terça-feira, novembro 30, 2021

Saab Naval

US Navy quer os dois LCS

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Marinha dos EUA discutiu com os principais membros do Comitê de Defesa e da indústria para a possibilidade de obter autorização do Congresso para comprar 10 navios de cada grupo concorrente ao Programa do Navio de Combate Litorâneo (LCS).

O que estava planejado antes era a Marinha selecionar apenas um dos projetos, mas a construção de navios dos dois modelos pode baratear os custos de construção em bloco e ainda manter a mão de obra empregada nos dois estaleiros concorrentes.

Segundo o Secretário da Marinha Ray Mabus, “esta opção é boa para os contribuintes, pois permite-nos comprar mais navios com o mesmo dinheiro e nos permite lutar por um preço mais baixo para todos os 20 navios”. “É boa para a Marinha, porque faremos mais navios aumentando nossa flexibilidade, e é bom para a indústria, pois mantém e até amplia postos de trabalho em dois estaleiros.”

Ao contrário da solicitação atual, esta opção exige ação do Congresso para autorizar a compra de dois blocos, até meados de Dezembro de 2010.

A US Navy pretende comprar ao todo 55 navios de combate litorâneo.

FONTE/FOTOS: US Navy

- Advertisement -

43 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bruno

Alguém ai tem uma explicação pra esse desenho bizarro?

Mauricio R.

O desenho bizarro é ditado pelas necessidades das missões de “litoral warfare”, que deverão ser nas barbas dos prováveis inimigos. Lembra na Campanha das Falklands um episódio em que a Boadsword e a Battleaxe, foram na cara do litoral argentino abateran 2 Skyhawks, um terceiro afucinhou sozinho no mar e o quarto e último; asas p/ que te quero, p/ não morrer??? É por aí. Um dos problemas da idéia de se adquirir ambos os designs de LCS é o sistema de armas, pois cada design tem o seu e estes não se comunicam. O que poderia levar a desativação… Read more »

Ixtli

Dificil acontecer na USN, mas Jesus… que navio feio…
Parece que o desenho tenta favorecer a capacidade stealth, mas como ateh hj isso nao foi provado em combate… fica soh sendo feio mesmo hahahaha

Almir

Salvo engano o segundo é um Trimarã, ou seja, tem 3 quilhas, e com certeza ambos incorporam tecnologias furtivas. Quanto à feiúra é questão de gosto, eu adorei ambos os projetos. Os EUA são o país que mais inovam e lançam coisas realmente de vanquarda, isso se traduz em todas as 3 forças, seus equipamentos são futuristas, de altíssima tecnologia e sem igual no mundo. Enquanto isso em algum país do terceiro mundo o Exército ainda anda de Jeep Willys…

Samuel

A preocupação clara é manter os estaleiros ativos e assim salvar empregos. Lógico que o preço de fabricar 10 de cada é maior que fabricar 20 de um só tipo. Mais em caso de crise a indústria de alta tecnologia é sempre estimulada. Todavia não vejo problema em adimiti-lo.

Galileu

Bosco ou qualquer outro que saiba essa pergunta

Tecnologia stealth em embarcações funcionam?? como é o caso desse uss Independence.

tito

Perto disso até bote as FREMM parecem bonitas.

tito

Esqueçam o bote

Bosco

Galileu,
Pelo que eu sei sim. É possível reduzir a assinatura radar dispondo corretamente os planos, quinas e reentrâncias, etc, além de acrescentar material RAM em pontos críticos, incluindo na pintura.
A redução da assinatura térmica, acústica e magnética também é possível.
Um abraço.

Gustavo Krepke

Nao sei se os senhores concordarao comigo… Mas veja bem o que é um pais com decisao politica… olha a diferenca entre a forma de pensar dos yankees para o Brasil… Eles estao no meio de uma das crises mais graves e continuas da historia Norte-Americana.. as medidas de austeridade sao fortissimas… Possuem uma Marinha de Guerra gigantesca e mesmo assim a USN consegue obter do Congresso autorizacao para a construcao de 10 navios de cada um dos dois grupos concorrentes da mesma licitacao… nao apenas para Manter sua Marinha de Guerra como TOP no mundo mas tambem pra garantir… Read more »

DougVenan

Acho o desenho e o desempenho do LCS-2 incriveis, é um navio muito mais capaz e com valor estratégico e humanitário do que os NPOC que queremos comprar, é uma plataforma flexivel, sua capacidade de alta velocidade, permite chegar em áreas de acidentes em menor tempo que qualquer outra embarcação (lembre-se da vergonha nossa no caso do acidente do Air France), permite áreas de patrulha maiores, bem como taticas de escolta diferentes dos navios tradicionais, é o futuro, como foi o desenho em forma de gota dos submarinos nucleares americanos e a capacidade de manter altas velocidades por períodos infinimos… Read more »

Alfredo.Araujo

Esse LCS-2 tem uma verdadeira pista de pouso!!
Chega a lembrar os Couraçados porta-avioes usados na 2GM pela marinha japonesa..

Lucas

Quem pode, pode!
PS. Que navio feio esse segundo LCS

Fábio Mayer

Talvez o ganho de escala seja a maneira que o governo dos EUA encontrou para injetar dinheiro na economia me ajudar na recuperação do país… o que nós aqui no Brasil necessitamos de obras públicas, para eles, é equipamento para as FFAA. O complexo industrial-militar deles é como as empreiteiras, aqui.

massa

O desenho do casco permite que o navio operem em áreas de pouca profundidade, ideal pra área litoranea.
Isso mostra que os EUA estão mudando o seu foco de operação, priorizando a guerra assimétrica, idem com o submarino da classe virgínia.
O próximo passo será a operação de VANS a partir de porta-aviões…

Marcos T.

Aquilo não é uma pista de pouso, é uma quadra de futsal.

Leandro RQ

Marcos T. disse:
“Aquilo não é uma pista de pouso, é uma quadra de futsal.”

Eu ia falar a mesma coisa hahahahahaha

dranuits

Aquela pista de pouso também não serve para 1 F35 ?? Alguém saberia responder ??

Bosco

Dranuits,

Talvez um F35 possa até pousar em caso de emergência (talvez derreta o piso,rsrsrsrs), mas com certeza não poderá decolar, a menos que seja para fazer um pequeno tour ao redor do navio e voltar a pousar, já que no modo vertical, embora seja dito que ele tenha potência suficiente para decolar no modo vertical com os tanque internos e o compartimento de armas “cheio”, seu alcance seria muito pequeno pra qualquer uso prático.
O F-35B é otimizado para “decolagem super curta” e pouso vertical. Não se espera dele que decole na vertical em nenhuma situação.

Um abraço.

MatheusTS

então dranuits tive a mesma ideia “Imagina um F-35 ali…” tamanho não falta… o problema é que o piloto vai ter que ser realmente preciso um erro = cair no mar ou destruir o navio…….
Mesmo assim o F-35 teria capacidade?

Dalton

Galante…

se não me engano a varredura de minas ficará para os MH-60s também
que substituirá os bem maiores MH-53s nesta capacidade na US Navy.

abs

MVMB

É claro que o componente econômico pesou nesta escolha, já que era previsto a continuação de apenas um dos modelos do LCS. O que ainda não foi comentado é que os testes de aceitação e avaliação operacional dos navios deram resultados muito similares – reforçando a ideia de manter as duas classes. Os LCS devem ser os meios de alteração de paradigma da US NAVY, dentro do conceito do SEA POWER 21 do DOD norte-americano.

Bosco

Dalton,
Creio que você está certo. O sistema padrão de contraminagem da USN para o futuro próximo será o RAMICS, a base de um laser azul-esvedeado e de projéteis supercavitantes disparados por um canhão Mk44 de um “CH-60”.

Dalton

Valeu Bosco !

só lembrando que a denominação CH-60 que vc corretamente colocou entre aspas é antiga, agora é MH-60S utilizado inclusive para guerra de minas e o MH-60R mais indicado para guerra antisubmarina e serão
estes os transportados pelos LCSs dependendo da missão.

abs

celsors

Prezados,

independentemente de ser bonito ou nao, com certeza eh bem capaz.
Porem, ja a muitos anos e na mesma categoria e tbm muito capazes e mais baratos, temos os exemplos dos warfare construidos pela marinha Sueca e Norueguesa e tbm ja oferecidos a nossa Marinha.
Basta ver as proprias condiçoes e teatro das respectivas costas destes paises.

Sds

Andre Luis

Quando eles pensam na defesa dos seus interesses, e ai entra todo “american way of life”, não medem sacrifícios para tal. Essa é a grande diferença entre eles e o resto do mundo. Licença poética para UK, que faz o que pode com o que tem. Para eles não há paradigmas que não possam ser quebrados, não se limitam, não fazem politicagem com defesa militar – embora a atitude de comprar os dois modelos possa ser encarado como tal – mesmo enfrentando uma crise que vai obrigar aumentar os juros. Isso demonstra a seriedade e comprometimento. Garantem dois modelos capazes,… Read more »

Bosco

Celsors,

Só que a classe dos barcos que você citou é diferente do LCS, que embora sejam otimizados para operações litorâneas o fazem no litoral “dos outros”, ou seja, necessariamente os navios americanos precisam ser maiores e terem maior autonomia que os suecos e noruegueses, que operam no seu litoral.

Andre Luis

celsors disse:
9 de novembro de 2010 às 15:29

Esses que você citou seriam uma opção àos Navios de Patrulha Oceânica.

Fenando de Nornoha

Baratear os custos ???

Eu dúvido, o motivo deve ser evitar processo do fabricante que não seria escolhido ! Assim os dois fabricantes ganham e a USN também ganhandos os dois tipos de navio!

Mais uma maobra para evitar mais um processo divido aos condições confusos de licitações das forças armadas dos EUA. Involvendo políticos querendo favorecer “seu” fabricante! 😉

Gustavo Krepke

Alfredo.Araujo disse:
9 de novembro de 2010 às 0:39
Esse LCS-2 tem uma verdadeira pista de pouso!!
Chega a lembrar os Couraçados porta-avioes usados na 2GM pela marinha japonesa..

Couraçados porta-avioes?????

NUNCA OUVI FALAR DISSO… Sou formado em Historia e nunca li ou escutei nada sobre isso…

Tem uma foto???

Saudacoes

caiozin

Gustavo Krepke no seu primeiro comentario você falou da diferença entre o modo de pensar dos yankes e dos brasileiros e falou do Congresso americano.
Eu só queria te lembrar de mais uma diferença entre Brasil e EUA . e por falar em congresso ……….
O congresso brasileiro não trabalha a 5 MESES !!!

Dalton

Gustavo… os encouraçados porta-avioes que o Alfredo citou, na verdade foram 2 encouraçados antigos o Hyuga e o Ise que originalmente possuiam 6 torres duplas de canhoes de 14 polegadas e a partir de 1943, foram retirados temporariamente de serviço para serem convertidos em navios hibridos,uma tentativa futil de aumentar a arma aerea naval devido a perdas e a lentidão que novos porta-avioes entravam em serviço. Conservou-se 4 torres duplas de canhoes de 14 polegadas e no terço final do comprimento dos navios um curto convés de voo foi instalado e abaixo deste um hangar servido por um elevador. Para… Read more »

MO

Nunca ouviu falar nos hemafroditas japoneses ??????????

‘Ai sim, fomos surprendidos novamente !’

Facil, só ver ise e Hyuga

e so por acaso nao se assuste com os I 400 tbm

Gustavo Krepke

Sr Dalton Os modelos ao que o Senhor se refere… nunca os considerei como um “Porta/avioes couracado” e sim apenas como um couracado. Por que era, durante a SGM normal, um couracado… ou encouracado (como prefira) ter alguns avioes para reconhecimento aereo.. (mesmo porque o uso do Helicoptero nao era difundido na epoca). Como exemplos… os alemaes Bismarck e Tirpitz tinham hidro-avioes para realizar essa funcao… Japoneses, Yankees e Ingleses transformaram navios em Porta-Avioes. a meu ver… esse foi o ocorrido com o caso dos modelos japoneses en questao. Ou seja… Nao houve um projeto de construcao de um Porta-avioes… Read more »

Dalton

Caro Gustavo… dentro da chamada Historia naval, certas denominações ganham fama mesmo tecnicamente não sendo corretas. É o caso do “encouraçado de bolso” propagado pela imprensa estrangeira e que os proprios alemães chamavam apenas de navios blindados e mais tarde corretamente reclassificaram como cruzadores pesados. O Ise e o Hyuga não podem ser classificados como porta-avioes e muito provavelmente o Alfredo reconhece isso também, mas por uma questão de costume, são referidos como encouraçados porta-avioes ou melhor ainda navios hibridos. Como muitas pessoas que visitam este blog, inclusive do poder aéreo e terrestre não tem muita “afinidade” com navios, julguei… Read more »

Pedro Mota

Parece um cruzeiro marítimo, só que mais futurista. AChei bonito o danado.

Abraços.

roberto bozzo

Galante, o que são aqueles “buracos” na lateral do LCS1, na primeira foto ?
O LCS 2, no quesito beleza eu gostei mais, mas ele ganha quais melhorias por ser trimarã ? E li, não lembro onde, que ele usa um sistema waterjet na propulsão, o que melholharia sua velocidade diminuindo o som produzido e a esteira no deslocamento, é verdade ?

Rodrigo

Amigos, desculpem a pergunta de jumento ao ²

Estes LCS são muito diferentes da Barroso em tamanho ?

Tirando o dinheiro e os sistemas eletrônicos das SOF, existe uma capacidade de engenharia por aqui para construir um navio deste porte ?

Mauricio R.

Os turcos estão construindo uma classe de corvetas, algo baseadas no design do LCS-1, em cima das experiências em construir as MEKO 200.

Primo

Que buracos redondos na lateral do navio da primeira foto são aqueles?

Dalton

Primo…

são os exaustores para os motores diesel. Não é uma ideia original, os
PC da classe Cyclone que a US Navy ainda opera por exemplo ,utilizam também esta forma de exaustor lateral.

O chato é que deixa o casco enegrecido exigindo pintura, ou então,
deixam assim mesmo.

abs

MARCIO

feio ou não, que inveja. Nem imaginamos isso. Vamos nos concentrar nos nossos navios-patrulha classe tal…..

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Reator nuclear pode tornar Brasil autossuficiente em radiofármacos

Empreendimento reduzirá riscos de desabastecimento e custos dos medicamentos, além de ampliar o acesso dos brasileiros à medicina nuclear São...
- Advertisement -