Home Noticiário Internacional HMS Daring é comissionado na Royal Navy

HMS Daring é comissionado na Royal Navy

776
17

hms-daring-comissionamento-foto-mod

Nesta quinta-feira, 23 de julho, foi comissionado à Royal Navy (Marinha Real) o HMS Daring, o primeiro de seis destróieres ingleses de defesa aérea Tipo 45. A cerimônia contou com a presença da Condessa de Wessex, que realizou o lançamento do navio em 2006, na Escócia. Também estavam presentes centenas de convidados, incluindo o Comandante da Força, Almirante Sir Trevor Soar, e familiares dos 190 tripulantes, que ouviram o discurso do Oficial Comandante (CO – Commanding Officer), Captão Paddy McAlpine.

Dois caças Tyhoon do 11º Esquadrão da RAF (Royal Air Force – Real Força Aérea) realizaram uma passagem sobre o navio. Como tradição na Marinha Real, cortou-se o bolo de comissionamento, honra que coube à esposa do capitão e de um marinheiro que comemorou seu décimo sétimo aniversário, sendo o membro mais novo da tripulação.

Todos os seis navios da classe deverão ser baseados em Portsmouth. O próximo navio a fazer sua entrada na base será o  HMS Dauntless, segundo a programação, no início de 2010. FX090365

FONTE: Royal Navy    FOTOS: MOD

Leia mais sobre o HMS Daring e os destróieres Tipo 45 da Marinha Real clicando nos links abaixo:

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando
Fernando
11 anos atrás

Karlus 73

Realmente visto pelo angulo que tu postou a embarcação é bem esquisita.
Enfim, são os tempos das máquinas “Stealths”.
Quanto a outra “máquina”, não posso dizer o mesmo…
Abraços.

Fernando
Fernando
11 anos atrás

Em tempo em relação a outra “máquina”…

Se a cerimonia fosse no Brasil, advinha quem iria aparecer…

A Sra, Dilma… Sacanagem…

Bem, mas isto não é problema condizente a MB.

karlus73
karlus73
11 anos atrás

Esse ângulo de imagem até é bonito, mas neste* já não é assim atractivo.
Mas aqui o que tem interesse é que este meio naval seja eficiente… pois nestas coisas não podemos pensar que seja um passarela para apurar a beleza
* http://www.defense-aerospace.com/base/util/68517_400.jpg

Jaique Sparro
Jaique Sparro
11 anos atrás

Totalmente esplêndido.
UM dia Brasil,quem sabe.

Sandro
Sandro
11 anos atrás

Excelente navio chega a dar inveja isso e verdade, só que esse navio pelo estilo esta mais para um cruzador que para um Destroyer, mas não deixa de ser um novo conceito se comparado a Destroyers de outras nações como os EUA.

Jacubão
11 anos atrás

Show de bola esses destróieres, mas a condessa é muito mais bonita, hhehehehehehe.
Sonho de consumo uma condessa dessa.

Flal
Flal
11 anos atrás

Paulo Silva,

O único “embargo” para a MB é o custo de obtenção desse meio, superior a 1,3 bilhão de Euros!!!!!!!!

Andre Luiz
Andre Luiz
11 anos atrás

Pode ser moderno, mas é feio paca, parece que foi feito com Lego

Marcos T.
Marcos T.
11 anos atrás

Achei show de bola.

COMANDANTE MELK
COMANDANTE MELK
11 anos atrás

Senhores,

“que maquina´´….evidentemente estou me referindo ao destroyer…hehe.

Paulo Silva
Paulo Silva
11 anos atrás

Caros colegas, uma pergunta: Falando em termos de navio, existe algum tipo de embargo para a MB comprar um destroier deste tipo 45?Teriamos problemas para aquisição de radares e armas no estado da arte?

Abraços

Paulo

The Captain
The Captain
11 anos atrás

Uma bela nave, cuja classe fará orgulho à Sua Majestade. Que inveja que dá…

latino
11 anos atrás

simplesmente maravilhoso aos olhos …

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezados
Esse destróier custou a bagatela de 1 bi de euros (2,7 bi de reais) e é o que tem de mais moderno.
sds

Alexandre Galante
11 anos atrás

Só tem um problema: o navio está sendo duramente criticado porque está entrando em operação sem vários dos seus sistemas prontos, inclusive o principal: o sistema antiaéreo Viper, que é a razão de ser do Type 45.

karlus73
karlus73
11 anos atrás

Fernando:
Pois é amigo… a outra máquina é bonita em qualquer ângulo…
Nem tem nada de “Stealths”, dá nas vista para caneco… 😉
Fica bem

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

As fragatas Type 23 qndo entraram em serviço careciam de automação, os sistemas de armas não operavam integrados.