quarta-feira, junho 29, 2022

Saab Naval

Incorporação do NAsH Tenente Maximiano

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Comando do 6º Distrito Naval realizará no dia 17 de março de 2009, às 8h30, na Base Fluvial de Ladário, a cerimônia de Incorporação à Armada do Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) Tenente Maximiano. O Evento será presidido pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Aurélio Ribeiro da Silva Filho. O evento contará com a participação do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Alvaro Luiz Pinto, do Comandante do 6º Distrito Naval, Contra-Almirante Cesar Sidonio Daiha Moreira de Souza, e de personalidades da sociedade do Mato Grosso do Sul.
O Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano tem como finalidade realizar assistência médico-hospitalar, odontológica e sanitária às populações ribeirinhas da região do Pantanal do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, aprimorando, ainda mais, as Ações de Assistência Cívico-Social (ACISO) já realizadas pelo Com6ºDN. Estas operações são de extrema importância para as famílias que vivem em locais isolados e de difícil acesso, e que, na maioria das vezes, têm com a presença da Marinha, a única oportunidade de receber um atendimento de saúde adequado. O NAsH poderá, também, atender às necessidades de apoio logístico durante os deslocamentos das tropas e dos navios que realizam operações na faixa de fronteira; contribuir com a patrulha naval; realizar operações de socorro e atividades de defesa civil; auxiliar na implementação e fiscalização do cumprimento de leis e regulamentos em coordenação com outros órgãos do Poder Executivo Federal e Estadual, e ainda, fazer o recebimento e tratamento de baixas em operações ribeirinhas. A incorporação do navio representa um significativo incremento para a Estrutura Nacional de Defesa na região Centro-Oeste.
A embarcação SCORPIONS, que desempenhava atividades de turismo e de pesca amadora, foi adquirida em 31 de janeiro de 2008 e, para realizar os atendimentos hospitalares à população ribeirinha da bacia do rio Paraguai, passará por uma reforma estrutural, com a construção de centro cirúrgico, enfermaria, sala de esterilização, sala de expurgo, farmácia, laboratório, consultório médico, consultórios odontológicos e de um compartimento equipado com aparelho de raio-X, além de uma modernização nos sistemas de propulsão, de geração e distribuição de energia.

Justa Homenagem à um Herói da Região

O Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano, leva o nome de um Pernambucano, natural da cidade de Bom Conselho, mas que viveu grande parte de sua vida na região do Pantanal, onde prestou serviços relevantes à sua Nação, no período em que serviu a Marinha do Brasil na área de jurisdição do Com6ºDN. O 1º Tem (Refº) Maximiano José dos Santos ingressou na Marinha do Brasil em 1913, como voluntário, aos vinte anos de idade. Durante a extensa carreira militar, participou das duas Guerras Mundiais, onde demonstrou extrema bravura sob situações limite, o que o levou a ser condecorado com a “Cruz de Campanha”, pela participação na 1ª Guerra, e com a “Medalha de Serviços de Guerra com duas estrelas” pela 2ª Guerra. Esteve também presente na Revolução Constitucionalista de 1932 e na repressão à Intentona Comunista em 1935. O Tenente Maximiano tornou-se um símbolo de orgulho para a região, reconhecimento materializado por meio da outorga dos títulos de “Cidadão Ladarense”, “Cidadão Corumbaense” e “Cidadão Sul-Matogrossense”. O Tenente Maximiano morreu em abril de 2006, aos 113 anos.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

[…] ao longo do rio Paraguai, com as ações sociais, além da inauguração do Navio-Hospital Tenente Maximiano que está sendo adaptado e atenderá as populações […]

Mahan

Homenagem JUSTÍSSIMA!! Estes são o HOMENS que representam verdadeiramente nossa MARINHA DO BRASIL!! Estranho é que nunca vi este nome estampado em jornais ou revistas civis, contrariamente a outros, de traidores, agitadores e amotinados (??)

Jorge

Se nossa MB estivesse adequadamente equipada como força militar, seria aceitável, nos aspectos econômico, cívico e social, que em tempos de paz, também mantivesse esse serviço.

Mas não é o que acontesse atualmente.

Estamos sendo “alimentados” com planos e mais planos de reequipamento, que de uma hora para outra, podem ser adiados e/ou descartados.

O que os atuais governantes pós-regime militar podem apresentar sobre política de defesa, a não ser 25 anos de “embromação”, 14 anos desses sob presidentes de formação marxista (FHC e Lula).

Mas enfim, que esse navio e seus tripulantes sejam bem sucedidos na sua digna missão.

André

Galante,
Só uma correção: a Intentona Comunista se deu em novembro de 1935, e não no ano de 1937.
Sds a todos.
PS: Mais do que justa essa homenagem.

Galante

Obrigado André, o erro estava no release original e acabou passando.

RJ

Não tem um navio chamado Almirante Maximiano? Vai ter o almirante e o tenente com mesmo nome? Isso não vai causar confusão?
Vai ter navio promovido ou rebaixado?

Celio Andrade

CONCORDO !!!!

Jacubão

Esse é o quarto NASH que a marinha incorpora e na minha humilde opinião deveria incorporar mais 26 para atender aquela região de extrema carência em tudo que a vida moderna do século 21 pode oferecer e assa população que não tem nada disso por puro descaso do governo, pois com certeza, todo o dinheiro usado para reformar os apartamentos funcionais dos “ilustres” (??????????????????????) deputados e senadores, daria para ajudar e muito aquele sofrido povo amazônico.

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas fez o primeiro lançamento do ScanEagle

O 1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas realizou o primeiro lançamento do drone ScanEagle, N-8001, na tarde de ontem...
- Advertisement -