Home História ‘Sui generis’

‘Sui generis’

260
17

U.S.S. Allen M. Sumner (DD-692)

USS Allen M. Sumner (DD-692), líder de uma das classes de destróieres mais incríveis já construídas. Realmente “Sui Generis”. Conheça o site do navio aqui.

staff do Poder Naval teve a honra de pisar a bordo de várias unidades da Marinha do Brasil que pertenciam à referida classe. Bons tempos!

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Realmente estamos longe de ter esse tipo de postura. Ter um site de navios brasileiros desativados mantido por ex-tripulantes. Os próprios sites das unidades da Marinha infelizmente trazem muito pouca informação tanto do presente quanto do passado das unidades. Se não fosse o Poder Naval tenho certeza que muito da história de nossos navios já teriam se perdido. Parabéns ao PN por tentar com muito custo manter a chama da caldeira acesa.

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

Voltando ao tópico, para mim não há navio mais bonito que um Contratorpedeiro. Muito lindo mesmo. Sds

MO
MO
10 anos atrás

é alexandre e tem gente que gosta e acha lindo os quadrado-retangulo …

é como admirar aquelas modelos cavera, so na capa, só o pó …

fazer o que ne, mau gosto agente joga diabo verde e roto rooter :-S

Abs
MO

Rodrigo Rauta
Rodrigo Rauta
10 anos atrás

Eita ferro, lindão neh!!!!
Pois é MO, a moda agora é o tal do “retangulo-quadrado-curvado-istelti”
Bico fino forever!!! rsrsrs
Deixando de lado o gosto, infelizmente o tempo deles ja passaram, hj a “mudernidade” exije desenhos diferentes, mas esses , assim como outros, serão eternos!!!

F.alves
F.alves
10 anos atrás

Navio de briga ,feito para guerra e guanecido por verdadeiros marinheiros . Grande saudade dos nossos bico fino.

kurita
kurita
10 anos atrás

Bonito eram tb os charles of adans e coontz alguem se lembrar?

Capitão Ahab
Capitão Ahab
10 anos atrás

Caro Alexandre

Concordo em gênero e número com a tua opinião.

Parabéns duas vezes ao Poder Naval

Alexandre
Alexandre
10 anos atrás

“Off Topic”

Vi recentemente o Barão de Tefé abandonado em um estaleriro no Cajú. Uma pena ver aquele navio que teve tanta história estar jogado esperando o destino final. Se alguém tiver alguma informação do que vai ocorrer com ele fico grato. Desculpe o desvio no assunto.

MO
MO
10 anos atrás

Kurita ( II né, não o antigo)

Chales F Adams e Coonts, assim como os Forrest Sherman são derivados diretos dos Sumners

Obviamente, lindos tbm

Abs
MO

Rosan Amaral
Rosan Amaral
10 anos atrás

Este barco militar, comparado com os barcos militares modernos, parece um favelão. O design, o planejamento, a utilização de espaços evoluiram bastante nos últimos 50 anos.

MO
MO
10 anos atrás

este BARCO militar e outros BARCOS … claro ne, opiniao eh opiniao

Cade o barco ?

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrghhhhhhhhhhhhhhhhhhh

“difundir a mentalidade naval” opa digo barcal

MO

Jjose Henrique
Jjose Henrique
10 anos atrás

Estes eram barcos de verdade, comparando-os aos Cts de hoje, no braço bastavam alguns tiros destes canhões para colocar estes cheios de alumínio numa fogueira só.Abraços do Mendes.

Tito
Tito
10 anos atrás

+ BARCOS?

Tipo assim, menos de 65 pés (20 metros)? 🙂

Brincadeira

Belíssimos Navios, bem espinhentos (cheio de canhões), do jeito que eu gostcho.

Abs

Dunga
Dunga
10 anos atrás

Quando se fala de contratorpedeiros da 2 guerra mundial, todos os comentarios são elogios para estes navios!!!.

Parabens a todos pelo bom gosto, estes navios eram mesmo “NAVIOS de briga”, sempre prontos para a guerra em qualquer tempo.

Ass. um ex tripulante

Na epoca que a Marinha era mais valorisada!!!

GUPPY
GUPPY
10 anos atrás

Esses navios marcaram época. Essa classe era linda demais. Fico feliz quando lembro de ter viajado em um deles. Que saudade…

Abraços

Mauricio Veiga
10 anos atrás

Navio de guerra?!?!

Certa vez no porto de Santos SP, eu visitei um Ct no inicio da década de 90, fiquei chocado ao ver que as mangueiras dos tubos lança torpedos estavam vedadas com DUREPOX. Os navios não tinham a menor capacidade de combate, uma pena.
O ponto alto da visita foi sem dúvida o profissionalismo e simpatia dos militares a bordo.
Pior que a obssolencia e a inoperancia é a incompetencia política.

Abraço.

marlige
marlige
10 anos atrás

Saudades da antiga força de CT´s.
Aquilo era Marinha de verdade. Muita faina e dificuldades com muita união e camaradagens verdadeiras.

Lembro-me dos MN “espermatozóides” – não tinham armários e então moravam no “saco”…………..de roupas.

Que os destroyers/CT´s possam voltar a nossa marinha.