Aeronaves de asa rotativa da Marinha, do Exército e da Força Aérea em exercícios de qualificação de pouso e decolagem a bordo do NAM “Atlântico”, em 2021 Fonte: Agência Marinha de Notícias Acesse: https://www.marinha.mil.br/agenciadenoticias/

Marinha do Brasil realizará transferência de doações no mar por meio de helicópteros com a Marinha dos Estados Unidos da América

Brasília, 23 de maio de 2024: na próxima segunda-feira (27), a Marinha do Brasil (MB) realizará uma operação típica de guerra em apoio à população do Rio Grande do Sul (RS). Coordenada pela MB, a transferência de carga por helicópteros entre o navio-aeródromo multipropósito (NAM) Atlântico, maior navio de guerra da América Latina, e o navio USNS John Lenthall, integrante da Força-Tarefa capitaneada pelo Porta-Aviões Nuclear George Washington, desempenha um papel relevante na logística marítima da Operação Taquari II, imprimindo agilidade na transferência de donativos para as vítimas das enchentes.

Abastecido no Porto do Rio de Janeiro (RJ) com donativos arrecadados e armazenados pela MB, o navio norte-americano se deslocará para área marítima do RS, encontrando o NAM Atlântico na costa do estado, para realizar a transferência da carga em alto-mar, empregando helicópteros. A atividade vai ampliar a capacidade logística de transporte de donativos, além de contribuir para o incremento da interoperabilidade entre as marinhas.

A transferência de carga externa, denominada VERTREP (Vertical Replenishment), acontece como desdobramento da Operação Southern Seas – 2024. O reabastecimento vertical de carga consiste em uma operação militar de transferência de material entre navios utilizando-se helicópteros. Nesta ocasião, serão empregadas aeronaves brasileiras e norte-americanas para transportar as doações do navio americano para o NAM Atlântico. Após receber toda a carga do navio norte americano, o NAM brasileiro atracará novamente em Rio Grande (RS) para desembarcar o material.

Diante do cenário de calamidade pública que assola o RS, a Marinha dos EUA se ofereceu para somar esforços na onda solidária em apoio às famílias afetadas pelas chuvas no RS, por meio do incremento de treinamento entre as Marinhas. A ação fortalece os laços de cooperação entre as marinhas do Brasil e dos Estados Unidos e testemunha uma parceria que remonta 200 anos de relações diplomáticas entre os dois países.

Apoio que vem do mar

As águas que castigam também trazem esperança. A MB já empregou dez navios no RS, que realizaram o transporte de cerca de 400 toneladas de donativos, 130 mil litros de água potável, além de viaturas, aeronaves, embarcações, equipamentos e suprimentos diversos.

A Marinha também enviou ao RS um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais em Apoio à Defesa Civil, 11 helicópteros, 50 embarcações, 70 viaturas, entre outras capacidades. Para apoiar o sistema de saúde local, a Força Naval instalou um Hospital de Campanha em Guaíba; emprega equipes médicas no atendimento à população em municípios do sul do estado; e tem realizado o transporte em uma “Ambulancha” de pacientes que precisam de atendimento. Além disso, Fuzileiros Navais também têm atuado na reconstrução de escolas públicas e desobstrução de vias.

Todo esse esforço veio se somar à atuação dos militares da Marinha que servem em Organizações Militares sediadas no RS, subordinadas ao Comando do 5o Distrito Naval. Eles são empregados no resgate de pessoas e animais, e na distribuição de itens de subsistência, desde o dia 30 de abril.

FONTE: Embaixada dos EUA

Fotos em caráter meramente ilustrativo

Subscribe
Notify of
guest

31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mars

Isso é bem legal! Vai ser operação de grande valia e aprendizado para MB.

Joelson

Um momento, um fato, uma cena, uma foto para eternidade!

frank

muito bom para a marinha brasileira , deveriam estender esses treinamentos e coperacao com a marinha dos estados unidos

ElBryan

Parabéns aos envolvidos!

Rommelqe

Um exemplo de cooperação humanitária entre nações. Parabéns para todas as organizaçõe envolvidas!!!!!!!!

737-800RJ

Isso é muito bacana!
Ainda tem gente passando muitas dificuldades naquela região e toda ajuda é bem-vinda.

Nativo

E muito.
O desastre atingiu a maior parte da área do estado do RGS,.
Áreas de grande produção agrícola.
As repercussões econômicos e sociais serão enormes.

A C

Os lugares mais desenvolvidos que conhecemos hoje sairam de desastres e destruicoes, quando tiveram a oportunidade de reconstrucao apos grandes tragedias humanas e materiais. Apesar das imensas perdas, o RS tem hoje uma oportunidade impar de um recomeco solido e de desenvolvimento sem igual em sua historia. Saberia o Estado aproveitar a oportunidade?

Marcos Silva

Infelizmente não! O governo não vai fazer nada além de discursos de reconstrução e apoio à população. Brasileiro não aprende ou quer aprender. Ainda veremos isso novamente.

Orivaldo

Além donpessoal vão ajudar um local necessitado. 1 tiro 2coelhos. É só usar a Cabeça

Alex Barreto Cypriano

O título da matéria é desmentido pelo conteúdo: o encontro não é entre o Atlântico e o GW mas entre o Atlântico e o Lenthall. Quantas toneladas serão transladadas no VertRep do navio logístico (que não é da USNavy mas do US Sealift Command) pro anfíbio multipropósito? Que helis serão usados? Em vez daquele pier inútil ao Sul de Gaza, deviam ter mandado logísticos com sete mil toneladas de suprimentos e feito a entrega por SeaStallion ou Seahawk da ala aérea de um big deck qualquer: isso teria sido bonito de ver pela precisão e coordenação necessária, mas… Quanto ao… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Alex Barreto Cypriano
Dalton

Alex o “Lenthal” faz parte do inventário do que lá se chama “Battle Force” portanto é irrelevante se a maioria da tripulação é civil, obedece ordens da US Navy.
.
Quanto ao “pier” ser “inútil” é cedo ainda para dizer, mas, ao contrário do que você
pensa não há “Big Deck Qualquer” disponível, acredite eu sei, e mesmo que houvesse não seria tão eficiente quanto um “pier” recebendo carga.
.
O que se está em discussão é que o “Hamas” – que não é apenas os combatentes, mas também os administradores estariam se apossando de grande parte da ajuda.

Alex Barreto Cypriano

Mas mestre Dalton, o pier não está recebendo carga humanitária alguma e já tem americano ferido gravemente. O pier é inútil pois bastaria abrir o acesso terrestre pelo sul de Gaza pra que os muitos caminhões, atualmente parados do lado egípcio da muralha, entrem com auxílio humanitário. O Hamas é a autoridade política e militar eleita em Gaza, normal que venha a administrar recursos doados. Hamas venceu a eleição em Gaza com o apoio de Israel que queria restringir a Autoridade Palestina aa Cisjordânia. Não já nenhum big deck disponível pra auxílio humanitário porque os decisores americanos apoiam Israel e… Read more »

Alex Barreto Cypriano

Vou me retratar corrigindo a informação errada que dei: o pier já entregou nessa semana de funcionamento, desde dia 16 ou 17, mais de 450 toneladas de auxílio humanitário e apenas nesta quarta feira passada (22), 23 caminhões com suprimentos (somando, talvez, mais de cem toneladas). Peço desculpas ao mestre Dalton por esse meu equívoco.

Dalton

Nada é mais eficiente que um porto por menor que seja para entregar carga, enviar um “Big Deck” seria contraproducente, grande tripulação necessidade de rodízio, muita manutenção, atrapalharia todo um ciclo de treinamento e emprego já bastante confuso, etc. . Quanto a nenhum “disponível” há muita informação sobre eles por exemplo dos 4 da Frota do Atlântico o “Wasp” está em treinamento para missão vindoura, o “Kearsarge” e o “Iwo Jima” em manutenção e o “Bataan” retornou recentemente de mais de 8 meses de missão – você não quer um motim da tripulação por envia-los novamente se o país não… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

A chamada estava errada e foi corrigida. Grato pelo aviso.

Macgaren

É o Godzilla e o King kong se encontrando.

Burgos

Legal 👍
Parabéns a todos envolvidos 💪⚓️🫶🙌👊👏🇺🇸🇧🇷

Fabiuson

Bacana demais a operação, melhor ainda está sendo desfecho dela !

Augusto José de Souza

Das aeronaves que vieram nesse porta aviões,a MB deveria adquirir mais SH-16 Seawhalk,aproveitando a compra de novos UH-16 M Black Hawk por parte do EB,seria legal se alguns desses SH-16 duque vieram no George Washington já fossem entregues por aqui mesmo para modernizar ainda mais a frota de asas rotativas da MB e encher o Atlântico de helicópteros e ainda sobrar alguns para o Bahia e Almirante Sabóia transportarem. Esse último já voltou da manutenção e está na BNRJ novamente.

Koprowski

Alguém sabe se a China e a Rússia estão ajudando, de alguma forma, o RS ?

Clim

Meu amigo…..não subestime a Rússia nem a china ..são parceiros comerciais…o EUA tá aí pra. Fazer média e colocar fogo na lenha e um oportunista… dificultando tudo o desenvolvimento ….de várias nações…o Brasil tem que aceita ajuda …. independente de qualquer nação …mais o EUA já faz com um propósito provocar….

Marcos Silva

“EUA tá aí pra. Fazer média e colocar fogo na lenha…”
Mas estão aí! E sempre estarão. E não me interessa o motivo!
O pobo do RG precisa de toda a ajuda possível.

Heinz

Os russos estão muito ocupados matando ucranianos e a China em procurar desestabilizar Taiwan e os países do mar do sul da china.
Os “terríveis” yankers que ofereceram alguma ajuda.

Last edited 24 dias atrás by Heinz
Marcos Silva

Estão ajudando muito.
A melhor ajuda de todas é não se envolverem.

Orivaldo

Devem ter soltado uma nota lamentando o ocorrido, e a China, sendo a mais poluidora do Planeta, falando sobre as mudanças climaticas

deadeye

Os dois soltaram apenas notas de pesar. Já além da ajuda oficial dos EUA, que além dessa, doaram dinheiro para a defesa civil do R.S. Diversas organizações cristãs dos EUA, mandaram ajuda.

Até o UAE e a Arábia Saudita ajudaram, agora China e Rússia, não levantaram um dedo.

Alex Barreto Cypriano

Segundo registros, o USNS John Lenthall possui 690 metros quadrados de depósitos pra carga seca (é um navio tanque, T-AO não um T-AKE…). Nesse espaço deve ser possível colocar no máximo 400 toneladas. Mas acho que é bem menos o que se iria ‘vertrepizar’ 😉
De toda forma, um Seahawk eleva no máximo 6 mil libras (~2,7 toneladas) de carga em VertRep.

deadeye

Os EUA é inegavelmente nosso maior aliado. Agora eu pergunto… o que o BRICS fez? nada…

Rodrigo

O Irã mandou alguma doação ou só oração?

adriano Madureira

Nossa, como eles são bonzinhos, bem que poderiam mandar uma ajudinha dos laranjas deles da USAID, como eles sempre fazem nos países que eles ocupam…

comment image