Home Noticiário Internacional Corveta stealth ‘Visby’ dispara primeiro míssil antinavio RBS-15

Corveta stealth ‘Visby’ dispara primeiro míssil antinavio RBS-15

635
5

A FMV – Administração Sueca de Material de Defesa, noticiou o primeiro disparo de míssil antinavio RBS-15 pela corveta stealth Visby, no dia 27 de junho. O vídeo do disparo pode ser visto neste link.

Nós fóruns da Internet comentaristas brincam que a partir de agora a Visby deixou de ser o navio mais caro do mundo armado apenas com um canhão de 57mm. O título agora passou para o LCS americano.

O míssil RBS-15 é do tipo “dispare-e-esqueça” e tem alcance de mais de 200km. O míssil pode acompanhar “waypoints” por GPS e a altitude de voo pode ser alterada várias vezes. Segundo o fabricante, o RBS15 Mk3 é extremamente resistente a contramedidas e também pode engajar alvos terrestres.

SAIBA MAIS:

5
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
daltonlgiordani1974 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
giordani1974
Visitante
giordani1974

Ontem estava relendo sobre a Batalha de Tsushima…canhões de vários mm e manobras são coisas cada vez mais do Passado…

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Excelente leitura…e como curiosidade, o Almirante Yamamoto, que
iria adquirir fama mundial graças ao ataque a Pearl Harbor, combateu em Tsushima onde perdeu 2 dedos, entre outros ferimentos, mas permaneceu em seu posto até a luta terminar.

giordani1974
Visitante
giordani1974

Os historiadores atribuem ao navio-hospital a culpa pela derrota da Armada Russa, pois ao contrário dos outros navios, este estava com todas as luzes acessas. Será que foi só isso mesmo? Será que o fato de percorrem metade do mundo, 18 ou 19.000 mn não influenciou?

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Giordani…

não tenho nada “novo” em casa sobre a Batalha de Tsushima, mas não acredito que os “historiadores” atribuam a derrota russa ao navio hospital, que estava corretamente iluminado como uma exigencia de acordos.

Como o “velho” mas ainda uma boa leitura, ” O Almirante Togo” de George Blond explica, a localização da esquadra russa era conhecida, ao menos em termos gerais, então era uma questão de tempo para ser efetivamente localizada.

Como o próprio livro descreve, a condição dos navios, o treinamento e o moral dos russos era bem inferior, então o resultado teria sido o mesmo.

abraços

giordani1974
Visitante
giordani1974

Sim Dalton, aquela expedição “do cão raivoso” estava fadada ao fracasso desde o início…