quarta-feira, junho 29, 2022

Saab Naval

Submarino chinês colide com sonar rebocado dos EUA

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

030126-N-1810F-002

Um submarino chinês colidiu contra um sonar rebocado de um navio da US Navy na Baía de Subic, ao largo das Filipinas. A informação foi dada pela rede de notícias norte-americana CNN na última sexta-feira (12/6).

O navio envolvido no incidente era o USS John S. McCain (foto acima), um contratorpedeiro da classe “Arleigh Burke” atualmente baseado em Yokosuka, Japão. O nome do navio é uma homenagem aos almirantes John S. McCain, Jr. e John S. McCain, repectivamente pai e avô do senador John McCain.

Informações coletadas pela Agência France-Presse (AFP) junto às autoridades filipinas dão conta de que estas últimas não possuem nenhuma informação sobre o incidente.

Em março deste ano cinco navios chineses realizaram manobras “perigosamente próximas” ao USNS Impeccable no sul da China. Alega-se que o objetivo na época era cortar e fiscar o cabo do sonar rebocado.

FOTO: US Navy

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Sopa

Mas pera ai…um Sub não tem capacidade de detectar um navio ? e o sonar não tem capacidade de detectar um Sub ? então como isso pode colidir, sera o os operadores dos dois estavam dormindo ? alguem se habilita em clarear minha ignorância !

Sds.

FD

Sopa, quase que com certeza o Sub “visualizou” o navio por meio de seu sonar passivo. Todavia, certamente o navio conseguiu detectar o Sub, por conta deste ter empregado alguma tática de aproximação com alta discrição, como por exemplo se aproveitar de aguas termais, etc. Como o noticiado, é muito estranho fato, pode ter sido ocasionado pela tentativa de “roubo” do sonar rebocado. Uma vez nas mãos chinesas, o equipamento sofreria uma tentativa de cópia via engenharia reversa. Por fim, a manobra chinesa não logrou êxito, por uma falha da tripulação. Resta saber como os americanos passarão a se comportar… Read more »

Democracia

Uma correção na ultima linha :

” cortar e fisCar o cabo do sonar rebocado.”

não seria “cortar E fisGar”, com G e não C.

FD,

Realmente, se fosse outra marinha eu não desconfiava, mas sendo a chinesa, realmente só podia ser tentativa de cópia.

Viva a República !!!

Jonas Rafael

Até onde vai a pirataria chinesa? A pergunta é: porque copiar um equipamento que não foi capaz de detectar um submarino até o último instante? É o mesmo que arrombar um carro só pra levar o alarme. E outra, eles estavam em águas jurisdicionais das Filipinas? Isso não pode gerar um incidende diplomático?

Angelo Nicolaci

Sopa
A colisão foi com o sonar rebocado, e não com o navio em si, o sonar rebocado não é um aparelho de pequenas dimensões, mas quase do tamanho de um escaler, e os sonares de subs tem dificuldades de detecta-los devido a interferencia da cavitação ocasionada pelo deslocamento do navio, o que leva a ter de se estabelecer calculos precisos para interceptar tal equipamento. Afinal você não tem nenhum visual de fora do submarino, você só enxerga atraves do sonar.
Agora os chineses são persistentes, enquanto não conseguirem um sonar rebocado eles não param

Jacubao

Ô POVINHO DANADO DE LADRÃO SÔ.

Baschera

Ia até postar esta notícia ontem, mas tem algo de ….
Os americanos agora só dão a culpa para os chineses, já que os russos estão devagar, então como podem ter certeza de que foi um sub chinês ?
A nota não fala mas, não foram citadas fontes oficiais da UsNavy, o que pode significar que nem eles sabem ao certo.
Se foi um sub, chinês ou não, vacilaram de qualquer jeito;
Sds.

alemarlon

Foi o Kraken! rs
Baschera, vacilaram de qualquer jeito não e sim vacilaram de novo.

Se lembro bem essa história de submarino colidir com objetos na superfície, seja navio ou banco de areia, etc iniciou com aquele navio japonês de pesquisas que foi posto a pique por um submarino nuclear americano. Ao menos notícias desse teor começaram a ser divulgadas a partir desse momento, até onde lembro. Até sub colidindo com banco de areia que estava próximo a base já ocorreu(foi no ano passado).

Dalton

Jonas, muito provavelmente o submarino chines nao tinha a menor ideia que o TACTAS estava sendo empregado até por ser um tipo de sonar passivo que apenas “escuta” . O TACTAS é um cabo que pode ser estendido por cerca de 1 km atrás do navio lançador e pode ser perigoso para o submarino caso enrosque na(s) helice(s) do submarino. Até onde sei, a Russia forneceu sonares rebocados e os chineses já possuem copias dos mesmos, portanto acredito que foi mais um jogo de gato e rato entre submarinos e navios de superficie, muito comuns na epoca da guerra fria.… Read more »

Dalton

AleMarlon, Quem vacilou foi o submarino chines que colocou-se atras do destroyer americano e colidiu com o sonar rebocado. Foi uma “barbeiragem” nao intencional. Prematuro dizer que o destroyer americano nao percebeu o submarino até porque é informaçao classificada. Nao houve vacilo por parte do destroyer, até porque é extremamente dificil localizar um submarino, ainda mais para um solitario destroyer sem apoio aereo nem mesmo helicopteros a bordo. Para muitos o fato de colocar um navio americano na mira do periscopio é um feito e desmoralizaçao para os EUA, mas isso é extremamente comum, submarinos americanos certamente o fazem com… Read more »

alemarlon

Dalton Tu entendeu errado. Eu quis me referir a vacilos dos submarinos envolvidos nos casos que citei e não das embarcações de superfície envolvidas nos casos que citei. Verificando novamente o texto por mim digitado no post anterior notei ter me expressao mal e realmente o texto do jeito que ficou poderia ser interpretado como tendo ocorrido vacilos das embarcações de superfície. Se foi a parte que mencionei a colisao em banco de areia que criou o erro de interpretação, me referi a colisão de um submarino em banco de areia, ao menos foi o que eu havia lido na… Read more »

CADU

Já estamos incomodando.
http://www.defesanet.com.br/usa1/subs_br.htm
Leiam esta reportagem, e depois vamos comentar sobre.
Saudações a todos.

Jonas Rafael

Dalton, eu sei que os americanos vivem por lá nas Filipinas, eu estava me referindo a um incidente diplomático com OS CHINESES, mas me parece que não há confirmação de que o Sub era mesmo daquele país. Quanto à informação que você divulgou, elea faria sentido se o mesmo estivesse tentando “sombrear” o navio americano, mas eu fiz meu comentário dentro da hipótese de a afirmação explicitada na matéria ser verdadeira e o sub estar tentanto realmente roubar o sonar. Mas evidências, parece, nos fazem crer que a maior parte disso é especulação…

Claudio Melo

A informação não é de fonte isenta. O incidente com a inteligência naval chinesa há alguns meses realmente SUGERIA a tentativa de “pescar” o equipamento rebocado, o que não acontece agora. O que me parece plausível agora é, de um lado a tentativa do sub, seja ele de quem for, de “sombrear” o vaso de guerra americano, e, por outro lado,o destroyer estaria realizando coleta das assinaturas acústicas do sub. Os dois estavam perto demais porque os dois tinham interesse nisso, tanto que duvido que haja uma reclamação formal de qualquer das partes acerca do incidente. CADU, Li o artigo… Read more »

[…] a colisão do sonar rebocado do  contratorpedeiro USS John S. McCain com um submarino chinês. O evento ocorreu no último dia 10 de junho próximo às Filipinas e foi noticiado por um periódico da […]

[…] que a tripulação a bordo do contratorpedeiro USS John S. McCain estava monitorando o submarino que colidiu com o sonar rebocado no último dia 10 de junho próximo às […]

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas fez o primeiro lançamento do ScanEagle

O 1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas realizou o primeiro lançamento do drone ScanEagle, N-8001, na tarde de ontem...
- Advertisement -