Fragata Type 054

type-054.jpg

Em 2002 a China começou a construção de sua nova fragata Type 054 (codinome OTAN JIANGKAI I), cujo primeiro navio foi o Ma’anshan, (indicativo visual 525).
A Type 054 é a sucessora das classes “Jiagwei” e das “Jianghu”. Ela desloca cerca de 3.500t, e incorpora algumas características stealth: casco liso sem reentrâncias e materiais que absorvem as ondas de radar. O navio é comparável às “La Fayette” francesas.
Seu principal armamento constitui-se de dois lançadores quádruplos de mísseis antinavio YJ-83 (similar ao Harpoon americano). O armamento antiaéreo é composto de mísseis HQ-7 (uma versão melhorada do Crotale francês), o canhão de 100mm da proa e quatro CIWS AK630 de 30mm, similares ao Goalkeeper.
Os navios das fotos são da classe Type 054A (codinome OTAN JIANGKAI II), cuja diferença principal consiste no lançador VLS de 32 células na proa. Especula-se que os lançadores são para mísseis antiaéreos HQ-16 ou Shtil VL (SA-N-12 VLS). Nas Type 054A o canhão da proa é de 76mm e os CIWS são do tipo 730. O novo radar Sea Eagle também foi instalado.
A propulsão é diesel, com 4 motores SEMT Pielstick Type 16 PA6 STC produzidos sob licença na China. Foram construídas duas Type 054, duas Type54A e outras duas estão sendo finalizadas.

NOTA DO BLOG: O Brasil é o único dos BRICs (grupo das potências econômicas emergentes Brasil, Rússia, Índia e China) que investe pouco ou quase nada na sua Marinha de Guerra. Há duas décadas os navios de superfície chineses eram ruins, mas hoje estão construindo navios que rivalizam com as melhores classes do Ocidente. Enquanto isso, o Brasil demorou 14 anos pra construir uma única corveta, que não possui sequer um lançador de míssil antiaéreo.
Isso sem falar nos sistemas de armas e sensores chineses, que são quase todos nacionalizados, muitos copiados de sistemas ocidentais.
O Brasil, por sua vez, continua dependente do exterior para o fornecimento de mísseis e principais sensores para seus navios.

type-054-b.jpg

type-054-a.jpg type-054-c.jpg

Fornecedores nacionais do Prosub

Scorpène - Tunku Abdul Rahman

Respondendo à questão do leitor Oganza, segue anexa a lista de itens que a Marinha do Brasil pretende nacionalizar no […]

Mensagem do Comandante da Marinha insiste no Prosuper mas é discreta sobre meios navais

Esquadra A12

Roberto Lopes Autor do livro “As Garras do Cisne” Exclusivo para o Poder Naval Os 38 minutos da Mensagem de […]

Lançamento do livro ‘Monitor Parnaíba – 75 anos’, no dia 19 de dezembro, em São Paulo

Livro Monitor Parnaíba - 75 anos -  Capas - WEB

A editora Aeronaval Comunicação, que produz a revista Forças de Defesa, está lançando a primeira edição do livro “Monitor Parnaíba […]

Amazul assina contrato com a Mectron para projeto do IPMS do submarino de propulsão nuclear

Submarino com propulsão nuclear Álvaro Alberto

No mês de dezembro, a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) assinou um contrato com a Mectron para o […]

Compre sua revista Forças de Defesa 12ª edição

Forças de Defesa 12 - capa e miolo 2 - destaque

Saiu a Revista Forças de Defesa 12ª edição, com 120 páginas! a versão impressa está disponível para compra pela Internet e […]