Home Sistemas de Armas Marinha Grega recebe navio rápido de ataque HS ‘Grigoropoulos’

Marinha Grega recebe navio rápido de ataque HS ‘Grigoropoulos’

1129
22

Elefsis, Grécia: A Marinha Grega aceitou a entrega de seu quarto navio rápido de ataque (Fast Attack Craft), projetado pela BAE Systems, em uma cerimônia realizada no estaleiro da Elefsis, perto de Atenas.

HS Grigoropoulos P-70 é a última, em um grupo de sete Embarcações Rápidas de Ataque com 62 metros de comprimento, construídos pela parceira industrial da BAE Systems, a Elefsis Shipyards, para a Marinha Grega. De acordo com um programa de transferência de tecnologia a longo prazo, a BAE Systems atua como a autoridade de projeto e a principal subcontratada da Elefsis Shipyards, responsável pelo projeto e pela integração dos sistemas de combate nas embarcações. A empresa também dá suporte de engenharia, no local, para a Elefsis Shipyards e investiu na construção de avançadas instalações de fabricação, em seu estaleiro, com o objetivo de incrementar a capacitação industrial da Grécia.

De acordo com Alan Johnston, Diretor Executivo da divisão de Navios de Superfície, na BAE Systems: “Esta é uma grande conquista do programa, espelhando o trabalho duro, o compromisso assumido e a fantástica parceria entre a BAE Systems e a Elefsis Shipyards, que visa fornecer navios de grande capacidade para a Marinha Grega.

“Este tipo de parceria mostra a força que a BAE Systems pode conferir a marinhas e parceiros industriais, em sua busca por soluções econômicas que podem incrementar suas capacidades e assim satisfazer futuras exigências navais”.

O navio HS Grigoropoulos superou todos os critérios de desempenho especificados, em uma série de testes de plataforma e armamentos, resultando em sua aceitação pela Marinha Grega.

Esta Embarcação Rápida de Ataque, com 62 metros de comprimento, foi projetada para atingir altas velocidades e operar como uma plataforma multiemprego, tanto em situações de combate anti-aéreo como de superfície. Utilizado pela Marinha Grega como uma embarcação de patrulha oceânica e de interceptação em altas velocidades, este navio incorpora uma grande seleção de armamentos, em seu casco compacto, e representa uma solução econômica para operações de vigilância, coleta de informações de inteligência, patrulha, interdição e engajamento com forças inimigas.

Além dos engenheiros da BAE Systems trabalhando no estaleiro da Elefsis, na Grécia, as equipes de projeto e engenharia, baseadas em Portsmouth, no Reino Unido, têm dado um apoio valioso ao programa, desde o seu início em 2000, contribuindo para o sucesso desta entrega de navios.

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa
Ozawa
9 anos atrás

Haveria algum texto com maiores detalhes dos armamentos empregados ? Aparentemente, me passam excelente impressão como plataformas para fazer o papel de patrulha oceânica na MB. Nossos patrulheiros oceânicos, mesmo as futuras incorporações, parecem-me sub-armados.

marujo
marujo
9 anos atrás

Que diferença da Barroso. Ela é uma plataforma 5 vezes mais pesada que os navios gregos, mas tem uma suite de sensores defasada (não tem radar de busca 3D) e sem mísseis de defesa AA.

adnauer
adnauer
9 anos atrás

Os gregos não têm dinheiro nem para comprar papel higiênico para a tripulação desse navio. O que dizer então de fluxo contínuo de recursos para operação e manutenção? Esses meios, assim como os subs de Portugal, foram comprados no período de entusiasmo com a zona do Euro e o blábláblá do sistema financeiro e mercado neoliberal. Os gregos acreditaram… bom… agora é esperar quanto tempo eles vão demorar para copiar os ingleses, que estão desativando metade da Royal Navy. Abaixo da linha do Equador, se votarem no Tio Patinhas, que vai privatizar o pré sal, seguiremos o mesmo caminho. E… Read more »

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Diria que a Barroso é 4 vezes mais “pesada” e não 5 vezes…mas
é impressionante o armamento mesmo Marujo.

1 canhão de 76 mm
2 canhões de 30 mm
8 misseis exocet block III
1 RAM com 21 misseis

Como toda FAC, embarcação rápda de ataque, sacrifica alcance em detrimento de velocidade e muito armamento as custas de um helicoptero organico, armamento antisubmarino e sonar.

Classe distinta da Barroso e de navios de patrulha…não devem ser comparadas, inclusive para o que se destinam, dissuasão frente a Turquia, é o melhor custo/beneficio que os gregos podem operar.

abs

Alberto
Alberto
9 anos atrás

A Grecia vive em guerra fria com a Turquia….eles sao paranoicos com esta questao de defesa…acho que eles sao tramatizados, ate hoje, com a ocupacao otomana.

Galileu
Galileu
9 anos atrás

Vocês tocaram num ponto importante, principalmente pra defasada MB, por ex:
Do que adianta termos Fremm ou Type 26 e não ter armamento que preste, seja os Aster 30, Exocet III e quem sabe até Scalp….
Pegar uma embarcação dessas e por simbad ai é sacangem, só dei um exemplo de incoerência não significa que irão por, mesmo eu não duvidando ahahaha

Sabre
Sabre
9 anos atrás

Dá até tristeza ver as compras dos outros!

Nick
Nick
9 anos atrás

É duro ver essas FACs com esse sistema RAM e as Barroso não…. 🙁

[]’s

MO
MO
9 anos atrás

Guerra fria ????? tem gergotio ou turquinho comuna na parada ? Bom melhoior dizendo né. a Grécia não morre de amores pelos turcos a bolinhas, mas ambos são Aliados Otan ( a bem da melhor explanação da info e evitar confusao dos mais novos, principalmente o termo guerra fria) Quanto a paranoia de defesa .. bom eles tem motivos desde 345.560 AC, pois fioram os protozoarios amebas, neathertahais depois os dinossauros, ai vieram os monstros, medusas, ciclopes, titans, depois tapetes persas, macedoniquianos, romanos, egipicianos, eslavos, alemaes, tuco locos, acreanos, emos, curinthianos farofeiros de osasco, quem seram os proximpos, ate ai… Read more »

MO
MO
9 anos atrás

Isso Dalton, deve ser tambem que lá no Atlantico, olhando de Piraeus, ou mesmo de Chios ou Andros, ou até mesmo de Rodes “num” da pra ver Istanbul, mesmo se esticarmos o pescoço e oçharmos por cima das 3798.456 ilhas que tem por la, ja ao passo que no Mediterrâsneo, lá de Natal, da pra ver tranquilo Dakar, ou até mesmo Nouackchott ou Walvis Bay, pois não ha nada na frnte tampando a visão Logo a comparação dos dois navios não se cabe nos TO´s como vc falou Mas, concordo que o RAM era mto melhor e si lá se… Read more »

marujo
marujo
9 anos atrás

Dalton, obrigado pela correção. MO, sei muito bem que o TO a que se destina o navio grego é muito diferente do nosso, logo ele não cabe aqui. Disse apenas que um casco quatro vezes menor do o que da Barroso é mais bem armado do que ela.

MVMB
MVMB
9 anos atrás

“Utilizado pela Marinha Grega como uma embarcação de patrulha oceânica e de interceptação em altas velocidades,”

Que inveja !!!!! E nós de napas de 500 ton com canhões de carregamento manual e 22 nós.

Dá-lhe BRASIL !!!!!!

Bruno
Bruno
9 anos atrás

A nossa situação é bem diferente da grega:o mar territorial deles é bem menor que o nosso, por isso preferem velocidade em vez de autonomia.Isso é impossível para o Brasil, pois os NaPaOc precisam patrulhar uma área gigantesca, e a autonomia é muito mais importante. Características gerais da Corveta “Barroso” 1. Sistema Nacional de Controle Tático e Armas – SICONTA Mk III (nacional) 2. Comprimento total de 103,4 metros 3. Boca máxima – 11,4 metros 4. Calado de navegação – 6,20 metros 5. Deslocamento carregado – 2.400 toneladas 6. Sistema de propulsão – CODOG a. 2 Motores MTU 1163 TB… Read more »

Alberto
Alberto
9 anos atrás

Mo,

Ambos sao OTAN mas ja se “estranharam” varias vezes. Ja foi postado no “poder aereo” um empate recente, sem tiros, entre interceptadores dos dois paises. Se o termo “guerra fria” é pesado, como vc sugere,neste mundo do politicamente correto, podemos usar “animosidades e desconfiancas mutuas”. Agora, se exagerei, explique pq a Grecia esta quebrada e assim mesmo nao abre mao de reequipar suas FA? É em funcao de quem se nao da Turquia?

http://en.wikipedia.org/wiki/Greek%E2%80%93Turkish_relations#Timeline

MO
MO
9 anos atrás

isso eh fato, eles nao se bicam, mas nao estao em guerra

pq ela sabe que o buraco eh mais embaixo e nao vive no mundo maravilhoso de BOB como aqui

nao exagerou, apenas uysou termo incorreto para situ

Economia ;; ah cara nao controlo nem meu cartao, explicar economia nao é comigo

Alberto
Alberto
9 anos atrás

Mo,

Isso é por causa da Turquia. E so comparar as duas FAs em termos contingente, quantidade e nivel de atualizacao de equipamentos.

MO
MO
9 anos atrás

Concordo Alberto

E diga-se d passagem são duas excelentes FA´s

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Não adianta sonhar c/ essa aí, necessitamos de algo similar aos Cassiopea, Sirio ou Comandanti italianos ou a Floreal francesa.

MO
MO
9 anos atrás

opa .. floreal vc nao vale, vc eh suspeito de falar dela, kkkkkkkkkkkkk

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Aqueles 3 que Trinidad & Tobago rasgou o contrato c/ a BAe, seriam bem interessantes tb.

Vega Opv Class.

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

É o único navio francês que eu gosto…

Bruno
Bruno
9 anos atrás

Maurício R,

A Classe Vega não tem muitas chances com a licitação pois não cumpre um dos requisito básico: Convoo para operar helicopteros, embora seja um excelente navio.