Home Noticiário Nacional Jobim afirma que submarinos ficarão prontos até 2021

Jobim afirma que submarinos ficarão prontos até 2021

338
74

scorpene-3

A construção do primeiro dos cinco submarinos, em parceria com a França, deverá começar em 2011

vinheta-clipping-navalO ministro da Defesa, Nelson Jobim, informou hoje (27 de agosto) que os cinco submarinos que o Brasil construirá em parceria com a França ficarão prontos até 2021. Serão fabricados quatro submarinos convencionais e um nuclear. Segundo o ministro, que falou durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, o primeiro começará a ser construído em 2011.

Quanto ao submarino nuclear, ele explicou que caberá ao Brasil produzir o propulsor nuclear e à França, a transferência de toda a tecnologia não nuclear para o país. “Isso (tecnologia nuclear) não se transfere para ninguém. Nenhum país transfere tecnologia nuclear para outro”, ressaltou o ministro. O acordo que permitirá a construção dos submarinos foi firmado em dezembro do ano passado pelos dois países e visa à transferência de tecnologia militar francesa para o Brasil.

Ele disse que parte do primeiro submarino será feita na França, onde técnicos brasileiros serão treinados para essa finalidade. Já os restantes, inclusive o nuclear, serão construídos no Brasil. O estaleiro e a base de operações ficarão em Itaguaí, no Rio de Janeiro.

De acordo com o ministro, o reator do submarino nuclear começará a ser desenvolvido em 2010 e deverá estar pronto até 2014. O início da construção do submarino nuclear está previsto para 2016. Jobim garantiu que esse submarino não terá armas atômicas porque a Constituição Federal não permite.

cronograma-apres-jobim-senado-pdf-do-min-da-defesa

Jobim informou que o valor total da construção dos submarinos é estimado em E$ 6,690 bilhões e que mais E$ 100 milhões serão destinados ao seguro do projeto de construção. O Brasil vai entrar com uma contrapartida de E$ 592 milhões e terá prazo para pagar até 2026.

O ministro explicou que o Brasil optou pelo acordo com a França, e não com outros países, por causa da questão da transferência de tecnologia. “O que nós queremos é exatamente sair da compra de prateleira para entrar na negociação de parceria. E parceria corresponde a transferência de tecnologia”, afirmou Jobim. Ele informou que outros países foram procurados, mas não estavam dispostos a fazer transferência de tecnologia.

Segundo o ministro, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, deve vir ao Brasil no dia 7 de setembro para assinar o acordo que permitirá dar segmento ao projeto de construção dos submarinos.

FONTE: Agência Brasil

IMAGEM DE BAIXO: cronograma apresentado no pdf sobre a palestra, disponibilizado pelo Ministério da Defesa

NOTA DO BLOG: para acessar todas as páginas da apresentação feita pelo Ministro da Defesa, na audiência pública conjunta das comissões de Relações Exteriores e de Ciência e Tecnologia do Senado Federal, clique aqui (o link é para um arquivo em pdf disponível no site do Ministério da Defesa)

SAIBA MAIS:

74
Deixe um comentário

avatar
74 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
Programa de construção da classe ScorpèneMarinoJerome LinstFarragutMarcelo Ostra Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
LOBO DO MAR
Visitante
LOBO DO MAR

Eu acredito em Papai Noel, Coelinho da Pascoa, só não acredito no Jobim.

Julio
Visitante
Julio

Sinceramente espero que os submarinos convencionais estejam prontos MUITO ANTES de 2021, pelo menos eles.

xavante
Visitante

Isso é pura mentira é papo pra boi durmir, só quem é otario pra acreditar em conto de fadas.

Hornet
Visitante
Hornet

Eu, ao contrário, acredito em planejamento bem feito, seja pelo coelhinho da Páscoa, papai Noel ou pelo Jobim. E acho que esse planejamento está bem feito.

A equação, vontade política-disponibilidade de verba-necessidade militar- e capacitação técnica, está contemplada no projeto.

Qual seria o problema deste projeto que não consigo ver?

abraços a todos

Nunão
Visitante
Nunão

Júlio, dê uma olhada no cronograma que o Ministro apresentou: o primeiro convencional deverá ficar pronto em 2015, seguido dos outros a cada dois anos.

Isso segundo as expectativas mostradas no cronograma, é claro.

Nunão
Visitante
Nunão

Hornet, não fui eu que falei de problema, mas eu vejo um… Ele é um cronograma bastante otimista (xiiii, lá vamos nós de novo nessa discussão otimismo x pessimismo…). Ou seja, nada, absolutamente nada pode acontecer de errado para que realmente, em apenas 10 anos entre o início da construção do primeiro e a entrega do último, um total de 5 submarinos novos, com grande parte da construção feita aqui, num estaleiro que ainda será construído, e com um deles movido a propulsão nuclear, sejam entregues à MB. Por mais que eu me considere otimista, isso ultrapassa um pouco minha… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Torcamos para o que aconteceu com o HMS Astute, que nem foi comissionado ainda, nao repita-se por aqui.

sds

Marcelo Tadeu
Visitante
Marcelo Tadeu

Concordo com o Nunão. A Corveta Barroso levou 8 anos!!!

Hornet
Visitante
Hornet

Nunão, vc sabe bem que em cronogramas de projetos não se pode colocar imprevistos, pois se são imprevistos, como prever? Mas isso não desqualifica o cronograma, ou melhor, o projeto como um todo. Não sei se ele é um cronograma de primeiro mundo. espero que não, pois se tomarmos o exemplo inglês (entre outros exemplos possíveis) de “primeiromundismo”, esse negócio vai atrasar um montão. Espero que seja um cronograma brasileiro apenas. Acho que ele é um cronograma brasileiro, calcado em nossas possibilidades e potencialidades. No entanto, achar que porque a Barroso demorou 8 anos, o Tikuna não sei quantos anos… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Hornet,

Não fui eu que escrevi que a Barroso levou 8 anos, mesmo porque infelizmente, e contra toda a minha torcida, foram mais…

E sei perfeitamente que a conjuntura é outra. E é claro que imprevistos não podem ser colocados em cronogramas. Mas margens para os mesmos podem ser colocadas sim. Espero que haja margens suficientes. Como escrevi, torcedor por torcedor, não me custa nada ser mais um a torcer.

E por fim, meu dialético amigo (apesar de não achar que vc é minha antítese), eu também não escrevi que é um cronograma de primeiro mundo. E sim, de primeiríssimo mundo… (rsrsrs)

Saudações!

Luís Aurélio
Visitante
Luís Aurélio

Hornet: ” Qual seria o problema deste projeto que não consigo ver ?
1- o reator nuclear não existe. Mas vamos supor que a MB consiga fazê-lo.
2- o gerador de vapor quem faria no Brasil ??? A Dedini S.A. ? Talvez!
3- a turbina de geração quem faria no Brasil??
4- o motor elétrico que faria no Brasil ? A WEG , talvez!
Pelo que entendi, o Brasil terá que fazer todo o sistema de propulsão. Seria interessante o blog, verificar se existem empresas brasileiras que possam fazer estes equipamentos .

SDS.

Hornet
Visitante
Hornet

em tempo: falei do projeto inglês, pensando no F-35 para a Royal Navy. Mas nesse barco “primeiromundista” de atrasos, envolvendo o F-35, podemos ampliar o leque, já que o projeto é multinacional, e colocar EUA e mais uma série de outros paises “primeiromundistas” na jogada também, né? Enfim…

atrasos podem ocorrer devido a imprevistos. Mas como colocar isso num cronograma de projeto? Não tem como fazer isso!

Os projetos bem feitos estabelecem metas. E é a partir dessas metas que se devem trabalhar com os atrasos e os imprevistos.

abração

Walderson
Visitante
Walderson

caro amigo Luís Aurélio em 27 Ago, 2009 às 18:29 , muito foi falado tb na época da construção das ultracentrífugas para a produção de urânio. Falavam que nós não tínhamos capacidade para produzi-las. Hj elas estão aí e são as mais avançadas do mundo – pelo menos não existe nehuma com conceito parecido. Inclusive, já tentaram copiá-las. Galera, não duvido que atrase, isso pode ocorrer, mas ao invés de malharmos, penso que deveríamos estar contentes, pois este foi o melhor governo para os assuntos militares. Este foi o único governo que tratou o assunto como sendo de Estado. Um… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Luis Aurélio,

vc sabe o que é e pra que serve um projeto, não?

abração

Hornet
Visitante
Hornet

Amigo Walderson,

não vi seu post antes, fomos rápidos no gatilho, né?

abração

DjBa
Visitante
DjBa

Amigos, Concordo com Hornet quando diz que cronogramas de projeto não podem prever imprevistos, que como dito são imprevistos. Alem disso, ninguém normal vai comprar a ideia de um projeto que no seu cerne já preveja atrasos, a não ser que sejam apontadas alternativas a estes possíveis atrasos. Já pensaram, se de cara se colocasse margem de atraso no projeto, como a opinião pública reagiria? Já estão malhando do jeito que está. Vejo o cronograma como possível de ser executado. Pois, se os americanos na década de 50 construiram seu primeiro Subnunc em menos tempo por que nós não podemos… Read more »

Ricardo
Visitante
Ricardo

Alguém pode me explicar …E$1.785.000.000,00 pela base e estaleiro que ficarão com a Odebrecht (50%), DCNS (49%) e governo federal (1%) + Golden Share ? É issso que eu entendi ? Pagar este valor e ter as empresas citadas como proprietárias ?

Nunão
Visitante
Nunão

Em tempo,

O Luis Aurélio levantou um ponto importante e, na apresentação em pdf, há a citação de várias empresas candidatas ao processo de nacionalização.

Dalton
Visitante
Dalton

Djiba… nao sei se a comparacao que vc faz com o Nautilus seja valida… afinal os EUA estavam em plena guerra fria e a marinha recebia muito dinheiro…ateh mesmo a NASA usufruiu desta “corrida” pois em menos de dez anos colocaram astronautas na lua…e depois…tiveram que contentar-se com o skylab, sondas nao tripuladas e ateh mesmo o “sonho” do Bush de colocar americanos novamente na lua em 2020 estah bastante distante pois as verbas diminuiram muito. Os britanicos estao se arrastando para concluir os Astutes, sao 8 anos jah e o mesmo nao foi comissionado e eles possuem muito mais… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

DjBA, sou um defensor do debate otimistas x pessimistas, a observação foi uma piada ao Hornet, que creio que ele entendeu… Sobre cronogramas: já vi, ajudei a montar, fiz e cumpri vários e ninguém revela publicamente margens para eventuais e possíveis atrasos, mesmo levando em conta que imprevistos não podem ser previstos pois ora bolas, são imprevistos. Sei que há metas e o cronograma serve justamente para colocá-las. O que estou opinando é que o cronograma é pra lá de apertado em vista dos desafios que citei, mesmo levando em conta uma série de fatores em relação a experiências anteriores.… Read more »

DjBa
Visitante
DjBa

Caro Luis Aurélio e Nunão. Muito boas questões levantadas e que acredito deverão serem respondidas por quem de Direito, que é a Marinha do Brasil e/ou Ministério da Defesa. Vejo na apresentção em PDF que o projeto estar se tornando cada vez mais detalhado ao público, seja em termos técnicos e financeiros. Achei muito importante, inclusive, o convite ao Tribunal de Contas da União (TCU) para acompanhamento do projeto.

Guilherme Poggio
Visitante

Este cronograma é uma verdadeira obra de ficção científica. A construção do Suffren levará dez anos.

DjBa
Visitante
DjBa

Nunão, A avó do Nicolelis, que é um renomado neurocientista brasileiro, dizia que sonhar grande ou sonhar pequeno custa a mesma coisa. Realmente, a dimensão e a envergadura do projeto é um sonho muito grande e que obviamente irá custar muito em termos econômicos. As dificuldades serão muitas, o cronograma é apertado e pode vir a sofrer atrasos. Mas o que importa? 1- O desafio está posto. 2- A rota esta sendo planejada E o que temos de fazer? 1- Acompanhar a trilha; 2- Suscitar questões sobre as metas, rota planejada e execução, a qual por sinal está por vir.… Read more »

GUPPY
Visitante
GUPPY

Se o próximo governo não perturbar e as verbas forem liberadas de verdade, o cronograma tem chance de ser cumprido.

Alexandre Galante
Visitante

Agora é torcer para que os atrasos que estão ocorrendo na Índia na construção dos seus Scorpène, não se reproduzam aqui.
O submarino nuclear ainda é um sonho, pois só começará a se tornar realidade quando o reator LABGENE (nosso Mk.1) estiver funcionando.

Daí até a construção do Mk.2 para a colocação no casco do nuclear (ainda a ser projetado), será uma longa caminhada cheia de problemas. É só perguntar pros ingleses e mesmo para os franceses, que penaram com os Rubis/Amethyste. Até a proa foi trocada depois.

E ainda tem o problema das eleições no ano que vem. Se o PSDB ganhar…

DjBa
Visitante
DjBa

Dalton,

É verdade quando você diz que existia uma corrida armentista e que isto favorecia o desenvolvimento do Naautilus e de tantos outros projetos. Mas lembremos que as dificuldades técnicas, mesmo com os recursos, eram enormes. Afinal era necessário desenvolver tudo. Computador ainda era a base de válvula. Rs…..rs.

Com relação aos Britânicos, lembremos que eles estão a desenvolver quase tudo ao mesmo tempo: Nova classe de subs, NAE e etc. Alem disso, estão a manter um efetivo enganjado na guerra do Iraque, não lembro se todo efetivo saiu de lá, e me parece que também no Afeganistão.

Sds

Alexandre Galante
Visitante

DjBa, os britânicos não conseguiram colocar em serviço o Astute ainda por falta de mão de obra especializada, erros de projeto e outros problemas. Tiveram que chamar os americanos para ajudar a terminar os submarinos.

DjBa
Visitante
DjBa

Galante, ” Se o PSDB ganhar”. Rs……rs. Deixando os risos de lado. Acredito que tanto o PT aprendeu a administrar o país com o PSDB como este também aprendeu com o PT nestes últimos anos. Afinal, bastou dar isenção de IPI para industria Automobilistica, que neste meses saiu igual ou mais caro que o Bolsa família e ninguém mais fala. Cabe resaltar que é a primeira vez neste país que um projeto militar está sendo posto como um projeto de nação e não deste ou daquele partido. Alem disso, o projeto está sendo muito bem amarrado financeiramente, inclusive envolvendo organismos… Read more »

Guilherme Poggio
Visitante

Somente para reflexão:

(entre quilha batida e incoporporação)
Tupi – 4 anos (feito na Alemanha)
Tamoio – 9 anos
Timbira- 9 anos
Tapajó – 7 anos

Comparar com o gráfico apresentado acima

Hornet
Visitante
Hornet

Nunão,

também espero que haja espaço para isso no projeto. Mas, pra dizer se há ou não há com toda a certeza, aí já seria especular sobre muitas coisas das quais não temos acesso.

Mas eu entendi sim sua colocação (do otimistaXpessimista)…hehehe

E sei que é pura brincadeira sua, não se preocupe.

Sobre a Barroso, só aproveitei o “gancho”.

abração Cândido (do Voltaire)

DjBa
Visitante
DjBa

Galante, Você tem razão em relação aos Britânicos. E é por isso que nós temos os franceses envolvidos no projeto, mesmo que não seja para a porção nuclear do Subnuc mais para todos os demais componentes. Alem disso, como ainda não está totalmente detalhado, pelo menos para nós mortais, se o SNBr está mais para a classe Rubis ou para a classe Barracuda fica difícil avaliar quais serão as nossas dificuldes. Já acompanho o blog a anos, mais não me lembro de ter visto ou lido algo sobre o comparativo das classes de SUbnuc Ingleses, franceses. Seria legal que se… Read more »

DjBa
Visitante
DjBa

Comandante Melk, Permita-me descordar de sua afirmação. Pois, diziam que se o PT chegasse ao poder iria quebrar o país, o PT chegou ao poder e não só o país não quebrou como passamos a ser credor internacional. Nem o Lula e nenhum de nós acreditávamos que a Dívidada Externa pudesse deixar de ser um problema. O projeto está sendo posto como um projeto de Estado e não uma compra de prateleira da Marinha no atual governo. O projeto esta sendo debatido e esclarecido a todo tempo a sociedade. O projeto busca atender interesses de vários setores econômicos da cadeia… Read more »

GUPPY
Visitante
GUPPY

COMANDANTE MELK, Alexandre Galante,

Esse é o meu grande medo. Se der PSDB, esta empreitada virará uma incógnita. Lembram que o último candidato deles prometeu, em um debate na televisão, vender até o Aerolula?

Abraços!

Nunão
Visitante
Nunão

SENHOR ALEXANDRE GALANTE, ESSE NÃO É UM BLOG DE POLÍTICA!!!
E ESSE É O ÚLTIMO AVISO!!

Ops, foi mal, chamei a atenção do Gato-Mestre! kkkkk

A todos,
Mudando de assunto, coloquei agora dois links “Saiba mais” ao final da matéria, de praticamente um ano atrás, com os quais pode-se fazer algumas comparações interessantes.

Comandante Melk,
Não tenho temores não, só acho esse cronograma uma temeridade…

Hornet,
Abração Rafaélico (do Morus)

COMANDANTE MELK
Visitante
COMANDANTE MELK

Senhor GUPPY em 27 Ago, 2009 às 21:28

pois é meu caro, é bom já ir cabalando uns votos aí para a permanência do status quo, se não, já sabe né…rs

Nunão em 27 Ago, 2009 às 21:59,

tu acha que eu iria perder uma deixa desta do Gato-Mestre meu caro…rs

Abraço aos amigos.

COMANDANTE MELK
Visitante
COMANDANTE MELK

Senhor DjBa em 27 Ago, 2009 às 21:27,

em meu curto comentário já dei uma dika sobre a questão de ser um projeto de Estado e/ou Governo a Governo. Não adianta meu caro, os sinais são de que nada mudou do lado de lá…
Como o amigo disse, quem viver verá, e sinceramente eu espero viver, mas não ver “eles´´ lá…rs

Grande abraço, grato.

URUTAU
Visitante
URUTAU

Boa noite Senhores estou frequentando este espaço ja a alguns meses podendo alegar dessa forma ser um novato mas gostei muito do mesmo aprendi muito tambem ganhei ou aumentei meu conhecimento com excelentes explanações tecnicas de muitos aqui Francisco AMX Bosco Galante Nunão Felippe cps entre muitos outros mas outro dia muito embora contra a minha conduta costumeira fiz um off topic adentrando em terreno politico sobre materia veiculada na imprenssa sobre a possivel reabertura de processos contra os militares fato este aventado pelo sr Tarso Genro e tambem expressei meu temor sobre a continuação do mesmo pela sra Dilma… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Prezado Urutau, Na ocasião fui eu mesmo quem aceitou suas desculpas e, mesmo assim, editoi seu comentário porque estava abordando um tema político totalmente fora do tópico, sem nenhuma relação direta com o assunto, mesmo com boa vontade. Quando faço esse tipo de edição e aviso aos leitores, geralmente é para quem fez o primeiro comentário off topic e político da série que normalmente se sucede, mas vale para os demais. Não vou bronquear com um a um. Como você deve ter percebido, foi minha atitude agora, chamando a atenção do senhor Alexandre Galante que iniciou a digressão para o… Read more »

URUTAU
Visitante
URUTAU

Nunão

agradeço a cordialidade da resposta e me perdoe o desabafo realmente ha de se compreender que os srs não podem estar constantemente presente e portanto alguns deslizes sempre acabam passando momentaneamente ao crivo editorial dos senhores
em tempo parabens a todos editores pelo excelente trabalho dos tres blogs continuem sempre assim
alias vale sempre lembrar que sem divergencias logico respeitosas e saudaveis não existem convergencias

Abraços Nunão

SDS Senhores

André Castro
Visitante
André Castro

Se levarmos em cosideração os projetos dos anos 90 é os de agora ,são momentos completamentes diferentes no começo da decada de 90 o Brasil não tinha nenhuma credibilidade e estava com a corda no pescoço encima de um baquinho com a perna quebrada ,hoje tudo isso mudou acho o que poderá atrasar o cronograma é o de sempre a ” politica ” ,já a questão finacera quando for assinados os acordos está parte penso eu vai estar garantida se a parte politica e financera ficarem resolvida o que podera atrapalhar é a parte tecnica do projeto .

Guilherme Poggio
Visitante

Prezado André Castro,

Este estigma da década de noventa precisa ser quebrado.Poderia utilizar como exemplo o cronograma de construção dos CT classe A e M da década de 40 e o resultado final seria o mesmo.

Os projetos navais no Brasil sempre sofreram problemas em relação aos seus cronogramas. Isto vem desde o Império. Existem questões de base no país que nós ainda não resolvemos.

Alecsander
Visitante
Alecsander

O submarino nuclear brasileiro ta parecendo com o caso do estádio do corinthians,desde que eu me conheço por gente a muitos projetos, mais ate agora nem sombra do estádio rsrsrsrsrsrsrsrsrs…

Agora falando serio, eu sou do lado otimista da força, eu acredito sim que os novos submarinos vão ficar prontos ate 2021. Se não ficarem, se demorarem não tem problema, se só ficarem prontos depois de 2030 não importa, mais o importante é que o Brasil tenha sim seus submarinos.

Um grande abraço.

Hornet
Visitante
Hornet

amigo Poggio, eu entendo o seu ponto de vista. Problemas existem aos montes no Brasil, não só nos projetos navais…mas se nós os transformarmos (esses problemas) em obstáculos intransponíveis e nos prostrarmos diante deles ao invés de os entendermos como dificuldades que precisam ser superadas, não sairemos do lugar nunca. Segundo o Galante, nem sempre as coisas atrasaram nos projetos navais do Brasil. Se o planejamento for bem feito e contar com um parceiro adequado e determinação por parte do Estado para levar adiante o que foi planejado, as coisas podem sair dentro de um prazo previsto e/ou razoável. Cito… Read more »

DV
Visitante
DV

Antes de sentar a púa no planejamento, é bom entender para o que serve. É só uma referência! Como já disseram várias vezes, não se planeja o imponderável (“item 4: 6 meses de atraso por colisão de meteoro no estaleiro”?!). Em relação à discussão política, mais do que se preocupar com um partido ou outro, sugiro a cada um escrever para a assessoria de imprensa dos próprios candidatos e comunicar que, como eleitor, acredita que defesa é importante é que não votará de novo no dito cujo se não houver um compromisso pessoal de manutenção do projeto SubNuc. Juro para… Read more »

DV
Visitante
DV

Ricardo,

Em relação à SPE formada pela Odebrecht, DCNS e governo brasileiro está realmente mal explicado na apresentação. Eu trabalho com contratos de infra-estrutura e tenho quase certeza que não se refere à propriedade do estaleiro. Se trata só da divisão do capital social do ente responsável pela construção e manutenção do estaleiro (O&M Agreement), mas que não será o dono da coisa toda, que será a União. O governo brasileiro fica com uma participação simbólica para ter direito de veto (golden share) sobre decisões estratégicas da sociedade.

Abs.

GUPPY
Visitante
GUPPY

Caro Nunão,
Peço desculpas pela alusão política feita por mim acima. Prometo me policiar.

Abraços.

jose carlos
Visitante

So uma duvida, já que não existe uma versão Nuclear do Scorpene creio eu, o Sub Nuclear do Brasil seria um BARRACUDA?, algum companheiro poderia me esclarecer essa duvida

DV
Visitante
DV

Jose Carlos,

Pelo que pude entender não será nem uma coisa nem outra, será um novo submarino que usará tecnologia francesa do casco do Barracuda e sistemas gerais, mas propulsão nuclear de tecnologia brasileira.

Abraço!

Primo
Visitante
Primo

Cheguei tarde para a discussão a respeito do cronograma, mas o dito cujo parece ser exeqüível, se ele é otimista deve ter uma lista maior de riscos a serem mitigados, e essa lista o NJ não vai apresentar para nós (certamente está nestes riscos as eleições do ano que vem), então vamos acreditar que pensaram neles. Com relação aos componentes da propulsão, nosso amigo Castor informou no tópico ‘Look mom, no reactor’(http://www.naval.com.br/blog/?p=16650), enquanto havia uma discussão a respeito da potência gerada pelo reator Brasileiro a ser utilizado no SubNuc: “1 – O que você chama de PROTÓTIPO DE TESTE EM… Read more »

jose carlos
Visitante

Obrigado DV pelo esclarecimento.