas, a India depende muito do exterior (Rússia, França, Italia, Israel, EUA , Alemanha) , o Made in China é 100% Chinês.

Luís Henrique

Tinha visto essa informação em site indiano. Detalhe que ele falou 5 ou 6 MAIS, ou seja, indica uma frota total de 8 ou 9, os 3 e mais 5 ou 6.

Koprowski

E o Brasil…”deitado eternamente em berço esplêndido” ou “o país do futuro”… que nunca chega…kkk

Wellington R. Soares

Sinceramente eu não ligo se o Brasil vai ter ou não um porta avião, até acho o NAM Atlântico muito adequado para MB.
O que me deixa triste é ver nossa Marinha com algumas míseras fragatas defasadas e no radar 4 Tamandarés.
Preferia muito mais ver a MB com uns 12 escoltas, nem que fossem tudo da classe Tamandaré, uns 6 sub Riachuelo, uns 10 patrulhas oceânicos 1500ton e um punhado de patrulhas menores.
Aí quem sabe lá no futuro encarar a construção de um porta helicóptero que fosse.

Last edited 1 mês atrás by Wellington R. Soares
Heinz

e o pior wellington, isso que você digitou, era para ser o mínimo, não temos nem o mínimo!

Alex Barreto Cypriano

Eu até prefiro chamar de combatente de superfície (Surface combatant) do que de escolta (screening) porque escolta é apenas uma missão dentre tantas que um combatente, especialmente um multi propósito, exerce (guerra anti-aérea, anti-submarino, guerra de superfície, fogo naval de apoio, patrulha militar, etc) e atualmente não há o que escoltar nem perspectiva de escoltar alguma unidade de alto valor, em que se pesem o Atlântico e o Bahia (que, de toda forma, são meios para operações anfíbias -por asa rotativa ou conectores- em cenário de baixo ou nenhum atrito e não de projeção de poder aeronaval de alto desempenho… Read more »

Jefferson B

O tamanho e a qualidade da MB realmente não faz sentido.
Tem um efetivo enorme e pouquíssimos navios.
Essa classe Tamandare devia ser no mínimo 10 unidades, comprar mais umas 5 Fremm da Itália e mais 1 dúzia de navios de 1500 toneladas para fazer patrulha costeira.
Submarinos pelo menos 8 da classe riachuelo.
Pelo tamanho e importância do Brasil, controlando o atlantica sul, isso deveria ser o esperado e o mínimo.
Não estamos falando de porta-aviões, porta-helicopteros, submarinos nucleares etc…estamos sendo bem realistas!

Last edited 1 mês atrás by Jefferson B
Fernando "Nunão" De Martini

“1 dúzia de navios de 1500 toneladas para fazer patrulha costeira”

Navio de 1500 toneladas não é para patrulha costeira.

Jefferson B

Fernando, a classe Amazonas (Navio patrulha oceânico) tem mais ou menos 1850 toneladas.
É o tipo de navio que eu quis dizer.
Eu cito algo nesse sentido, navios que sempre ficariam na nossa costa dando qualquer tipo de suporte necessário nessa área litorânea do Brasil, com armas mais leves, priorizando o elemento mobilidade (velocidade e hangar para drone e helicóptero).
Já a classe Tamandare e Fremm teriam missões distintas, com características distintas.
Abraço!

Last edited 1 mês atrás by Jefferson B
Fernando "Nunão" De Martini

Ok, foi só para esclarecer. Pelo que entendi, você queria se referir ao papel de navios-patrulha oceânicos mas escreveu patrulha costeira.

Jefferson B

Fernando, verdade…eu usei as palavras erradas.
Navio patrulha oceânico e não navio patrulha costeira.
Obrigado pela correção!

Renato

TB acho. Interessante possuir NPOs, sub e fragatas.

rfeng

Wellington voce ainda foi modesto, 4 Tamandarés sub armadas com 14 misseis anti aéreos e exocet de 1º geração.
Imagine um ataque com um enxame de drones.

Fernando "Nunão" De Martini

Faz um tempinho que a MB não usa mais Exocet de primeira geração (MM38).

Wellington Mello

Passarinho verde disse que as fragatas que serão construídas no Peru pela empresa da Hyundai, são melhores que as Tamandarés brasileiras. Tem mais autonomia!

Akhinos

Não tem como ter marinha investindo 1,1% do PIB em forças armadas. Ainda mais quando esses 1,1% são um número fake, pq 40% dele são despesas com pensões, algo que país nenhum do mundo considera gastos militares. Então a bem da vdd o Brasil gasta algo como 0.7% do seu PIB em forças armadas. Enquanto países como a Índia gastam 3%. É óbvio que essa diferença irá se traduzir em enorme disparidade de poder. Eu acho um milagre bizarro a gente ter Tamandaré, 4 SBR e 1 projeto de SNA com um orçamento discricionário desses. Mas, aqui no Brasil é… Read more »

Wellington Mello

O que vc disse está certo, agora as Forças Armadas estão perdidas pelo fato de ter vendido a Avibras para os Australianos, em uma guerra o Brasil necessitaria de uma Avibras.

Bigliazzi

A Índia tem a China e o Paquistão como inimigos. Os três com armas atômicas, você acha que vivemos uma situação parecida por aqui????

Joanderson

Vi em outra fonte que a Rússia é a Índia fecharam um contrato militar onde a Índia iria vender armas a Rússia e receberia pagamento em rublo.
A Índia vai mesmo iguinorar as sanções do ocidente cada vez mais se tornando um player global.

Camillo

EDITADO:
COMENTARISTA BLOQUEADO.

Henrique

se não liga pq ficam chorando quando alguém é sancionado?
ou pq precisam inventar N camadas de empresas fantasma pra contornar elas?

curioso caso da coisa que “ninguém nem liga mais pra isso…rs”, mas fazem questão de mover meio mundo pra desviar kkkk

Last edited 1 mês atrás by Henrique
André Macedo

Você respondeu sua própria pergunta, “não ligam” pq não funcionam mais como deveria.

Henrique

mas se não ligam pq então não continua fazendo comercio direto? pq precisa criar N camadas de empresa e tabelar um monte de venda…

explica isso ai por favor

André Macedo

Eu usei não ligam entre aspas, é óbvio que as sanções trazem um prejuízo, mas se está funcionando, não importa se está sendo desviado ou não, o que importa é que as sanções não estão funcionando como o esperado e isso é fato
Não importa o “orgulho” de fazer comércio direto ou não, isso é besteira.

Carlos

Henrique, acho que “choram” justamente porque pra desviar dá trabalho e tem custo, não que o país não tenha alternativa. Quem tem poder considerável não quer ser vaquinha de presépio.

Henrique

então a sanção funciona… ja que ta dado trabalho pra contornar ela e foi jogado vários custos adicionais na transação

Carlos

Sim, de fato. Contudo corre-se o risco de fortalecer o adversário ou um potencial adversário.

Paulo A. Ferreira

Está aí a Russia campeã em receber sanções , e fabricando mais munição para obuses e artilharia em geral do que toda a otan . Sanções não funcionam mais.

Henrique

” Índia iria vender armas a Rússia e receberia pagamento em rublo.”

imagina se tão inteligente a ponto de pegar o pagamento em algo que não tem onde usar
A índia ate pode vender armas pra russia, mas nem ferrado vai receber em rublo kkkk

Sérgio

A Índia tem comprado grandes quantidades de petróleo russo. Afinal basta manter um comércio equilibrado ou mesmo deficitário.

Henrique

quem ta desesperado é a rusisa e não a índia… pq a índia teria que vender o produto dela em rublo kkkkk

faz zero sentido isso ai

Luís Henrique

Receberam em rúpias indianas.
Foram criadas contas Vostro em bancos indianos representando bancos russos, para facilitar o comércio bilateral entre os dois países, sem precisar usar dólar americano.

Os russos tinham cerca de U$ 8 bi em contas Vostro.
Gastaram cerca de U$ 4 bi em equipamentos militares indianos.
As empresas bélicas indianas receberam em sua própria moeda, rúpias indianas.

Henrique

“empresas bélicas indianas receberam em sua própria moeda, rúpias indianas.”

o que faz sentido…
ou ela recebe em rúpias, dólar ou ouro.. agora, rublo é piada

Fernando

Nao entendi a piada. Os indianos hoje compram quase todo o petroleo e gas que consomem da Russia. Ocasião para usar esses rublos nao faltam.

Adriano madureira

Se —— EDITADO ——, poderíamos adquirir produtos militares russos em Rublos, não precisaria nem ser armamentos de grande porte ou estratégicos, poderia ser OPVs, navio de apoio logístico ou caça minas.

Mas —— EDITADO —— para comprar esses produtos para não se indispor com alguns de seus parceiros irmãos…

AVISO DOS EDITORES: MANTENHA O RESPEITO E MODERE O LINGUAJAR. ESTA NÃO É A SUA PRIMEIRA ADVERTÊNCIA.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Padofull

Em rublos acho difícil. Em gás, pode até ser.

adriano Madureira

Nada difícil amigo, indianos já compraram armas russas usando rublos, egípcios compraram 400 MBTs usando rublos…

nós é que somos inaptos !

Macgaren

Parece legitimo

Machado

Eu li essa matéria também. O pagamento não vai ser em Rublo mas sim na moeda indiana Rúpia.

Joanderson

Acho que confundir rublo com Rubia vlw

Wellington Mello

Na verdade é acordo entre China e Rússia.

Miguel Carvalho

Haja aço com fartura.

Heinz

Os Indianos estão botando o pau na mesa e tirando o escorpião do bolso, eles podem até serem “sujos” mas burros não são.
Espero que o Brasil aproveite isso, vamos comprar alguma coisa deles e emplacar de vez no Kc-390 para eles.
A pergunta que fica, a índia vai se lançar também nos PA de catapultas eletromagnéticas?

Marcos

“Sujos”?

Desenvolva esse raciocínio por favor.

Heinz

Foi uma indireta as comidas de rua indianas, está cheio de vídeos na net de como eles prezam pela higiene sanitária (para não dizer o contrário) em suas comidas.

Leandro Costa

Tenho um parente que foi à Índia à trabalho. De acordo com ele, até as favelas mais pobres no Rio são mais limpas. Diz que não volta nem se pagarem 10x mais. Ficou até com medo.

Akhinos

Eu já fui a Índia, eles são o povo mais porco do mundo disparado. Eu fiquei em um hotel 4 estrelas lá e tive infecção alimentar moderada, mesmo só consumindo comida do restaurante e tomando água engarrafada.. É inacreditável o quanto as ruas fedem lá e as pessoas tbm. Desculpa destruir a fanfic de alguns aqui de que não devemos ser preconceituosos, mas para os padrões de nosso povo que é o de melhor higiene do mundo os indianos são basicamente nossa antítese. Eu conversei com marinheiros ingleses que fazem escala lá, eles me contaram uma anedota que me causou… Read more »

Luciano Prado

Vlw, estava jantando aqui, e lendo esse relato.

nostra

oh the irony Pretty rich, given that oldest accountable daily ritual of bathing, usage of soap, shampoo traces back to ancient indians as far as 500BC written in multiple ancient texts. In Western world 100 years back acidentally falling into a ditch was considered equivalent to a bath, enough for 1 year, Primary usage of perfume in the west was to hide the body odour. As for hygiene, the lesser the said the better given the usual practice was to dump poop directly into the streets. The few ills there we have till now is because of what we endured… Read more »

Last edited 1 mês atrás by nostra
nostra

Before i go away finally i will say this as in any country among the crap, there will always be good, sensible and unprejudiced people. this i have also seen here in the 3 blogs. many good people here as brazilians. but unfortunately in this age good people are few and therefor it is always a pleasure to meet them across countries. i will you all good life, what you are truly is reflected in yourself, in your family, in your society, in your country and in your gods if you follow one and not the other way round. think… Read more »

Last edited 1 mês atrás by nostra
Akhinos

“Too much propaganda against india for geopolitical, religious, business reasons. eg couple of months ago twitter algorithm was changed to promote any posts against indians.” Pal, let me be honest with ya, ok? No one cares enough about India to put an effort in to campaign against your country, simply because you are not that important. I understand that there is a delusion in your country that you are some super power, but any country that had 1.4 billion inhabitants would also have a reasonably large GDP. Sorry to burst you bubble, but you are not China, people dont try… Read more »

Fagundes

Nostra, don´t worry about this type of comments, the people of India have good reputation as smart people in internet, many students in the Western search their videos in internet to understand some topics of math, physics and, engeneearing for university.I work with e-commerce too, made in india jewlrys are famous here in Brazil.
Every county have bad reputation topics and good topics.Brazil is a victim of international miss information too, you have my solidarity.


Heinz

Dear Nostra, it was not my intention to be prejudiced. I just said what I see on the internet, and I even praised the Indians, because they are a very intelligent people. However, as in any country, it does have its bad side, and in my view there is a lack of basic hygiene for the population, just like in Brazil there is also. But my opinion is that India has higher rates of poor hygiene. Greetings and best wishes for you and your country! 

TJLopes

O pessoal fala muito que a China em breve superará os EUA e se tornará a maior potência mundial, mas esquece que a China tem a Índia fungando no seu cangote, com um potencial econômico de virar a maior economia do mundo, além de ter a Rússia e o Japão como vizinhos, enquanto os EUA está deitado em berço esplêndido na América, sem nenhuma preocupação com seus vizinhos.

leonidas

Nações de verdade são assim mesmo né?

ADM

O ideal seria construir NAe do tipo “CATOBAR”.

Ismael

Um pequeno porta aviões de rampa, sem catapulta, já seria uma boa para a marinha.

justissimo

EDITADO:
COMENTARISTA BLOQUEADO.

Last edited 1 mês atrás by justissimo
Felipe M.

Nenhum porta aviões é bom para a marinha. Não nos próximos 20,30 anos.

Chega de megalomanias que implodem o orçamento da força, prejudicando todos os demais projetos.

Já chega o Prosub.

Neto

Em 10 anos, talvez, a MB olhe com carinho para um NAe indiano. Independente disso, na torcida para que o Tejas MK2 caminhe bem.

Felipe M.

Tomara que não. Nem pro indiano nem pra nenhum outro.

adriano Madureira

Até o Liaoning ou o Shandong cairia bem, especialmente o último que é mais novo.

comment image

Neto

Penso que se não o terceiro (que deve ser da classe Vikrant) o quarto deva ser pensado para usar Emals, talvez americano.
.
Uma extensão da Classe Vikrant com catapulta pode ser interessante para a MB para depois de 2040, novo. Nesse tempo saberemos como os drones comporão a guerra moderna.

Ruas

O Brasil é o único país de proporções gigantescas/continentais, com uma população +100milhões, com imensos recursos agropecuários, minerais, energéticos (petróleo, gás, biocombustíveis, hidrícos) com bons materiais humanos (apesar do grosso da população ser limitada cognitivamente e pouco sábia) que simplesmente “abre mão” de ser uma grande potência. Não há planejamentos para isso em nenhum contexto: geopolítica, forças armadas, setores industriais, ciências, esportivas, infraestruturas. O Brasil poderia tomar sanções internacionais e ainda assim se manter totalmente de pé. Há praticamente todos os recursos naturais aqui. Indústrias de base, de média tecnologia, o país consegue fazer/substituir, tecnologias de média/alta intensidade, a longo… Read more »

Bigliazzi

A Índia é a “segunda frente” que os Chineses mais temem. Com mais de 1.000.000.000 de almas, com alta tecnologia, acesso a armamentos de ponta do ocidente e com dezenas de “bombas atômicas” a Índia provoca azia em qualquer um.