Fragata Type 054

type-054.jpg

Em 2002 a China começou a construção de sua nova fragata Type 054 (codinome OTAN JIANGKAI I), cujo primeiro navio foi o Ma’anshan, (indicativo visual 525).
A Type 054 é a sucessora das classes “Jiagwei” e das “Jianghu”. Ela desloca cerca de 3.500t, e incorpora algumas características stealth: casco liso sem reentrâncias e materiais que absorvem as ondas de radar. O navio é comparável às “La Fayette” francesas.
Seu principal armamento constitui-se de dois lançadores quádruplos de mísseis antinavio YJ-83 (similar ao Harpoon americano). O armamento antiaéreo é composto de mísseis HQ-7 (uma versão melhorada do Crotale francês), o canhão de 100mm da proa e quatro CIWS AK630 de 30mm, similares ao Goalkeeper.
Os navios das fotos são da classe Type 054A (codinome OTAN JIANGKAI II), cuja diferença principal consiste no lançador VLS de 32 células na proa. Especula-se que os lançadores são para mísseis antiaéreos HQ-16 ou Shtil VL (SA-N-12 VLS). Nas Type 054A o canhão da proa é de 76mm e os CIWS são do tipo 730. O novo radar Sea Eagle também foi instalado.
A propulsão é diesel, com 4 motores SEMT Pielstick Type 16 PA6 STC produzidos sob licença na China. Foram construídas duas Type 054, duas Type54A e outras duas estão sendo finalizadas.

NOTA DO BLOG: O Brasil é o único dos BRICs (grupo das potências econômicas emergentes Brasil, Rússia, Índia e China) que investe pouco ou quase nada na sua Marinha de Guerra. Há duas décadas os navios de superfície chineses eram ruins, mas hoje estão construindo navios que rivalizam com as melhores classes do Ocidente. Enquanto isso, o Brasil demorou 14 anos pra construir uma única corveta, que não possui sequer um lançador de míssil antiaéreo.
Isso sem falar nos sistemas de armas e sensores chineses, que são quase todos nacionalizados, muitos copiados de sistemas ocidentais.
O Brasil, por sua vez, continua dependente do exterior para o fornecimento de mísseis e principais sensores para seus navios.

type-054-b.jpg

type-054-a.jpg type-054-c.jpg

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – última parte

A atracação na Base Almirante Castro e Silva e a despedida A manobra de atracação do submarino Tapajó na Base […]

Entrevista com o comandante do submarino ‘Tapajó’, capitão-de-fragata Horácio Cartier

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 3 PODER NAVAL: Comandante Cartier, o senhor poderia falar um pouco […]

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 2

Um submarino de propulsão convencional como o Tapajó tem um funcionamento parecido com um telefone celular: de tempos em tempos […]

28ª Viagem de Instrução de Guardas-Marinha

Hoje o Navio-Escola “Brasil” realizará a Cerimônia de despedida para a XXVIII Viagem de Instrução de Guardas-Marinha. A Viagem terá […]

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 1

No dia 16 de julho de 2014, na véspera da data comemorativa do Centenário da Força de Submarinos (1914-2014), uma equipe […]

Aprovado plano de trabalho do Brasil para exploração de crostas na Elevação do Rio Grande

O Brasil acaba de alcançar importante êxito na aprovação do Plano de Trabalho para exploração de crostas cobaltíferas na Elevação […]