Home Marinha do Brasil Finalmente, a corveta Barroso

Finalmente, a corveta Barroso

2803
81
A primeira tripulação embarca na Barroso

Apesar da derrota para a Argentina nas Olimpíadas, hoje (19 de agosto de 2008) é um dia para se ter orgulho de ser brasileiro. Depois de quase 14 anos de espera, chegou o dia da cerimônia de incorporação da corveta Barroso à Marinha do Brasil, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ) e o Poder Naval Online esteve presente.

Também tivemos o prazer de estar a bordo da Barroso e conhecê-la por dentro. O esmero na construção e a qualidade dos sistemas instalados impressionaram e podem ser conferidos nas fotos abaixo (pare o mouse sobre a foto, antes de clicar, para ler as legendas).

O navio, apesar de pequeno, é espaçoso como uma fragata da classe “Niterói”. Os sistemas de controle de máquinas e o sistema de controle tático SICONTA Mk.3, desenvolvidos pelo IPqM (Instituto de Pesquisas da Marinha) e pela empresa Omnisys, mostram que a Barroso não fica nada a dever aos sistemas em uso em outras marinhas.
Saímos da corveta com a certeza de que a Marinha do Brasil precisa construir mais unidades da classe, apenas com pequenos melhoramentos.

Dizem os engenheiros aeronáuticos que um avião bonito voa bem, e se a mesma verdade se aplica a navios, a Barroso com certeza terá ótimas qualidade marinheiras.
Parabéns à Marinha do Brasil e ao AMRJ pela persistência, valeu a pena! e nosso agradecimento ao Centro de Comunicação Social da Marinha, por nos possibilitar a cobertura do evento.

NOTA DO BLOG: Um ponto negativo foi a atuação da grande imprensa, cujos jornalistas fizeram perguntas que nada tinham a ver com o evento ao Ministro da Defesa, Nelson Jobim. Mas não chegaram a estragar a festa.

A bandeira nacional sendo hasteada na corveta

o-palanque-com-autoridades.JPG

o-mindef-falou-a-imprensa-mas-ela-nao-quis-saber-do-navio.JPG

corredor-de-entrada-da-barroso.JPG

lobby-da-barroso-abaixo-do-hangar-o-piso-pode-ser-removido-para-a-manutencao-dos-motores.JPG

compartimento-de-comunicacoes.JPG

praca-darmas.JPG

camarote-de-sargentos-e-so.JPG

camarote-de-oficiais.JPG

sistema-de-controle-de-maquinas.JPG

sistema-de-controle-de-maquinas-2.JPG

a-placa-de-construcao-do-navio.JPG

passadico.JPG

console-de-controle-de-maquinas-do-passadico.JPG

siconta-mk3-a.JPG

siconta-mk3-b.JPG

siconta-mk3-a-sem-flash.JPG

a-barroso-vista-a-meia-nau.JPG

a-proa-da-v34.JPG

Características gerais da Corveta “Barroso” – V-34

1. Sistema Nacional de Controle Tático e Armas – SICONTA Mk III (nacional)
2. Comprimento total de 103,4 metros
3. Boca máxima – 11,4 metros
4. Calado de navegação – 6,20 metros
5. Deslocamento carregado – 2.400 toneladas
6. Sistema de propulsão – CODOG
a. 2 Motores MTU 1163 TB 93 8.000 HP
b. 1 Turbina GE LM 2.500 29.500 HP
7. Geração de Energia
a. 4 Motores MTU 8V 396 TE 54
b. 4 Geradores Siemens 650 KW
8. Velocidade máxima c/ turbina – 30 nós
9. Velocidade máxima c/ motor – 22 nós
10. Raio de ação a 12 nós – 4.000 milhas náuticas
11. Autonomia – 30 dias
12. Tripulação – 145 militares
13. Sistema de Controle e Monitoração SCM (nacional)
a. Subsistema de Controle e Monitoração de Propulsão e Auxiliares – SCMPA
b. Subsistema de Controle de Avarias – SCAv
Principais sensores do navio
1. Radar de busca combinada – RAN-20S
2. Radar de superfície – THERMA SCANTER
3. Radar de Direção de Tiro – RTN-30X
4. Radar de Navegação Furuno FR 8252
5. Alça Optrônica – EOS-400-10B (SAAB)
6. Alça Óptica com computador de tiro de emergência (nacional)
7. MAGE – DEFENSOR (nacional)
8. Sonar de casco – EDO-997 C
9. Sistema de navegação inercial – SIGMA 40 INS (SAGEM)

Armamento
1. Canhão 4.5” VICKERS Mk-8 de duplo emprego
2. Canhão 40mm Mk-3 BOFORS Trinity antimíssil
3. Sistema de lançamento de mísseis EXOCET ITL-70A (MM40 Block 1 / Block 2)
4. Sistema de lançamento de torpedos anti-submarino Mod. 400 (nacional) para torpedos Mk.46
5. Sistema de lançamento de despistadores de mísseis (SLDM) – Chaff (nacional)

Operações aéreas
1. Aeronave Orgânica (Super Lynx), podendo ser armada com:
a. Míssil ar-superfície SEASKUA
b. Torpedo Mk-46
c. Bomba de profundidade Mk-9
2. Indicador visual estabilizado de rampa de aproximação – IVERA (nacional)

81
Deixe um comentário

avatar
80 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
30 Comment authors
MOKarl BerlimReprojeto e atualização da Corveta Classe Barroso, atualizando-a no estado da arte | Plano BrasilO Projeto Corveta 30 anos depoisCorveta Barroso deixa a Baía de Guanabara Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
GustavoB
Visitante
GustavoB

Muito legal, parabéns pelas fotos e pela cobertura.

RLobo
Visitante
RLobo

A Barroso é linda!
Colocando a estética de lado… será que ela navega bem? É estável?

konner
Visitante
konner

Parabéns Blog Naval !!!

As fotos estão, superior em seu gênero.

camberiu
Visitante
camberiu

A Barroso roda em Windows??? Ja era essa navio…..

Galante
Visitante

Camberiu, os navios da USN rodam Windows…

camberiu
Visitante
camberiu

Eu sei….pior para eles. Infelizmente fizemos a mesma burrada.

Galante
Visitante

O Windows NT é confiável para sistemas críticos.

Baschera
Visitante
Baschera

Parabéns pelas fotos. Esta pintura parece ser mais escura ou é impressão minha ??
Sds.

Galante
Visitante

Obrigado, Baschera! A pintura é mais escura sim, como a de uma “Niterói” que fotografamos em Santos na Aderex-I.

Democracia
Visitante
Democracia

Viva a Barroso

Viva Republica !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Julio
Visitante
Julio

Parabéns a Marinha e a todos que lutaram para concluir a Barroso. Mas, sempre fico me perguntando qual a linha adotada pelos almirantes quando planejam o reequipamento da Armada. Construimos os submarinos IKL, depois veio o Tikuna, fruto da evolução e aperfeiçoamentos feitos pelos nossos engenheiros. Ao invés de construirem mais unidades e aplicar todo conhecimento adquirido, desistem e partem para um projeto internacional. A mesma coisa a Barroso, nãos seria o caso de construir mais unidades, incorporando melhorias? ao invés de sonhar com navios de 6.000 toneladas que sabemos que dificilmente virão ou se vierem podem ser de segunda… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

É linda.
E eu acho muito bem equilibrado em termos de armamentos.
As próximas, e que venham muitas, com certeza terão suas pequenas deficiências corrigidas. A maior delas ao meu ver é a falta de uma defesa antimíssil em todo o perímetro.
Parabéns ao blog e à MB.

André
Visitante
André

Parabéns ao Blog pelas belas fotos e à MB pela incorporação de mais uma escolta. Quem venham outras e melhores.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Os navios da US Navy não rodariam em ADA, derivada do Unix???

TENENTE
Visitante
TENENTE

Belo navio!Belas fotos!Parabens!!!

Obs.: No fundo da ultima foto,aparece o Nae São Paulo.Alguma noticia?

Baschera
Visitante
Baschera

Obrigado Galante!!
Sobre o A-12, realmente aparece ao fundo…… putz, achei que já estaria docado…
Sds.

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

O SP voltará em breve com seus problemas 100% resolvidos.

Vejam que coisa mais linda este COC. Azulado igual ao USS Farragut( o verdadeiro), hehehehehehe!

http://www.alide.com.br/noticias/mb38/index.htm

Nunão
Visitante
Nunão

Linda por dentro e por fora, gostei muito de ver os detalhes do sistema de controle de propulsão, além dos detalhes externos da foto maior. Parabéns pelas fotos!

Nunão
Visitante
Nunão

Então foi você que foi lá, caro Direto? Depois conta mais.

Diego
Visitante

Parabéns pela cobertura! Muito bom!

Agora uma dúvida, o desfoque da foto do sistema de radar que aparece meio azul foi proposital? Para não aparecer detalhes?

Abraços a todos!

Claudio
Visitante
Claudio

Será q. faltou dinheiro para comprar 6 telas de LCD iguais?

José da Silva
Visitante
José da Silva

Nunão, não vi o Defensor. Nem nas laterais (uma antena por bordo)da superestrura de vante, nem sobre ela, logo atrás do da DT.

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

Não Nunão. Infelizmente eu não fui. Mas acho que ao longo de 4 anos o Felipe da Alide já sabe o que e como fotografar. Fez um belíssimo trabalho. Estou muito empolgado com o que me foi mostrado da Barroso. Sem dúvida será um grande navio e posso estar enganado, mas, se após o CIASA ela botar pra quebrar como acho que irá, a MB deverá pensar na construção de uma ou mais irmãs para ela. Última geração. Mas para variar, tem sempre um “engraçado”, procurando aonde meter o malho. Será que estão no Blog certo? Será que gostam de… Read more »

pablo
Visitante
pablo

realmente fiquei impressionado com o interior da Barroso…
sera que essa beleza da Borroso sera eficiente em alto mar ??
quer dizer que a Borroso nao tem defesa AA ?!?!
Meu Deus !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
se a Barroso tivesse ficado pronta 1 mes atras, ela iria no exercicio naval proposto pela US Navy ???
e a Emgepron ?? sumiu ?? faliu ???

José da Silva
Visitante
José da Silva

Nem a um mes, nem a um ano (talves), como o do Balde falou ela ainda tem que passar pelo CIASA, e ainda tem a avaliação operacional completa que o CASOP ira fazer, dai serao feitos relatorios com os parametros do que, de quanto e de até onde a Barroso pode fazer.

Esses parametros, exclusivos dela, serão usados para avaliar o navio durante sua vida util, para determinar se o navio mantem o desepenho geral, o quanto degradou e para determinar o quanto deve ser feito (no futuro) para manter o navio em alto padrão.

pablo
Visitante
pablo

ja que a Borrosa levou 14 anos pra ficar pronta, a minha duvida e a seguinte:
os sistemas de armas, radares, computadores… sao de ultima geracao ne ??? ou eles estao a 14 anos “paradaos” na Barroso ??
quanto a pintura ser um pouco mais escura, sera que nao foi utilizada uma tinta anti radar ??

pablo
Visitante
pablo

ela esta preparada para ASW ??????

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

E ai sim, quem sabe a MB pode enxergar que uma é pouco e que 4 seriam o ideal. Mas só após os resultados de “campo” ou de mar. rsrsrsrs O importante é termos o pensamento focado num só ponto: Se a MB receber o dinheiro que é dela e que foi “garfado” retido pelo governo atual a titulo de cobrir o Deficit Primário, já podemos ter uma idéia do que virá por ai. Mas, infelizmente essa grana parece que o governo não quer soltar. Toda a discussão sobre se o SP é bom, cade as Escoltas e o sub… Read more »

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

Pablo, pense na sua pergunta outra vez. Se todos os sistemas são de última genação, como os mesmos poderiam ser de 14 anos atrás?
São todos atuais, novinhos e o Defensor idem. 100% Brazuca.

Quanto a tinta, pode ser por causa do outro fornecedor. Parece que mudaram e o cinza ficou mais escuro. Pode ser, não tenho certeza.
Anti Radar? Não com certeza não.

pablo
Visitante
pablo

caro amigo Direto do fundo do Mar,

essa minha pergunta foi mais uma piadinha pela demora da conclusao do navio, apenas isso.
mas a Barroso esta preparada para ASW ou nao ??

Jonas Rafael
Visitante
Jonas Rafael

Desculpe a minha ignorância, mas o que é esse “Defensor”. É alguma nova embarcação que eu não fiquei sabendo? Eu tenho uma curiosidade de longa data que os experts aqui poderiam aplacar: como fica a dotação de um navio novo? No caso da Barroso simplesmente vão passar a tripulação do Pará pra ela?

Galante
Visitante

Jonas, faremos em breve um post sobre o Defensor, que é um sistema passivo de guerra eletrônica (MAGE ou ESM) desenvolvido pelo IPqM.

pablo
Visitante
pablo

as suites dos novos navios devem seguir os padroes das embarcacoes atual, se mudar alguma coisa, creio eu que a Marinha ira construir um mock up de tamanho original para o treinamento dos marujos, ACHO EU…

José da Silva
Visitante
José da Silva

Ele tem o que qualquer escolta normal tem: Sonar, lançadores de torpedos e aeronave. Isso é o basico, e o que todas as tem.

pablo
Visitante
pablo

grato pela info Jose da Silva.
alguem sabe se a MB utiliza cargas de profundidade ???

Jonas Rafael
Visitante
Jonas Rafael

Pelo que sei, cargas de profundidade são coisa do passado, os torpedos guiados modernos as tornaram desnecessárias.

Nunão
Visitante
Nunão

Pois é, Zé, a parte passiva do sistema está lá, no topo do mastro de combate, mas a parte ativa (jameador) não deu pra ver. Enfim, a possível localização do sistema (que não está na relação de equipamentos divulgada) fica na especulação ainda, conforme o modelo que venha a ser instalado. Mas os dois modelos (o conteirável e o phased array) estão no modelo em papel, como opção… Direto, tem sempre gente que adora chutar o balde, liga não, hehe. Tô seco pra que a Barroso entre em Fase III logo ou que mesmo antes, durante as fases do adestramento,… Read more »

Galante
Visitante

Cargas de profundidade ainda são necessárias quando o submarino inimigo está pousado no leito marinho. Torpedos anti-submarino têm dificuldade séria de detectar um submarino nessa situação.

Galante
Visitante

O CME ET/SLQ-2, igual ao da F44, ainda vai ser instalado na Barroso.

pablo
Visitante
pablo

a Barroso possui cargas de profundidade ???
uma vez eu li que dependendo da profundidade que o sub estiver, ele nao e captado pelo sonar devido a diferente temperatura das aguas em prof diferentes. Confere essa informacao ???
as cargas sao mais potentes que os torpedos ??

marujo
Visitante
marujo

Lomga vida à Barroso!Parabéns, Blog Naval pela cobertura.

Galante
Visitante

A MB só usa cargas de profundidade nos helicópteros SH-3 e Super Lynx.
Sim, os submarinos podem escapar da detecção de sonares mergulhando em camadas de água de diferentes temperaturas, que desviam o feixe dos sonares dos navios para cima. Para se contrapor a isso, usa-se sonares de profundidade variável (VDS) e sonares de mergulho em helicópteros.

pablo
Visitante
pablo

Grato Galante

Nunão
Visitante
Nunão

Galante, valeu pela info do CME. Imagino que o lugar imaginado para instalá-lo seja em alguma pequena plataforma à frente do mastro de combate ou um pouco mais pra frente, entre o mastro e o radar de direção de tiro, sobre o convés 4. Ou instalar um em cada bordo, como no projeto original, o que eu não creio, mas vai saber.

Depois tira uma dúvida minha: o lançador de foguetes de chaff, pelas fotos, parece ter oito tubos voltados para a popa e 4 para a proa. Procede?

Abs!
Nunão

Nunão
Visitante
Nunão

“Imagino que o lugar imaginado”… Pô Nunão, caia na real e escreve direito, cara!

GustavoB
Visitante
GustavoB

Há tempo queria perguntar, vou lascar: um projeto atualizado teria linhas de furtividade e redução da assinatura termal, com resfriamente dos gases ou liberação destes quase ao nível da água?

Galante
Visitante

É isso mesmo, Nunão. 8 tubos de chaff para a popa e 4 para a proa.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

As telas de leitura dos consoles do CIC são maiores do que as fragatas Niterói,tenho uma foto do CIC das Niterói.
Estes sistemas todos devem ser mais modernos que as Niteroi.

Galante
Visitante

Sim, é a versão SICONTA Mk.3, o da “Niterói” é o Mk.2. No São Paulo será instalado o Mk.4.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Galante,a cor interna dos compartimentos,é branca,me lembro que
nas Gearing,visitei uma,e era cinza,mudou o padrão ou é digamos
apenas uma mudança?Deve ser para identificar vazamentos,e
aumentar a eficiencia da ilumunação.A fiação me parece exposta,
deve ser custo,manutenção,e a tubulação está branca,com faixas indicativas da linha.É comum usar varias linhas de energia e
digamos agua no mesmo compartimento?…