quinta-feira, maio 26, 2022

Saab Naval

Marinha da Rússia aumenta presença no Mediterrâneo

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

800px-Project_1164_Moskva_2009_G1

O comandante-em-chefe da Esquadra da Rússia, almirante Victor Chirkov, anunciou nesta sexta-feira (13) que seu país vai aumentar sua presença naval no Mediterrâneo, inclusive na zona oriental, que banha o litoral da Síria.

“A Marinha aumentará sua presença no Mar Mediterrâneo até um nível suficiente para garantir o cumprimento das missões atribuídas”, disse Chirkov, citado pela agência “Interfax”.

O almirante acrescentou que as missões dos navios russos no Mediterrâneo são claras: “evitar o mínimo perigo para as fronteiras e a segurança do Estado”. “Todas as frotas do mundo fazem o mesmo: estão onde existem os maiores níveis de tensão”, explicou Chirkov.

Atualmente, a Rússia mantém sete navios no Mediterrâneo: o contratorpedeiro Almirante Panteleyev; os navios de assalto anfíbio Peresvet, Almirante Nevelskoi, Minsk, Novocherkask e Alexander Shabalin, e a fragata Neustrashimy.

A esses navios se juntarão nos próximos dias o cruzador Moskva, o navio de desembarque Nikolai Filchenkov e a fragata Smietlivi.

O Moskva, com 11,4 mil toneladas, está equipado com vários tipos de mísseis e capacidade para quase 500 homens, e deve chegar à região de operações no Mediterrâneo Oriental no próximo dia 17. Por seu poder de fogo, é considerado um ‘destruidor de porta-aviões’.

A Marinha russa retomou em junho passado sua presença permanente no Mediterrâneo após um hiato de 20 anos devido à desintegração da União Soviética.

FONTE: EFE via G1 (adaptação do Poder Naval)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

13 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner

seria engraçado o Kerry perguntado ao Lavrov sobre a presença russa no mediterrãneo, este bem que poderia responder ” Atividade Naval ?? veja, meu colega, não sei de nada sobre, afinal, nunca servi na marinha soviética !”

Caçada ao Outubro Vermelho…

joseboscojr

A Internet não raro faz confusão com alguns dados e mísseis russos são geralmente vítimas dessas confusões.
O míssil antinavio usado por esse cruzado é o P-1000 Vulcan, uma evolução do P-500 Bazalt (SS-N-12 Sandbox) que por sua vez é uma evolução do SS-N-3 Shaddock, já retirado de operação.
Todos são supersônicos e motorizados por turbojatos.
Não raro vemos informações acerca do P-500 Bazalt ser propulsado por um motor foguete líquido a despeito dele ter uma entrada de ar do tamanho de um elefante.

Ivan

Nos próximos dias, quando os 7 (sete) navios estiverem reunidos, a frota russa no Mediterrâneo terá: ► 01 (um) Cruzador com quase 190 metros, deslocando 11.500 toneladas, armado para ASuW (16 SSM SS-N-12 SANDBOX) e AAW (8×8= 64 SAM S-300PMU Favorit, código OTAN (SA-N-6 Grumble). ► 01 (um Destroyer ASW classe Udaloy, com cerca de 163 metros e deslocando 7.900 toneladas caregado, armado com mísseis antisubmarino SS-N14 Icódigo OTAN). ► 01 (uma) fragata de emprego geral que dá nome a classe, Neustrashimy, com 3.800 toneladas de deslocamento e 130 metros de comprimento. ► 05 (cinco) navios de desembarque anfíbio, ou… Read more »

joseboscojr

A frota é formada por 1 cruzador, 1 destróier, 1 fragata, 4 navios de desembarque e 16 mísseis P-1000 Vulcan, cada um do tamanho de um F-5.
rsrsss

Ivan

Bosco,

Não existe a menor possibilidade de um enfrentamento entre russos e OTAN, mas apenas como exercício mental de entusiasta, um Slava como este, com uma tripulação com disposição suicida, em um mar fechado e TO naval apertado como o Mediterrâneo Ocidental, pode ser uma ameaça séria para um porta-aviões com escolta AAW limitada.

Abç.,
Ivan.

Ivan

Bosco,

Melhor a gente contar de novo.

1 (um) Cruzador;
1 (um) Destroyer ASW;
2 (duas) Fragatas;
6 (seis) Navios de desembarque.

Meia dúzia de navios de desembarque sem tropa embarcada serve para que???

Abç.,
Ivan.

MO

Depende do que os NDCC tem como ‘carga’ …

joseboscojr

Sem dúvida Ivan, mas na medida em que se reduz a chance do Slava receber uma chuva de SLAM-ER acima da linha d’água aumenta as chances dele ser rachado no meio por um Mk-48 explodindo 5 metros abaixo da quilha.
Se correr o bicho pega se ficar o bicho come.
rsrssss
Um abraço.

daltonl

“Não há, por exemplo, nenhum Sovremennyy, ” Pois é Ivan e porque será ? os Sovres são mais modernos que os Udaloys e foram mesmo construídos em maiores quantidades, mesmo assim, foram sendo retirados de serviço antes, problemas de propulsão e falta de verba para modernização tem sido apontados e tudo indica que apenas 4 estão em serviço e pouco se houve deles. Deverão ser substituídos em breve pelas novas fragatas Gorshkov, o ideal seria substituir os Sovres por navio de igual tamanho, mas ainda irá demorar um pouco para que novos “destroyers” surjam. off-topic: Acordei hoje com notícia de… Read more »

Ivan

MO,

Depende também de para onde a carga vai…
…se vai para, ou volta da Síria.

Abç.,
Ivan.

MO

sim Ivan, tbm … e tecnicamente eles nao precisam dem uitas facilities para abicarem e fazerem isso … qqr praia de soft mud e ta feito !

Wagner

Aproveitando o gancho O problema está na USC, ela representa 70% daconstrução naval russa, e é 100% do estado, o que está provando ser uma M para a Rússia, visto que as coisas simplesmente estão devagar demais. É irritante não ver noticias novas de navios novos durante meses a fio. Não sei o que estão fazendo, não entendi até agora o gargalo na produção. Tem mais de 50 navios em construção, é um bom numero, mas está lento demais. Nem o Putin está entendendo. Tem que acertar essa construção naval de uma vez por todas. Eles tem capacidade e tecnologia… Read more »

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -