terça-feira, março 2, 2021

Saab Naval

Lançada a terceira FREMM italiana

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 4 Marinha Italiana

Fragata ‘Carlo Margottini’ foi lançada no sábado, 29 de junho, nas instalações da Fincantieri em Riva Trigoso

No último sábado, 29 de junho, foi celebrado o lançamento da fragata Carlo Margottini (F592), terceiro navio FREMM (Fragata Europeia Multimissão) destinado à Marinha Italiana, fruto de um programa de cooperação ítalo-francês. O lançamento foi realizado nas instalações da Fincantieri em Riva Trigoso, Gênova (Itália).

A fragata foi batizada em honra do capitão Carlo Margottini, comandante da XI Esquadrilha de Contratorpedeiros que recebeu a medalha de ouro de valor militar (Medaglia d’Oro al Valor Militare) após perecer em combate com ingleses no afundamento do navio Artigliere em 12 de outubro de 1940. A madrinha do navio foi a senhora Stefania Portaccio, neta do capitão Carlo Margottini.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 3 Marinha Italiana

Também estiveram presentes à cerimônia, entre diversas autoridades políticas, civis e religiosas, a subsecretária de Estado para Defesa, senadora Roberta Pinotti, o chefe do Estado-Maior da Defesa, almirante Luigi Binelli Mantelli, o chefe do Estado-Maior da Marinha, almirante de esquadra Giuseppe De Giorgi, o comandante em chefe da Esquadra Naval, almirante de esquadra Filippo Maria Foffi, o comandante em chefe do Departamento Militar Marítimo do Alto Tirreno, almirante de esquadra Andrea Toscano, o diretor executivo (CEO) da Fincantieri, Giuseppe Bono, além do governador da Liguria, Claudio Burlando.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 7 Marinha Italiana

Segundo nota da Fincantieri, a fragata deverá entrar em serviço no início de 2014 em Muggiano (La Spezia), marcando o  prosseguimento do programa FREMM que visa substituir, com navios no estado da arte, as fragatas das classes “Lupo” e “Maestrale” construídas pela Fincantieri na década de 1970. O contratante principal na Itália é a Orizzonte Sistemi Navali (51% Fincantieri, 49% Finmeccanica) enquanto, para a França, é a Armaris (DCNS + Thales). A cooperação é um desdobramento da experiência positiva no programa ítalo-francês anterior, que gerou quatro fragatas de defesa aérea “Orizzonte”, duas delas para a Marinha Italiana, a Andrea Doria e a Caio Duilio.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 6 Marinha Italiana

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 5 Marinha Italiana

O navio deverá apresentar um alto grau de flexibilidade, sendo capaz de operar em todas as situações táticas, com uma tripulação de 200 integrantes. A fragata Carlo Margottini mede 144 metros de comprimento por 19,7 de boca, deslocando aproximadamente 6.700 toneladas a plena carga. A velocidade máxima excederá 27 nós. As fragatas já lançadas para a Marinha Italiana são a Bergamini e a Fasan.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 2 Marinha Italiana

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto Marinha Italiana

FONTES E FOTOS: Fincantieri e Marinha Italiana (tradução e edição do Poder Naval a partir de originais em italiano)

VÍDEO: Libero Reporter

NOTA DO EDITOR: as imagens estão em tamanho grande, clique para ampliar. Para ver notícias sobre lançamentos anteriores dos navios FREMM italianos e franceses, além de assuntos relacionados, clique nos links a seguir. Pode-se comparar os sistemas de construção diferentes adotados pelo estaleiros da França e da Itália para a montagem final das seções dos navios, com os modelos franceses montados em um dique coberto que em seguida é alagado, e os italianos montados em uma “carreira” a céu aberto, de onde é deslocada posteriormente a uma plataforma flutuante.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

22 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MO

FErnandinho, a muleh junto com Il Capitone Ferrerone é a Madrinha do navio, se for, quem é a dita cuja, voce saberia … ?

MO

tks Fernandinho, li o texto correndo e nao reparei nesta info, to virando penico de pardal mesmo !!!

Augusto

Essa FREMM, assim como a Carlo Bergamini e a Virginio Fasan, é belíssima!

Augusto

Como eu quis que o Brasil tivesse selecionado a Itália no PROSUPER! Mas como a prioridade do governo é dar guarita a terrorista italiano, a Marinha terá de esperar.

nunes neto

Já pensou se os alemães resolvem homenagear seus “heróis” de 1940 que pereceram nas mãos dos aliados?

nunes neto

Num outro post rolou uma “discussão’ sobre o Hitler, mas quase todo mundo se esquece ,mesmo que momentaneamente que os italianos e japoneses eram do Eixo do Mal.

daltonl

Nunes…

os alemães já homenagearam com um destroyer nos anos 60 o Almirante Lutjens, que pereceu a bordo do Bismarck quando em combate com a Royal Navy.

Dessa mesma classe fizeram parte o Rommel e o Molders ambos
“heróis”, mas que não pereceram nas mãos dos aliados.

abs

MO

kkkkk twem tbm o Costa MSC of the Mares que tem pasme $ elevadoresd … kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

nunes neto

daltonl, valeu pela informação, apesar do lado que defenderam, estes homens estavam em cumprimento de seu dever, defendendo seus países, homenagem justa, mas ao meu ver “polêmica”,uma vez que defendiam seus países numa época que os mesmos (governo, não necessariamente toda a população) defendia valores políticos-sociais totalmente obscuros, mas enfim cada um escolhe quem homenagear. Abçs

Colombelli

Augusto, concordo contigo, um navio mais belo que as francesas e melhor armado acho também.

Quanto ao teu sonho, podes tornar a acalentá-lo, pois o STJ condenou Batisti por falsidade documental, cabendo agora ao ministro da justiça expulsá-lo do Brasil, nos termos do artigo 55 do Estatuto do Estrangeiro. Nem tudo esta perdido para as italianas.

Luiz Monteiro

Prezados,

Conforme escrevi outro dia aqui no Naval, näo sei se o Governo Federal, diante de tantas manifestaçöes contra os gastos “näo prioritários” tomará alguma decisäo quanto ao PROSUPER e o F-X2.

Vejo com muita preocupaçäo.

Abraços

Wagner

Cada país tem direito a homenagear o militar que quiser. Militares em geral não defendem políticos, eles lutam acreditando defender a causa nacional. Ninguém é obrigado a homenagear só os nomes que os USA gostam. Eu acho horrível batizar um Nimitz com o nome Harry Truman, mas se os USA o acham um herói… Parabéns aos italianos por escolherem esse nome e honrarem seus heróis de guerra. Isso mostra patriotismo, orgulho nacional, o que é de capital importância para uma nação. Essa fragata é magnífica. A MB devia ” jogar-se” fora e substituir-se por meias dúzia delas, seria finalmente uma… Read more »

MO

Wagner eu acho que a expressão ‘lixo ingles’ faz uma injustiça com os navios, que ja tiveram sua época, o grande problema é que seu tempo passou e aqui nunca se pensa em estado da arte de nada, o problems n~so é o nasvio em si e sim aquela mania de tudo ser eterno, basta lembrar que quando José Bonifacio esteve com Rui Barbosa em um evento aviãozonhum no Canada, a Yellow flag falou algo tipo assim “Rui, Não precisamos de tanta tecnologina, NÉ ?!’! .. acho que errei o local do evento …

Ivan

FREMM italianas e francesas possuem diferenças importantes, derivadas das necessidades próprias de suas marinhas de guerra. Uma delas, menos observada, é a propulsão escolhida. Ambas usam a mesma turbina General Eletric LM 2500 G4 de origem americana e fabricada pela Avio sob licença (com 32MW). Ambas usam um par de motores elétricos EPM – Electrical Propulsion Motors) Jeumont (2 x 2,25MW). Ambas possuem 4 (quatro) geradores diesel, sendo que os italianos optaram pelo Isotta Fraschini VL1716HPCR (4 x 2,8 MW) e os franceses pelo MAN (4 x 2,1 MW). Mas a principal diferença está no arranjo das máquinas: Italianos optaram… Read more »

daltonl

“Eu acho horrível batizar um Nimitz com o nome Harry Truman, mas se os USA o acham um herói…” Nada a ver Wagner. Os verdadeiros heróis são homenageados com destroyers e fragatas, até porque há centenas de nomes que se qualificam e a US Navy já teve centenas de tais navios no passado. Encouraçados receberam nomes de Estados mas cruzadores que sempre foram bem mais numerosos receberam nomes de cidades que são numerosas. NAes receberam nomes de batalhas ou feitos relacionados à aviação, até que com a morte do Presidente Roosevelt em 1945, um NAe em construção teve seu nome… Read more »

Azevedo

O oficial conduzindo a madrinha é o futuro Comandante do navio, CF Paolo Lombardi.

Luiz Monteiro

Prezado Nunão,

Obrigado pela informação. Acabei de ler. Parabéns ao Poggio. É bem por ai mesmo.

Abraços

Augusto

Ivan disse:
2 de julho de 2013 às 11:45

Ótimo comentário!

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Relembre a entrevista com um comandante de submarino da Marinha do Brasil

Há cerca de 20 anos o Poder Naval Online entrevistou, por meio do colaborador Bruno Fagundes, um comandante de...
- Advertisement -
- Advertisement -