Home Noticiário Internacional Índia terá que pagar mais 2 bi para ter Gorshkov

Índia terá que pagar mais 2 bi para ter Gorshkov

163
36

admiral-gorshkov.jpg

A novela sobre a reforma do antigo NAe russo Admiral Gorshkov, agora INS Vikramaditya, continua. Estudos preliminares dão conta de que, para terminar a reforma do navio e entregá-lo totalmente operacional à Índia, serão necessários investimentos da ordem de dois bilhões de dólares.

A renegociação formal de todo o contrato, inicialmente acordado em 2004 no valor de U$ 1,4 bilhão, deve ocorrer em agosto próximo. Somente os custos dos testes de mar, previstos para 2011-2012, envolverá uma quantia próxima de 100 milhões de dólares. De acordo com o contrato inicial, o NAe deveria ser entregue este ano.

Alguns críticos do projeto acham que nem mais um centavo deveria ser gasto no navio. No entanto, a falta de opções por navios deste tipo no mercado e a política estratégica indiana acabou levando à aquisição do Admiral Gorshkov em 2004.

36
Deixe um comentário

avatar
36 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
20 Comment authors
Gorshkov: Acordo final pode estar pertoO atual estágio do INS VikramadityaMcNamaraGustavoBJoberto Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joaquim
Visitante
Joaquim

Depois dizem que o Brasil faz mal negocio.

omar fernandes
Visitante

A MB deveria fazer uma oferta à marinha indiana e trocar o velho opalão por 12 caças da família J-10 ou J-11B.

tomas
Visitante
tomas

Não é a primeira vez que os fornecedores de armas russos tem este comportamento. Na verdade isto deveria servir de alerta para o nosso Ministério da Defesa para não adquirir armamentos de fornecedores
não confiáveis.

camberiu
Visitante
camberiu

“A questão que fica no ar com essa notícia é como pode um país como a Índia, que gasta muito com sua defesa, cair num conto do vigário como esse?” Gastar muito nao significa gastar bem. A India e’ famosa por aplicar mal os seus recursos de defesa. A aquisicao e uso do Viraat por exemplo, ou o aluguel dos submarinos da Classa Charlie da russia e o caos logistico que e’ a forca aerea indiana, com avioes da Franca, Russia, Brasil, etc…. A India e’ um pais de 3o mundo e planeja e gasta como tal. Por isso que… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Porta aviões reformado e caro,deve ter pago um bi e agora dois bi,
sem contar que o Mig-29 parou de ser fabricado há muito tempo,
todos foram reformados para a India.O nosso A-12 veio de graça,
melhor mesmo é o que o MinDef quer,prestigiar a industria nacional,
e fabricar o que puder aqui..

Norberto Pontes
Visitante
Norberto Pontes

Veio de graça, mas vive fundeado, cade ele?

konner
Visitante
konner

Em 20 de janeiro de 2004, a Rússia e a Índia assinaram um contrato para o Almirante Gorshkov: 12 – Mig-29k ‘Fulcrum-D’ 4 – Mig-29KUB, 6 Kamov Ka-27 e Ka -31 Equipamentos, processos de formação de pilotos e pessoal técnico, simuladores, peças sobressalentes, e estabelecimento de manutenção em instalações da marinha indiana. A Índia iría pagar aos russos ~ US $ 800 milhões para atualizar o Gorshkov e um adicional US $ 700 milhões nas aeronaves e sistemas de armas. Segundo o Almirante Mehta da marinha indiana ao comentar o almento dos valores contratados de início, 90% do Gorshkov foi… Read more »

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Er … Norberto vc quer dizer vive atracado

pouquissimas vezes o SP fundeou por aqui

Cuisdado para evitar aquele errinho basico tipo ” o navio esta ancorado no porto” (argh )

heheheh
MO

Douglas
Visitante
Douglas

sobre o A-12, depois da entrevista do comandante da marinha, acho que o Brasil deve mesmo focar em subs avançados até que apareça verba. Essa nossa ansiedade de pegarmos sucata européia, pra depois passar metade do tempo que resta de vida útil desses navios no estaleiro fazendo remendo, como é o caso do A-12, que até por retifica de eixo passou, só pressiona ainda mais os nossos custos. Como meio de operacional o A-12 já deixou de ser faz tempo, e se voltar a navegar, irá com as usuais restrições de desempenho e uso de maquinário. A que a marinha… Read more »

Roberto
Visitante
Roberto

alguém sabe me dizer se a MB tem condições técnicas para a construção de um NAe do porte do São Paulo ?? completo, obviamente…

Roberto
Visitante
Roberto

sobre a noticia… então a reforma vai sair mais caro que um dos novos Naes ingleses…e pelo tempo de reforma não seria melhor encomendar um novo ??

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Em agosto ele volta,apos o eixo retificado,que era a restrição
de velocidade,é o navio mais rapido da MB,52 kh/h.
O acidente ocorreu na vinda do navio da Europa.
Estão com ciume demais,quando a belonave voltar,vocês vão gostar..

Douglas
Visitante
Douglas

Paulo espero que volte com tudo. Passados 8 anos ele passou boa parte do tempo em manutenção. Será que não viram o problema do eixo? ou os franceses omitiram a necessidade de uma retifica? Deviam ter dado o navio, e ainda cobraram uns trocados. E qual será seu aequipamento AA? O SP tem no maximo mais uns 7 anos de vida útil. Terá então quase 60 anos de vida ativa. Não vejo como prolongar isso. Fora os A-4. Cade o pedido de modernização. Pra isso, nem licitação precisa. É só chamar a Elbit e Embraer. Sem citar a propria general… Read more »

Douglas
Visitante
Douglas

Esse ano não tem dinheiro. como anda o orçamento de 2009?

marujo
Visitante
marujo

O Gorshkov reformado vai sair pelo preço de um PA novo e a reforma tem demorado tanto quanto demandaria a construção de um casco novo. Que nos sirva de lição.

König
Visitante
König

Não seria so os russos que fariam isso… Houve desvalorização do dolar portanto se fosse a França,China,Inglatera ou qualquer outro pais não iria levar o “preju” portanto devemos abrir os olhos com qualquer fornecedor de fora do pais no maximo parcerias para desenvolvimento de tecnologias… E não sei se o A-12 sofre do mesmo problema do irmão dele caso sofra mesmo a marinha Francesa fez um negocio execlente (Para eles logico) mas posso estar enganado tambem. ———————————————————————- Os MIG-29 continuam sendo Fabricados mas sobre outra denominação MIG-33. Mas uma coisa é certa as forças armadas Indianas em capacidade belica superam… Read more »

Mahan
Visitante
Mahan

Este episódio serve como aviso para aqueles que advogam a aquisição de material dos ruskies para nossas FFAA. Além de nada confiáveis,existe o problema na “filosofia” destes armamento: “quantidade,por si, já detem qualidade”,ou seja, equipamentos toscos, pouco duráveis e de cadeia de manutenção duvidosa (herança da URSS). Ou seja, totalmente diferente da doutrina Brasileira baseada nas forças ocidentais.

König
Visitante
König

Mahan, não se deixe basear apenas no que é escrito em sites ou textos tendenciosos demais ao lado “ocidental” isso acaba cegando as pessoas melhor é ser “Neutro” nisso não decidir se o equipamento é bom baseado no seu pais de origem.Abraço

Mauro
Mas e aqui com Chavez,FARC,4ºFrota e por ai vai e enormes campos de petroleo e riquezas naturais variadas e forças armadas na pindaiba é melhor ter inimigos poderosos e estar pronto para enfrentalos do que inimigos que vão de fracos a fortes e ter pouca capacidade para os enfrentalo e não acordar para a realidade mundial.
Abraço

moyses
Visitante
moyses

alguns pontos: a tecnologia russa é bem avançada em muitas áreas do conhecimento. acredito que o problema encontrado é o de uma transição entre a gestão do modo comunista para a economia de mercado. no campo da indústria militar, temos a comprovação efetiva da durabilidade de certos itens, e certas novidades são comparáveis aos itens do campo ocidental (como no caso dos ssk). então, acho que vale a pena pensar no seguinte: certos itens podem ser desenvolvidos em projetos de médio e longo prazo, uma aliança efetiva entre os brics e a federação russa. projeto é projeto gente, se não… Read more »

Fábio Max
Visitante

O PIB indiano, que eu saiba, não é muito maior que o brasileiro, mas como eles não têm NENHUMA preocupãção com política social, gastam dinheiro em armas, entre as quais, armas russas, que de confiáveis nada têm.

König
Visitante
König

Confiaveis não são os conhecimentos de alguns daqui pelo jeito…

Moyses que você disse é verdade devemos procurar parceiros para projetos com caracteristicas mais proximas as nossas e que tendem a ser as novas potencias, Exemplo da Russia,China,Africa do Sul,India especialmente os Sul Africanos que ja temos alguns projetos em andamentos e claro isso vai necessitar de muito dinheiro para várias areas que nenhum dos paises jamais se aventurou.
Saudações

Taer
Visitante
Taer

Feliz comentário do Sr.Mahan, que os nossos comandantes fiquem atentos! Sds.

konner
Visitante
konner
Bosco
Visitante
Bosco

Fora o São Paulo e seus A4. A marinha tem que ter submarinos convencionais (D/E ou AIP) modernos e bem armados. Uns 12 seriam suficientes. Uns 18 P3C armados com mísseis antinavios e torpedos. Uns 18 caças baseados em terra e armados com misseis antinavios (AMX com radar atualizado) Uns 12 lançadores quádruplos móveis de mísseis antinavios costeiros. Umas 18 corvetas com mísseis antinavios, torpedos, helicópteros, UAVs e boa capacidade de defesa antimíssil Uma boa quantidade de barcos de patrulha costeira armados apenas com canhões de pequeno e médio calibre (alguns com helicopteros de resgate) Aí, poderíamos ter algumas fragatas… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Correção: Phalanx Block IB

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Bosco,vc que gosta de assuntos navais tambem,como ficaria os
S-3 viking oferecidos gratuitamente aos paises aqui da região?
Eles viriam como patrulha ,possuem o Harpoon,e são bimotores,
dizem que os motores são da serie dos embraer 135/145,ou seja
mais facil as revisões.Alem da patrulha armada,podem ser tambem
de abastecimento aereo com o buddy-buddy.Podem fazer CAP com
o AMX,e missões com o F-5.Dizem que estão bem usados,mas nada como
uma revisão geral.Poderiam ficar em prontidão no Galeão,ou em Santa Cruz,com o harpoon…Poderiamos pegar logo uns 30 Viking´s….

Joberto
Visitante
Joberto

Incrível a falta de objetivo de alguns que comparecem aqui no blog. O assunto é sobre o problema do Nae Indiano, e alguns colegas ficam falando sobre outros assuntos. A moderação também deveria cortar esses posts que não são sobre o assunto principal.

GustavoB
Visitante
GustavoB

2X “Confiaveis não são os conhecimentos de alguns daqui pelo jeito…”

McNamara
Visitante

Motor do Viking similar ao dos Embraer 135 / 145 ???? Só se for na potência. São gerações completamente distintas. E mais, comprar os Vikings seria mais um grande Mico, pois eles ficariam no chão, carentes de peças de manutenção caríssimas. Por que será que ninguém os quis até agora???? Por que de graça é caro !!!

moyses
Visitante
moyses

os motores da linha da embraer são mais avançados sim. mas o problema principal : o estado da células. imaginem o desgaste durante as operações militares. pra revo, luta a/s, elint… o avião mencionado é valoroso, asm acho que é uma compra complicada. senão a frança já teria comprado esse equipamento para a substituição dos seus aviões embarcados de asw. a índia tb,né. eles poderiam operar do hermes ( o nome qdo era da royal navy, o atual eu esquecei). tanto é que a índia vai utilizar helos para monitorar as operações “além do horizonte”, vigilância e cia.. e tem… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Paulo Costa,
Bem lembrado. Acho que seria uma ótima aquizição.

Joberto,
você também esta saindo do tema com seu comentário deselegante. Dê o exemplo e atenha-se ao tema. Obrigado!
Embora tenha saído do tema sobre o caso do porta-aviões indiano não fiquei comentando sobre política,futebol ou culinária.Você fugiu muito do tema tecendo comentários sobre os participantes.

McNamara
Visitante

O antigo Hermes se chama Virat na India. O S-3 não poderia operar nele porque ele é equipado com o Ski-jump, adaptado para os Sea-Harrier. AEW E ASW ficariam a cargo dos Sea King. Tal navio não possui catapultas, nem cabos de retenção, indispensáveis para operar o S-3.

moyses
Visitante
moyses

correto macnamara. não desconsiderei isso, obrigado pela info. o que quero dizer é: lembrei de diversos problemas em diferentes marinhas de guerra, no tocante à adequação de meios modernizados e outros relativamente novos. o hermes que falei é o “contemporâneo” da dupla francesa. e toda a discussão que rolou para a transformação do hermes para o sea harrier. assim como foi na usn com os a6, a7 e o f18. isso traz sérias implicações para o treinamento e manutenção da marinha. essa escolha é complicada. lembrei de vários comentários por aqui que falavam da possibilidade de se utilizar o rafale… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Na epoca do Nae A-11,a defesa aa era limitada,simbad,porque a
doutrina era prover de aa com as escoltas,Niteroi,ou as 22.
No caso de fazermos um Nae em casa,seguindo a mesma doutrina,
poderia sair mais barato,por isto a sugestão anterior.
No caso da India que deve ser um Nae bem comleto,dai o preço.
Se a doutrina aqui no TO da regiaõ foi adotada antes,poderemos
usa-la em um curto periodo,ate a verba (sempre a verba)sair.
Em um navio militar,quanto seria em termos de percentual,para
construir um casco com os decks,e etc,e para a parte militar,
sensores,armas ,misseis ,sonares,iscas,etc
Digamos 30% para o navio em si,e 70% para a parte militar?

trackback

[…] ter sido entregue em 2008, mas seus teste mar só deverão ocorrer em 2011. Além do atraso, o orçamento da reforma estourou. As fotos deste post, feitas em 21 de outubro, mostram o atual estágio do navio em construção. […]

trackback

[…] e os caças MiG-29K Fulcrum em 2008 por 1,5 bilhão de dólares. Posteriormente a Rússia afirmou ter subestimado o valor inicial da reforma e exigiu outros 1,4 bilhão. A Índia discordou do valor […]