Home Marinhas de Guerra Royal Navy pode ter que desativar navios anfíbios e helicópteros Wildcat

Royal Navy pode ter que desativar navios anfíbios e helicópteros Wildcat

8628
96
HMS Albion e HMS Bulwark

Os Royal Marines podem perder a capacidade de desembarcar em praias a partir do mar, enquanto a Royal Navy pode ter que desativar uma frota de helicópteros sob propostas de economia de custos.

Os chefes da Royal Navy apresentaram dois navios de assalto anfíbio, HMS Albion e HMS Bulwark, como opções para serem cortados em uma mini revisão de defesa que está buscando capacidades de segurança, mas também deve reduzir um buraco de £ 20 bilhões a £ 30 bilhões no orçamento ao longo da próxima década.

O The Times soube que outra opção é desativar 28 helicópteros Wildcat HMA2. Isso deixaria o Fleet Air Arm com apenas seus helicópteros Merlin, reduzindo os custos de suporte, mas fontes disseram que isso vai prejudicar sua capacidade de apoiar a frota.

“Nós precisamos de mais dinheiro ou então temos que cortar capacidade”, disse uma fonte. Seus comentários contrastaram com o Chefe das Forças Armadas, Sir Stuart Peach, Air Chief Marshal, que disse na semana passada que a revisão, liderada pelo Cabinet Office, resultaria em “ajustes em vez de cortes”.

Abandonar a habilidade dos Royal Marines de conduzir assaltos à terra a partir do mar, um dos seus propósitos centrais, economizaria centenas de milhões de libras e liberaria marinheiros para o resto da frota.

A RN pode ter que desativar sua frota Wildcats

No entanto, seria devastador para a corporação, disse James Glancy, um ex-oficial de Marinha, que ganhou a Conspicuous Gallantry Cross no Afeganistão. “Cerca de 72% da população mundial é acessível através do mar, por isso é absolutamente essencial. Se você quiser afetar um resultado, se você quiser auxiliar em caso de desastres naturais, você precisa de capacidade anfíbia”, disse ele. “Não há nenhum sentido em ter porta-aviões preparados para o combate armados com jatos F-35, se você não conseguir colocar alguém em terra”.

A proposta de cortar dois navios, relatada pela BBC na noite passada, acompanha uma opção para diminuir em 1.000 o tamanho dos fuzileiros navais de mais de 6.640 pessoas, retirar dois navios caça-minas mais cedo do serviço e vender um navio de pesquisa oceânica. Os fuzileiros navais já sacrificaram o treinamento na Noruega e nos Estados Unidos este ano. Além disso, o outro navio anfíbio principal da Marinha, o HMS Ocean, o porta-helicópteros que lidera os esforços de alívio de furacões da Grã-Bretanha no Caribe, está sendo aposentado no próximo ano.

O HMS Ocean será desativado em 2018

Um oficial sênior de Royal Marines culpou a introdução do HMS Queen Elizabeth e do HMS Prince of Wales, os novos porta-aviões de £ 6,2 bilhões, pelo agravamento do financiamento e pelos problemas de pessoal. “Esta é a pior decisão de aquisição do último meio século, é por isso que os Royal Marines estão sendo sacrificados”, disse o oficial ao Newsnight da BBC.

Os porta-aviões, que podem levar helicópteros Chinook, podem realizar “operações litorâneas” com fuzileiros navais, mas não conseguem lançar embarcações de desembarque, uma característica do Bulwark e Albion.

Perguntado sobre os navios de assalto, um porta-voz do Ministério da Defesa disse: “Nenhuma decisão ainda foi tomada e qualquer discussão sobre as opções é pura especulação”. Perguntado sobre os helicópteros Wildcat, um porta-voz disse: “Estamos contribuindo para a revisão do governo e olhando sobre a melhor forma de gastar o nosso crescente orçamento de defesa para suportar isso”.

Os cortes propostos

FONTE: The Times

96 COMMENTS

  1. Pois é, percebe-se a MB tomou a decisão correta de aposentar o São Paulo. Para quem tá com a grana curta, tem de fazer uma escolha: ou se tem NAe ou se tem Marinha, as duas coisas não dá…

    Por outro lado, esses Super Linx seriam uma boa aquisição, se aposentados mesmo?

  2. Uma dúzia desses Linx Wildcat, junto com uns 10 Merlins, os dois caça-minas e o porta-helicópteros Ocean não seria uma má ideia para a MB propor aos ingleses.

  3. seria interessante para MB…além do ocean, poderia adqurir HMS Albion e HMS Bulwark mais uns wildcat…e mais OHP da australia…

    muitos vão falar que a MB só compra sucata…mas pelo menos da um fôlego aos navios que estão na sua final vida útil…

  4. Esses dois porta aviões classe queen Elizabeth são verdadeiros cavalos de tróia dentro da royal navy.

    Se for verdade sobre a aposentadoria do HMS Albion e do HMS Bulwark, creio que um desses seriam muito mais interessante para a MB do que o Ocean, esses podem levar os clanf(s) dos fuzileiros o Ocean não

  5. Tanto os LPD quanto os Wildcat seriam interessantes ao Brasil? Agregariam capacidade real a MB a um custo razoável?

    Juntando com as possíveis aquisições do Ocean e das OHP australianas, mais o Bahia e uma revisão nas Niterói, daria à MB fôlego para aguentar até a década de 30 onde, esperemos, a economia melhoraria e seria possível iniciar aquisições de meios novos ?

  6. Strobel esses dois porta aviões são o prosub Britâncio, estão estrangulando a marinha deles da mesma maneira que o prosub esta estrangulando a nossa

  7. Acho que os Wildcats não serão postos à venda,serão estocados,podendo ser colocados em disponibilidade caso haja necessidade.Já os HMS Albion e HMS Bulwark grande chance de venda.

  8. Caraca quando eu vejo comentários acima para comprar esta velharia exposta no artigo eu vejo que nós brasileiros somos muito mais involuídos do que o primeiro mundo ….

    O que a UK Navy está fazendo é exatamente o que a MB tinha que estar planejando para os próximos 10 anos: compatibilizar Orçamento x Despesas / Investimentos.

    A MB tinha que cortar na carne o que tem ou os seus ativos para tornar compativel os seus gastos com os orçamentos previstos da União, pensar igual a uma empresa.

    A MB não irá quebrar como uma empresa mas não passaria o vexame de ter que dispensar o seu pessoal para casa em dias de semana por falta de dinheiro para comida e vale transporte, pois é melhor ter uma marinha pequena, ativa, adestrada e pronta do que ter esta marinha inchada, paquidérmica e má conservada do que a atual.

    O artigo em questão mostra claramente o debate saudavel de um país democrático e preocupado em manter o poder naval adequado ao seu orçamento.

    É isso aí, enquanto isto no País da Lava Jato …..

  9. (Ficou faltando uma parte do comentário)… favor apagar o anterior…
    .
    “A MB está tendo que chorar de joelhos p conseguir algum fundo junto ao MD para tentar adquirir o HMS Oceam…. e “nego” sonhando com frota de Wildcats e fragatas Tipo-23…. rsrs”

  10. Tem de ver até que ponto que isto é verdade, e se de fato vão mesmo retirar os navios e helicopteros.
    .
    De qualquer forma, não deixa de ser interessante ver como lá os gastos são discutidos, e buscam o equilíbrio orçamentário. Tem de cortar X de verba, então vamos discutir oque iremos cortar…

  11. Não de deve contar com os ovos antes da galinha bota-los…trata-se apenas de especulação,
    nada foi confirmado e também não adianta achar que mesmo que o “Albion” e o “Bulwark” que
    são relativamente novos e acabou de se gastar muito com a reativação do primeiro mesmo que
    prematuramente retirados de serviço caberiam no bolso da marinha brasileira ainda mais com
    tantos outros supostos candidatos como o “Ocean” e as fragatas australianas.

  12. Essas comprar de ocasião seria bem vinda.Pensando no futuro é claro que o Brasil vai sair desta crise.è quando sair não haverá essas oportunidades.Penso que outros países como o chile por exemplo deve está de olho.Espero que o Brasil consiga o Porta Helicptero e alguns helicópteros.quanto de assalto anfíbio Brasil já tem.

  13. Lá os gastos são tão bem discutidos que apareceu um rombo bilionário no orçamento deles, rsrrsrsr…
    Agora estão tendo que se desfazer de equipamentos de suas FFAA. No “ano da Royal Navy”, vão passar o facão em navio em bom estado.
    .
    “… mas também deve reduzir um buraco de £ 20 bilhões a £ 30 bilhões no orçamento ao longo da próxima década”.
    .
    A parte engraçada, pra quem lê Blogs UK de defesa, é que surgem comentários semelhantes aos daqui, rsrsrsrs… Os Porta Aviões acabaram com a Royal Navy! Os F-35 são o problema. O Brexit é o problema. Só tem maluco no Comando das FFAA!
    Etc, etc, etc…

  14. Está mais para sensacionalismo do que para medidas concretas a serem tomadas. Nenhuma marinha de juízo abdica de suas capacidades anfíbias, ainda mais quando se tem a terceira maior força de fuzileiros navais ( Os Royal Marines em tamanho perdem para o USMC e os Fuzileiros da Marinha do Exército de Libertação Popular Chinês) e muito menos desativa helicópteros recentemente adquridos como é o caso do Wildcats, fundamentais para o componente aéreo das escoltas da RN.

  15. Em tempo: no UK Defense Journal, a meu ver o mais equilibrado dos sites/blogs de defesa da terra da Rainha, não há menção alguma a essa noticia.

  16. Eu acho que se proceder, além do Ocean pelo menos os dois caça minas é de fundamental importância para a MB.

  17. O relato do Chefe das Forças Armadas, Sir Stuart Peach, Air Chief Marshal deixou uma dúvida que abriu precedentes – Com essa contenção dos gastos operacionais da RN é provável que o Ocean pode ser ofertado com toda ou boa parte de sua ala aérea.

  18. O wildcat em tese não faria falta para proteção das escoltas já que a RN tem 55 ah101 e esperar chegar a 77 mas como a RN tá sem aviso ASW dedicado os ah101 Merlin estão sendo usados em terra para suplantar essa falta, outra coisa importante do wildcat é que ele lança mísseis e o Merlin não, isso aí eu já não sei como a RN vai resolver porque pra modificar os Marlin deve custar uma $$$ boa. Quanto aos Los da classe Albion, eles não são importantes para assaltos anfíbios que podem ser é seriam realizados pelos Queen Helizabet mas a ausência deles prejudica a força expedicionária, a força que vem depois da tomada da cabeça de praia mas isso é só pra guerra convencionais e nas guerras convencionais tirando o problema das Malvinas o RU sempre estará com a Otan e os EUA.

  19. Os 2 “LPDs”, “Albion” e”Bulwark” já estão operando sob uma espécie de rodízio…enquanto
    um permanece operacional…passando por manutenções de rotina o outro permanece “hibernando” com uma pequena tripulação durante alguns anos…até ser gradualmente reativado algo que dura alguns anos também e então o outro passa a “hibernar”.
    .
    O “Albion” foi finalmente trazido à vida recentemente, incorporando algumas melhorias para
    ficar no lugar do “Bulwark”…é estranho que estejam especulando retirar ambos agora…tudo
    pode acontecer…inclusive…nada.

  20. Pessoal, mesmo com os cortes anunciados, não vai ser possível cobrir o rombo de 20 a 30 bilhões de libras. Vão ter que cortar até mais.

  21. Os 2 novos NAes tem servido de bode expiatório…mas…eventualmente eles serão úteis…o
    problema maior são os 4 grandes submarinos da classe “Dreadnought” que estão e estarão
    consumindo muitos recursos na próxima década…só que ao contrário dos NAes…a única
    função deles será de dissuasão nuclear já que não servirão para mais nada.
    .
    Em breve os franceses terão que encarar a substituição dos seus 4 grandes submarinos estratégicos também e não deverá ser nada fácil.

  22. Diferença de um pais que levar a serio as suas finanças, que diferença do Brasil…O povo tem que parar de acha que o Estado produz dinheiro, o dinheiro do Estado e o dinheiro que a sua nação produz…e cada comentário que vejo, que Marinha deveria adquirir, aproveita a chance…compra e fácil, difícil e manter…So de exemplo, se vc compra um navio por 10 milhões vc vai gastar no mínimo 30 milhões para mante-lo ativo durante sua vida útil…

  23. Eita!
    Que “pacotão” viu.
    Se não fosse a frouxidão do ministro da defesa.
    Poderíamos virar de década com uma armada interessante.

  24. Se o HMS Albion e HMS Bulwark tivessem em situações boa, poderia ser melhor comprar os dois que o Ocean?
    Como galante citou acima, poderá haver mais cortes. Eita!
    Será que a Type 23, poderia também entrar nesses cortes?!
    Ocean, 5 wildCats, Albion e 2 type 23. Custada nada sonhar. hahahahahahaha
    Galante, será que você poderia fazer um texto sobre os possíveis equipamentos que poderá e estão disponíveis atualmente?
    Agradeço desde já.

  25. Simples !!!
    Pacotão da Rainha Elisabeth para o Brasil !!!
    Antecipa a desativação no Ocean, pegamos mais um navio anfíbio desses aí, em anexo mais uns 6 Wildcats .
    Eles tiram o pé da lama e nós ganhamos fôlego na Esquadra
    Detalhe: nada de OHP tem coisa melhor no mercado pra aquisição tampão que é o que nós precisamos.

  26. Isso !!! Isso !!!
    Esqueci
    4 tipo 23 ia bem também !!!
    Bom navio
    2 eixos e de propulsão econômica
    CODLAG se não me falha a memória
    Ai Galante !!!
    Corrige a sigla se tiver errada

  27. Pessoal, para quem diz que a MB está de novo comprando “sucata”… Como alguém já disse, não sei se nessa postagem ou na das OHP australianas, quando a nossa economia melhorar, essas “ofertas” não estarão mais aí. Já disse em outra ocasião que o mercado de usados está acabando, então pega agora ou depois senta e chora, simples assim…

    De quando o Brasil começou com a moeda Real, que me lembre, a MB nunca pagou mais do que 500 milhões de dólares em um navio novo, é uma barreira psicológica jamais rompida, então meus caros, vamos cair na real, não adianta sonhar com escoltas 0 Milhas de 6.000 toneladas, que não vai rolar. Então pega o que tiver de usado agora, e depois teremos um tempinho para pensar no que fazer, e como fazer, depois de 2020 ou 2030, porque alguma hora terá de comprar navio novo custando mais de meio bilhão, ou, vira de vez guarda costeira…

  28. Não é a primeira vez que os britânicos aposentam material novos para cortar custo. Em 2010 eles aposentaram os Nimrod MRA4, então não vejo como absurdo aposentar os Wildcats

  29. O problema em cortar meios em estado operacional relativamente novos, só é um problema quando sua marinha não tem muitos meios, vide marinha do brasil (tendo que cortar sucata pra outras sucatas poderem continuar operando) na royal navy é justamente o contrario, eles possuem meios capazes de suprir as necessidades de sua maquina de guerra, vide seus programas de obtencão por exemplo as type 26, type 45 já operacionais, Queen elizabeth entrando em fase final de aceite, os subs da classe astute, F-35 então dizer que a marinha real está louca é quase um sarcasmo.

  30. Legal essa divagação sobre a compra desses meios, alguns bem interessantes pra MB, maaaaaaaas, NÃO HÁ GRANA !
    Eu sei, se não houvessem roubado … a petrobras … os políticos … tudo isso são coisas que não temos como mudar. Só podemos pensar no futuro com o que temos agora, sairemos da crise, não esquecendo os erros do passado, votando melhor e por aí vai.
    Mas a realidade atual e conseguirmos grana pra pagar o custeio, salários, combustível e por aí vai !
    Adoraria ver o Ocean, alguns wildcat e os caça minas, porém temos que ter o pé no chão.

  31. Bardini 6 de outubro de 2017 at 15:47
    “Lá os gastos são tão bem discutidos que apareceu um rombo bilionário no orçamento deles, rsrrsrsr…”

    De rombo, nós entendemos. 30 bilhões por aqui é fichinha.

    “A parte engraçada, pra quem lê Blogs UK de defesa, é que surgem comentários semelhantes aos daqui, rsrsrsrs…”

    Sempre achei que o objetivo de blogs e afins era esse. Pra puxar o saco do comando ou do dono do blog, melhor fazer outra coisa.

  32. Pessoal, quem morre de véspera é peru de natal.

    De nada adianta ter meios, sem treinamento, manutenção e armas. Um orçamento saudável garante isso.

    Quanto a cortes, sagrados só os subs balísticos. O resto depende do planejamento e financiamento.

  33. Vendo isso me pergunto será se sai o segundo porta aviões?
    Outra coisa osenão dois LPDs não seriam interessantes para a MB?

  34. HMS TIRELESS, você esta redondamente enganado, atualmente os Royal Marines possuem um efetivo que varia entre 6500/7200 homens incluindo oficias e o corpo feminino, desta forma os Royal Marines em número são menores que os Corpo de Fuzileiros Navais da MB que hoje possui cerca de 18.000 homens nos seus efetivos, que infantaria de marinha russa que ostenta em números ditados por Moscou um efetivo de 12.000 enquanto alguns órgãos estrangeiros estimam em 35.000 homens, e muito menores que os marines chineses que envergam efetivos de mais de 100.000 homens, se efetuarmos um pesquisa mais aprofundada veremos que os Royal Marines atualmente não são nem sombra do que já forma um dia, fato este que se reflete nas demais forças armadas inglesas.

  35. Anfíbios que não são bem armados organicamente necessitam de escoltas ou de meios aéreos capazes de prover capacidade de defesa e ataque tridimensional (ar-ar, ar-mar e ar-solo).

    Eu acho interessante o pessoal querer o Ocean, os dois anfíbios da matéria, os Wildcats e se esquecer que sem escolta pra isso, eles são apenas alvos em caso de conflito.

  36. Meu caro Rprosa eu lamentavelmente me enganei mas ou contrário de você, que escreve looongos e prolixos textos no intuito de querer negar o óbvio quando erra, eu admito os meus equívocos. Ah! Quanto aos números dos fuzileiros da Marinha do Exército Popular Chinês, você está redondamente enganado…😉

  37. Não sei porque tanta discussão. Não há *nenhuma* hipótese de dinheiro para compra de meios novos nos próximos dez anos. Logo, para não parar d vez, a MB tem se virar com o que há no mercado. Entre não comprar nada, comprar “velharia” ou esperar década ou década e meia para ver se dá para ter um navio novo, fico com OHP, Ocean e LPD….. Type 23 já seria luxo…..

  38. A quem sugeriu a MB comprar alguns Merlin da RN. Vamos acordar, esse helis é carissimo de comprar e principalmente de operar pois é um trimotor pesado.

  39. Nem mesmo é certo que esses meios serão cortados.

    Em razão da substituição dos subs que carregam a dissuasão nuclear, existe um gap de 20-30 bi para os próximos 10 anos no orçamento de defesa deles.

    A dissuasão nuclear não entrava na conta do orçamento de defesa e isso mudou recentemente, influenciando decisivamente esse déficit.

    Eu acho é que o pessoal da RN está expondo a situação na mídia justamente para evitar os cortes.

  40. Por isso que a Inglaterra sempre será um pais de primeiro mundo, lá tem planejamento e responsabilidade fiscal…Eles já previnem um rombo futuro no próximos 10 anos….No Brasil o planejamento só dura até a próxima eleição…Qdo o povo aprender que o Estado não produz riqueza, talvez seremos um pais melhor, mas pelo comentário que leio a maioria ainda acredita no Estado Grande e bonzinho…

  41. O HMS Albion acabou de fazer uma modernização de £ 90 milhões./ Ele voltou para o mar neste verão após uma atualização técnica de meio
    período de dois anos em Devonport .
    A Marinha Real diz que as melhorias permitirão que o navio sirva bem em 2030.
    São navios relativamente novo,um é de 2001 e o outro de 2004,Cada classe Albion custou 225 milhões de libras….

  42. http://www.scmp.com/news/china/diplomacy-defence/article/2078245/overseas-ambitions-expand-china-plans-400pc-increase

    https://thediplomat.com/2017/03/china-is-building-a-100000-strong-marine-corps/

    Apesar da negativa chinesa que afirmam que suas tropas de marinha possuem apenas 20.000 homens, alguns especialistas acreditam que coma implantação de tropas no Djibuti, as tropas de marinha da China já estejam expandidas em até 60.000 homens, podendo chegar a 100.000 homens em 2020.

    Quanto aos meus texto prolixos e que gosto de escrever para pessoas inteligentes e não para pessoas com certa atrofia mental que só sabem destilar ofensas, tentando impor um visão míope, deturbada por um viés politico ideologia, que só tem como escopo desprestigiar seu eventuais contestadores.

  43. Adriano…
    .
    uma pequena correção: ambos foram lançados ao mar em 2001…para serem completados e devidamente comissionados em 2003 (Albion) e 2005 (Bulwark).
    .
    Em fins de 2011 para cortar gastos, decidiu-se que o “Albion” seria colocado temporariamente na “Reserva” com reduzida tripulação enquanto o “Bulwark” permaneceria ativo durante alguns anos, quando então se reverteriam os papéis…o “Albion” retornando à ativa e o
    “Bulwark” passando para à Reserva.
    .
    O “Albion” após uma revitalização de mais de dois anos, está pronto agora para assumir o lugar do “Bulwark” pelos próximos 6 anos, estima-se.

  44. Esses navios são bem interessantes se forem colocados à venda,pouco tempo de mar assim seria um investimento se não melhor ou igual ao Ocean uma vez que a MB tem carências desse tipo sendo que ose atuais beiram os 50 anos e temos somente o Bahia sendo o mais novo navio da esquadra a cumprir tal função seria interessante.

  45. Pq a MB precisa do “Albion” ou do “Bulwark”, ou dos dois?
    Já viram o tamanho desses navios?
    Muitos dizem que: “O Brasil não vai projetar poder, pq precisamos de Porta Aviões???”
    Coisa que é fora da realidade…
    .
    Aí aparece gente falando que deveríamos comprar navios projetados EXCLUSIVAMENTE para cumprir a função de projetar poder, navios estes que operam em um contexto completamente fora da nossa realidade.
    .
    “Albion” e “Bulwark”… Isso aí não serve, como o “Ocean” não serve. É mais navio que se vier, vai operar na base da Gambiarra, no jeitinho, na enrolação.
    .
    Falam que adquirir o “Ocean” seria uma “maravilha”. Pois bem, olhem para o “Albion” e o “Bulwark”. São navios que se complementam, foram criados para operar juntos. Um dando suporte as operações aéreas e ou outros dois, dando suporte as operações de desembarque anfíbio propriamente dito.
    Precisamos disso?
    Precisamos de dois ou três navios? precisamos pagar por capacidades que nunca vamos usar a pleno? Vamos ter tudo isso e operar sem cobertura aérea de asa fixa e sem ter um Escolta que preste? Vamos projetar o tal “poder” em que lugar mesmo? Sim… pq acho que é a partir disso que se projetam necessidades.
    .
    Se pegar o dinheiro que se gastaria nesses navios, se faz coisa nova, muito mais útil e condizente com as necessidades da MB. Coisa que duraria muito mais, coisa que poderia resolver problemas que realmente existem. E esse é o ponto: Resolver problemas que realmente existem!
    .
    Enquanto isso:
    Precisamos de Escoltas novos.
    Precisamos de NApLog, para dar suporte a logística das operações da Esquadra. Coisa que seria MUITO mais útil que um “Ocean”, by gambiarra way.
    Precisamos de Patrulhas, coisa para fazer a lei valer no mar e no rio. Coisa pra mostrar bandeira e ser útil no dia-a-dia do básico que a Força tem de Prover.
    .
    Depois disso, podemos pensar em um verdadeiro Navio de Propósitos Múltiplos, para realmente abranger um grande leque de necessidades operativas da MB. Algo que some a capacidade de operar meios aéreos do “Ocean” com a doca do “Albion” em um único casco.

  46. Amigos,

    Primeiramente… Nós já possuímos um bom LPD, dentro das características que foram determinadas no plano de reequipamento da MB da década passada. Portanto, não coloquemos muitas esperanças nesses vasos, posto não haver lógica em adquirir qualquer um deles agora…

    No mais, tem certos aspectos na matéria que considero algo ilógico. Não faz sentido, por exemplo, a retirada da frota de ‘Wildcat’. Faria muito mais sentido retirar uma parte dos ‘Merlin’ e reduzir a força de AW-159, se o negócio é mesmo poupar dinheiro…

    Supondo que algo se torne disponível…

    Os caça-minas, sem sombra de dúvidas, seriam uteis. Mas estariam os britânicos dispostos a se desfazer de dois desses preciosos vasos…? Nesse caso, creio que sim. Vale lembrar que um navio da classe ‘Sandown’ está em reserva, assim como um da classe ‘Hunt’. Não seria absurdo, portanto, dois vasos de uma mesma classe estarem disponíveis em tempo próximo. E a classe ‘Sandown’ é bastante nova, com a maioria dos vasos tendo sido lançados nos anos 90.

    Talvez valeria a pena um punhado dos ‘Wildcat’. Mas fica a dúvida se faria algum sentido diante do que já se tem hoje na forma dos ‘Seahawk’ e ‘Caracal’.

  47. Augusto ( 6 de outubro de 2017 at 17:04 );

    Os ‘Wildcat’ são os únicos vetores aéreos capazes de operar ‘full’ nas fragatas da Royal Navy, já que os ‘Super Lynx’ foram desativados… O ‘Merlin’ opera ‘full’ somente de navios maiores…

  48. Rprosa 7 de outubro de 2017 at 13:12

    O mais interessante meu caro Rprosa é que você mesmo se desmente. Os links que você postou apenas confirmam que o tamanho atual da força de Fuzileiros chinesa está em 20.000 homens embora o esforço atual das autoridades chinesas esteja para levar a força para até 100.000. Logicamente que a partir daí você como de costume saca o “segundo alguns especialistas” no intuito de salvar o seu equívoco que a prolixidade não salvou.

    E já que se falou em prolixidade aqui vai o conceito de prolixo segundo o dicionário:

    Que fala ou escreve usando mais palavras do que o necessário.
    Que se expressa, falando ou escrevendo, através do uso excessivo de palavras; que não consegue resumir uma ideia ou encurtar um pensamento: jornalista prolixo.
    Que se perde em explicações supérfluas: orador prolixo.
    Definido como entediante; que se estende demoradamente; enfadonho.
    Que se desenvolve em demasia; em que há abundância; abundante.

    https://www.dicio.com.br/prolixo/

    Como se vê prolixidade não é virtude e sim defeito. O texto bem feito é o texto conciso, algo que você não consegue……

  49. O Bardini tem razão, ja que a MB opera com o Bahia no cabo da enxada, os Albion tem 22.000 tis de deslocamento ,necessitam um suporte enorme e abririam outra janela de logística de manutenção.
    Sem fosse um dos classe “Bay”, a conversa era outra.
    Os Wildcat vão pelo mesmo raciocínio, pois a marinha já tem sete modelos de Helis diferentes, acrescentar .sua um só vai piorar o que está ruim.

    G abraco

  50. Não tinha visto este aspecto Bardini,realmente talvez não precisemos tanto de navios assim,mas como o RR disse pelo menos os caça Minas se os ingleses estiverem dispostos a abrir mão seriamesmo uma boa noite mais fragatas e já que dificilmente a Royal navy dará baixa em seus Wildcats melhor não contar com eles.É sempre bom ouvir uma boa opinião mais embasada a respeito visto que as nossas necessidades hoje como marinha há muito estão limitadas.

  51. Desconsiderem esse noite quem for ler meu comentário meu corretor as vezes lança algumas palavras sem sentido no meio da frase.

  52. Oportunidade é oportunidade ..lembrando q um vazo dessas n seria hj por menos de 500 mi de euros … mesmo com tal hipótese remota dos 2 ”’Classe Albion” na MB penso q o CFN estaria rindo atoa por pelo menos 20 anos .afinal são relativamente novos .. contando com o tal rodizio talvez esses navios teriam o q ? 8 anos de mar ? (navios lançados entre 2001/3.. 15 anos de ”vida” ) … ainda mais levando em conta se realmente a Ocean for adquirido … formariam um trio de respeito ….
    ai fica a pergunta o q fazer com o Bahia ? deixa com esta horas .. afinal e provavelmente um navio mais barato de operar e manter (ate por suas dimensões ) num provável sonho dourados a CFN teria 4 navios de valor militar repeitáveis .. isso a um custo de nem mesmo um único mistral por exemplo (exemplo ; um MISTRAL custa hj uns 800 mi de euros … o Bahia nos custou 80 mi de euros .. o Ocean dizem q seu custo seria os mesmos 80 mi … imaginar esses 2 ”Albion” por uns 200 mi de euros ..seriam 360 mi x 800 mi e olha q n são sucatas (navios com 15 anos de uso em media ) .. e tudo a pronta entrega , seu custo de operação/manutenção ? talvez n chegue nem perto do custos de um unico PA full q a MB sonha em ter por exemplo .. e seriam mt mais úteis … Escolta ? imaginar q o Brasil va entrar em guerra com alguém nessa próxima década e meio difícil ..um outro exemplo e a USNAVY .. na maioria das vezes um San Antonio vai sozinho mesmo ou somente ate um certo ponto do trajeto (um LPD n e PA .. Tb ne ) …. imaginar um navio desses sozinho no meio do pacifico/atlântico .. etc .. beira a heresia então… outro exemplo e o próprio Ocean .. quando veio ao Brasil .. se eu n me engano ele estava sob escolta de uma unica Type 23 , ou seja um LPD n precisa de um ”strike group” toda vez q sai do porto …..imaginar q a MB va comprar umas 4 escoltas usadas nos próximos 5 anos n e nada impossível (OHP .. Type 23 …F-123… etc etc ) .. o resto teria q ser novo mesmo .. mais volto a repetir .. oportunidade é oportunidade

  53. Meu caro nesse cenário ai que você citou não veria sentido em ter tantos navios sem escolta seria,é claro que a capacidade de desembarque anfíbio de tais meios é esplêndida nem o próprio Bahia tem uma capacidade assim mas 3 navios desse porte com pouca capacidade de auto defesa sem escolta eu acho um pouco perigoso,quanto às fragatas que você citou as F-123 mesmo me parecem que não vão ser descomissionadas por agora,supondo que as Niterois passem por um novo Modfrag isso não dará mais que 10 anos a mais de vida,o que fica evidente que a curto prazo nossa principais prioridades são o Prosub,(dito isso nem falo do submarino nuclear levando em consideração o grau de risco de não rolar nem considero)nossa principal prioridade seria Tamandare e fragatas e pelo amor de Deus a MB tem que tirar o PA de 3° prioridade,como prioridade se não tem escoltas,enfim tentar ter uma marinha de superfície na próxima década.

  54. Temos hj 9 escoltas capengas mas temos .. 5 Classe Niterói . 1 classe barroso 2 Inhaúma e 2 classe Greenhalgh … nosso CFN n e tão pequeno como as vezes se faz parecer , n acho nada impossível esses navios na MB .. n verdade considero o Ideal …hj a MB avalia a aquisição de 4 fragatas usadas ate pq pelo visto as Greenhalgh estão com os dias contados , qual vai ser a classe/s em questão tb n sei ? eu n sei .. mas ctz n sera resultado de um PROSUPER da vida.. ja especularam ate os classe ”Asagiri” japas .. provável q ate 2020 a MB faça algum milagre em relação a isso
    considero q o Ocean poderia ocupar o lugar do A-12 … a dupla da classe Albion substitutas dos NDDs Ceará e Rio de janeiro .. … o Bahia poderia ocupar o lugar do ja cansado NDCC Almirante Saboia e do finado NDCC ‘Mattoso Maia”… se pensar direitinho n seria nada impossível
    depois do A-12 a MB n vai ter mais PA ..
    voltando a Classe Albion .. n acho q a Royal Navy va desativar os 2 .. mais sim um .. q poderia ser o proprio HMS Albion .. q inclusive ja foi especulado na MB … lembrando tb q o HMS Ocean e os 2 ”Albion” possuem uma logística semelhante ( se eu n me engano )

  55. BrunoFN 7 de outubro de 2017 at 19:59
    .
    Teremos o “Bahia” e o “Garcia D’Avila” por pelo menos mais 10 anos. Compramos o “Ocean” pra fazer ainda mais gambiarra e agora resolvemos aproveitar a tal da “oportunidade” e comprar um “Albion” também.
    .
    E ai? Vamos fazer o que com eles? Vai ter cascalho pra operar/manter ou só vai sobrar pra dar uma voltinha até ali na esquina? Onde vamos projetar todo esse poder? Quem vai Escoltar isso tudo? Vamos operar sem cobertura de asa fixa?
    Outra: Vamos até aonde com tudo isso, sem um NApLog/ NT que preste?
    .
    Com 360 Milhões de Euros, se compra um desse novo:
    https://www.fincantieri.com/globalassets/prodotti-servizi/navi-militari/bb_scheda_lss-logisticsupportship_f.pdf
    Coisa que vai operar e ser muito útil a MB até 2060+
    Solução de longo prazo, é disso que precisamos…

  56. Bardini .. considero uma variante da classe “Tide” mais barato e adequado a MB com custo variando entre 140 /170 mi de doletas , a própria Royal Navy efetuou a compra de 4 recentemente pra sua frota auxiliar .. volto q repetir …oportunidade é oportunidade .. n são navio tão caros assim de operar e são relativamente novos

  57. Que seja mais barato os “Tide”… Foi um exemplo de uma aplicação mais útil ao dinheiro.
    .
    “n são navio tão caros assim de operar ”
    Quanto custaria a MB? Vamos fazer o que com tudo isso?
    .
    Nem sempre a oportunidade casa com a prioridade.

  58. Citei o q seria substituído quase numa relação 1 pra 1 , n concorda ? .. caro e navio velho precisando fazer ”PMG” a cada 2 anos ou menos ….todos os navios q citei ja deram baixa recentemente ou estão com seus dias contado na MB . seria a oportunidade perfeita de substituição num curto prazo .. afinal novo n vamos ter … n dessa ”categoria”/navio/classe similar .. ate pq a MB esta penando pra aprovar as ”tamandarés” com exemplo

  59. BrunoFN eu até te entendo, o problema é que a MB nesse exato momento esta no meio de um programa MEGALOMANÍACO chamado PROSUB que esta sugando praticamente TODO o dinheiro da força. Se tivéssemos um pouquinho de $$$$$ sobrando até daria para discutir o seu plano, mas não temos e diria mais para você, se o Ocean vier já vai ser um milagre, agora quanto a Classe Albion não espere nem por milagre, pois esse com certeza não vai acontecer, o navio é grande demais, caro demais de operar a ponto de nem a Royal Navy esta conseguindo operar os dois ao mesmo tempo, precisa de 350 cabeças para operar um dessa classe. Desse pacotão ai, o que talvez interesse ,caso seja verdade, são os dois caça minas que ainda são relativamente novos

  60. Concordo com o Sr. Bardini. Fator “projetar poder” para quem e para que? Nossa CF proíbe qualquer guerra de intervenção. Para dissuasão precisamos de submarinos, fragatas, algum poder aeronaval baseados em terra e uma ótima vigilância marítima.

  61. Depois de cortarem totalmente seus aviões de patrulha e aleijarem completamente suas capacidades em vários quesitos críticos, acredito que a RN é a que está pior se adaptando às restrições orçamentárias entre as grandes. A francesa tá se “equilibrando” muito melhor, embora não esteja no estado que gostaria, não houve um total aleijarem em nenhum quesito importante e eles estão sobrevivendo.
    Acho que o quesito é fazer estardalhaço para conseguir mais recursos… Só pode…

  62. Juárez
    É isso ai e acrescento:
    Ouvi uma conversa no OC que o Ocean já é do Chile.
    Tú tens contatos lá, poderia confirmar ?

    G Abraço

  63. N tem essa de ”projetar poder ” com 3 LPDs e um porta helis … e simplesmente pensar na substituição de 1 pra 1 do q a MB ja tinha , simples …. Tamanho do Albion ? 200 metros x 165 dos nossos ”’classe Ceará'(com propulsão a vapor praticamente kkk )’ e algo tão extraordinário assim ? ja sei .. por o Albion poder operar 2 helis médios ele n serve pra MB .. custos né ? custos de operação ? aposto q um TYPE 45 e mais caro de operar e manter .. ate pelos seus sistemas … o Albion n esta equipado com sistema AESA da vida … e meramente um LPD n um LHD ou um ”wasp”da vida .. existe uma imensa diferença ai em .. e se a Royal navy esta ”descartando ” tal capacidade .. azar o dela .. mas em breve terão 2 PAs super modernos …. com apoio dos Classe Bay o ”descarte’ dos Albion seria momentâneo , ate pq navio parado e ”largado” as x se torna mais cara q um navio ativo …. achar q a MB vai virar uma ”USNAVY” tupiniquim com meros 3 LPDs ..e complicado em ,alguém aki ja leu a respeito do pesadelo q foi manter as tropas no Haiti q é ”aquilo ao lado ” ? se ter um CFN devidamente equipado .. algo condizente com seu tamanho atual e papel …é ”’projetar poder” e que vamos invadir alguém .. se for pensar assim a solução pra MB e acabar com o CFN então …. na remota possibilidade de tal oferta te tornar real … e q a MB poderia ter tal capacidade , com navios relativamente novos .. a um custo acessível (Talvez tudo isso se tornaria mais barato q uma unica Tamandaré em relação a preço de aquisição ) e o pessoal ainda e contra .. com todo respeito talvez a mediocridade tenho de fato tomando conta de nossos pensamentos

  64. Carlos A Soares, não sei de onde você tirou essa informação, mas o Chile até aonde se sabe não tem interesse nenhum em um navio do porte do Ocean, primeiro que eles não teriam meios suficientes (helicópteros) para colocar nele e não teriam pessoal suficiente para poder operar ele. As prioridades do Chile são outras, como o upgrade das type 23, a construção de um quebra gelo em estaleiros Chilenos e mais a frente a compra de mais 2 submarinos.

  65. Delmo Almeida,

    A aviação de patrulha britânica contará com os P-8.

    Ademais, a RN tem 6 Destroyers ativos, mais 13 fragatas de primeira linha ativas, submarinos de ataques novos e dois PA de grande porte sendo completados.

    Se eles estão mal, nenhum outra marinha europeia está bem.

    A marine nationale tem apenas 2 horizon para defesa de área e está apenas iniciando a substituição dos seus submarinos de ataque.

    As FREMM que seriam 13 foram limitadas a 8 apenas, com duas da variante AA. Não vejo eles lidando melhor com o orçamento.

    A marinha italiana como não opera subs nucleares, está um patamar abaixo destas, assim como a espanhola.

  66. Bruno FN, fizeste uma compara ção completamente esdrúxula, pois o antigo NDD Ceará deslocava aproximadamente 12.000 tons um “Albion” desloca gloriosas 22.000 tons, foi construído dentro dos padrões militares para receber danos pesados e sobreviver, requer manutenção preventiva pontuas e de qualidade. Tem n vezes mais componentes mecânicos, elétricos, hidráulicos e eltrônicos do que o velho NDD.
    Simplesmente não temos como opera-lo adequadamente. Se fosse um classe “Bay”, de aproximadamente 15.000 tons, e bem mais simples, a conversa era outra.

    G abraço

  67. Mercenário…
    .
    você apresentou um bom resumo entre as principais diferenças entre a Royal Navy e a Marinha Francesa…o triste…é que não se precisaria apresentar tais diferenças…a Royal Navy ainda deveria ser a Royal Navy…enquanto a Marinha Francesa nunca teve muito a perder…se é que
    vocês me entendem.
    .
    Lembro que uma vez depois da Segunda Guerra já em plena guerra fria surgiu uma história de que um oficial da US Navy teria perguntado a um oficial da Royal Navy como estava a segunda MAIOR marinha do mundo e o orgulhoso britânico teria respondido…bem e como vai a segunda MELHOR marinha do mundo ?
    .
    A Royal Navy ainda era grande então…mas…não se precisa ir tão longe…apenas 10 anos
    atrás…se podia contar com:
    – 3 NAeLs classe “Invincible” um deles ainda em bom estado na reserva com Sea Harriers e
    Harriers ainda operacionais;
    – 25 combatentes de superfície, sendo 8 T-42, 13 T-23 e 4 T-22 B III;
    – 10 submarinos nucleares de ataque, 7 Trafalgar e 3 Swiftsure;
    – 1 LPH O “Ocean” que será retirado ano que vem;
    – 2 LPDs classe “Albion” mais capazes que os similares franceses de então o Foudre e Siroco;
    – 4 LSDs classe “Bay”.
    .
    Os franceses recém tinham introduzido 2 de seus LHDs “Mistral”…um terceiro seria finalmente comissionado em 2012.
    .
    E enquanto os franceses possuem seus próprios SLBMs…o M51…os britânicos pegam emprestado “Tridents II” na costa leste dos EUA para só então colocar suas próprias ogivas nucleares para então embarca-los em seus submarinos estratégicos e devolver os mísseis
    após as patrulhas.
    .
    Poderia até continuar…com a falta crônica de pessoal que precisa ser complementado por pessoal da US Navy…a longa gestação dos submarinos classe “Astute” que precisou de alguma ajuda dos EUA…etc.
    .
    Torço para que mais cortes não ocorram e que tudo não passe de especulação e que a Royal
    Navy até pela sua orgulhosa tradição permaneça à frente da marinha Francesa e que tenha
    dias melhores na próxima década.
    .
    abs

  68. Dalton 9 de outubro de 2017 at 9:27

    Faço minhas as suas palavras. Espero que esses cortes não sejam efetuados na RN.

  69. Dalton,

    Concordo com as tuas observações, sempre precisas.

    Ainda assim, os “Tridents II” também são pagos pelos britânicos. Eles aproveitam da relação especial que mantém com os americanos – e acredito que qualquer um com esse tipo de relacionamento faria igual.

    Não por outra razão utilizam o Tomahawk faz bastante tempo, ao passo que as outras marinhas da Europa somente agora estão introduzindo mísseis similares lançados do mar.

    A falta de pessoal é algo realmente preocupante, assim como a retirada precoce de alguns meios, caso efetivamente se confirmem os rumores.

    Saudações

  70. Me chamou a atenção essa frota de Wildcats, uns 12 pelo menos já seria excelente, helicóptero conhecido na Marinha a décadas, até as versões antigas dos estoques na Royal Navy também seria um ótimo negócio, são boas compras de oportunidades, sempre achei que a marinha do Brasil opera poucas unidades, apenas uns 12, poderia ter mais um esquadrão !

    Sobre as embarcações não acho uma boa opção, Fragatas são a prioridade.

  71. O Reino Unido tem 6.640 fuzileiros navais e quer pretende ficar com 5.640.

    E aqui, o Corpo de Fuzileiros Navais tem o TRIPLO.

    É de lascar esse cabide de emprego.

  72. Juarez… mesmo q por ventura a MB ”’pegue” tais navios … e q sua operação fique condicionada a uma ”sub operação ” … ainda sim iria vale apena .. ate pq ja citou algumas qualidade ,afinal é um navio de guerra .. mas tb n e uma Type 45 ou uma ”horizon” da vida (q seriam mt mais caros de manter ) .. e meramente um NDD nem mais nem menos …. e volto a repetir ,oportunidade de navio ”novo” a preço adequado ao q a MB poderia pagar , o CFN n pode ficar condicionada apenas 1 navio .. ..e nos n podemos pagar por um novo (novo seriam escoltas e provavelmente algum ”NT ) , mesmo um navio do porte de um ”CEARA” da vida .. pois novo é caro .. simples …acho q mesmo uma ”Albion” na MB seu custo de operação durante 10 anos por aki n chegaria perto do preço de aquisição de uma classe Amazonas novo (preço de aquisição x preço unitário x operação/manu .. um pouco de boa vontade de analisar esse exemplo ) ..vou tentar achar quanto custa manter cada navio”Albion” pra Royal navy por ano …ou se alguem tiver esses dados por favor cite ..
    n da pra te entender as vezes .. vc defende por exemplo um ”’classe Austin” e ”OHP” via USNAVY pra MB … navios com quase 40 anos de uso e é contra oportunidades como essa

  73. Mercenário…
    .
    com certeza…a relação entre o Reino Unido…ao menos a Inglaterra e EUA é algo único no mundo e se deu a impressão que acho errado a dependência devido ao fato dos mísseis “Trident” estarem estocados na costa leste dos EUA, considero normal e salutar, apenas é um fardo que os britânicos não precisam carregar enquanto os franceses tem que se virar.
    .
    abraços

  74. Bruno, põe uma coisa na tua mente:

    Ter, compra ou até mesmo modernizar não significa poder manter e operar….
    Repita tantas vezes quando necessário for para entrar na tua mente e para que pense bem antes de emitir uma opinião, que é direito sagrado teu, porém extremamente fora da realidade.

    G abraço

  75. Já sei, vamos comprar os dois novos Porta aviões britânicos ! Compremos com titulos da Divida Podre, ops, Publica…

    Ué, se vamos gastar dinheiro inutilmente tal como ja gastamos, e teremos navios não operacionais tal como ja temos, que sejam então os fodásticos, para nossos Almirantes poderem justificar seus cargos !!!!

    Perfeita a solução !

  76. Juarez … ainda bens q tu sabes q opinião cada um tens as suas .. e se eu acho a o CFN merece um melhor aparelhamento o problema é meu pois a opinião continua sendo minha … independente do q seja ou ate mesmo fora da sua ”realidade”… trata fofocas internas da força como se fosse a verdade absoluta … pois são nessas opiniões do ”contra” .. do ”n podemos” dessa parte do Comando .. se dependesse dessa ”casta” nem o ”Bahia”estaria ai hj e são os mesmo q são contra o Ocean… ”’se n tem .. e melhor continuar sem ”’… ate pq novo n vamos ter ….
    N gostou de alguma opinião ? apenas ignore . simples …. pois debater ao q parece …n sabes
    Se navios ”semi-novos” com os tais ”Albions” n são uma bela ”alternativa” ..”oportunidade”ou ”’possibilidades”(compreende o significado ? ) pra MB ou mesmo matérias pra um bom debate ..fica complicado
    ”’Solução perfeita”’ pro Brasil e acabar com a Marinha de guerra e no lugar dela criar um guarda costeira … pq h nem isso somos

  77. O Pessoal aqui está meio pessimista.essas aquisição de oportunidade são uma boa para o Brasil,apesar achar que tem mais nações de olho nisto.Lembre-se senhores que essa crise econômica e mais crise Politica,O governo que está ai tem 3% de aprovação,ninguem confia neles nem os trabalhadores nem os Empresários e talvez nem os militares que viram seus planos serem cortados e sem que nenhuma melhoria fosse alcançada,agora falam que vai melhorar só em 2024.A Marinha nossa e pequena em relação aõ tamanho do Brasil tem pouco efetivo,e deixam os Politicos cortarem tudo. Espero que o próximo governo independente de quem seja eleito,possa consertar essas distorções.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here