FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 4 Marinha Italiana

-

Fragata ‘Carlo Margottini’ foi lançada no sábado, 29 de junho, nas instalações da Fincantieri em Riva Trigoso

-

No último sábado, 29 de junho, foi celebrado o lançamento da fragata Carlo Margottini (F592), terceiro navio FREMM (Fragata Europeia Multimissão) destinado à Marinha Italiana, fruto de um programa de cooperação ítalo-francês. O lançamento foi realizado nas instalações da Fincantieri em Riva Trigoso, Gênova (Itália).

A fragata foi batizada em honra do capitão Carlo Margottini, comandante da XI Esquadrilha de Contratorpedeiros que recebeu a medalha de ouro de valor militar (Medaglia d’Oro al Valor Militare) após perecer em combate com ingleses no afundamento do navio Artigliere em 12 de outubro de 1940. A madrinha do navio foi a senhora Stefania Portaccio, neta do capitão Carlo Margottini.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 3 Marinha Italiana

Também estiveram presentes à cerimônia, entre diversas autoridades políticas, civis e religiosas, a subsecretária de Estado para Defesa, senadora Roberta Pinotti, o chefe do Estado-Maior da Defesa, almirante Luigi Binelli Mantelli, o chefe do Estado-Maior da Marinha, almirante de esquadra Giuseppe De Giorgi, o comandante em chefe da Esquadra Naval, almirante de esquadra Filippo Maria Foffi, o comandante em chefe do Departamento Militar Marítimo do Alto Tirreno, almirante de esquadra Andrea Toscano, o diretor executivo (CEO) da Fincantieri, Giuseppe Bono, além do governador da Liguria, Claudio Burlando.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 7 Marinha Italiana

Segundo nota da Fincantieri, a fragata deverá entrar em serviço no início de 2014 em Muggiano (La Spezia), marcando o  prosseguimento do programa FREMM que visa substituir, com navios no estado da arte, as fragatas das classes “Lupo” e “Maestrale” construídas pela Fincantieri na década de 1970. O contratante principal na Itália é a Orizzonte Sistemi Navali (51% Fincantieri, 49% Finmeccanica) enquanto, para a França, é a Armaris (DCNS + Thales). A cooperação é um desdobramento da experiência positiva no programa ítalo-francês anterior, que gerou quatro fragatas de defesa aérea “Orizzonte”, duas delas para a Marinha Italiana, a Andrea Doria e a Caio Duilio.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 6 Marinha Italiana

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 5 Marinha Italiana

O navio deverá apresentar um alto grau de flexibilidade, sendo capaz de operar em todas as situações táticas, com uma tripulação de 200 integrantes. A fragata Carlo Margottini mede 144 metros de comprimento por 19,7 de boca, deslocando aproximadamente 6.700 toneladas a plena carga. A velocidade máxima excederá 27 nós. As fragatas já lançadas para a Marinha Italiana são a Bergamini e a Fasan.

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto 2 Marinha Italiana

FREMM Carlo Margottini - lançamento 29 junho 2013 - foto Marinha Italiana

FONTES E FOTOS: Fincantieri e Marinha Italiana (tradução e edição do Poder Naval a partir de originais em italiano)

VÍDEO: Libero Reporter

NOTA DO EDITOR: as imagens estão em tamanho grande, clique para ampliar. Para ver notícias sobre lançamentos anteriores dos navios FREMM italianos e franceses, além de assuntos relacionados, clique nos links a seguir. Pode-se comparar os sistemas de construção diferentes adotados pelo estaleiros da França e da Itália para a montagem final das seções dos navios, com os modelos franceses montados em um dique coberto que em seguida é alagado, e os italianos montados em uma “carreira” a céu aberto, de onde é deslocada posteriormente a uma plataforma flutuante.

VEJA TAMBÉM:

Tags: , , , ,

About Fernando "Nunão" De Martini

View all posts by Fernando "Nunão" De Martini

22 Responses to “Lançada a terceira FREMM italiana” Subscribe

  1. MO 1 de julho de 2013 at 17:12 #

    FErnandinho, a muleh junto com Il Capitone Ferrerone é a Madrinha do navio, se for, quem é a dita cuja, voce saberia … ?

  2. Fernando "Nunão" De Martini 1 de julho de 2013 at 17:21 #

    MO, a senhora que aparece em duas das fotos, caminhando de braço dado e depois junto às autoridades enquanto o membro do clero batiza o navio, pelo que entendi, é a madrinha (neta do capitão Margottini que dá nome à fragata).

    O nome dela, conforme marcado no texto, é Stefania Portaccio.

    Isso porque a outra, de óculos, é a subsecretária Roberta Pinotti, que aparece dando uma entrevista no vídeo abaixo:

  3. Augusto 1 de julho de 2013 at 17:32 #

    Essa FREMM, assim como a Carlo Bergamini e a Virginio Fasan, é belíssima!

  4. Augusto 1 de julho de 2013 at 17:36 #

    Como eu quis que o Brasil tivesse selecionado a Itália no PROSUPER! Mas como a prioridade do governo é dar guarita a terrorista italiano, a Marinha terá de esperar.

  5. MO 1 de julho de 2013 at 18:04 #

    tks Fernandinho, li o texto correndo e nao reparei nesta info, to virando penico de pardal mesmo !!!

  6. nunes neto 1 de julho de 2013 at 19:23 #

    Já pensou se os alemães resolvem homenagear seus “heróis” de 1940 que pereceram nas mãos dos aliados?

  7. nunes neto 1 de julho de 2013 at 19:26 #

    Num outro post rolou uma “discussão’ sobre o Hitler, mas quase todo mundo se esquece ,mesmo que momentaneamente que os italianos e japoneses eram do Eixo do Mal.

  8. daltonl 1 de julho de 2013 at 19:56 #

    Nunes…

    os alemães já homenagearam com um destroyer nos anos 60 o Almirante Lutjens, que pereceu a bordo do Bismarck quando em combate com a Royal Navy.

    Dessa mesma classe fizeram parte o Rommel e o Molders ambos
    “heróis”, mas que não pereceram nas mãos dos aliados.

    abs

  9. Fernando "Nunão" De Martini 1 de julho de 2013 at 20:06 #

    MO, penico de gaivota pelo menos deve ser melhor no status (mas não no estrago…).

    E só cabe 200 nesse naviozinho?? No Zvhyweergdndngh of the Seas que eu fotografei cabem 2000 e tantos só no teatro!!!! Quer ver as fotos????

    (começa um longo “scroll” de fotos na memória da câmera, seguido de meia dúzia de bocejos)

    Isso é um absuuuuuuuuurrrrrdo!!!!!

    (shploft! – barulho de titica de gaivota caindo no “pinico”…)

  10. MO 1 de julho de 2013 at 20:24 #

    kkkkk twem tbm o Costa MSC of the Mares que tem pasme $ elevadoresd … kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. nunes neto 1 de julho de 2013 at 22:55 #

    daltonl, valeu pela informação, apesar do lado que defenderam, estes homens estavam em cumprimento de seu dever, defendendo seus países, homenagem justa, mas ao meu ver “polêmica”,uma vez que defendiam seus países numa época que os mesmos (governo, não necessariamente toda a população) defendia valores políticos-sociais totalmente obscuros, mas enfim cada um escolhe quem homenagear. Abçs

  12. Colombelli 2 de julho de 2013 at 0:27 #

    Augusto, concordo contigo, um navio mais belo que as francesas e melhor armado acho também.

    Quanto ao teu sonho, podes tornar a acalentá-lo, pois o STJ condenou Batisti por falsidade documental, cabendo agora ao ministro da justiça expulsá-lo do Brasil, nos termos do artigo 55 do Estatuto do Estrangeiro. Nem tudo esta perdido para as italianas.

  13. Luiz Monteiro 2 de julho de 2013 at 9:49 #

    Prezados,

    Conforme escrevi outro dia aqui no Naval, näo sei se o Governo Federal, diante de tantas manifestaçöes contra os gastos “näo prioritários” tomará alguma decisäo quanto ao PROSUPER e o F-X2.

    Vejo com muita preocupaçäo.

    Abraços

  14. Wagner 2 de julho de 2013 at 10:29 #

    Cada país tem direito a homenagear o militar que quiser. Militares em geral não defendem políticos, eles lutam acreditando defender a causa nacional. Ninguém é obrigado a homenagear só os nomes que os USA gostam.

    Eu acho horrível batizar um Nimitz com o nome Harry Truman, mas se os USA o acham um herói…

    Parabéns aos italianos por escolherem esse nome e honrarem seus heróis de guerra. Isso mostra patriotismo, orgulho nacional, o que é de capital importância para uma nação.

    Essa fragata é magnífica. A MB devia ” jogar-se” fora e substituir-se por meias dúzia delas, seria finalmente uma esquadra decente.

    Mas enquanto isso ficamos com lixo inglês de 40 anos de idade que não opera nem funciona… ou um Francês de 50 anos permanentemente inoperante.

  15. Fernando "Nunão" De Martini 2 de julho de 2013 at 11:31 #

    Luiz Monteiro,

    Também temos essa preocupação, e no caso do F-X2 temos editorial a esse respeito publicado hoje no Poder Aéreo:

    http://www.aereo.jor.br/2013/07/02/o-f-x2-esta-morto-vida-longa-ao-f-x/

    Como você disse, a ordem no MD seria o Prosuper só ser decidido após uma decisão do F-X2.

    Assim, como aumentaram (na nossa opinião, que pode muito bem estar errada) as chances deste último não ter nada decidido ou mesmo ser cancelado, temos duas opções:

    Uma é o Prosuper ter que esperar ainda muito mais para ter uma resposta, aguardando mais um adiamento para decisão do F-X2, desde que improváveis revalidações de propostas ocorram após setembro (quando vencem).

    Outra é, com um eventual cancelamento do F-X2 (e soluções paliativas terem que ser tomadas com urgência, como aquisição de caças usados etc), o Prosuper aí sim ver a sua vez chegar. Aí o programa passará a ser a bola da vez, para o bem ou para o mal.

    Saudações!

  16. Ivan 2 de julho de 2013 at 11:45 #

    FREMM italianas e francesas possuem diferenças importantes, derivadas das necessidades próprias de suas marinhas de guerra.

    Uma delas, menos observada, é a propulsão escolhida.
    Ambas usam a mesma turbina General Eletric LM 2500 G4 de origem americana e fabricada pela Avio sob licença (com 32MW). Ambas usam um par de motores elétricos EPM – Electrical Propulsion Motors) Jeumont (2 x 2,25MW). Ambas possuem 4 (quatro) geradores diesel, sendo que os italianos optaram pelo Isotta Fraschini VL1716HPCR (4 x 2,8 MW) e os franceses pelo MAN (4 x 2,1 MW).

    Mas a principal diferença está no arranjo das máquinas:
    Italianos optaram pelo CODLAG – COmbined eLetric And Gas;
    Franceses pelo CODLOG – COmbined eLetric Or Gas.

    ‘E’ é completamente diferente de ‘OU’.
    Quem brinca com planilha eletrónica sabe como é… rsrsrs.
    Enquanto um soma turbina e diesel, o outro usa turbina ou diesel.

    CODLAG é obviamente mais complexo, entretanto entrega mais potência instantânea que leva as FREMM da Marina Militare a 30 nós (knots), velocidade exigida por esta marinha tendo em vista seus navios principais (Cavour e Garibaldi) navegarem a 28 ou mais nós.

    CODLOG é mais simples, entretanto entrega menos potência intantânea que leva as FREMM da Marine Nationale a apenas 27 nós (knots), velocidade exigida por esta marinha tendo em vista seu navio principal (PA Charles de Gaulle) navegar a 27 nós.

    Existe uma certa ousadia na solução italiana (minha preferida), que permite suas fragatas se ombrearem com cruzadores e destroyers norte americanos e russos em velocidade.

    Segue um link interessante sobre a solução italiana:
    http://www.din.unina.it/HSMV%202011%20Proceedings/html/Papers/19.pdf

    Sds.,
    Ivan.

  17. daltonl 2 de julho de 2013 at 11:48 #

    “Eu acho horrível batizar um Nimitz com o nome Harry Truman, mas se os USA o acham um herói…”

    Nada a ver Wagner. Os verdadeiros heróis são homenageados com destroyers e fragatas, até porque há centenas de nomes que se qualificam e a US Navy já teve centenas de tais navios no passado.

    Encouraçados receberam nomes de Estados mas cruzadores que sempre foram bem mais numerosos receberam nomes de cidades que são numerosas.

    NAes receberam nomes de batalhas ou feitos relacionados à aviação,
    até que com a morte do Presidente Roosevelt em 1945, um NAe em construção teve seu nome mudado para homenagea-lo.

    Outras exceções a seguir para NAes foram Forrestal e John kennedy
    e a classe Nimitz acabou recebendo nomes de Presidentes mas também de um senador e um deputado ambos democratas.

    Depois de 2 NAes homenageados seguidamente com nomes democratas os USSs John Stennis e Harry Truman, chegou-se a um acordo para que os 2 seguintes fossem homenageados com nomes de
    2 republicanos, USSs Ronald Reagan e George Bush, enfim, politica!

    Quanto à Harry Truman ele foi um presidente muito melhor do que
    Gerald Ford que está sendo agora homenageado com o primeiro de uma nova classe de NAes, que foi republicano, mas o segundo da classe
    o futuro USS John Kennedy homenageará um democrata e assim vai.

    abs

    P.S. os 3 destroyers alemães foram todos construídos nos EUA e houve alguma polemica na época, mas não apenas os alemães tinham o direito de homenagear quem quisessem, os tres nomes não eram
    nazistas convictos, alias Lutjens protestou contra a chamada noite dos cristais, infame manifestação contra os judeus entre outras coisas.

  18. Azevedo 2 de julho de 2013 at 12:34 #

    O oficial conduzindo a madrinha é o futuro Comandante do navio, CF Paolo Lombardi.

  19. MO 2 de julho de 2013 at 14:55 #

    Wagner eu acho que a expressão ‘lixo ingles’ faz uma injustiça com os navios, que ja tiveram sua época, o grande problema é que seu tempo passou e aqui nunca se pensa em estado da arte de nada, o problems n~so é o nasvio em si e sim aquela mania de tudo ser eterno, basta lembrar que quando José Bonifacio esteve com Rui Barbosa em um evento aviãozonhum no Canada, a Yellow flag falou algo tipo assim “Rui, Não precisamos de tanta tecnologina, NÉ ?!’! .. acho que errei o local do evento …

  20. Luiz Monteiro 2 de julho de 2013 at 17:30 #

    Prezado Nunão,

    Obrigado pela informação. Acabei de ler. Parabéns ao Poggio. É bem por ai mesmo.

    Abraços

  21. Augusto 2 de julho de 2013 at 18:00 #

    Ivan disse:
    2 de julho de 2013 às 11:45

    Ótimo comentário!

  22. Fernando "Nunão" De Martini 2 de julho de 2013 at 20:11 #

    Luiz Monteiro,

    Amanhã tem mais lá no Poder Aéreo, e falando de algo aparentado a uma modalidade que já foi aventada pela Marinha para obter mais navios-patrulha de 500t (só que novos, no caso da MB).

    Saudações!

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]