Home Noticiário Internacional ‘Kirovs’ de volta?

‘Kirovs’ de volta?

605
39

Um oficial de alta patente da Marinha Russa disse à agência RIA Novosti na semana passada que a Rússia pretende colocar três cruzadores nucleares da classe Kirov de volta ao serviço ativo, até 2020.

A Rússia construiu quatro navios da classe entre 1974-1998 e um deles, o Pyotr Veliky, está em serviço como navio capitânia da Frota do Norte.

“Os cruzadores Admiral Nakhimov, Admiral Lazarev e Admiral Ushakov serão modernizados e colocados em serviço novamente em 10 anos”, acrescentando que seus equipamentos e armas serão totalmente modernizados.

Existem dúvidas sobre o real estado dos navios e se realmente vale a pena trazê-los de volta. Por outro lado, a indústria naval militar russa perdeu muito do seu “expertise” e a volta dos navios seria uma forma mais rápida de superar a dificuldade de construir navios a partir do zero.

BATE-PAPO ONLINE: Converse com outros leitores sobre este e outros temas navais no ‘Xat’ do Poder Naval, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos.T
Marcos.T
9 anos atrás

Podem estar obsoletos, más são navios magnificos ao meu ver.

robert
robert
9 anos atrás

Não conheço muito sobre eles… eles tem capacidade pra lançar misseis de cruzeiro mar-terra?

david
david
9 anos atrás

sao ums mostros esses navios!
mae russia de novo na parada!

paulomaffi
paulomaffi
9 anos atrás

Nossa! Ainda estão pensando se é viável traze-los de volta? Sem duvida cada belonave dessa tem poder de fogo igual ou superior a uma pequena marinha! Com atualizações a altura de sua grandeza, na minha opinião, serão sem duvida os maiores e melhores escoltas do mundo! Pois deslocar um total de 252 metros e 28 mil toneladas carregado…com certeza não é para fazer cruzeiro!

OBS: O deslocamento total de um Kirov equivale a soma de todos os navios da classe Niteroi(incluindo o NE Brasil) com carga plena e mais uma Barroso pra completar!

Simplesmente impressionante!

SDS

Pedro
Pedro
9 anos atrás

Se vc pegar um Kirov e manda contra a MB inteira, ele afunda ela inteira em poucas horas, e olha que a MB é uma marinha muito boa. É um navio completo, misseis SS-N-19 lançados verticalmente contra navios com alcance de mais de 500Km e velocidade de Mach3, misseis SS-N-14 lançados por um lançador duplo contra submarinos e secundariamente contra navios com alcance de 50Km, misseis SA-N-6 com alcance de 80Km lançados por 12 (!) silos verticais (esse missel é o SA-10 naval), alem de duas torres pop-up lançadoras duplas do SA-N-4, sendo que foram substituidas por um sistema de… Read more »

roberto
roberto
9 anos atrás

Simplesmente Incrivel este Navio
O equipamento militar Russo que mais me surpreende é o Ekranoplan
Link: http://www.youtube.com/watch?v=V8Nu94khHoo

Eu não queria estar na frente deste Monstro.

Sei lá. Os russos parecem que tem algun Alienígena dando consultoria para seus engenheiros.

Coral Sea
Coral Sea
9 anos atrás

Muito difícil as 3 unidades restantes voltarem ao serviço ativo…..
O único provavelmente será o Admiral Nakhimov.

MVMB
MVMB
9 anos atrás

muito tempo parados. como estrá a propulsão? nuclear tem uma serie de restrições e procedimentos quando desativados.

de qq modo, são navios PORRETAS !!!!

QUE VENHAM OS RUSSOS!!!!

marujo
marujo
9 anos atrás

O que foi feito do cabeça de série, o Kirov?

shamba
shamba
9 anos atrás

o brasil precisa de um navio destes para por exemplo copiar o propulsor nuclear como fizeram os indianos com o sub nuclear deles,o brasil com a engenharia reversa poderia aproveitar da sucata da guerra fria um porta avioes nuclear russo com propulsor nuclear vendido ao brasil por preco de banana modernizando ja bota o opalao para chupar naum e naum?eu acredito nos technicos e engenheiros que trabalharam no opalaum e acredito que eles possam modernizar e copiar qualquer coisa como os chineses forca marinha

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Marujo…

o Kirov foi rebatizado como Almirante Ushakov, aliás, todos foram rebatizados.

Kirov era uma homenagem a Sergei Kirov, um heroi da revoluçao comunista, só que esta “turma” perdeu a importancia quando do colapso da URSS…o proprio Putin declarou…

“Qualquer um que não lamente o fim da União Sovietica não tem coração. Qualquer um que queira restaura-la não tem cerebro.”

abs

Sabre
Sabre
9 anos atrás

shamba , lembra que na decada de 80 foi oferecido um navio mercante a propulsão nuclear ao brasil e o país não quiz ! Alguem lembra dessa história! Socorro Galente dá uma ajuda, qual o nome do navio?

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Uma versão “missilística” dos Couraçados rápidos ou dos Cruzadores de Batalha da primeira metade do século XX. Na nomeclatura americana seria um CGN, ou Cruzador lança mísseis Guiados, com propulsão Nuclear. Conhecido também como Projeto 1144 – ex-Classe “Kirov”. Aparentemente os russos mudaram os nomes da época comunista para outros relacionados com outros aspectos da sua história. Foram construídos, pelo que sei, quatro navios: – “Piotr Welikij” (Pedro O Grande e ex-“Juri Andropov”) que é o navio de comando da frota do Mar do Norte, a mais operacional; – “Admiral Nachimov” (ex-“Kalinin”); – “Admiral Lazarev” (ex-“Frunse”); – “Admiral Uschakov” (ex-“Kirov”)… Read more »

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Sabre,

…” ‘Otto Hahn’: o navio mercante nuclear que quase veio para a MB “…

http://www.naval.com.br/blog/2008/11/05/otto-hahn-o-navio-mercante-nuclear-que-quase-foi-da-mb/

Abç,
Ivan.

GHz
GHz
9 anos atrás

Pedro disse em 6 de agosto de 2010 às 10:03
“Se vc pegar um Kirov e manda contra a MB inteira, ele afunda ela inteira em poucas horas, e olha que a MB é uma marinha muito boa.”

Depende. Não se esqueça dos submarinos. Kirov é um alvo grande.

[[ ]]
GHz

zorann
9 anos atrás

Eu acredito que uma belonave deste porte seria extremamente importante para qualquer marinha do mundo. Não são de forma nenhuma navios obsoletos. possuem tecnologias de 30 anos que o Brasil, por exemplo, demorará mais uns 40 anos para poder dominar(se é que algum dia chegue a dominar). Hoje a marinha Brasileira utiliza navios de escolta com tecnologia muito inferior a deste navio da mesma época. Acabamos de vender um navio da classe Barroso, que é um projeto da década de 80. Acabamos de lançar ao mar a mesma Barroso com tecnologia já ultrapassada, devido a demora para conclusão do navio.… Read more »

Sabre
Sabre
9 anos atrás

Ivan, tinha quase certeza de ser alemão mas fiquei com o pé atras, pois não é a alemanha que “não possui tecnologia núclear” para ser empregado em navios e submarinhos? Eu acredito que todos os países desenvolvidos e muitos subdesenvolvidos já possue essa tecnologia, só não expõe, afinal a bomba atômica e os caculos para construi-la são bem antigos!

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Sabre, Eu sei onde vc quer chegar… he he he… mas não é assim não. Colocar propulsão nuclear em um navio de guerra é complicado, em um submarino é ainda pior. Só como referência vc tem a própria classe Kirov, em tela, que teve que usar 4 reatores nucleares e ainda eram insuficientes. Outra referência são os novos submarinos nucleares franceses, que, por medida de economia de escala (he he he… coisas do ZE), vai usar turbinas americanas da General Eletric, ligadas ao reator gaulês. Não me iludo, em que pese gostar muito dos subs alemães, estou confiante que a… Read more »

Sabre
Sabre
9 anos atrás

Ivan , não estou defendendo os sub alemães , só to dizendo que dominam a tecnologia núclear embarcada, só não aplicam na area militar por alguma questão que desconheço,constituição?Se na década de 60, eles já construiam um reator embarcado imagine agora onde tecnologicamente eles estão com esses reatores!

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Sabre, Eu entedo. Mas o problema da Alemanha com relação a um Submarino Nuclear e do Japão com relação a um Porta-Aviões é o mesmo. A Word War II… Os Aliados, que não são mas aliados a mais de 6 (seis) décadas, não esqueceram ainda, e dificilmente vão esquecer. Nem muito menos as vítimas, que hoje gozam de um certo crescimento econômico e militar, com China, Coreia, Filipinas, Polônia, Grécia e segue a fila… Um fato novo terá que ocorrer para mudar isso. Mas vamos voltar ao KIROV, um velho conceito, o Cruzador de Batalha, com novas tecnologias. Abç, Ivan,… Read more »

Alexandre
Alexandre
9 anos atrás

Aos especialistas de plantão:

Qual seria o equivalente americano ao Kirov?
Um Iowa atualizado?
ou este seria mais empregado para bombardear fortificações em terra.

Pedro
Pedro
9 anos atrás

Iowa hj é memorial. FAz mais de 10 anos que esta aposentado. A função final dos Couraçãdos americanos foi de apoio de fogo, como os canhões e misseis Tomahawk. Os navios da USN que chegam mais perto de um Kirov são os Ticonderoga. Diferente dos Russos tem misseis de cruzeiro, mas não tem uma contra-partida para o poderoso sistema Anti-navio do SS-N-19. ALem disso, hj o Standart ER tem mais alcance que o SA-N-6, provavelmente esse será substituido por uma versão navalizada do SA-20 ou SA-22. “Depende. Não se esqueça dos submarinos. Kirov é um alvo grande.” > Sim, mas… Read more »

defourt
defourt
9 anos atrás

“Mãe” Russia é dose pra Leão…

Se é terrível e péssima como “mãe” aos seus próprios filhos imagine-a como “madrasta”…

Acorda e se liga Brasil!

Xô “Mães” e “Tios” e outros “parentes” mui amiguitos.

“Senão o Brasil quem pelo Brasil?”

Este sim deveria ser o nosso lema…

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Pedro e alguém mais que tenha interesse… O Iowa é o unico dos 4 da classe que não é um memorial. O USS Missouri encontra-se em Pearl Harbor no Havaí e realmente impressiona o fato dele estar proa a proa, com o afundado Arizona que continua sendo o local de descanso para cerca de 1000 homens. Como oficialmente a rendição japonesa foi assinada a bordo do Missouri o inicio e o fim da guerra no Pacifico não poderiam estar representados da melhor forma. Da mesma forma que o Missouri, o New Jersey, localizado no estado de New Jersey possui muitas… Read more »

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Pedro,
Já estando operacional a capacidade antinavio do Tomahawk block IV ele seria uma “equivalência” aos SS-N-19.
O Tomahawk block IV será o míssil de cruzeiro anti-navio de maior alcance existente com 1800 km e uma ogiva de quase 500 kg. Além de ser “stealth” e poder ser usado de modo tradicional também, contra alvos no solo.
Em alcance ele só perde para o DF-21, balístico, que não se sabe se está ou não operacional.

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Roberto,
Não são os ETs que dão consultoria aos russos não. É o eminente professor Pardovsky.
Muitas vezes ele acerta e muitas vezes ele erra. Geralmente só erra quando bebe umas vodcas. Mas bebe…..
rrsrsrsr
Brincadeiras à parte os russos são muito imaginativos mesmo. Muitas idéias originais acabam não vingando provavelmente por estarem muito à frente do seu tempo.
Os Ekranoplanos gigantes é um bom exemplo. Outro é o torpedo de supercavitação que acho que não vinga. Só se for como vetor de arma nuclear.
Bem, mas aí é outra estória.
Um abraço.

Bosco
Bosco
9 anos atrás

A bem da verdade o eminente professor russo de vez em quando da pitaco em alguns projetos dos eminentes colegas americanos também.
Rsrsrsr

Pedro
Pedro
9 anos atrás

Bosco. A Diferença reside no fato de que o SS-N-19 é um missel de ataque de altas velocidades (posso estar enganado, mas é quase Mach 3) ou seja, um missel extremamente dificil de ser enganjado e ter chances reais de sucesso. O Tomahawk não, ele é subsônico, demora para chegar até o alvo e esse propriamente tem tempo para combate-lo. Mesmo ele tendo todo esse alcance, um sistema de defesa de ponto competente (não precisa ser algo excepcional) pode derruba-lo facilmente. Digo facilmente pois tanto no Golfo como na Servia, esses misseis eram abatidos com certa facilidade por misseis AA… Read more »

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Pedro, Permita discordar. A velocidade maior é apenas mais um modo de tentar reduzir o tempo de reação do atacado, com vantagens e também com desvantagens. e de forma alguma esse modo foi eleito o “melhor” ou o “mais eficiente”. Isso pode ser feita de outras formas também, tais como, um perfil de vôo sea-skiming, ou como no caso do Tomahawk Block IV, ser altamente furtivo. Não me parece que seja unanimidade o pensamento que a melhor forma de reduzir o tempo de reação da defesa seja com mísseis supersônicos, tendo em vista os vários fabricantes de mísseis antinavios no… Read more »

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Pedro… eles simplesmente tem navios museus demais e muitos são mantidos com dificuldade, mesmo assim 3 dos 4 foram mantidos e são excelentes museus e estão em boas condições. Quanto ao Iowa não é importante preservar um navio por ser o lider da classe mas principalmente pelos feitos conquistados e os outros 3 tiveram uma carreira mais interessante…talvez ,se o Estado de Iowa fosse banhado pelo mar ele teria mais chances assim como aconteceu com o New jersey, mas ainda há grande probabilidade que o Estado da California fique com ele. Quanto ao que vc escreveu sobre o tomahawk ser… Read more »

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Uma característica interessante dos russos é sua indecisão. Lá, assim como na antiga URSS, havia um certo receio em se optar por alguma tecnologia em especial em detrimento de outra. Parece que o “regime” não facilitava as coisas para as cabeças pensantes da época da Guerra Fria, e elas, com medo de errarem, davam um jeito de se reiventarem a cada dia, pra mostrar serviço. Na verdade, a impressão que deu foi que havia muito cacique pra pouco índio, e ninguém queria se comprometer. Deu no que deu. Uma verdadeira “salada de frutas” tecnológica. O caso dos mísseis antinavios é… Read more »

Athos
Athos
9 anos atrás

A respeito da engenharia russa, tenho uma história para contar.

Durante a corrida espacial, os americanos se deram conta de que as canetas não funcionam em ambiente sem gravidade. Desenvolveram uma caneta por US$1mi. Valores da época.
Os russos usaram lápis.

abraço

aquino
9 anos atrás

um velinho ainda coloca muito medo nos americanos mas eu acho que os russos naõ saõ trouxas estão desenvolvendo um novo missel anti-navio mas gostaria de saber caro bosco ja que voc~e conhece muito armamento americano a verdadeira velocidade do novo tomahawk e seu vedadeiro alcace si for subsonico vai ser mais facil intercepetar …….

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Athos, Essa estória do lápis é lenda da internet. Não aconteceu não. Foi inventada, enviada para milhões de pessoas e virou verdade absoluta. Cai nessa não. Mesmo não sendo engenheiro aeroespacial acho que lápis não seria o ideal para se usar em órbita. Já pensou se quebra a ponta e ela fica flutuando até achar o olho de alguém, ou ser aspirada, ou pior, fechar um circuito e acionar um motor foguete? E como faz depois pra apontar. Tudo bem que o lápis é barato, mas com certeza o apontador de alta tecnologia, hermético, que suga qualquer fragmento de grafite… Read more »

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Aquino,
pelo que se sabe o novo Tomahawk tem a mesma velocidade dos outros. Em torno de Mach 0.8, mas como disse é altamente furtivo, sendo difícil de ser detectado por radar, IRST, etc.
Sua velocidade não é muito diferente dos Harpoons, Exocets, RBS-15, Otomat, etc.

Joaca
Joaca
9 anos atrás

Senhores
Os Kirov’s unem duas coisas, navios e ferrovias. Se vcs observarem é uma das poucas classe de navios que tem uma ferrovia incluída.
Joaca

Wagner
Wagner
9 anos atrás

A visão de que os Kirovs são peças de museu é totalmente ideologica e absurda, da mesma maneira que a visão de que os Typhoons são navios perdidos e totalmente obsoletos. Essa visão reflete apenas ideologia anti-russa e incapacidade de análise de fatos, ou melhor, de dados técnicos. Eu acho que é preconceito mesmo. Mas, antes de prosseguir, vou formular nova frase ” Qualquer um que não lamente o fim da União Soviética, da maneira como ocorreu, é um ignorante. Qualquer um que comemore a desintegração de um Estado igualmente não tem coração” . E eu faço questão de dizer… Read more »

GHz
GHz
9 anos atrás

Pedro disse em 6 de agosto de 2010 às 20:17 “Depende. Não se esqueça dos submarinos. Kirov é um alvo grande.” > Sim, mas tem um poderoso armamento AS, com misseis, foguetes, torpedos e helicopteros. Ainda assim depende. Todo-poderoso assim, o Kirov mais do que um escolta, se constitui numa Unidade de Maior Valor por si só, fazendo jus a uma campanha submarina contra ele (como o Tirpitz na II GM mereceu uma campanha de bombardeio). Normalmente o fator surpresa está do lado do submarino, os sonares e torpedos do submarino possuem maior alcance, e o dispêndio de armamento A/S… Read more »

N.R.P. Roberto Ivens
N.R.P. Roberto Ivens
9 anos atrás

Em 89/90 prestei serviço militar numa fragata portuguesa, facto que me permitiu ver o Admiral Uschakov ( kirov á altura ) a poucas centenas de metros. O Admiral Uschakov vinha d aguas espanholas ( golfo da Biscaya ) acompanhado por uma fragata espanhola, e nós na Roberto Ivens fomos rende-los ( norte de Viana do Castelo) para os russos passarem por aguas nacionais em direção ao baltico. Na altura ainda havia o pacto de Varsóvia. Aquando da rendição a fragata espanhola ( posicionada entre o Kirov e a R. Ivens) aproximou-se de tal maneira ( entre 50/100 m ), que… Read more »