Home Geopolítica Japão planeja doar navios de patrulha às Filipinas

Japão planeja doar navios de patrulha às Filipinas

260
4

photo_1360553134752-1-0

Segundo a mídia local, o governo japonês aprovou um plano de doação de vários navios-patrulha às Filipinas. As embarcações, que custam cada uma cerca de 11 milhões de dólares cada, terão como missão monitorar as atividades da China em águas do Mar do Sul.

Observadores apontam a urgência com que o governo nipônico decidiu incluir o custo dos navios-patrulha no Orçamento do Estado para o ano em curso, o que sugere que Tóquio está muito preocupado com a evolução do litígio territorial com a China. Diante do agravamento da disputa sobre as ilhas Diaoyu/Senkaku nos últimos meses, o Japão toma medidas a fim de reforçar suas posições na área das ilhas. Dentro da estrutura da Guarda Costeira está sendo criada uma unidade especial permanente responsável pela defesa das ilhas do Mar do Leste da China, consideradas por Pequim territórios chineses ilegalmente ocupados. Tóquio também planeja encomendar para o novo destacamento seis navios-patrulha de mil toneladas de deslocamento cada um. Além disso, nos próximos meses, serão modernizados dois patrulheiros de grande porte já disponíveis.

Além de reforçar o próprio contingente, o país está procurando aliados. À cooperação já tradicional com os Estados Unidos, soma-se o desenvolvimento de relações com vizinhos, especialmente aqueles que também estão preocupados com o incremento do poder naval da China. Em janeiro deste ano, durante uma visita a Manila, o ministro japonês das Relações Exteriores, Fumio Kishida, em várias ocasiões enfatizou que os dois países têm um interesse comum no fomento da segurança regional da Ásia-Pacífico. A segurança marítima foi um dos temas centrais das conversações entre os chanceleres do Japão e das Filipinas.

Para Tóquio, as Filipinas são um aliado natural, pois vêm disputando com a China os direitos sobre as Ilhas Spratly/Nansha situados no Mar do Sul. De acordo com o especialista em temas do Japão do Instituto do Extremo Oriente da Academia das Ciências da Rússia, Valeri Kistanov: “o Japão pretende criar uma espécie de coalizão para dissuadir a China no leste da Ásia. Para esse fim, o país explora o fato de a China ter litígios territoriais também com as Filipinas, o Vietnã e a Malásia. O Japão acredita que deve ajudar essas nações a fazer frente à estratégia de ofensiva marítima da China.”

Durante o último período, o Japão vem incrementando a cooperação com o Vietnã, também com conotações anti-chinesas, assinalou o perito. De acordo com a mídia japonesa, a Guarda Costeira do país planeja promover treinamento para o pessoal vietnamita e filipino engajado no patrulhamento de áreas marinhas. Portanto, a região dos mares do Leste e do Sul da China está se convertendo em cenário de aguda confrontação, o que é particularmente perigoso porque até o momento nenhuma das partes envolvidas em disputas territoriais não propôs qualquer plano de resolução do conflito que seja aceitável para outros, ao menos como base da negociação. No entanto, tudo está evoluindo segundo um roteiro que lembra uma espécie de “Guerra Fria”, em que cada bloco estava empenhado em fortalecer suas posições e recrutar novos aliados.

FONTE: Voz da Rússia e AFP via Japan Today (edição e adaptação do Poder Naval a partir de originais em português e inglês)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Observador
Observador
7 anos atrás

É isto aí.

Rapidamente vai se formando naquela região um cordão de alianças contra a potência emergente do momento, que por sua vez também procura ampliar a sua rede de aliados.

Igualzinho o que aconteceu com a Europa na virada do século XIX para XX e nos primeiros anos do século XX.

De um lado a Alemanha como potência emergente e seus aliados; e do outro as potência tradicionais.

Deu no que deu. A Primeira Guerra Mundial.

daltonl
daltonl
7 anos atrás

A Alemanha não dependia do comércio maritimo já a China depende e
uma olhada no mapa mostra como a situação da China é frágil quando
se analisa o trafego maritimo entre o Paifico e o Indico.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Olha o mapa aí, gente…

comment image

Abç.,
Ivan, an oldinfantryman

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Os movimentos são claros. Japão, que já foi sufucado em suas rotas comerciais e de abastecimento, começa um movimento de envolvimento sobre as saídas para o mar da China. Observando o mapa dá para ver o cinturão que se formaria com as ilhas do Japão, Taiwan, Filipinas e ancorando com Vietnam e Singapura. A Corea do Sul seria geograficamente um grande aliado japonês, mas as terríveis marcas que ficaram com a ocupação nipônica no começo na primeira metade do século passado parece que ainda são lembradas. China, por outro lado, estreita aliança com o Paquistão, abrindo um corredor terrestre direto… Read more »