NAe São Paulo (A12) 2007 - by www.naval.com.br

O IPRISInstituto Português de Relações Internacionais e Segurança, publicou um artigo em inglês que trata do acordo entre o Brasil e a China para treinamento de tripulações na operação de navios-aeródromo.

A trabalho diz que o Brasil vai ganhar prestígio e orgulho com o acordo, bem como estreitar suas relações com a China. Enquanto isso, os chineses vão receber um benefício mais tangível, que é a abreviação do tempo necessário para começar as operações de sua aviação naval.

No longo prazo, porém, o Brasil poderá ser o grande ganhador, se sua assistência se converter em apoio à sua entrada no Conselho de Segurança da ONU.

Independentemente dos resultados a longo prazo, o acordo dá um sinal claro ao mundo que o equilíbrio global de poder está mudando, não só economicamente, mas também militarmente, pois os grandes países emergentes do grupo BRIC procuram traduzir o poder fiscal em capacidades de projeção de força.

Para acessar o artigo em formato PDF do IPRIS, clique aqui.

FOTO: Poder Naval

Tags:

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

98 Responses to “BRIC no mar: o acordo Brasil-China para porta-aviões” Subscribe

  1. claudio silva 3 de fevereiro de 2010 at 4:58 #

    O Brasil confiou na China em reconhecer eles como econpmoa de mercado e pelo que me lembro o Brasil depois levou rasteia, me corrijam se estivr errado.
    abraços

  2. Diego 3 de fevereiro de 2010 at 6:27 #

    Acordos sempre são bem vindos entre os paises dos BRICS, ainda mais agora com a China, será bom para os dois lados, espero que dê certo.

    Abraços

  3. alexandre 3 de fevereiro de 2010 at 7:07 #

    levou rasteira na 1º,e se nao me engano o treinamento que tiverao em portas avioes foi em parte repassado pelos eua,o que provavelmente nao vai se repetir mais pelo fato de ser repassado pros chineses.e tome rasteira dupla.

  4. Learce 3 de fevereiro de 2010 at 7:10 #

    Um pouco antes e mesmo logo no inicio da Segunda Guerra Mundial, o Brasil se aproximou muito da Alemanha e quase embarcou na maior furada de sua história. Esta aproximação com a China pode ter consequencias muito graves ou alguém duvida o proximo enfrentamento Americano pode ser justamente com eles. Em termos economicos podemos e devemos fazer negocios com qualquer um; no campo militar,nem tanto, um pouco de cautela não faz mal.

  5. emerson 3 de fevereiro de 2010 at 7:31 #

    Há um erro na análise de Learce. Getulio tinha uma vocação facista, assim como muita gente nos EUA, Argentina e metade do mundo. Contudo, Getulio fez uma politica externa bem mais independente e esperou o desenvolvimento da Guerra para vender o apoio brasileiro, lançando a semente da industrialização brasileira a partir da CSN. Não se poder dizer que Getulio “quase embarcou” em uma aventura. GEtulio era bem mais inteligente do que isso.

  6. Nelson Lima 3 de fevereiro de 2010 at 7:44 #

    O Brasil é um país livre e faz acordo com quem quiser. Parem com essa mentalidade colonizada de ter medo dos americanos. Eu defendo a compra de caças norte-americanos desde que isso não implique em revezes à nossa soberania.

  7. Joaca 3 de fevereiro de 2010 at 8:05 #

    Senhores
    Ao meu ver este acordo com a marinha chinesa pode trazer os recursos necessários para a MB operar de maneira adequada o A-12. Talvez, possamos também aprender sobre construção de reatores nucleares e de vasos de guerra de grande tonelagem.
    At
    Joaca

  8. Lecen 3 de fevereiro de 2010 at 8:20 #

    Tolice acreditar que a China agora irá apoiar o Brasil numa candidatura a uma vaga permanente no Conselho de Segurança.

    Já prometeu isso antes e passou a perna em nós quando o Brasil reconheceu a China como economia de mercado e fará novamente.

    Um país como a China, baseando-se em suas tradições políticas históricas e culturais, não quer aliados, mas quer estados-tributários. Em suma, China no céu, o resto lá no chão.

    O nosso país está se aliando com os países errados: China, Cuba, Venezuela, Irã, etc…

    O que eles têm em comum? São todos ditaduras atrozes.

    “Diz-me com quem tu andas e direi quem tu és.”

    Poderíamos modificar um pouco esta frase:

    “Diz-me com quem tu andar e direi quem tu queres ser.”

  9. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 8:32 #

    Vamos aos fatos:

    1. O UNICO pais do mundo que controi catapultas para Porta Avioes sao os Estados Unidos.

    2. O UNICO que fabrica avioes VSTOL sao os Estados Unidos

    3. O UNICO que dispoe de avioes de treinamento para pouso em porta avioes sao os Estados Unidos

    4. a Franca depende dos EUA para treino dos seus pilotos e manutencao das catapultas do seu porta avioes.

    5. A Marinha do Brasil esta na mesma situacao.

    6. Os Estados Unidos nao treinam pilotos e tecnicos de paises que transferem tecnologia a paises hostis.

    Se a Marinha do Brasil treinar os Chineses, o que ela nao pretende fazer, estaria condenando a sua Aviacao Embarcada a extincao.

    Sem o apoio da Marinha Americana, nao existe Aviacao Naval Embarcada em Porta Avioes, ate o Reino Unido depende deles.

  10. Marco antonio Lins 3 de fevereiro de 2010 at 9:15 #

    Parabens!Sr Nelson Lima

    Pelo comentario feliz,já basta mercantilismo ! Seja qual for o Pais não somos quintal de niguem.Já basta de babaquice ideologica fora interesses pessoais que´só faz atrazar o pais.A FAB nos decepciona, quando quer avião que serve de treinamento para seu pilotos( RAF). pelos resultados do AMX tire suas conclusão.\Eles poderão ser adquirido para substituir os Xavantes.A-29/Gripen/Rafale
    e basta -Depois entrar no Par-FA.E modernizar todos os existente em nossa força.

  11. PROFESSOR 3 de fevereiro de 2010 at 9:18 #

    Acordos sempre é bom e necessários para o desenvolvimentos de novas tecnologias, más da China não se esperem nada além de dinheiro como o primeiro comentário dessa matéria os chinesses já nos passaram a perna uma vez e na verdade se formos analisar friamente não é interessantepara nenhum dos membros permanentes com direito a veto que outros paises tenham o msm direito, o Brasil só conseguirá isso se houver pressãodos paises nao membros permanente para que o Brasil seja seu representante caso contrário mesmo que o presidente Lula seja hj um dos mais respeitados pela comunidade internacional isso praticamente impossivel

  12. Fábio Mayer 3 de fevereiro de 2010 at 9:22 #

    Penso que os chineses, ou vão colocar uma montanha de dinheiro para fazer o São Paulo sair da doca, ou vão se decepcionar com sua falta de capacidade.

    Acordos assim são bem vindos. Nem o Brasil quer virar umna ditadura como a China, nem a China quer virar uma democracia esculhambada como a do Brasil, o que resta, são apenas interesses técnicos, e o Brasil tem tido azar nesse quesito, espoliado que está sendo pela França, afastado dos EUA… a China pode ser o que falta para o Brasil efetivamente conseguir um rumo para sua questão militar.

  13. Bayron 3 de fevereiro de 2010 at 10:12 #

    Que problema tem o Brasil treinar os chineses??? Não vejo nada de mau nisso, muito pelo contrário, é uma oportunidade de aprimorar até mesmo nosos profissionais.

    Só por que o Brasil vai treinar a China não quer dizer que sejamos contra os EUA.

    Lecen em 03 fev, 2010 às 8:20

    O brasil é sim aliando a países como: China, Cuba, Venezuela, Irã, etc… mas também é alida de todos os outros países “não errado” do mundo. Afinal, temos algum inimigo???

    Abraço

  14. motta_eiras 3 de fevereiro de 2010 at 10:17 #

    Não se pode despresar qq aproximação com um país como a China potencia economica e grande parceira comercial do Brasil. Me parece q há um acordo de desenvolvimento do nosso reator para o sub nuclear e certamente outros acordos deverão ser traçados a partir deste trabalho conjunto. O Brasil foi o unico País a se dispor a ser base de treinamento para aviação embarcada da China. Quanto as outras posições politicas de apoio ao Brasil não podemos exigir pois como o Brasil a China tem sua soberania e decide como lhe convier. Em fim toda parceria com potências como a China deverá ser bem vinda e que cada parte tire o maior proveito disto.

  15. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 10:27 #

    “Que problema tem o Brasil treinar os chineses??? Não vejo nada de mau nisso, muito pelo contrário, é uma oportunidade de aprimorar até mesmo nosos profissionais.”

    Infelizmente, os Estados Unidos que treinam os nossos Avidores talvez nao vejam com bons olhos a Marinha do Brasil transferida know how da Marinha dos EUA para a China.

    O Brasil nao e; aliado nem da China,, Cuba ou Venezuela.

    A China nao tem alidos, somente paises clientes.

  16. Henrique Sousa 3 de fevereiro de 2010 at 10:39 #

    O Brasil até que pode passar seu conhecimento em operações embarcadas para quem ele quiser, mas que arque com as consequências.
    Quem domina este conhecimento são os EUA, e achar que não é necessário ter um bom relacionamento com eles desconhece os fatos.

    Não vejo como argumento válido a troca de gentilezas que alguns propagam: ajudamos eles com CTOL e eles nos ajudam no CS da ONU.

  17. Rodrigo Cesarini 3 de fevereiro de 2010 at 11:00 #

    A educação precária do Brasil dá nisso, problemas generalizados de interpretação de texto; vejam o que diz o texto: acordo entre o Brasil e a China para treinamento de tripulações na operação de navios-aeródromo.

    A Marinha vai passar know-how de como “administrar” uma tripulação enorme, típica de um NAe; pois os chineses não tem tradição na operação de grandes navios. Não vão treinar pilotos, mesmo porque a China não vão usar aviões lançados por catapulta, só passar procedimentos admnistrativos e de logística.

    Parem de procurar chifre em cabeça de cavalo.

  18. vinicius modolo 3 de fevereiro de 2010 at 11:12 #

    o motor do A-12 é 2 tempos????? como sola fumaça heim!!!! srsrsr

  19. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 11:16 #

    A Marinha da China nao precisa de know how de como administrar navios de grande porte, pois os tem, e muitos.

    O que ela deseperadamente necessita e’ de know how de operacao de Navios Aerodromos.

    A Russia, que e’ a principal forncedora de armas, se recusa a dar este treinamento.

    Quanto a catapultas, o unico pais que dispoe nao fornece esta tecnologia, os EUA – se eles nao nos derem apoio a operacao do Sao Paulo, podemos usar o mesmo como Porta Helicopteros, sem os EUA nao ha como operar o Sao Paulo como Porta Avioes.

  20. Julio 3 de fevereiro de 2010 at 11:46 #

    Se o Brasil está fechando esse acordo com objetivo de receber apoio da China para o Conselho de Segurança da ONU, pode esperar sentado, pois a China nunca irá apoiar firmemente a pretensão do Brasil, a atrapalhada diplomacia brasileira já sentiu. O Brasil poderia exigir da China auxilio em áreas de tecnologia que ainda não dominamos.

  21. Rodrigo Cesarini 3 de fevereiro de 2010 at 11:47 #

    Que grande porte estamos falando? Há uma diferença muito grande entre operar um cruzador e um NAe.

  22. alexandre 3 de fevereiro de 2010 at 12:17 #

    Rodrigo Cesarini em 03 fev, 2010 às 11:47

    Que grande porte estamos falando? Há uma diferença muito grande entre operar um cruzador e um NAe.
    Achina esta louca pra adquirir conhecimento sobre operaçoes com aviaçao embarcada em nae’s,nao faz sentido fazer acordo pra treinar so pessoal administrativo.

  23. caravlhomtts 3 de fevereiro de 2010 at 12:50 #

    Boa tarde Srs.
    Ajudar os Chineses a administrar um NAe para num futuro a longo prazo, termos uma chance de entrar no CS da ONU,acho pouco provável,agora,se for uma cooperação das 3 forças,de ambos os lados, a longo prazo,ai sim teríamos alguma chance de entrar,já seria a França e China com voto a nosso favor,bem mais isso a longo prazo.
    Abraço a todos.

  24. Almeida 3 de fevereiro de 2010 at 12:57 #

    Prestigio e orgulho? Nossos aviadores navais e controladores aereos sao formados nos EUA, quero ver se eles vao gostar disso…

    A China acabou de pressionar os EUA pra nao venderem armas a Taiwan. Duvido que os EUA nao nos pressionem a nao repassar esse conhecimento para os chineses.

  25. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 13:22 #

    Quando recebemos os A-4, os nossos aviadores foram formados nos EUA, um piloto ex-US Navy testou os A-4, um ex-oficial da US Navy treinou o pessoal com LSO (Landing Signal Officer) …

    estamos comprando Trackers ex-US Navy para serem reformados por uma empresa dos EUA, para serem operados no Sao Paulo

    estamos comprando SH-60B como plataforma ASW do Sao Paulo

    O convoo do Sao Paulo foi reformado para ser compativel com a doutrina de uso da US Navy

    Seria infantil imaginar que a Marinha do Brasil ira por em risco a tradicional e estabelecida parceria com a US Navy em troca de nada, a Marinha da China so tem a ganhar.

    Quanto a cadeira no conselho de Seguranca, e’ uma quimera, a China ira vetar qualquer mudanca que inclua o Japao la.

    Agora, uma cooperacao com a Marinha do Japao seria maravilhosa, temos muito a aprender com eles.

  26. O Fortuna 3 de fevereiro de 2010 at 14:02 #

    Wow!Que povo guerreiro e corajoso! Tem ainda quem duvida do futuro desse povo erdeiro do imperio portugues?Pela coragem mostrada nesses comentarios dà pra ver mesmo que ai niguem tem espirito de servilismo .18 comentarios e sò 2 ou 3 responderam com dignidade,o resto antes de ousar ir ao banheiro pediriam 1000 licenças e desculpas ao patrao(nesse caso os USA ,mas nao duvido que se fosse outro seria a mesma coisa).Braveheart deve ter sido brasileiro.HAHAHA-ironico. da pra entender ?
    Lecen em 03 fev, 2010 às 8:20 :
    1″…Um país como a China, baseando-se em suas tradições políticas históricas e culturais, não quer aliados, mas quer estados-tributários…”
    Lecen, nao è sò a china,todas as “superpotencias” e imperios da historia foram assim,quem mais quem menos.Os USA nao fogem da regra,talvez podem acariciar e premiar mais os seus subordinados.

    2“Diz-me com quem tu andas e direi quem tu és.”

    Aqui na Italia tem tambem outra maxima que diz o contrario:
    “E’ sbagliato giudicare un uomo dalle persone che frequenta. Giuda, per esempio, aveva degli amici irreprensibili.” -“E’ errado julgar um homen em base as pessoas que frequenta.Juda,por exemplo,frequentava pessoas irreprensiveis.(jesus certamente nao era uma mà companhia do meu ponto de vista)

    Thomas em 03 fev, 2010 às 11:16 e Thomas em 03 fev, 2010 às 8:32
    A inteligencia ,o intelecto ,a sabedoria nao sao exclusivas made in U.S.A. . Quem nao sabe aprende ,niguem naceu sabendo, assim como eles aprenderam os brasileros podem aprender fazendo.Talvez seja necessario mais tempo ,dediçao , vontade e uma decada a mais,mas nada è impossivel. Os chineses fazem isto porque estao com pressa, querem queimar as etapas rapidamente.Se lembre tambem que parte importante das tecnologias que hoje possuem os americanos è merito de grandes cerebros europeus ,tambem de proveniencia da Alemanha(depois da 2à guerra mundial) ,assim como da U.R.S.S.(depois da caida desta claro).O grande merito dos norte-americanos è saber investir e atrair essas grandes mentes , confiar nas possibilidades deles, a autostima e arrogancia para impor a supremacia deles ao mundo.Vamos dizer a verdade ,sem querer ofender niguem: brasileiro tem sindrome de viralata ,vcs mesmos dizem,complexo de inferioridade,nao è um povo com tradiçao guerreira e combativa= Nunca poderà ser uma potencia.As superpotencias agem de maneira completamente diferente. China e U.S.A. tem outra visao sobre mundo.

    “Quanto a catapultas, o unico pais que dispoe nao fornece esta tecnologia, os EUA – se eles nao nos derem apoio a operacao do Sao Paulo, podemos usar o mesmo como Porta Helicopteros, sem os EUA nao ha como operar o Sao Paulo como Porta Avioes.”_Pouco mal Thomas,para aquilo que serve o SP ao Brasil , seria atè uma despesa em menos. Preferivel investir esse dinheiro em uma esquadra de submarinos nucleares.Quem nao pode è inutil querer fazer potencia sò pra se exibir sem poder.Esses joguinhos funcionam sò s vc è servo de alguem ,è o caso do Brasil. Caso contrario ,quem se amostra demais sem poder acaba mal ,muito mal.

    “Se per vivere ti dicono di strisciare, tu alzati e muori ridendo .”

    Se para viver te dizem de enjoelhar -arrastar no chao -, se levante e morra sorrindo.

    P.S. Desculpem meu pessimo portugues,nao è a minha lingua natal .Sorry :)

  27. humberto 3 de fevereiro de 2010 at 14:03 #

    Senhores,
    Intercambio entre paises é perfeitamente normal, com certeza neste momento, existem militares chineses sendo treinados nos EUA e vice-versa. Vão vir quantos chineses sendo treinados? 1, 10, 100? A quantidade sim pode determinar algum mal estar junto aos gringos.. Com certeza a MB tem ideia até onde esticar a corda..já o GF..
    []

  28. OTV 3 de fevereiro de 2010 at 14:58 #

    Eu nãolembro onde li o que vou falar, mas acho que foi em um dos blogs do trio aqui, que a China tem 400 bi de dolar aplicados em títulos americanos no próprio EUA.
    Não vejo garnde problemas neste acordo. O problema será quando o Brasil fizer com qualquer pais que apoio o terrorismo, aí sim estaremos em maus lençois.

  29. Paulo 3 de fevereiro de 2010 at 16:16 #

    O ex-ministro Mangabeira Unguer falou que o Brasil precisa aprender a dizer não. Nós vamos treinar os chinas sim e pior pra quem achar ruim. Estams caminhando a passos largos para sermos potência econômica e daí para potência militar será um pulo. E mesmo que a China não nos apoie na questão do CS da ONU, desde que eles nos comprem frango, carne, minério de ferro, soja, aviões, frutas, petróleo e outros produtos, o resto não interessa. Talvez até possamos fisgar alguma tecnologia sensível. Aliás, eles já são nosso principal parceiro comercial. E não se despreza um mercado com um bilhão e 200 milhões de bocas para alimentar.

  30. Carlos Augusto 3 de fevereiro de 2010 at 16:34 #

    O Brasil passar conhecimento que obteve com os USA, não sei não, mas acho que vamos ter problemas com os nossos brothers do Norte. Essa cadeira no CS, não vale esse sacrificio todo, e os Chineses não são de cumprir promessa nenhuma, que o diga os Russos.

  31. Cristiano GR 3 de fevereiro de 2010 at 16:52 #

    EMERSON E LEARCE:

    GETULIO FOI, É E SEMPRE SERÁ… O CARA. (e nunca se cupixou com o Sarney p ter apoio)
    E morreu em defesa de suas convicões.

    E sobre a II Guerra, se o Brasil tivesse participado ao lado dos alemães, talvez, estivesse melhor que está hoje. Tomem o exemplo do Japão com o crescimento totalmente gerido pelos EUA logo após a guerra. Mas vejam bem, TALVEZ. Mas, lógico, não valia correr o risco.

  32. Lacerdinha 3 de fevereiro de 2010 at 16:58 #

    Tem muita gente raciocinando pro dia de amanhã, passem a raciocionar num tempo mínimo de 5 anos, o certo mesmo seriam 10 anos.
    Cada um com seu cada um, se propos-se agora tal acordo como este é porque é o tempo certo para tal, nada acontece fora do seu tempo.
    A China tem pressa e o Brasil tem interesses, o resultado disso chama-se acordo, e que o Tio Sam trate de compensar uma possível preocupação com alguma coisa que nos interesse também, é assim que se joga o jogo.

  33. Giuliano 3 de fevereiro de 2010 at 17:39 #

    Acho que valeria um post para o comentário da galera “especializada”.

    (do Vi o Mundo – Blog do jornlista Luiz Carlos Azenha)

    Raul Zibechi: Um porta-aviões chamado Haiti
    Atualizado e Publicado em 03 de fevereiro de 2010 às 17:12

    A IV Frota em ação: um porta-aviões chamado Haiti

    Com a crise haitiana, a militarização das relações entre os EUA e a América Latina avança mais um passo, como parte da militarização de toda política externa de Washington. A intervenção é tão escancarada que o jornal chinês “Diário do Povo” pergunta se os EUA pretendem incorporar o Haiti como mais um Estado. Em apenas uma semana o Pentágono mobilizou para a ilha um porta-aviões, 33 aviões de socorro e numerosos navios de guerra, além de 11 mil soldados. A Minustah, missão da ONU para a estabilização do Haiti, tem apenas 7 mil soldados. O problema central para a hegemonia dos EUA na região é o Brasil. O artigo é de Raul Zibechi.

    Raul Zibechi

    A reação dos Estados Unidos de militarizar a parte haitiana da ilha logo após o devastador terremoto de 12 de janeiro deve ser considerada dentro do contexto gerado a partir da crise financeira e da chegada de Barack Obama à presidência. As tendências de fundo já estavam presentes, mas a crise acelerou-as de um modo que lhes deu maior visibilidade. Trata-se da primeira intervenção de envergadura da IV Frota, restabelecida há pouco tempo.

    Com a crise haitiana, a militarização das relações entre os EUA e a América Latina avança mais um passo, como parte da militarização de toda política externa de Washington. Deste modo, a superpotência em declínio tenta retardar o processo que a converterá em uma de outras seis ou sete potências no mundo. A intervenção é tão escancarada que o jornal oficial chinês Diário do Povo (de 21 de janeiro) pergunta se os EUA pretendem incorporar o Haiti como um Estado mais da União.

    O jornal chinês cita uma análise da revista Time, onde se assegura que “o Haiti se converteu no 51° estado dos EUA ou, pelo menos, seu quintal”. Com efeito, em apenas uma semana o Pentágono mobilizou para a ilha um porta-aviões, 33 aviões de socorro e numerosos navios de guerra, além de 11 mil soldados. A Minustah, missão da ONU para a estabilização do Haiti, tem apenas 7 mil soldados. Segundo a Folha de São Paulo (20 de janeiro), os EUA substituíram o Brasil de seu lugar de direção da intervenção militar na ilha, já que, em poucas semanas, terá “doze vezes mais militares que o Brasil no Haiti”, chegando a 16 mil homens.

    O mesmo Diário do Povo, em um artigo sobre o “efeito estadunidense” no Caribe, assegura que a intervenção militar deste país no Haiti terá influência em sua estratégia no Caribe e na América Latina, onde mantém uma importante confrontação com Cuba e Venezuela. Essa região é, para o jornal chinês, “a porta de entrada de seu quintal”, que os EUA buscam “controlar muito de perto” para “continuar ampliando seu raio de influência sobre o sul”.

    Tudo isso não é muito novo. O importante é que se inscreve em uma escalada que iniciou com o golpe militar em Honduras e com os acordos com a Colômbia para a utilização de sete bases neste país. Se, a isso, somamos o uso das quatro bases que o presidente do Panamá, Ricardo Martinelli, cedeu a Washington em outubro, e as já existentes em Aruba e Curaçao (ilhas próximas a Venezuela pertencentes a Holanda), temos um total de 13 bases rodeando o processo bolivariano. Agora, além disso, consegue posicionar um enorme porta-aviões no meio do Caribe.

    Segundo Ignácio Ramonet, no Le Monde Diplomatique de janeiro, “tudo anuncia uma agressão iminente”. Esse não parece ser o cenário mais provável, ainda que se possa concluir duas coisas: os EUA optaram pelo militarismo para mitigar seu declínio e necessitam do petróleo da Colômbia, Equador e, sobretudo, da Venezuela para afiançar sua situação hegemônica ou, pelo menos, diminuir a velocidade deste declínio. No entanto, as coisas não são tão simples.

    Para o jornal francês, “a chave está em Caracas”. Sim e não. Sim porque, com efeito, 15% das importações de petróleo dos EUA provém da Colômbia, Venezuela e Equador, mesmo índice da quantidade importada do Oriente Médio. Além disso, a Venezuela caminha para converter-se na maior reserva de petróleo do planeta, assim que se confirmarem as reservas do Orinoco descobertas recentemente. Segundo o Serviço Geológico dos EUA, seriam o dobro das da Arábia Saudita. Tudo isso seria suficiente para que Washington desejasse, como deseja, tirar Hugo Chávez do poder.

    Ao meu modo de ver, o problema central para a hegemonia estadunidense no seu “quintal” é o Brasil. O petróleo é uma riqueza importante. Mas é preciso extraí-lo e transportá-lo, o que demanda investimentos, ou seja, estabilidade política. O Brasil já é uma potência global, é o segundo dos países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), ficando atrás em importância apenas da China. Dos dez maiores bancos do mundo, três são brasileiros (e cinco chineses). Nenhum destes dez bancos é dos EUA ou da Inglaterra. O Brasil tem a sexta reserva de urânio do mundo (com apenas 25% de seu território investigado) e estará entre as cinco maiores reservas de petróleo quando for concluída a prospecção da bacia de Santos. As multinacionais brasileiras figuram entre as maiores do mundo. A Vale do Rio Doce é a segunda mineradora e a primeira em mineração de ferro; a Petrobras é a quarta empresa petrolífera do mundo e a quinta empresa global por seu valor de mercado; a Embraer é a terceira empresa aeronáutica, atrás apenas da Boeing e da Airbus; o JBS Friboi é o primeiro frigorífico de carne de gado bovino do mundo; a Braskem é a oitava petroquímica do planeta. E poderíamos seguir com a lista.

    Ao contrário da China, o Brasil é autosuficiente em matéria de energia e será um grande exportador. Sua maior vulnerabilidade, a militar, está em vias de ser superada graças à associação estratégica com a França. Na década que se inicia, o Brasil fabricará aviões caça de última geração, helicópteros de combate e submarinos graças à transferência de tecnologia pela França. Até 2020, se não antes, será a quinta economia do planeta. E tudo isso ocorre debaixo do nariz dos EUA.

    O Brasil já controla boa parte do Produto Interno Bruto da Bolívia, Paraguai e Uruguai, tem uma presença muito firme na Argentina, da qual é um sócio estratégico, assim como no Equador e no Peru, que facilitam a saída para o Pacífico. Aí está o osso mais duro para a IV Frota. O Pentágono desenhou para o Brasil a mesma estratégia que aplica a China: gerar conflitos em suas fronteiras para impedir a expansão de sua influência: Coréia do Norte, Afeganistão, Paquistão, além da desestabilização da província de Xinjiang, de maioria muçulmana.

    Na América do Sul, um rosário de instalações militares do Comando Sul rodeia o Brasil pela região andina e o sul. A pinça se fecha com o conflito Colômbia-Venezuela e Colômbia-Equador. Agora contará com o porta-aviões haitiano, deslocando desta ilha a importante presença brasileira à frente da Minustah. É uma estratégia de ferro, friamente calculada e rapidamente executada.

    O problema que as nações e os povos da região enfrentam é que as catástrofes naturais serão uma moeda de troca corrente nas próximas décadas. Isso é apenas o começo. A IV Frota será o braço militar mais experimentado e melhor preparado para intervenções “humanitárias” em situações de emergência. O Haiti não será a exceção, mas sim o primeiro capítulo de uma nova série pautada pelo posicionamento militar dos EUA em toda a região. Dito de outro modo: nós, latino-americanos, corremos sério perigo e já é hora de nos darmos conta disso.

    Tradução: Katarina Peixoto

  34. Leopoldo Duarte 3 de fevereiro de 2010 at 17:47 #

    Otima parceria com a China, os dois lados sai ganhando e defendo os acordos militares e parceria estrategicas, para o Brasil e suma importancia este acordo, quem sabe sai algum desenvolvimento de produto belico.

  35. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 17:48 #

    “Tio Sam trate de compensar uma possível preocupação com alguma coisa que nos interesse também, é assim que se joga o jogo.”

    Tio Sam nao e’ um Idiota, neste jogo ou voce joga honesto – ou ninguem joga com voce.

    Ou voce esta com eles – ou esta contra eles.

    “E sobre a II Guerra, se o Brasil tivesse participado ao lado dos alemães, talvez, estivesse melhor que está hoje. Tomem o exemplo do Japão com o crescimento totalmente gerido pelos EUA logo após a guerra. Mas vejam bem, TALVEZ. Mas, lógico, não valia correr o risco.”

    estaria ? o que levantou a Alemanha e o Japao foi o plano Marshall, dinheiro dos EUA, o motivo : conter o Comunismo, se nao fosse o plano Marshall ambos estariam hoje parecidos com a Albania.

  36. Mahan 3 de fevereiro de 2010 at 18:45 #

    Na época, Vargas sofria da mesma doença que Lula: anti-americanismo terceiromundista. Se o primeiro via na alemanha nacional-socialista um contrapeso aos EUA o segundo vê o IRAN fundamentalista-nuclear do mesmo modo. Acordo para porta-aviões ? Se ainda fosse para construção conjunta dos futuros Nae Sino-Brasileiros classe Nimitz (-)…

  37. Dunga 3 de fevereiro de 2010 at 19:08 #

    Acordo com a China é obra CARACOO>>>

    A china entre com a cara e o Brasil entra com o …

  38. nozes 3 de fevereiro de 2010 at 19:19 #

    gostei do que vc falou O Fortuna

    parabéns!

  39. Robson Br 3 de fevereiro de 2010 at 19:27 #

    Muitas críticas, mas vai ser um ano de surpresas para a MB.

    devagarzinho e sem alarde ela está chegando lá.
    Pena que a FAB está perdendo o trem…….

  40. O Fortuna 3 de fevereiro de 2010 at 20:29 #

    Obrigado nozes ,feliz que vc condivida e tenha a mesma visao.
    Abraços

  41. gerson carvalho 3 de fevereiro de 2010 at 20:43 #

    Caros amigos,

    Acho que a MB sabe o que esta fazendo. vamos imaginar que os chineses vão colocar alguns de seus SU27-F (falsificado) mais que voam muito bem ja que são copias perfeitas dos originais russos. podem também esta negociando a transferencia de tecnologia de construção de navios de grande porte ou coisa do tipo. mais com certeza não vai ser ruim para a MB e os EUA que se F…..

  42. cometa 3 de fevereiro de 2010 at 20:49 #

    O acordo é meramente político, beneficia mais o Brasil que a China… o país que mandou astronauta para o espaço, tem o maior exécito do mundo e segunda economia do mundo não precisa de ninguém para operar PA… estão todos os usuários do tópico reprovados !!!!!!!!!!!!!!!
    O senhores do Estado Novo tinham medo de tomar a atitude errada, por isso pessoas pró-alemanha e pró-EUA faziam párte do Governo…caso a Alemnaha tivesse descoberto como fazer a bomba atômica antes da guerra o Brasil não apoiaria os EUA…simples assim.

  43. Lacerdinha 3 de fevereiro de 2010 at 20:54 #

    Thomas em 03 fev, 2010 às 17:48

    Tio Sam nao e’ um Idiota, neste jogo ou voce joga honesto – ou ninguem joga com voce.

    Por um acaso você está sugerindo que o Brasil, ai incluído o GF e a Marinha Guerra de Brasileira estão sendo desonestos ???

    Nota-se que você entende muito de diplomacia.

  44. O Fortuna 3 de fevereiro de 2010 at 20:56 #

    Giuliano em 03 fev, 2010 às 17:39
    Gostei muito do artigo que vc postou,muito interesante.
    Abraços

  45. Challenger 3 de fevereiro de 2010 at 21:22 #

    O Brasil em mais um acordo CaraCu.

  46. Thomas 3 de fevereiro de 2010 at 21:48 #

    “Por um acaso você está sugerindo que o Brasil, ai incluído o GF e a Marinha Guerra de Brasileira estão sendo desonestos ???

    Nota-se que você entende muito de diplomacia.”

    exato, repassando know how para os Chineses, que os EUA jamais passariam, ao mesmo tempo obtendo apoio (impressindivel) da Marinha dos EUA (inluindo Trackers e SH-60B) seria uma demonstracao de falta de honestidade.

    Nao pense que os Americanos nao levam a serio estas questoes, paises Aliados dos EUA ja se viram vitimas de boicote por parte dos EUA por transferencia de know how a paises que nao deveriam.

    A Russia, principal fornecedora de armas a China NAO FORNECEU KNOW HOW nem aceitou vender o Su-33 ou MiG-29K a China.

    Voce imagina o que aconteceria com a reputacao da Marinha do Brasil se ela fornecesse know how de operacao de Porta Avioes a China…

    E se nao me engano, quem esta atualizando o nosso know how de Porta Avioes nao e’ a Franca mas os EUA …

  47. Harry 3 de fevereiro de 2010 at 21:49 #

    Marinha do Brasil

    Audácia é seu nome

  48. bruno luiz 3 de fevereiro de 2010 at 21:57 #

    Thomas em 03 fev, 2010 às 8:32

    Apenas algumas correções

    Vamos aos fatos:

    O Yak-141 soviético foi o primeiro “caça” de verdade a usar o sistema VSTOL. Esse foi um bom projeto, mas não teve muito sucesso. Logo depois o sistema soviético foi aplicado no F-35 que utiliza o seu sistema de curvar o bucal exaustão para baixo.

  49. caravlhomtts 3 de fevereiro de 2010 at 22:28 #

    pessoal boa noite,
    Que a china usa o mesmo approach que o EUA não temos a menor duvida,mais raciocinemos um instante,somos um player completamente diferente de a vinte anos atrás,aprendemos muito e a duras custas,não vamos confundir alhos com bugalhos,os nosso técnicos militares são muito bons e sabem muito bem o terreno em que estão pisando.
    abraço a todos.

  50. O Fortuna 3 de fevereiro de 2010 at 22:35 #

    Thomas,è interessante notar um pouco de ingenidade sua quando vc fala de honestidade como se os USA fossem exemplo ,o pais mais correto e honesto,algo que sabemos nao ser (Timor-Leste/ indonesia ,Nicaragua sao apenas 2 exemplos da honestidade e da etica moral que tem a diplomacia americana).Vc analisa as relaçoes diplomaticas como se fossem relaçoes pessoais entre amigos.Nao exitem paises amigos ,os interesses estrategicos nacionais vem antes de tudo,os americanos sabem bem disso,apesar as vezes as lobbys de grandes intersses economicos consigam passar a frente .
    A reputaçao da Marinha do B. ?Vc acha que o Brasil pode fazer algo assim sem aprovaçao dos U.S.A. ?Se atè para exportar Supertucanos a Venezuela vcs sofrem pressoes e sao constringidos a renunciar .Algo assim sem o bem estar ou indiferença dos U.S.A. nunca aconteceria sem boicote ou pior por parte deles. A China nao faz isso porque è incapaz ou retrasada e inferior ao Brasil,alias è muito afrente em ambiçao ao Brasil e tambem tecnologicamente,ela quer simplesmente acelerar o processo de algo que com certeza consiguiria obter sozinha mas com maior perda de tempo.
    Em quanto a Russia,forneceu muito “KNOW HOW ” ,como vc chama, atè demais e os chineses aproveitaram foram alem de onde estabeleciam os acordos para produçao em serie em terra chines dos lotes Sukhoi, produzindo excedentes fora dos limites e dos acordos. Os russos estao sò tentando pegar mais tempo,depois que deram mais do que deviam , virao o potencial e acelerada chines, freiar o avanço militar -algo inevitavel- chines para equilibar os pesos na regiao(INDIA contro-peso natural a qual a Russia fornece apoio tambem.O PAK FA è so uma das pedrinhas ).A Marinha russa està desfasada nao è interesse dela apoiar e acelerar o crecimento da aliada/rival chines .
    Abraços

  51. O Fortuna 3 de fevereiro de 2010 at 22:39 #

    ingenuidade*-Me Desculpem erros do meu portugues

  52. caravlhomtts 3 de fevereiro de 2010 at 23:02 #

    Sr fortuna é isso ai,e mais uma coisa a termo de curiosidade o que os italianos falam desta ajuda da italia com relação ao cavour,qual a impressão que eles tem a respeito de nossa marinha.
    um abraço.

  53. Elizabeth 3 de fevereiro de 2010 at 23:08 #

    Vamos separar o assunto em 2 componentes

    Questão operacional

    Sem conhecer exatamente os termos do acordo é difícil saber quais os reais ganhos para o Brasil e para a China.

    Mas vamos ser otimistas, um acordo com a China cria condições políticas (leia-se menos verbas contingenciadas) para que o A-12 fique mais dias no mar. Se o A-12 conseguir ficar mais no mar isto já é um ganho operacional tangível.

    Questão política

    Esqueçam esta historia de China apoiando o Brasil no CS da ONU. Como esqueçam a França também. É simples não interessa as 5 potencias com poder de veto dividir o poder com “emergentes”.

    Da mesma forma que friamente falamos não temos aparelho militar, fôlego econômico ou prestigio político para seremos membro do conselho de segurança da ONU.

    Porem dizer que nosso projeto político para sermos membros do CS é inviável é quase algo tão doloroso como um pai dizer para um filho;

    “Filho, com o seu intelecto e com a sua disciplina, infelizmente você não vai conseguir se formar em medicina da USP, o papai te ajuda pagando um curso na Anhanguera”

    Algumas questões por razoes políticas ou emocionais a gente procura não abordar pelo quadrante frontal, esta do CS é uma delas.

  54. Alecsander 4 de fevereiro de 2010 at 0:35 #

    E COMO DEVEM SER OS BRICs????

    Não sei se este acordo é bom ou ruim, mais uma coisa eu defendo, os BRICs tem que se unir e criar uma aliança forte como o G8, para firmar seu poder político no mundo. Os E.U.A não nasceu super potencia, nem potencia, eles se tornaram potencia mais já foram um país colônia como qualquer país latino americano, e acho que quase todo mundo não leva isso em consideração, apenas se enxerga uma super potencia como Deus, ou seja Deus é Deus e não teve começo nem fim, ponto final. Não existe parceria absolutamente altruista, mais o Brasil deve sim abrir parcerias com outras nações, não sou anti-americano, também porque já defendi muito a segada do homem a lua que é questionada por esses individos, mais não concordo com essa mentalidade de achar que se não esta com os americanos esta contra eles, a guerra fria já acabou, achar que abrir uma parceria com um país não aliado é declarar guerra aos americanos, é no mínimo do mínimo paranóia. Aos que pensão que o Brasil não deve sair da saia dos americanos, acho que vocês deveriam lembrar que para eles nós da America Latina somos uma gentalha, então achar que é mau negocio fazer parceria negócios com qualquer um que não seja do agrado americano é no mínimo falta de amor próprio. É como no filme Hulke de 2008, muita gente ficou feliz por eles terem realizado algumas cenas no Brasil, eu mesmo confesso que fiquei feliz, mais quando você assiste o filme, logo vê que é puro lobby americano, ao começar pelo lobby da candidatura a cede olímpica de 2016, eles mostram o Rio de Janeiro como uma grande favela, tudo o que é bonito na cidade eles cortaram, nem o Cristo Redentor que aparecia no trailer saiu no filme. O segundo lobby foi a da Coca Cola, eles mostram a marca de refrigerante varias vezes no filme, e mostram uma fabrica de Guaraná que exporta refrigerantes para os E.U.A como um lugar sujo, onde ate o sangue do protagonista Bruce Baner cai dentro das garrafas, que são exportadas e vendidas na America. Em resumo, não a isso de um ser mais bonzinho do que o outro, no jogo entre as nações é cada um por si e o resto que se vire.

    Um grande abraço.

  55. O Fortuna 4 de fevereiro de 2010 at 1:45 #

    caravlhomtts em 03 fev, 2010 às 23:02 :
    “Sr fortuna é isso ai,e mais uma coisa a termo de curiosidade o que os italianos falam desta ajuda da italia com relação ao cavour,qual a impressão que eles tem a respeito de nossa marinha.
    um abraço.”
    Ola “caravlhomtts “.Olha vou te dizer que criou polemicas por aqui este evento catastrofico em Haiti .Foram escritos varios artigos a começar da polemica que gerou a critica do “capo”( em portugues comandante?) da Protezione civile-proteçao civil- Guido Bertolaso,que apenas chegou no Haiti criticou duramente a desorganizaçao dos americanos e falta de cordenaçao entre as forças da Onu com eles. Hillary Clinton respondeu com mal estar ,criticou a sua vez e declarou ser ofendida pelas palavras de Bertolaso,entao Silvio Berlusconi correu logo as reparaçoes dizendo que as palavras de Bertolaso nao esprimem a posiçao do governo italiano e blah blah bah… .

    CAVOUR
    Quanto a Cavour -que acho seja o que mais interessa a vc – ouve criticas tambem. Giampiero Giacomello do jornal “Il Riformista”( de esquerda) escreveu um artigo levantando duvidas e especulaçoes ,evidenciando o alto custo de emprego da Cavour em uma missao como està de carater humanitario(circa 200.000 euro por dia), tambem colocou em discussao a escolha da “Marina” de ter sò um porta-aviões,jà que para ele uma unica unidade nao faz sentido logico,porque nao pode ser subistituida por outro navio durante periodos longos de manutençao e alem disso os avioes ficariam parados e nao disponiveis.
    Na realidade a “Marina” dispoem de um outro “porta-aviões” ,o Garibaldi de menor porte mas que tem a disposiçao elicopteros e caçasbombardeiros AV-8B Harrier.Velivolos usados em Somalia (1995), Kosovo (1999) e Afghanistan (2002).Propio essa ultima missao(no contesto da Enduring Freedom),ao lado dos porta-aviões americanos e frances evidenciou e fortaleceu a necessidade de ter um “verdadeiro porta-aviões” como hoje è o Cavour ,destinado futuramente a utilizar os F-35 Lightning II.
    Em questao , o uso “humanitario” do Cavour nao è ilogico porque as necessidades de otimizar os custos,mais ou menos 1,5 miliardi(portugues bilhao) de euro em 8 anos,levou a realizaçao de um navio versatil propio para poder utilizar este em uma vasta gama de missoes.Nao è novidade para ninguem que os militares se revelaram ao longo os melhores esecutores de missoes de socursoa/emergencias.
    Se è para raciocinar em termos de custos talvez,como disseram algums jornalistas,teria sido mais economico “alugar” navios comerciais para levar as ajudas atè Haiti.Mas os tempos de intervento seria mais longo e os helicopteros nao estariam disponiveis como no Cavour.Isso è o que os pacifistas ignoram ou querem ignorar-è luxo e as frescuras deles ,que podem se permitir de sonhar com as flores voando e levando ajudas- quando criticarao o “envio de um navio de guerra”.
    Por ultimo è mais que evidente que uma operaçao como essa implica um retorno em visibilidade e prestigio a naçao,nesse caso a Italia,que è sempre uma respeitavel força -entre as primeiras 10 do mundo- em termo de gastos na “Difesa” e em termos de capacidade de intervento e açao a longo raio(distancia).Sobretudo para isso servem porta-aviões e em casos de MISSOES HUMANITARIAS A CREDIBILIDADE (E A CONFIABILIDADE) DE UM GRANDE PAIS SE MEDE COM A RAPIDEZ E A QUALIDADE DOINTERVENTO.E’ assem que vc atrai para o seu centro gravitacional novos aliados “vassalli” :) è a realidade

    Ah, coisa que pode interessar a vc, parece mesmo que grande parte dos custos da missao do Cavour vao ser “sponsorizados” por grandes sociedades italianas-controladas estatais-(parece mesmo que quem fez mover o Cavour foi os interesses economicos), entre elas Fincantieri e Finmeccanica ( realizadoras da Cavour).Portanto a missao è uma sorta de marketing e investimento pois traz beneficios de imagem ao Pais e comerciais para promover o “made in Italy” no mundo com possiveis comissoes industriais.
    A marinha indiana pediu a Fincantieri a progetaçao do “aparato motor ” ,o fornecimento de varios servicios complementares e um adeguado trasferimento de tecnologia para a costruçao do seu porta-aviões do qual o sistema propulsivo è ispirado propio ao do Cavour.
    Um sucesso( que esperamos ) que poderia se repitir na America Latina-claro o Brasil è o foco principal,jà que usa o velho porta-aviões frances.aqui um pouco nos blogs militares tiram um pouco de gracinhas com o SP,mas nao com a marinha do Brasil atè porque nao tem muito conhecimento.Existem tambem indicios de outros paises interessados no sistema de propulsao do Cavour.

  56. Nelson Lima 4 de fevereiro de 2010 at 6:00 #

    Uma pausa anedótica: esse intrigante acordo caracu, seria aquele que o outro páis entra com a CARA e o Brasil…?

  57. Thomas 4 de fevereiro de 2010 at 8:22 #

    “Nao exitem paises amigos”

    Este e’ a base da filosofia da politica externa dos Estados Unidos, aliancas baseadas em lacos de amizade e confianca, vide NATO, vide Israel e a Segunda Guerra Mundial.

    Se a politica externa dos EUA se direcionasse a apenas interesses cinicos estariam apoiando a Venezuela e Ira e o Sudao e Libia, grandes produtores de Petroleo …

    Uma politica baseada em interesses temporarios, aliancas de ocasiao – rapidamente realinhadas de acordo com a conveniencia do momento, colocariam o Brasil com paria no cenario internacional.

    Israel, um aliado estrategico dos EUA, ficou 10 (DEZ) anos com acesso restrito a tecnologia ate que os EUA obtivesses garantias 100% completas da nao transferencia de tecnologia dos EUA a China.

  58. Thomas 4 de fevereiro de 2010 at 8:25 #

    foi sim…

  59. Thomas 4 de fevereiro de 2010 at 8:34 #

    “Thomas,è interessante notar um pouco de ingenidade sua quando vc fala de honestidade como se os USA fossem exemplo ,o pais mais correto e honesto,algo que sabemos nao ser”

    Comparado com quem os EUA nao sao honestos ?

    “Nao exitem paises amigos ,os interesses estrategicos nacionais vem antes de tudo,os americanos sabem bem disso”

    Este conceito, os Estados Unidos nao tem – para eles, Aliancas sao baseadas em lacos de amizade, interesses comuns e afinidade do sistema Politico, quando nao o fazem assim (veja o Ira em 1979) se deram mal.

    Paises que se norteiam por aliancas de ocasiao, se dao mal, ninquem gosta de um pais que nao tem principios.

  60. Dalton 4 de fevereiro de 2010 at 8:43 #

    Algumas coisas que o jornal chinês “esqueceu” de publicar sobre
    os EUA no Haiti…

    O Coronel “Buck” Elton no comando de uma força avançada, pousou
    seu C-130 as 19:00 hs de 13 de fevereiro, no semi-destruido aeroporto de Porto Principe e em 30 minutos assumiram o controle de trafego aereo orientando as aeronaves subsequentes.

    Até que uma torre portatil ficasse pronta em 25 de janeiro, o controle do trafego aereo era feito de uma mesa colocada proximo a pista de voo e nestes primeiros 12 dias, mais de 1700 voos sem contar os voos de helicopteros foram coordenados sem incidentes.

    Não havia muito espaço para taxiamento e estacionamento de aeronaves
    e apenas 3 podiam de inicio ser descarregadas. Um A330 chinês
    por exemplo recusou-se a obedecer as ordens bloqueando a area já que
    o descarregamento precisava ser feito manualmente de inicio pois eram poucas as empilhadeiras a disposição.

    O Coronel disse que apesar de estarem coordenando cerca de 250 aeronaves diárias em condiçoes precárias, trabalhando quase á exaustão, ainda havia reclamações por parte de pilotos e autoridades estrangeiras.

    Quanto ao porta-avioes Carl Vinson que estava no mar a caminho do Pacifico, foi rapidamente dirigido ao Haiti e nas 3 semanas que lá permaneceu, seus helicopteros realizaram mais de 2200 sortidas entregando 160 toneladas de alimentos, 18 toneladas
    de suprimentos medicos, 90000 galões de agua, realizaram 476 evacuações médicas, o hospital com 60 leitos trabalhou intensamente
    e não faltaram voluntários para ir a terra.

    O navio hospital Confort operando com a capacidade máxima de 1200 pacientes, e os grandes navios anfibios Nassau e Bataan, com outros 1000 pacientes sem contar os demais navios envolvidos.

    Aqueles que acham absurdo o envio de milhares de tropas ao Haiti,
    certamente não compreendem a magnitude da catastrofe…mais de 150 mil mortos, varias vezes este nr de feridos e desabrigados muitos
    dos quais irão somar-se aos 600.000 haitianos já vivendo nos EUA.

    Os EUA deveriam ter respondido ao pedido de ajuda do Presidente haitiano de uma outra forma: menos navios, menos homens, menos aeronaves. Mais haitianos teriam morrido, mas ao menos não perturbaria tanto o sono de alguns da comunidade internacional.

    “Fair winds and following seas” USS Carl Vinson !

  61. Thomas 4 de fevereiro de 2010 at 9:04 #

    Jornais Chineses nao existem – sao todos instrumentos do Partido Comunista Chines e tem 2 objetivos – distorcer a verdade a fim de servir a ideologia do Partido e aplicar desinformacao a fim de iludir os incautos.

    Nao existe um equivalente do New York Times ou Estado de Sao Paulo na China.

  62. O Fortuna 4 de fevereiro de 2010 at 10:39 #

    “distorcer a verdade a fim de servir a ideologia do Partido e aplicar desinformacao a fim de iludir os incautos.” HeHe Thomas vc citou o que faz praticamente todos os meios de comunicaçao ,os seus no Brasil nao sao melhores ,a Globo e tantos outros jornais e televisoes. Aqui na Italia tambem è manipulada ,veja exemplo na Mediaset ,e maioria dos jornais,de propriedade de Berlusconi- mera casualidade è tambem o nosso “querido” premier-.vc ignora os fatos, fala dessa maneira sem conhecimento e generaliza.Existem varios jornais criticos ,tambem em relaçao as autoridades do pais,na maioria dos casos denunciam a corrupçao das autoridades regionais.Eu leio uma revista,”Internazionale”,que recolhe artigos de jornais de todo o mundo praticamente, e posso dizer que existem tambem fortes criticas.

    “Nao existe um equivalente do New York Times ou Estado de Sao Paulo na China.”? O que hà de especial esses jornais? Sao “livres”?Sao a boca da verdade? Na China podem ser movidos por interesses do partido e ideologicos ,no occidente sao movidos por lobbies economicas/politicas mas o resultado è o mesmo.Todas armadilhas para incautos como vc dissse.
    Abraços

  63. Henrique Sousa 4 de fevereiro de 2010 at 10:48 #

    Os EUA deveriam ter respondido ao pedido de ajuda do Presidente haitiano de uma outra forma: menos navios, menos homens, menos aeronaves. Mais haitianos teriam morrido, mas ao menos não perturbaria tanto o sono de alguns da comunidade internacional.

    Perfeito.

    Sempre entre a intriga internacional e a incompetência nacional eu fico com a segunda.

  64. O Fortuna 4 de fevereiro de 2010 at 11:04 #

    “Este conceito, os Estados Unidos nao tem – para eles”
    Thomas do que vejo vc està pintando um U.S.A. que nao existe.”Este conceito, os Estados Unidos nao tem – para eles, Aliancas sao baseadas em lacos de amizade, interesses comuns e afinidade do sistema Politico, quando nao o fazem assim (veja o Ira em 1979) se deram mal.” Meu amigo jà dà pra ver que vc visuaiza as coisas sò de um ponto de vista prefixado e ideologizado.Nao vou fazer polemica sobre os U.S.A. (sao sempre discussoes infinitas) fizeram ou nao fizeram ,essas coisas sao fatos que ficaram marcadas na historia( que na maioria da vezes è “enfeitada” e manipulada pelos vencedores.A razao està sempre com o mais forte),seria inutil falar atè porque temos provavelmente visoes diametralmente opostas e nao acredito em istoria de aliados. “è mais facil quebrar um atomo que o prejudicio humano” -meu preconceito sobre este argomento talvez seja fort quanto o seu-. Abraços

  65. Lacerdinha 4 de fevereiro de 2010 at 11:27 #

    O Fortuna em 04 fev, 2010 às 11:04

    Este princípio de que sempre os americanos estão corretos, acho muito suspeito.
    Os americanos são um grande povo, um grande país, mas dai a ditar as normais de convivência mundial, putzz, é aceitar freio em cavalo chucro.

  66. Thomas 4 de fevereiro de 2010 at 13:39 #

    Nos estamos entrando na era da China, podemos nos preparar – quero ver a cara de todos, quando uma esquadra da Marinha da China chegar para uma ‘visita’ ao Rio de Janeiro … ai vamos todos correr para fazer aliancas com os EUA, os unicos que podem garantir a nossa seguranca.

    E nao diga que nos vamos saber como nos defender, a Europa, que gasta US$500 bi ao ano em defesa, depende deles.

  67. O Fortuna 4 de fevereiro de 2010 at 14:56 #

    Quando existir a Europa como entidade unica e nacional,fortalecida, com uma voz unica na cena internacional,sem que algums paises fiquem dormindo em 2 camas,traindo a coerencia do projeto europeu ,vc verà que os USA em confronto serao ridiculos. A Uniao Europea è um projeto que procurou consenso ,caso contrario França ,Alemanha e Italia teriam aneixado o resto do cotinente a força como U.S.A.. Se lembre que a Europa dominou o mundo por milenios …os U.S.A. por quanto ? HUm NaO precisamos deles, a 1à e a 2à guerra entre nos debilitou o continente e ajudou,favoreceu o poder americano.Sem as guerras entre nos, hoje eles seriam um qualquer pais sem muita relevancia.A EUROPA unida PODE fazer frente a qualquer um dos players globais.

  68. Dalton 4 de fevereiro de 2010 at 16:26 #

    “Se lembre que a Europa dominou o mundo por milenios …os U.S.A. por quanto ?”

    A Europa como conhecemos não existe a milenios, na verdade o novo mundo tem 500 anos apenas e sim os europeus tem uma historia rica
    mas mesmo a Italia, terra de meus avós, foi unificada em 1861.

    ” 1à e a 2à guerra entre nos debilitou o continente e ajudou,favoreceu o poder americano ”

    Realmente voces europeus não se entendiam…Voces causaram estas duas guerras mundiais e quanto a Primeira, simplesmente não conseguiam por um fim nela e com a saida da Russia do conflito em 1917 os EUA tiveram um papel ainda mais fundamental para finaliza-la.

    Quanto a Segunda, o desejo de humilhar a Alemanha fez surgir Adolph Hitler mas mesmo assim, voces poderiam ter colocado um fim nele, ainda em 1936 quando ele remilitarizou o Reno…mas…nada fizeram!

    Talvez tivesse sido melhor viver sob o manto de Hitler…ou, quem sabe Stalin, lamento muito por voces! Estes americanos se metem em tudo !

    “hoje eles seriam um qualquer pais sem muita relevancia.”

    Os EUA já eram uma grande nação no século 19, para ficar apenas no setor militar, analise a guerra civil americana (1861-1865) a primeira grande guerra moderna da humanidade.

    Antes de 1914, os EUA já haviam vencido a Espanha e possuiam uma marinha muito superior a francesa e já havia planos de superar a Marinha britanica mesmo os europeus tendo mais colonias espalhadas pelo mundo de onde tiravam muitos recursos…ou não?

    arivederci !

  69. Felipe Cps 4 de fevereiro de 2010 at 16:41 #

    Deixe eu ver se eu entendi: o Brasil, pra “se livrar da dominação americana” tem que se aliar à CHINA ou à… EUROPA?????

    Ah tah…

    China: não existe uma palavra no idioma chinês para estrangeiro. O termo empregado, traduzido o sentido, equivaleria ao nosso “bárbaro” ou ao alemão “untermenschen” (o mesmo aplicado aos judeus pelos nazistas). A psiquê coletiva média chinesa entende que qualquer um que não seja chinês é simplesmente inferior, e devem servir apenas como escravos.

    A China foi durante toda a história da humanidade, excetuando-se o período do Império Romano e os últimos 500 anos, a maior potência do globo. Muito provavelmente navegadores chineses chegaram à América e à Austrália 100 anos antes de os portugueses dobrarem o Cabo das Tormentas. No retorno da frota à China, o Imperador da dinastia Ming decidiu que “não valia a pena conquistar o resto do mundo: seria melhor esperar mais 500 anos”.

    Preciso falar mais alguma coisa? Esses são os aliados que queremos no lugar dos americanos?

    Europa: a Europa colonizou o mundo todo em 500 anos, estendendo sua dominação a todos os cantos da terra, da antártica ao Canadá, do Havaí ao Japão. No caminho destroçou e subjugou milhares de culturas que cometeram o simples erro de estar em seu caminho: basta lembrar dos Astecas, Incas, Maias, Hindus, Zulus, Árabes, Chineses, etc. etc. etc. e se a gente começar a lembrar todas as culturas destruídas vai faltar espaço no Blog. Europa apenas não colonizou o que não valia a pena.

    De resto, os europeus ainda nos brindaram com duas grandes guerras mundiais, que apenas tiveram finais menos terríveis por força da ajuda militar e econômica norte-americana. POTÊNCIAS EUROPÉIAS SÓ RESPEITAM UM BELO CANHÃO NAS FUÇAS! TUDO O QUE A EUROPA QUER É VOLTAR A SER O CENTRO DAS ATENÇÕES, desviado que foi o foco do mundo, da Europa para a América, nestes últimos 50 anos.

    Então pessoal, pensem bem em quem vocês querem por “aliados”. Porque uma coisa eu posso garantir: o dia em que os “yanques forem para casa” o mundo chorará lágrimas de sangue.

    Sds.

  70. O Fortuna 4 de fevereiro de 2010 at 20:15 #

    Felipe Cps em 04 fev, 2010 às 16:41
    Felipe vc despreza tanto ,mas vc mesmo ,e o sistema no qual vc vive,è fruto de tudo istò.Nao è americano !as bombas nucleares lançadas sobre populaçao civil inerme -praticamente a guerra teminada por isso desnecessarias- sao ameicanas.;) que engraçado .Talvez vc preferia um mundo fruto de Astecas, Incas, Maias, Hindus, Zulus, Árabes ou chineses?A historia julgarà! Sem a Europa talvez os males que vc citou nao existiriam,mas provavelmente nem o bom que hà nesse mundo…a começar do conceito de democracia com o qual os americanos se enchem a boca.Antes da luz hà de existir as trevas,mas nenhuma noite ,por longa que seja,poderà impedir ao Sol de sugir.O equilibrio que està em tudo neste mundo.Assim a Europa destruio e reconstruio.
    Abraços.

  71. Jorge Nunes 4 de fevereiro de 2010 at 20:23 #

    A China não tem aliados e sim países clientes?

    Então o principal cliente da China é os EUA. Pois, sem o dinheiro da China os EUA não tem como bancar o funcionamento do seu próprio governo.

  72. Baschera 4 de fevereiro de 2010 at 21:06 #

    Eu não confio em gafanhotos.

    Quanto a questão do CS, esqueçam isto, como diz aquele padre herege “isto non ecxiste”.

    Há… mas esqueci do Sarkosy….. :)

    O Sarkosy, li hoje, apóia a Alemanha para uma vaga permanente no CS da ONU.

    Sds.

  73. Dalton 5 de fevereiro de 2010 at 8:23 #

    Caro Fortuna…

    apenas quero esclarecer que seria idiotice não reconhecer a Europa como o berço da civilização ocidental, até porque tanto EUA como Brasil foram colonizados por europeus…na verdade até o homem de Neanderthal era europeu :<)

    O que questionamos aqui foi a pequena importancia que vc deu aos EUA
    que em menos de um século foi decisivo em duas guerras mundiais,
    saiu vencedor da guerra fria e trouxe inumeras contribuições para a
    humanidade, até mesmo a Internet pela qual nos comunicamos.

    Um país do tamanho fisico dos EUA, uma grande população, e que abraçou e sustentou a revolução industrial desde seu inicio não poderia ser apenas um reles país, independente de "aproveitar-se" do sofrimento dos outros…e ainda por cima os politicos de lá
    são um pouco melhores que os que temos no Brasil e na Itália…:<)

    abraços

  74. Felipe Cps 5 de fevereiro de 2010 at 8:34 #

    O Fortuna em 04 fev, 2010 às 20:15:

    Caro O Fortuna, de onde vc é? Itália? França? Espanha? Se não fossem os americanos vocês estariam todos falando alemão ou russo e estariam de qualquer forma marchando, ou na Waffen SS ou no Exército Vermelho. Então dobre a língua para falar mal deles ok?

    Quanto à bomba atômica, não seja ridículo: quem primeiro começou a pensar em energia atômica como arma foram cientistas EUROPEUS (Albert Einstein, Enrico Fermi, Werner Von Braun, etc.), vários dos quais bandearam-se para o Projeto Manhattan para impedir os nazistas de botarem a mão em uma arma que destruiria Londres, mataria a Família Real Inglesa e mudaria o curso da história. E se os EUA usaram-na no Japão foi para impedir a morte de milhões de americanos E JAPONESES, numa invasão convencional ao arquipélago.

    De novo, dobre a língua para falar dos americanos! Tenha um pouco de respeito pelas centenas de milhares de americanos, canadenses, brasileiros, e etc., que deram suas vidas para libertar a Fortaleza Europa das mãos dos alemães e seus aliados. Dobre sua língua, cidadão!

    A Europa mandou no continente americano por 500 anos e sabe o que ela nos deu? O saque das riquezas da América (o ouro Inca, Asteca e das Minas Gerais, a prata de Potosi, o guano do Perú, o cobre do Chile, etc.) e o maldito Tribunal do Santo Ofício! MUITO OBRIGADO EUROPA!!!

    Muito do atraso da América Latina (e olha que nem estou falando da África – só essa daria um livro, da China, da Índia, etc.) É CULPA DA EUROPA, E APENAS DELA, não dos americanos, que apenas chegaram no último meio de século.

    Repito, cidadão: dobre a língua antes de vir aqui falar mal da américa e dos americanos (sejam eles do norte, do centro ou do sul): até os EUA tem muito o que contar sobre as trapalhadas, pilantragens, piratarias e massacres que os europeus promoveram por estas bandas.

    Sds.

  75. Francoorp 6 de fevereiro de 2010 at 11:22 #

    Sempre o mesmo ser vendido ao interesse estrangeiro, estrangeiro não… aos bárbaros Norte-americanos!!!

    Espero somente que não atrasem o pagamento para todos estes colaboradores estrangeiros, que devem somente pregar a propaganda no nosso Brasil, então, eu pergunto, quando é que a colaboração paga por um estrangeiro, a um cidadão brasileiro, se transforma em traição à pátria brasileira??

    Lembrem-se que depois farão até as vitimas, certo depois de agredirem a todos os que não se calam diante da violência e da censura que estes traidores querem nos impor.

    Temos que ser unidos contra a influencia externa, pois sò assim seremos livres e independentes para seguir o nosso destino como civilização.

    Um dia os Traidores e colaboradores terão o que merecem, pois tenho certeza que em algum lugar tenha alguém girando para identifica-los e registra-los, assim como forma de prevenção.

    E em caso de agressão ao nosso país, estes serão os primeiros a tombarem, pois pouco importa quem é o inimigo, se eles traíram a partia pra uns, farão também pra outros!

    E se for uma agressão por parte dos USA, então que tenham o mesma pena que existe por la, em terras democráticas….a MORTE , seja na forca, ou com o gás(nazismo fazia o mesmo), ou na cadeira elétrica, sem esquecer a nova fronteira da medicina, a injeção letal, tudo isso pra quem é culpado de colaboração, favor a espionagem, espionagem, predicação de influencia externa(em tempo de guerra) ou por traição!!!

    Não tem o que dizer, são realmente uma grande democracia de 1° mundo, temos que importar rápido estes sistemas pro Brasil também!!!!

    ABçs Patriotas!!

  76. Felipe Cps 6 de fevereiro de 2010 at 11:57 #

    Argumentum ad hominem e proselitismo. É só isso que seu nhém nhém nhém é, Sr. Francoorp. Nada que preste. Só proselitismo para os do seu círculo.

  77. Francoorp 6 de fevereiro de 2010 at 15:21 #

    Não fiz proselitismo algum!!! Somente um propagandista responderia assim, trabalhas com Marketing, Vero???

    A melhor defesa é o ataque, é uma antiga tática militar, mas o inimigo também joga, e pode ser que tenha movimentos mais claros que os teus, mais compreensivos pela massa.

    Não citei algum partido ou facção política… onde foi que citei uma posição político partidária ou círculo de ideologias no post acima??

    Sou um apaixonado em WWII… propagandas, táticas, produção, ciências, e principalmente FRONTE INTERNO, e isso explica tanto, mas tanto mesmo!!

    Mas me salta a pulga atrás da orelha quando alguns defendem com tanta veemência, e parcialidade total uma nação que não é a própria!! Por que??? eu pergunto!! e também Pra que???? Qual é o objetivo final???

    Algo tem, ou com o meu baixo nível cultural e conhecimento histórico precário, talvez não me deixem acreditar mais nas boas intenções humanas, fazendo-me tornar completamente paranóico!!! Pode ser… mas também pode ser que esteja certo!!!

    Se discordas, sejas como a maioria das pessoas, e digas a resposta as minhas perguntas acima… Non se la prenda male, sei una persona intelligente, non cadrebbe mai in tranelli, ed io la rispetto per questo, forse più de quanto te l’immagine.

    Sabes bem que nas relações internacionais é cada um por si até que os interesses não coincidam, então hoje eles são amigos mas amanhã é um naltro giorno!!

    Nada de personale, somente nacionalidade, mas isso lo sai bene.

    Sds Sr. Felipe Cps.

  78. Walfredo 6 de fevereiro de 2010 at 16:29 #

    O mundo está dividido em países onde toda a população é rica, onde parte da população é rica e onde a população é pobre.

    O primeiro grupo é conhecido como G7, o segundo como G20.

    Os países com pobres se dividem entre ditaduras comunistas, estados meio socialistas e ditaduras oligárquicas.

    O conflito entre nações normalmente se traduz em luta por propriedade.

    Todos sabemos a importância de o Brasil manter um bom relacionamento com todas as nações, em todos os continentes. O simples ato de fazer acordos com uns, não exclui a possibilidade de fazê-los com outros.

    Os Estados Unidos da América do Norte, tanto quanto a Europa e a China são importantes para nós. Todos trouxeram enormes contribuições para a construção de nossa cultura e de nosso atual potencial tecnológico.

    Lembro que o Brasil conduz com a China um vitorioso projeto de desenvolvimento conjunto de satélites e até lá nossos irmãos portugueses plantaram suas sementes.

    Se os Europeus levaram nosso ouro e inúmeras riquesas, também nos deixaram seu sangue, sua herança genética, sua cultura, seu exemplo. Não deixamos de ser “Europeus em um novo continente” simplesmente porque os que aqui chegaram resolveram parar de pagar impostos para os que ficaram no antigo mundo.

    Lembro qeu, mais uma vez os Europeus estão nos dando o exemplo, criando o Direito Comunitário (comunidade econômica européia). Graças a seu exemplo temos a ALCA e o MERCOSUL.

    Espero que em um futuro próximo possamos estender o direito comunitário a todo o planeta, onde as forças militares poderam ser transformadas em forças de defesa da humanidade, contra eventos externos e catástrofes naturais.

    Não podemos esquecer que o objetivo maior de todos deve ser a obtenção da paz universal!

  79. COMANDANTE MELK 6 de fevereiro de 2010 at 17:31 #

    Senhores vou direto ao assunto,

    oque acontece é que muitos não entenderam “ainda´´ que a República Federativa do Brasil “finalmente´´ possui hoje “AGENDA PROPRIA´´(Apesar de muitos não gostarem disso- Aqui dentro- e outros não aceitarem tal fato-Lá fora-…) o Brasil busca seguir o norte delineado por seus “proprios interesses´´…e ponto final.

    Saudação a todos.

  80. Francoorp 6 de fevereiro de 2010 at 17:46 #

    Walfredo:

    “Europeus em um novo continente” simplesmente porque os que aqui chegaram resolveram parar de pagar impostos para os que ficaram no antigo mundo.”

    Sou completamente de acordo.

    “Espero que em um futuro próximo possamos estender o direito comunitário a todo o planeta, onde as forças militares poderam ser transformadas em forças de defesa da humanidade, contra eventos externos e catástrofes naturais.
    Não podemos esquecer que o objetivo maior de todos deve ser a obtenção da paz universal”

    POW, vai levar muito tempo ainda, talvez quando todas as raças e culturas humanas terão se misturado por varias e varias gerações, teremos esta utopia realizada na pratica deste minúsculo e insignificante planeta do universo.

    Mas mesmo assim teríamos outros inimigos, os ET’s!!!

    A paz UNIVERSAL existiria somente em Ficção Científica.

    ABçs.

  81. Marcelo 6 de fevereiro de 2010 at 17:57 #

    Concordo totalmente com o Melk.
    A maioria ainda não percebeu que deixamos de ser um pais pobre, sim não somos pobres, somos é muitissimo mal admistrados.
    Somos uma potencia regional que não se viu assim ainda, nós olhamos ao redor e vemos nossos caros representates com dinheiro nas cuecas, e achamos que todo o resto é assim.
    Não é, outros agentes deste pais estão em movimento, trabalhando, estudando, absorvendo conhecimento, produzindo, criando, negociando.
    E parte destes agentes, publicos e privados, criaram uma agenda para o Pais, para o bem ou para o mal, agora que somos gente grande e temos que segui-la.
    Ah! Vão perguntar por que isto não está sendo divulgado, simples, isto não se divulga, se aplica, veremos isto em mais uns 10 anos, seja qual for o presidente escolhido, seja qual for a pseudo-ideologia que ele seguir.
    Sds
    Marcelo

  82. Francoorp 6 de fevereiro de 2010 at 19:08 #

    Dalton:

    “até mesmo a Internet pela qual nos comunicamos.”

    A internet nasceu no C.E.R.N: , instituto de física Franco-Suíça.

    Abçs.

  83. Dalton 6 de fevereiro de 2010 at 23:21 #

    Francoorp…

    nossas fontes diferem, aqui vai um pequeno resumo:

    Sob a direção do matemático americano Howard Aiken nasceu o primeiro computador, o Mark I em 1944. O primeiro computador a lidar
    com dados alfanumericos simultaneamente foi o UNIVAC desenvolvido entre 1946 e 1951 na Universidade da Pennsylnania.

    O primeiro programa funcional de computador foi desenvolvido por
    Grace Hopper, uma Almirante da marinha americana…alias há um
    destroyer batizado em homenagem a ela, USS Hopper DDG 70.
    Durante os anos 50 ela dirigiu o trabalho que desenvolveu o COBOL.

    O primeiro computador pessoal foi desenvolvido por Steven Jobs o fundador da Apple em 1976.

    Quanto a Microsoft , Bill Gates tinha apenas 19 anos quando fundou
    a empresa reconhecidamente uma gigante do mercado de software.

    A Internet foi inventada no final dos anos 60 pelos pesquisadores do Depto de Defesa americano.

    A WEB, a parte da Internet que fornece aos usuarios graficos, videos
    audio, foi inicialmente desenvolvida em 1990 pelo cientista de computadores ingles Tim Berners-Lee, que desenvolveu o software
    no CERN. A WEB tornou-se parte da Internet em 1991 !!

    Bela tentativa meu amigo…se é que posso considera-lo assim.

    Temos opiniões diametralmente opostas já que para vc, os EUA são o mal,enquanto de minha parte, eles são os “menos piores”…não sei se
    vc entende o que quero dizer.

    Sei que para alguns, não passo de um entreguista ou traidor, mas raramente entro no blog para glorificar o Lula, difamar o FHC, ou
    tecer comentarios negativos sobre determinado País e se os faço, é porque as vezes o sangue ferve depois de ler algumas coisas como:

    – terremoto no Haiti é obra de arma americana;
    – EUA querem transformar o Haiti em Estado americano;
    – Haiti …o porta-avioes da IV Frota apontado para nós;
    – O porquê de tantas tropas e navios lá;
    e etc, etc, etc, etc…

    O fato de ter uma forte ligação com os EUA, muito mais abrangente
    do que apenas gostar de navios de guerra…não me torna menos patriota do que voces.

    Precisamos de um pouco mais de tolerancia…acho que isso também
    deveria ser parte da grande nação que aos poucos, não só por causa dos 8 anos de Lula, está se formando.

    sds

  84. leo 6 de fevereiro de 2010 at 23:53 #

    quem sabe mais la pra frente podemos construir um porta avioes com os chineses

  85. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 1:41 #

    “Se os Europeus levaram nosso ouro e inúmeras riquesas, também nos deixaram seu sangue, sua herança genética, sua cultura, seu exemplo. Não deixamos de ser “Europeus em um novo continente” simplesmente porque os que aqui chegaram resolveram parar de pagar impostos para os que ficaram no antigo mundo.”
    Walfredo ,diante do seu comentario tiro tanto de chapeu.Pois vejo que algumas vezes determinados brasileiros esquecem de ser europeus.Se nao fosse a Europa o Brasil hoje nao existiria,seria uma massa informe de tribù indigenas sem conciencia do potencial destà terra e do conceito de naçao.Portanto que o Brasil seja filho europeu è mais que obvio.

    Caro Felipe Cps,
    desejavo responder a vc e ao seu texto inexato,mas sao talmente absurdas as suas blasfemias…
    1Albert Einstein era contrario ao uso belico do nuclear.
    2 Entre pensar e fazer existe um abismo.Os Europeus podem ter pensado,os USA fizeram.
    3″ E se os EUA usaram-na no Japão foi para impedir a morte de milhões de americanos E JAPONESES” …mmm isso è humor negro ou que? Para evitar morte de milhões de americanos talvez,mas nao impediu a morte dos japonese.Acho que vc tem serios problemas em reconhecer e dividir o bem e o mal.Jogar bomba atomicas sobre cidades ,por quanto sejam ecologicas e limpas aquelas americanas, nao evitam morte e nem faz crecer florzinha.
    5″ CULPA DA EUROPA, E APENAS DELA,” ?HAHA que comodidade toda desgarregar a culpa toda sobre alguem …entao nos somo responsaveis… Foi lindo quando os USA apoiaram genocidios e ditadores sanguinarios. Timor leste, foi lindo quando os EUA apoiaram Suharto na obra de exterminio .Nicaragua?CHile?…vou fazer a lista nao tà?
    7″dobre a língua antes de vir aqui falar mal da américa e dos americanos”? Eu nao dobro lingua diante de niguem amigo,atras do ultimo derradeiro ITALIANO tem milenios de hstoria,de glorias,de guerras,sofrimentos,de grande homens,de navegadore ,cientistas,filosofos,poetas e genios…qualquer pantomima de imperio nao me impressiona.A sua lingua ,o seu pensmento , o seu modo de viver vem da sua mae Europa nao è evoluçao do seu querido EUA.Intenet diante do que fizemos nos ? Piada de mal gosto.Acho que vc è um Yankee ,nao da pra ser brasileiro ou ,talvez, vc tem problema com sua identidade nacional…procurar uma analista caso a resposta seja a segunda.

    “You know what the fellow said – in Italy, for thirty years under the Borgias, they had warfare, terror, murder and bloodshed, but they produced Michelangelo, Leonardo da Vinci and the Renaissance. In Switzerland, they had brotherly love, they had five hundred years of democracy and peace – and what did that produce? The cuckoo clock.”

  86. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 1:53 #

    Malcolm X contava um conto para explicar o que vc è :
    existe 2 tipos de escravos.
    O escravo de campo e escravo de casa.
    O escravo de campo è o que trabalha pesdo e vem chicoteado.
    Depois tem o escravo de casa que vive junto com o patrao para sevir sempre ele gouzando de algumas comodidades a mais e ,as vezes, ele è delegado a chicotear os outros escravos de campo.O escravo de casa se acha especial.
    Acontece que a casa do PATRAO pega fogo.
    O escravo de campo nao perde tempo e pensa imediatamente em fugir e procurar sua liberdade.
    O escravo de casa està tao abituado a aqueles que ele considera privilegio que se desespera e procura em todo modo de apagar o fogo ,salvar a casa do PATRAO.
    O escravo de casa està completamente identificado com o patrao,tem medo da liberdade e nao a deseja porque acha bom como està.

    Felipe,
    existe a possibilidade que a casa do PATRAO pegue fogo,mas vc foi escravo por desmasiado tempo e nao consegue nem imaginar de fugir ou atè pegar o lugar do PATRAO.Vcè escravo que tem medo ,acha que nao seriam capaz,nao seria ao nivel do PATRAO?
    Essa è a diferença entre mim e vc ! Eu desejo para o meu pais e o meu continente um futuro de PROTAGONISTA .Nao quero ser lembrado apenas como “o aliado” ,”o amigo” ,”aquele que ajudou o protagonista”.Eu sou tipo que prefere ser atè o anti-eroe ou antagonista da istoria mas nunca uma comparsa.

    Meu pais jà foi PATRAO e por isto nao me conformo no lugar de servo,talvez vc por ter sempre sido escravo nao consegue ver a possibilidade de ser PATRAO um dia.
    Sorte è que no Brasil existem aqueles que querem aproveitar a ocasia,deixando a casa do patrao queimar, para correr em direçao do destino glorioso que sonharam por tanto tempo e deixar a marca na Historia.

    Nao vim aqui pedir esmola ou aliança,comentavo o facto que antes de fazer algo muitos se preocupam no que vai pensar o PATRAO(USA).

  87. Dalton 7 de fevereiro de 2010 at 8:59 #

    “1Albert Einstein era contrario ao uso belico do nuclear.”

    Não exatamente. Há uma carta de Einstein ao Presidente Roosevelt,
    cujo conteudo é de dominio publico avisando e aconselhando o Presidente sobre a possibilidade da Alemanha desenvolver bombas atomicas.
    Einstein a principio não acreditava que uma bomba destas fosse capaz de ser levada por uma aeronave e ele cita o emprego da mesma em um barco explodindo em um porto…consequentemente o tamanho da bomba foi diminuido e surgiu o grande bombardeiro B-29.

    “2 Entre pensar e fazer existe um abismo.Os Europeus podem ter pensado,os USA fizeram.

    Hitler teria usado a bomba sem a menor duvida se a tivesse.

    “3″ E se os EUA usaram-na no Japão foi para impedir a morte de milhões de americanos E JAPONESES” …mmm

    Por mais ironico que pareça a bomba salvou vidas japonesas…basta
    analisar a ultima grande campanha da guerra do Pacifico, Okinawa.
    Okinawa foi invadida em primeiro de abril e a luta durou até 21 de junho, oficialmente, pois alguns sobreviventes apesar da rendição continuaram lutando.

    Os EUA tiveram aproximadamente 12.000 mortos e 48.000 feridos, porém milhares destes feridos morreram morreram semanas ou meses depois e Okinawa também foi a batalha que deixou um maior numero de soldados incapacitados por stress de combate, mais de 10.000.

    Do lado japones 100.000 militares foram mortos, muitos cometeram suicidio evitando a rendição e pelo menos outros 100.000 civis,
    muitos simplesmente recusavam-se render-se e há filmes que mostram
    mulheres atirando-se de penhascos para escapar a rendição.

    Uma coisa desagradavel em guerras são os estupros, e por mais ironico que pareça muitas mulheres de okinawa foram estupradas por japoneses…até hoje isso é recordado por lá…na verdade, os japoneses foram responsaveis por um dos maiores estupros em massa
    da historia…em Nanking China em 1937. Cerca de 50.000 mulheres
    incluindo idosas e garotas de menos de 10 anos. O livro chega a ser nauseante!!!!

    Ou seja, a grosso modo, o nr de mortos japoneses, 200.000, foi dez vezes maior que o nr de americanos 20.000. Com certeza o numero de americanos mortos seria bem maior…50.000 talvez, portanto o nr de 500.000 japoneses mortos bem poderia ter ocorrido sem falar na maior destruição material o que comprometeria ainda mais o futuro do país caso a invasão ocorresse.

    Evidente que o objetivo principal era salvar vidas americanas.
    Pensem como o Presidente Truman poderia encarar os milhares de pais
    esposas, filhos, que teriam seus entes queridos mortos quando uma arma pronta poderia evitar tanto sofrimento?

    Hoje em dia é fácil julgar…mas na época havia serias duvidas se o Japão se renderia, ou lutaria até a morte, de qualquer forma do lado puramente militar, não se pode apenas cruzar os braços e aguardar uma rendição, pois há muita logistica envolvida e é um assunto muito complexo para tratar-se resumidamente aqui…mas…não tratou-se apenas de assustar os sovieticos não!

    O proprio navio que transportou a bomba…parte dela, o USS Indianapolis foi afundado por um submarino japones no caminho de volta, mais de 800 tripulantes mortos…outro livro interessante
    “In harm´s way” é profilico sobre os ataques de tubaroes a tripulação.

    Enfim…espero que este resumo seja útil e agrade alguns.

    abraços

  88. Francoorp 7 de fevereiro de 2010 at 10:53 #

    Dalton:

    “Temos opiniões diametralmente opostas já que para vc, os EUA são o mal,enquanto de minha parte, eles são os “menos piores”…não sei se
    vc entende o que quero dizer.”

    Sem duvida alguma temos opiniões diferentes, mas em momento algum disse que são o mal do mundo, mas pra mim não são os melhores com muitos os pintam, falam muito de serem bonzinhos, de lutar pela liberdade, pela paz e pela justiça, que são a luz do mundo…é tudo mentira, e ponto!!!

    “Sei que para alguns, não passo de um entreguista ou traidor, mas raramente entro no blog para glorificar o Lula, difamar o FHC, ou
    tecer comentarios negativos sobre determinado País e se os faço, é porque as vezes o sangue ferve depois de ler algumas coisas como:”

    Usar a tática da vitima virginal é coisa marketeiro, sei que não é assim, que o sr. não é assim, mas digo que do meu ponto de vista os traidores são aqueles descrito antes, aqueles que usam palavras que eleva o estrangeiro a um nível superior ao nosso, de brasileiros, e todos aqueles que dizem que se o Tio Sam mandou nós temos que obedecer e basta!!

    Não vejo assim, vejo que somos um povo de alto nível, somos a mistura de muitas culturas e raças, então temos que valorizar a nossa cultura, não a cultura dos USA ou outra estrangeira quaisquer que sejam, pois nos territórios estrangeiros ninguém se importa e se lincha minimamente para nós e nossa cultura, é assim, eu sei pois vivo aqui no exterior.

    Até nisso o que dizem os jornais no Brasil como se alguém realmente se importasse com o que pensamos e fazemos é pura propaganda.

    Ninguém nem sabia que tínhamos tropas no Haiti, ninguém aqui, mas se você pergunta onde estão as tropas deles, ou as do USA, todos te respondem. Alguns aqui nem sabiam que tínhamos exercito, acreditavam que era os USA que mantinham a defesa no nosso território, e que fosse o Bush ou o Obama que nos governava…

    Quanto a Lula ou FHC, pouco importa, o que importa são os resultados, e me diga de forma imparcial, entre os dois, para os militares, qual foi o que fez mais??????????????????????????

    “- Haiti …o porta-avioes da IV Frota apontado para nós”

    Bela tentativa meu amigo…se que posso te chamar assim.

    Misturou bem as coisa para confundir, mas vamos por partes:

    – Haiti… quis dizer o que?? Quis por palavra na minha boca, nunca disse que era contra nós que o USS Vinson tinha ido là para o Haiti, nunca falei isto. Prove!!

    “o porta-avioes da IV Frota apontado para nós” aqui entra o detalhe, pra minha boa fé, eu até acreditei que os USA tinham dito a verdade de que a 4° frota seria somente uma pasta aberta, sem poderes e sem comando, com disseram em grandes letras para o Brasil e todos os outros países da A.L.

    Mas depois o senhor disse que a 4° frota pode sim ter o comando de meios e plataformas militares no Atlântico sul… então acreditando no que disseste…eu fui fazer um pouco de pesquisa na Internet, olhei vários sites, mas depois eu repassei tudo na internet de novo, tinha algo que me fugia e notei que foram os meios de comunicação, com um tanto de analistas a dizer tudo aquilo, e não o Pentágono, em nota oficial!!é mentira deles, dos USA, pura e simples mentira!!

    Mas então façamos como o Einstein disse, façamos continuamente perguntas… por que mentiram pra nós, qual a razão?? quem é o alvo real da cobiça Yankee?? por que foi reativada a 4° forta no mesmo período do anuncio do Pré-Sal?? As bases na Colômbia são para combater quem?? Qual a razão da corrida armamentista na A.L.??? Chavez??? Se este elemento não da conta nem de gerar eletricidade pra ele, vai se meter a besta conosco ou com os USA??

    Chavez não é estúpido, sabe bem que perderia já no inicio, sabe bem que não teria nem capacidade de invadir a Guiana, ainda mais os vizinhos fortes,isso tudo é uma piada de mal gosto, é propaganda, é distração do objetivo real, isso tudo é uma tática militar, mas quem é o inimigo da vez??? e a mais importante pergunta, quem são aqueles brasileiros que colaboram para esta propaganda???

    “O fato de ter uma forte ligação com os EUA, muito mais abrangente
    do que apenas gostar de navios de guerra…não me torna menos patriota do que voces.”

    Depende, se eles forem o inimigo, de qual lado lutaras sem nenhuma duvida e nenhum re-pensamento????
    Ou vai vestir um uniforme brasileiro e se render a eles na primeira ocasião???

    “Precisamos de um pouco mais de tolerância…”

    Concordo, viver e deixar viver, mas vale nos dois sentidos.

    “acho que isso também deveria ser parte da grande nação que aos poucos, não só por causa dos 8 anos de Lula, está se formando.”

    Nunca votei no Lula, e mais uma vez não vou votar no PT, sou de um outro partido.
    Reconheço que não é somente por causa sua, mas não seria como é hoje sem ele, este foi o melhor governo na história deste país, sem duvida nenhuma !!

    Sds

    Obs:

    Aquelas redes anteriores(50-60) não eram internet,mas ARPANET, eram redes curtas, locais.

    INTER-NET é invés como diz o próprio nome, uma rede internacional.

    http://en.wikipedia.org/wiki/History_of_the_Internet

  89. Dalton 7 de fevereiro de 2010 at 11:57 #

    Caro Francoorp…

    claro que pode chamar-me de amigo…e se vc reparar melhor, meu humilde texto não é dirigido apenas a você, portanto, “delete”
    certas coisas que escrevi e que vc pensou ser dirigido a vc.

    mas voltando a Internet,

    O ARPANET que vc citou criado pelos militares, expandiu-se para
    as Universidades transformando-se na NSF NET e os computadores
    desta agencia foram decisivos para estabelecer o que a Internet é
    hoje. As redes de alta velocidade da NSF são o principal suporte
    da Internet .

    Outra coisa, o protocolo TCP-IP foi criado pelo americano Robert
    Kahn também incorporado as Universidades.

    Mais tarde o CERNE criou a WEB… portanto WEB faz parte da Internet

    se vc tiver interesse e paciencia procure pelo google… A.I.S.A. Historia da Internet.

    abraços

  90. Gilberto Rezende 7 de fevereiro de 2010 at 15:14 #

    Voltando a falar do acordo China-Brasil em porta-aviões que ERA o assunto inicial deste tópico…

    Vou fazer um pequeno e OUSADO exercício de futurologia…

    1) A China pretende ter 3 frotas baseadas em NAe;

    2) O São Paulo dificilmente poderá operar um avião mais moderno que o A-4, se quiser manter seu status de Matinha operadora de NAe de verdade (CATOBAR) terá que construir NAe maior do que A-12;

    3) Se o FX-2 resultar como parece na vitória do Rafale teremos acesso a OPÇÃO do Rafale Naval, embora ele não se adapte ao uso no São Paulo.

    Especulação:

    Que tal um desenvolvimento futuro do Acordo China-Brasil que inclua (ou não) nosso parceiro estratégico França, para que a China construa uma ou duas unidades adcionais de NAe para o Brasil um aaqui e outro lá (com envolvimento da engenharia brasileira) e os dois países equipem seus esquadrões com Rafales produzidos no Brasil ou desenvolvam uma nova variante mais avançada conjuntamente???

    Se a França se juntasse a esta loucura melhoraria mais o projeto do NAe (agora sino-brasileiro-francês) ainda mais e poderia até optar construir uma unidade para Marine Nationale na China…

    Esta altura os americanos estariam a beira de uma síncope!!!

    Sei que é um pensamento muito LOUCO e é um caminho bem difícil de acontecer mas apartir deste relacionamento inicial, se evoluir para uma relação de confiança e interesse mútuo, é uma linha de desenvolvimento que poderá ao menos ser AVALIADA num futuro próximo.

  91. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 16:11 #

    ““Nao exitem paises amigos ,os interesses estrategicos nacionais vem antes de tudo,os americanos sabem bem disso”
    Este e’ a base da filosofia da politica externa dos Estados Unidos, aliancas baseadas em lacos de amizade e confianca, vide NATO”
    Thomas ,vcnao tm muitolao o conceito de amizade.
    Vc pode ser amigo de alguem ,mas nunca pretenderà que para istò ele tenha que mudar suas ideias ou opnioes.Amigo nao boicota ou castiga vc sò porque vc tem um pensamento diferente do dele.Um amigo comprende que suas necessidades,ambiçoes e sonhos possam divergir ou ser completamente opostos aos dele.AMIGO NAO IMPOEM A SUA VISAO E SUA VONTADE A UM OUTRO AMIGO. ISTO è amigo!
    Portanto: Nao exitem paises amigos!Sò interesses comuns

  92. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 17:12 #

    Dalton_
    “Não exatamente. Há uma carta de Einstein ao Presidente Roosevelt,
    cujo conteudo é de dominio publico avisando e aconselhando o Presidente sobre a possibilidade da Alemanha desenvolver bombas atomicas.”
    Istò nao implica que ele fosse a favor ! Como existe essa carta, existe tambem o conhecido ” Manifesto Russell-Einstein” que è o mais importante documento de denuncia sobre a terrificante ameaça nuclear ao futuro da humanidade.

    “Hitler teria usado a bomba sem a menor duvida se a tivesse.” Tambem acredito o mesmo,mas por sorte nao aconteceu.Portanto este crime de guerra nao pode ser atribuido a ele,outros sim (shoah),mas aos USA que se mostram nem mais nem menos ao mesmo nivel deste desprezavel ser.Agora vc pode colocar as mais variaveis justificaçoes e motivaçoes,mas nada o justifica .Atè Hitler tinha as motivaçoes dele nas quais provavelmente acreditava profundamente.

    “Uma coisa desagradavel em guerras são os estupros, e por mais ironico que pareça muitas mulheres de okinawa foram estupradas por japoneses…até hoje isso é recordado por lá…na verdade, os japoneses foram responsaveis por um dos maiores estupros em massa
    da historia”? Nao entende o sentido mas … Um crime justifica outro ? Acredito que do momento que os USA renunciem ao nuclear os otros paises seguiram o mesmo passo.Aè mesmo o Iran…

    Antes vc disse que nos USA existem politicos melhores do Brasil e da Italia.vc acredita realmente nisto? porfavor…essa apenas è uma sua opniao muito(MUITO MUITO) sojetiva.

    “Talvez tivesse sido melhor viver sob o manto de Hitler…ou, quem sabe Stalin, lamento muito por voces! Estes americanos se metem em tudo !”
    Certeza do que vc diz ? A Europa sobreviveu a periodos historicos muito mais escuros e sanguinarios sem ajuda dos EUA.Nao pinte os USA como salvadores.Foram diversos homem a lutarem e de diferentes nacionalidades contra estas pragas .No osbsante tudo esteja certo que a Europa continuaria sem ou com os USA ,como fez por milenios. Nao estou desprezando o operado deles ,alias, mas nao vou ser servo de niguem por isto meu amigo.

    “A Europa como conhecemos não existe a milenios, na verdade o novo mundo tem 500 anos apenas e sim os europeus tem uma historia rica
    mas mesmo a Italia, terra de meus avós, foi unificada em 1861″

    Belo tentativo amigo, mas conheço a minha hstoria e ò fato que està terra tenha sido unificada no 1861 sobre o nome Regno d’Italia nao significa que minha historia tenha iniciado està data. Caminho pela minha cidade e todos as vezes sinto um sussulto,uma sensaçao de raiva, orgulho e frustraçao quando vejo estes muros, estes chao ,ruas, e monumentos de milenios que me chamam a proseguir està historia de gloria. E nao sò a minha cidade, é so observar que muitas estao baseadas sobre o esquemas de acampamentos romanos de quando foram criadas.

    Nada de pessoal amigo, pelo contrario,mas nao quero viver debaixo do controle de Uncle Sam.Talvez sou desmasiado vaidoso e orgulhoso.
    Abraços

  93. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 17:19 #

    Eu sei que os USA com as suas milhares de bases militares esplhadas pelo mundo querem so me defender.O problema è … quem vai me defender deles ???

  94. Dalton 7 de fevereiro de 2010 at 18:47 #

    Caro Fortuna…

    a primeira universidade nasceu na Italia em plena idade média, que muitos ainda teimam em dizer que foi a idade das trevas, mas nem tanto…o que quis dizer foi que o mapa da europa em grande parte como conhecemos hoje é relativamente recente.

    Quanto ao Einstein, ele não era tão pacifista assim principalmente quando se tratava da Alemanha. Einstein fugiu para os EUA e advogou medidas militares contra Hitler antes mesmo de Hitler invadir a Tchecoslovaquia e trabalhou como consultor no projeto de armas para a marinha americana

    Einstein é verdade, mais tarde mostrou reservas quanto ao uso da bomba, mas nunca admitiu que ela era errada, na verdade Einstein
    mudou após a guerra fazendo apologia da URSS…para ele, Stalin estava certo em suprimir as liberdades individuais, usar policia secreta, Einstein nem ao menos fez referencia aos milhoes de sovieticos mortos pelo proprio Stalin…os judeus que Hitler assassinou foram motivo para Einstein odiar a Alemanha…mas e os
    sovieticos mortos? Nem uma palavra? Einstein era contraditorio!

    Quanto ao bombardeio de Hiroxima ser crime de guerra…discordo, pois houve outros bombardeios durante a guerra tão mortais quanto
    a diferença é que um unico aviao e uma unica bomba fizeram o serviço de centenas. Ao Japão foi oferecida a rendição apesar de incondicional é verdade…mas eles não concordaram.

    A Europa sobreviveu a periodos de historia muito mais sangrentos?
    Sempre soube que a Segunda Guerra foi a pior coisa que aconteceu a humanidade…sou obrigado a discordar, nada antes compara-se a Adolf Hitler.

    Quanto a viver sob controle do Tio Sam, penso que a Europa não sairia sozinha do controle do nazismo e nem do comunismo, mas voce
    parece ter apagado completamente isso de sua memória. É o primeiro europeu com quem “falo” que nega alguma importancia dos EUA na libertação da Europa…mesmo soldados brasileiros que lutaram na Italia foram armados treinados e transportados pelos EUA.

    Evidentemente que vc continuará não gostando dos EUA e torcendo por uma Europa cada vez melhor…e da minha parte continuarei torcendo pelos EUA e porque não, uma maior parceria com o meu Brasil, espero que possamos vender muito metanol para eles ainda!

    abraços de um italiano all’estero !

  95. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 19:27 #

    Dalton por quanto eu possa discordar com vc sobre algums pontos,tenho que confessar ,è um prazer discutir com vc. Nao è simples questao de nao gostar dos EUA,porque è claro que se um dia eu tiver que escolher entre China e USA (em um ipotetico conflito)muito provavelmente defenderei o “meu mundo” ocidental.A questao è que niguem deve estar acima de mim -meu pais- , ditar as regras ,impor o “norte” que devo seguir e pretender de estar na posiçao do justo quando està errado.

    Un sincero e caloroso abbraccio!

  96. O Fortuna 7 de fevereiro de 2010 at 19:47 #

    “nada antes compara-se a Adolf Hitler.” discordo… a nossa historia teve capitulos negros bem piores com absurdidades terrriveis e babaras. “L’Inquisizione” foi sò uma destas … querer paragonare guerras de “espadas” com a Segunda Guerra è inviavel atè pelos diferentes numeros demografico muito mais baixos e letalidade das armas ,mas a barbaridade, crueldade e a estupidez/futilidade foi atè superior .As guerras santas nao foram certo um dia de carnaval em Rio :)
    Abraçao

  97. marc 6 de março de 2010 at 22:32 #

    Hello! Your post (BRIC no mar: o acordo Brasil-China para porta-aviões) does so well that I would like to translate it into French, publish on my french blog and link to you. You have something against it? Regards

  98. Jose Eduardo Alves Eugenio 26 de setembro de 2010 at 15:51 #

    Caro amigos no momento não precisamos de aliados a marinha
    precisa é fazer uma limpeza seus quadros como reduzir a zero o
    numero de Of.AA/OF.RM2/ e voltar o recrutamento que é barato
    reduzir o nr de alunos das escprendizes e completar c/ recrutas e
    grande redução dos guarteis dos centros urbanos mandar tudo
    isto p/ as fronteiras que estão abandonadas tb com melhoria na
    situação das praças
    Eduardo de Fortaleza-Ce.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

NDCC ‘Mattoso Maia’ pode ser o próximo navio da MB a dar baixa

G28

Segundo uma fonte, o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Mattoso Maia (G28) pode ser o próximo navio da […]

Navio de Desembarque Doca ‘Ceará’ finaliza PMG com êxito

NDD Ceará

  O Navio de Desembarque-Doca (NDD) “Ceará” finalizou com êxito o seu Período de Manutenção Geral (PMG) em novembro de […]

92º Aniversário da Diretoria de Aeronáutica da Marinha

NA FOTO, POR OCASIÃO DA COMEMORAÇÃO DO 92º ANIVERSÁRIO DA DAerM, VÊ-SE REUNIDOS COM O ATUAL DAerM, EM PÉ À ESQUERDA, CA PRIMO, MAIS SETE OFICIAIS-GENERAIS, TODOS EX-DIRETORES DE AERONÁUTICA DA MARINHA.

Apenas dezesseis anos após o primeiro voo do “mais pesado do que o ar”, os olhos atentos do então Ministro […]

Veja no ForTe: Exército Brasileiro vai escolher seu blindado 4×4

Avibras Tupi

O Projeto Estratégico Guarani, do Exército Brasileiro, deve selecionar em breve o vencedor do Programa VBMT-LR (Viatura Blindada Multitarefa, Leve de […]

Temas ausentes

Esquadra-Brasileira

Mario Cesar Flores Dois temas que frequentam o cotidiano da mídia mundial estiveram ausentes das campanhas eleitorais de 2014: relações […]